SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
Baixar para ler offline
CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2016
TEMA: “Casa comum, nossa responsabilidade”
LEMA: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca”.
Neste ano de 2016, o tema de Campanha da Fraternidade será “Casa comum, nossa responsabili-
dade” e o lema bíblico apoia-se em Amós 5,24 que diz: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr
a justiça qual riacho que não seca”.
A Campanha da Fraternidade deste ano tem como objetivo geral “assegurar o direito ao sanea-
mento básico para todas as pessoas e empenharmo-nos, à luz da fé, por políticas públicas e atitu-
des responsáveis que garantam a integridade e o futuro de nossa Casa Comum”.
As reflexões sobre o saneamento básico contidas no texto base demonstram que esse é um
direito humano fundamental e, como todos os outros direitos, requer a união de esforços entre so-
ciedade civil e poder público no planejamento e na prestação de serviços e de cuidados.
Por isso é uma Campanha Ecumênica, pois a questão do Saneamento afeta não apenas cató-
licos, mas todas as pessoas, independente da fé que professem.
O abastecimento de água potável, o esgoto sanitário, a limpeza urbana, o manejo de resíduos
sólidos, o controle de meios transmissores de doenças e a drenagem de águas pluviais são medi-
das necessárias para que todas as pessoas possam ter saúde e vida dignas.
Por isso, há que se ter em mente que “justiça ambiental” é parte integrante da “justiça social”
João Cerasoli
Pastoral Familiar.
MENSAGEM DO MÊS
Amados irmãos e irmãs em Cristo.
 Agora, muitos estão voltando de suas merecidas férias. Outros já estão em pleno
ritmo de vida, retomados com vigor e entusiasmo. Nossas crianças voltando às aulas.
Mochilas, cadernos, lanches, canetas, lápis, uniformes, os novos amigos e professo-
res.  Enfim, é a vida em sua batida.
Para Igreja o mês de fevereiro é o tempo da quaresma, por essa razão nos convida,
por meio da Campanha da Fraternidade, a uma séria reflexão social sobre o momento
em que estamos vivendo; O tema escolhido para a Campanha é “Casa comum, nossa
responsabilidade”, e o lema, “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual
riacho que não seca” (Am 5.24).
Nesse sentido viremos refletir a partir de um problema que afeta o meio ambiente e a
vida de todos os seres vivos, que é a fragilidade e, em alguns lugares, a ausência dos serviços de saneamento
básico em nosso país.
Que esse convite neste tempo de conversão, não só transforme nosso coração como ajude a realizar também
a transformação da sociedade em que vivemos.
Que nossos artigos sejam fonte de inspiração e oração para que fortalecidos possamos levar a todos a Boa-
-Nova. Que Deus abençoe e Maria Santíssima esteja sempre a frente.
PASCOM
ASemente
ParóquiaSãoJosé
BragançaPaulista/SP
AnoX-Ediçãonº108-Fevereiro/2016
EDITORIAL
NESTA EDIÇÃO
Página 2
Página 6 e 7
Página 8Página 3 e 4
Página 5
Cajado do Pastor, Palavra do Papa e
Programação da Semana Santa
Coluna Jovem e Outros Artigos
Outros Artigos
Dizimistas Aniversariantes,
Agenda e Programação da
Novena de São José
Aconteceu na Matriz e nas Comunidades
Queridos amigos paroquianos de São José diante da neces-
sidade de promover esforços para enfrentar situações como a
pobreza, fome, desemprego e exclusão social as Organizações
das Nações Unidas, (ONU) instituíram o dia  20 de Fevereiro,
a partir de 2009 como o  Dia Mundial da Justiça Social. Com
esse dia, a ONU “reconhece a necessidade de consolidar os
esforços da comunidade internacional na batalha para erradica-
ção da pobreza, promovendo o pleno emprego e trabalho digno,
a igualdade entre gêneros e o acesso ao bem estar social e à
justiça para todos.”
A ONU afirma para que as políticas sociais sejam seguidas
de forma plena, um dos pilares fundamentais é o trabalho em
conjunto da justiça social e educação, pois somente a partir do
acesso à educação, é possível que o ser humano se desen-
volva como cidadão, trazendo condições para o acesso a um
emprego, eliminando todos os preconceitos e discriminações e
promovendo oportunidades de vida para as pessoas, que des-
de criança tem condições de se formar como um adulto pleno.
Outro fator fundamental para a realização da Justiça Social é a
promoção dos direitos humanos, pois esses, quando respeita-
dos, garantem que a população tenha uma vida digna e com
acesso a direitos e liberdades que permitiriam a sua inclusão na
sociedade.
Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
(IBGE) o Brasil é atualmente o quarto país no mundo em desi-
gualdade entre pobres e ricos. Esse dado confirma a existência
no país de uma grande injustiça social. A desigualdade social é
o grande problema é a grande injustiça social que se comete no
Brasil. Desigualdade social significa que alguns têm muitos e
outros têm pouco ou nada, isto  levando em consideração todos
os aspectos da vida social de uma pessoa. Sendo assim po-
deríamos listar alguns itens que reflete bem esse pensamento
como: má distribuição de renda, acesso a educação, acesso a
saúde entre outros. A má distribuição de renda no Brasil é cer-
tamente o principal fator e a razão de tantas injustiças sociais,
pois enquanto alguns detêm boa parte dos recursos, outros fi-
cam com uma parcela muito pequena e às vezes insuficiente
para aquela pessoa se desenvolver.
Porém, como falar de justiça social nos dias de hoje? Ao
falar da justiça social, incluímos a ideia de que nem todos são
iguais, mesmo sendo de um mesmo país ou continente. Pois
bem, reconhecer esta diferença em vez de levar-nos a discri-
minar, ajuda-nos a trabalhar para que o bem-estar alcance a
todas as pessoas de toda a sociedade e em qualquer lugar do
mundo. Falar de justiça social é falar de direitos humanos, é
pensar e fazer o possível para que sejam respeitados os direitos
de homens e mulheres, respeitar a diversidade tanto religiosa,
cultural e política. Falar de justiça social é comprometer-se na
promoção e defesa dos direitos humanos. Falar de justiça so-
cial desafia-nos cada dia, a viver ativamente a nossa cidadania
e assumir as nossas responsabilidades, em primeiro lugar com
a sociedade onde vivemos, favorecendo o desenvolvimento do
país e assim contribuir para fazer possível um mundo mais ha-
bitável para todos.
Papa Francisco é conhecido por sua postura a favor da justi-
ça social, tendo dito em 2007 que: “Vivemos na região (América
Latina) mais desigual do mundo, a que mais cresceu e a que
menos reduziu a miséria. A distribuição injusta de bens persiste,
criando uma situação de pecado social que grita aos céus e li-
mita as possibilidades de vida mais plena para muitos de nossos
irmãos”. Além disso, tal como Francisco de Assis lavava os pés
dos leprosos, Papa Francisco quando então Cardeal Bergoglio
ganhou notoriedade em 2001 ao lavar os pés de 12 doentes
de Aids em visita a um hospital. A justiça social não é “uma for-
ma de esmola”, mas “uma verdadeira dívida” do Estado para
com as famílias, disse Papa Francisco quando de sua visita ao
Equador em julho de 2015. Desde sua eleição como Papa em
março de 2013. Francisco tem mostrado especial interesse em
aproximar a Igreja da periferia e da defesa do meio ambiente. A
geografia de Papa Francisco é a de uma Igreja solidária com o
sofrimento dos povos, sejam ou não católicos, como se viu nas
suas duas encíclicas: “Evangelii Gaudium” e “Laudato Si.”
Papa Francisco em conclusão ao seu discurso aos Movi-
mentos Populares reunidos na Bolivia em 09 de julho de 2015
disse: “O futuro da humanidade não está unicamente nas mãos
dos grandes dirigentes, das grandes potências e das elites. Está
fundamentalmente nas mãos dos povos; na sua capacidade de
se organizarem e também nas suas mãos que regem, com hu-
mildade e convicção, este processo de mudança. Estou con-
vosco. Digamos juntos do fundo do coração: nenhuma família
sem teto, nenhum camponês sem terra, nenhum trabalhador
sem direitos, nenhum povo sem soberania, nenhuma pessoa
sem dignidade, nenhuma criança sem infância, nenhum jovem
sem possibilidades, nenhum idoso sem uma veneranda velhi-
ce. Continuai com a vossa luta e, por favor, cuidai bem da Mãe
Terra. Rezo por vós, rezo convosco e quero pedir a nosso Pai
Deus que vos acompanhe e abençoe, que vos cumule do seu
amor e defenda no caminho concedendo-vos, em abundância,
aquela força que nos mantém de pé: esta força é a esperança,
a esperança que não decepciona. Obrigado! E peço-vos, por
favor, que rezeis por mim.”
Amigos e fiéis de São José, peçamos a Deus para que nós
como Sua Igreja possamos cumprir nossa missão, expressando
o amor e a justiça de Deus ao mostrar bondade e misericórdia
para com os menos afortunados. Que Deus nos ajude e nos
ampare!
Pe. Jeferson Flávio Mengali
Pároco
“O nome de Deus é
misericórdia” é o título do
livro, fruto de uma entrevis-
ta do Papa ao vaticanista
Andrea Tornielli
Amisericórdiaéa“cartei-
ra de identidade” de Deus,
assim diz o Papa Francisco
no livro-entrevista “O nome
de Deus é misericórdia”,
que se encontra a partir
de terça-feira, 12 de janei-
ro, nas livrarias italianas e
em 86 países. A publicação
relata uma entrevista do Pontífice ao jornalista vati-
canista Andrea Tornielli, do cotidiano “La Stampa” e
coordenador do site “Vatican Insider”. Dividido em
nove capítulos e 40 perguntas, o livro – editado pela
Piemme – tem a capa autografada por Francisco. A
primeira cópia do volume, em italiano, foi entregue
ontem à tarde ao Pontífice, na Casa Santa Marta.
A entrevista foi concedida em julho de 2015, após
a visita do Papa à América Latina (Equador, Bolívia
e Paraguai). Francisco recebeu o jornalista Tornielli
na Casa Santa Marta, munido da Bíblia e de cita-
ções dos Padres da Igreja. A misericórdia foi o tema
da conversa, tendo em vista o Jubileu extraordinário
que seria aberto cinco meses depois. Os frutos des-
se diálogo estão no livro lançado hoje. Oração, refle-
xão sobre os Papas precedentes e uma imagem da
Igreja como “hospital de campanha” que “aquece os
corações das pessoas com a proximidade”. Esses
são os três fatores, explica o Papa, que o levaram
a instituir um Jubileu da Misericórdia. “A Igreja não
está no mundo para condenar, mas para permitir o
encontro com o amor visceral que é a misericórdia
de Deus”, refere Francisco, na entrevista ao vatica-
nista italiano. Num dos trechos da obra, divulgado
pela Rádio Vaticano, Francisco diz que também o
Papa é alguém com “necessidade da misericórdia
de Deus” e revela ter uma relação especial com os
presos. “Tenho um especial carinho pelos que vivem
na prisão, privados da liberdade. Fiquei muito ligado
a eles, por esta consciência do meu ser pecador”,
explica, acrescentando que não se sente “melhor”
do que aqueles que estão à sua frente.
Missão da Igreja no mundo - O Papa apresen-
ta a sua visão sobre a missão da Igreja no mundo,
sublinhando que quando “condena o pecado” o faz
porque “deve dizer a verdade”. Ao mesmo tempo,
no entanto, “abraça o pecador que se reconhece
como tal, aproxima-se dele, fala-lhe da misericórdia
infinita de Deus”, à imagem de Jesus, que “perdoou
mesmo os que o crucificaram”. “Seguindo o Senhor,
a Igreja é chamada a derramar a sua misericórdia
sobre todos os que se reconhecem como pecado-
res, responsáveis pelo mal que fizeram que sentem
necessidade do perdão”, observou.
O Ano da Misericórdia - Em relação ao Ano
Santo extraordinário que convocou o Jubileu da Mi-
sericórdia (dezembro de 2015-novembro de 2016),
Francisco espera que a iniciativa permita fazer
emergir um rosto cada vez mais materno da Igreja.
O Papa convida as comunidades católicas a “sair
das igrejas e das paróquias” para ir ao encontro das
pessoas, onde elas vivem, “sofrem e esperam”. “A
Igreja em saída tem a característica de surgir no lo-
cal onde se combate, não é a estrutura sólida, dota-
da de tudo”, mas um “hospital de campanha” no qual
se pratica uma “medicina de urgência”. Nesse senti-
do, deseja que o jubileu extraordinário “faça emergir
cada vez mais o rosto de uma Igreja que redescobre
as vísceras maternas da misericórdia e que vai ao
encontro de tantos feridos necessitados de escuta,
compaixão, perdão, amor”.
http://papa.cancaonova.com/lancado-livro-entre-
vista-do-papa-francisco-sobre-misericordia/
2
O CAJADO
DO PASTOR
DIA MUNDIAL DA JUSTIÇA
SOCIAL - 20 DE FEVEREIRO
PALAVRA DO PAPA
PROGRAMAÇÃO SEMANA SANTA
2
NATAL SOLIDÁRIO NA COMUNIDADE FERNÃO DIAS - E no domingo dia 13 de dezembro aconte-
ceu o Natal Solidário na Comunidade Fernão Dias. Organizado pela equipe de Marinho Faralhi num lindo
projeto chamado VoaNath foram arrecadados brinquedos, bicicletas para sorteio, sacolas de natal com
guloseimas e 40 cestas básicas. E como disse Marinho: “Digo com toda certeza, que a nosso ver, o “bem”
deve ser divulgado, não podemos ter receio de mostrar que é possível melhorar aos menos o seu mundo
próximo. Sabemos que é apenas uma migalha, um grão de areia ou uma estrela numa grande constelação,
mas meus amigos, é desta forma que os milagres acontecem, perto do impossível, do improvável, daquilo
que muitos não acreditam! Obrigado a todos! Fiquem com Deus sempre!”
NOVENA DE NATAL NA MATRIZ - A nossa paróquia durante o mês de dezembro preparou a celebração do nascimento de Jesus através de vários grupos de
novenas. E no sábado dia 19 de dezembro durante a missa das 19h celebrada por Pe. Jeferson Mengali aconteceu o encerramento da Novena.  A Pascom em
nome da nossa Paróquia de São José e de seu pároco Pe. Jeferson Mengali quer agradecer a todos os dirigentes, as pastorais, movimentos e todo o povo de
Deus que se dedicaram nesse trabalho de evangelização. Coragem e fé são necessárias para trilhar os caminhos de Deus! Obrigado pelo empenho e dedicação!
Deus os abençoe!
MISSA DE VÉSPERA DE NATAL E NATAL - E no dia 24 de dezembro as 20h na Igreja São José debaixo de um forte temporal aconteceu a Missa de Vigilia
do Natal celebrada por Pe. Jeferson Mengali que nos recordou que o filho de Deus nasceu na pobreza e isso é uma lição a todos os católicos, que devem per-
manecer com os corações humildes. E no dia de Natal, 25 de dezembro também as 20h Pe. Jeferson nos convida a ter coragem, força, ânimo pois o Salvador já
