SlideShare uma empresa Scribd logo
Modernismo

             Ana Margarida nº2
               Beatriz Cruz nº6
                          12ºC
                     Português
Índice
o Introdução

o Modernismo

o Vertentes do Modernismo

o Conclusão
Introdução
o   Este trabalho vai retratar o Modernismo, a época onde se inserem
    as principais áreas do conhecimento e os principais nomes desta
    época literária e não só.
o   Escolhemos este tema porque se enquadra no estudo de
    Fernando Pessoa e por ser o tema que estamos a estudar.
M o d e r n i s mo
o Conjunto de movimentos culturais, escolas e estilos que permearam
  as artes e o design na primeira metade do século XX e que se
  define como um movimento estético em que a literatura surge
  associada às artes plásticas.

o O início do modernismo ficou marcado pela publicação da revista
  Orpheu.
Literatura




Fernando Pessoa   Almada Negreiros   Mário de Sá-Carneiro
o   Fernando Pessoa nasceu a 13 de Junho de 1888 e morreu a 30
    de Novembro de 1935 em Lisboa. Fernando Pessoa foi
    considerado um dos maiores poetas de Língua Portuguesa mas
    também foi filósofo e escritor. Participou nas publicações da
    Revista Orpheu.
“Se depois de eu morrer, quiserem escrever a minha biografia,
                 Não há nada mais simples.
Tem só duas datas - a da minha nascença e a da minha morte.
        Entre uma e outra todos os dias são meus.”
Almada Negreiros
 Nasceu a 7 de abril de 1893 e morreu a 15 de junho de 1970


  Dedicou-se às artes plásticas (pintura) e à literatura (romances e
  poesias)
Teve um papel ativo na primeira vanguarda modernista e uma grande
importância na elaboração da Revista Orpheu, sendo que a sua
participação permitiu que esta publicação não se restringisse apenas à
área das letras.
“Quando eu nasci,
as frases que hão-de salvar a Humanidade
        já estavam todas escritas.
           Só faltava uma coisa:
          Salvar a Humanidade”
Mário de Sá-Carneiro
o Nasceu a 19 de Maio de 1890 e morreu a 26 de Abril de 1916.
o Foi um poeta e escritor português, que participou e colaborou nas
  publicações da Revista Orpheu.
o Foi um dos maiores poetas modernistas e o que melhor exprime a
  divisão do sujeito na enunciação de si próprio.
Caraterísticas d a
    Li t e r a t ur a
      Mo d e r n a
    Espírito                             Inovação linguística
                   Antitradicionalismo
 revolucionário                            (versos livres)




Nova conceção do
                   Uso do humor e da       Exploração de
  mundo e do
                         ironia             novos temas
    homem
Artes plásticas


Expressionismo    Cubismo     Surrealismo



                 Simbolismo
  Fauvismo                    Futurismo
Ex pr e s s i oni
      s mo
                          O expressionismo é uma arte
É um movimento de
                          pessoal e intuitiva, onde
vanguarda que surgiu na
                          predomina o ponto de vista do
Alemanha no início do
                          artista, em oposição á observação
século XX.
                          da realidade.
C u b i s mo
   O Cubismo transformava as formas da natureza em figuras
   geométricas, através da representação do objeto no mesmo
   plano.


A representação do mundo passou a não ter
nenhum compromisso com o aspeto real das
coisas.
S u r r e a l i s mo
Movimento de Vanguarda            Procura expressar a ausência de
modernista que nasceu no início   racionalidade humana e as
do século XX em Paris.            manifestações do subconsciente.
F a u v i s mo
   Corrente artística do início do século XX



 Tem como objetivo o equilíbrio, a pureza e a serenidade
 abolindo temas perturbadores ou deprimentes.
S i mb o l i s mo
    Surgiu em França, no início do século XX.


