SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Universidade Feevale

  História da Arte e da indumentária- 2m
               gisele becker




Moda Através Dos
    Séculos
                         Por Lais Reschke e Cindy Furtado
EVOLUÇÃO DA MODA
       
Pré-História
                        •   Os únicos registros são as pinturas
                             rupestres encontradas nas paredes
                             das cavernas.
                         • A racionalidade e o comportamento
                             do ser humano são guiados pelo
                             instinto.
               Paleolítico: Até 10.000 A.C
                   • Nômade
                   • Vive da caça e da pesca
                   • Utiliza-se de pele, lã, ossos, e dentes como
                   vestuário.
               Neolítico: Até 5.000 A.C
                   • Sedentário
                   • Surgimento da tecelagem
               Idade dos Metais:
                   • Domínio da técnica de manipulação do
                   metal
Vestuário
         na Pré-História
                
As roupas do homem da pré-história eram feitas de pele de animais e era necessário
    trabalhar a pele para que ela ficasse viável de ser usada e não prejudicasse os
    movimentos dos homens que iam à caça. Era necessário tentar dar-lhes forma e
    torná-las maleáveis, uma vez que secas também ficavam muito duras e de difícil
    trato.
  Ambas as técnicas não eram de todo eficientes e com o tempo foram evoluindo. O
    primeiro passo foi o uso de óleos de animais que mantinham as peles maleáveis por
    mais tempo, pois demoravam mais para secar. Até que finalmente se descobriu as
    técnicas de curtimento, quando se passou a usar o ácido tânico (tanino) contido na
    casca de determinadas árvores (carvalho e salgueiro) para tornar as peles
    permanentemente maleáveis e também impermeáveis. Essas peles eram presas ao
    corpo com as próprias garras dos animais, usando-se nervos, tendões e até fios da
    crina ou do rabo do cavalo. Neste período, as peles que eram colocadas no ombro do
    homem primitivo impediam-lhe os movimentos.
 Ainda no período da pré-história, se tem início a fabricação de tecidos, mesmo que
    ainda de forma artesanal e primitiva. Com o tempo os avanços e aprimoramentos
    foram surgindo tornando possível a produção de peças como saiotes adornados com
    franjas, conchas, sementes, pedras coloridas, garras e dentes de animais. E foi a partir
    das necessidades físicas humanas que as diferentes formas do vestuário evoluíram
Comentário sobre o

   trabalho:

    O grupo focou seu trabalho com
    coisas naturais:
    folhas, pedras, madeira, cipó, e
    conchas. Tentando traduzir o ser
    humano pré-histórico no estilo mais
    tropical, sem pele de animais. Foi
    um processo fácil leve e divertido.
Egito
            
        •   A civilização egípcia é datada do ano 4000 a.c e
            se desenvolveu às margens do rio Nilo;
        •   A escrita egípcia foi algo importante para este
            povo, pois permitiu a divulgação de ideias e
            comunicação;
        •   O rio Nilo tem grande importância para essa
            sociedade com pouca ocorrência de chuvas.
            Através do Nilo, os egípcios tinham
            possibilidade            de             transportar
            mercadorias,     pessoas,     podiam      consumir
            água, pescar e ainda cultivar hortaliças.
        •   A religião egípcia era repleta de mitos e crenças
            interessantes, acreditavam na existência de
            muitos deuses;
Vestuário egípcio
             
No Antigo Egito símbolos de vaidade, beleza e ostentação, sempre foram
   características marcantes de seu povo. Mesmo os menos afortunados
   gostavam de usar uma série de adereços por eles criados para marcar suas
   relações sociais e do dia-a-dia. Acessórios ricamente ornamentados são uma
   das características principais do Egito Antigo.

A roupa era basicamente saiotes plissados amarrados ao corpo, feitos de linho. Os
    faraós, além do saiote curto, usavam para cobrir todo o corpo com uma capa
    de pele de leopardo curtida, que incluía as quatro patas e a calda do animal. As
    próprias garras do bicho eram usadas como presilha.

A principal cor usada é branco, pela dificuldade de tingimento do tecido, cores
    como vermelho, tinham tintas extraídas da flor do açafrão, enquanto que o
    azul era obtido do índigo. Bordas coloridas e bordadas são vistas
    posteriormente, com faixas coloridas mais largas colocadas em ambos os
    lados de uma série de riscos mais finos foi uma combinação muito popular.
Comentário sobre o trabalho:



                              Contendo
                               desenhos que
                               representavam
                               partes da história
                               egípcia, como a
                               flor de
                               Lótus, pedras
                               formando o Rio
                               Nilo, tentamos
                               representar o
                               típico vestuário
                               egípcio
                               principalmente na
                               cor dourada, usada
                               pela classe mais
                               abastada;
Comentário sobre o


        trabalho:


    A inspiração para esse
    trabalho veio a partir de
    Cleópatra, com suas roupas e
    acessórios muito
    ornamentados. Criamos uma
    espécie de colar, todo
    bordado com muitas pedras e
    cores .
Grécia
         
         • A civilização grega surgiu entre os
           mares Egeu, Jônico e
           Mediterrâneo, tem um litoral muito
           recortado e inúmeras ilhas. Surgimento
           em 2000 a.C. e perdurou até e 100 a.C.

