SlideShare uma empresa Scribd logo
INDICADORES DA
FAMÍLIA:
O DIVÓRCIO
REALIZADO POR:
Kátia Ablé nº 19
Raquel Santos nº25
Tatiana Pereira nº32
No âmbito da disciplina de Sociologia
CONCEITOS
DIVÓRCIO
 Dissolução legal e definitiva do vínculo
do casamento em vida dos cônjuges, a
requerimento de um contra o outro
(divórcio sem consentimento de um dos
cônjuges) ou de ambos (divórcio por
mútuo consentimento), conferindo a
cada um o direito de voltar a casar.
CASAMENTO
 Contrato celebrado entre duas pessoas
que pretendem constituir família,
mediante uma comunhão de vida. O
casamento pode celebrar-se entre
pessoas de sexo diferente ou, a partir
de 2010, do mesmo sexo.
 Após uma análise ao gráfico concluímos que em média o sexo feminino tende a casar mais cedo que o sexo
masculino.
 Em 1960, a idade média ao primeiro casamento para as mulheres era aos 24,8 anos. A partir dessa data a
idade escolhida para celebrar o matrimónio tem vindo a aumentar, registando-se assim, em 2015, uma idade
média de 31 anos.
 De igual forma, o mesmo acontece com o género masculino que na década de 60 casava por volta dos 27
anos, e, em 2015 já o fazia por volta dos 33.
0.0
10.0
20.0
30.0
40.0
1960 1970 1980 1990 2000 2010 2011 2012 2013 2014 2015
Masculino 26.9 26.6 25.4 26.2 27.5 ┴ 30. 31.1 31.4 31.7 32.1 32.5
Feminino 24.8 24.3 23.3 24.2 25.7 ┴ 29. 29.5 29.9 30.2 30.6 31.0
Milhares
Idade média ao primeiro casamento, por sexo
f
Fonte: PorData
 Analisando o gráfico, verificámos que o número de divórcios de casamentos registados pela igreja, ao longo
do tempo, foi substancialmente maior do que aqueles registados pelo civil; tendo sido as únicas exceções a
década de 60 e o ano de 70, com o civil a apresentar um maior número de dissoluções do vínculo do
casamento em relação à igreja (680 ligados ao civil, para apenas 68 dos católicos e 508 para 1,
respetivamente).
Fonte: PorData
 Depois de analisarmos o gráfico percebemos que o valor de divórcios total (celebrados pela igreja ou pelo civil) foi, ao longo
das décadas, muito inconstante, com subidas progressivas e quedas ligeiras no respetivo indicador.
 De 1960 a 70, registou-se uma quebra no número de divórcios realizados com uma diferença de 240.
 A partir da década de 70 ao ano de 2010, foi notável o crescimento do número de divórcios levados a cabo, com uma valor
estimado de aproximadamente 27 000.
 De 2010 para 2011, segundo os dados, registou-se uma nova quebra, sendo que após a data até ao ano de 2013, os valores
têm vindo, progressivamente, a descer.
 Significado deste facto será, provavelmente, o de se celebrarem cada vez menos casamentos, e por sua vez, se realizarem
menos divórcios.
Fonte: PorData
 Após uma análise a este gráfico podemos concluir que, de uma forma geral, o número de divórcios por cada
100 casamentos tem vindo, ao longo dos anos, a aumentar.
 Notámos também, que apesar de algumas quedas nos valores, quando comparadas aos números que dizem
respeitos à subida dos mesmos, estão são mais ligeiras, ou seja, menos abruptas que as outras em questão.
 Os anos mais relevantes, a partir destes dados, são, sem dúvida, os de 2010 e de 2011. 2010 pela subida
considerável em dez anos, com o ano de 2000 a registar 30 divórcios por 100 casamentos e 2010 cerca de 69
em cada 100 respetivamente. Por outro lado, o ano de 2011 pelo surpreendente facto de, em média, de 100
casamentos, terem resultado cerca de 74 divórcios.
Fonte: PorData

Mais conteúdo relacionado

Destaque

An+ílise sociol+¦gica da indisciplina e viol+¬ncia na escola relat+¦rio fin...
An+ílise sociol+¦gica da indisciplina e viol+¬ncia na escola   relat+¦rio fin...An+ílise sociol+¦gica da indisciplina e viol+¬ncia na escola   relat+¦rio fin...
An+ílise sociol+¦gica da indisciplina e viol+¬ncia na escola relat+¦rio fin...
Ana Isabel Falé
 