chegou. Jesus age como Deus pede. É Deus que fala por Jesus é Deus que perdoa em Jesus. Mais uma vez nos convida a participar da sua história. Deus nos
propõe a viver o essencial da vida sem nos ater as coisas que nos afastem dele.
MISSA EM LOUVOR A SAGRADA FAMILIA
E no domingo, dia 27 de dezembro as 10h30, foi
celebrada pelo nosso pároco Pe. Jeferson Mengali
na comunidade São Marcelo - Capela da Sagrada
Família a Santa Missa em louvor a Jesus, Maria
e José. Toda família é sagrada para Deus, por isso
Jesus escolheu nascer na Sagrada Família. A sua
casa, a sua família, é sagrada aos olhos de Deus. 
3
ACONTECEU NA COMUNIDADE
FERNÃO DIAS
ACONTECEU NA PARÓQUIA
ACONTECEU NA
COMUNIDADE SÃO MARCELO
Paul Wax LimpPaul Wax Limp
AGORA MERCADÃO DA LIMPEZA
SUPER ECONOMIA, E NO SEU CARRINHO VÃO
PRODUTOS DE LIMPEZA A PREÇOS BARATOS
PORQUE SOMOS DIFERENCIADOS
Amplo Estacionamento Entrega em Domicílio
Rua Alfredo Ortenzi, 133 - Jardim São José
(Próximo cabeceira da pista do aeroclube)
4032-3815 / 4033-2638 / 9916-5020
EM NOVO ENDEREÇO
Legendas:RitadeCássiaAlmeida–PASCOM
44
MISSA DE FINAL DE ANO - No dia 31 de dezembro aconteceu a missa de Final de Ano na Igreja São
José, às 20:00h, presidida pelo Pe. Jeferson Mengalii. “É um momento de agradecer a Deus pelo Dom da
Vida, e por tudo que vivenciamos durante o ano que passou, e que neste novo ano possamos alcançar a
Paz, Saúde, Felicidade e Conquistas, enfim que seja feita a vontade de Deus em cada dia do ano novo. Que
2016 seja um ano de muita paz e harmonia para todos nós.
MISSA SOLENIDADE A MÃE DE DEUS - E na
sexta feira, dia 01 de janeiro de 2016 tivemos a gra-
ça de participar da Santa Missa dedicada a Maria
Mãe de Deus. Primeiro dia do ano, primeira liturgia
dedicada a Maria, que no III Concilio Ecumênico foi
declarada Santa Maria a Mãe de Deus. Mãe de Je-
sus e de todos os homens.
LANÇAMENTO LIVRO SÃO JORGE O PODER DO SANTO GUERREIRO EM BRASILIA - E durante
o final de semana de 09 e 10 de janeiro , Pe. Jeferson esteve em Brasília/DF para divulgação de seu livro
com várias entrevistas a rádio, inclusive Radio Canção Nova. E no domingo, o padre  lançou o livro “São
Jorge – O Poder do Santo Guerreiro”, às 19h, na Paróquia São Pedro (Taguatinga Sul – DF) logo após a
celebração da Santa Missa.
ACONTECEU NA PARÓQUIA
NATAL DOS VICENTINOS COM SEUS ATENDI-
DOS - Aconteceu no sábado, dia 19 de dezembro
a partir das 9h, no Pátio social da Igreja São José
a distribuição das cestas de natal pelos vicentinos
aos atendidos (30 famílias carentes que mensalmen-
te recebem cestas básicas), foi incluído também um
frango. Foram distribuídas também as sacolinhas
com presentes para as crianças e Papai Noel se fez
presente para alegrar o ambiente. Ao final do evento,
foi servida uma pizza pra todos os presentes, com
sorvetes e refrigerantes. Queremos agradecer a to-
dos que contribuíram que se importa com o próximo
e que ajudam de verdade a quem precisa. Nosso
muito obrigado a todos. 
CONFRATERNIZAÇÃO - Aconteceu no dia 20 de dezembro de 2015 na Comunidade de N. Sra. Apare-
cida, bairro Biriçá do Campinho, uma confraternização com amigo secreto e um delicioso café da manhã,
entre todos os catequistas, ministros, agentes das pastorais e movimentos e pessoal que colabora com as
atividades da comunidade. Foi uma manhã abençoada, em que todos pudemos agradecer a Deus por mais
um ano de trabalho, e pedindo sabedoria e perseverança para o ano que se inicia
Santa Paulina, a Santa que pisou nesse chão, que fez com que o amor, se personificasse em acolhi-
mento aos idosos, que continua seu legado até os dias de hoje, no servir de todos aqueles que se dedicam
a sua missão. A missa de Entronização da Imagem de Santa Paulina aconteceu no dia 19 de Dezembro
de 2015 às 11 horas no Asilo São Vicente de Paulo. Logo após a missa, Pe. Marcelo fez a benção com a
entronização da imagem bem a frente do Asilo. Esteve presente além da congregação fundada pela Santa
Paulina, a diretoria do Asilo, autoridades como o Prefeito Fernão Dias e sua esposa, funcionários, comuni-
dade e todos que se consideram devotos desta Santa que pisou, fundou o Asilo e que muitos podem ter a
oportunidade conhecer sua história, visitando o Asilo do Jardim Público, legado deixado por esta Santa que
viveu em Bragança.
ACONTECEU NA COMUNIDADE
BIRIÇÁ DO CAMPINHO
ENTRONIZAÇAO DA IMAGEM DE
SANTA PAULINA
Legendas:NormaReginadeLimaMazochiPASCOM
Legendas:RitadeCassiaAlmeida-PASOM
A Jornada Mundial da Juventude 2016
2016 já chegou, e com isso cada vez mais a JMJ
de Cracóvia fica mais próxima! Vou contar um pou-
quinho das novidades para todo mundo ficar por
dentro e continuar acompanhando.
De acordo com uma matéria publicada no site
Cristo Jovem, o Cardeal Stanislaw Rylko, devido ao
Jubileu da Misericórdia, Cracóvia terá a Porta Santa
simbólica instalada no “Campus Misericordiae”, local
onde ocorrerá a vigília e a missa de encerramento
da JMJ com o Papa Francisco.
Segundo o cardeal, o Santo Padre passará pela
Porta no início da vigília de oração do dia 30 de julho
(sábado), acompanhado por alguns jovens. Já no
dia 31 (domingo), o Papa entregará a cinco casais
de jovens dos cinco continentes, após a eucaristia,
lâmpadas acesas com símbolo do fogo que trouxe a
misericórdia de Cristo. Assim, enviará os jovens de
todo o mundo como testemunhas e missionários da
Divina Misericórdia.
“A JMJ de Cracóvia será verdadeiramente um Ju-
bileu dos jovens a nível mundial!”, disse ainda o Car-
deal Rylko que referiu ainda que “um dos epicentros
espiritual da JMJ será o Santuário da Divina Miseri-
córdia e de Santa Faustina Kowalska – conhecida
como ‘Apóstola da Misericórdia’ – inaugurado em
2002 por um grande promotor desta devoção: São
João Paulo II”.
Lindo isso, não é mesmo?! Tudo muito bem pen-
sado e ‘amarrado’ para tocar cada jovem de maneira
memorável.
Outra informação importante de contar é os Pa-
cotes do Peregrino. Estes variam de acordo com a
disponibilidade de permanência do peregrino na Jor-
nada Mundial da Juventude.
São 3 tipos principais (A, B e C) que são subdi-
vididos em pacotes. O Tipo A é para quem deseja
ficar a semana toda (de 25/07/2016 a 01/08/2016),
o Tipo B para quem quer ficar só o final de semana
(de 29/07/2016 a 01/08/2016), e o Tipo C é somente
a vigília e Missa final (de 30/07/2016 e 31/07/2016).
Segue abaixo o que tem em cada pacote e os va-
lores (tabelas retiradas diretamente do site da JMJ
Cracóvia 2016):
Quem tiver interesse em ir, a Diocese de Bra-
gança tem um grupo que está organizando. Este
irá participar da Semana Missionária (assim como
houve aqui no Brasil em 2013), em que os jovens
vão uma semana antes para a Jornada e ficam Var-
sóvia, na Diocese de lá. E durante os dias de folga,
os jovens poderão visitar o campo de concentração
de Auschwitz e os pontos turísticos onde ocorreu
a Segunda Guerra Mundial. Na outra semana, vão
para Cracóvia na JMJ 2016. Assim, serão aproxima-
damente 15 dias que os jovens da nossa Diocese
permanecerão na Polônia, saindo dia 18/07/2016
e voltando dia 03/08/2016. Para mais informações,
entrem em contato com Tatiane Civita: (11) 99938-
2418.
Bom, essas são as novidades que temos da JMJ
Cracóvia 2016. Quando tivermos mais volto a escre-
ver para vocês. Ah, e mesmo se não formos parti-
cipar indo para lá, vamos orar e pedir por aqueles
que vão.
Maynara Furquim
Grupo de Jovens IGNIS
5
Rua Arthur Siqueira, 29 - Bragança Paulista - SP
mecanicabarca@hotmail.com
Tel/Fax: 4033-3684
COLUNA JOVEM
O dia 21 de fevereiro é o
dia da língua materna, insti-
tuído pela UNESCO desde o
ano 2000. O objetivo é promo-
ver a diversidade linguística e
cultural e o plurilinguismo com
o intuito de proteger as quase
6 mil diferentes línguas exis-
tentes no mundo cultural. A
nossa língua, o português, é a língua oficial em 9
países: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau,
Guiné-Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé
e Príncipe e Timor-Leste. Estima-se que o português
é língua materna de 240 milhões de pessoas, sendo
a quinta língua mais falada no mundo. É a terceira
língua ocidental mais falada (atrás do inglês e do es-
panhol) e é a língua mais falada do hemisfério sul.
A UNESCO estima mesmo que o português é, junto
com o espanhol, a língua europeia que mais cresce,
atrás do inglês, e espera-se que em 2050 existam
335 milhões de falantes de português. A Comunida-
de de Países de Língua Portuguesa (CPLP) instituiu
o dia 15 de Maio como dia da língua portuguesa.
Segundo ela, “A língua portuguesa é um meio pri-
vilegiado de difusão da criação cultural entre os po-
vos que falam português e de projeção internacional
dos seus valores culturais, numa perspectiva aberta
e universal”. O único prêmio Nobel da língua por-
tuguesa é o escritor José Saramago (1922-2010),
que foi agraciado em 1998. Temos em São Paulo o
Museu da Língua Portuguesa, que vale a pena co-
nhecer. Aliás, a cidade paulista tem o maior número
de falantes de nossa língua: 11 milhões. Uma curio-
sidade de nossa língua: a palavra “saudade” existe
apenas no português. Ela vem do latim solitas, atis
(solidão), e é considerada como uma das palavras
mais difíceis – e também mais bonitas – de se tra-
duzir em todo o mundo. Enfim, valorizemos nossa
amada língua, que tem suas regras e exceções de-
vido às suas diversas origens, mas é rica e de uma
importância sem igual. Quanto mais respeitarmos o
que é nosso, mais valor temos!
“Não há uma língua portuguesa, há línguas em
português” = José Saramago
Texto adaptado, extraído do blog:
http://eportuguese.blogspot.com.br/2012/02/21-de-feverei-
ro-dia-internacional-da.html
Amanda Siqueira
DIA INTERNACIONAL DA LÍNGUA MATERNA
JOÃO ROBERTO CERASOLI
ADVOGADO - OAB 137.519 SP
CÍVEL - FAMÍLIA - TRABALHISTA
PREVIDENCIÁRIO
FONES: 2277-6343 / 4033-0843 / 97384-3288 (vivo)
R. JOSÉ MATHIAS FARHAT SOBRINHO 11 - SALA 07
(EDIFICIO CAPITAL - AO LADO DA PADARIA VARANDA AMÉRICA - a 50 METROS DO FÓRUM)
56
AUGUSTO ALBERTO ROSSI
R. Santa Clara, 1017 - Centro
PABX: 4033-2021
Estacionamento Privativo para clientes
Desde
1972
OAB/SP 27.126
ROSSANO ROSSI
OAB/SP 93.560
ADVOGADOS
Rua Cel Assis Gonçalves, 323
Bragança Paulista - SP
Tel/Fax: 2473-2555 - 2473-8030
Produtos
para sua Saúde!
Loja Ampla e Moderna
Estacionamento próprio
Souza
Silva
CORRETORA DE SEGUROS
Souza Silva Adm. Corr. Seguros Ltda.
Rua Tupi, 153 - Sala 04 - Taboão - Brag Pta - SP - CEP 12.900-290
Fone/Fax: (11) 4032-0450 / 4033-7586
e-mail: sscorr@terra.com.br
COMPRA - VENDA - INCORPORAÇÃO DE IMÓVEIS
ALAMEDA POLÔNIA, 34
BRAGANÇA PAULISTA - SP
CEP 12916-160
TEL.: (11) 4034-0543
FAX: (11) 4032-0044
CEL.: (11) 9989-1887
CACOCI
CONSULTORIA E EMPREENDIMENTOS DE IMÓVEIS LTDA.
CRECI 6.414-J www.cacociimoveis.com.br
blocos e lajes. ltda.
BIRIÇÁ Blocos e Lajes Ltda.
IRMÃOS BARLETTA - CREA - 0372392
ESCRITÓRIO: (11) 4035-1878
9989-3388
FÁBRICA: (11) 4031-8295
Depósito: AV. DOS IMIGRANTES 4289 - JD. SÃO LOURENÇO - BRAGANÇA PAULISTA - SP
Matriz: SÍTIO SÃO CLEMENTE - BAIRRO BIRIÇÁ DO VALADO - BRAGANÇA PAULISTA - SP
LAJES CONVENCIONAL E TRELIÇADA
Historiando sobre este sacramento, antigamente
era chamado de Sacramento da Conversão ou mais
especificamente Sacramento da 2ª Conversão. A 1ª
conversão é o Batismo. O ideal seria que a pessoa,
após o Batismo, não mais pecasse. Porém isto não
ocorre. No CIC nº 1426 nós encontramos:
“A conversão a Cristo, o novo nascimento do Ba-
tismo, o dom do Espírito Santo, o corpo e sangue de
Cristo recebidos em alimento, tornaram-nos «santos
e imaculados na sua presença» (Ef 1, 4), tal como
a própria Igreja, esposa de Cristo, é «santa e ima-
culada na sua presença» (Ef 5, 27). No entanto, a
vida nova recebida na iniciação cristã não suprimiu
a fragilidade e a fraqueza da natureza humana, nem
a inclinação para o pecado, a que a tradição cha-
ma concupiscência, a qual persiste nos batizados, a
fim de que prestem as suas provas no combate da
vida cristã, ajudados pela graça de Cristo (8). Este
combate é o da conversão, em vista da santidade e
da vida eterna, a que o Senhor não se cansa de nos
chamar (9)”. Catecismo da Igreja Católica - CIC nº
1426.
Deus permite que saiamos à luta. Que comba-
tamos o pecado. Neste sentido é que Cristo afirma
que o Céu é dos violentos.
Antes de se considerar o Sacramento da Con-
fissão, é oportuno que se invista na virtude da pe-
nitência. A pessoa, ao receber o Sacramento da
Penitência, recebe o perdão dos pecados. Esta situ-
ação traz o aumento da Graça na pessoa. A Graça
é dada com efeitos idênticos na pessoa no decorrer
do tempo? Não. Deus não concede a Graça de for-
ma perfeita? Sim. Então por que os efeitos da Graça
não são idênticos após cada confissão se Deus é o
mesmo?
Para se entender este conflito, façamos uma
comparação: imaginemos o Sol. Ele é o mesmo ao
aquecer os objetos. Imaginemos uma peça metálica
e outra peça, de barro. Ambas recebem do mesmo
Sol, a energia para se aquecer, porém o aquecimen-
to se dá diferentemente no metal ao se compará-lo
ao barro. Aí quem faz a diferença é o tipo de ma-
téria prima das peças. De modo semelhante ocorre
com os efeitos da Graça de Deus na vida da pessoa.
Mesmo tendo sido perdoados os pecados da pessoa
por Deus, é possível que ela tenha ido para a con-
fissão em estado laxo, num ato de contrição muito
imperfeito e isto não permite que a Graça promova
o aumento de santificação ampla, profunda como se
desejaria. Daí a importância em se investir na vir-
tude da penitência. É esta virtude, de penitência e
espírito de compunção, que deverá permanecer na
alma da pessoa e os frutos da Sacramento da peni-
tência estarão presentes.
Nesta linha de entendimento, oito pontos são im-
portantes:
1º ponto - a virtude da penitência é um hábito so-
brenatural que provoca dor na pessoa pelos peca-
dos praticados. Nesta virtude existe a intenção de
remover estes pecados, de repará-los e de expia-
-los. Na pessoa tem que estar presente este dese-
jo. Não se trata de “comprar” a Deus, mas sim de
querer agradá-lo, pois com o pecado a pessoa O
desagradou. É gesto de amor, de gratidão. A pes-
soa, após receber o Sacramento da Confissão esta-
rá com seus pecados perdoados, porém a gratidão
da mesma para com o Amor de Deus a coloca no