         • Quando se fala em Grécia, se fala em
           filosofia, em arte, em democracia, em
           apurado padrão estético.

         •    No período de apogeu de sua
             cultura, teve como centro de sua
             organização política as Cidades-
             Estados.

         • Crença politeísta
Vestuário Grego
             
A indumentária grega se destacou pelos seus elaborados e marcantes
drapeados. Não havia um caráter erótico ligado às roupas, mas sim uma
grande preocupação estética. A peça mais característica de sua indumentária
era uma túnica feita com um grande retângulo de tecido. Era colocada no
corpo presa sobre os ombros e embaixo dos braços, sendo uma das laterais
fechada e a outra aberta, pendendo em cascata. No ombro era preso por
broches (Fíbula) e alfinetes e na cintura por cintos e cordões. O linho era o
tecido mais usado, seguido pela lã. Os pés estavam quase sempre
descalços, mas quando havia calçados, eram as sandálias presas por tiras nos
pés e pernas. A respeito das cores, a túnica era comumente tingida e usada
colorida, ao contrário do que muitos pensam. O único lugar em que era
obrigatório usar branco era o teatro, que por ser considerado sagrado, exigia
um tom de pureza. Com o passar do tempo, esta peça evoluiu de um único
retângulo para duas partes costuradas, por vezes com manga. Em
complementação à ela os gregos usavam mantos. Para os homens havia a
uma capa curta, feita de lã grossa que era a capa militar; e outra, roupa
civil, mais ampla e usada em dias frios. O manto das mulheres era bem
comprido, chegando aos pés.
Comentário sobre o

        trabalho:

    Procuramos buscar a estética
    grega do período clássico, com
    leves      drapeados,       sem
    costuras,     apenas        com
    amarrações no ombro.         No
    cabelo fizemos uma leve
    representação do que seria o
    cabelo grego, tiaras finas sobre
    a cabeça, juntamente com
    folhas.
Roma
 
 • Suas origens remontam ao século VII a.C.
   quando os Latinos ocuparam as terras
   férteis nas proximidades do rio Tibre.
 • Tornou-se um dos maiores impérios da
   antiguidade. Até nos dias atuais herdamos
   uma série de características culturais.
 • O direito romano, até hoje está presente na
   cultura ocidental, assim como o latim, que
   deu          origem          a          língua
   portuguesa, francesa, italiana e espanhola.
 • A cultura romana foi influenciada pela
   cultura grega.
vestuário romano
          
A civilização romana é considerada a mais rica da Antiguidade
e, naturalmente, suas vestimentas são elementos que ajudam a reforçar
essa condição. Os romanos do sexo masculino vestiam-se com a túnica e
por cima dela usavam outra bastante drapeada, e esta foi a peça que
mais caracterizou a indumentária deste povo. A túnica usada por cima
era muito volumosa, e quanto mais volume mais nítido era o
pertencimento à classe mais alta da sociedade, mais prestígio tinha seu
usuário. Geralmente era de lã e em formato de semicírculo. Pessoas
menos favorecidas e soldados do exército em geral usavam apenas a
túnica simples de baixo. Existiam diferentes tipos de túnicas, conforme a
função social e a idade de quem as vestiam. Outra Toga de sucesso era a
brilhante: era passado sobre o tecido um giz branco que a deixava
brilhando, usada pelos candidatos a cargos públicos para chamar
atenção durante seus discursos. A indumentária era muito normatizada
e quem infringisse suas regras era punido. Por exemplo um senador
romano que não fosse vestido com a toga corretamente ao senado
poderia ser preso.
Comentário sobre o
    trabalho :
   Criamos uma sandália
    romana, feita de courino
    e com a base de uma
    rasteirinha real.
    Primeiro pintamos com
    spray a base, e depois
    fizemos o design da
    sandália. Por ultimo
    foram feitos costurados
    dos botões dourados. O
    resultado foi uma
    sandália que apesar de
    ser inspirada na Roma
    antiga, poderia
    perfeitamente ser um
    objeto contemporâneo.
Idade Média
     
   • Teve início no século V, na Europa, com as
     invasões bárbaras sobre o Império Romano
     do Ocidente, estendendo-se até o século XV.

