SlideShare uma empresa Scribd logo
Outubro/Novembro/Dezembro 2012

      Número: 1
      Jornal trimestral
                                                          “Envelhecimento Ativo, dar mais anos à
Este boletim informativo pretende ser um registo                          vida”
das atividades relevantes realizadas ao longo de
cada trimestre, nas diferentes valências que              O propósito do projeto para o ano de
                                                          trabalho do Centro de Dia, pretende
constituem o Centro Social e Paroquial da
                                                          otimizar oportunidades de participação
Freguesia da Atouguia. Um trabalho que pretende           em      atividades     entre     gerações,
envolver utentes e a comunidade que participa num         nomeadamente os parceiros sociais
trabalho direto com a Instituição.                        integrados na comunidade da Atouguia,
                                                          tendo como objetivo principal, o reforço
                                                          das    relações    intergeracionais,    na
                                                          promoção do respeito e da valorização
                                                          mútua.
Pontos de interesse especiais:                            Este trabalho deseja conceber nos nossos
                                                          utentes mais velhos uma atitude pessoal de
      1 de Outubro, “Dia                                 otimismo perante a vida, promover o bem-
       Internacional do idoso”.                           estar e a inclusão social, através do
      16 de Outubro, “dia da                             reconhecimento da importância dos
       alimentação”.                                      senioes na comunidade local.
      31 de Outubro “lanche
       partilhado    com     os                                                     Sandra Seca
       vários         parceiros
       sociais”.
      1 de Novembro, “Dia
       de Todos os Santos”.
      9     de     Novembro,
       “Magusto      com     os
       parceiros sociais da
       freguesia”.
      20     de    Novembro,
       “aniversário do Centro              Manuel Jorge Ferreira: 01 de Out
       de Dia”.                            Maria Marques dos Reis: 08 de Out.
      14 de Dezembro, “Festa              Maria J. Veríssimo: 30 de Nov.
       de Natal com os                     Maria da Conceição: 06.de Dez.
       parceiros sociais da                Gertrudes Ferreira: 10 de Dez.
       freguesia”.
                                           Joaquina Gameiro: 15 de Dezembro
                                           António Vieira Pereira: 27 de Dez.               1
“11 de Outubro, visita das crianças do jardim
           público ao Centro de Dia”

As crianças do jardim público juntamente com a
Educadora e Auxiliar, presentearam os nossos idosos
no passado dia 11 de Outubro, com uma caixa de
marmelada confecionada pelos próprios, bem como,
canções e danças. Uma visita que teve em conta o                     *1-P:O que é que uma Joaninha vai
                                                                     fazer a uma farmácia?
dia do idoso, deixando os nossos utentes muito
felizes e agradecidos pela surpresa deste público                    *2- P: O que faz um hipopótamo em
mais pequeno.                                                        cima de uma tartaruga?
Um enorme obrigado pelo gesto amigo que permitiu
a troca de relações saudáveis entre gerações tão                     *3- P: Qual é a diferença entre um
diferentes.
        fdfgsdcgsdgsdb                                               Papa e um Mercedes?
                                       Sandra Seca
                                                                     *4 - P: Qual a maneira de uma marido
                                                                     se livrar de 70 quilos de gordura
                                                                     inútil?

                                                                     *5- P: Que nome se dá a um homem
                                                                     que ficou inteligente?



                                                                     P.S. As soluções encontram-se na última
                                                                     página do jornal
       Entrega de uma caixa de marmelada a uma utente.


                                                                  “16 de Outubro, Dia da alimentação”

                                                         No passado dia 16 de Outubro os nossos utentes do
                                                         centro de Dia juntaram-se às crianças da freguesia nas
                                                         instalações do jardim Público para viver o dia da
                                                         Alimentação com um propósito significativo. Num
                                                         primeiro tempo ouvimos o Enfermeiro Eduardo que nos
                                                         falou sobre a importância de uma alimentação saudável e
                                                         variável, de seguida assistimos aos jogos elaborados pela
                                                         escola primária para reforçar esta mesma temática, por
                                                         fim terminámos com um almoço saudável ao ar livre e
                                                         com uma salada de fruta compartilhada por todos os
                                                         elementos participativos. Um dia diferente onde todos
                                                         tivemos oportunidade de conviver e divertir.
                                                         Uma iniciativa que teve a colaboração e o envolvimento
                                                         de todos os parceiros sociais, uma troca positiva de
                                                         experiências, permitindo a este público mais velho o
                                                         reviver a longitude de uma infância.
                                                                                                      Sandra Seca




                                                                                                           2
A ORIGEM DO PÃO POR DEUS
Em Portugal, no dia de Todos-os-Santos as crianças saem à rua e juntam-se em pequenos
bandos para pedir o pão-por-deus de porta em porta. As crianças quando pedem o pão-por-
deus recitam versos e recebem como oferenda: pão, broas, bolos, romãs e frutos secos, nozes,
amêndoas ou castanhas, que colocam dentro dos seus sacos de pano. É também costume em
algumas regiões os padrinhos oferecerem um bolo, o Santoro. Em algumas povoações chama-
se a este dia o ‘Dia dos Bolinhos’.
Esta tradição teve origem em Lisboa em 1756 (1 ano depois do terramoto que destruiu Lisboa).
Em 1 de Novembro de 1755 ocorreu o terramoto que destruiu Lisboa, no qual morreram
milhares de pessoas e a população da cidade, que era na sua maioria pobre, ainda mais pobre
ficou.
Como a data do terramoto coincidiu com uma data com significado religioso (1 de Novembro),
de forma espontânea, no dia em que se cumpria o primeiro aniversário do terramoto, a
população aproveitou a solenidade do dia para desencadear, por toda a cidade, um peditório,
com a intenção de minorar a situação paupérrima em que ficaram.
As pessoas, percorriam a cidade, batiam às portas e pediam que lhes fosse dada qualquer
esmola, mesmo que fosse pão, dado grassar a fome pela cidade. E as pessoas pediam: "Pão
por Deus".                                                                                     -Porque é que há mais analfabetos nos
Esta tradição perpetuou-se no tempo, sendo sempre comemorada neste dia e tendo-se
propagado gradualmente a todo o país.                                                          Açores e na Madeira?
Até meados do séc. XX, o "Pão-por-Deus" era uma comemoração que minorava as                    Porque o regresso às aulas é no
necessidades básicas das pessoas mais pobres (principalmente na região de Lisboa). Noutras
zonas do país, foram surgindo variações na forma e no nome da comemoração. A designação        continente!
indicada acima (Dia dos Bolinhos) em Lisboa nunca foi utilizada, nem era sequer conhecido
este nome.
Nas décadas de 60 e 70 do séc. XX, a data passou a ser comemorada, mais de forma lúdica,       - O que é que faz um assassino quando
do que pelas razões que criaram a tradição e havia regras básicas, que eram                    está aborrecido?
escrupulosamente cumpridas: Só podiam pedir o "Pão-por-Deus", crianças até aos 10 anos de
idade (com idades superiores as pessoas recusavam-se a dar).                                   -Mata o tempo
As crianças só podiam andar na rua a pedir o "Pão-por-Deus" até ao meio-dia (depois do meio-
dia, se alguma criança batesse a uma porta, levava um "raspanete", do adulto que abrisse a
porta).                                                                                        - Diz um frasco de gel para uma lata de
A partir dos anos 80 a tradição foi gradualmente desaparecendo e, atualmente, raras são as     espuma:
pessoas que se lembram desta tradição.
Até a comunicação social, contribui para o empobrecimento da memória coletiva. Neste dia       -Tas bem? É que pareces nervosa…
todas as estações de TV, Rádio e jornais, falam no Halloween, ignorando completamente o        -Sabes como é…Estou sobre pressão!
"Pão-por-Deus”.

                                                                 Pão-por-Deus (WIKIPÉDIA)      - Conversa entre duas impressoras: Esta
                                                                                               folha é tua ou é impressão minha?


                        1 de Novembro “Dia de todos os Santos”
                       Lanche partilhado com a comunidade escolar

   No passado dia 31 de outubro as crianças da escola primária e os jardins da
   freguesia juntaram-se no adro da Igreja para partilhar o resultado do trabalho
   dos dias antecedentes a esta data. O objetivo era a confraternização e a partilha
   do bolinho confecionado pelos vários parceiros. Foram vividos momentos de
   grande animação, onde abóboras e chapéus de bruxa, alusivas ao dia do
   Halloween também estiveram presentes, recordando a cultura de outros países.
   Mais uma vez a interação entre gerações fortaleceu laços e promoveu a
   identidade grupal e comunitária.




