SlideShare uma empresa Scribd logo
ESDRAS
Cap. 4
Presb. Rodrigo
Belinaso
QUEM SÃO OS INIMIGOS DO POVO
DE DEUS? (V. 1)
Os Assírios invadiram o Reino de Israel
ou Reino do Norte em 722 a.C.; um
pouco mais de 100 anos depois, os
Babilônios invadiram o Reino de Judá.
Os assírios ocuparam o território com
vários povos que se misturaram com
remanescentes judeus. Este povo levaria
o nome de Samaritanos.
A reconstrução do Templo significava a
reconstituição do povo de Israel.
QUAL A VERDADEIRA INTENÇÃO
DOS INIMIGOS DE ISRAEL? (V. 2)
Esdras informa a origem dos inimigos de Israel: eram
povos que foram transplantados para o Reino do Norte
pelo rei da Assíria. Eles oferecem ajuda para a
reconstrução do Templo e informam que já haviam
sacrificado ao Deus de Israel. O que aconteceria se os
Israelitas aceitassem esta oferta? Eram os sacrifícios dos
samaritanos aceitáveis a Deus?
Os samaritanos só seriam integrados ao povo de Deus após
o sacrifício de Cristo através da pregação do diácono
Filipe. (Atos 8 4-6). Sendo confirmados pelos Apóstolos
(Atos 8 14-15).
OS LÍDERES DE ISRAEL RECUSAM O
FAVOR DOS SAMARITANOS? (V. 3-5)
Os israelitas precisavam formar um povo santo, ou seja, separado dos
outros povos, de posse exclusiva de Deus, para quem enviaria seu Filho, o
Cristo.
Os samaritanos tomaram medidas para evitar a construção do Templo:
inquietaram diretamente os construtores e corromperam conselheiros do rei
Ciro da Pérsia para que as obras fossem paralisadas. Ciro reinou entre 539 -
530 a.C.
O resultado foi a paralização das obras do Templo como nos informa o
versículo 24. Isso até o rei Dario que reinou entre 521 – 486 a.C.
Deus decretou que o Templo fosse reerguido, mas também permitiu que os
israelenses sofressem oposição sistemática.
EXEMPLO DE OPOSIÇÃO AO
POVO DE DEUS (V. 6-23)
Esdras registra cartas escritas pelos
Samaritanos aos reis da Pérsia,
principalmente uma a Artaxerxes, e a
resposta desse rei. Estas cartas são
posteriores aos acontecimentos narrados até
então, sobre a reconstrução do Templo e
dizem respeito a reconstrução dos muros da
cidade de Jerusalém. Esdras quer deixar
claro que as obras de Deus sofrem
resistência de inimigos que fazem de tudo
CARTAS DOS SAMARITANOS
(V. 6 – 23)
Primeira carta: para o rei Assuero (Xerxes I) que reinou entre
486 – 464 a. C. O versículo 6 trata de uma acusação, sem
especificar. O rei Assuero está presente no Livro de Ester.
Segunda carta: para o rei Artaxerxes que reinou entre 464 – 423
a. C. A data desta carta deve coincidir com a paralização da
fortificação de Jerusalém, nos tempos de Neemias. V. 7 – 16.
Resposta do rei Artaxerxes aos Samaritanos: V. 17 - 22.
SAMARITANOS FAZEM PARAR A
FORTIFICAÇÃO DE JERUSALÉM
(V. 23)
Os Samaritanos são bem sucedidos
em sua tentativa de causar intrigas
entre o povo judeu e o rei persa.
Neemias consegue reverter esta
política. Porém os Samaritanos
foram de mão armada paralisar a
obra e realizaram mais do que
estava estabelecido no decreto real,
APLICAÇÕES
Não há inimigos da obra de Deus que não podem ser
reconciliados e chamados para cooperarem nos serviços
da Igreja de Cristo.
Jesus se encontrou com uma mulher samaritana e
conversou com ela sobre as boas novas de salvação. João
4 7-30.
Saulo era um voraz perseguidor da Igreja e se converteu
pela ação miraculosa de Cristo.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Estudo em Esdras: capítulo 4

15 - panorama do AT - Isaias.pptx
15 - panorama do AT - Isaias.pptx15 - panorama do AT - Isaias.pptx
15 - panorama do AT - Isaias.pptx
PIB Penha
 
12 esdras e neemias
12  esdras e neemias12  esdras e neemias
12 esdras e neemias
PIB Penha
 