   • É      caracterizada     pela     economia
     ruralizada,                enfraquecimento
     comercial,      supremacia     da    Igreja
     Católica, sistema de produção feudal e
     sociedade hierarquizada.
Vestuário na idade
         média
           
Na indumentária, era nítida a diferença em luxo e ostentação em relação ao
Império Bizantino. A justificativa poderia ser meramente econômica, visto que
a Europa ocidental não estava em plena expansão econômico quanto a Europa
Oriental. A grande diferença entre mais e menos favorecidos estava nos tecidos
utilizados e ornamentos empregados, uma vez que os cortes eram
praticamente os mesmos. A seda era nobre, mas também eram usados lã.
Os camponeses ficavam com as discretas e sóbrias. A túnica foi muito usada
por homens, sendo a dos mais ricos na altura da panturrilha e dos menos ricos
na altura dos joelhos e era presa ao corpo por um cinto. Por cima dela usavam
uma capa semicircular atada ao ombro por um broche e era forrada de pele
para dias frios. Usavam os calções por baixo das túnicas que eram amarrados
por tiras de tecido na perna, quando compridos. Ainda estavam presentes
capas com capuzes e placas metálicas cobrindo túnicas para dar proteção nas
batalhas.
Já as mulheres usavam túnicas com ou sem mangas vestidas pela
cabeça, presas ao ombro por broches e atadas à cintura por um cinto. Sobre os
ombros usavam um lenço, e também usavam um manto longo que podia
chegar ao comprimento da própria túnica. Para ambos os sexos os cabelos
eram longos e para as mulheres em geral presos. Os calçados eram de couro
para ambos e saíam tiras para serem cruzadas e amarradas nas pernas.
Gótico
  
•   Desenvolveu-se na Europa, período da
    Baixa Idade Média, especialmente na
    França, no florescer do Renascimento do
    Século XII – uma era de transformações
    políticas, sociais, culturais e econômicas
    que ocorreu na Europa Ocidental.
•   É conhecido como Arte
    Francesa, quando se contrapõe aos
    valores renascentistas, ou seja, em seu
    declínio.
•   Arte das Catedrais;
•   Surge o Realismo nas obras de artes e
    esculturas;
Vestuário gótico
            
A silhueta que predominou foi verticalizada e magra, um reflexo da
vista na arquitetura. As mangas cresceram muito e ficaram muito
amplas na altura dos punhos. Eram usados também pelas
mulheres, chapéus em forma de cone ou chifres, afunilados no
topo, onde caia um véu e foi difundido o uso da Barbette, banda de
tecido que passava sobre o queixo e era presa no alto da cabeça sob os
penteados.
Um aspecto interessante foi um início de diferenciação da
indumentária de homens e mulheres: as masculinas encurtaram e as
femininas permaneceram compridas, tocando o chão. Os homens
usaram meias coloridas, às vezes uma perna diferente da outra.
Usaram os calções longos, e o encurtamento da túnica deu origem ao
Gibão. Com o tempo os calções foram encurtando deixando as pernas
cobertas pelas meias que ficaram bastante aparentes. Os sapatos de
bico pontudo ficaram comuns e quanto maior o grau de
nobreza, maior o bico. Neste período a aristocracia fabricava suas
roupas em alfaiates.
Comentário sobre o


    trabalho:

    Inspirado no estilo gótico
    criamos uma roupinha para a
    boneca Barbie. A ideia
    principal foi criar um vestido
    que contextualizasse essa
    época da história, com
    bastante volume na parte de
    baixo e leve decote com
    rendas e uma capa com
    mangas do estilo “morcego”.
Comentário sobre o

   trabalho:

    Depois, finalizamos os
    detalhes com um cinto de
    brilhantes e o típico chapéu
    gótico em forma de cone.
Renascimento
     
      • Intensificou-se, na Europa durante os
        séculos XV e XVI;
      • Valorização da cultura greco-romana;
      • As qualidades mais valorizadas no ser
        humano passaram a ser a
        inteligência, o conhecimento e o dom
        artístico;
      • Antropocentrismo: o homem passa a
        ser o principal personagem;
      • Diferentemente da Idade Média, onde
        a vida so homem deveria estar
        centrada em Deus (teocentrismo);
      • Valorização da razão e natureza;
Vestuário
             Renascentista
                   
A indumentária mudou bastante, tornando-se mais requintada. As cidades italianas
passaram a fabricar tecidos de alta qualidade, como veludos, brocados, cetins e sedas. Na
indumentária masculina, bastante colorida, chamativa e mais expansiva do que a
feminina, o que caracterizou o período foi o Gibão -que, traduzido para os dias de
hoje, seria o nosso paletó.
 Inicialmente este período deixou se revelar profundos decotes que, no entanto, com o
tempo foram sendo velados. Passou-se, então, a ser usado, tanto por homens quanto por
mulheres, certo efeito de acabamento no pescoço, um tipo de gola chamada Rufo. Os
rufos eram confeccionados com um tecido fino engomado, geralmente branco e às vezes
de renda, formando uma enorme roda em torno do pescoço, atingindo proporções
inimagináveis com o passar do tempo. Este acessório estava ligado a um alto status
social, uma vez que chegava a impedir os movimentos que quem a usasse.
As formas, de modo geral, vão ficando arredondadas, expandindo-se
lateralmente, buscando horizontalidade. Para as mulheres foi comum o uso do vestido
Vertugado. Este era rígido na parte superior e da cintura para baixo se abria em formato
de cone, sem efeito de movimento, mais rijo ainda, impedindo os livres movimentos. As
mangas, muitas vezes, eram longas e largas e quase tocavam o chão. Nesta composição
ainda entravam os Landsknecht (efeito de talhadas nos tecidos, produzindo cortes na
camada superior e deixando aparecer o de baixo) e o Rufo. Os cabelos eram usados
parecidos com os do período anterior, com adornos rendados, pérolas, tranças enroladas
e o hábito de raspar os cabelos do alto da testa, já visto no final da Idade
Comentário sobre


    o trabalho:

