SlideShare uma empresa Scribd logo
Moluscos Cefalópodes
 A concha é produzida por glândulas presentes numa prega de
pele chamada de manto;
 A pele contém células pigmentadas;
 Os estatocistos são os órgãos de equilíbrio;
 Os sexos são separados e a fecundação ocorre dentro da
cavidade paleal da fêmea ;
 A principal diferença dos cefalópodes para os demais
moluscos é o sistema circulatório fechado, enquanto as
demais classes possuem sistema circulatório aberto.
A respiração é branquial, ou seja, as trocas
gasosas ocorrem nas brânquias, órgãos em formato de
lâmina e bastante vascularizados. Para que ocorra a
respiração branquial a água entra pela boca e sai pelas
fendas brânquias.
Possuem um sistema
digestório completo, ou
seja, possuem boca e ânus.
Na boca existe uma
estrutura chamada rádula,
que é formada por vários
dentes de quitina, que
raspam o substrato para
obtenção de alimentos. A
digestão é inicialmente
extracelular, no estômago,
nas glândulas digestórias é
extracelular.
A excreção é feita por
metanefrídios. Cada
metanefrídio possui um
ducto com duas
aberturas: uma para a
cavidade pericárdica,
chamada nefróstoma, de
onde retira as excretas, e
um poro excretor,
chamado nefridióporo,
por onde saem as
excretas.
Como são animais marinhos, capazes de se
deslocarem por propulsão, até mesmo em águas
profundas, graças à forte emissão de líquido através de
um sifão. As lulas contam com a ajuda de nadadeiras.
*surpresa nas curiosidades!!!
Esses moluscos, em geral,
têm sexos separados e a fecundação
é interna. Em polvos a fêmea pode
armazenar o espermatóforo no
interior da cavidade paleal durante
dois meses. Em lulas é frequente os
progenitores morrerem
imediatamente após o
acasalamento. Há pesquisas que
indicam que algumas espécies de
polvo cuidam dos filhotes,
protegendo-os dos predadores.
Inclusive é uma espécie de polvo
que possui o maior tempo de
ninhada conhecido entre todos os
animais, a fêmea choca seus ovos
por quatro anos e meio, sem sair de
perto dos ovos nem para se
alimentar
 O polvo tem um corpo mole, sem
esqueleto interno;
 Já as lulas, possuem uma concha
interna, achatada e pouco
desenvolvida, onde ficam
protegidos seus órgãos vitais;
 Já o Argonauta é o único
cefalópode que ainda apresenta
concha externa, que é enrolada
em espiral e formada por
câmaras contíguas, vivendo o
animal apenas na última, que é a
maior. As amonites eram
cefalópodes fósseis que também
apresentavam concha externa.
Como são animais de vida aquática os
cefalópodes habitam as águas do oceano, desde as
mais rasas até as mais profundas, mostrando como é
grande sua capacidade de adaptação e sobrevivência
dentro das diferentes variações que seu habitat pode
lhes proporcionar.
Por habitarem
praticamente toda a extensão
dos oceanos, foram capazes
de adquirir diferentes tipos
de hábitos alimentares
ocupando assim, muitos
nichos ecológicos dentro do
ambiente marinho, acabaram
se tornando eficazes
assassinos marinhos, caçando
desde pequenos peixes,
crustáceos e camarões (lulas),
até alvos maiores como um
tubarão (polvo), porém
devido suas partes moles
volumosas e macias, tornara-
se excelentes presas para
outros animais marinhos.
Os cefalópodes se alimentam principalmente de crustáceos,
mas podem vir a caçar de pequenos peixes e camarões até alvos