Estudo em Esdras: capítulo 2
Estudo em Esdras: capítulo 2Estudo em Esdras: capítulo 2
Estudo em Esdras: capítulo 2
Professor Belinaso
 
Os livros de Esdras e Neemias
Os livros de Esdras e NeemiasOs livros de Esdras e Neemias
Os livros de Esdras e Neemias
mbrandao7
 
Lição 4 - A Construção do Templo Enfrentou Oposição
Lição 4 - A Construção do Templo Enfrentou OposiçãoLição 4 - A Construção do Templo Enfrentou Oposição
Lição 4 - A Construção do Templo Enfrentou Oposição
Éder Tomé
 
Apostila esdras traduzido
Apostila esdras traduzidoApostila esdras traduzido
Apostila esdras traduzido
CETEPOL CENTRO TEOLOGICO
 
Isaías (moody)
Isaías (moody)Isaías (moody)
Isaías (moody)
leniogravacoes
 
A grande derrota e a a_derrota_dos_assirios.pptx
A grande derrota e a a_derrota_dos_assirios.pptxA grande derrota e a a_derrota_dos_assirios.pptx
A grande derrota e a a_derrota_dos_assirios.pptx
ssuser2edf59
 
Apostila isaias traduzido jr
Apostila isaias traduzido jrApostila isaias traduzido jr
Apostila isaias traduzido jr
CETEPOL CENTRO TEOLOGICO
 
17 isaias
17  isaias17  isaias
17 isaias
PIB Penha
 
11 1 e 2 crônicas
11   1 e 2 crônicas11   1 e 2 crônicas
11 1 e 2 crônicas
PIB Penha
 
comentário bíblico-1 crônicas (moody)
comentário bíblico-1 crônicas (moody)comentário bíblico-1 crônicas (moody)
comentário bíblico-1 crônicas (moody)
leniogravacoes
 
Origens do Reino de Israel - ANTES DE 1220 a.C. a 587 a.C
Origens do Reino de Israel - ANTES DE 1220 a.C. a 587 a.COrigens do Reino de Israel - ANTES DE 1220 a.C. a 587 a.C
Origens do Reino de Israel - ANTES DE 1220 a.C. a 587 a.C
Jossadan Ventura
 
A chegada de Esdras
A chegada de EsdrasA chegada de Esdras
A chegada de Esdras
JUERP
 
Chamado para ser profeta
Chamado para ser profetaChamado para ser profeta
Chamado para ser profeta
dimas campos
 
OBADIAS
OBADIASOBADIAS
OBADIAS
Enerliz
 
comentario biblico-1 reis (moody)
comentario biblico-1 reis (moody)comentario biblico-1 reis (moody)
comentario biblico-1 reis (moody)
leniogravacoes
 
COMENTARIO-2 reis (moody)
COMENTARIO-2 reis (moody)COMENTARIO-2 reis (moody)
COMENTARIO-2 reis (moody)
leniogravacoes
 
23 naum, habacuque e sofonias
23 naum, habacuque e sofonias23 naum, habacuque e sofonias
23 naum, habacuque e sofonias
PIB Penha
 
Livro de ester
Livro de esterLivro de ester
Livro de ester
César Augusto Fernandes
 

Semelhante a Estudo em Esdras: capítulo 4 (20)

15 - panorama do AT - Isaias.pptx
15 - panorama do AT - Isaias.pptx15 - panorama do AT - Isaias.pptx
15 - panorama do AT - Isaias.pptx
 
12 esdras e neemias
12  esdras e neemias12  esdras e neemias
12 esdras e neemias
 
Estudo em Esdras: capítulo 2
Estudo em Esdras: capítulo 2Estudo em Esdras: capítulo 2
Estudo em Esdras: capítulo 2
 
Os livros de Esdras e Neemias
Os livros de Esdras e NeemiasOs livros de Esdras e Neemias
Os livros de Esdras e Neemias
 
Lição 4 - A Construção do Templo Enfrentou Oposição
Lição 4 - A Construção do Templo Enfrentou OposiçãoLição 4 - A Construção do Templo Enfrentou Oposição
Lição 4 - A Construção do Templo Enfrentou Oposição
 
Apostila esdras traduzido
Apostila esdras traduzidoApostila esdras traduzido
Apostila esdras traduzido
 
Isaías (moody)
Isaías (moody)Isaías (moody)
Isaías (moody)
 
