SlideShare uma empresa Scribd logo
UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA
FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM
ENFERMAGEM MÉDICO-CIRÚRGICA 2 E ESTÁGIO
PROFESSORES: ENF DR MARIA CRISTINA SOARES RODRIGUES
                ENF M.SC ANA LÚCIA DA SILVA
                ENF M.SC CAMILA ALVES CORRÊA NEIVA

ACADÊMICA: DANUSA FERNANDES
                                        RESUMO
                          CUIDADOS NO POSICIONAMENTO CIRÚRGICO

O presente trabalho tem o enfoque na atribuição do enfermeiro nos cuidados no posicionamento
do paciente cirúrgico. Um posicionamento inadequado pode levar a lesões e a outros
comprometimentos na saúde do paciente, portanto, aí está a importância do estudo das posições
do paciente utilizando os princípios básicos de alinhamento do corpo e proporcionando mínimo
desconforto.

O posicionamento do paciente na mesa cirúrgica irá depender do procedimento a ser realizado,
como também, de suas condições físicas. Para proporcionar conforto ao paciente cirúrgico, existem
posições usuais já definidas, e elas respeitam as condições que todas as posições cirúrgicas deverão
respeitar:
        Deverá expor somente a área cirúrgica, de modo que permita uma boa visibilidade e
        movimentação do cirurgião e da equipe;
        Deverá oferecer o mínimo de desconforto possível ao paciente;
        Deverá seguir os princípios do alinhamento corporal;
        Deverá permitir a desobstrução do suprimento vascular;
        Não deverá ter interferência na respiração;
        Deverá proteger os nervos, músculos, pele contra pressão indevida;
        Deverá ser observada a precaução quanto à segurança do paciente em relação ao peso, à
        idade, à altura e à deformidade física, respeitando seus limites anatômicos e fisiológicos.

A posição decúbito dorsal: O paciente fica com um dos braços ao lado da mesa, com a palma da
mão voltada para baixo e o outro sobre um suporte (tala de braço) para infusão intravenosa de
medicamentos, sangue, líquidos que forem necessários.

A posição decúbito ventral, ou pronação: O paciente permanece deitado de abdome para baixo,
com braços estendidos para frente apoiados em talas. A cabeça do paciente é colocada de lado.

A posição Trendelemburg: A cabeça e corpo do paciente ficam rebaixados. É necessário um suporte
acolchoado nos ombros, e certificar-se que o suporte não pressiona o plexo braquial.

A posição de litotomia: O paciente fica em decúbito dorsal com as pernas e coxas flexionadas em
ângulo reto e com os pés apoiados em estribos.

A posição lateral ou de Sims: O paciente fica deitado sobre o lado não-operado, com um travesseiro
de ar de 12,5 a 15 cm de espessura sob a região lombar ou sobre uma mesa com uma elevação de
rim ou lombar. A mesa cirúrgica dobrada permite ampliar o espaço entre as costelas inferiores e a
pelve. A perna superior do paciente permanece estendida e a inferior flexionada nas articulações
do joelho e quadril, e deve-se colocar um travesseiro entre as pernas.
A posição rose : O paciente permanece em posição dorsal, com cabeça pendida (com abaixamento
completo da cabeceira da mesa) apoiada ao joelho do cirurgião, para evitar estiramento de
ligamentos e músculos cervicais.

A posição semi-rose: O paciente fica em posição dorsal, com cabeceira abaixada 10º. Utiliza-se
coxim roliço para proteger os ombros.

A posição sentada ou semi-Fowler: O paciente fica sentado com as pernas esticadas e a cabeceira
levantada cerca de 45º.

Outras cirurgias, como torácica e toracoabdominais, de pescoço, cranianas e cerebrais podem
admitir outras posições que o cirurgião e o anestesista podem decidir, assim como, podem utilizar
aparelhos especiais e suplementares.

O pós-operatório também exige cuidados para evitar desconforto. Para sair da posição cirúrgica, o
enfermeiro deverá manipular lentamente o corpo do paciente. Caso o paciente mantenha-se em
decúbito dorsal, é recomendado manter uma cânula de guedel na boca dele para manter a
permeabilidade das vias aéreas, evitando aspiração de secreções em pacientes que se encontrarem
inconscientes.