maiores como por exemplo um tubarão, para lhes auxiliar na caça
eles se aproveitam de seu sistema de camuflagem, sua pele contém
células pigmentadas, chamadas cromatóforos, que mudam de cor,
esta mudança é dada por ações nervosas diretas.
As pessoas comem alguns tipos de
cefalópodes, como a lula e o polvo, e a criação e a
venda de moluscos é uma importante atividade
econômica em muitas zonas litorâneas. Além
disso, das conchas dos moluscos são feitas joias e
outras peças decorativas.
Uma das lulas mais estranhas
do fundo do mar, é também uma das
maiores. Enquanto seu corpo compacto
tem apenas 60 centímetros de
comprimento, seus tentáculos parecem
ser até vinte vezes maiores, fazendo a
criatura atingir cerca de 9 metros ou
mais. Estes incríveis tentáculos
parecem ser extremamente elásticos,
todos do mesmo tamanho e mantidos
separados por juntas como
“cotovelos”, perto da base, uma
característica sem paralelo em
qualquer outra lula ou polvo. Esse
animal paira silenciosamente na água
com o mínimo de esforço, com seus
tentáculos fantasmagóricos
presumivelmente capturando qualquer
peixe ou crustáceo que nada por perto.
“A Lula Vampira Do Inferno”, esse
cefalópode com a pele vermelha cheia de
veias, olhos luminosos falsos no topo da
cabeça, tentáculos unidos em uma rede escura
e espinhos carnosos, honra seu nome. Ela
pode ser encontrada em um lugar conhecido
como “zona das sombras”, um ambiente onde
a água do mar efetivamente estagna e suporta
pouca vida. Adaptada para gastar o mínimo
de energia possível, seu corpo gelatinoso
flutua na água com pouca necessidade de
nadar ativamente, e seu metabolismo lento
aguenta o pouco oxigênio que pode extrair do
ambiente. Embora esse animal seja conhecido
pela ciência há mais de um século, só em 2012
descobriu-se o que ele realmente come
naquelas profundezas desoladas. Os cientistas
achavam que ele era carnívoro, mas agora
sabem que a lula-vampira de fato é o único
cefalópode que se alimenta de material não
vivo, usando um par de tentáculos pegajosos
para prender partículas em decomposição de
detritos orgânicos, ou “neve marinha”, que
chegam ao fundo do mar.
Cranchiidae é uma família de lulas distinguidas por seus corpos
completamente transparentes, uma excelente camuflagem para a vida
no mar aberto em profundidades perpetuamente escuras. Algumas
espécies também podem inflar como um balão, tornando-as não
comestíveis. É a mesma tática pela qual o baiacu é famoso, e isso não é
tudo o que eles têm em comum – algumas espécies também tem
saliências que lembram dentes afiados. Ainda podem retrair toda a
sua cabeça e tentáculos para dentro do corpo, igual a uma tartaruga.
Outro morador
transparente do alto-mar, esse
peculiar polvo é a única espécie
conhecida em seu gênero
peculiar, que se distingue por
olhos tubulares diferentes dos
de qualquer outro cefalópode.
Estes olho são capazes de girar
de maneira independente, como
os de um camaleão, e sua
estrutura sofisticada implica
uma visão excepcional, mesmo
entre os cefalópodes, cujos olhos
já são superiores aos nossos.
Tudo isso pode ser devido a um
estilo de vida mais “lula” que
“polvo”, sempre à deriva no mar
aberto, nunca rastejando no
fundo do mar, como outras
espécies.
Moluscos Cefalópodes

