SlideShare uma empresa Scribd logo
O Concretismo no Brasil<br />Contexto histórico-cultural da poesia concreta: o Brasil e o mundo na década de 1950: consequências da Segunda Guerra Mundial; o governo de Juscelino Kubitschek (1956-1960) e o plano de modernização do país; o Festival de Música de Vanguarda do Teatro Arena (1955), grupo formado por Augusto de Campos, Haroldo de Campos e Décio Pignatari; a exposição do movimento concretista no Museu de Arte Moderna de São Paulo: oposição às propostas poéticas da Geração de 45.<br /> <br />Características da poesia concreta: a concisão dos versos: oposição às formas tradicionais do verso, à poesia lírica, subjetiva e discursiva; exploração de novos recursos poéticos: disposição não convencional dos vocábulos na página, o uso do espaço em branco como produtor de sentidos, utilização de elementos visuais e sonoros; valorização do espaço gráfico.<br />Poesia concreta e arte concretista: interesse em comum por questões de estruturação de espaços e exploração de novos recursos estéticos frente à tradição.<br />        Decio Pignatari<br />    <br />         Augusto de Campos<br />A cegueira revisitada.<br />     Augusto de Campos<br />            Haroldo de Campos.<br />TENSÃO <br />Este poema é, “uma teia de elos sonoros e semânticos meticulosamente construída” (*)”Ten-são” é o tema que se expande. “Tem” em forma  de cruz para cima (“tem”), para um lado (“tem”), para o outro (“tam”) e para baixo (“tom”). “São” o faz em diagonal “som”  e “sem som” . Os elementos que sobram formam um triângulo: “con”, ”com” e “can”- e uma diagonal: “bem”, “bem”. Todos estão a uma mesma distância do centro que é um nó em tensão. Segundo os princípios das palavras, há quatro grupos (“t”, “s”, “k” e “b”, mas há somente um se considerarmos as letras finais (todas estão enlaçadas pela nasalização). Assim como Augusto de Campos extrai quantidade de possibilidades do visual das palavras, também aproveita sua sonoridade, indo do “com som” ao “sem som” e extraindo valor onomatopaico das sílabas. Ao fazer um percurso clássico do olhar – da direita à esquerda -, vê-se que o poema é a tensão entre o silêncio: do “com som” ao “sem som”.<br />                             <br />
Poesia concreta.
Poesia concreta.
Poesia concreta.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O Modernismo e os seus -ismos
O Modernismo e os seus -ismosO Modernismo e os seus -ismos
O Modernismo e os seus -ismos
complementoindirecto
 
Trabalho da Aluna Ana Paula
Trabalho da Aluna Ana PaulaTrabalho da Aluna Ana Paula
Trabalho da Aluna Ana Paula
jbivana
 
Concretismo
ConcretismoConcretismo
Concretismo
Fábio Oliveira
 
Apresentação paulo kosen 3º ano 2014
Apresentação paulo kosen 3º ano 2014Apresentação paulo kosen 3º ano 2014
Apresentação paulo kosen 3º ano 2014
Eliane Luchtenberg
 
A linguagem do Modernismo
A linguagem do ModernismoA linguagem do Modernismo
A linguagem do Modernismo
Miguel D' Amorim
 
Trabalho da Aluna Ana Paula
Trabalho da Aluna Ana PaulaTrabalho da Aluna Ana Paula
Trabalho da Aluna Ana Paula
jbivana
 
Modernismo e os –Ismos da Vanguarda
Modernismo e os –Ismos da VanguardaModernismo e os –Ismos da Vanguarda
Modernismo e os –Ismos da Vanguarda
Dina Baptista
 
Simbolismo sec. xix 3ªº a
Simbolismo sec. xix 3ªº aSimbolismo sec. xix 3ªº a
Simbolismo sec. xix 3ªº a
Governo de Rondônia
 
Mario de Andrade
Mario de AndradeMario de Andrade
Mario de Andrade
Taís Melo
 
Haroldo de campos
Haroldo de camposHaroldo de campos
Haroldo de campos
Silvilene Oliveira
 
Oswald de Andrade
Oswald de AndradeOswald de Andrade
Oswald de Andrade
Dani Bertollo
 