                  Momento de brincadeira no adro
                           da Igreja                                                               Sandra Seca
                                                                                                                              3
Apanha da Azeitona no Centro de Dia

No dia 5 de novembro, juntaram-se aos nossos idosos nas imediações do centro
de dia, as crianças do pré-escolar e a primária da freguesia da Atouguia para a
apanha da azeitona.
Não faltou por parte do público mais pequeno, sinais da tradição e rigor de
outros tempos, refletidos no traje e nos utensílios que auxiliam esta tarefa.
A troca de saberes e de experiências entusiasmam estas diferentes gerações,
levando ao respeito e consideração mútua.
                                                                     Sandra Seca


                                                                                           - Hidroginástica (2 vezes
                                                                                           por semana)
                                                                                            - 1 saída por mês
                                                                                           - Convívio nas várias
                                                                                           localidades
                                                                                              (1 vez por mês)




                                                         9 de Novembro “Celebração do Magusto”

                                       Na tarde do dia 9 de Novembro juntaram-se nas instalações do Jardim Público,
                                       as crianças da escola primária, as crianças do Jardim e os utentes do Centro de
                                       Dia, para celebrar o dia de S. Martinho.
                                       A tarde abriu com uma representação da lenda de S. Martinho, apresentada pelos
                                       nossos idosos do centro de Dia, seguindo-se de cantigas, adivinhas e lengalengas
                                       representadas pelas crianças, por fim, já no espaço exterior comeram-se
 - Ginástica (1 vez por dia)           castanhas e bolo acompanhadas de groselha, tendo os mais velhos direito a um
 - Manutenção do Quintal dos           abafadinho.
 Avós (diariamente)                    Uma tarde muito bem passada, onde mais uma vez as diferentes gerações
 -Atividades interegeracionais         demonstraram o afeto, o carinho e o respeito mútuo, assim como os responsáveis
 (sempre que se proporcionarem)        das diferentes áreas, empenhados em proporcionar convívios salutares.




                                                                                                        Sandra Seca




                                                                                                                   4
16 de Novembro “Dia do Não Fumador”

No dia 19 de Novembro, desfilaram pelas ruas da Atouguia, crianças da escola primária, do jardim
público e idosos do Centro de Dia com o objetivo de sensibilizar a população para os malefícios do
tabagismo, tendo em conta o passado dia 16, data em que se celebra o “dia do não fumador”.
Esta iniciativa juntou todos os elementos no adro da Igreja para um aquecimento, onde todos fizeram
exercício físico, modelo de uma prática saudável. Seguiu-se uma caminhada até à pastelaria da
farmácia, na qual, foram entregues às pessoas com quem se deparava, folhetos elaborados pelas
crianças, alertando os mesmos, para os danos físicos do tabaco.
Uma caminhada que permitiu desfrutar de alegria e conversa ao longo da rua, na interação com as
pessoas com que se cruzava, não esquecendo a causa, propósito da marcha.

                                                                                           Sandra Seca




                                          20 de Novembro “Aniversário do Centro de Dia”

                               Dia 20 de Novembro celebrou-se nas instalações do Centro de Dia, o
                               aniversário desta valência. Juntaram-se aos idosos as restantes valências,
                               representadas pelas crianças do ATL e Jardim de Infância, onde todos
                               cantaram os parabéns e comeram bolo de aniversário. As crianças quer do
                               ATL, quer do Jardim, presentearam o Centro de Dia com um presente
                               expresso numa Tela, com a marca de todos os participantes nesta atividade,
                               uma oferta que foi colocada à posterior nas paredes do edifício do centro de
                               Dia, rememorando o momento.
                               A presença de todos contribuiu para o reforço da identidade institucional, com
                               diferentes respostas sociais integradas num único lema, o “serviço à
                               comunidade”.
                                                                                                   Sandra seca




                                                             Presente das
                                                           crianças do ATL




                                                                Presente das crianças do
                                                                        Jardim
                                                                                                         5
História e Missão do Centro de Dia

O Centro Social e Paroquial da freguesia da Atouguia é uma Instituição de
Solidariedade Social, inspirado no evangelho e no amor Cristão. O edifício do
Centro de Dia foi construído em terreno oferecido pelo casal Manuel Vieira da
Silva e Maria Virgínia dos Reis Oliveira.
A construção foi iniciada em 24 de Agosto de 1991 e inaugurada em 20 de
Novembro de 1993.
A Valência é constituída por uma Residência de longa permanência para idosos,
albergando cerca de 16 utentes.
O Centro de Dia constitui uma resposta social que contribuiu para a valorização
pessoal, partilha de conhecimentos e experiências pessoais, proporciona durante
o dia a resolução de necessidades básicas, pessoais, terapêuticas e socioculturais
às pessoas afetadas por diferentes graus de dependência, contribui para a
manutenção da pessoa no seu meio familiar.
De segunda a sexta os serviços prestados prendem-se com:                               A Direção do Centro soial
•Apoio psicossocial,
•Alimentação,                                                                         de Atouguia agradece:
•Higiene pessoal,
•Tratamento de roupas,                                                                Ao utente de centro de dia
•Cuidados de saúde a nível de enfermagem e apoio médico,
•Acompanhamento ao exterior,
                                                                                      pelo vinho que ofereceu; à
•Convívio, animação, passeios e visitas guiadas.                                      Maria Antónia Alho pelos
                                                                                      oferta dos legumes e pelos
 O Serviço de Apoio Domiciliário consiste na prestação de cuidados
                                                                                      panos bordados de natal
individualizados e personalizados, no domicílio, a pessoas em situação de
dependência.                                                                          ;aos fornecedores
 Os Objetivos do Serviço de Apoio Domiciliário são:                                   (Talinamed;
- Contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas e famílias; prestar     Abrancongelados; Alda…,
cuidados de ordem física e apoio psicossocial aos utentes e famílias, de modo a
contribuir para o seu equilíbrio e bem-estar; apoiar os utentes e famílias na         pelas ofertas de bolo de rei,
satisfação das necessidades básicas e atividades da vida diária;                      tronco de natal, legumes e
                                                                                      frutas………………
Os serviços prestados no Serviço de Apoio Domiciliário são os seguintes:
- Distribuição diária de almoço;                                                      Á Junta de freguesia pelo
- Prestação de cuidados de higiene;                                                   donativo dos bolos de rei;
- Arrumação e pequenas limpezas no domicílio;                                         ao utente de apoio
- Tratamento de roupa;
- Acompanhamento, recreação e convívio;
                                                                                      domiciliário que fez um
- Apoio psicossocial;                                                                 donativo monetário.
O Centro de Convívio é uma resposta social, desenvolvida em equipamento aberto,
que está organizada com o objetivo de constituir um tempo de convivência entre
pessoas da comunidade, promovendo a união, a participação, a interação, o
convívio social, emocional e afetivo dos sujeitos participativos.

O Centro Social e Paroquial da Atouguia não é propriedade do governo, é uma
Instituição da Igreja local, constituída em personalidade canónica e civil.
                                                                        Sandra Seca




                                                                                                                      6
14 de Dezembro “Festa de Natal entre valências”

              Dia 14 de Novembro, as diferentes valências da Instituição em
              conjunto com a escola primária e o jardim público festejaram a festa
              de Natal no Salão Paroquyial, proporcionando a todos os presentes
              no período da manhã, um espetáculo de canções alusivas à época
              terminando com a entrega de presentes às crianças.
              A festa de Natal prosseguiu num segundo tempo nas instalações do
              jardim da Instituição, durante a tarde, sendo este aberto, pelos
              utentes do centro de Dia, com uma peça de teatro. A tarde terminou
              com a visualização de filmes referentes ao Natal, onde crianças e
              idosos vivenciaram as mesmas experiências e em comum se
              divertiram com a animação proporcionada.
                                                             Sandra Seca




              Atuação da escola primária no salão
              Paroquial
                                                    Dramatização de uma peça
                                                    de teatro pelos idosos




          17 de Dezembro, Ação de Sensibilização “Comércio Seguro” no Vila Shopping

No passado dia 17 de Dezembro, a convite da Guarda Nacional Republicana, as valências de ATL e
Centro de Dia Juntaram-se no Vila Shopping para uma ação de sensibilização intitulada “Comércio
Seguro”, tendo por destino os comerciantes e os seus clientes. Nesta atividade idosos, crianças e GNR
presentes, abordavam a população alertando para procedimentos de segurança, prevenindo situações
de assalto e de publicidade enganosa.
Por fim a gerência do Inter-Marché presenteou os participantes com um miminho, marcando a
passagem, deixando a todos muito agradecidos.
Uma atividade que a todos encantou, pois a alegria e satisfação era notória, uma oportunidade de
encontros com gente conhecida e de convívio.
                                                                                Sandra Seca




                                                                                                7
21 de Dezembro “ Confraternização de Natal
         entre o ATL e Centro de Dia”