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

7 ano invertebrados
7 ano invertebrados7 ano invertebrados
7 ano invertebrados
crisbassanimedeiros
 
Ecologia 3º ano
Ecologia 3º anoEcologia 3º ano
Ecologia 3º ano
Renata Magalhães
 
Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)
Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)
Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)
Leonardo Kaplan
 
Doenças causadas por protozoários
Doenças causadas por protozoáriosDoenças causadas por protozoários
Doenças causadas por protozoários
Marcos Santos
 
IV.2 Anfíbios
IV.2 AnfíbiosIV.2 Anfíbios
IV.2 Anfíbios
Rebeca Vale
 
Biologia- Virus
Biologia- VirusBiologia- Virus
Biologia- Virus
Slides de Tudo
 
Os Vertebrados
Os VertebradosOs Vertebrados
Os Vertebrados
empaul_harris
 
Moluscos - Biologia
Moluscos - BiologiaMoluscos - Biologia
Moluscos - Biologia
Bruna M
 
Reino protista protozoarios
Reino protista protozoariosReino protista protozoarios
Reino protista protozoarios
Iuri Fretta Wiggers
 
Aula 7º ano - Reino Fungi
Aula 7º ano - Reino FungiAula 7º ano - Reino Fungi
Aula 7º ano - Reino Fungi
Leonardo Kaplan
 
IV.4 aves
IV.4 avesIV.4 aves
IV.4 aves
Rebeca Vale
 
Espécies
EspéciesEspécies
Espécies
unesp
 
Protozoarios
ProtozoariosProtozoarios
Artropodes
ArtropodesArtropodes
Platelmintos (Power Point)
Platelmintos (Power Point)Platelmintos (Power Point)
Platelmintos (Power Point)
Bio
 
Biologia - Platelmintos
Biologia - PlatelmintosBiologia - Platelmintos
Biologia - Platelmintos
Carson Souza
 
Caracteristicas do reino animal
Caracteristicas do reino animalCaracteristicas do reino animal
Caracteristicas do reino animal
Thainá Carvalho
 
Crustáceos slide
Crustáceos slideCrustáceos slide
Crustáceos slide
MarianeSGS
 
Reino animalia pdf
Reino animalia pdfReino animalia pdf
Reino animalia pdf
Valck Silva
 
Anfíbios - Biologia
Anfíbios - BiologiaAnfíbios - Biologia
Anfíbios - Biologia
Killer Max
 

Mais procurados (20)

7 ano invertebrados
7 ano invertebrados7 ano invertebrados
7 ano invertebrados
 
Ecologia 3º ano
Ecologia 3º anoEcologia 3º ano
Ecologia 3º ano
 
Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)
Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)
Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)
 
Doenças causadas por protozoários
Doenças causadas por protozoáriosDoenças causadas por protozoários
Doenças causadas por protozoários
 
IV.2 Anfíbios
IV.2 AnfíbiosIV.2 Anfíbios
IV.2 Anfíbios
 
Biologia- Virus
Biologia- VirusBiologia- Virus
Biologia- Virus
 
Os Vertebrados
Os VertebradosOs Vertebrados
Os Vertebrados
 
Moluscos - Biologia
Moluscos - BiologiaMoluscos - Biologia
Moluscos - Biologia
 
Reino protista protozoarios
Reino protista protozoariosReino protista protozoarios
Reino protista protozoarios
 
Aula 7º ano - Reino Fungi
Aula 7º ano - Reino FungiAula 7º ano - Reino Fungi
Aula 7º ano - Reino Fungi
 
IV.4 aves
IV.4 avesIV.4 aves
IV.4 aves
 
Espécies
EspéciesEspécies
Espécies
 
Protozoarios
ProtozoariosProtozoarios
Protozoarios
 
Artropodes
ArtropodesArtropodes
Artropodes
 
Platelmintos (Power Point)
Platelmintos (Power Point)Platelmintos (Power Point)
Platelmintos (Power Point)
 
Biologia - Platelmintos
Biologia - PlatelmintosBiologia - Platelmintos
Biologia - Platelmintos
 
Caracteristicas do reino animal
Caracteristicas do reino animalCaracteristicas do reino animal
Caracteristicas do reino animal
 
Crustáceos slide
Crustáceos slideCrustáceos slide
Crustáceos slide
 
Reino animalia pdf
Reino animalia pdfReino animalia pdf
Reino animalia pdf
 
Anfíbios - Biologia
Anfíbios - BiologiaAnfíbios - Biologia
Anfíbios - Biologia
 

Destaque

Cefalòpodes laia alba-2
Cefalòpodes laia alba-2Cefalòpodes laia alba-2
Cefalòpodes laia alba-2
Llum
 
Filo Mollusca
Filo MolluscaFilo Mollusca
Filo Mollusca
Diego Yamazaki Bolano
 
Filo Moluscos (Power Point)
Filo Moluscos (Power Point)Filo Moluscos (Power Point)
Filo Moluscos (Power Point)
Bio
 
El cucut (PPT)
El cucut (PPT)El cucut (PPT)
El cucut (PPT)
Lgm778
 
Gasteropodes aachor david
Gasteropodes aachor davidGasteropodes aachor david
Gasteropodes aachor david
Llum
 