desejo de expiar seus pecados. São exemplos as
pessoas que, tendo sido perdoadas, fazem orações,
penitências, jejuns e assim por diante. É o desejo de
expiar os pecados. Uma pessoa, por exemplo, que
tenha praticado aborto, se arrepende e pede perdão
a Deus no Sacramento da Confissão. Será perdo-
ada, porém o desejo de expiar o pecado além das
orações, dos jejuns também pode haver a penitência
de se adotar uma criança, de ajudar num orfanato,
etc., é o desejo de querer agradar a Deus, de ser
grato ao amor infinito da Misericórdia divina.
2º ponto - é a condição de que nos colocamos,
após o perdão dos pecados, no pesar de ter ofendi-
do a Deus e no desejo de reparar as faltas. É uma
atitude da alma de compunção. É a percepção de,
ao olhar na cruz, ver o quanto Cristo amou a pessoa
e esta não correspondeu adequadamente a este
amor.
3º ponto - quando o sentimento de contrição é
profundo, ele dá a alma uma grande paz e mantém
esta alma na humildade. Muitas pessoas, ao ouvirem
que a contrição é importante, acham que se trata de
neurose. A contrição traz a paz na alma. Contraria-
mente ocorre com a neurose que agita a pessoa e
esta não consegue perdoar. Tem gente que
não consegue se livrar da desgraça que é a
soberba, a vaidade. A saída é a contrição.
Por exemplo, um dos sinais mais claros de
que a pessoa é soberba é a incapacidade
de perdoar os outros. Há pessoas que di-
zem que não perdoam as ofensas de outras.
Ela afirma que foi ofendida, mesmo que já
tenha passado muitos anos. A contrição é a
saída porque leva a pessoa a tomar consci-
ência de que sua vida só é possível porque
recebe perdão diariamente. Diante de Deus
a pessoa passa diariamente pedindo perdão.
Basta a pessoa se colocar na seguinte pos-
tura: se o pecado que outra pessoa lhe fez
traz ofensas dolorosas, seus próprios peca-
dos são igualmente dolorosos e ofensivos a
Deus. Como então pedir a Deus perdão dos
pecados, querer receber este perdão e não
perdoar as pessoas que lhe tenham ofen-
didas? Esta lógica de vida é fácil de se en-
tender. A contrição fortifica a pessoa contra
as tentações e impulsiona ao uso dos meios
disponíveis para reparar os pecados pratica-
dos. Também dá garantias de perseverança
no caminho da perfeição.
4º ponto - a virtude da penitência é um ato da
vontade. É ato da vontade porque se trata, não de
masoquismo, de rebeldia dos instintos, mas de agra-
dar a Deus. A pessoa quer agradar a Deus, mesmo
que sua tendência humana seja contra.
5º ponto - este espírito de compunção é próprio
dos santos e está nos ritos da Igreja. Na Missa, por
exemplo, se pede perdão desde o início. Isto é im-
portante porque mantém na pessoa a humildade.
6º ponto - a penitencia permite a pessoa estar
unida a Cristo sofredor na Cruz. É aí que se dá uma
perfeita configuração da pessoa com Cristo.
7º ponto - seguindo o pensamento e a intenção
da Igreja tem-se que ter a intenção explícita de, ao
ir à confissão, ter a consciência de se estar levando
tudo o que se fez. Tudo o que se fez de bom e tudo
o que se suportou de mal sirva para a remissão do
pecado, aumento da graça e como prêmio a vida
eterna.
8º ponto - a oração em se pedir a Deus uma ver-
dadeira contrição. Seguindo o exemplo de Moisés
que pediu a Deus e Ele fez brotar, de pedras no de-
serto, água ao seu povo, também faça Deus brotar,
do coração duro da pessoa, lágrimas de compulsão.
Estes 8 pontos são prólogos para se entrar ver-
dadeiramente no Sacramento da Confissão
Mauricio Malengo
Ministro da Eucaristia
A VIRTUDE DA PENITÊNCIA
7
MADEIREIRA
BRAGANTINA
Av. José Gomes da Rocha Leal, 134 - Taboão - Bragança Paulista
Tel.: (11) 4033-4048 - Fax: (11) 4033-2328
Dr. Carlos Eduardo Falleiros
Dr. Felipe M. C. V. Falleiros
CRO 22762
CRO 76451
Implante
Prótese
Ortodontia
Clínica Geral
Cirurgia
R. Octaviano Machado, 26
Santa Luzia 4034-0522
ODONTOLOGIA ESPECIALIZADAODONTOLOGIA ESPECIALIZADA
Especialista em Implantodontia
Av. Antonio Pires Pimentel, 907 - Bragança Paulista
sdomincontabil@uol.com.br
Fone / Fax: (11) 4034-3049
SÃO
CONTABILIDADE
UNIMAGEM
Unidade de Diagnóstico por Imagem
Rua Bahia, 342 • Recreio Estoril
Atibaia • SP • CEP 12944-060
Ressonância Magnética • Tomografia Computadorizada
Mamografia • Densitometria Óssea • Radiologia
Ultrassonografia • Angiografia Digital
Fones (11) 4414-5029/5030
Fax (11) 4412-3267
O rádio, desde a sua
criação, tem sido um com-
panheiro de muitos, trazen-
do entretenimento, músicas,
mas principalmente infor-
mação.
Cada emissora de rádio
tem um estilo próprio para
manter fiéis os seus ouvintes, desde os mais novos
até os de mais idade. A grade de programação, as-
sim denominada a sequência em que os programas
entram no ar, é definida com o objetivo de aumentar
e proporcionar melhor audiência em toda a emissora.
Os locutores fazem a sua parte, divertem, infor-
mam, discutem e abordam os mais variados assuntos,
intercalados por músicas, informações e patrocínios,
conforme o estilo da emissora de rádio.
No meu caso a diversão é o caminho para manter a
fidelidade do ouvinte, estar no rádio e ter a oportunida-
de de falar com milhares de pessoas ao mesmo tempo
é um privilégio único, que torna o meu trabalho uma
paixão sem preço. Entrar através do rádio na vida das
pessoas é sensacional, ser o companheiro do ouvinte
nos seus momentos de trabalho ou lazer transforma a
profissão de radialista em uma magia sem igual. Amo
estar no rádio e a cada dia este amor só se renova.
Parabéns ao Dia Mundial do Rádio. Parabéns a to-
dos os companheiros de profissão.
Rafael Oliveira - Comunicador
FM 102,1 Bragança Paulista
O Dia Mundial do Enfermo foi criado em 11 de fe-
vereiro de 1992, por iniciativa do Papa, hoje São João
Paulo II. Nesta mesma data, comemora-se também o
dia de Nossa Senhora de Lourdes, padroeira dos en-
fermos.
Esta data, de origem religiosa, tem o objetivo de
apelar para a sociedade e comunidade mundial por
melhores condições de tratamento e atenção às pes-
soas doentes, seja nos hospitais, postos de saúde ou
mesmo em casa.
Todos os anos, neste dia, o Vaticano, sob a repre-
sentação do Papa, elege um tema que servirá para dis-
cussão sobre o assunto junto à toda sociedade mun-
dial.
É importante que todos nós católicos procuremos
nos envolver com essa missão divina que é nos preo-
cuparmos em cuidar dos enfermos.
O que nos traz maior tristeza quando conhecemos
alguém que está doente, acamado ou hospitalizado, é
o “sofrimento”. Ai perguntamos: Por que? Por que eu?
Ou por que alguém que amo tanto? Toda a enfermida-
de traz a dor e o sofrimento, muitas vezes se tornam
amargas por demais, não conseguimos entender o por-
quê da dor e da doença.
É justamente nesses momentos que precisamos co-
locar em evidencia a nossa fé. A fé pode nos conduzir a
encarar o sofrimento de uma forma positiva, como uma
situação que pode ser libertadora. Experimentar nos-
sas próprias limitações pode nos ajudar a nos tornar-
mos mais humanos e, por isso mesmo, mas próximos
de Deus, como Jesus revelou a São Paulo: “Basta-te a
minha graça, porque é na fraqueza que se revela total-
mente a minha força”( 2Cor 12,9).
Mas não podemos nos conformar com o sofrimento
de uma forma masoquista, pois Deus nos concedeu a
inteligência da medicina para tentar amenizar as dores
e curar as doenças.
Pensar na doença como meio de santificação pesso-
al ou para ajudar na salvação de outras pessoas pode
ser inaceitável no mundo em que vivemos, onde tudo
tem que ser produtivo e eficaz. Mas quando nos vemos
debilitados, fragilizados e por muitas vezes dependen-
tes de alguém pra cuidar de nós, é que devemos na hu-
mildade aceitarmos nosso sofrimento com o coração e
a fé. Fé num Deus único e verdadeiro, cheio de amor e
misericórdia, que nos conforta diante de nossas dores.
E também podemos contar com uma Mãe Maravi-
lhosa que Jesus nos deu, para nos ajudar nesses mo-
mentos difíceis. Temos a proteção de Nossa Senhora
de Lourdes, padroeira dos enfermos.
Em 1858, Nossa Senhora apareceu numa gruta, em
Lourdes na França, a uma jovem e humilde camponesa
de quatorze anos, Bernadette Soubirous. Revelou-lhe
que era a “Imaculada Conceição”, precisamente, qua-
tro anos após a proclamação do dogma, pelo Papa Pio
IX.
Pediu-lhe que bebesse água da fonte, mas no local
não havia senão um pouco de água barrenta. Foi então
que a menina escavou com as mãos e brotou a água,
origem da fonte onde vários milagres de cura, desafian-
do a ciência, acontecem até hoje.
Lourdes é um dos santuários Marianos mais visita-
dos do mundo. Milhares de doentes vão ao local todos
os anos, com fé, na esperança de cura para seus ma-
les.
Nossa Senhora de Lourdes, rogai por todos os
doentes, especialmente os mais desampa-
rados!
Norma Regina de Lima Mazochi
PASCOM
Acabou 2015... ufa... ano difícil...
Inflação deu as caras novamente, corrupção qua-
se conseguiu se tornar coisa corriqueira, comum.
Conseguimos brincar com tudo que 2015 nos
proporcionou, entre decepções, vitórias, dificuldades
e alegrias, conseguimos rir de nós mesmos.
Entra em cena 2016, a ressaca de 2015 pode nos
deixar com muita dor de cabeça, nos deixar atordo-
ados, mas, este movimento das ondas, podem nos
mostrar que depois de toda turbulência, quando o
refluxo cessa, o fluxo pode nos trazer novamente a
coragem, o desprendimento e a certeza de que aqui-
lo que não aceitamos e não queremos mais, pode-
mos não recolher novamente e deixarmos passar, “
não entrarmos novamente nessa onda”, deixarmos
passar como uma dor de cabeça provocada pela
ressaca.
Neste dia 28 de Fevereiro, dia da ressaca, pode-
mos parar pensar, agradecermos pelas vitórias que
tivemos sobre as dificuldades de 2015, agradecer-
mos pelas alegrias que também possamos ter tido
em 2015 e brindarmos na esperança de um 2016 de
consciência (eleições à vista), de vitórias (não fugi-
mos a luta), de alegrias (sempre... sempre... verda-
deira alegria, sem comédia) e: Viva a vida!!!
Viva 2016!!! Viva Nós!!! TIM...TIM...
Jacqueline Rodrigues de Almeida Costa
Pascom
13 DE FEVEREIRO - DIA MUNDIAL DO RÁDIO
DIA MUNDIAL DO ENFERMO
28 DE FEVEREIRO
DIA DA RESSACA
02 de Fevereiro – NOSSA SENHORA DAS CANDEIAS OU DA LUZ
A origem da devoção de Nossa Senhora das Candeias tem os seus começos na festa da apresen-
tação de Jesus no Templo e da purificação de Nossa Senhora, que acontece quarenta dias após o
nascimento. Segundo a tradição mosaica, as parturientes, após darem à luz, ficavam impuras, devendo
ausentar-se do Templo até 40 dias após o parto. Nessa data, deviam apresentar-se diante do sumo
sacerdote, a fim de apresentar o seu sacrifício (um cordeiro e duas pombas) e, assim, purificar-se. José
e Maria apresentaram-se diante de Simeão para cumprir o seu dever. Com base na apresentação de
Jesus no Templo, nasceu a festa de Nossa Senhora da Purificação. Como Simeão, em seu cântico, diz
que Jesus é luz para as nações, nasce o culto de Nossa Senhora das Candeias ou da Luz cujas fes-
tas são comemoradas com procissão em que os participantes carregam velas. A invocação de Nossa
Senhora das Candeias surgiu nos primórdios da era cristã para comemorar a Purificação da Virgem. A
devoção veio de Portugal para nós e sua festa é celebrada dia dois de fevereiro.
MATRIZ e CAPELA N. S. DO BOM PARTO
aniversário de nascimento
Antonio de Assis Gonçalves
Custódia Nunes Brasil Silva
Dirceu Aparecido Silva
Francislaine Regina de Oliveira
Irany Franco de Moraes Ferreira
José Carlos Azevedo
Mariane Araujo Vilches Mathias
Neuza Maria Fernandes Rossi
Odete J. Rodrigues Godoy
Pergentina Pereira
Roberto Bonani
Rosa Maria de Jesus
Silvana Maria Duccigne
Terezinha Apparecida Camargo Araújo
Vangeli Ferreira Pessoa
Vilmar Alberti
aniversário de CASAMENTO
Geilda e Luiz Fernandes
Ivete Pallis e Ercílio Antonio Domingues Alonso
Maria Cristina e Humberto Moura Duarte
Maria Aparecida e Walter Minoru Yamada
Maria Edna e Antonio Assis Gonçalves
Regina e Adriano Aparecido Furquim
Rita de Cássia e Osmar Cortonês
Tania Regina e Geraldo Silva Júnior
Veneranda Aparecida e Moacir Pereira
COMUNIDADE BIRIÇA DO CAMPINHO
aniversário de nascimento
Ana Maria Gonçalves da Luz
Francisca de Souza Camargo
José Achiles Cypriano de Souza
Maria Luiza Nobre da Luz Oliveira
Márcia Aparecida da Luz Camargo
Marco Antonio Cypriano de Souza
Rosa Biasini Fonte Basso
Saturnina da Silva Moraes
aniversário de casamento
Terezinha e Emídio Pereira da Silva
COMUNIDADE SÃO MARCELO
aniversário de nascimento
Iraci Ap. Martins dos Santos
Maria Ivany Contell
Marcos Ribeiro Casenaves
Neuza Ap. de Toledo B. da Silva
Neide Helena de Toledo Forato
COMUNIDADE BIRIÇA DO VALADO
aniversário de nascimento
Anderson José Couto
Flavio Donizete da Silva
Jaqueline Cavallaro da Silva
José Benedito de Souza
Roberto Fernandes de Lima
Suzete Ap. Leme Cavallaro
aniversário de casamento
Carlos Donizete Cavallaro e Paulina I. Cavallaro
Diva de Souza Petroni e Luiz Petroni
Emidio Antonio Cavallaro e Irene Cunha Cavallaro
COMUNIDADE CHÁCARA FERNÃO DIAS
aniversário de nascimento
Alice Pereira de Carvalho
Rosa Cazeli 
Matusalém de Oliveira
Marinela B. Rosseti 
Antônia Cleidemar Souza Pereira
aniversário de casamento
Cláudio Spina e Marlene Pires Spina
DIZIMISTAS ANIVERSARIANTES ACONTECERÁ NA PARÓQUIA
PROGRAMAÇÃO FESTA DE SÃO JOSÉ
PREZADO DIZIMISTA
Caso seu nome não esteja aqui relacionado, favor procurar
um agente da Pastoral do Dízimo para atualização de seu
cadastro. Obrigado!
8
Na matriz
- Todas as terças-feiras, reza do terço, às 20h00’
- Todas as quintas-feiras Grupo de Oração Mãe e
Mestra às 20h00
- 1ª quarta-feira do mês - missa da saúde, às
15h00
- 1ª sexta-feira do mês: missa votiva ao Sagrado
Coração de Jesus, às 20h00’
- todo dia 19: missa da novena perpétua de São
José, às 20h00’ quando de segunda a sexta-feira.
- toda última terça-feira: reza do terço dos ho-
mens, às 20h00’
- Todos os sábados: Santa Missa às 19h00’
- Todos os domingos: Santa Missa às 08h00’
10 DE FEVEREIRO – MISSA DAS CINZAS – 20h
Durante a quaresma todas as sextas-feiras: Mis-
sa Penitencial às 5h00’
Na Capela de N.Sra. do Bom Parto
- Todos os dias - Adoração ao Santíssimo Sacra-
mento, das 13h00’ às 20h00’
- Últimas quartas-feiras do mês:  Hora Santa, às
20h00’
- Todos os domingos: santa missa às 19h30’