A grande derrota e a a_derrota_dos_assirios.pptx
A grande derrota e a a_derrota_dos_assirios.pptxA grande derrota e a a_derrota_dos_assirios.pptx
A grande derrota e a a_derrota_dos_assirios.pptx
 
Apostila isaias traduzido jr
Apostila isaias traduzido jrApostila isaias traduzido jr
Apostila isaias traduzido jr
 
17 isaias
17  isaias17  isaias
17 isaias
 
11 1 e 2 crônicas
11   1 e 2 crônicas11   1 e 2 crônicas
11 1 e 2 crônicas
 
comentário bíblico-1 crônicas (moody)
comentário bíblico-1 crônicas (moody)comentário bíblico-1 crônicas (moody)
comentário bíblico-1 crônicas (moody)
 
Origens do Reino de Israel - ANTES DE 1220 a.C. a 587 a.C
Origens do Reino de Israel - ANTES DE 1220 a.C. a 587 a.COrigens do Reino de Israel - ANTES DE 1220 a.C. a 587 a.C
Origens do Reino de Israel - ANTES DE 1220 a.C. a 587 a.C
 
A chegada de Esdras
A chegada de EsdrasA chegada de Esdras
A chegada de Esdras
 
Chamado para ser profeta
Chamado para ser profetaChamado para ser profeta
Chamado para ser profeta
 
OBADIAS
OBADIASOBADIAS
OBADIAS
 
comentario biblico-1 reis (moody)
comentario biblico-1 reis (moody)comentario biblico-1 reis (moody)
comentario biblico-1 reis (moody)
 
COMENTARIO-2 reis (moody)
COMENTARIO-2 reis (moody)COMENTARIO-2 reis (moody)
COMENTARIO-2 reis (moody)
 
23 naum, habacuque e sofonias
23 naum, habacuque e sofonias23 naum, habacuque e sofonias
23 naum, habacuque e sofonias
 
Livro de ester
Livro de esterLivro de ester
Livro de ester
 

Mais de Professor Belinaso

Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médioElementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Professor Belinaso
 
O Mito e o Homem
O Mito e o HomemO Mito e o Homem
O Mito e o Homem
Professor Belinaso
 
Poderes Globais: Islâmismo, Comunismo e Ocidente
Poderes Globais: Islâmismo, Comunismo e Ocidente Poderes Globais: Islâmismo, Comunismo e Ocidente
Poderes Globais: Islâmismo, Comunismo e Ocidente
Professor Belinaso
 
Livro de Daniel cap. 5
Livro de Daniel cap. 5Livro de Daniel cap. 5
Livro de Daniel cap. 5
Professor Belinaso
 
Atividade de Sociologia - Redes Sociais
Atividade de Sociologia - Redes SociaisAtividade de Sociologia - Redes Sociais
Atividade de Sociologia - Redes Sociais
Professor Belinaso
 
Livro de Daniel - Introdução
Livro de Daniel - IntroduçãoLivro de Daniel - Introdução
Livro de Daniel - Introdução
Professor Belinaso
 
Joaquim Nabuco Escravidão
Joaquim Nabuco EscravidãoJoaquim Nabuco Escravidão
Joaquim Nabuco Escravidão
Professor Belinaso
 
Marx - escravidão.pdf
Marx - escravidão.pdfMarx - escravidão.pdf
Marx - escravidão.pdf
Professor Belinaso
 
trabalho escravo.pdf
trabalho escravo.pdftrabalho escravo.pdf
trabalho escravo.pdf
Professor Belinaso
 
Indivíduo e Sociedade (Novo)
Indivíduo e Sociedade (Novo)Indivíduo e Sociedade (Novo)
Indivíduo e Sociedade (Novo)
Professor Belinaso
 
Redação House M.D: maternidade
Redação House M.D: maternidadeRedação House M.D: maternidade
Redação House M.D: maternidade
Professor Belinaso
 
O Dia do Senhor: Malaquias 4
O Dia do Senhor: Malaquias 4O Dia do Senhor: Malaquias 4
O Dia do Senhor: Malaquias 4
Professor Belinaso
 
A Secularização do Cristianismo
A Secularização do CristianismoA Secularização do Cristianismo
A Secularização do Cristianismo
Professor Belinaso
 