Degas 1834 - 1917
Degas 1834 - 1917Degas 1834 - 1917
Degas 1834 - 1917
Ana Isabel Falé
 
Pintura barroca
Pintura barrocaPintura barroca
Pintura barroca
angeldenis21
 
Caspar david friedrich_moonwatchers
Caspar david friedrich_moonwatchersCaspar david friedrich_moonwatchers
Caspar david friedrich_moonwatchers
Ana Isabel Falé
 
Impressionismo
Impressionismo Impressionismo
Impressionismo
Ellen_Assad
 
Argumentos e falácias informais
Argumentos e falácias informaisArgumentos e falácias informais
Argumentos e falácias informais
Julieta Martins
 

Destaque (6)

An+ílise sociol+¦gica da indisciplina e viol+¬ncia na escola relat+¦rio fin...
An+ílise sociol+¦gica da indisciplina e viol+¬ncia na escola   relat+¦rio fin...An+ílise sociol+¦gica da indisciplina e viol+¬ncia na escola   relat+¦rio fin...
An+ílise sociol+¦gica da indisciplina e viol+¬ncia na escola relat+¦rio fin...
 
Degas 1834 - 1917
Degas 1834 - 1917Degas 1834 - 1917
Degas 1834 - 1917
 
Pintura barroca
Pintura barrocaPintura barroca
Pintura barroca
 
Caspar david friedrich_moonwatchers
Caspar david friedrich_moonwatchersCaspar david friedrich_moonwatchers
Caspar david friedrich_moonwatchers
 
Impressionismo
Impressionismo Impressionismo
Impressionismo
 
Argumentos e falácias informais
Argumentos e falácias informaisArgumentos e falácias informais
Argumentos e falácias informais
 

Semelhante a Indicadores da Família

O ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃO MUNDIAL. UM DESAFIO NOVO.
O ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃO MUNDIAL. UM DESAFIO NOVO. O ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃO MUNDIAL. UM DESAFIO NOVO.
O ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃO MUNDIAL. UM DESAFIO NOVO.
Gláucia Castro
 
Notações da estrutura familiar em portugal
Notações da estrutura familiar em portugalNotações da estrutura familiar em portugal
Notações da estrutura familiar em portugal
Soraya Filipa
 
Aula 1 texto 1
Aula 1 texto 1Aula 1 texto 1
1º Va Grupo 03
1º Va   Grupo 031º Va   Grupo 03
1º Va Grupo 03
ProfMario De Mori
 
1º Va Grupo 03
1º Va   Grupo 031º Va   Grupo 03
1º Va Grupo 03
ProfMario De Mori
 
Nota Técnica 127 - mudanças demográficas e ação sindical
Nota Técnica 127 - mudanças demográficas e ação sindicalNota Técnica 127 - mudanças demográficas e ação sindical
Nota Técnica 127 - mudanças demográficas e ação sindical
TRAMPO Comunicação e Eventos Soares
 

Semelhante a Indicadores da Família (6)

O ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃO MUNDIAL. UM DESAFIO NOVO.
O ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃO MUNDIAL. UM DESAFIO NOVO. O ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃO MUNDIAL. UM DESAFIO NOVO.
O ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃO MUNDIAL. UM DESAFIO NOVO.
 
Notações da estrutura familiar em portugal
Notações da estrutura familiar em portugalNotações da estrutura familiar em portugal
Notações da estrutura familiar em portugal
 
Aula 1 texto 1
Aula 1 texto 1Aula 1 texto 1
Aula 1 texto 1
 
1º Va Grupo 03
1º Va   Grupo 031º Va   Grupo 03
1º Va Grupo 03
 
1º Va Grupo 03
1º Va   Grupo 031º Va   Grupo 03
1º Va Grupo 03
 
Nota Técnica 127 - mudanças demográficas e ação sindical
Nota Técnica 127 - mudanças demográficas e ação sindicalNota Técnica 127 - mudanças demográficas e ação sindical
Nota Técnica 127 - mudanças demográficas e ação sindical
 

Mais de Ana Isabel Falé

Matr iculas2017 18
Matr iculas2017 18Matr iculas2017 18
Matr iculas2017 18
Ana Isabel Falé
 
Matrículas 2017-18
Matrículas 2017-18 Matrículas 2017-18
Matrículas 2017-18
Ana Isabel Falé
 