Neorrealismo em Portugal
Neorrealismo em PortugalNeorrealismo em Portugal
Neorrealismo em Portugal
Joselma Mendes
 
Oswald de andrade
Oswald de andrade Oswald de andrade
Oswald de andrade
Anabel Aguiar
 
Mario de Andrade
Mario de AndradeMario de Andrade
Mario de Andrade
Maria Luisa Bonizio
 
Modernismo Portugal
Modernismo PortugalModernismo Portugal
Modernismo Portugal
bianca
 
SE EU FALASSE A LINGUA DOS PÁSSAROS
SE EU FALASSE A LINGUA DOS PÁSSAROSSE EU FALASSE A LINGUA DOS PÁSSAROS
SE EU FALASSE A LINGUA DOS PÁSSAROS
RedeAan
 
Mario de andrade
Mario de andradeMario de andrade
Mario de andrade
nanda_paulino
 
Poesia e identidade em oswald de andrade
Poesia e identidade em oswald de andradePoesia e identidade em oswald de andrade
Poesia e identidade em oswald de andrade
ma.no.el.ne.ves
 
Oswald de andrade
Oswald de andradeOswald de andrade
Oswald de andrade
Anne Kelly Pendeloski
 
40 ANOS DE ARTE E CRÍTICA. A Colecção de Maria João Fernandes
40 ANOS DE ARTE E CRÍTICA. A Colecção de Maria João Fernandes40 ANOS DE ARTE E CRÍTICA. A Colecção de Maria João Fernandes
40 ANOS DE ARTE E CRÍTICA. A Colecção de Maria João Fernandes
Câmara Municipal de Coimbra
 

Mais procurados (20)

O Modernismo e os seus -ismos
O Modernismo e os seus -ismosO Modernismo e os seus -ismos
O Modernismo e os seus -ismos
 
Trabalho da Aluna Ana Paula
Trabalho da Aluna Ana PaulaTrabalho da Aluna Ana Paula
Trabalho da Aluna Ana Paula
 
Concretismo
ConcretismoConcretismo
Concretismo
 
Apresentação paulo kosen 3º ano 2014
Apresentação paulo kosen 3º ano 2014Apresentação paulo kosen 3º ano 2014
Apresentação paulo kosen 3º ano 2014
 
A linguagem do Modernismo
A linguagem do ModernismoA linguagem do Modernismo
A linguagem do Modernismo
 
Trabalho da Aluna Ana Paula
Trabalho da Aluna Ana PaulaTrabalho da Aluna Ana Paula
Trabalho da Aluna Ana Paula
 
Modernismo e os –Ismos da Vanguarda
Modernismo e os –Ismos da VanguardaModernismo e os –Ismos da Vanguarda
Modernismo e os –Ismos da Vanguarda
 
Simbolismo sec. xix 3ªº a
Simbolismo sec. xix 3ªº aSimbolismo sec. xix 3ªº a
Simbolismo sec. xix 3ªº a
 
Mario de Andrade
Mario de AndradeMario de Andrade
Mario de Andrade
 
Haroldo de campos
Haroldo de camposHaroldo de campos
Haroldo de campos
 
Oswald de Andrade
Oswald de AndradeOswald de Andrade
Oswald de Andrade
 
Neorrealismo em Portugal
Neorrealismo em PortugalNeorrealismo em Portugal
Neorrealismo em Portugal
 
Oswald de andrade
Oswald de andrade Oswald de andrade
Oswald de andrade
 
Mario de Andrade
Mario de AndradeMario de Andrade
Mario de Andrade
 
Modernismo Portugal
Modernismo PortugalModernismo Portugal
Modernismo Portugal
 
SE EU FALASSE A LINGUA DOS PÁSSAROS
SE EU FALASSE A LINGUA DOS PÁSSAROSSE EU FALASSE A LINGUA DOS PÁSSAROS
SE EU FALASSE A LINGUA DOS PÁSSAROS
 
Mario de andrade
Mario de andradeMario de andrade
Mario de andrade
 
Poesia e identidade em oswald de andrade
Poesia e identidade em oswald de andradePoesia e identidade em oswald de andrade
Poesia e identidade em oswald de andrade
 