 Dá ênfase a temas imaginários e subjetivos. Por vezes
 dependem das crenças de cada indivíduo.
F u t u r i s mo
o O futurismo é um movimento artístico e literário, que surgiu oficialmente
  em 1909 com a publicação do Manifesto Futurista.
o O Futurismo desenvolveu-se em todas as artes e influenciou diversos
  artistas que depois fundaram outros movimentos modernistas.
Es c ul t ur a
o Escultura é uma arte que representa imagens plásticas em relevo
  total ou parcial. Existem várias técnicas de trabalhar os materiais,
  como os tons de cinzento, a fundição e a moldagem ou a
  aglomeração de partículas para a criação de um objeto.
Ar q u i t e t u r a
o Arquitetura moderna é uma designação genérica para o conjunto de
  movimentos de escolas arquitetónicos que vieram a caracterizar a
  arquitetura produzida durante grande parte do século XX, inserida
  no contexto artístico e cultural do Modernismo.
Conclusão
o   Esperemos que com este trabalho tenhamos conseguido dar a
    entender um pouco melhor do que é e as vertentes do
    Modernismo.
o   Para nós este trabalho foi bastante importante e
    enriquecedor, uma vez que deu para entender um pouco melhor
    certas áreas da pintura que se desenvolveram com o Modernismo.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Geração De Orpheu
A Geração De OrpheuA Geração De Orpheu
A Geração De Orpheu
complementoindirecto
 
Naturalismo e Realismo na Pintura
Naturalismo e Realismo na PinturaNaturalismo e Realismo na Pintura
Naturalismo e Realismo na Pintura
Carlos Pinheiro
 
Módulo 9 em portugal
Módulo 9  em portugalMódulo 9  em portugal
Módulo 9 em portugal
cattonia
 
Fernando Pessoa
Fernando PessoaFernando Pessoa
Fernando Pessoa
fromgaliza
 
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da InfânciaFernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
Samuel Neves
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
Inês Filipa
 
Almada negreiros
Almada negreirosAlmada negreiros
Alberto caeiro biografia e caracteristicas
Alberto caeiro biografia e caracteristicasAlberto caeiro biografia e caracteristicas
Alberto caeiro biografia e caracteristicas
Anabela Fernandes
 
Portugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardasPortugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardas
home
 
Modernismo em Portugal: a primeira geração
Modernismo em Portugal: a primeira geraçãoModernismo em Portugal: a primeira geração
Modernismo em Portugal: a primeira geração
Jailson Lima
 
História da Arte: Surrealismo
História da Arte: SurrealismoHistória da Arte: Surrealismo
História da Arte: Surrealismo
Raphael Lanzillotte
 
Fernando Pessoa-Ortónimo
Fernando Pessoa-OrtónimoFernando Pessoa-Ortónimo
Fernando Pessoa-Ortónimo
Margarida Rodrigues
 
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
FilipaFonseca
 
Vanguardas Europeias - I Modernismo
Vanguardas Europeias - I ModernismoVanguardas Europeias - I Modernismo
Vanguardas Europeias - I Modernismo
Carlos Vieira
 
Leitura obra "O Grito"
Leitura obra "O Grito"Leitura obra "O Grito"
Leitura obra "O Grito"
mila braga
 
Almada Negreiros
Almada NegreirosAlmada Negreiros
Almada Negreiros
hcaslides
 
Miguel torga: Vida e Obra
Miguel torga: Vida e ObraMiguel torga: Vida e Obra
Miguel torga: Vida e Obra
Dina Baptista
 
Maias Episódio Corrida no Hipódromo
Maias Episódio Corrida no HipódromoMaias Episódio Corrida no Hipódromo
Maias Episódio Corrida no Hipódromo
Pedro Oliveira
 
Nós, de Cesário Verde
Nós, de Cesário VerdeNós, de Cesário Verde
Nós, de Cesário Verde
Dina Baptista
 
Dicotomia cidade campo
Dicotomia cidade campoDicotomia cidade campo
Dicotomia cidade campo
1103sancho
 

Mais procurados (20)

A Geração De Orpheu
A Geração De OrpheuA Geração De Orpheu
A Geração De Orpheu
 
Naturalismo e Realismo na Pintura
Naturalismo e Realismo na PinturaNaturalismo e Realismo na Pintura
Naturalismo e Realismo na Pintura
 
Módulo 9 em portugal
Módulo 9  em portugalMódulo 9  em portugal
Módulo 9 em portugal
 