    Buscamos inspiração no
    cabelo renascentista, que
    era muito ornamentado.
    Com tranças e
    coques, criamos duas
    tiaras, uma de couro
    dourado com botões, e a
    outra de brilhantes, os
    duas aplicadas na linha
    da testa.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

INDUMENTÁRIA - CONCEITOS E EVOLUÇÃO v.02
INDUMENTÁRIA - CONCEITOS E EVOLUÇÃO v.02INDUMENTÁRIA - CONCEITOS E EVOLUÇÃO v.02
INDUMENTÁRIA - CONCEITOS E EVOLUÇÃO v.02Odair Tuono
 
10 ícones que inspiraram na moda dos anos 50
10 ícones que inspiraram na moda dos anos 5010 ícones que inspiraram na moda dos anos 50
10 ícones que inspiraram na moda dos anos 50Eun Mi Kim
 
Segmentação do Mercado de Vestuário - Moda
Segmentação do Mercado de Vestuário - ModaSegmentação do Mercado de Vestuário - Moda
Segmentação do Mercado de Vestuário - ModaDébora Cseri
 
MODA - SÉCULO XX
MODA - SÉCULO XXMODA - SÉCULO XX
MODA - SÉCULO XXOdair Tuono
 
Processos produtivos da ind_da_moda
Processos produtivos da ind_da_modaProcessos produtivos da ind_da_moda
Processos produtivos da ind_da_modaNilzeth Gusmao
 
História da Arte
História da ArteHistória da Arte
História da ArteJaiza Nobre
 
Aula História da Arte_As funções da arte
Aula História da Arte_As funções da arteAula História da Arte_As funções da arte
Aula História da Arte_As funções da arteLila Donato
 
O que é arte?!
O que é arte?!O que é arte?!
O que é arte?!Mary Lopes
 

Mais procurados (20)

Moda das décadas
Moda das décadasModa das décadas
Moda das décadas
 
INDUMENTÁRIA - CONCEITOS E EVOLUÇÃO v.02
INDUMENTÁRIA - CONCEITOS E EVOLUÇÃO v.02INDUMENTÁRIA - CONCEITOS E EVOLUÇÃO v.02
INDUMENTÁRIA - CONCEITOS E EVOLUÇÃO v.02
 
10 ícones que inspiraram na moda dos anos 50
10 ícones que inspiraram na moda dos anos 5010 ícones que inspiraram na moda dos anos 50
10 ícones que inspiraram na moda dos anos 50
 
Segmentação do Mercado de Vestuário - Moda
Segmentação do Mercado de Vestuário - ModaSegmentação do Mercado de Vestuário - Moda
Segmentação do Mercado de Vestuário - Moda
 
O pontilhismo
O pontilhismoO pontilhismo
O pontilhismo
 
MODA - SÉCULO XX
MODA - SÉCULO XXMODA - SÉCULO XX
MODA - SÉCULO XX
 
Arte pre historia
Arte pre historiaArte pre historia
Arte pre historia
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
 
Processos produtivos da ind_da_moda
Processos produtivos da ind_da_modaProcessos produtivos da ind_da_moda
Processos produtivos da ind_da_moda
 
Fibras texteis
Fibras texteisFibras texteis
Fibras texteis
 
A história da fotografia
A história da fotografiaA história da fotografia
A história da fotografia
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
 
Danças brasileiras
Danças brasileirasDanças brasileiras
Danças brasileiras
 
Artes Visuais
Artes VisuaisArtes Visuais
Artes Visuais
 
Arte e artesanato
Arte e artesanatoArte e artesanato
Arte e artesanato
 
História da Arte
História da ArteHistória da Arte
História da Arte
 
Arte egípcia
Arte egípciaArte egípcia
Arte egípcia
 
Aula História da Arte_As funções da arte
Aula História da Arte_As funções da arteAula História da Arte_As funções da arte
Aula História da Arte_As funções da arte
 
O que é arte?!
O que é arte?!O que é arte?!
O que é arte?!
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 