Tópicos de análise do espaço social em memorial do convento
Tópicos de análise do espaço social em memorial do conventoTópicos de análise do espaço social em memorial do convento
Tópicos de análise do espaço social em memorial do convento
Ana Isabel Falé
 
Narrativa Épica
Narrativa ÉpicaNarrativa Épica
Narrativa Épica
Ana Isabel Falé
 
Mensagem
MensagemMensagem
Farsa de Inês Pereira de Gil Vicente
Farsa de Inês Pereira de Gil VicenteFarsa de Inês Pereira de Gil Vicente
Farsa de Inês Pereira de Gil Vicente
Ana Isabel Falé
 
Critérios valorativos
Critérios valorativosCritérios valorativos
Critérios valorativos
Ana Isabel Falé
 
Notas dos argumentos
Notas dos argumentosNotas dos argumentos
Notas dos argumentos
Ana Isabel Falé
 
Fernando Martinho
Fernando MartinhoFernando Martinho
Fernando Martinho
Ana Isabel Falé
 
O 25 de Abril na Poesia Portuguesa
O 25 de Abril na Poesia PortuguesaO 25 de Abril na Poesia Portuguesa
O 25 de Abril na Poesia Portuguesa
Ana Isabel Falé
 
Orações subordinadas completivas-correção
Orações subordinadas completivas-correçãoOrações subordinadas completivas-correção
Orações subordinadas completivas-correção
Ana Isabel Falé
 
Orações subordinadas completivas
Orações subordinadas completivasOrações subordinadas completivas
Orações subordinadas completivas
Ana Isabel Falé
 
Linhas de análise ela canta pobre ceifeira
Linhas de análise ela canta pobre ceifeiraLinhas de análise ela canta pobre ceifeira
Linhas de análise ela canta pobre ceifeira
Ana Isabel Falé
 
Fcel - alfabeto pessoal
Fcel - alfabeto pessoalFcel - alfabeto pessoal
Fcel - alfabeto pessoal
Ana Isabel Falé
 
Ft ler folhetos promocionais
Ft ler folhetos promocionaisFt ler folhetos promocionais
Ft ler folhetos promocionais
Ana Isabel Falé
 
Conetores enunciativos
Conetores enunciativosConetores enunciativos
Conetores enunciativos
Ana Isabel Falé
 
Amor amor desliga a televisao
Amor amor desliga a televisaoAmor amor desliga a televisao
Amor amor desliga a televisao
Ana Isabel Falé
 

Mais de Ana Isabel Falé (17)

Matr iculas2017 18
Matr iculas2017 18Matr iculas2017 18
Matr iculas2017 18
 
Matrículas 2017-18
Matrículas 2017-18 Matrículas 2017-18
Matrículas 2017-18
 
Tópicos de análise do espaço social em memorial do convento
Tópicos de análise do espaço social em memorial do conventoTópicos de análise do espaço social em memorial do convento
Tópicos de análise do espaço social em memorial do convento
 
Narrativa Épica
Narrativa ÉpicaNarrativa Épica
Narrativa Épica
 
Mensagem
MensagemMensagem
Mensagem
 
Farsa de Inês Pereira de Gil Vicente
Farsa de Inês Pereira de Gil VicenteFarsa de Inês Pereira de Gil Vicente
Farsa de Inês Pereira de Gil Vicente
 
Critérios valorativos
Critérios valorativosCritérios valorativos
Critérios valorativos
 
Notas dos argumentos
Notas dos argumentosNotas dos argumentos
Notas dos argumentos
 
Fernando Martinho
Fernando MartinhoFernando Martinho
Fernando Martinho
 
O 25 de Abril na Poesia Portuguesa
O 25 de Abril na Poesia PortuguesaO 25 de Abril na Poesia Portuguesa
O 25 de Abril na Poesia Portuguesa
 
Orações subordinadas completivas-correção
Orações subordinadas completivas-correçãoOrações subordinadas completivas-correção
Orações subordinadas completivas-correção
 
Orações subordinadas completivas
Orações subordinadas completivasOrações subordinadas completivas
Orações subordinadas completivas
 
Linhas de análise ela canta pobre ceifeira
Linhas de análise ela canta pobre ceifeiraLinhas de análise ela canta pobre ceifeira
Linhas de análise ela canta pobre ceifeira
 
Fcel - alfabeto pessoal
Fcel - alfabeto pessoalFcel - alfabeto pessoal
Fcel - alfabeto pessoal
 