Entre Lobos
Entre LobosEntre Lobos
Entre Lobos
Professor Belinaso
 
Análise de Conjuntura : Movimentos da esquerda antes da campanha eleitoral
Análise de Conjuntura : Movimentos da esquerda antes da campanha eleitoralAnálise de Conjuntura : Movimentos da esquerda antes da campanha eleitoral
Análise de Conjuntura : Movimentos da esquerda antes da campanha eleitoral
Professor Belinaso
 
Eclesiastes 10: conselhos para o povo de Deus
Eclesiastes 10: conselhos para o povo de DeusEclesiastes 10: conselhos para o povo de Deus
Eclesiastes 10: conselhos para o povo de Deus
Professor Belinaso
 
Política para Cristãos
Política para CristãosPolítica para Cristãos
Política para Cristãos
Professor Belinaso
 
Inimigos da Sociedade
Inimigos da SociedadeInimigos da Sociedade
Inimigos da Sociedade
Professor Belinaso
 
Atividade de Sociologia Alimentação
Atividade de Sociologia AlimentaçãoAtividade de Sociologia Alimentação
Atividade de Sociologia Alimentação
Professor Belinaso
 

Mais de Professor Belinaso (20)

Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médioElementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
 
O Mito e o Homem
O Mito e o HomemO Mito e o Homem
O Mito e o Homem
 
Poderes Globais: Islâmismo, Comunismo e Ocidente
Poderes Globais: Islâmismo, Comunismo e Ocidente Poderes Globais: Islâmismo, Comunismo e Ocidente
Poderes Globais: Islâmismo, Comunismo e Ocidente
 
Livro de Daniel cap. 5
Livro de Daniel cap. 5Livro de Daniel cap. 5
Livro de Daniel cap. 5
 
Atividade de Sociologia - Redes Sociais
Atividade de Sociologia - Redes SociaisAtividade de Sociologia - Redes Sociais
Atividade de Sociologia - Redes Sociais
 
Livro de Daniel - Introdução
Livro de Daniel - IntroduçãoLivro de Daniel - Introdução
Livro de Daniel - Introdução
 
Joaquim Nabuco Escravidão
Joaquim Nabuco EscravidãoJoaquim Nabuco Escravidão
Joaquim Nabuco Escravidão
 
Marx - escravidão.pdf
Marx - escravidão.pdfMarx - escravidão.pdf
Marx - escravidão.pdf
 
trabalho escravo.pdf
trabalho escravo.pdftrabalho escravo.pdf
trabalho escravo.pdf
 
Indivíduo e Sociedade (Novo)
Indivíduo e Sociedade (Novo)Indivíduo e Sociedade (Novo)
Indivíduo e Sociedade (Novo)
 
Redação House M.D: maternidade
Redação House M.D: maternidadeRedação House M.D: maternidade
Redação House M.D: maternidade
 
O Dia do Senhor: Malaquias 4
O Dia do Senhor: Malaquias 4O Dia do Senhor: Malaquias 4
O Dia do Senhor: Malaquias 4
 
A Secularização do Cristianismo
A Secularização do CristianismoA Secularização do Cristianismo
A Secularização do Cristianismo
 
Entre Lobos
Entre LobosEntre Lobos
Entre Lobos
 
Análise de Conjuntura : Movimentos da esquerda antes da campanha eleitoral
Análise de Conjuntura : Movimentos da esquerda antes da campanha eleitoralAnálise de Conjuntura : Movimentos da esquerda antes da campanha eleitoral
Análise de Conjuntura : Movimentos da esquerda antes da campanha eleitoral
 
Eclesiastes 10: conselhos para o povo de Deus
Eclesiastes 10: conselhos para o povo de DeusEclesiastes 10: conselhos para o povo de Deus
Eclesiastes 10: conselhos para o povo de Deus
 
Política para Cristãos
Política para CristãosPolítica para Cristãos
Política para Cristãos
 
Inimigos da Sociedade
Inimigos da SociedadeInimigos da Sociedade
Inimigos da Sociedade
 
Atividade de Sociologia Alimentação
Atividade de Sociologia AlimentaçãoAtividade de Sociologia Alimentação
Atividade de Sociologia Alimentação
 

Último

Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicosSEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Salmo 91
Salmo 91Salmo 91
Salmo 91
Nilson Almeida
 
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdfEstudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
JaquelineSantosBasto
 