Fernando Pessoa
Fernando PessoaFernando Pessoa
Fernando Pessoa
 
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da InfânciaFernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
 
Almada negreiros
Almada negreirosAlmada negreiros
Almada negreiros
 
Alberto caeiro biografia e caracteristicas
Alberto caeiro biografia e caracteristicasAlberto caeiro biografia e caracteristicas
Alberto caeiro biografia e caracteristicas
 
Portugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardasPortugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardas
 
Modernismo em Portugal: a primeira geração
Modernismo em Portugal: a primeira geraçãoModernismo em Portugal: a primeira geração
Modernismo em Portugal: a primeira geração
 
História da Arte: Surrealismo
História da Arte: SurrealismoHistória da Arte: Surrealismo
História da Arte: Surrealismo
 
Fernando Pessoa-Ortónimo
Fernando Pessoa-OrtónimoFernando Pessoa-Ortónimo
Fernando Pessoa-Ortónimo
 
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
 
Vanguardas Europeias - I Modernismo
Vanguardas Europeias - I ModernismoVanguardas Europeias - I Modernismo
Vanguardas Europeias - I Modernismo
 
Leitura obra "O Grito"
Leitura obra "O Grito"Leitura obra "O Grito"
Leitura obra "O Grito"
 
Almada Negreiros
Almada NegreirosAlmada Negreiros
Almada Negreiros
 
Miguel torga: Vida e Obra
Miguel torga: Vida e ObraMiguel torga: Vida e Obra
Miguel torga: Vida e Obra
 
Maias Episódio Corrida no Hipódromo
Maias Episódio Corrida no HipódromoMaias Episódio Corrida no Hipódromo
Maias Episódio Corrida no Hipódromo
 
Nós, de Cesário Verde
Nós, de Cesário VerdeNós, de Cesário Verde
Nós, de Cesário Verde
 
Dicotomia cidade campo
Dicotomia cidade campoDicotomia cidade campo
Dicotomia cidade campo
 

Semelhante a Modernismo

O Modernismo
O ModernismoO Modernismo
O Modernismo
complementoindirecto
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
Adventus Net
 
O modernismo em portugal
O modernismo em portugalO modernismo em portugal
Vanguardas Européias
Vanguardas EuropéiasVanguardas Européias
Vanguardas Européias
Arcelino Barbosa
 
Modernismo no Brasil
Modernismo no BrasilModernismo no Brasil
Modernismo no Brasil
alinesantana1422
 
A vanguarda europeia
A vanguarda europeiaA vanguarda europeia
A vanguarda europeia
Laboratório de Informática
 
Artes - Trabalho de história e EV
Artes - Trabalho de história e EVArtes - Trabalho de história e EV
Artes - Trabalho de história e EV
ammarahmonteiro
 
A Arte
A ArteA Arte
1 modernismo e-a_geração_do_orpheu_breve_nota_biográfica
1   modernismo e-a_geração_do_orpheu_breve_nota_biográfica1   modernismo e-a_geração_do_orpheu_breve_nota_biográfica
1 modernismo e-a_geração_do_orpheu_breve_nota_biográfica
Carla Ribeiro
 
12 - Modernismo-2-8.docx
12 - Modernismo-2-8.docx12 - Modernismo-2-8.docx
12 - Modernismo-2-8.docx
RosenildaAparecidaLa
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
Prof Decio viana
 
Modernismo em portugal
Modernismo em portugalModernismo em portugal
Modernismo em portugal
quintaldasletras
 
Modernismo em Portugal.pptx
Modernismo em Portugal.pptxModernismo em Portugal.pptx
Modernismo em Portugal.pptx
MariaAntunes70
 
274723639-Vanguardas-Europeias.ppt
274723639-Vanguardas-Europeias.ppt274723639-Vanguardas-Europeias.ppt
274723639-Vanguardas-Europeias.ppt
Janicelemos4
 
[HAVC] Surrealismo: António Pedro
[HAVC] Surrealismo: António Pedro[HAVC] Surrealismo: António Pedro
[HAVC] Surrealismo: António Pedro
Ricardo Sousa
 
