SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Baixar para ler offline
ANTES DE IMPRIMIR ESTE MANUAL,
CONFIGURE SUA IMPRESSORA COM
A OPÇÃO :
* AJUSTAR A IMPRESSÃO PARA À PÁGINA*
POLÍTICA DE SAÚDE E SEGURANÇA DO
TRABALHO
A empresa abaixo qualificada adota uma política que visa
proteger a saúde e a segurança dos seus trabalhadores, bem
como da comunidade onde atua, fundamentando-se nos
seguintes princípios básicos:

LABORAR

1.

3.

Prevenir efeitos danosos ao meio ambiente, agindo
sempre em conformidade com as leis brasileiras em vigor,
aplicáveis a matéria;
Cumprir e fazer cumprir todas as normas e regulamentos
referentes à segurança e à saúde do trabalhador;

5.

Treinar e orientar todos os empregados, nos aspectos de
Saúde, Segurança e Meio Ambiente;

6.

DE

Preservar seu patrimônio físico;

4.

OR
N

AS INTERNAS
M

Promover a proteção da vida e saúde de seus
colaboradores, mantendo um ambiente de trabalho
saudável e seguro;

2.

SEGURANÇA DO TRABALHO

Vistoriar periodicamente todas as operações através de
fiscalizações internas e externas.

DIRETOR

O

S

EG

UR

AN Ç

A DO T R A

LH
BA

Identificação / carimbo CNPJ

1
Normas Internas de Segurança do Trabalho

A EMPRESA
Menor produtividade, tempo gasto com o atendimento,
prejuízos materiais, gastos com pagamentos de horas
afastadas, gastos com medicamentos, além de influências
psicológicas negativas no ambiente de trabalho.

APRESENTAÇÃO
O manual que você está recebendo é para orientá-lo a
respeito da Higiene, Segurança e Medicina do Trabalho e
Prevenção de Acidentes.
Aqui você encontrará orientações de como proceder no
seu trabalho e em casos de acidentes.
Contamos com a colaboração de todos no sentido de
cumprir as normas de segurança da empresa.
É sabido que os índices de acidentes de trabalho e de
doenças profissionais no Brasil são elevados, trazendo
ônus imenso à nação, à indústria e principalmente a você e
sua família.

VOCÊ SABE QUANTO CUSTA UM ACIDENTE?
AO PAÍS

Vamos imaginar um pequeno acidente. A quem este
acidente prejudica?

Nós sabemos que o país vive de produtividade, seja
agrícola ou industrial. Ocorrendo um acidente, há queda
nessa produtividade. Existem os custos de atendimento,
pagamento de auxílios INSS e aposentadoria.
Os acidentes ocorridos no Brasil nos colocam como
RECORDISTAS DE ACIDENTES, e isso não deve ser
orgulho para país nenhum,
nem para nenhum de nós.
Em 1992, tivemos 920.000
acidentes do trabalho no
BRASIL, sendo que 4.000
foram mortes; tudo isso
equivale a uma morte a cada 2
horas de trabalho. Estes
números equivalem a 20 vezes
o Estádio Maracanã (lotado)
em números de acidentes do
PRODUTIVIDADE
trabalho.

AO ACIDENTADO
A mais constante conseqüência
de um acidente é a DOR!
De acordo com a gravidade do
acidente, as conseqüências
também serão mais graves. O
acidentado poderá ser afastado
por algum tempo de suas funções,
ter parte do seu corpo imobilizado
ou inutilizado, isso quando não for
afastado permanentemente, ter
seu salário reduzido e assim por diante. Apontamos
somente algumas das conseqüências que um acidente
pode trazer a VOCÊ.

ACIDENTES
2

3
VOCÊ SABE O QUE É ACIDENTE DO TRABALHO?

COMO AGIR EM CASO DE ACIDENTE DO TRABALHO

Acidente do trabalho é aquele que ocorre pelo exercício
do trabalho a serviço da empresa, provocando lesão
corporal ou funcional que cause a morte, perda ou redução
permanente ou temporária da capacidade para o trabalho.
Também é considerado acidente do trabalho todo
aquele que ocorre com o trabalhador no trajeto desde a casa
para o local de trabalho ou vice-versa (acidente de trajeto).

Na hipótese de ocorrer um acidente, o funcionário deve
procurar o ambulatório Médico, mesmo que não aparente
gravidade, comunicando seu superior, encarregado e ou
Cipeiro (Membro da CIPA).

TIPOS DE ACIDENTES DO TRABALHO
Sem afastamento: é aquele de
natureza leve em que o funcionário
reassume suas funções normais após
24 horas após o acidente.

COMO AGIR EM CASO DE ACIDENTE DE TRAJETO
Na ocorrência de acidente de trajeto, o funcionário deve
procurar atendimento em hospital conveniado ao GAME ou
com o INSS. Comunicar a CIPA ou designado ou, se estiver
impossibilitado, mandar alguém entrar em contato com a
empresa.
Quando for acidente de trânsito, é necessário enviar a CIPA
BOLETIM DE OCORRÊNCIA (BO) elaborado pela polícia
Militar, para emissão da C.A.T (Comunicado de Acidente do
Trabalho).

Com afastamento: é aquele de
natureza mais grave onde o
funcionário não consegue retomar as
suas funções no prazo de 24 horas
após o acidente.

COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO

Acidente de trajeto: é
aquele ocorrido na trajetória
normal do funcionário, de sua
residência para o trabalho e
vice-versa.

A comunicação de acidente de trabalho é uma obrigação
legal, e a CIPA deve ser comunicada tão logo se dê a
ocorrência, pois a empresa tem 24 horas para comunicar ao
INSS, através de formulário próprio chamado C.A.T.
4

5
CONDIÇÕES INSEGURAS

ATOS INSEGUROS

As condições inseguras são aquelas que estão sempre
presentes no ambiente de trabalho, que pode levar à
ocorrência de acidentes. São estas irregularidades físicas
ou eletromecânicas que colocam em risco a integridade
física e mental do trabalhador e também os bens materiais
da empresa.

Os atos inseguros são geralmente definidos como
causas dos acidentes do trabalho, que residem
exclusivamente no fator humano. É a violação das normas
de segurança da empresa.
Seguem para orientação alguns fatores que podem leválo a praticar atos inseguros:
• Correr no local de trabalho;
• Brincar no local de trabalho;
• Utilizar objetos de adorno, tais como relógio, anéis, pulseiras,
correntes, etc, ao trabalhar;
• Improvisar ferramentas e/ou equipamentos de trabalho
• Transportar e/ou elevar objetos pesados de maneira
incorreta;
• Empilhar materiais de forma insegura;
• Colocar-se em local perigoso;
• Deixar de usar os EPI's necessários;
• Inutilizar os dispositivos de Segurança;
• Trabalhar sobre máquinas e/ou equipamentos elétricos, em
movimento;
• Não manter suas áreas de trabalho arrumadas e limpas;
• Fazer manutenção em máquinas ou equipamentos elétricos,
sem estar habilitado a fazê-lo;
• Manipular ou manusear produtos químicos de forma
incorreta;
• Não se dirigir à enfermaria,
quando não estiver
sentindo-se bem de saúde.
• Fumar próximo a inflamáveis
e/ou locais proibidos;
• Alcoolismo;
• Trabalhar em altura superior
a 2 metros sem proteção.

EXEMPLOS:
• Áreas de trabalho insuficientes;
• Iluminação inadequada;
• Máquinas e equipamentos com defeitos;
• Pisos irregulares;
• Excesso de ruído;
• Instalações com defeitos ou impróprias;
• Falta de proteção em partes móveis de máquinas;
• Falta de sinalização;
• e outros...