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Jornal março corrigido
Jornal março corrigidoJornal março corrigido
Jornal março corrigidosaojosepascom
 
Jornal novemb ro (2)
Jornal novemb ro (2)Jornal novemb ro (2)
Jornal novemb ro (2)saojosepascom
 
Jornal setembro 2015
Jornal setembro 2015Jornal setembro 2015
Jornal setembro 2015saojosepascom
 
Ecovida julho-Agôsto
Ecovida   julho-AgôstoEcovida   julho-Agôsto
Ecovida julho-AgôstoLada vitorino
 
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Setemb...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Setemb...Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Setemb...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Setemb...ParoquiaDeSaoPedro
 
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Outubr...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Outubr...Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Outubr...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Outubr...ParoquiaDeSaoPedro
 

Mais procurados (20)

Jornal março corrigido
Jornal março corrigidoJornal março corrigido
Jornal março corrigido
 
Jornal abril 2016
Jornal abril 2016Jornal abril 2016
Jornal abril 2016
 
Jornal maio 2015
Jornal maio 2015Jornal maio 2015
Jornal maio 2015
 
Jornal abril 2015
Jornal abril 2015Jornal abril 2015
Jornal abril 2015
 
Jornal maio 2014
Jornal maio 2014Jornal maio 2014
Jornal maio 2014
 
Jornal março
Jornal marçoJornal março
Jornal março
 
Jornal junho
Jornal junhoJornal junho
Jornal junho
 
Jornal outubro 2014
Jornal outubro 2014Jornal outubro 2014
Jornal outubro 2014
 
Jornal outubro
Jornal outubroJornal outubro
Jornal outubro
 
Jornal agosto
Jornal agostoJornal agosto
Jornal agosto
 
Jornal dezembro
Jornal dezembroJornal dezembro
Jornal dezembro
 
Jornal outubro 2015
Jornal outubro 2015Jornal outubro 2015
Jornal outubro 2015
 
Jornal novemb ro (2)
Jornal novemb ro (2)Jornal novemb ro (2)
Jornal novemb ro (2)
 
Jornal junho 2015
Jornal junho 2015Jornal junho 2015
Jornal junho 2015
 
Jornal julho 2015
Jornal julho 2015Jornal julho 2015
Jornal julho 2015
 
Jornal abril 2014
Jornal abril 2014Jornal abril 2014
Jornal abril 2014
 
Jornal setembro 2015
Jornal setembro 2015Jornal setembro 2015
Jornal setembro 2015
 
Ecovida julho-Agôsto
Ecovida   julho-AgôstoEcovida   julho-Agôsto
Ecovida julho-Agôsto
 
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Setemb...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Setemb...Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Setemb...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Setemb...
 
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Outubr...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Outubr...Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Outubr...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Outubr...
 

Semelhante a Jornal fevereiro 2016

Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Abril ...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Abril ...Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Abril ...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Abril ...ParoquiaDeSaoPedro
 
Boa Vontade Mulher, edição 2016
Boa Vontade Mulher, edição 2016Boa Vontade Mulher, edição 2016
Boa Vontade Mulher, edição 2016Boa Vontade
 
Boa Vontade Mulher, edição 2014
Boa Vontade Mulher, edição 2014Boa Vontade Mulher, edição 2014
Boa Vontade Mulher, edição 2014Boa Vontade
 
Cartilha eleições 2014
Cartilha eleições 2014Cartilha eleições 2014
Cartilha eleições 2014Bernadetecebs .
 
Palestra Campanha da Fraternidade 2019
Palestra Campanha da Fraternidade 2019Palestra Campanha da Fraternidade 2019
Palestra Campanha da Fraternidade 2019Pe. Luvanor Silva
 
Informativo das CEBs - diocese de São José dos Campos - SP
Informativo das CEBs - diocese de São José dos Campos - SPInformativo das CEBs - diocese de São José dos Campos - SP
Informativo das CEBs - diocese de São José dos Campos - SPBernadetecebs .
 
