SlideShare uma empresa Scribd logo
Curso: Enfermagem
Docente:Hianna Almeida
Feira de Santana
2012
Histologia do Fígado e do Pâncreas
Discentes
Nancy de Araújo
Osneide França
Suelma Almeida
Iasmin Chaves
Aliomara Oliveira
Histologia do Figado
O fígado é constituído principalmente por células hepáticas ou hepatócitos.
Os hepatócitos têm formato poliédrico e medem 20-30 m. Estes se agrupam
em placas que se anastomosam entre si formando unidades morfológicas
chamadas lóbulos hepáticos. Nestes, os hepatócitos se dispõem em placas
orientadas radialmente. Cada placa é constituída por células dispostas em
uma só camada. Cada lóbulo é uma massa poliédrica de tecido hepático de
cerca de 0.7 por 2 mm de tamanho. Os lóbulos se encostam uns nos outros
em quase toda sua extensão. No entanto, em algumas regiões, os lóbulos
ficam separados por tecido conjuntivo e vasos. Estas regiões ocupam os
cantos do poliedro e recebem o nome de espaços-porta.
 Fígado é a maior glândula e o segundo maior órgão do corpo
humano. Funciona tanto como glândula exócrina, liberando
secreções ,como glândula endócrina, uma vez que também
libera substâncias no sangue ou nos vasos linfáticos.
Componente básico histológico:
◆ Hepatócito;
Unidade estrutural:
◆ lóbulo hepático;
Histologia do Fígado
Hepatócitos
 Os hepatócitos são células encontradas no fígado capazes de
sintetizar proteínas, usadas tanto para exporta hepatócito como
para sua própria manutenção, por isso torna-se uma das células
mais versáteis do organismo.
Cada espaço-porta é composto por uma vênula e uma arteríola (ramos da
veia porta e da artéria hepática, respectivamente), um ducto biliar, vasos
linfáticos e nervos. Este conjunto é cercado por uma capa de tecido
conjuntivo, contínua com a cápsula de Glisson, que recebe o nome de placa
limitante. O espaço-porta também pode receber o nome de tríade porta pois,
suas estruturas predominantes são a vênula, a arteríola e o ducto biliar. Da
tríade, o sangue atravessa a placa limitante através de canais controlados
por esfíncter. Esses canais descarregam o sangue nume rede de capilares
chamada de sinusóides.
 Os sinusóides são capilares que ocupam o espaço entre as
placas de hepatócitos. Suas paredes são revestidas de células
endoteliais típicas e macrófagos que, no fígado, recebem o
nome de células de Kupffer. As células de Kupffer têm função
fagocitária e pertencem ao sistema retículo endotelial. O estreito
espaço que separa o sinusóide dos hepatócitos recebe o nome
de espaço de Disse o qual é composto por fibras reticulares.
Devido à sua reduzida dimensão só pode ser melhor estudado
com o advento da microscopia eletrônica. Um terceiro tipo de
célula na parede do sinusóide é a chamada célula de Ito ou
“célula gorda” que, supostamente, teria um papel na
fibrogênese. Os capilares sinusóides desembocam em uma veia
localizada no centro do lóbulo chamada veia centrolobular a qual
é o ramo inicial da veia hepática.
Ácino hepático: é a unidade funcional do fígado. Compreende massa
de parênquima dependente do suprimento sangüíneo através do
trato porta. As células estão dispostas em zonas concêntricas que
cercam os vasos aferentes terminais. Zona 1 (periportal) – mais
próxima ao espaço porta, é a primeira a receber sangue com alto
conteúdo de oxigênio, insulina e glucagon. Tem alta taxa metabólica
e é a última a sofrer necrose e a primeira a mostrar sinais de
regeneração. Zona 3 (centrilobular) – mais próxima às veias