Despertar para o sentido da partilha num tempo de       21 de Dezembro “Jantar de Natal entre
mudança pretende ser o objetivo do trabalho                 colaboradores da Instituição”
realizado entre estas duas gerações opostas, as
crianças e os idosos, fomentando a aproximação e       A direção do Centro Social promoveu um
a cumplicidade entre estas duas faixas etárias num     jantar de Natal no restaurante “ Vale
encontro de tempos e de experiências diferentes        Lagoas”, juntando todos os seus
unidos pelo mais verdadeiro dos sentimentos: o         colaboradores.
Amor.                                                  O jantar abriu com a intervenção do Padre
Neste sentido as duas valências proporcionaram         Varela fazendo um discurso, onde
um lanche partilhado que antecedeu o Natal, um         agradeceu a dedicação e o tempo de
encontro que pretendeu destacar o afeto,               permanência da direção ao serviço do
promovendo o amor, o carinho e a amizade de uns        Centro Social, um trabalho gratuito,
em relação aos outros.                                 desenvolvido tendo em conta as
                                                       necessidades da Instituição, gerando frutos
                                      Sandra Seca e elevando o seu bom nome, sendo este
                                                       reconhecido e referenciado por outras
                                                       Instituições. Elogiou também o trabalho
                                                       de todos os colaboradores, deixando a
                                                       promessa de participar mais na vida da
                                                       instituição, pelo menos, visitando um
                                                       pouco mais as valências onde está menos
                                                       presente, sobretudo o Jardim de Infância.
                                                       Seguiu-se um discurso do Sr. Joaquim
         Ferreira, exprimindo o grande afeto que tem por a casa de dirigiu durante 15 anos,
         deixando palavras de gratidão á equipa com quem trabalhou e estreitou laços de
         amizade ao longo dos anos. Prometeu estar sempre disponível para colaborar, sempre
         que a ajuda for requisitada pelos seus colegas.
         O jantar decorreu num ambiente descontraído e alegre, estando bem presente o espírito
         Natalício.
         Um obrigada por este momento, pois são oportunidades salutares intrínsecas às relações
         interpessoais fora do contexto laboral.
                                                                                      Sandra Seca
                           24 de Dezembro “ Festa de Natal no Centro de Dia”

         O Centro de Dia proporcionou no dia 24 de Dezembro um dia diferente aos seus utentes,
         realizando um convívio embebido de um espírito Natalício, contando com as diferentes
         valências que o constituem, Centro de Dia, Residência e Apoio Domiciliário.
         Os utentes tiveram uma missa celebrada pelo Padre Varela, sucedendo-se a
         confraternização de um almoço, seguida de animação, terminando a meio da tarde com
         a saída de quase todos os utentes, que também passaram esta consoada com as suas
         famílias.

                                                                                     Sandra Seca




                                                                                                     8
O suicídio na pessoa idosa

O suicídio entre pessoas idosas constitui hoje um grave problema para as sociedades, infelizmente tem-se
dado pouco valor a esta realidade.
A população acima de 65 anos é a que mais cresce para o suicídio tendo como justificação os problemas
familiares, sociais, doença mental e de saúde. Ora isto significa que com o aumento da idade denotam-se
os processos biológicos e psicológicos que podem induzir a pessoa a consumar o ato do suicídio ou
mesmo a tentativa.
Podemos analisar os vários fatores associados ao risco de suicídio, no que se refere às doenças e
transtornos mentais, nos estudos realizados através de técnicas específicas revelam que a maior fatia dos
idosos que cometem tal ato é devido a algum tipo de transtorno, de seguida devido a uma depressão, uma
pequena percentagem devido a algum tipo de problema como por exemplo a rigidez na forma de ver a
vida e obsessão.
Um dado curioso é o fato de estudos evidenciarem que não existe qualquer associação de suicídio com
doenças mentais, muito comuns nesta faixa etária, como Alzheimer, demências ou outras doenças ligadas
á memória. Associa-se o processo de adoecimento mental a problemas de saúde física, ao isolamento e à
falta de suporte social, fatores esses que também se relacionam à ocorrência de suicídio. As principais
expressões da depressão são: existir um mau humor persistente, falta de interesse e de alegria de viver,
sentimento de que as energias estão se esvanecendo, tristeza, atitudes negativas, fadiga constante e
persistente, distúrbios do sono e do apetite, desesperança e vontade de morrer.
Existe um preconceito segundo o qual as pessoas idosas sejam naturalmente deprimidas por causa da
idade, a depressão não é um fato normal do envelhecimento.
Ao nível da saúde a presença de algumas doenças graves, são consideradas um fator de risco para o
suicídio, como por exemplo, o cancro, alguns problemas no sistema nervoso central, complicações
cardiopulmonares e doenças urogenitais em homens. Entretanto, pesquisadores consideram que a
experiência de uma doença grave pode provocar depressão em idosos, mas não existe relação direta entre
o estado de saúde física e ideação ou tentativa de suicídio.
Em relação aos fatores socias e familiares, tais fatores são principalmente, a morte de uma pessoa querida,
principalmente de um cônjuge; doença terminal com dores incontroláveis; medo do prolongamento da
vida sem dignidade, trazendo prejuízos econômicos e emocionais aos familiares; isolamento social;
mudanças nos papéis sociais que lhes conferiam reconhecimento; ou situações de dependência física ou
mental diante das quais o idoso se sente humilhado.
Existem estudos realizados por meio de autópsias sociopsicológicas evidenciam que problemas
financeiros, dificuldades de relacionamento, brigas na família, isolamento social e solidão são os motivos
sociais mais frequentes de desencadeamento de suicídios em idosos
 A solidão pode ocorrer mesmo que o idoso conviva com muitas pessoas. A situação de isolamento social
e de solidão afeta principalmente os homens, tornando-se, no caso deles, um fator de risco para suicídio.
Ao contrário, o cultivo de amizades e de relacionamentos é um fator preventivo importante tanto contra a
depressão como contra a ideação e efetivação do ato suicida. É fundamental o contato humano e o suporte
social para que os idosos não coloquem em risco sua vida. Nota-se que a falta de interação social é um
dos mais relevantes problemas a serem enfrentados na prevenção do suicídio nesse grupo social, mesmo
no caso em que as pessoas não sofram transtornos mentais. É muito importante o idoso ter um sentido de
ligação social e de participação na vida comunitária é uma medida preventiva contra o suicídio em
pessoas idosas.
Conclui-se sobre suicídio que as mulheres idosas têm mais ideação e produzem mais tentativas de dar
cabo à vida; os homens são os que mais chegam ao ato final. O grupo de idosos acima de 80 anos é o que
mais se envolve com pensamentos, sentimentos, tentativas e execução do suicídio. Ao nível de saúde são
as doenças graves e degenerativas, dependência física, distúrbios e sofrimentos mentais e, sobretudo,
depressão severa. A depressão é o mais relevante fator associado ao suicídio, na quase totalidade das
pesquisas.



                                                                                                              9
Do ponto de vista do papel da saúde pública, as manifestações do desejo de se matar ou alguma ação
nesse sentido devem ser tratadas imediatamente, buscando as causas mais próximas e evitando-se a
consumação do ato. Do ponto de vista dos cuidados médicos, é preciso focalizar a depressão como o fator
singular desencadeador mais relevante. Outras ações devem ser promovidas, como os cuidados médicos
que ajudem a diminuir sofrimentos e dependências, e ações sociais que auxiliem pessoas idosas a terem
uma vida em interação com sua comunidade e a chegarem com dignidade ao final da vida.


                                                                                        Mónica Matias




EXERCÍCIO FÍSICO NA TERCEIRA IDADE




Ter uma vida saudável depende de uma boa alimentação e a prática regular de exercícios físicos.
Porém, quando chegamos a uma idade avançada, o nosso corpo perde a agilidade de fazer
caminhadas e exercícios, devido ao enfraquecimento dos ossos. Portanto, a atividade física na
terceira idade é essencial para quem quer manter uma vida saudável e aumentar sua qualidade e
expectativa de vida.

A prática regular de exercícios físicos na terceira idade traz inúmeros benefícios, e entre eles estão
o aumento do HDL - colesterol, a redução dos triglicerídeos, diminuição da pressão arterial,
redução da gordura corporal devido ao aumento do gasto calórico diário, ganho de massa
muscular propiciando ao idoso maior autonomia funcional, diminuição de lesões causadas por
quedas, etc., além de ajudar a prevenir doenças cardíacas e vasculares, hipertensão arterial,
diabetes, câncer de mama e próstata, obesidade, osteoporose, stress, depressão, etc.

O ideal é fazer duas vezes na semana, de 45 a 60 minutos, exercícios tais como: caminhadas,
hidroginástica, bicicleta, e fazer exercícios de fortalecimento muscular, sempre acompanhados por
alguém que entenda estes tipos de exercícios. E muito importante que seja feito o controle da
frequência cardíaca de cada exercício, porque nem todos tem as mesmas capacidades físicas e
cada um tem as suas patologias.

                                                                           Mónica Matias




                                                                                                          10
Segundo os censos de 2001 cerca de 20% da sociedade portuguesa tem 65 anos e a tendência
para esta realidade tende a crescer cada vez mais.
As capacidades funcionais e a perda de papéis sociais ativos levam por si só a uma
diminuição dos recursos económicos. As relações sociais e a troca do apoio social diminuem,
surgindo o sentimento de solidão fortemente relacionado com o isolamento social e o viver só.
A diminuição dos recursos económicos tem repercussões na autoestima, no bem-estar e na
qualidade de vida, levando ao aumento de patologias e a comportamentos depressivos.