Destaque

SÉCULO XX - ANOS 20 A 40
SÉCULO XX - ANOS 20 A 40SÉCULO XX - ANOS 20 A 40
SÉCULO XX - ANOS 20 A 40Odair Tuono
 
SÉCULO XX - ANOS 70 AOS FINAL DO ANOS 90.
SÉCULO XX - ANOS 70 AOS FINAL DO ANOS 90.SÉCULO XX - ANOS 70 AOS FINAL DO ANOS 90.
SÉCULO XX - ANOS 70 AOS FINAL DO ANOS 90.Odair Tuono
 
A historia da moda
A historia da modaA historia da moda
A historia da modavictorialais
 
História da Moda - Período e Contexto
História da Moda - Período e ContextoHistória da Moda - Período e Contexto
História da Moda - Período e Contextoformatura
 
Historia da moda anos 80 - cristina aguiar
Historia da moda   anos 80 - cristina aguiarHistoria da moda   anos 80 - cristina aguiar
Historia da moda anos 80 - cristina aguiarCristina Aguiar
 
A moda anos 70 rose mary sena guedes senac 2015
A moda anos 70 rose mary sena guedes senac 2015A moda anos 70 rose mary sena guedes senac 2015
A moda anos 70 rose mary sena guedes senac 2015Mary Guedes
 

Destaque (11)

Eras da qualidade
Eras da qualidadeEras da qualidade
Eras da qualidade
 
Idade média
Idade médiaIdade média
Idade média
 
SÉCULO XX - ANOS 20 A 40
SÉCULO XX - ANOS 20 A 40SÉCULO XX - ANOS 20 A 40
SÉCULO XX - ANOS 20 A 40
 
A Evolução da Moda
A Evolução da ModaA Evolução da Moda
A Evolução da Moda
 
SÉCULO XX - ANOS 70 AOS FINAL DO ANOS 90.
SÉCULO XX - ANOS 70 AOS FINAL DO ANOS 90.SÉCULO XX - ANOS 70 AOS FINAL DO ANOS 90.
SÉCULO XX - ANOS 70 AOS FINAL DO ANOS 90.
 
Moda
ModaModa
Moda
 
A historia da moda
A historia da modaA historia da moda
A historia da moda
 
História da Moda - Período e Contexto
História da Moda - Período e ContextoHistória da Moda - Período e Contexto
História da Moda - Período e Contexto
 
Historia da moda anos 80 - cristina aguiar
Historia da moda   anos 80 - cristina aguiarHistoria da moda   anos 80 - cristina aguiar
Historia da moda anos 80 - cristina aguiar
 
A moda anos 70 rose mary sena guedes senac 2015
A moda anos 70 rose mary sena guedes senac 2015A moda anos 70 rose mary sena guedes senac 2015
A moda anos 70 rose mary sena guedes senac 2015
 
os anos 20
os anos 20os anos 20
os anos 20
 

Semelhante a Moda Através dos Séculos

Semelhante a Moda Através dos Séculos (20)

Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
 
Egito antigo2016
Egito antigo2016Egito antigo2016
Egito antigo2016
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
 
Egitoslide 130223211954-phpapp01
Egitoslide 130223211954-phpapp01Egitoslide 130223211954-phpapp01
Egitoslide 130223211954-phpapp01
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
 
Viajando no mundo da arte
Viajando no mundo da arteViajando no mundo da arte
Viajando no mundo da arte
 
Egito Antigo - 6ºAno Colégio Piaget
Egito Antigo - 6ºAno Colégio PiagetEgito Antigo - 6ºAno Colégio Piaget
Egito Antigo - 6ºAno Colégio Piaget
 
Ativ 7.5 publicando sua apresentação
Ativ 7.5 publicando sua apresentaçãoAtiv 7.5 publicando sua apresentação
Ativ 7.5 publicando sua apresentação
 
Pré Historia ao Oriente
Pré Historia ao OrientePré Historia ao Oriente
Pré Historia ao Oriente
 
Egito antigo - Colégio Piaget - 6º Ano
Egito antigo - Colégio Piaget - 6º AnoEgito antigo - Colégio Piaget - 6º Ano
Egito antigo - Colégio Piaget - 6º Ano
 
O Egito Antigo
O  Egito AntigoO  Egito Antigo
O Egito Antigo
 
ATIV 7.5 PUBLICANDO SUA APRESENTAÇÃO
ATIV 7.5 PUBLICANDO SUA APRESENTAÇÃOATIV 7.5 PUBLICANDO SUA APRESENTAÇÃO
ATIV 7.5 PUBLICANDO SUA APRESENTAÇÃO
 
PS02 PRÉ HISTÓRIA E ORIENTE ANTIGO
PS02 PRÉ HISTÓRIA E ORIENTE ANTIGOPS02 PRÉ HISTÓRIA E ORIENTE ANTIGO
PS02 PRÉ HISTÓRIA E ORIENTE ANTIGO
 