hepáticas terminais, recebe sangue por último. Aqui estão muitas
das enzimas que participam de biotransformação (NADPH citocromo
P450-redutase). Zona 2 (mediolobular) – recebe sangue com
conteúdo intermediário de oxigênio.
Microscopia eletrônica: a organela mais evidente do hepatócito é o
retículo endoplasmático. No RER é que ocorre a síntese de várias
proteínas entre as quais a albumina, protrombina e o fibrinogênio.
Outro componente importante é o glicogênio, de quantidade bastante
variável. Funciona como um depósito que a célula mobiliza quando
ocorre hipoglicemia.
Colorações específicas:
 Um fígado é composto por
inúmeras unidades básicas
chamadas lóbulos hepáticos,
ele (o lóbulo hepático) é
organizado formando uma
estrutura similar À um
hexágono, sendo que em cada
vértice encontramos uma
estrutura chamada trato portal,
que é composta por um ramo
da veia porta, um ramo da
artéria hepática e um ramo de
um ducto biliar, estas estruturas
se apóiam em um tecido
conjuntivo, e no centro do
hexágono existe uma veia,
chamada de veia centro lobular.
Morfologia
células poliédricas, com diâmetro variando de 20-30 µm;
◆ É rico em grande quantidade de mitocôndrias e algum retículo
endoplasmático liso;
◆sua superfície está em contato com a parede sinusóide, através
do espaço de Disse, e superfície com vários outros hepatócitos;
◆Alguns núcleos são poliplóide ;
◆Cada hepatócito possui aproximadamente 2.000
mitocôndrias;
◆Os hepatócitos constituem aproximadamente 80% das células do
Fígado.
PÂNCREAS
 0 pâncreas é uma glândula mista exócrina e endócrina, que
produz enzimas digestivas e hormônios.
 Exócrina do pâncreas é uma glândula acinosa composta, simi-
lar à glândula parótida em estrutura.
Endócrinas conhecidos como ilhotas de Langerhans .
Fala
As enzimas são armazenadas e secretadas por células da
porção exócrina, arranjadas em ácinos. Os hormônios são
sintetizados em grupamentos de células epiteliais
endócrinas conhecidos como ilhotas de Langerhans .
Em cortes histológicos, a distinção entre estas duas
glândulas pode ser feita com base na ausência de duetos
estriados e na presença das ilhotas de Langerhans no
pâncreas.
PÂNCREAS
 Histologicamente, o pâncreas é cercado por uma
cápsula de tecido conjuntivo do qual emerge
septos, que separam lóbulos diferentes. em
cada lóbulo pode ser encontrado tanto estruturas
exócrina (Acinos, que são os mais numerosos),
tais como endócrinas ones (ilhotas de
Langerhaans, que são raros e não encontrados
em todos os Lobos).
 função exócrina é desempenhada pelo Acinos
pancreáticos
 função endócrina é executada por ilhotas de
Langerhaans.
Células de um fígado normal Células de um fígado cirroso
Descrição
Esta imagem interativa mostra a aparência geral do fígado corada com
técnica do Mallory. O fígado é formado pelos Lobos em forma poligonais,
principalmente hexágono, chamado lóbulos hepáticos e separado por
tecido conjuntivo septos.
Referências:
Histologia Básica – Luiz C. Junqueira e José Carneiro. Editora Guanabara
Koogan S.A. (10 Ed), 2004.
http://www.wesapiens.org/pt/class/3165003/Sistema+digestivo+3,+gl%C3%A2n
dulas+digestivo.+Classe+de+laborat%C3%B3rio.+Histologia+dos+%C3%B3rg%
C3%A3os+e+sistemas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Controle acidobásico - Fisiologia renal
Controle acidobásico - Fisiologia renalControle acidobásico - Fisiologia renal
Controle acidobásico - Fisiologia renal
Universidade de Brasília
 