Oswald de andrade
Oswald de andradeOswald de andrade
Oswald de andrade
 
40 ANOS DE ARTE E CRÍTICA. A Colecção de Maria João Fernandes
40 ANOS DE ARTE E CRÍTICA. A Colecção de Maria João Fernandes40 ANOS DE ARTE E CRÍTICA. A Colecção de Maria João Fernandes
40 ANOS DE ARTE E CRÍTICA. A Colecção de Maria João Fernandes
 

Destaque

Poesia concreta
Poesia concretaPoesia concreta
Poesia concreta
Rosana Sales
 
Poesia concreta
Poesia concretaPoesia concreta
Poesia concreta
Jaqueline Segalla
 
Poesia concreta
Poesia concretaPoesia concreta
Poesia concreta
andrea903
 
Poema concreto
Poema concreto Poema concreto
Poema concreto
Sonialira
 
Aula 7 ano poesia concreta 1 2011
Aula 7 ano poesia concreta 1 2011Aula 7 ano poesia concreta 1 2011
Aula 7 ano poesia concreta 1 2011vanyeroger
 
Poemas concretos
Poemas concretosPoemas concretos
Poemas concretos
Reginaldo Teixeira
 
A Poesia Visual
A  Poesia  VisualA  Poesia  Visual
A Poesia Visual
tita
 
Concretismo
ConcretismoConcretismo
Concretismo
Elaine Blogger
 
O Universo do Haicai
O Universo do HaicaiO Universo do Haicai
O Universo do Haicai
Jessica Nuvens
 
Poesía concreta
Poesía concretaPoesía concreta
Poesía concreta
JazzBruno
 
Atividades de Português - Poema Concreto
Atividades de Português - Poema ConcretoAtividades de Português - Poema Concreto
Atividades de Português - Poema ConcretoGrecieli
 
Ejemplos de poemas concretos
Ejemplos de poemas concretosEjemplos de poemas concretos
Ejemplos de poemas concretos
Departamento de Educación
 
Concretismo
ConcretismoConcretismo
Concretismo
Josue Jorge Cruz
 

Destaque (13)

Poesia concreta
Poesia concretaPoesia concreta
Poesia concreta
 
Poesia concreta
Poesia concretaPoesia concreta
Poesia concreta
 
Poesia concreta
Poesia concretaPoesia concreta
Poesia concreta
 
Poema concreto
Poema concreto Poema concreto
Poema concreto
 
Aula 7 ano poesia concreta 1 2011
Aula 7 ano poesia concreta 1 2011Aula 7 ano poesia concreta 1 2011
Aula 7 ano poesia concreta 1 2011
 
Poemas concretos
Poemas concretosPoemas concretos
Poemas concretos
 
A Poesia Visual
A  Poesia  VisualA  Poesia  Visual
A Poesia Visual
 
Concretismo
ConcretismoConcretismo
Concretismo
 
O Universo do Haicai
O Universo do HaicaiO Universo do Haicai
O Universo do Haicai
 
Poesía concreta
Poesía concretaPoesía concreta
Poesía concreta
 
Atividades de Português - Poema Concreto
Atividades de Português - Poema ConcretoAtividades de Português - Poema Concreto
Atividades de Português - Poema Concreto
 
Ejemplos de poemas concretos
Ejemplos de poemas concretosEjemplos de poemas concretos
Ejemplos de poemas concretos
 
Concretismo
ConcretismoConcretismo
Concretismo
 

Semelhante a Poesia concreta.

Poesia concreta..docx
Poesia concreta..docxPoesia concreta..docx
Poesia concreta..docx
greghouse48
 
Literatura-Poesia-Concreta.pdf
Literatura-Poesia-Concreta.pdfLiteratura-Poesia-Concreta.pdf
Literatura-Poesia-Concreta.pdf
LucianaBiazusArana
 
Melhores poemas
Melhores poemasMelhores poemas
Melhores poemas
ProfaJosi
 
Revisional de literatura colonial no enem
Revisional de literatura colonial no enemRevisional de literatura colonial no enem
Revisional de literatura colonial no enem
ma.no.el.ne.ves
 
Questões do ENEM - Disciplina Arte 2009 a 2013
Questões do ENEM - Disciplina Arte 2009 a 2013Questões do ENEM - Disciplina Arte 2009 a 2013
Questões do ENEM - Disciplina Arte 2009 a 2013
Fabiola Oliveira
 