Power point
Power pointPower point
Power point
inaixes
 
Botânica - Monocotiledôneas
Botânica - MonocotiledôneasBotânica - Monocotiledôneas
Botânica - Monocotiledôneas
Juliano van Melis
 
Treball els aracnids
Treball els aracnidsTreball els aracnids
Treball els aracnids
sandraceipse
 
cefalòpodes
cefalòpodescefalòpodes
cefalòpodes
catifel
 
Invertebrats power point
Invertebrats power pointInvertebrats power point
Invertebrats power point
mestra1988
 
Bivalves pedro-po
Bivalves pedro-poBivalves pedro-po
Bivalves pedro-po
Llum
 
Biologia - Moluscos e Anelídeos
Biologia - Moluscos e AnelídeosBiologia - Moluscos e Anelídeos
Biologia - Moluscos e Anelídeos
karenfreitasRS21
 
Mol·luscs (marti, raul i ivan)
Mol·luscs (marti, raul i ivan)Mol·luscs (marti, raul i ivan)
Mol·luscs (marti, raul i ivan)
jfreixas
 
Filo Mollusca
Filo MolluscaFilo Mollusca
Filo Mollusca
Lucas Castro
 
Miriàpodes
MiriàpodesMiriàpodes
Miriàpodes
Mprof
 
Apresentação1 molusco
Apresentação1 moluscoApresentação1 molusco
Apresentação1 molusco
valdilene7
 

Destaque (20)

Cefalòpodes
CefalòpodesCefalòpodes
Cefalòpodes
 
Cefalòpodes laia alba-2
Cefalòpodes laia alba-2Cefalòpodes laia alba-2
Cefalòpodes laia alba-2
 
els mol·luscs
els mol·luscsels mol·luscs
els mol·luscs
 
Filo Mollusca
Filo MolluscaFilo Mollusca
Filo Mollusca
 
Filo Moluscos (Power Point)
Filo Moluscos (Power Point)Filo Moluscos (Power Point)
Filo Moluscos (Power Point)
 
El cucut (PPT)
El cucut (PPT)El cucut (PPT)
El cucut (PPT)
 
Gasteropodes aachor david
Gasteropodes aachor davidGasteropodes aachor david
Gasteropodes aachor david
 
Power point
Power pointPower point
Power point
 
Botânica - Monocotiledôneas
Botânica - MonocotiledôneasBotânica - Monocotiledôneas
Botânica - Monocotiledôneas
 
Treball els aracnids
Treball els aracnidsTreball els aracnids
Treball els aracnids
 
cefalòpodes
cefalòpodescefalòpodes
cefalòpodes
 
Els aràcnids
Els aràcnidsEls aràcnids
Els aràcnids
 
Invertebrats power point
Invertebrats power pointInvertebrats power point
Invertebrats power point
 
Bivalves pedro-po
Bivalves pedro-poBivalves pedro-po
Bivalves pedro-po
 
Biologia - Moluscos e Anelídeos
Biologia - Moluscos e AnelídeosBiologia - Moluscos e Anelídeos
Biologia - Moluscos e Anelídeos
 
Mol·luscs (marti, raul i ivan)
Mol·luscs (marti, raul i ivan)Mol·luscs (marti, raul i ivan)
Mol·luscs (marti, raul i ivan)
 
Gasterópodes
GasterópodesGasterópodes
Gasterópodes
 
Filo Mollusca
Filo MolluscaFilo Mollusca
Filo Mollusca
 
Miriàpodes
MiriàpodesMiriàpodes
Miriàpodes
 
Apresentação1 molusco
Apresentação1 moluscoApresentação1 molusco
Apresentação1 molusco
 

Semelhante a Moluscos Cefalópodes

Os moluscos
Os moluscosOs moluscos
Os moluscos
Anderson Lima
 
Moluscos 3 C 2015
Moluscos 3 C 2015Moluscos 3 C 2015
Moluscos 3 C 2015
Maria Teresa Iannaco Grego
 