O cuidado com o posicionamento cirúrgico é um dos cuidados importantes para oferecer conforto e
segurança ao indivíduo, e é de responsabilidade da equipe de enfermagem. A prevenção de lesões
ou de qualquer dano à saúde do paciente é um lema que todo profissional deverá seguir em suas
intervenções, tanto no centro cirúrgico como em outros procedimentos.

Referência

BRUNNER, Lillian Sholtis; SUDDARTH, Doris Smith; SMELTZER, Suzanne C. O'Connell. Brunner &
Suddarth: tratado de enfermagem médico-cirúrgica. 11. ed. Rio de janeiro: Guanabara Koogan,
2002. 2 v.

POTTER, Patricia Ann.; PERRY, Anne Griffin.; FIGUEIREDO, José Eduardo Ferreira de (Trad).
Fundamentos de enfermagem. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, c2004. 1509 p.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagemSistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagem
Danilo Nunes Anunciação
 
Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem
Rafaela Amanso
 
Posições Cirúrgicas
Posições CirúrgicasPosições Cirúrgicas
Posições Cirúrgicas
Andressa Macena
 
Semiologia slide pronto 19112012 (1)
Semiologia slide pronto 19112012 (1)Semiologia slide pronto 19112012 (1)
Semiologia slide pronto 19112012 (1)
Karina Pereira
 
Anotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagemAnotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagem
Ivanete Dias
 
Aula 2 __posicoes_para_exames
Aula 2 __posicoes_para_examesAula 2 __posicoes_para_exames
Aula 2 __posicoes_para_exames
Marci Oliveira
 
Enfermagem em Urgência Emergência
Enfermagem em Urgência EmergênciaEnfermagem em Urgência Emergência
Enfermagem em Urgência Emergência
Wellington Moreira Ribeiro
 
Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leito
Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leitoPrimeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leito
Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leito
Cleanto Santos Vieira
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Will Nunes
 
Atendimento pré hospitalar -1
Atendimento pré hospitalar -1Atendimento pré hospitalar -1
Atendimento pré hospitalar -1
Eduardo Gomes da Silva
 
Manual de anotação de enfermagem hospital samaritano - 2005
Manual de anotação de enfermagem   hospital samaritano - 2005Manual de anotação de enfermagem   hospital samaritano - 2005
Manual de anotação de enfermagem hospital samaritano - 2005
Rodrigo Abreu
 
CUIDADOS DE ENFERMAGEM COM SONDA NASOENTERAL ( SNE, SNG, GTT).pptx
CUIDADOS DE ENFERMAGEM COM SONDA NASOENTERAL ( SNE, SNG, GTT).pptxCUIDADOS DE ENFERMAGEM COM SONDA NASOENTERAL ( SNE, SNG, GTT).pptx
CUIDADOS DE ENFERMAGEM COM SONDA NASOENTERAL ( SNE, SNG, GTT).pptx
Rafaela Amanso
 
Curativos
CurativosCurativos
Curativos
Rodrigo Abreu
 
Sinais Vitais
Sinais VitaisSinais Vitais
Sinais Vitais
Tamyres Magalhães
 
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
Aline Bandeira
 
Banho de leito.atualizada
Banho de leito.atualizadaBanho de leito.atualizada
Banho de leito.atualizada
hospital
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Amanda Moura
 
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
joselene beatriz
 
Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7
Aline Bandeira
 
Aula sinais vitais
Aula sinais vitaisAula sinais vitais
Aula sinais vitais
Viviane da Silva
 

Mais procurados (20)

Sistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagemSistematização da assistência de enfermagem
Sistematização da assistência de enfermagem
 
Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem
 
Posições Cirúrgicas
Posições CirúrgicasPosições Cirúrgicas
Posições Cirúrgicas
 
Semiologia slide pronto 19112012 (1)
Semiologia slide pronto 19112012 (1)Semiologia slide pronto 19112012 (1)
Semiologia slide pronto 19112012 (1)
 
Anotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagemAnotação+de+enfermagem
Anotação+de+enfermagem
 
Aula 2 __posicoes_para_exames
Aula 2 __posicoes_para_examesAula 2 __posicoes_para_exames
Aula 2 __posicoes_para_exames
 
Enfermagem em Urgência Emergência
Enfermagem em Urgência EmergênciaEnfermagem em Urgência Emergência
Enfermagem em Urgência Emergência
 
Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leito
Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leitoPrimeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leito
Primeiros Socorros - posição restrição e movimentação no leito
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
 
Atendimento pré hospitalar -1
Atendimento pré hospitalar -1Atendimento pré hospitalar -1
Atendimento pré hospitalar -1
 
Manual de anotação de enfermagem hospital samaritano - 2005
Manual de anotação de enfermagem   hospital samaritano - 2005Manual de anotação de enfermagem   hospital samaritano - 2005
Manual de anotação de enfermagem hospital samaritano - 2005
 
CUIDADOS DE ENFERMAGEM COM SONDA NASOENTERAL ( SNE, SNG, GTT).pptx
CUIDADOS DE ENFERMAGEM COM SONDA NASOENTERAL ( SNE, SNG, GTT).pptxCUIDADOS DE ENFERMAGEM COM SONDA NASOENTERAL ( SNE, SNG, GTT).pptx
CUIDADOS DE ENFERMAGEM COM SONDA NASOENTERAL ( SNE, SNG, GTT).pptx
 
Curativos
CurativosCurativos
Curativos
 
Sinais Vitais
Sinais VitaisSinais Vitais
Sinais Vitais
 
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
 
Banho de leito.atualizada
Banho de leito.atualizadaBanho de leito.atualizada
Banho de leito.atualizada
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
 
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
Relatório de enfermagem 'Enfermeira Joselene Beatriz'
 
Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7
 
Aula sinais vitais
Aula sinais vitaisAula sinais vitais
Aula sinais vitais
 

Semelhante a Cuidados no Posicionamento Cirúrgico

AULA 10 POSIÇÃO CIRURGICA.pptx
AULA 10 POSIÇÃO CIRURGICA.pptxAULA 10 POSIÇÃO CIRURGICA.pptx
AULA 10 POSIÇÃO CIRURGICA.pptx
FabianaRomoGuimares
 
Centro de educação profissional ltda - CEL- fundamentos de Enfermagem
Centro de educação profissional   ltda - CEL-  fundamentos de EnfermagemCentro de educação profissional   ltda - CEL-  fundamentos de Enfermagem
Centro de educação profissional ltda - CEL- fundamentos de Enfermagem
Jandresson Soares de Araújo
 
Intraoperatórios
IntraoperatóriosIntraoperatórios
Intraoperatórios
Junior Pessoa
 
Pop facenf-transporte-e-mobilizações-n.-081
Pop facenf-transporte-e-mobilizações-n.-081Pop facenf-transporte-e-mobilizações-n.-081
Pop facenf-transporte-e-mobilizações-n.-081
KleberFerreira28
 
Posições Cirúrgicas inenf finalizada.pptx
Posições Cirúrgicas inenf finalizada.pptxPosições Cirúrgicas inenf finalizada.pptx
Posições Cirúrgicas inenf finalizada.pptx
RogerioOxum
 
Aula slide centro cirurgico 2
Aula slide centro cirurgico 2Aula slide centro cirurgico 2
Aula slide centro cirurgico 2
Rosimeyre Lira
 
POSIÇÕES PARA EXAMES.pdf
POSIÇÕES PARA EXAMES.pdfPOSIÇÕES PARA EXAMES.pdf
POSIÇÕES PARA EXAMES.pdf
CASA
 
ORTOPEDIA.pptx
ORTOPEDIA.pptxORTOPEDIA.pptx
ORTOPEDIA.pptx
luana352083
 
aula-2-Cuidados-no-Pre-trans-pos (2).ppt
aula-2-Cuidados-no-Pre-trans-pos (2).pptaula-2-Cuidados-no-Pre-trans-pos (2).ppt
aula-2-Cuidados-no-Pre-trans-pos (2).ppt
Marcelo Ocampos
 
aula recuperação pos anestesica.pdf
aula recuperação pos anestesica.pdfaula recuperação pos anestesica.pdf
aula recuperação pos anestesica.pdf
luciaitsp
 
ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM NO P E PÓS CIRURGICO DE ORTOPEDIARé
ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM NO P E PÓS CIRURGICO DE ORTOPEDIARéASSISTENCIA DE ENFERMAGEM NO P E PÓS CIRURGICO DE ORTOPEDIARé
ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM NO P E PÓS CIRURGICO DE ORTOPEDIARé
FabricioRoger2
 
aula posies cirrgicas.pptx
aula posies cirrgicas.pptxaula posies cirrgicas.pptx
aula posies cirrgicas.pptx
vaniceandrade1
 
AULA PRONTA POSICIONAMENTO CIRURGICO.pptx
AULA PRONTA  POSICIONAMENTO CIRURGICO.pptxAULA PRONTA  POSICIONAMENTO CIRURGICO.pptx
AULA PRONTA POSICIONAMENTO CIRURGICO.pptx
MarcioCruz62
 
PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt....................................
PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt....................................PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt....................................
PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt....................................
LUMendes14
 
AULA COMPLETA 2 POSICIONAMENTO CIRURGICO.pptx
AULA COMPLETA 2 POSICIONAMENTO CIRURGICO.pptxAULA COMPLETA 2 POSICIONAMENTO CIRURGICO.pptx
AULA COMPLETA 2 POSICIONAMENTO CIRURGICO.pptx
MarcioCruz62
 
_ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO PÓS-OPERATÓRIO .pdf
_ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO PÓS-OPERATÓRIO .pdf_ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO PÓS-OPERATÓRIO .pdf
_ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO PÓS-OPERATÓRIO .pdf
Helino Junior
 
A importância da mudança442
A importância da mudança442A importância da mudança442
A importância da mudança442
Naira Viana Viana
 
SLIDE - Assistência de Enfermagem no Atendimento Pré-Hospitalar no Trauma.pdf
SLIDE - Assistência de Enfermagem no Atendimento Pré-Hospitalar no Trauma.pdfSLIDE - Assistência de Enfermagem no Atendimento Pré-Hospitalar no Trauma.pdf
SLIDE - Assistência de Enfermagem no Atendimento Pré-Hospitalar no Trauma.pdf
YuriMoraes9
 
AULA 05 .pdf
AULA 05 .pdfAULA 05 .pdf
AULA 05 .pdf
LeahndroDiBravanneli
 
Reimplante e Revascularizações
Reimplante e Revascularizações Reimplante e Revascularizações
Reimplante e Revascularizações
Brunno Rosique
 

Semelhante a Cuidados no Posicionamento Cirúrgico (20)

AULA 10 POSIÇÃO CIRURGICA.pptx
AULA 10 POSIÇÃO CIRURGICA.pptxAULA 10 POSIÇÃO CIRURGICA.pptx
AULA 10 POSIÇÃO CIRURGICA.pptx
 
Centro de educação profissional ltda - CEL- fundamentos de Enfermagem
Centro de educação profissional   ltda - CEL-  fundamentos de EnfermagemCentro de educação profissional   ltda - CEL-  fundamentos de Enfermagem
Centro de educação profissional ltda - CEL- fundamentos de Enfermagem
 
Intraoperatórios
IntraoperatóriosIntraoperatórios
Intraoperatórios
 
Pop facenf-transporte-e-mobilizações-n.-081
Pop facenf-transporte-e-mobilizações-n.-081Pop facenf-transporte-e-mobilizações-n.-081
Pop facenf-transporte-e-mobilizações-n.-081
 
Posições Cirúrgicas inenf finalizada.pptx
Posições Cirúrgicas inenf finalizada.pptxPosições Cirúrgicas inenf finalizada.pptx
Posições Cirúrgicas inenf finalizada.pptx
 