NÃO ESQUEÇA
80% DOS CASOS DE
ACIDENTES SÃO
PROVOCADOS POR ATOS INSEGUROS.
6

7
ANÁLISE PRÉVIA PARA EXECUÇÃO DO TRABALHO

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL EPI
É um equipamento de uso pessoal, com a finalidade de
dar proteção ao usuário, cabendo a ele a conservação e a
guarda do equipamento.

Antes de iniciar qualquer
atividade, por mais simples
que seja, devemos analisar
com antecedência todos os
possíveis riscos a que
estaremos expostos.
Devemos verificar as
condições de segurança
do local onde será
executado o trabalho e
caso encontremos uma
irregularidade, devemos
comunicá-la imediatamente
ao superior imediato para
que seja sanada.

OBRIGAÇÕES DO EMPREGADOR:
• Adquirir o tipo adequado à atividade;
• Fornecer somente o EPI aprovado pelo MTb;
• Treinar o trabalhador sobre o seu uso adequado;
• Tornar obrigatório seu uso;
•Substituí-lo, imediatamente, quando danificado
ou extraviado;
• Responsabilizar-se pela sua higienização
e manutenção periódica;
• Comunicar ao MTb. qualquer
irregularidade observada no EPI
adquirido.

MANUSEIO DE MATERIAIS
1. Determine o peso do objeto a manusear; não tente
levantar mais do que pode; use alavanca, barra, ganchos,
etc; peça ajuda, se necessário.
2. Proteja as mãos contra lascas, farpas, rebarbas, pontas
de arame ou superfícies ásperas; use calçado de
segurança; proteja os olhos se houver perigo de serem
atingidos por poeira, cisco ou projeção de fragmentos de
material.

OBRIGAÇÕES DO EMPREGADO:
• O empregado fica obrigado a usá-lo apenas para a
finalidade a que se destina;
• Responsabilizar-se por sua guarda e conservação;
• Comunicar ao empregador qualquer alteração que torne
impróprio o seu uso.
• Artigo 166 e parágrafo 1º do artigo 462 da C.L.T.

3. Objetos com superfície molhada ou oleosa deverão ser
limpos antes do manuseio. Agarre firmemente a carga, de
modo a garantir o equilíbrio durante o percurso e certifiquese de que o caminho a percorrer está livre de obstáculo.

O uso dos Equipamentos de Proteção Individual, quando
necessário, é OBRIGATÓRIO.

PRODUTIVIDADE
ACIDENTES
8

9
4. Ao levantar ou abaixar peso, ponha-se em posição de
cócoras, exercendo toda força sobre as pernas, a fim de
evitar distensões musculares.

TRANSPORTE DE MATERIAIS
Todo material com peso superior a 50 Kg deve ser
transportado através de equipamentos como, carrinhos,
pontes rolantes, etc. O transporte realizado através de
pontes rolantes deve ser executado por pessoas
qualificadas à operação de pontes. Desta forma, evitaremos
acidentes com quedas de materiais que, geralmente,
proporcionam graves acidentes.

5. Não carregue nos braços um ou mais objetos ou
volumes que, pelo seu tamanho, lhe obstrua a visão.
6. Ao assentar o peso, no piso, na pilha, na bancada, etc,
faça-o de modo que os dedos não fiquem imprensados,
use calços ou blocos, se necessário.

REGRAS BÁSICAS DE SEGURANÇA

7. Atirar objetos é perigoso. Se tiver de fazê lo, mantenha
os pés fora do alcance, certifique-se de que os colegas
não serão atingidos, tome precauções.

1. Cumpra as instruções, não se arrisque, se não sabe,
pergunte ao supervisor.

8. Objetos compridos devem ser carregados de tal modo
que não atinjam pessoas ou coisas e, quando transportados
por mais de um homem, devem ser carregados no mesmo
ombro, para que a carga seja atirada simultaneamente; o
sinal deverá ser dado por um só deles.

2. Coopere na limpeza, na ordem e na prevenção de
incêndios.
3. Corrija ou comunique as condições perigosas.
4. Utilize, ajuste e repare o equipamento, somente quando
autorizado.

9. Na movimentação de objetos volumosos, toda manobra
deverá ser comandada por um único homem. Obedeça aos
sinais e as instruções, não tome iniciativas arriscadas,
pondo em perigo a sua segurança e a dos seus colegas.

5. Use ferramentas e
equipamentos adequados
ao trabalho, use-os com
segurança.

10. Conserve as mãos
afastada quando a carga
é içada ou arriada por
meios mecânicos, use
calços ou blocos, não
se exponha ao risco de
ser atingido pela carga.

OPERADOR DE TALHA
QUALIFICADO

10

11
6. Use o equipamento de proteção individual, mantenha-o
em boas condições.

6. Utilize escova ou gancho
comprimido para retirar aparas.

7. Ao levantar peso, dobre os joelhos, peça ajuda para as
cargas pesadas.

7. Mantenha o local de trabalho em ordem, o chão limpo,
seco e livre de obstáculos.

8. Não provoque brincadeiras, evite distrair os outros.

8. Concentre a atenção no trabalho e afaste-se da máquina,
sempre que tiver de atender alguém. Não brinque, nem
consinta brincadeiras próximas de máquinas em
movimento.

9. Comunique todos os ferimentos, receba tratamento
imediatamente.
10. Cumpra com todos os regulamentos e sinais de
segurança.

nunca as mãos ou ar

9. Use camisa de manga curta. Não use anéis, pulseiras ou
cordão. Use sempre o equipamento de proteção individual
indicado. Não use luvas, salvo quando autorizado pelo
supervisor.

REGRAS DE SEGURANÇA PARA OPERADORES DE
MAQUINARIA.

10. Pare a máquina quando se ausentar da área de trabalho
e, no término do expediente, desligue a chave elétrica.

1. Trabalhe somente com as máquinas para as quais está
habilitado e autorizado.
2. Certifique-se de que os resguardos, os dispositivos de
segurança e as ferramentas se encontram nos seus
respectivos lugares e em boas condições de uso ou
funcionamento.
3. Antes de pôr a máquina para funcionar, certifique-se de
que ninguém se encontra trabalhando nela. Respeite os
avisos ou letreiros e segurança.
4. Faça somente a limpeza, lubrificação e os ajustamentos
que são parte do seu trabalho. Pare primeiro a máquina e
desligue a energia, salvo instruções contrárias. Comunique
ao supervisor as anormalidades porventura encontradas.
5. Trabalhe com a máquina de acordo com as instruções e a
velocidade estabelecida. Nunca prossiga na operação,
quando a máquina revele, de qualquer modo, desarranjo
mecânico.
12

E nunca se esqueça: Sua máquina não pode pensar;
você pode.

13
ARRUMAÇÃO E LIMPEZA DO LOCAL DE TRABALHO

6. Apanhe objetos abandonados no piso. Uma simples
ponta de eletrodo ou prego podem causar queda, se não
puder remover o objeto abandonado, comunique-o ao
supervisor ou, pelo menos, assinale a condição perigosa.

1. Limpe a sua máquina, as suas ferramentas, os seus
equipamentos e outros utensílios no fim do expediente, e
mantenha-os razoavelmente limpos durante o trabalho.

7. Ao empilhar materiais como, por exemplo, sacos e blocos,
cruze-os, para que a pilha não desmorone.

2. Ponha todo o lixo, sucata, aparas, etc, nos recipientes que
lhes são destinados facilitando o trabalho do pessoal
encarregado da limpeza geral.