      Perante a conjuntura económica e social atual, como serão
      os dias futuros desta sociedade que vive atormentada e
      insegura com a realidade na qual está inserida, onde as
      desigualdades sociais, a pobreza e a exclusão social estão
      cada vez mais acentuadas?

      Serão o fim dos nossos dias numa casa solitária, como seres
      sós, onde os cantos se perdem e os recantos se esquecem e em
      que talvez a única companhia sejam os livros e os objetos de
      culto….?

                                                        Sandra
      Seca



*Soluções Adivinhas

*1- R: Comprar creme para os pontos
negros!
*2- R: Hipop Tuga
*3- R: O Papa reza e o Mercedes Benze
*4- R: -Pedindo o divórcio.                                                         Jornal:
*5- R: -Viúvo.

                                                                 Diretora: Dr.ª Mónica Matias
                                                                        Redação e fotografia:
                                                                  Mónica Matias e Sandra Seca
                                                              Design e paginação: Sandra Seca



                                                                                         11

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Guia de atividades agua para a vida
Guia de atividades agua para a vidaGuia de atividades agua para a vida
Guia de atividades agua para a vida
Adrielle Saldanha
 
Registro de memória Mostra Cultural Jacundá Nossa História Nossa Vida
Registro de memória Mostra Cultural Jacundá Nossa História Nossa VidaRegistro de memória Mostra Cultural Jacundá Nossa História Nossa Vida
Registro de memória Mostra Cultural Jacundá Nossa História Nossa Vida
André Moraes
 
Informativo Agosto 2013
Informativo Agosto 2013Informativo Agosto 2013
Informativo Agosto 2013
Cng Redentorista
 
Projeto Meio Ambiente - Um plano para salvar o planeta
Projeto Meio Ambiente - Um plano para salvar o planetaProjeto Meio Ambiente - Um plano para salvar o planeta
Projeto Meio Ambiente - Um plano para salvar o planeta
Cirlei Santos
 
Observatorio tradicoes ajtg
Observatorio tradicoes ajtgObservatorio tradicoes ajtg
Observatorio tradicoes ajtg
Elsa Fernandes
 
Blog noticias-set 2015-web
Blog noticias-set 2015-webBlog noticias-set 2015-web
Blog noticias-set 2015-web
SimoneHelenDrumond
 
Revista
RevistaRevista
Casas Lares Humberto de campos
Casas Lares Humberto de camposCasas Lares Humberto de campos
Casas Lares Humberto de campos
cristianesbroggio
 
Relatório de atividades Nures 2014
Relatório de atividades Nures 2014 Relatório de atividades Nures 2014
Relatório de atividades Nures 2014
coeppelotas
 
Jornal da escola
Jornal da escolaJornal da escola
Jornal da escola
Hugo Maciel
 
Portfólio pacto ambiental
Portfólio pacto ambientalPortfólio pacto ambiental
Portfólio pacto ambiental
Pacto Ambiental
 
Trabalho de area de pprojecto!
Trabalho de area de pprojecto!Trabalho de area de pprojecto!
Trabalho de area de pprojecto!
Russinha-9
 
Jornal escola 3ª Edição
Jornal escola 3ª EdiçãoJornal escola 3ª Edição
Jornal escola 3ª Edição
ANTONIO NILTON GOMES santos
 
Jornal LD&Cia
Jornal LD&CiaJornal LD&Cia
Jornal LD&Cia
Otávio Aguiar Campos
 
Jornal julho
Jornal julhoJornal julho
Jornal julho
funsag
 
Jornal escola
Jornal escolaJornal escola

Mais procurados (16)

Guia de atividades agua para a vida
Guia de atividades agua para a vidaGuia de atividades agua para a vida
Guia de atividades agua para a vida
 
Registro de memória Mostra Cultural Jacundá Nossa História Nossa Vida
Registro de memória Mostra Cultural Jacundá Nossa História Nossa VidaRegistro de memória Mostra Cultural Jacundá Nossa História Nossa Vida
Registro de memória Mostra Cultural Jacundá Nossa História Nossa Vida
 
Informativo Agosto 2013
Informativo Agosto 2013Informativo Agosto 2013
Informativo Agosto 2013
 
Projeto Meio Ambiente - Um plano para salvar o planeta
Projeto Meio Ambiente - Um plano para salvar o planetaProjeto Meio Ambiente - Um plano para salvar o planeta
Projeto Meio Ambiente - Um plano para salvar o planeta
 
Observatorio tradicoes ajtg
Observatorio tradicoes ajtgObservatorio tradicoes ajtg
Observatorio tradicoes ajtg
 
Blog noticias-set 2015-web
Blog noticias-set 2015-webBlog noticias-set 2015-web
Blog noticias-set 2015-web
 
Revista
RevistaRevista
Revista
 
Casas Lares Humberto de campos
Casas Lares Humberto de camposCasas Lares Humberto de campos
Casas Lares Humberto de campos
 
Relatório de atividades Nures 2014
Relatório de atividades Nures 2014 Relatório de atividades Nures 2014
Relatório de atividades Nures 2014
 
Jornal da escola
Jornal da escolaJornal da escola
Jornal da escola
 
Portfólio pacto ambiental
Portfólio pacto ambientalPortfólio pacto ambiental
Portfólio pacto ambiental
 
Trabalho de area de pprojecto!
Trabalho de area de pprojecto!Trabalho de area de pprojecto!
Trabalho de area de pprojecto!
 
Jornal escola 3ª Edição
Jornal escola 3ª EdiçãoJornal escola 3ª Edição
Jornal escola 3ª Edição
 
Jornal LD&Cia
Jornal LD&CiaJornal LD&Cia
Jornal LD&Cia
 
Jornal julho
Jornal julhoJornal julho
Jornal julho
 
Jornal escola
Jornal escolaJornal escola
Jornal escola
 

Destaque

Psicopedagogía jimmy falcones
Psicopedagogía jimmy falconesPsicopedagogía jimmy falcones
Psicopedagogía jimmy falcones
chititobebe
 
Atividade 28 02-13
Atividade  28 02-13Atividade  28 02-13
Atividade 28 02-13
profmariaduarte
 
Pirateriaaaa
PirateriaaaaPirateriaaaa
Pirateriaaaa
lcardonag18
 
Laminasanmar
LaminasanmarLaminasanmar
Laminasanmar
anmaralvarado
 
El Couto Mixto, la olvidada Andorra entre España y Portugal
El Couto Mixto, la olvidada Andorra entre España y PortugalEl Couto Mixto, la olvidada Andorra entre España y Portugal
El Couto Mixto, la olvidada Andorra entre España y Portugal
ireneuc
 
Taller ayudas tecnicas(alimentacion)chipi sep(dia2)
Taller ayudas tecnicas(alimentacion)chipi  sep(dia2)Taller ayudas tecnicas(alimentacion)chipi  sep(dia2)
Taller ayudas tecnicas(alimentacion)chipi sep(dia2)
Gabriela Ascencio
 
Slide share
Slide shareSlide share
Slide share
pksebas
 
Respiração celular
Respiração celularRespiração celular
Respiração celular
Estude Mais
 
Jgvc m4 a1_proyecto
Jgvc m4 a1_proyectoJgvc m4 a1_proyecto
Jgvc m4 a1_proyecto
Memo_6
 
Planificación estratégica
Planificación estratégicaPlanificación estratégica
Planificación estratégica
Eumirur
 
Bitácora jardín botánico juliana y majose
Bitácora jardín botánico juliana y majoseBitácora jardín botánico juliana y majose
Bitácora jardín botánico juliana y majose
majosedavilariano
 
25.471.267 - Jorge Luis Negrete. C - Capitulo 1
25.471.267 - Jorge Luis Negrete. C - Capitulo 125.471.267 - Jorge Luis Negrete. C - Capitulo 1
25.471.267 - Jorge Luis Negrete. C - Capitulo 1
24segundos
 
Anexo 2. resultados pruebas saber once
Anexo 2. resultados pruebas saber onceAnexo 2. resultados pruebas saber once
Anexo 2. resultados pruebas saber once
canoluis
 
Recuperacion Del Segundo Periodo
Recuperacion Del Segundo PeriodoRecuperacion Del Segundo Periodo
Recuperacion Del Segundo Periodo
DnielCarrillo
 
Imagenes de motivación
Imagenes de motivaciónImagenes de motivación
Imagenes de motivación
cesaraugustocamascavenero
 
Las tecnologías de la información y la comunicación
Las tecnologías de la información y la comunicaciónLas tecnologías de la información y la comunicación
Las tecnologías de la información y la comunicación
KarlisMendoza
 
Proposiciones
ProposicionesProposiciones
Proposiciones
angel gimenez
 
que es slideshare?
que es slideshare?que es slideshare?
que es slideshare?
pksebas
 