Aula slide centro cirurgico 2
Aula slide centro cirurgico 2Aula slide centro cirurgico 2
Aula slide centro cirurgico 2
 
POSIÇÕES PARA EXAMES.pdf
POSIÇÕES PARA EXAMES.pdfPOSIÇÕES PARA EXAMES.pdf
POSIÇÕES PARA EXAMES.pdf
 
ORTOPEDIA.pptx
ORTOPEDIA.pptxORTOPEDIA.pptx
ORTOPEDIA.pptx
 
aula-2-Cuidados-no-Pre-trans-pos (2).ppt
aula-2-Cuidados-no-Pre-trans-pos (2).pptaula-2-Cuidados-no-Pre-trans-pos (2).ppt
aula-2-Cuidados-no-Pre-trans-pos (2).ppt
 
aula recuperação pos anestesica.pdf
aula recuperação pos anestesica.pdfaula recuperação pos anestesica.pdf
aula recuperação pos anestesica.pdf
 
ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM NO P E PÓS CIRURGICO DE ORTOPEDIARé
ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM NO P E PÓS CIRURGICO DE ORTOPEDIARéASSISTENCIA DE ENFERMAGEM NO P E PÓS CIRURGICO DE ORTOPEDIARé
ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM NO P E PÓS CIRURGICO DE ORTOPEDIARé
 
aula posies cirrgicas.pptx
aula posies cirrgicas.pptxaula posies cirrgicas.pptx
aula posies cirrgicas.pptx
 
AULA PRONTA POSICIONAMENTO CIRURGICO.pptx
AULA PRONTA  POSICIONAMENTO CIRURGICO.pptxAULA PRONTA  POSICIONAMENTO CIRURGICO.pptx
AULA PRONTA POSICIONAMENTO CIRURGICO.pptx
 
PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt....................................
PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt....................................PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt....................................
PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt....................................
 
AULA COMPLETA 2 POSICIONAMENTO CIRURGICO.pptx
AULA COMPLETA 2 POSICIONAMENTO CIRURGICO.pptxAULA COMPLETA 2 POSICIONAMENTO CIRURGICO.pptx
AULA COMPLETA 2 POSICIONAMENTO CIRURGICO.pptx
 
_ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO PÓS-OPERATÓRIO .pdf
_ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO PÓS-OPERATÓRIO .pdf_ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO PÓS-OPERATÓRIO .pdf
_ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO PÓS-OPERATÓRIO .pdf
 
A importância da mudança442
A importância da mudança442A importância da mudança442
A importância da mudança442
 
SLIDE - Assistência de Enfermagem no Atendimento Pré-Hospitalar no Trauma.pdf
SLIDE - Assistência de Enfermagem no Atendimento Pré-Hospitalar no Trauma.pdfSLIDE - Assistência de Enfermagem no Atendimento Pré-Hospitalar no Trauma.pdf
SLIDE - Assistência de Enfermagem no Atendimento Pré-Hospitalar no Trauma.pdf
 
AULA 05 .pdf
AULA 05 .pdfAULA 05 .pdf
AULA 05 .pdf
 
Reimplante e Revascularizações
Reimplante e Revascularizações Reimplante e Revascularizações
Reimplante e Revascularizações
 