Resumo Campanha Fraternidade 2019
Resumo Campanha Fraternidade 2019Resumo Campanha Fraternidade 2019
Resumo Campanha Fraternidade 2019Marilene dos Santos
 
Plano bienal de evangelizacao das juventudes (pbej)
Plano bienal de evangelizacao das juventudes (pbej)Plano bienal de evangelizacao das juventudes (pbej)
Plano bienal de evangelizacao das juventudes (pbej)Rafael Barros
 
doutrina-social-da-igreja-bloco-tres.ppt
doutrina-social-da-igreja-bloco-tres.pptdoutrina-social-da-igreja-bloco-tres.ppt
doutrina-social-da-igreja-bloco-tres.pptMATHEUSALEXANDREDOAM
 
Campanha da Fraternidade 2013 apresentação - 1ª parte = VER
Campanha da Fraternidade 2013 apresentação - 1ª parte = VERCampanha da Fraternidade 2013 apresentação - 1ª parte = VER
Campanha da Fraternidade 2013 apresentação - 1ª parte = VERWilmar Santin
 
Campanha da Fraternidade 2013 apresentacao-1-parte
Campanha da Fraternidade 2013 apresentacao-1-parteCampanha da Fraternidade 2013 apresentacao-1-parte
Campanha da Fraternidade 2013 apresentacao-1-parteBernadetecebs .
 
Cf2013 apresentacao-1-parte
Cf2013 apresentacao-1-parteCf2013 apresentacao-1-parte
Cf2013 apresentacao-1-parteAntonia Santos
 
CF 2015 - FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE
CF 2015 - FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADECF 2015 - FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE
CF 2015 - FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADEcatequistasemformacao
 
SAGRADA NOTÍCIAS ONLINE - 22° EDIÇÃO A4
 SAGRADA NOTÍCIAS ONLINE - 22° EDIÇÃO A4 SAGRADA NOTÍCIAS ONLINE - 22° EDIÇÃO A4
SAGRADA NOTÍCIAS ONLINE - 22° EDIÇÃO A4Liliane Jornalista
 
Subsidio final sd_c
Subsidio final sd_cSubsidio final sd_c
Subsidio final sd_cTentadin
 

Semelhante a Jornal fevereiro 2016 (20)

Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Abril ...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Abril ...Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Abril ...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Abril ...
 
Subsidio sd_c_2013
 Subsidio sd_c_2013 Subsidio sd_c_2013
Subsidio sd_c_2013
 
I romaria da_juventude
I romaria da_juventudeI romaria da_juventude
I romaria da_juventude
 
Boa Vontade Mulher, edição 2016
Boa Vontade Mulher, edição 2016Boa Vontade Mulher, edição 2016
Boa Vontade Mulher, edição 2016
 
Boa Vontade Mulher, edição 2014
Boa Vontade Mulher, edição 2014Boa Vontade Mulher, edição 2014
Boa Vontade Mulher, edição 2014
 
Cartilha eleições 2014
Cartilha eleições 2014Cartilha eleições 2014
Cartilha eleições 2014
 
Palestra Campanha da Fraternidade 2019
Palestra Campanha da Fraternidade 2019Palestra Campanha da Fraternidade 2019
Palestra Campanha da Fraternidade 2019
 
A Juventude Quer Viver
A Juventude Quer ViverA Juventude Quer Viver
A Juventude Quer Viver
 
Informativo das CEBs - diocese de São José dos Campos - SP
Informativo das CEBs - diocese de São José dos Campos - SPInformativo das CEBs - diocese de São José dos Campos - SP
Informativo das CEBs - diocese de São José dos Campos - SP
 
Resumo Campanha Fraternidade 2019
Resumo Campanha Fraternidade 2019Resumo Campanha Fraternidade 2019
Resumo Campanha Fraternidade 2019
 
Material álcool e drogas
Material álcool e drogasMaterial álcool e drogas
Material álcool e drogas
 
Plano bienal de evangelizacao das juventudes (pbej)
Plano bienal de evangelizacao das juventudes (pbej)Plano bienal de evangelizacao das juventudes (pbej)
Plano bienal de evangelizacao das juventudes (pbej)
 
Cartilha seu-voto-final
Cartilha seu-voto-finalCartilha seu-voto-final
Cartilha seu-voto-final
 
doutrina-social-da-igreja-bloco-tres.ppt
doutrina-social-da-igreja-bloco-tres.pptdoutrina-social-da-igreja-bloco-tres.ppt
doutrina-social-da-igreja-bloco-tres.ppt
 
Campanha da Fraternidade 2013 apresentação - 1ª parte = VER
Campanha da Fraternidade 2013 apresentação - 1ª parte = VERCampanha da Fraternidade 2013 apresentação - 1ª parte = VER
Campanha da Fraternidade 2013 apresentação - 1ª parte = VER
 
Campanha da Fraternidade 2013 apresentacao-1-parte
Campanha da Fraternidade 2013 apresentacao-1-parteCampanha da Fraternidade 2013 apresentacao-1-parte
Campanha da Fraternidade 2013 apresentacao-1-parte
 
Cf2013 apresentacao-1-parte
Cf2013 apresentacao-1-parteCf2013 apresentacao-1-parte
Cf2013 apresentacao-1-parte
 
CF 2015 - FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE
CF 2015 - FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADECF 2015 - FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE
CF 2015 - FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE
 
SAGRADA NOTÍCIAS ONLINE - 22° EDIÇÃO A4
 SAGRADA NOTÍCIAS ONLINE - 22° EDIÇÃO A4 SAGRADA NOTÍCIAS ONLINE - 22° EDIÇÃO A4
SAGRADA NOTÍCIAS ONLINE - 22° EDIÇÃO A4
 
Subsidio final sd_c
Subsidio final sd_cSubsidio final sd_c
Subsidio final sd_c
 

Mais de saojosepascom

Mais de saojosepascom (10)

Jornal junho 2016
Jornal junho 2016Jornal junho 2016
Jornal junho 2016
 
Jornal agosto 2016
Jornal agosto 2016Jornal agosto 2016
Jornal agosto 2016
 
Jornal maio 2016
Jornal maio 2016Jornal maio 2016
Jornal maio 2016
 
Jornal julho 2016 final
Jornal julho 2016 finalJornal julho 2016 final
Jornal julho 2016 final
 
Jornal novembro 2015
Jornal novembro 2015Jornal novembro 2015
Jornal novembro 2015
 
Jornal agosto 2015
Jornal agosto 2015Jornal agosto 2015
Jornal agosto 2015
 
Jornal agosto 2015
Jornal agosto 2015Jornal agosto 2015
Jornal agosto 2015
 
Jornal julho 2015
Jornal julho 2015Jornal julho 2015
Jornal julho 2015
 
Jornal julho 2013
Jornal julho 2013Jornal julho 2013
Jornal julho 2013
 
Jornal abril 2015
Jornal abril 2015Jornal abril 2015
Jornal abril 2015
 

Último

Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfStelaWilbert
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfnestorsouza36
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxViniciusPetersen1
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoNilson Almeida
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............MilyFonceca
 

Último (8)

Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 

Jornal fevereiro 2016

  • 1. CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2016 TEMA: “Casa comum, nossa responsabilidade” LEMA: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca”. Neste ano de 2016, o tema de Campanha da Fraternidade será “Casa comum, nossa responsabili- dade” e o lema bíblico apoia-se em Amós 5,24 que diz: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca”. A Campanha da Fraternidade deste ano tem como objetivo geral “assegurar o direito ao sanea- mento básico para todas as pessoas e empenharmo-nos, à luz da fé, por políticas públicas e atitu- des responsáveis que garantam a integridade e o futuro de nossa Casa Comum”. As reflexões sobre o saneamento básico contidas no texto base demonstram que esse é um direito humano fundamental e, como todos os outros direitos, requer a união de esforços entre so- ciedade civil e poder público no planejamento e na prestação de serviços e de cuidados. Por isso é uma Campanha Ecumênica, pois a questão do Saneamento afeta não apenas cató- licos, mas todas as pessoas, independente da fé que professem. O abastecimento de água potável, o esgoto sanitário, a limpeza urbana, o manejo de resíduos sólidos, o controle de meios transmissores de doenças e a drenagem de águas pluviais são medi- das necessárias para que todas as pessoas possam ter saúde e vida dignas. Por isso, há que se ter em mente que “justiça ambiental” é parte integrante da “justiça social” João Cerasoli Pastoral Familiar. MENSAGEM DO MÊS Amados irmãos e irmãs em Cristo.  Agora, muitos estão voltando de suas merecidas férias. Outros já estão em pleno ritmo de vida, retomados com vigor e entusiasmo. Nossas crianças voltando às aulas. Mochilas, cadernos, lanches, canetas, lápis, uniformes, os novos amigos e professo- res.  Enfim, é a vida em sua batida. Para Igreja o mês de fevereiro é o tempo da quaresma, por essa razão nos convida, por meio da Campanha da Fraternidade, a uma séria reflexão social sobre o momento em que estamos vivendo; O tema escolhido para a Campanha é “Casa comum, nossa responsabilidade”, e o lema, “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5.24). Nesse sentido viremos refletir a partir de um problema que afeta o meio ambiente e a vida de todos os seres vivos, que é a fragilidade e, em alguns lugares, a ausência dos serviços de saneamento básico em nosso país. Que esse convite neste tempo de conversão, não só transforme nosso coração como ajude a realizar também a transformação da sociedade em que vivemos. Que nossos artigos sejam fonte de inspiração e oração para que fortalecidos possamos levar a todos a Boa- -Nova. Que Deus abençoe e Maria Santíssima esteja sempre a frente. PASCOM ASemente ParóquiaSãoJosé BragançaPaulista/SP AnoX-Ediçãonº108-Fevereiro/2016 EDITORIAL NESTA EDIÇÃO Página 2 Página 6 e 7 Página 8Página 3 e 4 Página 5 Cajado do Pastor, Palavra do Papa e Programação da Semana Santa Coluna Jovem e Outros Artigos Outros Artigos Dizimistas Aniversariantes, Agenda e Programação da Novena de São José Aconteceu na Matriz e nas Comunidades
  • 2. Queridos amigos paroquianos de São José diante da neces- sidade de promover esforços para enfrentar situações como a pobreza, fome, desemprego e exclusão social as Organizações das Nações Unidas, (ONU) instituíram o dia  20 de Fevereiro, a partir de 2009 como o  Dia Mundial da Justiça Social. Com esse dia, a ONU “reconhece a necessidade de consolidar os esforços da comunidade internacional na batalha para erradica- ção da pobreza, promovendo o pleno emprego e trabalho digno, a igualdade entre gêneros e o acesso ao bem estar social e à justiça para todos.” A ONU afirma para que as políticas sociais sejam seguidas de forma plena, um dos pilares fundamentais é o trabalho em conjunto da justiça social e educação, pois somente a partir do acesso à educação, é possível que o ser humano se desen- volva como cidadão, trazendo condições para o acesso a um emprego, eliminando todos os preconceitos e discriminações e promovendo oportunidades de vida para as pessoas, que des- de criança tem condições de se formar como um adulto pleno. Outro fator fundamental para a realização da Justiça Social é a promoção dos direitos humanos, pois esses, quando respeita- dos, garantem que a população tenha uma vida digna e com acesso a direitos e liberdades que permitiriam a sua inclusão na sociedade. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o Brasil é atualmente o quarto país no mundo em desi- gualdade entre pobres e ricos. Esse dado confirma a existência no país de uma grande injustiça social. A desigualdade social é o grande problema é a grande injustiça social que se comete no Brasil. Desigualdade social significa que alguns têm muitos e outros têm pouco ou nada, isto  levando em consideração todos os aspectos da vida social de uma pessoa. Sendo assim po- deríamos listar alguns itens que reflete bem esse pensamento como: má distribuição de renda, acesso a educação, acesso a saúde entre outros. A má distribuição de renda no Brasil é cer- tamente o principal fator e a razão de tantas injustiças sociais, pois enquanto alguns detêm boa parte dos recursos, outros fi- cam com uma parcela muito pequena e às vezes insuficiente para aquela pessoa se desenvolver. Porém, como falar de justiça social nos dias de hoje? Ao falar da justiça social, incluímos a ideia de que nem todos são iguais, mesmo sendo de um mesmo país ou continente. Pois bem, reconhecer esta diferença em vez de levar-nos a discri- minar, ajuda-nos a trabalhar para que o bem-estar alcance a todas as pessoas de toda a sociedade e em qualquer lugar do mundo. Falar de justiça social é falar de direitos humanos, é pensar e fazer o possível para que sejam respeitados os direitos de homens e mulheres, respeitar a diversidade tanto religiosa, cultural e política. Falar de justiça social é comprometer-se na promoção e defesa dos direitos humanos. Falar de justiça so- cial desafia-nos cada dia, a viver ativamente a nossa cidadania e assumir as nossas responsabilidades, em primeiro lugar com a sociedade onde vivemos, favorecendo o desenvolvimento do país e assim contribuir para fazer possível um mundo mais ha- bitável para todos. Papa Francisco é conhecido por sua postura a favor da justi- ça social, tendo dito em 2007 que: “Vivemos na região (América Latina) mais desigual do mundo, a que mais cresceu e a que menos reduziu a miséria. A distribuição injusta de bens persiste, criando uma situação de pecado social que grita aos céus e li- mita as possibilidades de vida mais plena para muitos de nossos irmãos”. Além disso, tal como Francisco de Assis lavava os pés dos leprosos, Papa Francisco quando então Cardeal Bergoglio ganhou notoriedade em 2001 ao lavar os pés de 12 doentes de Aids em visita a um hospital. A justiça social não é “uma for- ma de esmola”, mas “uma verdadeira dívida” do Estado para com as famílias, disse Papa Francisco quando de sua visita ao Equador em julho de 2015. Desde sua eleição como Papa em março de 2013. Francisco tem mostrado especial interesse em aproximar a Igreja da periferia e da defesa do meio ambiente. A geografia de Papa Francisco é a de uma Igreja solidária com o sofrimento dos povos, sejam ou não católicos, como se viu nas suas duas encíclicas: “Evangelii Gaudium” e “Laudato Si.” Papa Francisco em conclusão ao seu discurso aos Movi- mentos Populares reunidos na Bolivia em 09 de julho de 2015 disse: “O futuro da humanidade não está unicamente nas mãos dos grandes dirigentes, das grandes potências e das elites. Está fundamentalmente nas mãos dos povos; na sua capacidade de se organizarem e também nas suas mãos que regem, com hu- mildade e convicção, este processo de mudança. Estou con- vosco. Digamos juntos do fundo do coração: nenhuma família sem teto, nenhum camponês sem terra, nenhum trabalhador sem direitos, nenhum povo sem soberania, nenhuma pessoa sem dignidade, nenhuma criança sem infância, nenhum jovem sem possibilidades, nenhum idoso sem uma veneranda velhi- ce. Continuai com a vossa luta e, por favor, cuidai bem da Mãe Terra. Rezo por vós, rezo convosco e quero pedir a nosso Pai Deus que vos acompanhe e abençoe, que vos cumule do seu amor e defenda no caminho concedendo-vos, em abundância, aquela força que nos mantém de pé: esta força é a esperança, a esperança que não decepciona. Obrigado! E peço-vos, por favor, que rezeis por mim.” Amigos e fiéis de São José, peçamos a Deus para que nós como Sua Igreja possamos cumprir nossa missão, expressando o amor e a justiça de Deus ao mostrar bondade e misericórdia para com os menos afortunados. Que Deus nos ajude e nos ampare! Pe. Jeferson Flávio Mengali Pároco “O nome de Deus é misericórdia” é o título do livro, fruto de uma entrevis- ta do Papa ao vaticanista Andrea Tornielli Amisericórdiaéa“cartei- ra de identidade” de Deus, assim diz o Papa Francisco no livro-entrevista “O nome de Deus é misericórdia”, que se encontra a partir de terça-feira, 12 de janei- ro, nas livrarias italianas e em 86 países. A publicação relata uma entrevista do Pontífice ao jornalista vati- canista Andrea Tornielli, do cotidiano “La Stampa” e coordenador do site “Vatican Insider”. Dividido em nove capítulos e 40 perguntas, o livro – editado pela Piemme – tem a capa autografada por Francisco. A primeira cópia do volume, em italiano, foi entregue ontem à tarde ao Pontífice, na Casa Santa Marta. A entrevista foi concedida em julho de 2015, após a visita do Papa à América Latina (Equador, Bolívia e Paraguai). Francisco recebeu o jornalista Tornielli na Casa Santa Marta, munido da Bíblia e de cita- ções dos Padres da Igreja. A misericórdia foi o tema da conversa, tendo em vista o Jubileu extraordinário que seria aberto cinco meses depois. Os frutos des- se diálogo estão no livro lançado hoje. Oração, refle- xão sobre os Papas precedentes e uma imagem da Igreja como “hospital de campanha” que “aquece os corações das pessoas com a proximidade”. Esses são os três fatores, explica o Papa, que o levaram a instituir um Jubileu da Misericórdia. “A Igreja não está no mundo para condenar, mas para permitir o encontro com o amor visceral que é a misericórdia de Deus”, refere Francisco, na entrevista ao vatica- nista italiano. Num dos trechos da obra, divulgado pela Rádio Vaticano, Francisco diz que também o Papa é alguém com “necessidade da misericórdia de Deus” e revela ter uma relação especial com os presos. “Tenho um especial carinho pelos que vivem na prisão, privados da liberdade. Fiquei muito ligado a eles, por esta consciência do meu ser pecador”, explica, acrescentando que não se sente “melhor” do que aqueles que estão à sua frente. Missão da Igreja no mundo - O Papa apresen- ta a sua visão sobre a missão da Igreja no mundo, sublinhando que quando “condena o pecado” o faz porque “deve dizer a verdade”. Ao mesmo tempo, no entanto, “abraça o pecador que se reconhece como tal, aproxima-se dele, fala-lhe da misericórdia infinita de Deus”, à imagem de Jesus, que “perdoou mesmo os que o crucificaram”. “Seguindo o Senhor, a Igreja é chamada a derramar a sua misericórdia sobre todos os que se reconhecem como pecado- res, responsáveis pelo mal que fizeram que sentem necessidade do perdão”, observou. O Ano da Misericórdia - Em relação ao Ano Santo extraordinário que convocou o Jubileu da Mi- sericórdia (dezembro de 2015-novembro de 2016), Francisco espera que a iniciativa permita fazer emergir um rosto cada vez mais materno da Igreja. O Papa convida as comunidades católicas a “sair das igrejas e das paróquias” para ir ao encontro das pessoas, onde elas vivem, “sofrem e esperam”. “A Igreja em saída tem a característica de surgir no lo- cal onde se combate, não é a estrutura sólida, dota- da de tudo”, mas um “hospital de campanha” no qual se pratica uma “medicina de urgência”. Nesse senti- do, deseja que o jubileu extraordinário “faça emergir cada vez mais o rosto de uma Igreja que redescobre as vísceras maternas da misericórdia e que vai ao encontro de tantos feridos necessitados de escuta, compaixão, perdão, amor”. http://papa.cancaonova.com/lancado-livro-entre- vista-do-papa-francisco-sobre-misericordia/ 2 O CAJADO DO PASTOR DIA MUNDIAL DA JUSTIÇA SOCIAL - 20 DE FEVEREIRO PALAVRA DO PAPA PROGRAMAÇÃO SEMANA SANTA 2
  • 3. NATAL SOLIDÁRIO NA COMUNIDADE FERNÃO DIAS - E no domingo dia 13 de dezembro aconte- ceu o Natal Solidário na Comunidade Fernão Dias. Organizado pela equipe de Marinho Faralhi num lindo projeto chamado VoaNath foram arrecadados brinquedos, bicicletas para sorteio, sacolas de natal com guloseimas e 40 cestas básicas. E como disse Marinho: “Digo com toda certeza, que a nosso ver, o “bem” deve ser divulgado, não podemos ter receio de mostrar que é possível melhorar aos menos o seu mundo próximo. Sabemos que é apenas uma migalha, um grão de areia ou uma estrela numa grande constelação, mas meus amigos, é desta forma que os milagres acontecem, perto do impossível, do improvável, daquilo que muitos não acreditam! Obrigado a todos! Fiquem com Deus sempre!” NOVENA DE NATAL NA MATRIZ - A nossa paróquia durante o mês de dezembro preparou a celebração do nascimento de Jesus através de vários grupos de novenas. E no sábado dia 19 de dezembro durante a missa das 19h celebrada por Pe. Jeferson Mengali aconteceu o encerramento da Novena.  A Pascom em nome da nossa Paróquia de São José e de seu pároco Pe. Jeferson Mengali quer agradecer a todos os dirigentes, as pastorais, movimentos e todo o povo de Deus que se dedicaram nesse trabalho de evangelização. Coragem e fé são necessárias para trilhar os caminhos de Deus! Obrigado pelo empenho e dedicação! Deus os abençoe! MISSA DE VÉSPERA DE NATAL E NATAL - E no dia 24 de dezembro as 20h na Igreja São José debaixo de um forte temporal aconteceu a Missa de Vigilia do Natal celebrada por Pe. Jeferson Mengali que nos recordou que o filho de Deus nasceu na pobreza e isso é uma lição a todos os católicos, que devem per- manecer com os corações humildes. E no dia de Natal, 25 de dezembro também as 20h Pe. Jeferson nos convida a ter coragem, força, ânimo pois o Salvador já chegou. Jesus age como Deus pede. É Deus que fala por Jesus é Deus que perdoa em Jesus. Mais uma vez nos convida a participar da sua história. Deus nos propõe a viver o essencial da vida sem nos ater as coisas que nos afastem dele. MISSA EM LOUVOR A SAGRADA FAMILIA E no domingo, dia 27 de dezembro as 10h30, foi celebrada pelo nosso pároco Pe. Jeferson Mengali na comunidade São Marcelo - Capela da Sagrada Família a Santa Missa em louvor a Jesus, Maria e José. Toda família é sagrada para Deus, por isso Jesus escolheu nascer na Sagrada Família. A sua casa, a sua família, é sagrada aos olhos de Deus.  3 ACONTECEU NA COMUNIDADE FERNÃO DIAS ACONTECEU NA PARÓQUIA ACONTECEU NA COMUNIDADE SÃO MARCELO Paul Wax LimpPaul Wax Limp AGORA MERCADÃO DA LIMPEZA SUPER ECONOMIA, E NO SEU CARRINHO VÃO PRODUTOS DE LIMPEZA A PREÇOS BARATOS PORQUE SOMOS DIFERENCIADOS Amplo Estacionamento Entrega em Domicílio Rua Alfredo Ortenzi, 133 - Jardim São José (Próximo cabeceira da pista do aeroclube) 4032-3815 / 4033-2638 / 9916-5020 EM NOVO ENDEREÇO Legendas:RitadeCássiaAlmeida–PASCOM