8. Não jogue pontas de cigarro no piso. Use os recipientes
apropriados, certificando-se de que o cigarro está apagado.

3. Mantenha limpo e desobstruído o piso e as passagens do
seu local de trabalho, bem como os acessos aos extintores e
as saídas de emergência.

9. Não permita que os materiais estocados no piso, em
prateleiras ou em paletes se projetem nos corredores ou
passagens.

4. Mantenha devidamente arrumados os materiais e as
ferramentas com que trabalha, principalmente as
ferramentas de corte.

10. Mantenha os líquidos e substâncias inflamáveis dentro
de recipientes apropriados, devidamente tampados.

5. Se acidentalmente, derramar óleo ou qualquer outro
líquido no piso ou em qualquer outra superfície, limpe-o
imediatamente.

11. Não deixe as latas de tinta, solventes, etc. em qualquer
canto. No final do Expediente, deposite-as nos recipientes
apropriados e devidamente fechados.
12. Antes de jogar no lixo cacos de vidro ou qualquer outro
material similar, embrulhe-os em cartão ou papelão.
13. Assegure-se de que mangueiras, cabos, cordas,
extensões elétricas, etc, estão corretamente estendidas nos
locais de trabalho, ao abrigo dos rodados de veículos,
quinas vivas dos materiais, etc. e não constituem risco de
quedas.

14

15
2. Para depositar o objeto no chão, dobre as pernas (não as
costas), invertendo o método.

MÉTODO CINÉTICO DE LEVANTAR PESO
1. O método cinético de levantar peso consiste do
seguinte procedimento:

3. Ao chegar ao local de serviço, passe a usar o cinto de
segurança e antes de iniciá-lo, verifique:
a. Se as tábuas do andaime estão em boas condições e
corretamente amarradas em ambas as extremidades.
b. Se os suportes do andaime estão bem parafusados e
se a solda, em toda a volta da base dos olhais, é completa.
c. Se os corrimões estão em boas condições e bem
presos (amarrados, parafusados, soldados, etc).
d. Se não há nada solto no piso, que possa cair ou
provocar escorregão (ex: ponta de eletrodo, areia, graxa,
etc; retire-os, limpe o piso, etc).

a. Verifique as dimensões gerais da carga (não tente
levantá-la sozinho se ela lhe parecer pesada ou difícil de
carregar), bem como o espaço para a sua própria
movimentação e firmeza dos pés.
b. Certifique-se de seu equilibro. Dê aos pés uma
abertura á largura dos ombros, posicione um pé ao lado e o
outro atrás do objeto a ser levantado.
c. Dobre os joelhos, não dobre as costas. Mantenha-as
retas, mas não verticais. Para alinhar a espinha dorsal,
retraia o queixo.
d. Agarre o objeto com as palmas das mãos e dedos e
em seguida, certifique-se da posição alinhada das costas,
retraindo o queixo.
e. Segure o objeto de encontro ao corpo, retraindo
braços e cotovelos ao lado do tronco.
f. Posicione-se de tal modo que o seu próprio peso se
centralize sobre os pés, o que facilitará o impulso e lhe dará
mais equilíbrio. Dê ao pé situado atrás do objeto o impulso
para erguer-se.
1-)

3-)

Nota: Se na sua inspeção, encontrar alguma condição
insegura, corrija-a imediatamente, e no término do serviço
ou expediente, comunique-a ao seu supervisor, se não
puder corrigi-la, não inicie o serviço e apresente ao seu
supervisor.
Ao terminar o expediente ou um serviço, certifique-se de
que não deixou nenhum risco de acidente ou incêndio (ex:
sobra de material abandonada, escória de solda ou corte no
piso, gambiarra sobre andaime, etc), isole ou pelo menos,
assinale qualquer risco que não possa ser eliminado (ex:
soldadura ou corte recém terminado, escreva a palavra
"QUENTE") hora e data, recolha todo o material que sobrar e
faça vistoria do local (em cima, em baixo, do lado oposto,
principalmente, etc).

2-)

4-)

Ao deixar o local de trabalho, não corra. Em caso de
emergência, saiba como e por onde sair com rapidez e
segurança. Use, quando necessário, a lanterna para
iluminar o caminho.
PRODUTIVIDADE
ACIDENTES
16

17
EMPILHAMENTO DE MATERIAIS

CHAVES E OUTRAS FERRAMENTAS MANUAIS
(USO CORRETO)

1. Material mal empilhado é um perigo. Uma pilha correta
não tem extremidades irregulares. Não pode, por isso
desmoronar sobre você ou outrem.

1. Use chaves do tipo e tamanho adequado ao serviço a
executar. A não ser quando autorizado pelo seu supervisor,
nunca prolongue a chave com tubo ou qualquer outro
material.

2. Prepare uma base firme e inicie a pilha corretamente.
3. Não faça demasiadamente alta, para que você possa
remover o material com segurança.

2. Não improvise ferramentas de trabalho.

4. Deixe espaços suficientes para passagens. Observe as
distâncias estabelecidas para corredores, hidrantes, trilhos,
etc.

3. Não use ferramentas defeituosas, gastas ou em mau
estado. Solicite reparo.
4. Não carregue ferramentas nos bolsos. Use portaferramentas apropriado.

5. Nunca obstrua as vias de acesso ao equipamento de
combate a incêndio.

5. Não use alicate como martelo ou chave de fenda como
alavanca.

6. Sempre que o material permitir, cruze-o, para que a pilha
se suporte.

6. Use somente chaves que tenham máxilas em boas
condições. Mantenha as máxilas da "grifa" sempre afiadas e
limpas.

7. Quando houver perigo de desmoronamento, trave a pilha
com calços.
8. Quando empilhar materiais pesados em pisos, sobrados,
prateleiras, plataformas, etc; procure saber antes qual o
limite de peso que podem suportar com segurança.

7. Ajuste sempre as
máxilas à porca para que
esta receba toda força
empregada.

9. Calce os objetos de forma arredondada, tais como cubos,
tambores, etc; para que não rolem.

8. Nunca use calços para
ajustar as máxilas de
uma chave inadequada
à porca.

10. Quando necessário isole,
ou pelo menos, sinalize as
extremidades perigosas do
material.
11. Zele pela sua segurança e
a segurança alheia.

18

19
FERRAMENTAS ELÉTRICAS PORTÁTEIS

TRABALHOS EM ALTURA

1. Use somente ferramentas que estejam em boas
condições

1. Somente pessoas experientes poderão realizar
trabalhos em telhados e em alturas superiores a 2 metros.

2. Certifique-se que a ferramenta fica devidamente ligada a
terra, se ela não for dotada de isolamento duplo.

2. É obrigatório o uso de cinto de segurança e/ou rede de
segurança em trabalhos acima de 02 (dois) metros do solo.

3. Devolva a ferramenta sempre que ela apresentar
qualquer das seguintes condições inseguras:

3. O local deverá ser isolado com cordas e ser sinalizado
com placa de aviso indicando a existência de homens
trabalhando.

• Cabo defeituoso ou com isolamento partido.

4. Escada de metal não deve ser usada na atividade de
solda elétrica, perto de linhas elétricas ou quando da
realização de serviços em eletricidade.

• Conexões impróprias ou mal feitas
• Pino partido ou defeituoso
• Centelhamento de escovas

5. Andaimes devem ser montados e aprumados em bases
sólidas e sofrer travamentos com a finalidade de impedir seu
deslocamento sobre a estrutura.

• Não force a ferramenta, sobrecarregando assim o
motor.