Aula - SNA - Farmacologia Adrenérgica - Simpatomiméticos e Simpatolíticos
Aula - SNA - Farmacologia Adrenérgica - Simpatomiméticos e SimpatolíticosAula - SNA - Farmacologia Adrenérgica - Simpatomiméticos e Simpatolíticos
Aula - SNA - Farmacologia Adrenérgica - Simpatomiméticos e Simpatolíticos
Mauro Cunha Xavier Pinto
 
Aula de Inflamacao
Aula de InflamacaoAula de Inflamacao
Aula de Inflamacao
Raimundo Tostes
 
Tecido sanguineo
Tecido sanguineoTecido sanguineo
Tecido sanguineo
Marcia Bantim
 
Aula 09 sistema digestório - anatomia e fisiologia
Aula 09   sistema digestório - anatomia e fisiologiaAula 09   sistema digestório - anatomia e fisiologia
Aula 09 sistema digestório - anatomia e fisiologia
Hamilton Nobrega
 
Propedeutica abdominal
Propedeutica abdominalPropedeutica abdominal
Propedeutica abdominal
Paulo Rodrigo Pinto
 
Tecido muscular
Tecido muscularTecido muscular
Tecido muscular
Caio Maximino
 
Carboidratos e correlações clínicas
Carboidratos e correlações clínicasCarboidratos e correlações clínicas
Carboidratos e correlações clínicas
Mario Gandra
 
Sistema digestório - anatomia humana II
Sistema digestório - anatomia humana IISistema digestório - anatomia humana II
Sistema digestório - anatomia humana II
Marília Gomes
 
Fisiologia Gastrointestinal - Resumo
Fisiologia Gastrointestinal - ResumoFisiologia Gastrointestinal - Resumo
Fisiologia Gastrointestinal - Resumo
Centro Universitário Ages
 
Eritrograma - Anclivepa 2011
Eritrograma  - Anclivepa 2011Eritrograma  - Anclivepa 2011
Eritrograma - Anclivepa 2011
Ricardo Duarte
 
Fisiologia Humana 4 - Tecido Muscular
Fisiologia Humana 4 - Tecido MuscularFisiologia Humana 4 - Tecido Muscular
Fisiologia Humana 4 - Tecido Muscular
Herbert Santana
 
Histologia do tecido nervoso
Histologia do tecido nervosoHistologia do tecido nervoso
Histologia do tecido nervoso
Caio Maximino
 
Digestão e absorção de lipídios
Digestão e absorção de lipídiosDigestão e absorção de lipídios
Digestão e absorção de lipídios
Emmanuel Souza
 
Aula - Farmacologia básica - Eliminação de fármacos
Aula - Farmacologia básica - Eliminação de fármacosAula - Farmacologia básica - Eliminação de fármacos
Aula - Farmacologia básica - Eliminação de fármacos
Mauro Cunha Xavier Pinto
 
Anatomia do sistema respiratório
Anatomia do sistema respiratórioAnatomia do sistema respiratório
Anatomia do sistema respiratório
Flávia Salame
 
Fisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Fisiologia Humana 5 - Sistema CardiovascularFisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Fisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Herbert Santana
 
Aula - Autacoides
Aula - AutacoidesAula - Autacoides
Aula - Autacoides
Mauro Cunha Xavier Pinto
 
Aula_Lipoproteínas
Aula_Lipoproteínas Aula_Lipoproteínas
Sistema Articular (Anatomia Veterinária)
Sistema Articular (Anatomia Veterinária)Sistema Articular (Anatomia Veterinária)
Sistema Articular (Anatomia Veterinária)
Vicente Fernandes
 

Mais procurados (20)

Controle acidobásico - Fisiologia renal
Controle acidobásico - Fisiologia renalControle acidobásico - Fisiologia renal
Controle acidobásico - Fisiologia renal
 
Aula - SNA - Farmacologia Adrenérgica - Simpatomiméticos e Simpatolíticos
Aula - SNA - Farmacologia Adrenérgica - Simpatomiméticos e SimpatolíticosAula - SNA - Farmacologia Adrenérgica - Simpatomiméticos e Simpatolíticos
Aula - SNA - Farmacologia Adrenérgica - Simpatomiméticos e Simpatolíticos
 