  • 4. 44 MISSA DE FINAL DE ANO - No dia 31 de dezembro aconteceu a missa de Final de Ano na Igreja São José, às 20:00h, presidida pelo Pe. Jeferson Mengalii. “É um momento de agradecer a Deus pelo Dom da Vida, e por tudo que vivenciamos durante o ano que passou, e que neste novo ano possamos alcançar a Paz, Saúde, Felicidade e Conquistas, enfim que seja feita a vontade de Deus em cada dia do ano novo. Que 2016 seja um ano de muita paz e harmonia para todos nós. MISSA SOLENIDADE A MÃE DE DEUS - E na sexta feira, dia 01 de janeiro de 2016 tivemos a gra- ça de participar da Santa Missa dedicada a Maria Mãe de Deus. Primeiro dia do ano, primeira liturgia dedicada a Maria, que no III Concilio Ecumênico foi declarada Santa Maria a Mãe de Deus. Mãe de Je- sus e de todos os homens. LANÇAMENTO LIVRO SÃO JORGE O PODER DO SANTO GUERREIRO EM BRASILIA - E durante o final de semana de 09 e 10 de janeiro , Pe. Jeferson esteve em Brasília/DF para divulgação de seu livro com várias entrevistas a rádio, inclusive Radio Canção Nova. E no domingo, o padre  lançou o livro “São Jorge – O Poder do Santo Guerreiro”, às 19h, na Paróquia São Pedro (Taguatinga Sul – DF) logo após a celebração da Santa Missa. ACONTECEU NA PARÓQUIA NATAL DOS VICENTINOS COM SEUS ATENDI- DOS - Aconteceu no sábado, dia 19 de dezembro a partir das 9h, no Pátio social da Igreja São José a distribuição das cestas de natal pelos vicentinos aos atendidos (30 famílias carentes que mensalmen- te recebem cestas básicas), foi incluído também um frango. Foram distribuídas também as sacolinhas com presentes para as crianças e Papai Noel se fez presente para alegrar o ambiente. Ao final do evento, foi servida uma pizza pra todos os presentes, com sorvetes e refrigerantes. Queremos agradecer a to- dos que contribuíram que se importa com o próximo e que ajudam de verdade a quem precisa. Nosso muito obrigado a todos.  CONFRATERNIZAÇÃO - Aconteceu no dia 20 de dezembro de 2015 na Comunidade de N. Sra. Apare- cida, bairro Biriçá do Campinho, uma confraternização com amigo secreto e um delicioso café da manhã, entre todos os catequistas, ministros, agentes das pastorais e movimentos e pessoal que colabora com as atividades da comunidade. Foi uma manhã abençoada, em que todos pudemos agradecer a Deus por mais um ano de trabalho, e pedindo sabedoria e perseverança para o ano que se inicia Santa Paulina, a Santa que pisou nesse chão, que fez com que o amor, se personificasse em acolhi- mento aos idosos, que continua seu legado até os dias de hoje, no servir de todos aqueles que se dedicam a sua missão. A missa de Entronização da Imagem de Santa Paulina aconteceu no dia 19 de Dezembro de 2015 às 11 horas no Asilo São Vicente de Paulo. Logo após a missa, Pe. Marcelo fez a benção com a entronização da imagem bem a frente do Asilo. Esteve presente além da congregação fundada pela Santa Paulina, a diretoria do Asilo, autoridades como o Prefeito Fernão Dias e sua esposa, funcionários, comuni- dade e todos que se consideram devotos desta Santa que pisou, fundou o Asilo e que muitos podem ter a oportunidade conhecer sua história, visitando o Asilo do Jardim Público, legado deixado por esta Santa que viveu em Bragança. ACONTECEU NA COMUNIDADE BIRIÇÁ DO CAMPINHO ENTRONIZAÇAO DA IMAGEM DE SANTA PAULINA Legendas:NormaReginadeLimaMazochiPASCOM Legendas:RitadeCassiaAlmeida-PASOM
  • 5. A Jornada Mundial da Juventude 2016 2016 já chegou, e com isso cada vez mais a JMJ de Cracóvia fica mais próxima! Vou contar um pou- quinho das novidades para todo mundo ficar por dentro e continuar acompanhando. De acordo com uma matéria publicada no site Cristo Jovem, o Cardeal Stanislaw Rylko, devido ao Jubileu da Misericórdia, Cracóvia terá a Porta Santa simbólica instalada no “Campus Misericordiae”, local onde ocorrerá a vigília e a missa de encerramento da JMJ com o Papa Francisco. Segundo o cardeal, o Santo Padre passará pela Porta no início da vigília de oração do dia 30 de julho (sábado), acompanhado por alguns jovens. Já no dia 31 (domingo), o Papa entregará a cinco casais de jovens dos cinco continentes, após a eucaristia, lâmpadas acesas com símbolo do fogo que trouxe a misericórdia de Cristo. Assim, enviará os jovens de todo o mundo como testemunhas e missionários da Divina Misericórdia. “A JMJ de Cracóvia será verdadeiramente um Ju- bileu dos jovens a nível mundial!”, disse ainda o Car- deal Rylko que referiu ainda que “um dos epicentros espiritual da JMJ será o Santuário da Divina Miseri- córdia e de Santa Faustina Kowalska – conhecida como ‘Apóstola da Misericórdia’ – inaugurado em 2002 por um grande promotor desta devoção: São João Paulo II”. Lindo isso, não é mesmo?! Tudo muito bem pen- sado e ‘amarrado’ para tocar cada jovem de maneira memorável. Outra informação importante de contar é os Pa- cotes do Peregrino. Estes variam de acordo com a disponibilidade de permanência do peregrino na Jor- nada Mundial da Juventude. São 3 tipos principais (A, B e C) que são subdi- vididos em pacotes. O Tipo A é para quem deseja ficar a semana toda (de 25/07/2016 a 01/08/2016), o Tipo B para quem quer ficar só o final de semana (de 29/07/2016 a 01/08/2016), e o Tipo C é somente a vigília e Missa final (de 30/07/2016 e 31/07/2016). Segue abaixo o que tem em cada pacote e os va- lores (tabelas retiradas diretamente do site da JMJ Cracóvia 2016): Quem tiver interesse em ir, a Diocese de Bra- gança tem um grupo que está organizando. Este irá participar da Semana Missionária (assim como houve aqui no Brasil em 2013), em que os jovens vão uma semana antes para a Jornada e ficam Var- sóvia, na Diocese de lá. E durante os dias de folga, os jovens poderão visitar o campo de concentração de Auschwitz e os pontos turísticos onde ocorreu a Segunda Guerra Mundial. Na outra semana, vão para Cracóvia na JMJ 2016. Assim, serão aproxima- damente 15 dias que os jovens da nossa Diocese permanecerão na Polônia, saindo dia 18/07/2016 e voltando dia 03/08/2016. Para mais informações, entrem em contato com Tatiane Civita: (11) 99938- 2418. Bom, essas são as novidades que temos da JMJ Cracóvia 2016. Quando tivermos mais volto a escre- ver para vocês. Ah, e mesmo se não formos parti- cipar indo para lá, vamos orar e pedir por aqueles que vão. Maynara Furquim Grupo de Jovens IGNIS 5 Rua Arthur Siqueira, 29 - Bragança Paulista - SP mecanicabarca@hotmail.com Tel/Fax: 4033-3684 COLUNA JOVEM O dia 21 de fevereiro é o dia da língua materna, insti- tuído pela UNESCO desde o ano 2000. O objetivo é promo- ver a diversidade linguística e cultural e o plurilinguismo com o intuito de proteger as quase 6 mil diferentes línguas exis- tentes no mundo cultural. A nossa língua, o português, é a língua oficial em 9 países: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné-Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Estima-se que o português é língua materna de 240 milhões de pessoas, sendo a quinta língua mais falada no mundo. É a terceira língua ocidental mais falada (atrás do inglês e do es- panhol) e é a língua mais falada do hemisfério sul. A UNESCO estima mesmo que o português é, junto com o espanhol, a língua europeia que mais cresce, atrás do inglês, e espera-se que em 2050 existam 335 milhões de falantes de português. A Comunida- de de Países de Língua Portuguesa (CPLP) instituiu o dia 15 de Maio como dia da língua portuguesa. Segundo ela, “A língua portuguesa é um meio pri- vilegiado de difusão da criação cultural entre os po- vos que falam português e de projeção internacional dos seus valores culturais, numa perspectiva aberta e universal”. O único prêmio Nobel da língua por- tuguesa é o escritor José Saramago (1922-2010), que foi agraciado em 1998. Temos em São Paulo o Museu da Língua Portuguesa, que vale a pena co- nhecer. Aliás, a cidade paulista tem o maior número de falantes de nossa língua: 11 milhões. Uma curio- sidade de nossa língua: a palavra “saudade” existe apenas no português. Ela vem do latim solitas, atis (solidão), e é considerada como uma das palavras mais difíceis – e também mais bonitas – de se tra- duzir em todo o mundo. Enfim, valorizemos nossa amada língua, que tem suas regras e exceções de- vido às suas diversas origens, mas é rica e de uma importância sem igual. Quanto mais respeitarmos o que é nosso, mais valor temos! “Não há uma língua portuguesa, há línguas em português” = José Saramago Texto adaptado, extraído do blog: http://eportuguese.blogspot.com.br/2012/02/21-de-feverei- ro-dia-internacional-da.html Amanda Siqueira DIA INTERNACIONAL DA LÍNGUA MATERNA JOÃO ROBERTO CERASOLI ADVOGADO - OAB 137.519 SP CÍVEL - FAMÍLIA - TRABALHISTA PREVIDENCIÁRIO FONES: 2277-6343 / 4033-0843 / 97384-3288 (vivo) R. JOSÉ MATHIAS FARHAT SOBRINHO 11 - SALA 07 (EDIFICIO CAPITAL - AO LADO DA PADARIA VARANDA AMÉRICA - a 50 METROS DO FÓRUM)
  • 6. 56 AUGUSTO ALBERTO ROSSI R. Santa Clara, 1017 - Centro PABX: 4033-2021 Estacionamento Privativo para clientes Desde 1972 OAB/SP 27.126 ROSSANO ROSSI OAB/SP 93.560 ADVOGADOS Rua Cel Assis Gonçalves, 323 Bragança Paulista - SP Tel/Fax: 2473-2555 - 2473-8030 Produtos para sua Saúde! Loja Ampla e Moderna Estacionamento próprio Souza Silva CORRETORA DE SEGUROS Souza Silva Adm. Corr. Seguros Ltda. Rua Tupi, 153 - Sala 04 - Taboão - Brag Pta - SP - CEP 12.900-290 Fone/Fax: (11) 4032-0450 / 4033-7586 e-mail: sscorr@terra.com.br COMPRA - VENDA - INCORPORAÇÃO DE IMÓVEIS ALAMEDA POLÔNIA, 34 BRAGANÇA PAULISTA - SP CEP 12916-160 TEL.: (11) 4034-0543 FAX: (11) 4032-0044 CEL.: (11) 9989-1887 CACOCI CONSULTORIA E EMPREENDIMENTOS DE IMÓVEIS LTDA. CRECI 6.414-J www.cacociimoveis.com.br blocos e lajes. ltda. BIRIÇÁ Blocos e Lajes Ltda. IRMÃOS BARLETTA - CREA - 0372392 ESCRITÓRIO: (11) 4035-1878 9989-3388 FÁBRICA: (11) 4031-8295 Depósito: AV. DOS IMIGRANTES 4289 - JD. SÃO LOURENÇO - BRAGANÇA PAULISTA - SP Matriz: SÍTIO SÃO CLEMENTE - BAIRRO BIRIÇÁ DO VALADO - BRAGANÇA PAULISTA - SP LAJES CONVENCIONAL E TRELIÇADA Historiando sobre este sacramento, antigamente era chamado de Sacramento da Conversão ou mais especificamente Sacramento da 2ª Conversão. A 1ª conversão é o Batismo. O ideal seria que a pessoa, após o Batismo, não mais pecasse. Porém isto não ocorre. No CIC nº 1426 nós encontramos: “A conversão a Cristo, o novo nascimento do Ba- tismo, o dom do Espírito Santo, o corpo e sangue de Cristo recebidos em alimento, tornaram-nos «santos e imaculados na sua presença» (Ef 1, 4), tal como a própria Igreja, esposa de Cristo, é «santa e ima- culada na sua presença» (Ef 5, 27). No entanto, a vida nova recebida na iniciação cristã não suprimiu a fragilidade e a fraqueza da natureza humana, nem a inclinação para o pecado, a que a tradição cha- ma concupiscência, a qual persiste nos batizados, a fim de que prestem as suas provas no combate da vida cristã, ajudados pela graça de Cristo (8). Este combate é o da conversão, em vista da santidade e da vida eterna, a que o Senhor não se cansa de nos chamar (9)”. Catecismo da Igreja Católica - CIC nº 1426. Deus permite que saiamos à luta. Que comba- tamos o pecado. Neste sentido é que Cristo afirma que o Céu é dos violentos. Antes de se considerar o Sacramento da Con- fissão, é oportuno que se invista na virtude da pe- nitência. A pessoa, ao receber o Sacramento da Penitência, recebe o perdão dos pecados. Esta situ- ação traz o aumento da Graça na pessoa. A Graça é dada com efeitos idênticos na pessoa no decorrer do tempo? Não. Deus não concede a Graça de for- ma perfeita? Sim. Então por que os efeitos da Graça não são idênticos após cada confissão se Deus é o mesmo? Para se entender este conflito, façamos uma comparação: imaginemos o Sol. Ele é o mesmo ao aquecer os objetos. Imaginemos uma peça metálica e outra peça, de barro. Ambas recebem do mesmo Sol, a energia para se aquecer, porém o aquecimen- to se dá diferentemente no metal ao se compará-lo ao barro. Aí quem faz a diferença é o tipo de ma- téria prima das peças. De modo semelhante ocorre com os efeitos da Graça de Deus na vida da pessoa. Mesmo tendo sido perdoados os pecados da pessoa por Deus, é possível que ela tenha ido para a con- fissão em estado laxo, num ato de contrição muito imperfeito e isto não permite que a Graça promova o aumento de santificação ampla, profunda como se desejaria. Daí a importância em se investir na vir- tude da penitência. É esta virtude, de penitência e espírito de compunção, que deverá permanecer na alma da pessoa e os frutos da Sacramento da peni- tência estarão presentes. Nesta linha de entendimento, oito pontos são im- portantes: 1º ponto - a virtude da penitência é um hábito so- brenatural que provoca dor na pessoa pelos peca- dos praticados. Nesta virtude existe a intenção de remover estes pecados, de repará-los e de expia- -los. Na pessoa tem que estar presente este dese- jo. Não se trata de “comprar” a Deus, mas sim de querer agradá-lo, pois com o pecado a pessoa O desagradou. É gesto de amor, de gratidão. A pes- soa, após receber o Sacramento da Confissão esta- rá com seus pecados perdoados, porém a gratidão da mesma para com o Amor de Deus a coloca no desejo de expiar seus pecados. São exemplos as pessoas que, tendo sido perdoadas, fazem orações, penitências, jejuns e assim por diante. É o desejo de expiar os pecados. Uma pessoa, por exemplo, que tenha praticado aborto, se arrepende e pede perdão a Deus no Sacramento da Confissão. Será perdo- ada, porém o desejo de expiar o pecado além das orações, dos jejuns também pode haver a penitência de se adotar uma criança, de ajudar num orfanato, etc., é o desejo de querer agradar a Deus, de ser grato ao amor infinito da Misericórdia divina. 