Animais
AnimaisAnimais
Animais
wagneripo
 
Trabalho de biologia
Trabalho de biologiaTrabalho de biologia
Trabalho de biologia
Isa53
 
Artópodes e Equinodermos
Artópodes e EquinodermosArtópodes e Equinodermos
Artópodes e Equinodermos
Naira Silva
 
Moluscos e Anelídios
Moluscos e Anelídios Moluscos e Anelídios
Moluscos e Anelídios
carla kelvia
 
Seminário biologia reino animal( poríferos, cnidarios e platelmintos)
Seminário biologia reino animal( poríferos, cnidarios e platelmintos)Seminário biologia reino animal( poríferos, cnidarios e platelmintos)
Seminário biologia reino animal( poríferos, cnidarios e platelmintos)
Ronaldo Junior
 
Poliferos e Cnidários.pptx
Poliferos e Cnidários.pptxPoliferos e Cnidários.pptx
Poliferos e Cnidários.pptx
RonaldoAlves313237
 
Poliferos e Cnidários
Poliferos e CnidáriosPoliferos e Cnidários
Poliferos e Cnidários
Sirleide Silva
 
Moluscos1
Moluscos1Moluscos1
Moluscos1
Gaspar Neto
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
Altair Hoepers
 
Moluscos caracteristicas gerais
Moluscos   caracteristicas geraisMoluscos   caracteristicas gerais
Moluscos caracteristicas gerais
Ronalld Sabino
 
7º ano cap 14 cnidários 2012
7º ano  cap 14 cnidários 20127º ano  cap 14 cnidários 2012
7º ano cap 14 cnidários 2012
ISJ
 
Animais 110913184501-phpapp02
Animais 110913184501-phpapp02Animais 110913184501-phpapp02
Animais 110913184501-phpapp02
Ferrari Ferrari
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
AULA ANIMAIS.pptx
AULA ANIMAIS.pptxAULA ANIMAIS.pptx
AULA ANIMAIS.pptx
GabrielGomes556466
 
moluscos1-140830152153-phpapp01.pdf
moluscos1-140830152153-phpapp01.pdfmoluscos1-140830152153-phpapp01.pdf
moluscos1-140830152153-phpapp01.pdf
Abnerff
 
Slide sobre moluscos da disciplina de ciências
Slide sobre moluscos da disciplina de ciênciasSlide sobre moluscos da disciplina de ciências
Slide sobre moluscos da disciplina de ciências
Abnerff
 
Animais Invertebrados
Animais InvertebradosAnimais Invertebrados
Animais Invertebrados
M. Cristina Torres Felippin
 
7º ano cap 16 moluscos
7º ano cap 16   moluscos7º ano cap 16   moluscos
7º ano cap 16 moluscos
ISJ
 

Semelhante a Moluscos Cefalópodes (20)

Os moluscos
Os moluscosOs moluscos
Os moluscos
 
Moluscos 3 C 2015
Moluscos 3 C 2015Moluscos 3 C 2015
Moluscos 3 C 2015
 
Animais
AnimaisAnimais
Animais
 
Trabalho de biologia
Trabalho de biologiaTrabalho de biologia
Trabalho de biologia
 
Artópodes e Equinodermos
Artópodes e EquinodermosArtópodes e Equinodermos
Artópodes e Equinodermos
 
Moluscos e Anelídios
Moluscos e Anelídios Moluscos e Anelídios
Moluscos e Anelídios
 
Seminário biologia reino animal( poríferos, cnidarios e platelmintos)
Seminário biologia reino animal( poríferos, cnidarios e platelmintos)Seminário biologia reino animal( poríferos, cnidarios e platelmintos)
Seminário biologia reino animal( poríferos, cnidarios e platelmintos)
 
Poliferos e Cnidários.pptx
Poliferos e Cnidários.pptxPoliferos e Cnidários.pptx
Poliferos e Cnidários.pptx
 
Poliferos e Cnidários
Poliferos e CnidáriosPoliferos e Cnidários
Poliferos e Cnidários
 
Moluscos1
Moluscos1Moluscos1
Moluscos1
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
 