6. Cuidado ao passar
debaixo de pessoas que
estejam trabalhando em
lugares altos.

5. Nunca use a ferramenta elétrica portátil onde haja
vapores ou gases inflamáveis, a não ser que seja apropriada
para isso.
6. Certifique-se de que o cabo
e extensões não entrem em
contato com óleos corrosivos,
superfícies quentes, quinas
vivas, etc.
7. Não use luvas quando
trabalhar com ferramentas
elétricas, portáteis, a não ser
quando autorizadas pelo
supervisor.

20

21
TÉRMINO DO DIA DE TRABALHO

DECLARAÇÃO
Declaro que recebi da empresa abaixo assinalada, através
de seu serviço terceirizado de Segurança do Trabalho, o Manual
de Segurança do Trabalho, contendo todas as normas internas de
segurança do trabalho da empresa, das quais tomei ciência na
minha integração, comprometendo-me a seguir as orientações
nele contidas, reconhecendo serem elas indispensáveis à minha
segurança e a de meus colegas de trabalho, conforme Art. 157 e
158 da C.L.T. e Art. 1.7 e 1.8 da NR-1 Disposições Gerais, da
Portaria nº 3.214/78 do Ministério do Trabalho. O não
cumprimento e violação das diretrizes contidas neste manual me
tornarão passível de punição de acordo com as prerrogativas da
Legislação Trabalhista.
Declaro, outrossim, que recebi orientação sobre os
eventuais riscos existentes na Empresa, principalmente sobre o
meu posto de trabalho e, em particular, quanto aos agentes
ambientais, estando ciente de todas as medidas preventivas
adotadas, incluindo a conservação e o uso obrigatório de EPI,
conforme NR-6 e de acordo com as instruções recebidas em
treinamentos de integração e periódicas.

NORMAS DE SEGURANÇA A OBSERVAR
1. Encerre o serviço na hora determinada pelo seu
supervisor.
2. Desligue a energia elétrica de todas as máquinas,
aparelhos equipamentos, etc.
3. Guarde as ferramentas em seus devidos lugares.
4. Arrume os materiais, não obstrua a passagem.
5. Inspecione o equipamento que foi usado, quanto ao seu
estado de conservação e funcionamento.
6. Guarde as latas ou vasilhas de óleo, de tintas, de graxas,
etc.
7. Retire os cavacos, aparas, panos sujos, lixo, etc.
8. Coloque a sinalização adequada onde houver perigo,
comunique ao seu supervisor.
9. Inspecione o local de trabalho quanto a riscos de incêndio.

NOME

10. Ao deixar o local de trabalho não corra e repare onde
pisa.

DATA
ASSINATURA

22

Identificação / carimbo CNPJ

23

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Treinamento básico de segurança
Treinamento básico de segurançaTreinamento básico de segurança
Treinamento básico de segurança
conbetcursos
 
Power+point+nr+35
Power+point+nr+35Power+point+nr+35
Power+point+nr+35
Gil Mendes
 
Politica de saúde e segurança do trabalho
Politica de saúde e segurança do trabalhoPolitica de saúde e segurança do trabalho
Politica de saúde e segurança do trabalho
EvandroPFonseca
 
Das Imagens Feias
Das Imagens FeiasDas Imagens Feias
Das Imagens Feias
Ainoan
 

Mais procurados (20)

Abril Verde, por que aderir?
Abril Verde, por que aderir?Abril Verde, por que aderir?
Abril Verde, por que aderir?
 
Treinamento NR-12
Treinamento NR-12Treinamento NR-12
Treinamento NR-12
 
Integração de Segurança
Integração de SegurançaIntegração de Segurança
Integração de Segurança
 
NR 18 - Condições de Meio Ambiente e Trabalho na Industria da Construção
NR 18 - Condições de Meio Ambiente e Trabalho na Industria da ConstruçãoNR 18 - Condições de Meio Ambiente e Trabalho na Industria da Construção
NR 18 - Condições de Meio Ambiente e Trabalho na Industria da Construção
 
Treinamento básico de segurança
Treinamento básico de segurançaTreinamento básico de segurança
Treinamento básico de segurança
 
NR 35
NR 35NR 35
NR 35
 
Campanha adornos
Campanha adornosCampanha adornos
Campanha adornos
 
Power+point+nr+35
Power+point+nr+35Power+point+nr+35
Power+point+nr+35
 
Capacitação nr 12
Capacitação nr 12Capacitação nr 12
Capacitação nr 12
 
Nr 12
Nr 12Nr 12
Nr 12
 
Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.
Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.
Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.
 
Politica de saúde e segurança do trabalho
Politica de saúde e segurança do trabalhoPolitica de saúde e segurança do trabalho
Politica de saúde e segurança do trabalho
 
Acidentes de trabalho (causas e consequências)
Acidentes de trabalho   (causas e consequências)Acidentes de trabalho   (causas e consequências)
Acidentes de trabalho (causas e consequências)
 
Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Nr 18 Segurança na Industria da Construção Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Nr 18 Segurança na Industria da Construção
 
Acidentes de trabalho
Acidentes de trabalhoAcidentes de trabalho
Acidentes de trabalho
 
Trabalho em altura nr 35
Trabalho em altura nr 35Trabalho em altura nr 35
Trabalho em altura nr 35
 
Das Imagens Feias
Das Imagens FeiasDas Imagens Feias
Das Imagens Feias
 
Treinamento betoneira
Treinamento betoneiraTreinamento betoneira
Treinamento betoneira
 
Saúde e Segurança no Trabalho
Saúde e Segurança no TrabalhoSaúde e Segurança no Trabalho
Saúde e Segurança no Trabalho
 
treinamento nr 18
treinamento nr 18treinamento nr 18
treinamento nr 18
 

Destaque

Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho -AULA 2
Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho -AULA 2 Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho -AULA 2
Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho -AULA 2
eugeniorocha
 
(Ferramentas manuais martelos)
(Ferramentas manuais   martelos)(Ferramentas manuais   martelos)
(Ferramentas manuais martelos)
Nilton Goulart
 

Destaque (16)

Exemplo de política de segurança
Exemplo de política de segurançaExemplo de política de segurança
Exemplo de política de segurança
 
Politica De Seguranca
Politica De SegurancaPolitica De Seguranca
Politica De Seguranca
 
Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho - Aula 1
Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho - Aula 1Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho - Aula 1
Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho - Aula 1
 
Aula 3 - Política de Segurança da Informação (PSI)
Aula 3 - Política de Segurança da Informação (PSI)Aula 3 - Política de Segurança da Informação (PSI)
Aula 3 - Política de Segurança da Informação (PSI)
 
Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho -AULA 2
Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho -AULA 2 Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho -AULA 2
Política e Programa de Segurança e Saúde do Trabalho -AULA 2
 
Seguranca na soldagem
Seguranca na soldagemSeguranca na soldagem
Seguranca na soldagem
 
Política de Segurança
Política de SegurançaPolítica de Segurança
Política de Segurança
 
Senac - Curso Técnico em Sáude e Segurança do Trabalho 2015
Senac - Curso Técnico em Sáude e Segurança do Trabalho 2015Senac - Curso Técnico em Sáude e Segurança do Trabalho 2015
Senac - Curso Técnico em Sáude e Segurança do Trabalho 2015
 
8.4 soldagem
8.4   soldagem8.4   soldagem
8.4 soldagem
 
(Ferramentas manuais martelos)
(Ferramentas manuais   martelos)(Ferramentas manuais   martelos)
(Ferramentas manuais martelos)
 
Trabalho ohsas 18001
Trabalho ohsas 18001Trabalho ohsas 18001
Trabalho ohsas 18001
 
Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho
Gestão da Segurança e Saúde no TrabalhoGestão da Segurança e Saúde no Trabalho
Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho
 