Ft ler folhetos promocionais
Ft ler folhetos promocionaisFt ler folhetos promocionais
Ft ler folhetos promocionais
 
Conetores enunciativos
Conetores enunciativosConetores enunciativos
Conetores enunciativos
 
Amor amor desliga a televisao
Amor amor desliga a televisaoAmor amor desliga a televisao
Amor amor desliga a televisao
 

Último

Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
PatriciaZanoli
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 

Último (20)

Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 

Indicadores da Família

  • 1. INDICADORES DA FAMÍLIA: O DIVÓRCIO REALIZADO POR: Kátia Ablé nº 19 Raquel Santos nº25 Tatiana Pereira nº32 No âmbito da disciplina de Sociologia
  • 2. CONCEITOS DIVÓRCIO  Dissolução legal e definitiva do vínculo do casamento em vida dos cônjuges, a requerimento de um contra o outro (divórcio sem consentimento de um dos cônjuges) ou de ambos (divórcio por mútuo consentimento), conferindo a cada um o direito de voltar a casar. CASAMENTO  Contrato celebrado entre duas pessoas que pretendem constituir família, mediante uma comunhão de vida. O casamento pode celebrar-se entre pessoas de sexo diferente ou, a partir de 2010, do mesmo sexo.
  • 3.  Após uma análise ao gráfico concluímos que em média o sexo feminino tende a casar mais cedo que o sexo masculino.  Em 1960, a idade média ao primeiro casamento para as mulheres era aos 24,8 anos. A partir dessa data a idade escolhida para celebrar o matrimónio tem vindo a aumentar, registando-se assim, em 2015, uma idade média de 31 anos.  De igual forma, o mesmo acontece com o género masculino que na década de 60 casava por volta dos 27 anos, e, em 2015 já o fazia por volta dos 33. 0.0 10.0 20.0 30.0 40.0 1960 1970 1980 1990 2000 2010 2011 2012 2013 2014 2015 Masculino 26.9 26.6 25.4 26.2 27.5 ┴ 30. 31.1 31.4 31.7 32.1 32.5 Feminino 24.8 24.3 23.3 24.2 25.7 ┴ 29. 29.5 29.9 30.2 30.6 31.0 Milhares Idade média ao primeiro casamento, por sexo f Fonte: PorData
  • 4.  Analisando o gráfico, verificámos que o número de divórcios de casamentos registados pela igreja, ao longo do tempo, foi substancialmente maior do que aqueles registados pelo civil; tendo sido as únicas exceções a década de 60 e o ano de 70, com o civil a apresentar um maior número de dissoluções do vínculo do casamento em relação à igreja (680 ligados ao civil, para apenas 68 dos católicos e 508 para 1, respetivamente). Fonte: PorData
  • 5.  Depois de analisarmos o gráfico percebemos que o valor de divórcios total (celebrados pela igreja ou pelo civil) foi, ao longo das décadas, muito inconstante, com subidas progressivas e quedas ligeiras no respetivo indicador.  De 1960 a 70, registou-se uma quebra no número de divórcios realizados com uma diferença de 240.  A partir da década de 70 ao ano de 2010, foi notável o crescimento do número de divórcios levados a cabo, com uma valor estimado de aproximadamente 27 000.  De 2010 para 2011, segundo os dados, registou-se uma nova quebra, sendo que após a data até ao ano de 2013, os valores têm vindo, progressivamente, a descer.  Significado deste facto será, provavelmente, o de se celebrarem cada vez menos casamentos, e por sua vez, se realizarem menos divórcios. Fonte: PorData
  • 6.  Após uma análise a este gráfico podemos concluir que, de uma forma geral, o número de divórcios por cada 100 casamentos tem vindo, ao longo dos anos, a aumentar.  Notámos também, que apesar de algumas quedas nos valores, quando comparadas aos números que dizem respeitos à subida dos mesmos, estão são mais ligeiras, ou seja, menos abruptas que as outras em questão.  Os anos mais relevantes, a partir destes dados, são, sem dúvida, os de 2010 e de 2011. 2010 pela subida considerável em dez anos, com o ano de 2000 a registar 30 divórcios por 100 casamentos e 2010 cerca de 69 em cada 100 respetivamente. Por outro lado, o ano de 2011 pelo surpreendente facto de, em média, de 100 casamentos, terem resultado cerca de 74 divórcios. Fonte: PorData