Seminário de literatura Brasileira
Seminário de literatura BrasileiraSeminário de literatura Brasileira
Seminário de literatura Brasileira
Vitor Morais
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
Pablo Rodrigues
 
Vanguardas em ação
Vanguardas em açãoVanguardas em ação
Vanguardas em ação
Lilian Siqueira
 
O que é simbolismo
O que é simbolismoO que é simbolismo
O que é simbolismo
William Barcellos
 
Lileana moura franco_de_sa
Lileana moura franco_de_saLileana moura franco_de_sa
Lileana moura franco_de_sa
Gladis Maia
 
A Música no período de Da Vinci e o seu Desenvolvimento
A Música no período de Da Vinci e o seu DesenvolvimentoA Música no período de Da Vinci e o seu Desenvolvimento
A Música no período de Da Vinci e o seu Desenvolvimento
Jofran Lirio
 
Literatura Brasileira Contemporaneidade
Literatura Brasileira ContemporaneidadeLiteratura Brasileira Contemporaneidade
Literatura Brasileira Contemporaneidade4752
Literatura Brasileira Contemporaneidade4752Literatura Brasileira Contemporaneidade4752
Literatura Brasileira Contemporaneidade4752
Elck Marra
 
Movimentos artísticos brasileiros
Movimentos artísticos brasileirosMovimentos artísticos brasileiros
Movimentos artísticos brasileiros
Maria das Dores Justo
 
Herança portuguesa - resumo dos movimentos portugueses
Herança portuguesa - resumo dos movimentos portuguesesHerança portuguesa - resumo dos movimentos portugueses
Herança portuguesa - resumo dos movimentos portugueses
CiceroMarcosSantos1
 
2021_EM_ARTE -SLIDES_AULA 01 (2).pptx
2021_EM_ARTE -SLIDES_AULA 01 (2).pptx2021_EM_ARTE -SLIDES_AULA 01 (2).pptx
2021_EM_ARTE -SLIDES_AULA 01 (2).pptx
Andressacyca
 
SIMBOLISMO em Portugal e no Brasil1.pptx
SIMBOLISMO em Portugal e no Brasil1.pptxSIMBOLISMO em Portugal e no Brasil1.pptx
SIMBOLISMO em Portugal e no Brasil1.pptx
ValriaRezende10
 
Estudando Tom Zé: Tropicália e o Lixo Lógico
Estudando Tom Zé: Tropicália e o Lixo LógicoEstudando Tom Zé: Tropicália e o Lixo Lógico
Estudando Tom Zé: Tropicália e o Lixo Lógico
Tania Maria
 
12k modernismoeosseus-ismos-120103163250-phpapp01
12k modernismoeosseus-ismos-120103163250-phpapp0112k modernismoeosseus-ismos-120103163250-phpapp01
12k modernismoeosseus-ismos-120103163250-phpapp01
William Silva
 
Q114
Q114Q114
Q114
newsevoce
 

Semelhante a Poesia concreta. (20)

Poesia concreta..docx
Poesia concreta..docxPoesia concreta..docx
Poesia concreta..docx
 
Literatura-Poesia-Concreta.pdf
Literatura-Poesia-Concreta.pdfLiteratura-Poesia-Concreta.pdf
Literatura-Poesia-Concreta.pdf
 
Melhores poemas
Melhores poemasMelhores poemas
Melhores poemas
 
Revisional de literatura colonial no enem
Revisional de literatura colonial no enemRevisional de literatura colonial no enem
Revisional de literatura colonial no enem
 
Questões do ENEM - Disciplina Arte 2009 a 2013
Questões do ENEM - Disciplina Arte 2009 a 2013Questões do ENEM - Disciplina Arte 2009 a 2013
Questões do ENEM - Disciplina Arte 2009 a 2013
 
Seminário de literatura Brasileira
Seminário de literatura BrasileiraSeminário de literatura Brasileira
Seminário de literatura Brasileira
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Vanguardas em ação
Vanguardas em açãoVanguardas em ação
Vanguardas em ação
 
O que é simbolismo
O que é simbolismoO que é simbolismo
O que é simbolismo
 
Lileana moura franco_de_sa
Lileana moura franco_de_saLileana moura franco_de_sa
Lileana moura franco_de_sa
 