12.0 ohsas 18001
12.0 ohsas 1800112.0 ohsas 18001
12.0 ohsas 18001
 
Manuseio de Produtos Químicos (Oficial)
Manuseio de Produtos Químicos (Oficial)Manuseio de Produtos Químicos (Oficial)
Manuseio de Produtos Químicos (Oficial)
 
Saúde e segurança no trabalho 2012.2
Saúde e segurança no trabalho    2012.2Saúde e segurança no trabalho    2012.2
Saúde e segurança no trabalho 2012.2
 
Sistema de gestao_de_seguranca
Sistema de gestao_de_segurancaSistema de gestao_de_seguranca
Sistema de gestao_de_seguranca
 

Semelhante a Política de saúde e segurança do trabalho

Politica de saude e segurana do trabalho
Politica de saude e segurana do trabalhoPolitica de saude e segurana do trabalho
Politica de saude e segurana do trabalho
Eber B. de Oliveira
 
Integraodesegurana janaina
Integraodesegurana janainaIntegraodesegurana janaina
Integraodesegurana janaina
Janáina Vanira
 
temas de dssTemas novos para dds
temas de dssTemas novos para ddstemas de dssTemas novos para dds
temas de dssTemas novos para dds
Thais Pererira
 
Integração NR 18 e NR 06 EPI_Slides. SESMT-Qualidade.pptx
Integração NR 18 e NR 06 EPI_Slides. SESMT-Qualidade.pptxIntegração NR 18 e NR 06 EPI_Slides. SESMT-Qualidade.pptx
Integração NR 18 e NR 06 EPI_Slides. SESMT-Qualidade.pptx
VitorSimes25
 
treinamento segurança do trabalgo nwn.ppt
treinamento segurança do trabalgo nwn.ppttreinamento segurança do trabalgo nwn.ppt
treinamento segurança do trabalgo nwn.ppt
SANDRARODRIGUESDASIL5
 
Curso CIPA Segurança do Trabalho nwn.pptx
Curso CIPA Segurança do Trabalho nwn.pptxCurso CIPA Segurança do Trabalho nwn.pptx
Curso CIPA Segurança do Trabalho nwn.pptx
isaccampeche2
 

Semelhante a Política de saúde e segurança do trabalho (20)

Politica de saude e segurana do trabalho
Politica de saude e segurana do trabalhoPolitica de saude e segurana do trabalho
Politica de saude e segurana do trabalho
 
TREINAMENTO INTEGRAÇÃO 2012.pptx
TREINAMENTO INTEGRAÇÃO 2012.pptxTREINAMENTO INTEGRAÇÃO 2012.pptx
TREINAMENTO INTEGRAÇÃO 2012.pptx
 
Curso NR 06 - Slides.pdf
Curso NR 06 - Slides.pdfCurso NR 06 - Slides.pdf
Curso NR 06 - Slides.pdf
 
Integração de segurança - modelo completo
Integração de segurança - modelo completoIntegração de segurança - modelo completo
Integração de segurança - modelo completo
 
Integraodesegurana janaina
Integraodesegurana janainaIntegraodesegurana janaina
Integraodesegurana janaina
 
NR05 - Treinamento - Formacao Cipeiros - P21 - Abr 21.pptx
NR05 - Treinamento - Formacao Cipeiros - P21 - Abr 21.pptxNR05 - Treinamento - Formacao Cipeiros - P21 - Abr 21.pptx
NR05 - Treinamento - Formacao Cipeiros - P21 - Abr 21.pptx
 
Curso CIPA Segurança do Trabalho nwn.pptx
Curso CIPA Segurança do Trabalho nwn.pptxCurso CIPA Segurança do Trabalho nwn.pptx
Curso CIPA Segurança do Trabalho nwn.pptx
 
INTEGRAÇÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO.pptx
INTEGRAÇÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO.pptxINTEGRAÇÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO.pptx
INTEGRAÇÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO.pptx
 
temas de dssTemas novos para dds
temas de dssTemas novos para ddstemas de dssTemas novos para dds
temas de dssTemas novos para dds
 
DDS
 DDS DDS
DDS
 
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICAADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
 
Integração NR 18 e NR 06 EPI_Slides. SESMT-Qualidade.pptx
Integração NR 18 e NR 06 EPI_Slides. SESMT-Qualidade.pptxIntegração NR 18 e NR 06 EPI_Slides. SESMT-Qualidade.pptx
Integração NR 18 e NR 06 EPI_Slides. SESMT-Qualidade.pptx
 
treinamento segurança do trabalgo nwn.ppt
treinamento segurança do trabalgo nwn.ppttreinamento segurança do trabalgo nwn.ppt
treinamento segurança do trabalgo nwn.ppt
 
treinamento segurança do trabalgo nwn.ppt
treinamento segurança do trabalgo nwn.ppttreinamento segurança do trabalgo nwn.ppt
treinamento segurança do trabalgo nwn.ppt
 
Treinamento integração de segurança do trabalho.ppt
Treinamento integração de segurança do trabalho.pptTreinamento integração de segurança do trabalho.ppt
Treinamento integração de segurança do trabalho.ppt
 
Curso CIPA Segurança do Trabalho.pptx
Curso CIPA Segurança do Trabalho.pptxCurso CIPA Segurança do Trabalho.pptx
Curso CIPA Segurança do Trabalho.pptx
 
Treinamento segurança do trabalho
Treinamento segurança do trabalho Treinamento segurança do trabalho
Treinamento segurança do trabalho
 
Apresentação CIPA PARA EMPRESDSAS X.pptx
Apresentação CIPA PARA EMPRESDSAS X.pptxApresentação CIPA PARA EMPRESDSAS X.pptx
Apresentação CIPA PARA EMPRESDSAS X.pptx
 
Curso CIPA Segurança do Trabalho nwn.pptx
Curso CIPA Segurança do Trabalho nwn.pptxCurso CIPA Segurança do Trabalho nwn.pptx
Curso CIPA Segurança do Trabalho nwn.pptx
 
treinamentodeepi.pptx
treinamentodeepi.pptxtreinamentodeepi.pptx
treinamentodeepi.pptx
 