Aula de Inflamacao
Aula de InflamacaoAula de Inflamacao
Aula de Inflamacao
 
Tecido sanguineo
Tecido sanguineoTecido sanguineo
Tecido sanguineo
 
Aula 09 sistema digestório - anatomia e fisiologia
Aula 09   sistema digestório - anatomia e fisiologiaAula 09   sistema digestório - anatomia e fisiologia
Aula 09 sistema digestório - anatomia e fisiologia
 
Propedeutica abdominal
Propedeutica abdominalPropedeutica abdominal
Propedeutica abdominal
 
Tecido muscular
Tecido muscularTecido muscular
Tecido muscular
 
Carboidratos e correlações clínicas
Carboidratos e correlações clínicasCarboidratos e correlações clínicas
Carboidratos e correlações clínicas
 
Sistema digestório - anatomia humana II
Sistema digestório - anatomia humana IISistema digestório - anatomia humana II
Sistema digestório - anatomia humana II
 
Fisiologia Gastrointestinal - Resumo
Fisiologia Gastrointestinal - ResumoFisiologia Gastrointestinal - Resumo
Fisiologia Gastrointestinal - Resumo
 
Eritrograma - Anclivepa 2011
Eritrograma  - Anclivepa 2011Eritrograma  - Anclivepa 2011
Eritrograma - Anclivepa 2011
 
Fisiologia Humana 4 - Tecido Muscular
Fisiologia Humana 4 - Tecido MuscularFisiologia Humana 4 - Tecido Muscular
Fisiologia Humana 4 - Tecido Muscular
 
Histologia do tecido nervoso
Histologia do tecido nervosoHistologia do tecido nervoso
Histologia do tecido nervoso
 
Digestão e absorção de lipídios
Digestão e absorção de lipídiosDigestão e absorção de lipídios
Digestão e absorção de lipídios
 
Aula - Farmacologia básica - Eliminação de fármacos
Aula - Farmacologia básica - Eliminação de fármacosAula - Farmacologia básica - Eliminação de fármacos
Aula - Farmacologia básica - Eliminação de fármacos
 
Anatomia do sistema respiratório
Anatomia do sistema respiratórioAnatomia do sistema respiratório
Anatomia do sistema respiratório
 
Fisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Fisiologia Humana 5 - Sistema CardiovascularFisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Fisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
 
Aula - Autacoides
Aula - AutacoidesAula - Autacoides
Aula - Autacoides
 
Aula_Lipoproteínas
Aula_Lipoproteínas Aula_Lipoproteínas
Aula_Lipoproteínas
 
Sistema Articular (Anatomia Veterinária)
Sistema Articular (Anatomia Veterinária)Sistema Articular (Anatomia Veterinária)
Sistema Articular (Anatomia Veterinária)
 

Semelhante a Histologia do fígado e do pâncreas

RESUMO-SISTEMA-DIGESTÓRIO.pdf
RESUMO-SISTEMA-DIGESTÓRIO.pdfRESUMO-SISTEMA-DIGESTÓRIO.pdf
RESUMO-SISTEMA-DIGESTÓRIO.pdf
MurylloPossamai2
 
Leitura de Introdução a fisiologia Humana
Leitura de Introdução a fisiologia HumanaLeitura de Introdução a fisiologia Humana
Leitura de Introdução a fisiologia Humana
emanuel
 
Apostila para os alunos sistema urinário, sistema digestório 2012_
Apostila para os alunos  sistema urinário, sistema digestório  2012_Apostila para os alunos  sistema urinário, sistema digestório  2012_
Apostila para os alunos sistema urinário, sistema digestório 2012_
Paulo Ricardo
 
Fisiologia renal detalhada
Fisiologia renal detalhadaFisiologia renal detalhada
Fisiologia renal detalhada
Thalyan Oliveira
 