2º ponto - é a condição de que nos colocamos, após o perdão dos pecados, no pesar de ter ofendi- do a Deus e no desejo de reparar as faltas. É uma atitude da alma de compunção. É a percepção de, ao olhar na cruz, ver o quanto Cristo amou a pessoa e esta não correspondeu adequadamente a este amor. 3º ponto - quando o sentimento de contrição é profundo, ele dá a alma uma grande paz e mantém esta alma na humildade. Muitas pessoas, ao ouvirem que a contrição é importante, acham que se trata de neurose. A contrição traz a paz na alma. Contraria- mente ocorre com a neurose que agita a pessoa e esta não consegue perdoar. Tem gente que não consegue se livrar da desgraça que é a soberba, a vaidade. A saída é a contrição. Por exemplo, um dos sinais mais claros de que a pessoa é soberba é a incapacidade de perdoar os outros. Há pessoas que di- zem que não perdoam as ofensas de outras. Ela afirma que foi ofendida, mesmo que já tenha passado muitos anos. A contrição é a saída porque leva a pessoa a tomar consci- ência de que sua vida só é possível porque recebe perdão diariamente. Diante de Deus a pessoa passa diariamente pedindo perdão. Basta a pessoa se colocar na seguinte pos- tura: se o pecado que outra pessoa lhe fez traz ofensas dolorosas, seus próprios peca- dos são igualmente dolorosos e ofensivos a Deus. Como então pedir a Deus perdão dos pecados, querer receber este perdão e não perdoar as pessoas que lhe tenham ofen- didas? Esta lógica de vida é fácil de se en- tender. A contrição fortifica a pessoa contra as tentações e impulsiona ao uso dos meios disponíveis para reparar os pecados pratica- dos. Também dá garantias de perseverança no caminho da perfeição. 4º ponto - a virtude da penitência é um ato da vontade. É ato da vontade porque se trata, não de masoquismo, de rebeldia dos instintos, mas de agra- dar a Deus. A pessoa quer agradar a Deus, mesmo que sua tendência humana seja contra. 5º ponto - este espírito de compunção é próprio dos santos e está nos ritos da Igreja. Na Missa, por exemplo, se pede perdão desde o início. Isto é im- portante porque mantém na pessoa a humildade. 6º ponto - a penitencia permite a pessoa estar unida a Cristo sofredor na Cruz. É aí que se dá uma perfeita configuração da pessoa com Cristo. 7º ponto - seguindo o pensamento e a intenção da Igreja tem-se que ter a intenção explícita de, ao ir à confissão, ter a consciência de se estar levando tudo o que se fez. Tudo o que se fez de bom e tudo o que se suportou de mal sirva para a remissão do pecado, aumento da graça e como prêmio a vida eterna. 8º ponto - a oração em se pedir a Deus uma ver- dadeira contrição. Seguindo o exemplo de Moisés que pediu a Deus e Ele fez brotar, de pedras no de- serto, água ao seu povo, também faça Deus brotar, do coração duro da pessoa, lágrimas de compulsão. Estes 8 pontos são prólogos para se entrar ver- dadeiramente no Sacramento da Confissão Mauricio Malengo Ministro da Eucaristia A VIRTUDE DA PENITÊNCIA
  • 7. 7 MADEIREIRA BRAGANTINA Av. José Gomes da Rocha Leal, 134 - Taboão - Bragança Paulista Tel.: (11) 4033-4048 - Fax: (11) 4033-2328 Dr. Carlos Eduardo Falleiros Dr. Felipe M. C. V. Falleiros CRO 22762 CRO 76451 Implante Prótese Ortodontia Clínica Geral Cirurgia R. Octaviano Machado, 26 Santa Luzia 4034-0522 ODONTOLOGIA ESPECIALIZADAODONTOLOGIA ESPECIALIZADA Especialista em Implantodontia Av. Antonio Pires Pimentel, 907 - Bragança Paulista sdomincontabil@uol.com.br Fone / Fax: (11) 4034-3049 SÃO CONTABILIDADE UNIMAGEM Unidade de Diagnóstico por Imagem Rua Bahia, 342 • Recreio Estoril Atibaia • SP • CEP 12944-060 Ressonância Magnética • Tomografia Computadorizada Mamografia • Densitometria Óssea • Radiologia Ultrassonografia • Angiografia Digital Fones (11) 4414-5029/5030 Fax (11) 4412-3267 O rádio, desde a sua criação, tem sido um com- panheiro de muitos, trazen- do entretenimento, músicas, mas principalmente infor- mação. Cada emissora de rádio tem um estilo próprio para manter fiéis os seus ouvintes, desde os mais novos até os de mais idade. A grade de programação, as- sim denominada a sequência em que os programas entram no ar, é definida com o objetivo de aumentar e proporcionar melhor audiência em toda a emissora. Os locutores fazem a sua parte, divertem, infor- mam, discutem e abordam os mais variados assuntos, intercalados por músicas, informações e patrocínios, conforme o estilo da emissora de rádio. No meu caso a diversão é o caminho para manter a fidelidade do ouvinte, estar no rádio e ter a oportunida- de de falar com milhares de pessoas ao mesmo tempo é um privilégio único, que torna o meu trabalho uma paixão sem preço. Entrar através do rádio na vida das pessoas é sensacional, ser o companheiro do ouvinte nos seus momentos de trabalho ou lazer transforma a profissão de radialista em uma magia sem igual. Amo estar no rádio e a cada dia este amor só se renova. Parabéns ao Dia Mundial do Rádio. Parabéns a to- dos os companheiros de profissão. Rafael Oliveira - Comunicador FM 102,1 Bragança Paulista O Dia Mundial do Enfermo foi criado em 11 de fe- vereiro de 1992, por iniciativa do Papa, hoje São João Paulo II. Nesta mesma data, comemora-se também o dia de Nossa Senhora de Lourdes, padroeira dos en- fermos. Esta data, de origem religiosa, tem o objetivo de apelar para a sociedade e comunidade mundial por melhores condições de tratamento e atenção às pes- soas doentes, seja nos hospitais, postos de saúde ou mesmo em casa. Todos os anos, neste dia, o Vaticano, sob a repre- sentação do Papa, elege um tema que servirá para dis- cussão sobre o assunto junto à toda sociedade mun- dial. É importante que todos nós católicos procuremos nos envolver com essa missão divina que é nos preo- cuparmos em cuidar dos enfermos. O que nos traz maior tristeza quando conhecemos alguém que está doente, acamado ou hospitalizado, é o “sofrimento”. Ai perguntamos: Por que? Por que eu? Ou por que alguém que amo tanto? Toda a enfermida- de traz a dor e o sofrimento, muitas vezes se tornam amargas por demais, não conseguimos entender o por- quê da dor e da doença. É justamente nesses momentos que precisamos co- locar em evidencia a nossa fé. A fé pode nos conduzir a encarar o sofrimento de uma forma positiva, como uma situação que pode ser libertadora. Experimentar nos- sas próprias limitações pode nos ajudar a nos tornar- mos mais humanos e, por isso mesmo, mas próximos de Deus, como Jesus revelou a São Paulo: “Basta-te a minha graça, porque é na fraqueza que se revela total- mente a minha força”( 2Cor 12,9). Mas não podemos nos conformar com o sofrimento de uma forma masoquista, pois Deus nos concedeu a inteligência da medicina para tentar amenizar as dores e curar as doenças. Pensar na doença como meio de santificação pesso- al ou para ajudar na salvação de outras pessoas pode ser inaceitável no mundo em que vivemos, onde tudo tem que ser produtivo e eficaz. Mas quando nos vemos debilitados, fragilizados e por muitas vezes dependen- tes de alguém pra cuidar de nós, é que devemos na hu- mildade aceitarmos nosso sofrimento com o coração e a fé. Fé num Deus único e verdadeiro, cheio de amor e misericórdia, que nos conforta diante de nossas dores. E também podemos contar com uma Mãe Maravi- lhosa que Jesus nos deu, para nos ajudar nesses mo- mentos difíceis. Temos a proteção de Nossa Senhora de Lourdes, padroeira dos enfermos. Em 1858, Nossa Senhora apareceu numa gruta, em Lourdes na França, a uma jovem e humilde camponesa de quatorze anos, Bernadette Soubirous. Revelou-lhe que era a “Imaculada Conceição”, precisamente, qua- tro anos após a proclamação do dogma, pelo Papa Pio IX. Pediu-lhe que bebesse água da fonte, mas no local não havia senão um pouco de água barrenta. Foi então que a menina escavou com as mãos e brotou a água, origem da fonte onde vários milagres de cura, desafian- do a ciência, acontecem até hoje. Lourdes é um dos santuários Marianos mais visita- dos do mundo. Milhares de doentes vão ao local todos os anos, com fé, na esperança de cura para seus ma- les. Nossa Senhora de Lourdes, rogai por todos os doentes, especialmente os mais desampa- rados! Norma Regina de Lima Mazochi PASCOM Acabou 2015... ufa... ano difícil... Inflação deu as caras novamente, corrupção qua- se conseguiu se tornar coisa corriqueira, comum. Conseguimos brincar com tudo que 2015 nos proporcionou, entre decepções, vitórias, dificuldades e alegrias, conseguimos rir de nós mesmos. Entra em cena 2016, a ressaca de 2015 pode nos deixar com muita dor de cabeça, nos deixar atordo- ados, mas, este movimento das ondas, podem nos mostrar que depois de toda turbulência, quando o refluxo cessa, o fluxo pode nos trazer novamente a coragem, o desprendimento e a certeza de que aqui- lo que não aceitamos e não queremos mais, pode- mos não recolher novamente e deixarmos passar, “ não entrarmos novamente nessa onda”, deixarmos passar como uma dor de cabeça provocada pela ressaca. Neste dia 28 de Fevereiro, dia da ressaca, pode- mos parar pensar, agradecermos pelas vitórias que tivemos sobre as dificuldades de 2015, agradecer- mos pelas alegrias que também possamos ter tido em 2015 e brindarmos na esperança de um 2016 de consciência (eleições à vista), de vitórias (não fugi- mos a luta), de alegrias (sempre... sempre... verda- deira alegria, sem comédia) e: Viva a vida!!! Viva 2016!!! Viva Nós!!! TIM...TIM... Jacqueline Rodrigues de Almeida Costa Pascom 13 DE FEVEREIRO - DIA MUNDIAL DO RÁDIO DIA MUNDIAL DO ENFERMO 28 DE FEVEREIRO DIA DA RESSACA 02 de Fevereiro – NOSSA SENHORA DAS CANDEIAS OU DA LUZ A origem da devoção de Nossa Senhora das Candeias tem os seus começos na festa da apresen- tação de Jesus no Templo e da purificação de Nossa Senhora, que acontece quarenta dias após o nascimento. Segundo a tradição mosaica, as parturientes, após darem à luz, ficavam impuras, devendo ausentar-se do Templo até 40 dias após o parto. Nessa data, deviam apresentar-se diante do sumo sacerdote, a fim de apresentar o seu sacrifício (um cordeiro e duas pombas) e, assim, purificar-se. José e Maria apresentaram-se diante de Simeão para cumprir o seu dever. Com base na apresentação de Jesus no Templo, nasceu a festa de Nossa Senhora da Purificação. Como Simeão, em seu cântico, diz que Jesus é luz para as nações, nasce o culto de Nossa Senhora das Candeias ou da Luz cujas fes- tas são comemoradas com procissão em que os participantes carregam velas. A invocação de Nossa Senhora das Candeias surgiu nos primórdios da era cristã para comemorar a Purificação da Virgem. A devoção veio de Portugal para nós e sua festa é celebrada dia dois de fevereiro.
  • 8. MATRIZ e CAPELA N. S. DO BOM PARTO aniversário de nascimento Antonio de Assis Gonçalves Custódia Nunes Brasil Silva Dirceu Aparecido Silva Francislaine Regina de Oliveira Irany Franco de Moraes Ferreira José Carlos Azevedo Mariane Araujo Vilches Mathias Neuza Maria Fernandes Rossi Odete J. Rodrigues Godoy Pergentina Pereira Roberto Bonani Rosa Maria de Jesus Silvana Maria Duccigne Terezinha Apparecida Camargo Araújo Vangeli Ferreira Pessoa Vilmar Alberti aniversário de CASAMENTO Geilda e Luiz Fernandes Ivete Pallis e Ercílio Antonio Domingues Alonso Maria Cristina e Humberto Moura Duarte Maria Aparecida e Walter Minoru Yamada Maria Edna e Antonio Assis Gonçalves Regina e Adriano Aparecido Furquim Rita de Cássia e Osmar Cortonês Tania Regina e Geraldo Silva Júnior Veneranda Aparecida e Moacir Pereira COMUNIDADE BIRIÇA DO CAMPINHO aniversário de nascimento Ana Maria Gonçalves da Luz Francisca de Souza Camargo José Achiles Cypriano de Souza Maria Luiza Nobre da Luz Oliveira Márcia Aparecida da Luz Camargo Marco Antonio Cypriano de Souza Rosa Biasini Fonte Basso Saturnina da Silva Moraes aniversário de casamento Terezinha e Emídio Pereira da Silva COMUNIDADE SÃO MARCELO aniversário de nascimento Iraci Ap. Martins dos Santos Maria Ivany Contell Marcos Ribeiro Casenaves Neuza Ap. de Toledo B. da Silva Neide Helena de Toledo Forato COMUNIDADE BIRIÇA DO VALADO aniversário de nascimento Anderson José Couto Flavio Donizete da Silva Jaqueline Cavallaro da Silva José Benedito de Souza Roberto Fernandes de Lima Suzete Ap. Leme Cavallaro aniversário de casamento Carlos Donizete Cavallaro e Paulina I. Cavallaro Diva de Souza Petroni e Luiz Petroni Emidio Antonio Cavallaro e Irene Cunha Cavallaro COMUNIDADE CHÁCARA FERNÃO DIAS aniversário de nascimento Alice Pereira de Carvalho Rosa Cazeli  Matusalém de Oliveira Marinela B. Rosseti  Antônia Cleidemar Souza Pereira aniversário de casamento Cláudio Spina e Marlene Pires Spina DIZIMISTAS ANIVERSARIANTES ACONTECERÁ NA PARÓQUIA PROGRAMAÇÃO FESTA DE SÃO JOSÉ PREZADO DIZIMISTA Caso seu nome não esteja aqui relacionado, favor procurar um agente da Pastoral do Dízimo para atualização de seu cadastro. Obrigado! 8 Na matriz - Todas as terças-feiras, reza do terço, às 20h00’ - Todas as quintas-feiras Grupo de Oração Mãe e Mestra às 20h00 - 1ª quarta-feira do mês - missa da saúde, às 15h00 - 1ª sexta-feira do mês: missa votiva ao Sagrado Coração de Jesus, às 20h00’ - todo dia 19: missa da novena perpétua de São José, às 20h00’ quando de segunda a sexta-feira. - toda última terça-feira: reza do terço dos ho- mens, às 20h00’ - Todos os sábados: Santa Missa às 19h00’ - Todos os domingos: Santa Missa às 08h00’ 10 DE FEVEREIRO – MISSA DAS CINZAS – 20h Durante a quaresma todas as sextas-feiras: Mis- sa Penitencial às 5h00’ Na Capela de N.Sra. do Bom Parto - Todos os dias - Adoração ao Santíssimo Sacra- mento, das 13h00’ às 20h00’ - Últimas quartas-feiras do mês:  Hora Santa, às 20h00’ - Todos os domingos: santa missa às 19h30’