Política de saúde e segurança do trabalho

  • 1. ANTES DE IMPRIMIR ESTE MANUAL, CONFIGURE SUA IMPRESSORA COM A OPÇÃO : * AJUSTAR A IMPRESSÃO PARA À PÁGINA*
  • 2. POLÍTICA DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO A empresa abaixo qualificada adota uma política que visa proteger a saúde e a segurança dos seus trabalhadores, bem como da comunidade onde atua, fundamentando-se nos seguintes princípios básicos: LABORAR 1. 3. Prevenir efeitos danosos ao meio ambiente, agindo sempre em conformidade com as leis brasileiras em vigor, aplicáveis a matéria; Cumprir e fazer cumprir todas as normas e regulamentos referentes à segurança e à saúde do trabalhador; 5. Treinar e orientar todos os empregados, nos aspectos de Saúde, Segurança e Meio Ambiente; 6. DE Preservar seu patrimônio físico; 4. OR N AS INTERNAS M Promover a proteção da vida e saúde de seus colaboradores, mantendo um ambiente de trabalho saudável e seguro; 2. SEGURANÇA DO TRABALHO Vistoriar periodicamente todas as operações através de fiscalizações internas e externas. DIRETOR O S EG UR AN Ç A DO T R A LH BA Identificação / carimbo CNPJ 1
  • 3. Normas Internas de Segurança do Trabalho A EMPRESA Menor produtividade, tempo gasto com o atendimento, prejuízos materiais, gastos com pagamentos de horas afastadas, gastos com medicamentos, além de influências psicológicas negativas no ambiente de trabalho. APRESENTAÇÃO O manual que você está recebendo é para orientá-lo a respeito da Higiene, Segurança e Medicina do Trabalho e Prevenção de Acidentes. Aqui você encontrará orientações de como proceder no seu trabalho e em casos de acidentes. Contamos com a colaboração de todos no sentido de cumprir as normas de segurança da empresa. É sabido que os índices de acidentes de trabalho e de doenças profissionais no Brasil são elevados, trazendo ônus imenso à nação, à indústria e principalmente a você e sua família. VOCÊ SABE QUANTO CUSTA UM ACIDENTE? AO PAÍS Vamos imaginar um pequeno acidente. A quem este acidente prejudica? Nós sabemos que o país vive de produtividade, seja agrícola ou industrial. Ocorrendo um acidente, há queda nessa produtividade. Existem os custos de atendimento, pagamento de auxílios INSS e aposentadoria. Os acidentes ocorridos no Brasil nos colocam como RECORDISTAS DE ACIDENTES, e isso não deve ser orgulho para país nenhum, nem para nenhum de nós. Em 1992, tivemos 920.000 acidentes do trabalho no BRASIL, sendo que 4.000 foram mortes; tudo isso equivale a uma morte a cada 2 horas de trabalho. Estes números equivalem a 20 vezes o Estádio Maracanã (lotado) em números de acidentes do PRODUTIVIDADE trabalho. AO ACIDENTADO A mais constante conseqüência de um acidente é a DOR! De acordo com a gravidade do acidente, as conseqüências também serão mais graves. O acidentado poderá ser afastado por algum tempo de suas funções, ter parte do seu corpo imobilizado ou inutilizado, isso quando não for afastado permanentemente, ter seu salário reduzido e assim por diante. Apontamos somente algumas das conseqüências que um acidente pode trazer a VOCÊ. ACIDENTES 2 3
  • 4. VOCÊ SABE O QUE É ACIDENTE DO TRABALHO? COMO AGIR EM CASO DE ACIDENTE DO TRABALHO Acidente do trabalho é aquele que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa, provocando lesão corporal ou funcional que cause a morte, perda ou redução permanente ou temporária da capacidade para o trabalho. Também é considerado acidente do trabalho todo aquele que ocorre com o trabalhador no trajeto desde a casa para o local de trabalho ou vice-versa (acidente de trajeto). Na hipótese de ocorrer um acidente, o funcionário deve procurar o ambulatório Médico, mesmo que não aparente gravidade, comunicando seu superior, encarregado e ou Cipeiro (Membro da CIPA). TIPOS DE ACIDENTES DO TRABALHO Sem afastamento: é aquele de natureza leve em que o funcionário reassume suas funções normais após 24 horas após o acidente. COMO AGIR EM CASO DE ACIDENTE DE TRAJETO Na ocorrência de acidente de trajeto, o funcionário deve procurar atendimento em hospital conveniado ao GAME ou com o INSS. Comunicar a CIPA ou designado ou, se estiver impossibilitado, mandar alguém entrar em contato com a empresa. Quando for acidente de trânsito, é necessário enviar a CIPA BOLETIM DE OCORRÊNCIA (BO) elaborado pela polícia Militar, para emissão da C.A.T (Comunicado de Acidente do Trabalho). Com afastamento: é aquele de natureza mais grave onde o funcionário não consegue retomar as suas funções no prazo de 24 horas após o acidente. COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO Acidente de trajeto: é aquele ocorrido na trajetória normal do funcionário, de sua residência para o trabalho e vice-versa. A comunicação de acidente de trabalho é uma obrigação legal, e a CIPA deve ser comunicada tão logo se dê a ocorrência, pois a empresa tem 24 horas para comunicar ao INSS, através de formulário próprio chamado C.A.T. 4 5
  • 5. CONDIÇÕES INSEGURAS ATOS INSEGUROS As condições inseguras são aquelas que estão sempre presentes no ambiente de trabalho, que pode levar à ocorrência de acidentes. São estas irregularidades físicas ou eletromecânicas que colocam em risco a integridade física e mental do trabalhador e também os bens materiais da empresa. Os atos inseguros são geralmente definidos como causas dos acidentes do trabalho, que residem exclusivamente no fator humano. É a violação das normas de segurança da empresa. Seguem para orientação alguns fatores que podem leválo a praticar atos inseguros: • Correr no local de trabalho; • Brincar no local de trabalho; • Utilizar objetos de adorno, tais como relógio, anéis, pulseiras, correntes, etc, ao trabalhar; • Improvisar ferramentas e/ou equipamentos de trabalho • Transportar e/ou elevar objetos pesados de maneira incorreta; • Empilhar materiais de forma insegura; • Colocar-se em local perigoso; • Deixar de usar os EPI's necessários; • Inutilizar os dispositivos de Segurança; • Trabalhar sobre máquinas e/ou equipamentos elétricos, em movimento; • Não manter suas áreas de trabalho arrumadas e limpas; • Fazer manutenção em máquinas ou equipamentos elétricos, sem estar habilitado a fazê-lo; • Manipular ou manusear produtos químicos de forma incorreta; • Não se dirigir à enfermaria, quando não estiver sentindo-se bem de saúde. • Fumar próximo a inflamáveis e/ou locais proibidos; • Alcoolismo; • Trabalhar em altura superior a 2 metros sem proteção. EXEMPLOS: • Áreas de trabalho insuficientes; • Iluminação inadequada; • Máquinas e equipamentos com defeitos; • Pisos irregulares; • Excesso de ruído; • Instalações com defeitos ou impróprias; • Falta de proteção em partes móveis de máquinas; • Falta de sinalização; • e outros... NÃO ESQUEÇA 80% DOS CASOS DE ACIDENTES SÃO PROVOCADOS POR ATOS INSEGUROS. 6 7