A célula
A célulaA célula
A célula
Regina E Franck
 
Citologia organelas
Citologia   organelasCitologia   organelas
Citologia organelas
Alexandre Correia
 
Organelas citoplasmáticas Profª Monara Bittencourt
Organelas citoplasmáticas Profª Monara BittencourtOrganelas citoplasmáticas Profª Monara Bittencourt
Organelas citoplasmáticas Profª Monara Bittencourt
Monara Bittencourt
 
Introducao citologia
Introducao citologiaIntroducao citologia
Introducao citologia
Aulas Biologia
 
Introducao citologia
Introducao citologiaIntroducao citologia
Introducao citologia
Aulas Biologia
 
Biologia citologia
Biologia   citologiaBiologia   citologia
Biologia citologia
Jeniffer Sfredo
 
Biologia celular
Biologia celularBiologia celular
Biologia celular
Anderson Prestes
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Tecido conjuntivo e epitelial 2o a
Tecido conjuntivo e epitelial 2o aTecido conjuntivo e epitelial 2o a
Tecido conjuntivo e epitelial 2o a
SESI 422 - Americana
 
Suprarenais.pptx
Suprarenais.pptxSuprarenais.pptx
Suprarenais.pptx
emanuelleribeiro15
 
Organelas
OrganelasOrganelas
Organelas
marcelo Ferreira
 
Biologia membrana plasmatica
Biologia membrana plasmaticaBiologia membrana plasmatica
Biologia membrana plasmatica
hillarybtencourt
 
TECIDO EPITELIAL
TECIDO EPITELIALTECIDO EPITELIAL
TECIDO EPITELIAL
BRENORIBEIRO49
 
Célula Vegetal
Célula VegetalCélula Vegetal
Célula Vegetal
Jézili Dias
 
6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas
6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas
6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas
preuniversitarioitab
 
Endomembranas
EndomembranasEndomembranas
Endomembranas
Taillany Caroline
 

Semelhante a Histologia do fígado e do pâncreas (20)

RESUMO-SISTEMA-DIGESTÓRIO.pdf
RESUMO-SISTEMA-DIGESTÓRIO.pdfRESUMO-SISTEMA-DIGESTÓRIO.pdf
RESUMO-SISTEMA-DIGESTÓRIO.pdf
 
Leitura de Introdução a fisiologia Humana
Leitura de Introdução a fisiologia HumanaLeitura de Introdução a fisiologia Humana
Leitura de Introdução a fisiologia Humana
 
Apostila para os alunos sistema urinário, sistema digestório 2012_
Apostila para os alunos  sistema urinário, sistema digestório  2012_Apostila para os alunos  sistema urinário, sistema digestório  2012_
Apostila para os alunos sistema urinário, sistema digestório 2012_
 
Fisiologia renal detalhada
Fisiologia renal detalhadaFisiologia renal detalhada
Fisiologia renal detalhada
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
Citologia organelas
Citologia   organelasCitologia   organelas
Citologia organelas
 
Organelas citoplasmáticas Profª Monara Bittencourt
Organelas citoplasmáticas Profª Monara BittencourtOrganelas citoplasmáticas Profª Monara Bittencourt
Organelas citoplasmáticas Profª Monara Bittencourt
 
Introducao citologia
Introducao citologiaIntroducao citologia
Introducao citologia
 
Introducao citologia
Introducao citologiaIntroducao citologia
Introducao citologia
 
Biologia citologia
Biologia   citologiaBiologia   citologia
Biologia citologia
 
Biologia celular
Biologia celularBiologia celular
Biologia celular
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
 
Tecido conjuntivo e epitelial 2o a
Tecido conjuntivo e epitelial 2o aTecido conjuntivo e epitelial 2o a
Tecido conjuntivo e epitelial 2o a
 
Suprarenais.pptx
Suprarenais.pptxSuprarenais.pptx
Suprarenais.pptx
 
Organelas
OrganelasOrganelas
Organelas
 
Biologia membrana plasmatica
Biologia membrana plasmaticaBiologia membrana plasmatica
Biologia membrana plasmatica
 