Moluscos caracteristicas gerais
Moluscos   caracteristicas geraisMoluscos   caracteristicas gerais
Moluscos caracteristicas gerais
 
7º ano cap 14 cnidários 2012
7º ano  cap 14 cnidários 20127º ano  cap 14 cnidários 2012
7º ano cap 14 cnidários 2012
 
Animais 110913184501-phpapp02
Animais 110913184501-phpapp02Animais 110913184501-phpapp02
Animais 110913184501-phpapp02
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
 
AULA ANIMAIS.pptx
AULA ANIMAIS.pptxAULA ANIMAIS.pptx
AULA ANIMAIS.pptx
 
moluscos1-140830152153-phpapp01.pdf
moluscos1-140830152153-phpapp01.pdfmoluscos1-140830152153-phpapp01.pdf
moluscos1-140830152153-phpapp01.pdf
 
Slide sobre moluscos da disciplina de ciências
Slide sobre moluscos da disciplina de ciênciasSlide sobre moluscos da disciplina de ciências
Slide sobre moluscos da disciplina de ciências
 
Animais Invertebrados
Animais InvertebradosAnimais Invertebrados
Animais Invertebrados
 
7º ano cap 16 moluscos
7º ano cap 16   moluscos7º ano cap 16   moluscos
7º ano cap 16 moluscos
 