Cuidados no Posicionamento Cirúrgico

  • 1. UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM MÉDICO-CIRÚRGICA 2 E ESTÁGIO PROFESSORES: ENF DR MARIA CRISTINA SOARES RODRIGUES ENF M.SC ANA LÚCIA DA SILVA ENF M.SC CAMILA ALVES CORRÊA NEIVA ACADÊMICA: DANUSA FERNANDES RESUMO CUIDADOS NO POSICIONAMENTO CIRÚRGICO O presente trabalho tem o enfoque na atribuição do enfermeiro nos cuidados no posicionamento do paciente cirúrgico. Um posicionamento inadequado pode levar a lesões e a outros comprometimentos na saúde do paciente, portanto, aí está a importância do estudo das posições do paciente utilizando os princípios básicos de alinhamento do corpo e proporcionando mínimo desconforto. O posicionamento do paciente na mesa cirúrgica irá depender do procedimento a ser realizado, como também, de suas condições físicas. Para proporcionar conforto ao paciente cirúrgico, existem posições usuais já definidas, e elas respeitam as condições que todas as posições cirúrgicas deverão respeitar: Deverá expor somente a área cirúrgica, de modo que permita uma boa visibilidade e movimentação do cirurgião e da equipe; Deverá oferecer o mínimo de desconforto possível ao paciente; Deverá seguir os princípios do alinhamento corporal; Deverá permitir a desobstrução do suprimento vascular; Não deverá ter interferência na respiração; Deverá proteger os nervos, músculos, pele contra pressão indevida; Deverá ser observada a precaução quanto à segurança do paciente em relação ao peso, à idade, à altura e à deformidade física, respeitando seus limites anatômicos e fisiológicos. A posição decúbito dorsal: O paciente fica com um dos braços ao lado da mesa, com a palma da mão voltada para baixo e o outro sobre um suporte (tala de braço) para infusão intravenosa de medicamentos, sangue, líquidos que forem necessários. A posição decúbito ventral, ou pronação: O paciente permanece deitado de abdome para baixo, com braços estendidos para frente apoiados em talas. A cabeça do paciente é colocada de lado. A posição Trendelemburg: A cabeça e corpo do paciente ficam rebaixados. É necessário um suporte acolchoado nos ombros, e certificar-se que o suporte não pressiona o plexo braquial. A posição de litotomia: O paciente fica em decúbito dorsal com as pernas e coxas flexionadas em ângulo reto e com os pés apoiados em estribos. A posição lateral ou de Sims: O paciente fica deitado sobre o lado não-operado, com um travesseiro de ar de 12,5 a 15 cm de espessura sob a região lombar ou sobre uma mesa com uma elevação de rim ou lombar. A mesa cirúrgica dobrada permite ampliar o espaço entre as costelas inferiores e a pelve. A perna superior do paciente permanece estendida e a inferior flexionada nas articulações do joelho e quadril, e deve-se colocar um travesseiro entre as pernas.
  • 2. A posição rose : O paciente permanece em posição dorsal, com cabeça pendida (com abaixamento completo da cabeceira da mesa) apoiada ao joelho do cirurgião, para evitar estiramento de ligamentos e músculos cervicais. A posição semi-rose: O paciente fica em posição dorsal, com cabeceira abaixada 10º. Utiliza-se coxim roliço para proteger os ombros. A posição sentada ou semi-Fowler: O paciente fica sentado com as pernas esticadas e a cabeceira levantada cerca de 45º. Outras cirurgias, como torácica e toracoabdominais, de pescoço, cranianas e cerebrais podem admitir outras posições que o cirurgião e o anestesista podem decidir, assim como, podem utilizar aparelhos especiais e suplementares. O pós-operatório também exige cuidados para evitar desconforto. Para sair da posição cirúrgica, o enfermeiro deverá manipular lentamente o corpo do paciente. Caso o paciente mantenha-se em decúbito dorsal, é recomendado manter uma cânula de guedel na boca dele para manter a permeabilidade das vias aéreas, evitando aspiração de secreções em pacientes que se encontrarem inconscientes. O cuidado com o posicionamento cirúrgico é um dos cuidados importantes para oferecer conforto e segurança ao indivíduo, e é de responsabilidade da equipe de enfermagem. A prevenção de lesões ou de qualquer dano à saúde do paciente é um lema que todo profissional deverá seguir em suas intervenções, tanto no centro cirúrgico como em outros procedimentos. Referência BRUNNER, Lillian Sholtis; SUDDARTH, Doris Smith; SMELTZER, Suzanne C. O'Connell. Brunner & Suddarth: tratado de enfermagem médico-cirúrgica. 11. ed. Rio de janeiro: Guanabara Koogan, 2002. 2 v. POTTER, Patricia Ann.; PERRY, Anne Griffin.; FIGUEIREDO, José Eduardo Ferreira de (Trad). Fundamentos de enfermagem. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, c2004. 1509 p.