TECIDO EPITELIAL
TECIDO EPITELIALTECIDO EPITELIAL
TECIDO EPITELIAL
 
Célula Vegetal
Célula VegetalCélula Vegetal
Célula Vegetal
 
6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas
6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas
6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas
 
Endomembranas
EndomembranasEndomembranas
Endomembranas
 

Histologia do fígado e do pâncreas

  • 1. Curso: Enfermagem Docente:Hianna Almeida Feira de Santana 2012 Histologia do Fígado e do Pâncreas
  • 2. Discentes Nancy de Araújo Osneide França Suelma Almeida Iasmin Chaves Aliomara Oliveira
  • 3. Histologia do Figado O fígado é constituído principalmente por células hepáticas ou hepatócitos. Os hepatócitos têm formato poliédrico e medem 20-30 m. Estes se agrupam em placas que se anastomosam entre si formando unidades morfológicas chamadas lóbulos hepáticos. Nestes, os hepatócitos se dispõem em placas orientadas radialmente. Cada placa é constituída por células dispostas em uma só camada. Cada lóbulo é uma massa poliédrica de tecido hepático de cerca de 0.7 por 2 mm de tamanho. Os lóbulos se encostam uns nos outros em quase toda sua extensão. No entanto, em algumas regiões, os lóbulos ficam separados por tecido conjuntivo e vasos. Estas regiões ocupam os cantos do poliedro e recebem o nome de espaços-porta.
  • 4.  Fígado é a maior glândula e o segundo maior órgão do corpo humano. Funciona tanto como glândula exócrina, liberando secreções ,como glândula endócrina, uma vez que também libera substâncias no sangue ou nos vasos linfáticos. Componente básico histológico: ◆ Hepatócito; Unidade estrutural: ◆ lóbulo hepático; Histologia do Fígado
  • 5. Hepatócitos  Os hepatócitos são células encontradas no fígado capazes de sintetizar proteínas, usadas tanto para exporta hepatócito como para sua própria manutenção, por isso torna-se uma das células mais versáteis do organismo.
  • 6. Cada espaço-porta é composto por uma vênula e uma arteríola (ramos da veia porta e da artéria hepática, respectivamente), um ducto biliar, vasos linfáticos e nervos. Este conjunto é cercado por uma capa de tecido conjuntivo, contínua com a cápsula de Glisson, que recebe o nome de placa limitante. O espaço-porta também pode receber o nome de tríade porta pois, suas estruturas predominantes são a vênula, a arteríola e o ducto biliar. Da tríade, o sangue atravessa a placa limitante através de canais controlados por esfíncter. Esses canais descarregam o sangue nume rede de capilares chamada de sinusóides.
  • 7.  Os sinusóides são capilares que ocupam o espaço entre as placas de hepatócitos. Suas paredes são revestidas de células endoteliais típicas e macrófagos que, no fígado, recebem o nome de células de Kupffer. As células de Kupffer têm função fagocitária e pertencem ao sistema retículo endotelial. O estreito espaço que separa o sinusóide dos hepatócitos recebe o nome de espaço de Disse o qual é composto por fibras reticulares. Devido à sua reduzida dimensão só pode ser melhor estudado com o advento da microscopia eletrônica. Um terceiro tipo de célula na parede do sinusóide é a chamada célula de Ito ou “célula gorda” que, supostamente, teria um papel na fibrogênese. Os capilares sinusóides desembocam em uma veia localizada no centro do lóbulo chamada veia centrolobular a qual é o ramo inicial da veia hepática.
  • 8.