A Música no período de Da Vinci e o seu Desenvolvimento
A Música no período de Da Vinci e o seu DesenvolvimentoA Música no período de Da Vinci e o seu Desenvolvimento
A Música no período de Da Vinci e o seu Desenvolvimento
 
Literatura Brasileira Contemporaneidade
Literatura Brasileira ContemporaneidadeLiteratura Brasileira Contemporaneidade
Literatura Brasileira Contemporaneidade
 
Literatura Brasileira Contemporaneidade4752
Literatura Brasileira Contemporaneidade4752Literatura Brasileira Contemporaneidade4752
Literatura Brasileira Contemporaneidade4752
 
Movimentos artísticos brasileiros
Movimentos artísticos brasileirosMovimentos artísticos brasileiros
Movimentos artísticos brasileiros
 
Herança portuguesa - resumo dos movimentos portugueses
Herança portuguesa - resumo dos movimentos portuguesesHerança portuguesa - resumo dos movimentos portugueses
Herança portuguesa - resumo dos movimentos portugueses
 
2021_EM_ARTE -SLIDES_AULA 01 (2).pptx
2021_EM_ARTE -SLIDES_AULA 01 (2).pptx2021_EM_ARTE -SLIDES_AULA 01 (2).pptx
2021_EM_ARTE -SLIDES_AULA 01 (2).pptx
 
SIMBOLISMO em Portugal e no Brasil1.pptx
SIMBOLISMO em Portugal e no Brasil1.pptxSIMBOLISMO em Portugal e no Brasil1.pptx
SIMBOLISMO em Portugal e no Brasil1.pptx
 
Estudando Tom Zé: Tropicália e o Lixo Lógico
Estudando Tom Zé: Tropicália e o Lixo LógicoEstudando Tom Zé: Tropicália e o Lixo Lógico
Estudando Tom Zé: Tropicália e o Lixo Lógico
 
12k modernismoeosseus-ismos-120103163250-phpapp01
12k modernismoeosseus-ismos-120103163250-phpapp0112k modernismoeosseus-ismos-120103163250-phpapp01
12k modernismoeosseus-ismos-120103163250-phpapp01
 
Q114
Q114Q114
Q114
 

Mais de Deia1975

O lutador
O lutadorO lutador
O lutador
Deia1975
 
O lutador
O lutadorO lutador
O lutador
Deia1975
 
O carteiro eo_poeta apresentação
O carteiro eo_poeta  apresentaçãoO carteiro eo_poeta  apresentação
O carteiro eo_poeta apresentação
Deia1975
 
O carteiro e_o_poeta!!__trabalho_escrito
O carteiro e_o_poeta!!__trabalho_escritoO carteiro e_o_poeta!!__trabalho_escrito
O carteiro e_o_poeta!!__trabalho_escrito
Deia1975
 
Slides seminário - sociedade dos poetas mortos
Slides   seminário - sociedade dos poetas mortosSlides   seminário - sociedade dos poetas mortos
Slides seminário - sociedade dos poetas mortos
Deia1975
 
Slides seminário - sociedade dos poetas mortos
Slides   seminário - sociedade dos poetas mortosSlides   seminário - sociedade dos poetas mortos
Slides seminário - sociedade dos poetas mortos
Deia1975
 
Slides seminário - sociedade dos poetas mortos
Slides   seminário - sociedade dos poetas mortosSlides   seminário - sociedade dos poetas mortos
Slides seminário - sociedade dos poetas mortos
Deia1975
 
Normas de versificação
Normas de versificaçãoNormas de versificação
Normas de versificação
Deia1975
 
Poesia moderna
Poesia modernaPoesia moderna
Poesia moderna
Deia1975
 
Asorigensdafilosofia 110322080951-phpapp02
Asorigensdafilosofia 110322080951-phpapp02Asorigensdafilosofia 110322080951-phpapp02
Asorigensdafilosofia 110322080951-phpapp02
Deia1975
 
Cronograma de entrega_das_atividades_estruturadas
Cronograma de entrega_das_atividades_estruturadasCronograma de entrega_das_atividades_estruturadas
Cronograma de entrega_das_atividades_estruturadas
Deia1975
 
Resumo vidas secas
Resumo   vidas secasResumo   vidas secas
Resumo vidas secas
Deia1975
 