  • 6. ANÁLISE PRÉVIA PARA EXECUÇÃO DO TRABALHO EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL EPI É um equipamento de uso pessoal, com a finalidade de dar proteção ao usuário, cabendo a ele a conservação e a guarda do equipamento. Antes de iniciar qualquer atividade, por mais simples que seja, devemos analisar com antecedência todos os possíveis riscos a que estaremos expostos. Devemos verificar as condições de segurança do local onde será executado o trabalho e caso encontremos uma irregularidade, devemos comunicá-la imediatamente ao superior imediato para que seja sanada. OBRIGAÇÕES DO EMPREGADOR: • Adquirir o tipo adequado à atividade; • Fornecer somente o EPI aprovado pelo MTb; • Treinar o trabalhador sobre o seu uso adequado; • Tornar obrigatório seu uso; •Substituí-lo, imediatamente, quando danificado ou extraviado; • Responsabilizar-se pela sua higienização e manutenção periódica; • Comunicar ao MTb. qualquer irregularidade observada no EPI adquirido. MANUSEIO DE MATERIAIS 1. Determine o peso do objeto a manusear; não tente levantar mais do que pode; use alavanca, barra, ganchos, etc; peça ajuda, se necessário. 2. Proteja as mãos contra lascas, farpas, rebarbas, pontas de arame ou superfícies ásperas; use calçado de segurança; proteja os olhos se houver perigo de serem atingidos por poeira, cisco ou projeção de fragmentos de material. OBRIGAÇÕES DO EMPREGADO: • O empregado fica obrigado a usá-lo apenas para a finalidade a que se destina; • Responsabilizar-se por sua guarda e conservação; • Comunicar ao empregador qualquer alteração que torne impróprio o seu uso. • Artigo 166 e parágrafo 1º do artigo 462 da C.L.T. 3. Objetos com superfície molhada ou oleosa deverão ser limpos antes do manuseio. Agarre firmemente a carga, de modo a garantir o equilíbrio durante o percurso e certifiquese de que o caminho a percorrer está livre de obstáculo. O uso dos Equipamentos de Proteção Individual, quando necessário, é OBRIGATÓRIO. PRODUTIVIDADE ACIDENTES 8 9
  • 7. 4. Ao levantar ou abaixar peso, ponha-se em posição de cócoras, exercendo toda força sobre as pernas, a fim de evitar distensões musculares. TRANSPORTE DE MATERIAIS Todo material com peso superior a 50 Kg deve ser transportado através de equipamentos como, carrinhos, pontes rolantes, etc. O transporte realizado através de pontes rolantes deve ser executado por pessoas qualificadas à operação de pontes. Desta forma, evitaremos acidentes com quedas de materiais que, geralmente, proporcionam graves acidentes. 5. Não carregue nos braços um ou mais objetos ou volumes que, pelo seu tamanho, lhe obstrua a visão. 6. Ao assentar o peso, no piso, na pilha, na bancada, etc, faça-o de modo que os dedos não fiquem imprensados, use calços ou blocos, se necessário. REGRAS BÁSICAS DE SEGURANÇA 7. Atirar objetos é perigoso. Se tiver de fazê lo, mantenha os pés fora do alcance, certifique-se de que os colegas não serão atingidos, tome precauções. 1. Cumpra as instruções, não se arrisque, se não sabe, pergunte ao supervisor. 8. Objetos compridos devem ser carregados de tal modo que não atinjam pessoas ou coisas e, quando transportados por mais de um homem, devem ser carregados no mesmo ombro, para que a carga seja atirada simultaneamente; o sinal deverá ser dado por um só deles. 2. Coopere na limpeza, na ordem e na prevenção de incêndios. 3. Corrija ou comunique as condições perigosas. 4. Utilize, ajuste e repare o equipamento, somente quando autorizado. 9. Na movimentação de objetos volumosos, toda manobra deverá ser comandada por um único homem. Obedeça aos sinais e as instruções, não tome iniciativas arriscadas, pondo em perigo a sua segurança e a dos seus colegas. 5. Use ferramentas e equipamentos adequados ao trabalho, use-os com segurança. 10. Conserve as mãos afastada quando a carga é içada ou arriada por meios mecânicos, use calços ou blocos, não se exponha ao risco de ser atingido pela carga. OPERADOR DE TALHA QUALIFICADO 10 11
  • 8. 6. Use o equipamento de proteção individual, mantenha-o em boas condições. 6. Utilize escova ou gancho comprimido para retirar aparas. 7. Ao levantar peso, dobre os joelhos, peça ajuda para as cargas pesadas. 7. Mantenha o local de trabalho em ordem, o chão limpo, seco e livre de obstáculos. 8. Não provoque brincadeiras, evite distrair os outros. 8. Concentre a atenção no trabalho e afaste-se da máquina, sempre que tiver de atender alguém. Não brinque, nem consinta brincadeiras próximas de máquinas em movimento. 9. Comunique todos os ferimentos, receba tratamento imediatamente. 10. Cumpra com todos os regulamentos e sinais de segurança. nunca as mãos ou ar 9. Use camisa de manga curta. Não use anéis, pulseiras ou cordão. Use sempre o equipamento de proteção individual indicado. Não use luvas, salvo quando autorizado pelo supervisor. REGRAS DE SEGURANÇA PARA OPERADORES DE MAQUINARIA. 10. Pare a máquina quando se ausentar da área de trabalho e, no término do expediente, desligue a chave elétrica. 1. Trabalhe somente com as máquinas para as quais está habilitado e autorizado. 2. Certifique-se de que os resguardos, os dispositivos de segurança e as ferramentas se encontram nos seus respectivos lugares e em boas condições de uso ou funcionamento. 3. Antes de pôr a máquina para funcionar, certifique-se de que ninguém se encontra trabalhando nela. Respeite os avisos ou letreiros e segurança. 4. Faça somente a limpeza, lubrificação e os ajustamentos que são parte do seu trabalho. Pare primeiro a máquina e desligue a energia, salvo instruções contrárias. Comunique ao supervisor as anormalidades porventura encontradas. 5. Trabalhe com a máquina de acordo com as instruções e a velocidade estabelecida. Nunca prossiga na operação, quando a máquina revele, de qualquer modo, desarranjo mecânico. 12 E nunca se esqueça: Sua máquina não pode pensar; você pode. 13
  • 9. ARRUMAÇÃO E LIMPEZA DO LOCAL DE TRABALHO 6. Apanhe objetos abandonados no piso. Uma simples ponta de eletrodo ou prego podem causar queda, se não puder remover o objeto abandonado, comunique-o ao supervisor ou, pelo menos, assinale a condição perigosa. 1. Limpe a sua máquina, as suas ferramentas, os seus equipamentos e outros utensílios no fim do expediente, e mantenha-os razoavelmente limpos durante o trabalho. 7. Ao empilhar materiais como, por exemplo, sacos e blocos, cruze-os, para que a pilha não desmorone. 2. Ponha todo o lixo, sucata, aparas, etc, nos recipientes que lhes são destinados facilitando o trabalho do pessoal encarregado da limpeza geral. 8. Não jogue pontas de cigarro no piso. Use os recipientes apropriados, certificando-se de que o cigarro está apagado. 3. Mantenha limpo e desobstruído o piso e as passagens do seu local de trabalho, bem como os acessos aos extintores e as saídas de emergência. 9. Não permita que os materiais estocados no piso, em prateleiras ou em paletes se projetem nos corredores ou passagens. 4. Mantenha devidamente arrumados os materiais e as ferramentas com que trabalha, principalmente as ferramentas de corte. 10. Mantenha os líquidos e substâncias inflamáveis dentro de recipientes apropriados, devidamente tampados. 5. Se acidentalmente, derramar óleo ou qualquer outro líquido no piso ou em qualquer outra superfície, limpe-o imediatamente. 11. Não deixe as latas de tinta, solventes, etc. em qualquer canto. No final do Expediente, deposite-as nos recipientes apropriados e devidamente fechados. 12. Antes de jogar no lixo cacos de vidro ou qualquer outro material similar, embrulhe-os em cartão ou papelão. 13. Assegure-se de que mangueiras, cabos, cordas, extensões elétricas, etc, estão corretamente estendidas nos locais de trabalho, ao abrigo dos rodados de veículos, quinas vivas dos materiais, etc. e não constituem risco de quedas. 14 15