  • 9. Ácino hepático: é a unidade funcional do fígado. Compreende massa de parênquima dependente do suprimento sangüíneo através do trato porta. As células estão dispostas em zonas concêntricas que cercam os vasos aferentes terminais. Zona 1 (periportal) – mais próxima ao espaço porta, é a primeira a receber sangue com alto conteúdo de oxigênio, insulina e glucagon. Tem alta taxa metabólica e é a última a sofrer necrose e a primeira a mostrar sinais de regeneração. Zona 3 (centrilobular) – mais próxima às veias hepáticas terminais, recebe sangue por último. Aqui estão muitas das enzimas que participam de biotransformação (NADPH citocromo P450-redutase). Zona 2 (mediolobular) – recebe sangue com conteúdo intermediário de oxigênio. Microscopia eletrônica: a organela mais evidente do hepatócito é o retículo endoplasmático. No RER é que ocorre a síntese de várias proteínas entre as quais a albumina, protrombina e o fibrinogênio. Outro componente importante é o glicogênio, de quantidade bastante variável. Funciona como um depósito que a célula mobiliza quando ocorre hipoglicemia. Colorações específicas:
  • 10.  Um fígado é composto por inúmeras unidades básicas chamadas lóbulos hepáticos, ele (o lóbulo hepático) é organizado formando uma estrutura similar À um hexágono, sendo que em cada vértice encontramos uma estrutura chamada trato portal, que é composta por um ramo da veia porta, um ramo da artéria hepática e um ramo de um ducto biliar, estas estruturas se apóiam em um tecido conjuntivo, e no centro do hexágono existe uma veia, chamada de veia centro lobular.
  • 11. Morfologia células poliédricas, com diâmetro variando de 20-30 µm; ◆ É rico em grande quantidade de mitocôndrias e algum retículo endoplasmático liso; ◆sua superfície está em contato com a parede sinusóide, através do espaço de Disse, e superfície com vários outros hepatócitos; ◆Alguns núcleos são poliplóide ; ◆Cada hepatócito possui aproximadamente 2.000 mitocôndrias; ◆Os hepatócitos constituem aproximadamente 80% das células do Fígado.
  • 12.
  • 13. PÂNCREAS  0 pâncreas é uma glândula mista exócrina e endócrina, que produz enzimas digestivas e hormônios.  Exócrina do pâncreas é uma glândula acinosa composta, simi- lar à glândula parótida em estrutura. Endócrinas conhecidos como ilhotas de Langerhans .
  • 14. Fala As enzimas são armazenadas e secretadas por células da porção exócrina, arranjadas em ácinos. Os hormônios são sintetizados em grupamentos de células epiteliais endócrinas conhecidos como ilhotas de Langerhans . Em cortes histológicos, a distinção entre estas duas glândulas pode ser feita com base na ausência de duetos estriados e na presença das ilhotas de Langerhans no pâncreas.
  • 15. PÂNCREAS  Histologicamente, o pâncreas é cercado por uma cápsula de tecido conjuntivo do qual emerge septos, que separam lóbulos diferentes. em cada lóbulo pode ser encontrado tanto estruturas exócrina (Acinos, que são os mais numerosos), tais como endócrinas ones (ilhotas de Langerhaans, que são raros e não encontrados em todos os Lobos).
  • 16.  função exócrina é desempenhada pelo Acinos pancreáticos  função endócrina é executada por ilhotas de Langerhaans.
  • 17.
  • 18.
  • 19. Células de um fígado normal Células de um fígado cirroso
  • 20.
  • 21. Descrição Esta imagem interativa mostra a aparência geral do fígado corada com técnica do Mallory. O fígado é formado pelos Lobos em forma poligonais, principalmente hexágono, chamado lóbulos hepáticos e separado por tecido conjuntivo septos.
  • 22.
  • 23. Referências: Histologia Básica – Luiz C. Junqueira e José Carneiro. Editora Guanabara Koogan S.A. (10 Ed), 2004. http://www.wesapiens.org/pt/class/3165003/Sistema+digestivo+3,+gl%C3%A2n dulas+digestivo.+Classe+de+laborat%C3%B3rio.+Histologia+dos+%C3%B3rg% C3%A3os+e+sistemas.