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo DiaFesta das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
André Luiz Marques
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
claudiovieira83
 
a futura religião da nova ordem mundial.
a  futura religião da nova ordem mundial.a  futura religião da nova ordem mundial.
a futura religião da nova ordem mundial.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
REFORMADOR PROTESTANTE
 

Último (15)

Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicosSEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Salmo 91
Salmo 91Salmo 91
Salmo 91
 
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdfEstudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
 
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo DiaFesta das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
 
a futura religião da nova ordem mundial.
a  futura religião da nova ordem mundial.a  futura religião da nova ordem mundial.
a futura religião da nova ordem mundial.
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
 

Estudo em Esdras: capítulo 4

  • 2. QUEM SÃO OS INIMIGOS DO POVO DE DEUS? (V. 1) Os Assírios invadiram o Reino de Israel ou Reino do Norte em 722 a.C.; um pouco mais de 100 anos depois, os Babilônios invadiram o Reino de Judá. Os assírios ocuparam o território com vários povos que se misturaram com remanescentes judeus. Este povo levaria o nome de Samaritanos. A reconstrução do Templo significava a reconstituição do povo de Israel.
  • 3. QUAL A VERDADEIRA INTENÇÃO DOS INIMIGOS DE ISRAEL? (V. 2) Esdras informa a origem dos inimigos de Israel: eram povos que foram transplantados para o Reino do Norte pelo rei da Assíria. Eles oferecem ajuda para a reconstrução do Templo e informam que já haviam sacrificado ao Deus de Israel. O que aconteceria se os Israelitas aceitassem esta oferta? Eram os sacrifícios dos samaritanos aceitáveis a Deus? Os samaritanos só seriam integrados ao povo de Deus após o sacrifício de Cristo através da pregação do diácono Filipe. (Atos 8 4-6). Sendo confirmados pelos Apóstolos (Atos 8 14-15).
  • 4. OS LÍDERES DE ISRAEL RECUSAM O FAVOR DOS SAMARITANOS? (V. 3-5) Os israelitas precisavam formar um povo santo, ou seja, separado dos outros povos, de posse exclusiva de Deus, para quem enviaria seu Filho, o Cristo. Os samaritanos tomaram medidas para evitar a construção do Templo: inquietaram diretamente os construtores e corromperam conselheiros do rei Ciro da Pérsia para que as obras fossem paralisadas. Ciro reinou entre 539 - 530 a.C. O resultado foi a paralização das obras do Templo como nos informa o versículo 24. Isso até o rei Dario que reinou entre 521 – 486 a.C. Deus decretou que o Templo fosse reerguido, mas também permitiu que os israelenses sofressem oposição sistemática.
  • 5. EXEMPLO DE OPOSIÇÃO AO POVO DE DEUS (V. 6-23) Esdras registra cartas escritas pelos Samaritanos aos reis da Pérsia, principalmente uma a Artaxerxes, e a resposta desse rei. Estas cartas são posteriores aos acontecimentos narrados até então, sobre a reconstrução do Templo e dizem respeito a reconstrução dos muros da cidade de Jerusalém. Esdras quer deixar claro que as obras de Deus sofrem resistência de inimigos que fazem de tudo
  • 6. CARTAS DOS SAMARITANOS (V. 6 – 23) Primeira carta: para o rei Assuero (Xerxes I) que reinou entre 486 – 464 a. C. O versículo 6 trata de uma acusação, sem especificar. O rei Assuero está presente no Livro de Ester. Segunda carta: para o rei Artaxerxes que reinou entre 464 – 423 a. C. A data desta carta deve coincidir com a paralização da fortificação de Jerusalém, nos tempos de Neemias. V. 7 – 16. Resposta do rei Artaxerxes aos Samaritanos: V. 17 - 22.
  • 7. SAMARITANOS FAZEM PARAR A FORTIFICAÇÃO DE JERUSALÉM (V. 23) Os Samaritanos são bem sucedidos em sua tentativa de causar intrigas entre o povo judeu e o rei persa. Neemias consegue reverter esta política. Porém os Samaritanos foram de mão armada paralisar a obra e realizaram mais do que estava estabelecido no decreto real,
  • 8. APLICAÇÕES Não há inimigos da obra de Deus que não podem ser reconciliados e chamados para cooperarem nos serviços da Igreja de Cristo. Jesus se encontrou com uma mulher samaritana e conversou com ela sobre as boas novas de salvação. João 4 7-30. Saulo era um voraz perseguidor da Igreja e se converteu pela ação miraculosa de Cristo.