  • 10. 2. Para depositar o objeto no chão, dobre as pernas (não as costas), invertendo o método. MÉTODO CINÉTICO DE LEVANTAR PESO 1. O método cinético de levantar peso consiste do seguinte procedimento: 3. Ao chegar ao local de serviço, passe a usar o cinto de segurança e antes de iniciá-lo, verifique: a. Se as tábuas do andaime estão em boas condições e corretamente amarradas em ambas as extremidades. b. Se os suportes do andaime estão bem parafusados e se a solda, em toda a volta da base dos olhais, é completa. c. Se os corrimões estão em boas condições e bem presos (amarrados, parafusados, soldados, etc). d. Se não há nada solto no piso, que possa cair ou provocar escorregão (ex: ponta de eletrodo, areia, graxa, etc; retire-os, limpe o piso, etc). a. Verifique as dimensões gerais da carga (não tente levantá-la sozinho se ela lhe parecer pesada ou difícil de carregar), bem como o espaço para a sua própria movimentação e firmeza dos pés. b. Certifique-se de seu equilibro. Dê aos pés uma abertura á largura dos ombros, posicione um pé ao lado e o outro atrás do objeto a ser levantado. c. Dobre os joelhos, não dobre as costas. Mantenha-as retas, mas não verticais. Para alinhar a espinha dorsal, retraia o queixo. d. Agarre o objeto com as palmas das mãos e dedos e em seguida, certifique-se da posição alinhada das costas, retraindo o queixo. e. Segure o objeto de encontro ao corpo, retraindo braços e cotovelos ao lado do tronco. f. Posicione-se de tal modo que o seu próprio peso se centralize sobre os pés, o que facilitará o impulso e lhe dará mais equilíbrio. Dê ao pé situado atrás do objeto o impulso para erguer-se. 1-) 3-) Nota: Se na sua inspeção, encontrar alguma condição insegura, corrija-a imediatamente, e no término do serviço ou expediente, comunique-a ao seu supervisor, se não puder corrigi-la, não inicie o serviço e apresente ao seu supervisor. Ao terminar o expediente ou um serviço, certifique-se de que não deixou nenhum risco de acidente ou incêndio (ex: sobra de material abandonada, escória de solda ou corte no piso, gambiarra sobre andaime, etc), isole ou pelo menos, assinale qualquer risco que não possa ser eliminado (ex: soldadura ou corte recém terminado, escreva a palavra "QUENTE") hora e data, recolha todo o material que sobrar e faça vistoria do local (em cima, em baixo, do lado oposto, principalmente, etc). 2-) 4-) Ao deixar o local de trabalho, não corra. Em caso de emergência, saiba como e por onde sair com rapidez e segurança. Use, quando necessário, a lanterna para iluminar o caminho. PRODUTIVIDADE ACIDENTES 16 17
  • 11. EMPILHAMENTO DE MATERIAIS CHAVES E OUTRAS FERRAMENTAS MANUAIS (USO CORRETO) 1. Material mal empilhado é um perigo. Uma pilha correta não tem extremidades irregulares. Não pode, por isso desmoronar sobre você ou outrem. 1. Use chaves do tipo e tamanho adequado ao serviço a executar. A não ser quando autorizado pelo seu supervisor, nunca prolongue a chave com tubo ou qualquer outro material. 2. Prepare uma base firme e inicie a pilha corretamente. 3. Não faça demasiadamente alta, para que você possa remover o material com segurança. 2. Não improvise ferramentas de trabalho. 4. Deixe espaços suficientes para passagens. Observe as distâncias estabelecidas para corredores, hidrantes, trilhos, etc. 3. Não use ferramentas defeituosas, gastas ou em mau estado. Solicite reparo. 4. Não carregue ferramentas nos bolsos. Use portaferramentas apropriado. 5. Nunca obstrua as vias de acesso ao equipamento de combate a incêndio. 5. Não use alicate como martelo ou chave de fenda como alavanca. 6. Sempre que o material permitir, cruze-o, para que a pilha se suporte. 6. Use somente chaves que tenham máxilas em boas condições. Mantenha as máxilas da "grifa" sempre afiadas e limpas. 7. Quando houver perigo de desmoronamento, trave a pilha com calços. 8. Quando empilhar materiais pesados em pisos, sobrados, prateleiras, plataformas, etc; procure saber antes qual o limite de peso que podem suportar com segurança. 7. Ajuste sempre as máxilas à porca para que esta receba toda força empregada. 9. Calce os objetos de forma arredondada, tais como cubos, tambores, etc; para que não rolem. 8. Nunca use calços para ajustar as máxilas de uma chave inadequada à porca. 10. Quando necessário isole, ou pelo menos, sinalize as extremidades perigosas do material. 11. Zele pela sua segurança e a segurança alheia. 18 19
  • 12. FERRAMENTAS ELÉTRICAS PORTÁTEIS TRABALHOS EM ALTURA 1. Use somente ferramentas que estejam em boas condições 1. Somente pessoas experientes poderão realizar trabalhos em telhados e em alturas superiores a 2 metros. 2. Certifique-se que a ferramenta fica devidamente ligada a terra, se ela não for dotada de isolamento duplo. 2. É obrigatório o uso de cinto de segurança e/ou rede de segurança em trabalhos acima de 02 (dois) metros do solo. 3. Devolva a ferramenta sempre que ela apresentar qualquer das seguintes condições inseguras: 3. O local deverá ser isolado com cordas e ser sinalizado com placa de aviso indicando a existência de homens trabalhando. • Cabo defeituoso ou com isolamento partido. 4. Escada de metal não deve ser usada na atividade de solda elétrica, perto de linhas elétricas ou quando da realização de serviços em eletricidade. • Conexões impróprias ou mal feitas • Pino partido ou defeituoso • Centelhamento de escovas 5. Andaimes devem ser montados e aprumados em bases sólidas e sofrer travamentos com a finalidade de impedir seu deslocamento sobre a estrutura. • Não force a ferramenta, sobrecarregando assim o motor. 6. Cuidado ao passar debaixo de pessoas que estejam trabalhando em lugares altos. 5. Nunca use a ferramenta elétrica portátil onde haja vapores ou gases inflamáveis, a não ser que seja apropriada para isso. 6. Certifique-se de que o cabo e extensões não entrem em contato com óleos corrosivos, superfícies quentes, quinas vivas, etc. 7. Não use luvas quando trabalhar com ferramentas elétricas, portáteis, a não ser quando autorizadas pelo supervisor. 20 21
  • 13. TÉRMINO DO DIA DE TRABALHO DECLARAÇÃO Declaro que recebi da empresa abaixo assinalada, através de seu serviço terceirizado de Segurança do Trabalho, o Manual de Segurança do Trabalho, contendo todas as normas internas de segurança do trabalho da empresa, das quais tomei ciência na minha integração, comprometendo-me a seguir as orientações nele contidas, reconhecendo serem elas indispensáveis à minha segurança e a de meus colegas de trabalho, conforme Art. 157 e 158 da C.L.T. e Art. 1.7 e 1.8 da NR-1 Disposições Gerais, da Portaria nº 3.214/78 do Ministério do Trabalho. O não cumprimento e violação das diretrizes contidas neste manual me tornarão passível de punição de acordo com as prerrogativas da Legislação Trabalhista. Declaro, outrossim, que recebi orientação sobre os eventuais riscos existentes na Empresa, principalmente sobre o meu posto de trabalho e, em particular, quanto aos agentes ambientais, estando ciente de todas as medidas preventivas adotadas, incluindo a conservação e o uso obrigatório de EPI, conforme NR-6 e de acordo com as instruções recebidas em treinamentos de integração e periódicas. NORMAS DE SEGURANÇA A OBSERVAR 1. Encerre o serviço na hora determinada pelo seu supervisor. 2. Desligue a energia elétrica de todas as máquinas, aparelhos equipamentos, etc. 3. Guarde as ferramentas em seus devidos lugares. 4. Arrume os materiais, não obstrua a passagem. 5. Inspecione o equipamento que foi usado, quanto ao seu estado de conservação e funcionamento. 6. Guarde as latas ou vasilhas de óleo, de tintas, de graxas, etc. 7. Retire os cavacos, aparas, panos sujos, lixo, etc. 8. Coloque a sinalização adequada onde houver perigo, comunique ao seu supervisor. 9. Inspecione o local de trabalho quanto a riscos de incêndio. NOME 10. Ao deixar o local de trabalho não corra e repare onde pisa. DATA ASSINATURA 22 Identificação / carimbo CNPJ 23