Gabriel orozco practica_word
Gabriel orozco practica_wordGabriel orozco practica_word
Gabriel orozco practica_word
GaboAlbertoOrozco
 
power point la tecnologia ?
power point la tecnologia ?power point la tecnologia ?
power point la tecnologia ?
9203y3104
 

Destaque (20)

Psicopedagogía jimmy falcones
Psicopedagogía jimmy falconesPsicopedagogía jimmy falcones
Psicopedagogía jimmy falcones
 
Atividade 28 02-13
Atividade  28 02-13Atividade  28 02-13
Atividade 28 02-13
 
Pirateriaaaa
PirateriaaaaPirateriaaaa
Pirateriaaaa
 
Laminasanmar
LaminasanmarLaminasanmar
Laminasanmar
 
El Couto Mixto, la olvidada Andorra entre España y Portugal
El Couto Mixto, la olvidada Andorra entre España y PortugalEl Couto Mixto, la olvidada Andorra entre España y Portugal
El Couto Mixto, la olvidada Andorra entre España y Portugal
 
Taller ayudas tecnicas(alimentacion)chipi sep(dia2)
Taller ayudas tecnicas(alimentacion)chipi  sep(dia2)Taller ayudas tecnicas(alimentacion)chipi  sep(dia2)
Taller ayudas tecnicas(alimentacion)chipi sep(dia2)
 
Slide share
Slide shareSlide share
Slide share
 
Respiração celular
Respiração celularRespiração celular
Respiração celular
 
Jgvc m4 a1_proyecto
Jgvc m4 a1_proyectoJgvc m4 a1_proyecto
Jgvc m4 a1_proyecto
 
Planificación estratégica
Planificación estratégicaPlanificación estratégica
Planificación estratégica
 
Bitácora jardín botánico juliana y majose
Bitácora jardín botánico juliana y majoseBitácora jardín botánico juliana y majose
Bitácora jardín botánico juliana y majose
 
25.471.267 - Jorge Luis Negrete. C - Capitulo 1
25.471.267 - Jorge Luis Negrete. C - Capitulo 125.471.267 - Jorge Luis Negrete. C - Capitulo 1
25.471.267 - Jorge Luis Negrete. C - Capitulo 1
 
Anexo 2. resultados pruebas saber once
Anexo 2. resultados pruebas saber onceAnexo 2. resultados pruebas saber once
Anexo 2. resultados pruebas saber once
 
Recuperacion Del Segundo Periodo
Recuperacion Del Segundo PeriodoRecuperacion Del Segundo Periodo
Recuperacion Del Segundo Periodo
 
Imagenes de motivación
Imagenes de motivaciónImagenes de motivación
Imagenes de motivación
 
Las tecnologías de la información y la comunicación
Las tecnologías de la información y la comunicaciónLas tecnologías de la información y la comunicación
Las tecnologías de la información y la comunicación
 
Proposiciones
ProposicionesProposiciones
Proposiciones
 
que es slideshare?
que es slideshare?que es slideshare?
que es slideshare?
 
Gabriel orozco practica_word
Gabriel orozco practica_wordGabriel orozco practica_word
Gabriel orozco practica_word
 
power point la tecnologia ?
power point la tecnologia ?power point la tecnologia ?
power point la tecnologia ?
 

Semelhante a 1ª edição do Jornal do centro Social e Paroquial da Atouguia - Outubro a Dezembro 2012

Jornal centro Social e Paroquial da Atouguia edição nº 4
Jornal centro Social e Paroquial da Atouguia edição nº 4Jornal centro Social e Paroquial da Atouguia edição nº 4
Jornal centro Social e Paroquial da Atouguia edição nº 4
Csp Atouguia
 
Boletim
BoletimBoletim
Materia lar idosos
Materia lar idososMateria lar idosos
Materia lar idosos
iurdpt
 
Revista Educação Cidadã - 1ª Edição
Revista Educação Cidadã - 1ª EdiçãoRevista Educação Cidadã - 1ª Edição
Revista Educação Cidadã - 1ª Edição
Deborah Brito
 
Boletim projeto nós
Boletim projeto nósBoletim projeto nós
Boletim projeto nós
Fatima Campos
 
Boletim projeto nós
Boletim projeto nósBoletim projeto nós
Boletim projeto nós
Fatima Campos
 
Jornal do centro 2013 edição nº 3
Jornal do centro 2013   edição nº 3Jornal do centro 2013   edição nº 3
Jornal do centro 2013 edição nº 3
Csp Atouguia
 
Plano anual de Actividades_Morangos.pdf
Plano anual de Actividades_Morangos.pdfPlano anual de Actividades_Morangos.pdf
Plano anual de Actividades_Morangos.pdf
DenisedeSousa3
 
O nosso maior projeto.
O nosso maior projeto.O nosso maior projeto.
O nosso maior projeto.
Ana Arsénio
 
Jornal 16
Jornal 16Jornal 16
Jornal 16
Rafaela
 
Evora solidária
Evora solidáriaEvora solidária
Evora solidária
João Passinhas
 
Plano resgate dos valores etica e cidadania de simone helen drumond
Plano resgate dos valores   etica e cidadania de simone helen drumondPlano resgate dos valores   etica e cidadania de simone helen drumond
Plano resgate dos valores etica e cidadania de simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Lancheira sorriso em movimento
Lancheira sorriso em movimentoLancheira sorriso em movimento
Lancheira sorriso em movimento
Bárbara Martins
 
Boletim 3
Boletim 3Boletim 3
Boletim 3
adelinafonseca
 
Participa+: Plataforma de Aprendizagem, Colaboração e Partilha do Concelho da...
Participa+: Plataforma de Aprendizagem, Colaboração e Partilha do Concelho da...Participa+: Plataforma de Aprendizagem, Colaboração e Partilha do Concelho da...
Participa+: Plataforma de Aprendizagem, Colaboração e Partilha do Concelho da...
Lusoinfo II Multimédia
 
Projeto EDUCAÇÃO E VIDA 2015
Projeto EDUCAÇÃO E VIDA 2015Projeto EDUCAÇÃO E VIDA 2015
Projeto EDUCAÇÃO E VIDA 2015
João Aloisio Braun
 
Revista Vitória do Riso 2012
Revista Vitória do Riso 2012Revista Vitória do Riso 2012
Revista Vitória do Riso 2012
Andre Vescovi Mattiuzzi
 
Revista2013
Revista2013Revista2013
Revista2013
António Pereira
 
88171503 educacao-ambiental
88171503 educacao-ambiental88171503 educacao-ambiental
88171503 educacao-ambiental
Keila Carvalho
 
PLANO ANUAL DE ATIVIDADES (EB1/JI DE S. MIGUEL) 2013/2014
PLANO ANUAL DE ATIVIDADES (EB1/JI DE S. MIGUEL) 2013/2014PLANO ANUAL DE ATIVIDADES (EB1/JI DE S. MIGUEL) 2013/2014
PLANO ANUAL DE ATIVIDADES (EB1/JI DE S. MIGUEL) 2013/2014
SalaAmarela Enxara Do Bispo
 

Semelhante a 1ª edição do Jornal do centro Social e Paroquial da Atouguia - Outubro a Dezembro 2012 (20)

Jornal centro Social e Paroquial da Atouguia edição nº 4
Jornal centro Social e Paroquial da Atouguia edição nº 4Jornal centro Social e Paroquial da Atouguia edição nº 4
Jornal centro Social e Paroquial da Atouguia edição nº 4
 
Boletim
BoletimBoletim
Boletim
 
Materia lar idosos
Materia lar idososMateria lar idosos
Materia lar idosos
 
Revista Educação Cidadã - 1ª Edição
Revista Educação Cidadã - 1ª EdiçãoRevista Educação Cidadã - 1ª Edição
Revista Educação Cidadã - 1ª Edição
 
Boletim projeto nós
Boletim projeto nósBoletim projeto nós
Boletim projeto nós
 
Boletim projeto nós
Boletim projeto nósBoletim projeto nós
Boletim projeto nós
 
Jornal do centro 2013 edição nº 3
Jornal do centro 2013   edição nº 3Jornal do centro 2013   edição nº 3
Jornal do centro 2013 edição nº 3
 
Plano anual de Actividades_Morangos.pdf
Plano anual de Actividades_Morangos.pdfPlano anual de Actividades_Morangos.pdf
Plano anual de Actividades_Morangos.pdf
 
O nosso maior projeto.
O nosso maior projeto.O nosso maior projeto.
O nosso maior projeto.
 
Jornal 16
Jornal 16Jornal 16
Jornal 16
 
Evora solidária
Evora solidáriaEvora solidária
Evora solidária
 
Plano resgate dos valores etica e cidadania de simone helen drumond
Plano resgate dos valores   etica e cidadania de simone helen drumondPlano resgate dos valores   etica e cidadania de simone helen drumond
Plano resgate dos valores etica e cidadania de simone helen drumond
 
Lancheira sorriso em movimento
Lancheira sorriso em movimentoLancheira sorriso em movimento
Lancheira sorriso em movimento
 
Boletim 3
Boletim 3Boletim 3
Boletim 3
 
Participa+: Plataforma de Aprendizagem, Colaboração e Partilha do Concelho da...
Participa+: Plataforma de Aprendizagem, Colaboração e Partilha do Concelho da...Participa+: Plataforma de Aprendizagem, Colaboração e Partilha do Concelho da...
Participa+: Plataforma de Aprendizagem, Colaboração e Partilha do Concelho da...
 