Civilização Egípcia
Civilização EgípciaCivilização Egípcia
Civilização Egípcia
 
Egito 6 ano
Egito 6 anoEgito 6 ano
Egito 6 ano
 
Egito 6 ano
Egito 6 anoEgito 6 ano
Egito 6 ano
 
Pp Egipto (1)
Pp Egipto (1)Pp Egipto (1)
Pp Egipto (1)
 

Moda Através dos Séculos

  • 1. Universidade Feevale História da Arte e da indumentária- 2m gisele becker Moda Através Dos Séculos Por Lais Reschke e Cindy Furtado
  • 3. Pré-História  • Os únicos registros são as pinturas rupestres encontradas nas paredes das cavernas. • A racionalidade e o comportamento do ser humano são guiados pelo instinto. Paleolítico: Até 10.000 A.C • Nômade • Vive da caça e da pesca • Utiliza-se de pele, lã, ossos, e dentes como vestuário. Neolítico: Até 5.000 A.C • Sedentário • Surgimento da tecelagem Idade dos Metais: • Domínio da técnica de manipulação do metal
  • 4. Vestuário na Pré-História  As roupas do homem da pré-história eram feitas de pele de animais e era necessário trabalhar a pele para que ela ficasse viável de ser usada e não prejudicasse os movimentos dos homens que iam à caça. Era necessário tentar dar-lhes forma e torná-las maleáveis, uma vez que secas também ficavam muito duras e de difícil trato. Ambas as técnicas não eram de todo eficientes e com o tempo foram evoluindo. O primeiro passo foi o uso de óleos de animais que mantinham as peles maleáveis por mais tempo, pois demoravam mais para secar. Até que finalmente se descobriu as técnicas de curtimento, quando se passou a usar o ácido tânico (tanino) contido na casca de determinadas árvores (carvalho e salgueiro) para tornar as peles permanentemente maleáveis e também impermeáveis. Essas peles eram presas ao corpo com as próprias garras dos animais, usando-se nervos, tendões e até fios da crina ou do rabo do cavalo. Neste período, as peles que eram colocadas no ombro do homem primitivo impediam-lhe os movimentos. Ainda no período da pré-história, se tem início a fabricação de tecidos, mesmo que ainda de forma artesanal e primitiva. Com o tempo os avanços e aprimoramentos foram surgindo tornando possível a produção de peças como saiotes adornados com franjas, conchas, sementes, pedras coloridas, garras e dentes de animais. E foi a partir das necessidades físicas humanas que as diferentes formas do vestuário evoluíram
  • 5. Comentário sobre o  trabalho: O grupo focou seu trabalho com coisas naturais: folhas, pedras, madeira, cipó, e conchas. Tentando traduzir o ser humano pré-histórico no estilo mais tropical, sem pele de animais. Foi um processo fácil leve e divertido.
  • 6. Egito  • A civilização egípcia é datada do ano 4000 a.c e se desenvolveu às margens do rio Nilo; • A escrita egípcia foi algo importante para este povo, pois permitiu a divulgação de ideias e comunicação; • O rio Nilo tem grande importância para essa sociedade com pouca ocorrência de chuvas. Através do Nilo, os egípcios tinham possibilidade de transportar mercadorias, pessoas, podiam consumir água, pescar e ainda cultivar hortaliças. • A religião egípcia era repleta de mitos e crenças interessantes, acreditavam na existência de muitos deuses;
  • 7. Vestuário egípcio  No Antigo Egito símbolos de vaidade, beleza e ostentação, sempre foram características marcantes de seu povo. Mesmo os menos afortunados gostavam de usar uma série de adereços por eles criados para marcar suas relações sociais e do dia-a-dia. Acessórios ricamente ornamentados são uma das características principais do Egito Antigo. A roupa era basicamente saiotes plissados amarrados ao corpo, feitos de linho. Os faraós, além do saiote curto, usavam para cobrir todo o corpo com uma capa de pele de leopardo curtida, que incluía as quatro patas e a calda do animal. As próprias garras do bicho eram usadas como presilha. A principal cor usada é branco, pela dificuldade de tingimento do tecido, cores como vermelho, tinham tintas extraídas da flor do açafrão, enquanto que o azul era obtido do índigo. Bordas coloridas e bordadas são vistas posteriormente, com faixas coloridas mais largas colocadas em ambos os lados de uma série de riscos mais finos foi uma combinação muito popular.
  • 8. Comentário sobre o trabalho:  Contendo desenhos que representavam partes da história egípcia, como a flor de Lótus, pedras formando o Rio Nilo, tentamos representar o típico vestuário egípcio principalmente na cor dourada, usada pela classe mais abastada;
  • 9. Comentário sobre o  trabalho: A inspiração para esse trabalho veio a partir de Cleópatra, com suas roupas e acessórios muito ornamentados. Criamos uma espécie de colar, todo bordado com muitas pedras e cores .
  • 10. Grécia  • A civilização grega surgiu entre os mares Egeu, Jônico e Mediterrâneo, tem um litoral muito recortado e inúmeras ilhas. Surgimento em 2000 a.C. e perdurou até e 100 a.C. • Quando se fala em Grécia, se fala em filosofia, em arte, em democracia, em apurado padrão estético. • No período de apogeu de sua cultura, teve como centro de sua organização política as Cidades- Estados. • Crença politeísta