Mais de Deia1975 (12)

O lutador
O lutadorO lutador
O lutador
 
O lutador
O lutadorO lutador
O lutador
 
O carteiro eo_poeta apresentação
O carteiro eo_poeta  apresentaçãoO carteiro eo_poeta  apresentação
O carteiro eo_poeta apresentação
 
O carteiro e_o_poeta!!__trabalho_escrito
O carteiro e_o_poeta!!__trabalho_escritoO carteiro e_o_poeta!!__trabalho_escrito
O carteiro e_o_poeta!!__trabalho_escrito
 
Slides seminário - sociedade dos poetas mortos
Slides   seminário - sociedade dos poetas mortosSlides   seminário - sociedade dos poetas mortos
Slides seminário - sociedade dos poetas mortos
 
Slides seminário - sociedade dos poetas mortos
Slides   seminário - sociedade dos poetas mortosSlides   seminário - sociedade dos poetas mortos
Slides seminário - sociedade dos poetas mortos
 
Slides seminário - sociedade dos poetas mortos
Slides   seminário - sociedade dos poetas mortosSlides   seminário - sociedade dos poetas mortos
Slides seminário - sociedade dos poetas mortos
 
Normas de versificação
Normas de versificaçãoNormas de versificação
Normas de versificação
 
Poesia moderna
Poesia modernaPoesia moderna
Poesia moderna
 
Asorigensdafilosofia 110322080951-phpapp02
Asorigensdafilosofia 110322080951-phpapp02Asorigensdafilosofia 110322080951-phpapp02
Asorigensdafilosofia 110322080951-phpapp02
 
Cronograma de entrega_das_atividades_estruturadas
Cronograma de entrega_das_atividades_estruturadasCronograma de entrega_das_atividades_estruturadas
Cronograma de entrega_das_atividades_estruturadas
 
Resumo vidas secas
Resumo   vidas secasResumo   vidas secas
Resumo vidas secas
 

Poesia concreta.

  • 1. O Concretismo no Brasil<br />Contexto histórico-cultural da poesia concreta: o Brasil e o mundo na década de 1950: consequências da Segunda Guerra Mundial; o governo de Juscelino Kubitschek (1956-1960) e o plano de modernização do país; o Festival de Música de Vanguarda do Teatro Arena (1955), grupo formado por Augusto de Campos, Haroldo de Campos e Décio Pignatari; a exposição do movimento concretista no Museu de Arte Moderna de São Paulo: oposição às propostas poéticas da Geração de 45.<br /> <br />Características da poesia concreta: a concisão dos versos: oposição às formas tradicionais do verso, à poesia lírica, subjetiva e discursiva; exploração de novos recursos poéticos: disposição não convencional dos vocábulos na página, o uso do espaço em branco como produtor de sentidos, utilização de elementos visuais e sonoros; valorização do espaço gráfico.<br />Poesia concreta e arte concretista: interesse em comum por questões de estruturação de espaços e exploração de novos recursos estéticos frente à tradição.<br /> Decio Pignatari<br /> <br /> Augusto de Campos<br />A cegueira revisitada.<br /> Augusto de Campos<br /> Haroldo de Campos.<br />TENSÃO <br />Este poema é, “uma teia de elos sonoros e semânticos meticulosamente construída” (*)”Ten-são” é o tema que se expande. “Tem” em forma  de cruz para cima (“tem”), para um lado (“tem”), para o outro (“tam”) e para baixo (“tom”). “São” o faz em diagonal “som”  e “sem som” . Os elementos que sobram formam um triângulo: “con”, ”com” e “can”- e uma diagonal: “bem”, “bem”. Todos estão a uma mesma distância do centro que é um nó em tensão. Segundo os princípios das palavras, há quatro grupos (“t”, “s”, “k” e “b”, mas há somente um se considerarmos as letras finais (todas estão enlaçadas pela nasalização). Assim como Augusto de Campos extrai quantidade de possibilidades do visual das palavras, também aproveita sua sonoridade, indo do “com som” ao “sem som” e extraindo valor onomatopaico das sílabas. Ao fazer um percurso clássico do olhar – da direita à esquerda -, vê-se que o poema é a tensão entre o silêncio: do “com som” ao “sem som”.<br /> <br />