Projeto EDUCAÇÃO E VIDA 2015
Projeto EDUCAÇÃO E VIDA 2015Projeto EDUCAÇÃO E VIDA 2015
Projeto EDUCAÇÃO E VIDA 2015
 
Revista Vitória do Riso 2012
Revista Vitória do Riso 2012Revista Vitória do Riso 2012
Revista Vitória do Riso 2012
 
Revista2013
Revista2013Revista2013
Revista2013
 
88171503 educacao-ambiental
88171503 educacao-ambiental88171503 educacao-ambiental
88171503 educacao-ambiental
 
PLANO ANUAL DE ATIVIDADES (EB1/JI DE S. MIGUEL) 2013/2014
PLANO ANUAL DE ATIVIDADES (EB1/JI DE S. MIGUEL) 2013/2014PLANO ANUAL DE ATIVIDADES (EB1/JI DE S. MIGUEL) 2013/2014
PLANO ANUAL DE ATIVIDADES (EB1/JI DE S. MIGUEL) 2013/2014
 

Último

Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 

Último (20)

Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 

1ª edição do Jornal do centro Social e Paroquial da Atouguia - Outubro a Dezembro 2012

  • 1. Outubro/Novembro/Dezembro 2012 Número: 1 Jornal trimestral “Envelhecimento Ativo, dar mais anos à Este boletim informativo pretende ser um registo vida” das atividades relevantes realizadas ao longo de cada trimestre, nas diferentes valências que O propósito do projeto para o ano de trabalho do Centro de Dia, pretende constituem o Centro Social e Paroquial da otimizar oportunidades de participação Freguesia da Atouguia. Um trabalho que pretende em atividades entre gerações, envolver utentes e a comunidade que participa num nomeadamente os parceiros sociais trabalho direto com a Instituição. integrados na comunidade da Atouguia, tendo como objetivo principal, o reforço das relações intergeracionais, na promoção do respeito e da valorização mútua. Pontos de interesse especiais: Este trabalho deseja conceber nos nossos utentes mais velhos uma atitude pessoal de  1 de Outubro, “Dia otimismo perante a vida, promover o bem- Internacional do idoso”. estar e a inclusão social, através do  16 de Outubro, “dia da reconhecimento da importância dos alimentação”. senioes na comunidade local.  31 de Outubro “lanche partilhado com os Sandra Seca vários parceiros sociais”.  1 de Novembro, “Dia de Todos os Santos”.  9 de Novembro, “Magusto com os parceiros sociais da freguesia”.  20 de Novembro, “aniversário do Centro Manuel Jorge Ferreira: 01 de Out de Dia”. Maria Marques dos Reis: 08 de Out.  14 de Dezembro, “Festa Maria J. Veríssimo: 30 de Nov. de Natal com os Maria da Conceição: 06.de Dez. parceiros sociais da Gertrudes Ferreira: 10 de Dez. freguesia”. Joaquina Gameiro: 15 de Dezembro António Vieira Pereira: 27 de Dez. 1
  • 2. “11 de Outubro, visita das crianças do jardim público ao Centro de Dia” As crianças do jardim público juntamente com a Educadora e Auxiliar, presentearam os nossos idosos no passado dia 11 de Outubro, com uma caixa de marmelada confecionada pelos próprios, bem como, canções e danças. Uma visita que teve em conta o *1-P:O que é que uma Joaninha vai fazer a uma farmácia? dia do idoso, deixando os nossos utentes muito felizes e agradecidos pela surpresa deste público *2- P: O que faz um hipopótamo em mais pequeno. cima de uma tartaruga? Um enorme obrigado pelo gesto amigo que permitiu a troca de relações saudáveis entre gerações tão *3- P: Qual é a diferença entre um diferentes. fdfgsdcgsdgsdb Papa e um Mercedes? Sandra Seca *4 - P: Qual a maneira de uma marido se livrar de 70 quilos de gordura inútil? *5- P: Que nome se dá a um homem que ficou inteligente? P.S. As soluções encontram-se na última página do jornal Entrega de uma caixa de marmelada a uma utente. “16 de Outubro, Dia da alimentação” No passado dia 16 de Outubro os nossos utentes do centro de Dia juntaram-se às crianças da freguesia nas instalações do jardim Público para viver o dia da Alimentação com um propósito significativo. Num primeiro tempo ouvimos o Enfermeiro Eduardo que nos falou sobre a importância de uma alimentação saudável e variável, de seguida assistimos aos jogos elaborados pela escola primária para reforçar esta mesma temática, por fim terminámos com um almoço saudável ao ar livre e com uma salada de fruta compartilhada por todos os elementos participativos. Um dia diferente onde todos tivemos oportunidade de conviver e divertir. Uma iniciativa que teve a colaboração e o envolvimento de todos os parceiros sociais, uma troca positiva de experiências, permitindo a este público mais velho o reviver a longitude de uma infância. Sandra Seca 2
  • 3. A ORIGEM DO PÃO POR DEUS Em Portugal, no dia de Todos-os-Santos as crianças saem à rua e juntam-se em pequenos bandos para pedir o pão-por-deus de porta em porta. As crianças quando pedem o pão-por- deus recitam versos e recebem como oferenda: pão, broas, bolos, romãs e frutos secos, nozes, amêndoas ou castanhas, que colocam dentro dos seus sacos de pano. É também costume em algumas regiões os padrinhos oferecerem um bolo, o Santoro. Em algumas povoações chama- se a este dia o ‘Dia dos Bolinhos’. Esta tradição teve origem em Lisboa em 1756 (1 ano depois do terramoto que destruiu Lisboa). Em 1 de Novembro de 1755 ocorreu o terramoto que destruiu Lisboa, no qual morreram milhares de pessoas e a população da cidade, que era na sua maioria pobre, ainda mais pobre ficou. Como a data do terramoto coincidiu com uma data com significado religioso (1 de Novembro), de forma espontânea, no dia em que se cumpria o primeiro aniversário do terramoto, a população aproveitou a solenidade do dia para desencadear, por toda a cidade, um peditório, com a intenção de minorar a situação paupérrima em que ficaram. As pessoas, percorriam a cidade, batiam às portas e pediam que lhes fosse dada qualquer esmola, mesmo que fosse pão, dado grassar a fome pela cidade. E as pessoas pediam: "Pão por Deus". -Porque é que há mais analfabetos nos Esta tradição perpetuou-se no tempo, sendo sempre comemorada neste dia e tendo-se propagado gradualmente a todo o país. Açores e na Madeira? Até meados do séc. XX, o "Pão-por-Deus" era uma comemoração que minorava as Porque o regresso às aulas é no necessidades básicas das pessoas mais pobres (principalmente na região de Lisboa). Noutras zonas do país, foram surgindo variações na forma e no nome da comemoração. A designação continente! indicada acima (Dia dos Bolinhos) em Lisboa nunca foi utilizada, nem era sequer conhecido este nome. Nas décadas de 60 e 70 do séc. XX, a data passou a ser comemorada, mais de forma lúdica, - O que é que faz um assassino quando do que pelas razões que criaram a tradição e havia regras básicas, que eram está aborrecido? escrupulosamente cumpridas: Só podiam pedir o "Pão-por-Deus", crianças até aos 10 anos de idade (com idades superiores as pessoas recusavam-se a dar). -Mata o tempo As crianças só podiam andar na rua a pedir o "Pão-por-Deus" até ao meio-dia (depois do meio- dia, se alguma criança batesse a uma porta, levava um "raspanete", do adulto que abrisse a porta). - Diz um frasco de gel para uma lata de A partir dos anos 80 a tradição foi gradualmente desaparecendo e, atualmente, raras são as espuma: pessoas que se lembram desta tradição. Até a comunicação social, contribui para o empobrecimento da memória coletiva. Neste dia -Tas bem? É que pareces nervosa… todas as estações de TV, Rádio e jornais, falam no Halloween, ignorando completamente o -Sabes como é…Estou sobre pressão! "Pão-por-Deus”. Pão-por-Deus (WIKIPÉDIA) - Conversa entre duas impressoras: Esta folha é tua ou é impressão minha? 1 de Novembro “Dia de todos os Santos” Lanche partilhado com a comunidade escolar No passado dia 31 de outubro as crianças da escola primária e os jardins da freguesia juntaram-se no adro da Igreja para partilhar o resultado do trabalho dos dias antecedentes a esta data. O objetivo era a confraternização e a partilha do bolinho confecionado pelos vários parceiros. Foram vividos momentos de grande animação, onde abóboras e chapéus de bruxa, alusivas ao dia do Halloween também estiveram presentes, recordando a cultura de outros países. Mais uma vez a interação entre gerações fortaleceu laços e promoveu a identidade grupal e comunitária. Momento de brincadeira no adro da Igreja Sandra Seca 3