Moluscos Cefalópodes

  • 2.  A concha é produzida por glândulas presentes numa prega de pele chamada de manto;  A pele contém células pigmentadas;  Os estatocistos são os órgãos de equilíbrio;  Os sexos são separados e a fecundação ocorre dentro da cavidade paleal da fêmea ;  A principal diferença dos cefalópodes para os demais moluscos é o sistema circulatório fechado, enquanto as demais classes possuem sistema circulatório aberto.
  • 3. A respiração é branquial, ou seja, as trocas gasosas ocorrem nas brânquias, órgãos em formato de lâmina e bastante vascularizados. Para que ocorra a respiração branquial a água entra pela boca e sai pelas fendas brânquias.
  • 4. Possuem um sistema digestório completo, ou seja, possuem boca e ânus. Na boca existe uma estrutura chamada rádula, que é formada por vários dentes de quitina, que raspam o substrato para obtenção de alimentos. A digestão é inicialmente extracelular, no estômago, nas glândulas digestórias é extracelular.
  • 5. A excreção é feita por metanefrídios. Cada metanefrídio possui um ducto com duas aberturas: uma para a cavidade pericárdica, chamada nefróstoma, de onde retira as excretas, e um poro excretor, chamado nefridióporo, por onde saem as excretas.
  • 6. Como são animais marinhos, capazes de se deslocarem por propulsão, até mesmo em águas profundas, graças à forte emissão de líquido através de um sifão. As lulas contam com a ajuda de nadadeiras. *surpresa nas curiosidades!!!
  • 7. Esses moluscos, em geral, têm sexos separados e a fecundação é interna. Em polvos a fêmea pode armazenar o espermatóforo no interior da cavidade paleal durante dois meses. Em lulas é frequente os progenitores morrerem imediatamente após o acasalamento. Há pesquisas que indicam que algumas espécies de polvo cuidam dos filhotes, protegendo-os dos predadores. Inclusive é uma espécie de polvo que possui o maior tempo de ninhada conhecido entre todos os animais, a fêmea choca seus ovos por quatro anos e meio, sem sair de perto dos ovos nem para se alimentar
  • 8.  O polvo tem um corpo mole, sem esqueleto interno;  Já as lulas, possuem uma concha interna, achatada e pouco desenvolvida, onde ficam protegidos seus órgãos vitais;  Já o Argonauta é o único cefalópode que ainda apresenta concha externa, que é enrolada em espiral e formada por câmaras contíguas, vivendo o animal apenas na última, que é a maior. As amonites eram cefalópodes fósseis que também apresentavam concha externa.
  • 9. Como são animais de vida aquática os cefalópodes habitam as águas do oceano, desde as mais rasas até as mais profundas, mostrando como é grande sua capacidade de adaptação e sobrevivência dentro das diferentes variações que seu habitat pode lhes proporcionar.
  • 10. Por habitarem praticamente toda a extensão dos oceanos, foram capazes de adquirir diferentes tipos de hábitos alimentares ocupando assim, muitos nichos ecológicos dentro do ambiente marinho, acabaram se tornando eficazes assassinos marinhos, caçando desde pequenos peixes, crustáceos e camarões (lulas), até alvos maiores como um tubarão (polvo), porém devido suas partes moles volumosas e macias, tornara- se excelentes presas para outros animais marinhos.
  • 11. Os cefalópodes se alimentam principalmente de crustáceos, mas podem vir a caçar de pequenos peixes e camarões até alvos maiores como por exemplo um tubarão, para lhes auxiliar na caça eles se aproveitam de seu sistema de camuflagem, sua pele contém células pigmentadas, chamadas cromatóforos, que mudam de cor, esta mudança é dada por ações nervosas diretas.
  • 12. As pessoas comem alguns tipos de cefalópodes, como a lula e o polvo, e a criação e a venda de moluscos é uma importante atividade econômica em muitas zonas litorâneas. Além disso, das conchas dos moluscos são feitas joias e outras peças decorativas.
  • 13. Uma das lulas mais estranhas do fundo do mar, é também uma das maiores. Enquanto seu corpo compacto tem apenas 60 centímetros de comprimento, seus tentáculos parecem ser até vinte vezes maiores, fazendo a criatura atingir cerca de 9 metros ou mais. Estes incríveis tentáculos parecem ser extremamente elásticos, todos do mesmo tamanho e mantidos separados por juntas como “cotovelos”, perto da base, uma característica sem paralelo em qualquer outra lula ou polvo. Esse animal paira silenciosamente na água com o mínimo de esforço, com seus tentáculos fantasmagóricos presumivelmente capturando qualquer peixe ou crustáceo que nada por perto.
  • 14. “A Lula Vampira Do Inferno”, esse cefalópode com a pele vermelha cheia de veias, olhos luminosos falsos no topo da cabeça, tentáculos unidos em uma rede escura e espinhos carnosos, honra seu nome. Ela pode ser encontrada em um lugar conhecido como “zona das sombras”, um ambiente onde a água do mar efetivamente estagna e suporta pouca vida. Adaptada para gastar o mínimo de energia possível, seu corpo gelatinoso flutua na água com pouca necessidade de nadar ativamente, e seu metabolismo lento aguenta o pouco oxigênio que pode extrair do ambiente. Embora esse animal seja conhecido pela ciência há mais de um século, só em 2012 descobriu-se o que ele realmente come naquelas profundezas desoladas. Os cientistas achavam que ele era carnívoro, mas agora sabem que a lula-vampira de fato é o único cefalópode que se alimenta de material não vivo, usando um par de tentáculos pegajosos para prender partículas em decomposição de detritos orgânicos, ou “neve marinha”, que chegam ao fundo do mar.
  • 15. Cranchiidae é uma família de lulas distinguidas por seus corpos completamente transparentes, uma excelente camuflagem para a vida no mar aberto em profundidades perpetuamente escuras. Algumas espécies também podem inflar como um balão, tornando-as não comestíveis. É a mesma tática pela qual o baiacu é famoso, e isso não é tudo o que eles têm em comum – algumas espécies também tem saliências que lembram dentes afiados. Ainda podem retrair toda a sua cabeça e tentáculos para dentro do corpo, igual a uma tartaruga.
  • 16. Outro morador transparente do alto-mar, esse peculiar polvo é a única espécie conhecida em seu gênero peculiar, que se distingue por olhos tubulares diferentes dos de qualquer outro cefalópode. Estes olho são capazes de girar de maneira independente, como os de um camaleão, e sua estrutura sofisticada implica uma visão excepcional, mesmo entre os cefalópodes, cujos olhos já são superiores aos nossos. Tudo isso pode ser devido a um estilo de vida mais “lula” que “polvo”, sempre à deriva no mar aberto, nunca rastejando no fundo do mar, como outras espécies.