História da Arte Aula 4 , Modernismo Brasileiro, abstrato e Pop Art
 História da Arte Aula 4 , Modernismo Brasileiro, abstrato e Pop Art História da Arte Aula 4 , Modernismo Brasileiro, abstrato e Pop Art
História da Arte Aula 4 , Modernismo Brasileiro, abstrato e Pop Art
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
Sheila Cristina Carlos
 
O Modernismo na Arte
O Modernismo na ArteO Modernismo na Arte
O Modernismo na Arte
Michele Wilbert
 
Trabalho portugues
Trabalho portuguesTrabalho portugues
Trabalho portugues
Nuno Aparicio
 
G um
G umG um
G um
profnati
 

Semelhante a Modernismo (20)

O Modernismo
O ModernismoO Modernismo
O Modernismo
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
 
O modernismo em portugal
O modernismo em portugalO modernismo em portugal
O modernismo em portugal
 
Vanguardas Européias
Vanguardas EuropéiasVanguardas Européias
Vanguardas Européias
 
Modernismo no Brasil
Modernismo no BrasilModernismo no Brasil
Modernismo no Brasil
 
A vanguarda europeia
A vanguarda europeiaA vanguarda europeia
A vanguarda europeia
 
Artes - Trabalho de história e EV
Artes - Trabalho de história e EVArtes - Trabalho de história e EV
Artes - Trabalho de história e EV
 
A Arte
A ArteA Arte
A Arte
 
1 modernismo e-a_geração_do_orpheu_breve_nota_biográfica
1   modernismo e-a_geração_do_orpheu_breve_nota_biográfica1   modernismo e-a_geração_do_orpheu_breve_nota_biográfica
1 modernismo e-a_geração_do_orpheu_breve_nota_biográfica
 
12 - Modernismo-2-8.docx
12 - Modernismo-2-8.docx12 - Modernismo-2-8.docx
12 - Modernismo-2-8.docx
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
 
Modernismo em portugal
Modernismo em portugalModernismo em portugal
Modernismo em portugal
 
Modernismo em Portugal.pptx
Modernismo em Portugal.pptxModernismo em Portugal.pptx
Modernismo em Portugal.pptx
 
274723639-Vanguardas-Europeias.ppt
274723639-Vanguardas-Europeias.ppt274723639-Vanguardas-Europeias.ppt
274723639-Vanguardas-Europeias.ppt
 
[HAVC] Surrealismo: António Pedro
[HAVC] Surrealismo: António Pedro[HAVC] Surrealismo: António Pedro
[HAVC] Surrealismo: António Pedro
 
História da Arte Aula 4 , Modernismo Brasileiro, abstrato e Pop Art
 História da Arte Aula 4 , Modernismo Brasileiro, abstrato e Pop Art História da Arte Aula 4 , Modernismo Brasileiro, abstrato e Pop Art
História da Arte Aula 4 , Modernismo Brasileiro, abstrato e Pop Art
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
 
O Modernismo na Arte
O Modernismo na ArteO Modernismo na Arte
O Modernismo na Arte
 
Trabalho portugues
Trabalho portuguesTrabalho portugues
Trabalho portugues
 
G um
G umG um
G um
 

Último

Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
MatildeBrites
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Luana Neres
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Mary Alvarenga
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Acrópole - História & Educação
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
kdn15710
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 

Último (20)

Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 

Modernismo

  • 1. Modernismo Ana Margarida nº2 Beatriz Cruz nº6 12ºC Português
  • 2. Índice o Introdução o Modernismo o Vertentes do Modernismo o Conclusão
  • 3. Introdução o Este trabalho vai retratar o Modernismo, a época onde se inserem as principais áreas do conhecimento e os principais nomes desta época literária e não só. o Escolhemos este tema porque se enquadra no estudo de Fernando Pessoa e por ser o tema que estamos a estudar.
  • 4. M o d e r n i s mo o Conjunto de movimentos culturais, escolas e estilos que permearam as artes e o design na primeira metade do século XX e que se define como um movimento estético em que a literatura surge associada às artes plásticas. o O início do modernismo ficou marcado pela publicação da revista Orpheu.
  • 5.
  • 6. Literatura Fernando Pessoa Almada Negreiros Mário de Sá-Carneiro
  • 7. o Fernando Pessoa nasceu a 13 de Junho de 1888 e morreu a 30 de Novembro de 1935 em Lisboa. Fernando Pessoa foi considerado um dos maiores poetas de Língua Portuguesa mas também foi filósofo e escritor. Participou nas publicações da Revista Orpheu.
  • 8. “Se depois de eu morrer, quiserem escrever a minha biografia, Não há nada mais simples. Tem só duas datas - a da minha nascença e a da minha morte. Entre uma e outra todos os dias são meus.”
  • 9. Almada Negreiros Nasceu a 7 de abril de 1893 e morreu a 15 de junho de 1970 Dedicou-se às artes plásticas (pintura) e à literatura (romances e poesias) Teve um papel ativo na primeira vanguarda modernista e uma grande importância na elaboração da Revista Orpheu, sendo que a sua participação permitiu que esta publicação não se restringisse apenas à área das letras.
  • 10. “Quando eu nasci, as frases que hão-de salvar a Humanidade já estavam todas escritas. Só faltava uma coisa: Salvar a Humanidade”
  • 11. Mário de Sá-Carneiro o Nasceu a 19 de Maio de 1890 e morreu a 26 de Abril de 1916. o Foi um poeta e escritor português, que participou e colaborou nas publicações da Revista Orpheu. o Foi um dos maiores poetas modernistas e o que melhor exprime a divisão do sujeito na enunciação de si próprio.
  • 12. Caraterísticas d a Li t e r a t ur a Mo d e r n a Espírito Inovação linguística Antitradicionalismo revolucionário (versos livres) Nova conceção do Uso do humor e da Exploração de mundo e do ironia novos temas homem
  • 13. Artes plásticas Expressionismo Cubismo Surrealismo Simbolismo Fauvismo Futurismo
  • 14. Ex pr e s s i oni s mo O expressionismo é uma arte É um movimento de pessoal e intuitiva, onde vanguarda que surgiu na predomina o ponto de vista do Alemanha no início do artista, em oposição á observação século XX. da realidade.
  • 15.
  • 16. C u b i s mo O Cubismo transformava as formas da natureza em figuras geométricas, através da representação do objeto no mesmo plano. A representação do mundo passou a não ter nenhum compromisso com o aspeto real das coisas.
  • 17.
  • 18. S u r r e a l i s mo Movimento de Vanguarda Procura expressar a ausência de modernista que nasceu no início racionalidade humana e as do século XX em Paris. manifestações do subconsciente.
  • 19.
  • 20. F a u v i s mo Corrente artística do início do século XX Tem como objetivo o equilíbrio, a pureza e a serenidade abolindo temas perturbadores ou deprimentes.
  • 21.
  • 22. S i mb o l i s mo Surgiu em França, no início do século XX. Dá ênfase a temas imaginários e subjetivos. Por vezes dependem das crenças de cada indivíduo.
  • 23.
  • 24. F u t u r i s mo o O futurismo é um movimento artístico e literário, que surgiu oficialmente em 1909 com a publicação do Manifesto Futurista. o O Futurismo desenvolveu-se em todas as artes e influenciou diversos artistas que depois fundaram outros movimentos modernistas.
  • 25.
  • 26. Es c ul t ur a o Escultura é uma arte que representa imagens plásticas em relevo total ou parcial. Existem várias técnicas de trabalhar os materiais, como os tons de cinzento, a fundição e a moldagem ou a aglomeração de partículas para a criação de um objeto.
  • 27. Ar q u i t e t u r a o Arquitetura moderna é uma designação genérica para o conjunto de movimentos de escolas arquitetónicos que vieram a caracterizar a arquitetura produzida durante grande parte do século XX, inserida no contexto artístico e cultural do Modernismo.
  • 28. Conclusão o Esperemos que com este trabalho tenhamos conseguido dar a entender um pouco melhor do que é e as vertentes do Modernismo. o Para nós este trabalho foi bastante importante e enriquecedor, uma vez que deu para entender um pouco melhor certas áreas da pintura que se desenvolveram com o Modernismo.