  • 11. Vestuário Grego  A indumentária grega se destacou pelos seus elaborados e marcantes drapeados. Não havia um caráter erótico ligado às roupas, mas sim uma grande preocupação estética. A peça mais característica de sua indumentária era uma túnica feita com um grande retângulo de tecido. Era colocada no corpo presa sobre os ombros e embaixo dos braços, sendo uma das laterais fechada e a outra aberta, pendendo em cascata. No ombro era preso por broches (Fíbula) e alfinetes e na cintura por cintos e cordões. O linho era o tecido mais usado, seguido pela lã. Os pés estavam quase sempre descalços, mas quando havia calçados, eram as sandálias presas por tiras nos pés e pernas. A respeito das cores, a túnica era comumente tingida e usada colorida, ao contrário do que muitos pensam. O único lugar em que era obrigatório usar branco era o teatro, que por ser considerado sagrado, exigia um tom de pureza. Com o passar do tempo, esta peça evoluiu de um único retângulo para duas partes costuradas, por vezes com manga. Em complementação à ela os gregos usavam mantos. Para os homens havia a uma capa curta, feita de lã grossa que era a capa militar; e outra, roupa civil, mais ampla e usada em dias frios. O manto das mulheres era bem comprido, chegando aos pés.
  • 12. Comentário sobre o  trabalho: Procuramos buscar a estética grega do período clássico, com leves drapeados, sem costuras, apenas com amarrações no ombro. No cabelo fizemos uma leve representação do que seria o cabelo grego, tiaras finas sobre a cabeça, juntamente com folhas.
  • 13. Roma  • Suas origens remontam ao século VII a.C. quando os Latinos ocuparam as terras férteis nas proximidades do rio Tibre. • Tornou-se um dos maiores impérios da antiguidade. Até nos dias atuais herdamos uma série de características culturais. • O direito romano, até hoje está presente na cultura ocidental, assim como o latim, que deu origem a língua portuguesa, francesa, italiana e espanhola. • A cultura romana foi influenciada pela cultura grega.
  • 14. vestuário romano  A civilização romana é considerada a mais rica da Antiguidade e, naturalmente, suas vestimentas são elementos que ajudam a reforçar essa condição. Os romanos do sexo masculino vestiam-se com a túnica e por cima dela usavam outra bastante drapeada, e esta foi a peça que mais caracterizou a indumentária deste povo. A túnica usada por cima era muito volumosa, e quanto mais volume mais nítido era o pertencimento à classe mais alta da sociedade, mais prestígio tinha seu usuário. Geralmente era de lã e em formato de semicírculo. Pessoas menos favorecidas e soldados do exército em geral usavam apenas a túnica simples de baixo. Existiam diferentes tipos de túnicas, conforme a função social e a idade de quem as vestiam. Outra Toga de sucesso era a brilhante: era passado sobre o tecido um giz branco que a deixava brilhando, usada pelos candidatos a cargos públicos para chamar atenção durante seus discursos. A indumentária era muito normatizada e quem infringisse suas regras era punido. Por exemplo um senador romano que não fosse vestido com a toga corretamente ao senado poderia ser preso.
  • 15. Comentário sobre o trabalho :  Criamos uma sandália romana, feita de courino e com a base de uma rasteirinha real. Primeiro pintamos com spray a base, e depois fizemos o design da sandália. Por ultimo foram feitos costurados dos botões dourados. O resultado foi uma sandália que apesar de ser inspirada na Roma antiga, poderia perfeitamente ser um objeto contemporâneo.
  • 16. Idade Média  • Teve início no século V, na Europa, com as invasões bárbaras sobre o Império Romano do Ocidente, estendendo-se até o século XV. • É caracterizada pela economia ruralizada, enfraquecimento comercial, supremacia da Igreja Católica, sistema de produção feudal e sociedade hierarquizada.
  • 17. Vestuário na idade média  Na indumentária, era nítida a diferença em luxo e ostentação em relação ao Império Bizantino. A justificativa poderia ser meramente econômica, visto que a Europa ocidental não estava em plena expansão econômico quanto a Europa Oriental. A grande diferença entre mais e menos favorecidos estava nos tecidos utilizados e ornamentos empregados, uma vez que os cortes eram praticamente os mesmos. A seda era nobre, mas também eram usados lã. Os camponeses ficavam com as discretas e sóbrias. A túnica foi muito usada por homens, sendo a dos mais ricos na altura da panturrilha e dos menos ricos na altura dos joelhos e era presa ao corpo por um cinto. Por cima dela usavam uma capa semicircular atada ao ombro por um broche e era forrada de pele para dias frios. Usavam os calções por baixo das túnicas que eram amarrados por tiras de tecido na perna, quando compridos. Ainda estavam presentes capas com capuzes e placas metálicas cobrindo túnicas para dar proteção nas batalhas. Já as mulheres usavam túnicas com ou sem mangas vestidas pela cabeça, presas ao ombro por broches e atadas à cintura por um cinto. Sobre os ombros usavam um lenço, e também usavam um manto longo que podia chegar ao comprimento da própria túnica. Para ambos os sexos os cabelos eram longos e para as mulheres em geral presos. Os calçados eram de couro para ambos e saíam tiras para serem cruzadas e amarradas nas pernas.