  • 4. Apanha da Azeitona no Centro de Dia No dia 5 de novembro, juntaram-se aos nossos idosos nas imediações do centro de dia, as crianças do pré-escolar e a primária da freguesia da Atouguia para a apanha da azeitona. Não faltou por parte do público mais pequeno, sinais da tradição e rigor de outros tempos, refletidos no traje e nos utensílios que auxiliam esta tarefa. A troca de saberes e de experiências entusiasmam estas diferentes gerações, levando ao respeito e consideração mútua. Sandra Seca - Hidroginástica (2 vezes por semana) - 1 saída por mês - Convívio nas várias localidades (1 vez por mês) 9 de Novembro “Celebração do Magusto” Na tarde do dia 9 de Novembro juntaram-se nas instalações do Jardim Público, as crianças da escola primária, as crianças do Jardim e os utentes do Centro de Dia, para celebrar o dia de S. Martinho. A tarde abriu com uma representação da lenda de S. Martinho, apresentada pelos nossos idosos do centro de Dia, seguindo-se de cantigas, adivinhas e lengalengas representadas pelas crianças, por fim, já no espaço exterior comeram-se - Ginástica (1 vez por dia) castanhas e bolo acompanhadas de groselha, tendo os mais velhos direito a um - Manutenção do Quintal dos abafadinho. Avós (diariamente) Uma tarde muito bem passada, onde mais uma vez as diferentes gerações -Atividades interegeracionais demonstraram o afeto, o carinho e o respeito mútuo, assim como os responsáveis (sempre que se proporcionarem) das diferentes áreas, empenhados em proporcionar convívios salutares. Sandra Seca 4
  • 5. 16 de Novembro “Dia do Não Fumador” No dia 19 de Novembro, desfilaram pelas ruas da Atouguia, crianças da escola primária, do jardim público e idosos do Centro de Dia com o objetivo de sensibilizar a população para os malefícios do tabagismo, tendo em conta o passado dia 16, data em que se celebra o “dia do não fumador”. Esta iniciativa juntou todos os elementos no adro da Igreja para um aquecimento, onde todos fizeram exercício físico, modelo de uma prática saudável. Seguiu-se uma caminhada até à pastelaria da farmácia, na qual, foram entregues às pessoas com quem se deparava, folhetos elaborados pelas crianças, alertando os mesmos, para os danos físicos do tabaco. Uma caminhada que permitiu desfrutar de alegria e conversa ao longo da rua, na interação com as pessoas com que se cruzava, não esquecendo a causa, propósito da marcha. Sandra Seca 20 de Novembro “Aniversário do Centro de Dia” Dia 20 de Novembro celebrou-se nas instalações do Centro de Dia, o aniversário desta valência. Juntaram-se aos idosos as restantes valências, representadas pelas crianças do ATL e Jardim de Infância, onde todos cantaram os parabéns e comeram bolo de aniversário. As crianças quer do ATL, quer do Jardim, presentearam o Centro de Dia com um presente expresso numa Tela, com a marca de todos os participantes nesta atividade, uma oferta que foi colocada à posterior nas paredes do edifício do centro de Dia, rememorando o momento. A presença de todos contribuiu para o reforço da identidade institucional, com diferentes respostas sociais integradas num único lema, o “serviço à comunidade”. Sandra seca Presente das crianças do ATL Presente das crianças do Jardim 5
  • 6. História e Missão do Centro de Dia O Centro Social e Paroquial da freguesia da Atouguia é uma Instituição de Solidariedade Social, inspirado no evangelho e no amor Cristão. O edifício do Centro de Dia foi construído em terreno oferecido pelo casal Manuel Vieira da Silva e Maria Virgínia dos Reis Oliveira. A construção foi iniciada em 24 de Agosto de 1991 e inaugurada em 20 de Novembro de 1993. A Valência é constituída por uma Residência de longa permanência para idosos, albergando cerca de 16 utentes. O Centro de Dia constitui uma resposta social que contribuiu para a valorização pessoal, partilha de conhecimentos e experiências pessoais, proporciona durante o dia a resolução de necessidades básicas, pessoais, terapêuticas e socioculturais às pessoas afetadas por diferentes graus de dependência, contribui para a manutenção da pessoa no seu meio familiar. De segunda a sexta os serviços prestados prendem-se com: A Direção do Centro soial •Apoio psicossocial, •Alimentação, de Atouguia agradece: •Higiene pessoal, •Tratamento de roupas, Ao utente de centro de dia •Cuidados de saúde a nível de enfermagem e apoio médico, •Acompanhamento ao exterior, pelo vinho que ofereceu; à •Convívio, animação, passeios e visitas guiadas. Maria Antónia Alho pelos oferta dos legumes e pelos O Serviço de Apoio Domiciliário consiste na prestação de cuidados panos bordados de natal individualizados e personalizados, no domicílio, a pessoas em situação de dependência. ;aos fornecedores Os Objetivos do Serviço de Apoio Domiciliário são: (Talinamed; - Contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas e famílias; prestar Abrancongelados; Alda…, cuidados de ordem física e apoio psicossocial aos utentes e famílias, de modo a contribuir para o seu equilíbrio e bem-estar; apoiar os utentes e famílias na pelas ofertas de bolo de rei, satisfação das necessidades básicas e atividades da vida diária; tronco de natal, legumes e frutas……………… Os serviços prestados no Serviço de Apoio Domiciliário são os seguintes: - Distribuição diária de almoço; Á Junta de freguesia pelo - Prestação de cuidados de higiene; donativo dos bolos de rei; - Arrumação e pequenas limpezas no domicílio; ao utente de apoio - Tratamento de roupa; - Acompanhamento, recreação e convívio; domiciliário que fez um - Apoio psicossocial; donativo monetário. O Centro de Convívio é uma resposta social, desenvolvida em equipamento aberto, que está organizada com o objetivo de constituir um tempo de convivência entre pessoas da comunidade, promovendo a união, a participação, a interação, o convívio social, emocional e afetivo dos sujeitos participativos. O Centro Social e Paroquial da Atouguia não é propriedade do governo, é uma Instituição da Igreja local, constituída em personalidade canónica e civil. Sandra Seca 6
  • 7. 14 de Dezembro “Festa de Natal entre valências” Dia 14 de Novembro, as diferentes valências da Instituição em conjunto com a escola primária e o jardim público festejaram a festa de Natal no Salão Paroquyial, proporcionando a todos os presentes no período da manhã, um espetáculo de canções alusivas à época terminando com a entrega de presentes às crianças. A festa de Natal prosseguiu num segundo tempo nas instalações do jardim da Instituição, durante a tarde, sendo este aberto, pelos utentes do centro de Dia, com uma peça de teatro. A tarde terminou com a visualização de filmes referentes ao Natal, onde crianças e idosos vivenciaram as mesmas experiências e em comum se divertiram com a animação proporcionada. Sandra Seca Atuação da escola primária no salão Paroquial Dramatização de uma peça de teatro pelos idosos 17 de Dezembro, Ação de Sensibilização “Comércio Seguro” no Vila Shopping No passado dia 17 de Dezembro, a convite da Guarda Nacional Republicana, as valências de ATL e Centro de Dia Juntaram-se no Vila Shopping para uma ação de sensibilização intitulada “Comércio Seguro”, tendo por destino os comerciantes e os seus clientes. Nesta atividade idosos, crianças e GNR presentes, abordavam a população alertando para procedimentos de segurança, prevenindo situações de assalto e de publicidade enganosa. Por fim a gerência do Inter-Marché presenteou os participantes com um miminho, marcando a passagem, deixando a todos muito agradecidos. Uma atividade que a todos encantou, pois a alegria e satisfação era notória, uma oportunidade de encontros com gente conhecida e de convívio. Sandra Seca 7
  • 8. 21 de Dezembro “ Confraternização de Natal entre o ATL e Centro de Dia” Despertar para o sentido da partilha num tempo de 21 de Dezembro “Jantar de Natal entre mudança pretende ser o objetivo do trabalho colaboradores da Instituição” realizado entre estas duas gerações opostas, as crianças e os idosos, fomentando a aproximação e A direção do Centro Social promoveu um a cumplicidade entre estas duas faixas etárias num jantar de Natal no restaurante “ Vale encontro de tempos e de experiências diferentes Lagoas”, juntando todos os seus unidos pelo mais verdadeiro dos sentimentos: o colaboradores. Amor. O jantar abriu com a intervenção do Padre Neste sentido as duas valências proporcionaram Varela fazendo um discurso, onde um lanche partilhado que antecedeu o Natal, um agradeceu a dedicação e o tempo de encontro que pretendeu destacar o afeto, permanência da direção ao serviço do promovendo o amor, o carinho e a amizade de uns Centro Social, um trabalho gratuito, em relação aos outros. desenvolvido tendo em conta as necessidades da Instituição, gerando frutos Sandra Seca e elevando o seu bom nome, sendo este reconhecido e referenciado por outras Instituições. Elogiou também o trabalho de todos os colaboradores, deixando a promessa de participar mais na vida da instituição, pelo menos, visitando um pouco mais as valências onde está menos presente, sobretudo o Jardim de Infância. Seguiu-se um discurso do Sr. Joaquim Ferreira, exprimindo o grande afeto que tem por a casa de dirigiu durante 15 anos, deixando palavras de gratidão á equipa com quem trabalhou e estreitou laços de amizade ao longo dos anos. Prometeu estar sempre disponível para colaborar, sempre que a ajuda for requisitada pelos seus colegas. O jantar decorreu num ambiente descontraído e alegre, estando bem presente o espírito Natalício. Um obrigada por este momento, pois são oportunidades salutares intrínsecas às relações interpessoais fora do contexto laboral. Sandra Seca 24 de Dezembro “ Festa de Natal no Centro de Dia” O Centro de Dia proporcionou no dia 24 de Dezembro um dia diferente aos seus utentes, realizando um convívio embebido de um espírito Natalício, contando com as diferentes valências que o constituem, Centro de Dia, Residência e Apoio Domiciliário. Os utentes tiveram uma missa celebrada pelo Padre Varela, sucedendo-se a confraternização de um almoço, seguida de animação, terminando a meio da tarde com a saída de quase todos os utentes, que também passaram esta consoada com as suas famílias. Sandra Seca 8