  • 18. Gótico  • Desenvolveu-se na Europa, período da Baixa Idade Média, especialmente na França, no florescer do Renascimento do Século XII – uma era de transformações políticas, sociais, culturais e econômicas que ocorreu na Europa Ocidental. • É conhecido como Arte Francesa, quando se contrapõe aos valores renascentistas, ou seja, em seu declínio. • Arte das Catedrais; • Surge o Realismo nas obras de artes e esculturas;
  • 19. Vestuário gótico  A silhueta que predominou foi verticalizada e magra, um reflexo da vista na arquitetura. As mangas cresceram muito e ficaram muito amplas na altura dos punhos. Eram usados também pelas mulheres, chapéus em forma de cone ou chifres, afunilados no topo, onde caia um véu e foi difundido o uso da Barbette, banda de tecido que passava sobre o queixo e era presa no alto da cabeça sob os penteados. Um aspecto interessante foi um início de diferenciação da indumentária de homens e mulheres: as masculinas encurtaram e as femininas permaneceram compridas, tocando o chão. Os homens usaram meias coloridas, às vezes uma perna diferente da outra. Usaram os calções longos, e o encurtamento da túnica deu origem ao Gibão. Com o tempo os calções foram encurtando deixando as pernas cobertas pelas meias que ficaram bastante aparentes. Os sapatos de bico pontudo ficaram comuns e quanto maior o grau de nobreza, maior o bico. Neste período a aristocracia fabricava suas roupas em alfaiates.
  • 20. Comentário sobre o  trabalho: Inspirado no estilo gótico criamos uma roupinha para a boneca Barbie. A ideia principal foi criar um vestido que contextualizasse essa época da história, com bastante volume na parte de baixo e leve decote com rendas e uma capa com mangas do estilo “morcego”.
  • 21. Comentário sobre o  trabalho: Depois, finalizamos os detalhes com um cinto de brilhantes e o típico chapéu gótico em forma de cone.
  • 22. Renascimento  • Intensificou-se, na Europa durante os séculos XV e XVI; • Valorização da cultura greco-romana; • As qualidades mais valorizadas no ser humano passaram a ser a inteligência, o conhecimento e o dom artístico; • Antropocentrismo: o homem passa a ser o principal personagem; • Diferentemente da Idade Média, onde a vida so homem deveria estar centrada em Deus (teocentrismo); • Valorização da razão e natureza;
  • 23. Vestuário Renascentista  A indumentária mudou bastante, tornando-se mais requintada. As cidades italianas passaram a fabricar tecidos de alta qualidade, como veludos, brocados, cetins e sedas. Na indumentária masculina, bastante colorida, chamativa e mais expansiva do que a feminina, o que caracterizou o período foi o Gibão -que, traduzido para os dias de hoje, seria o nosso paletó. Inicialmente este período deixou se revelar profundos decotes que, no entanto, com o tempo foram sendo velados. Passou-se, então, a ser usado, tanto por homens quanto por mulheres, certo efeito de acabamento no pescoço, um tipo de gola chamada Rufo. Os rufos eram confeccionados com um tecido fino engomado, geralmente branco e às vezes de renda, formando uma enorme roda em torno do pescoço, atingindo proporções inimagináveis com o passar do tempo. Este acessório estava ligado a um alto status social, uma vez que chegava a impedir os movimentos que quem a usasse. As formas, de modo geral, vão ficando arredondadas, expandindo-se lateralmente, buscando horizontalidade. Para as mulheres foi comum o uso do vestido Vertugado. Este era rígido na parte superior e da cintura para baixo se abria em formato de cone, sem efeito de movimento, mais rijo ainda, impedindo os livres movimentos. As mangas, muitas vezes, eram longas e largas e quase tocavam o chão. Nesta composição ainda entravam os Landsknecht (efeito de talhadas nos tecidos, produzindo cortes na camada superior e deixando aparecer o de baixo) e o Rufo. Os cabelos eram usados parecidos com os do período anterior, com adornos rendados, pérolas, tranças enroladas e o hábito de raspar os cabelos do alto da testa, já visto no final da Idade
  • 24. Comentário sobre  o trabalho: Buscamos inspiração no cabelo renascentista, que era muito ornamentado. Com tranças e coques, criamos duas tiaras, uma de couro dourado com botões, e a outra de brilhantes, os duas aplicadas na linha da testa.