  • 9. O suicídio na pessoa idosa O suicídio entre pessoas idosas constitui hoje um grave problema para as sociedades, infelizmente tem-se dado pouco valor a esta realidade. A população acima de 65 anos é a que mais cresce para o suicídio tendo como justificação os problemas familiares, sociais, doença mental e de saúde. Ora isto significa que com o aumento da idade denotam-se os processos biológicos e psicológicos que podem induzir a pessoa a consumar o ato do suicídio ou mesmo a tentativa. Podemos analisar os vários fatores associados ao risco de suicídio, no que se refere às doenças e transtornos mentais, nos estudos realizados através de técnicas específicas revelam que a maior fatia dos idosos que cometem tal ato é devido a algum tipo de transtorno, de seguida devido a uma depressão, uma pequena percentagem devido a algum tipo de problema como por exemplo a rigidez na forma de ver a vida e obsessão. Um dado curioso é o fato de estudos evidenciarem que não existe qualquer associação de suicídio com doenças mentais, muito comuns nesta faixa etária, como Alzheimer, demências ou outras doenças ligadas á memória. Associa-se o processo de adoecimento mental a problemas de saúde física, ao isolamento e à falta de suporte social, fatores esses que também se relacionam à ocorrência de suicídio. As principais expressões da depressão são: existir um mau humor persistente, falta de interesse e de alegria de viver, sentimento de que as energias estão se esvanecendo, tristeza, atitudes negativas, fadiga constante e persistente, distúrbios do sono e do apetite, desesperança e vontade de morrer. Existe um preconceito segundo o qual as pessoas idosas sejam naturalmente deprimidas por causa da idade, a depressão não é um fato normal do envelhecimento. Ao nível da saúde a presença de algumas doenças graves, são consideradas um fator de risco para o suicídio, como por exemplo, o cancro, alguns problemas no sistema nervoso central, complicações cardiopulmonares e doenças urogenitais em homens. Entretanto, pesquisadores consideram que a experiência de uma doença grave pode provocar depressão em idosos, mas não existe relação direta entre o estado de saúde física e ideação ou tentativa de suicídio. Em relação aos fatores socias e familiares, tais fatores são principalmente, a morte de uma pessoa querida, principalmente de um cônjuge; doença terminal com dores incontroláveis; medo do prolongamento da vida sem dignidade, trazendo prejuízos econômicos e emocionais aos familiares; isolamento social; mudanças nos papéis sociais que lhes conferiam reconhecimento; ou situações de dependência física ou mental diante das quais o idoso se sente humilhado. Existem estudos realizados por meio de autópsias sociopsicológicas evidenciam que problemas financeiros, dificuldades de relacionamento, brigas na família, isolamento social e solidão são os motivos sociais mais frequentes de desencadeamento de suicídios em idosos A solidão pode ocorrer mesmo que o idoso conviva com muitas pessoas. A situação de isolamento social e de solidão afeta principalmente os homens, tornando-se, no caso deles, um fator de risco para suicídio. Ao contrário, o cultivo de amizades e de relacionamentos é um fator preventivo importante tanto contra a depressão como contra a ideação e efetivação do ato suicida. É fundamental o contato humano e o suporte social para que os idosos não coloquem em risco sua vida. Nota-se que a falta de interação social é um dos mais relevantes problemas a serem enfrentados na prevenção do suicídio nesse grupo social, mesmo no caso em que as pessoas não sofram transtornos mentais. É muito importante o idoso ter um sentido de ligação social e de participação na vida comunitária é uma medida preventiva contra o suicídio em pessoas idosas. Conclui-se sobre suicídio que as mulheres idosas têm mais ideação e produzem mais tentativas de dar cabo à vida; os homens são os que mais chegam ao ato final. O grupo de idosos acima de 80 anos é o que mais se envolve com pensamentos, sentimentos, tentativas e execução do suicídio. Ao nível de saúde são as doenças graves e degenerativas, dependência física, distúrbios e sofrimentos mentais e, sobretudo, depressão severa. A depressão é o mais relevante fator associado ao suicídio, na quase totalidade das pesquisas. 9
  • 10. Do ponto de vista do papel da saúde pública, as manifestações do desejo de se matar ou alguma ação nesse sentido devem ser tratadas imediatamente, buscando as causas mais próximas e evitando-se a consumação do ato. Do ponto de vista dos cuidados médicos, é preciso focalizar a depressão como o fator singular desencadeador mais relevante. Outras ações devem ser promovidas, como os cuidados médicos que ajudem a diminuir sofrimentos e dependências, e ações sociais que auxiliem pessoas idosas a terem uma vida em interação com sua comunidade e a chegarem com dignidade ao final da vida. Mónica Matias EXERCÍCIO FÍSICO NA TERCEIRA IDADE Ter uma vida saudável depende de uma boa alimentação e a prática regular de exercícios físicos. Porém, quando chegamos a uma idade avançada, o nosso corpo perde a agilidade de fazer caminhadas e exercícios, devido ao enfraquecimento dos ossos. Portanto, a atividade física na terceira idade é essencial para quem quer manter uma vida saudável e aumentar sua qualidade e expectativa de vida. A prática regular de exercícios físicos na terceira idade traz inúmeros benefícios, e entre eles estão o aumento do HDL - colesterol, a redução dos triglicerídeos, diminuição da pressão arterial, redução da gordura corporal devido ao aumento do gasto calórico diário, ganho de massa muscular propiciando ao idoso maior autonomia funcional, diminuição de lesões causadas por quedas, etc., além de ajudar a prevenir doenças cardíacas e vasculares, hipertensão arterial, diabetes, câncer de mama e próstata, obesidade, osteoporose, stress, depressão, etc. O ideal é fazer duas vezes na semana, de 45 a 60 minutos, exercícios tais como: caminhadas, hidroginástica, bicicleta, e fazer exercícios de fortalecimento muscular, sempre acompanhados por alguém que entenda estes tipos de exercícios. E muito importante que seja feito o controle da frequência cardíaca de cada exercício, porque nem todos tem as mesmas capacidades físicas e cada um tem as suas patologias. Mónica Matias 10
  • 11. Segundo os censos de 2001 cerca de 20% da sociedade portuguesa tem 65 anos e a tendência para esta realidade tende a crescer cada vez mais. As capacidades funcionais e a perda de papéis sociais ativos levam por si só a uma diminuição dos recursos económicos. As relações sociais e a troca do apoio social diminuem, surgindo o sentimento de solidão fortemente relacionado com o isolamento social e o viver só. A diminuição dos recursos económicos tem repercussões na autoestima, no bem-estar e na qualidade de vida, levando ao aumento de patologias e a comportamentos depressivos. Perante a conjuntura económica e social atual, como serão os dias futuros desta sociedade que vive atormentada e insegura com a realidade na qual está inserida, onde as desigualdades sociais, a pobreza e a exclusão social estão cada vez mais acentuadas? Serão o fim dos nossos dias numa casa solitária, como seres sós, onde os cantos se perdem e os recantos se esquecem e em que talvez a única companhia sejam os livros e os objetos de culto….? Sandra Seca *Soluções Adivinhas *1- R: Comprar creme para os pontos negros! *2- R: Hipop Tuga *3- R: O Papa reza e o Mercedes Benze *4- R: -Pedindo o divórcio. Jornal: *5- R: -Viúvo. Diretora: Dr.ª Mónica Matias Redação e fotografia: Mónica Matias e Sandra Seca Design e paginação: Sandra Seca 11