SlideShare uma empresa Scribd logo
Teste de Software
   Victor Hugo Germano
        Aula - 02

                         CTAI SENAISC
Victor Hugo Germano
http://malditacomedia.blogspot.com
Retrospectiva
Por que testar?
Unitários
Unitários



Transição de Estado
Unitários
   Integração


Transição de Estado
Unitários
     Integração


 Transição de Estado


Análise de Valor Limite
Unitários
     Integração


 Transição de Estado
  Testes de Caminho
Análise de Valor Limite
Unitários
     Integração
      Aceitação
 Transição de Estado
  Testes de Caminho
Análise de Valor Limite
Unitários
Unitários



JUnit
TDD
TDD


Escreva um teste que falhe
TDD


Escreva um teste que falhe

   Faça o teste passar
TDD


Escreva um teste que falhe

   Faça o teste passar

        Refatore
Bom dia!
Testes de Aceitação
Testes de aceitação

      Por quê?
Testes de aceitação

          Por quê?
Direcionar o desenvolvimento
         do produto
Testes de aceitação

           Pra quê?
Verificar a completude de um
          requisito
Testes de aceitação

      Como?
Testes de aceitação

                    Como?
• Idealmente escritos antes do desenvolvimento
• Idealmente Automatizados
• Garantem que o código faz exatamente o que
se propõe a fazer
Tempo
Tempo




1
Tempo




1   2
Tempo




1   2       3
Tempo




1   2       3   4
Tempo




1   2       3   4
Tempo




              1              2       3   4



Explorar Requisitos
Definir Testes de Aceitação
para Use Cases
Tempo




              1              2       3   4



Explorar Requisitos
Definir Testes de Aceitação
para Use Cases
Tempo

Testes de aceitação
garantes conformidade
com os requisitos




              1              2       3   4



Explorar Requisitos
Definir Testes de Aceitação
para Use Cases
Tempo

Testes de aceitação
garantes conformidade
com os requisitos




              1              2       3   4



Explorar Requisitos
Definir Testes de Aceitação
para Use Cases
Tempo

Testes de aceitação
garantes conformidade
com os requisitos




              1              2       3   4



Explorar Requisitos
Definir Testes de Aceitação
para Use Cases
Tempo

Testes de aceitação
garantes conformidade
com os requisitos




              1              2       3   4



Explorar Requisitos
Definir Testes de Aceitação
para Use Cases
Tempo

Testes de aceitação
garantes conformidade
com os requisitos




              1              2       3   4



Explorar Requisitos
Definir Testes de Aceitação
para Use Cases
Tempo

Testes de aceitação
garantes conformidade
com os requisitos




              1              2       3   4



Explorar Requisitos
Definir Testes de Aceitação
para Use Cases
Tempo

Testes de aceitação
garantes conformidade
com os requisitos




              1              2       3   4



Explorar Requisitos
Definir Testes de Aceitação
para Use Cases
Mãos à obra!
Selenium


http://seleniumhq.org/


Selenium IDE
172.16.4.19
Test Suite
<html>
<head>
<title>My Application Test Suite</title>
</head>
<body>
<table>
  <tr><td><b>Suite Of Tests</b></td></tr>
  <tr><td><a href=quot;./TestLogin.htmlquot;>Test Login</a></td></tr>
  <tr><td><a href=quot;./TestFormEntry.htmlquot;>Test Form Entry</a></td></tr>
  <tr><td><a href=quot;./TestFormSave.htmlquot;>Test Form Save</a></td></tr>
</table>
</body>
</html>
Exercício V


    Integrar Testes numa
suite de testes de aceitação
Exercício V
      Construir testes de aceitação
Na página principal, devem haver links para outros serviços
        do google: orkut, email, Imagens e Mapas

Na pagina de Busca avançada, selecionar o idioma Ingles e
buscar por “linux” deve retornar a pagina da wikipedia em
           inglês como primeiro item da busca

     Uma consulta que não apresenta resultados deve
        apresentar uma mensagem de indicação
Quando Parar de testar?
Quando Parar de testar?


             Custo
Quando Parar de testar?


             Custo
             Prazo
Quando Parar de testar?


             Custo
             Prazo
             Cliente
Criando Test Cases
Test Cases
Comunicação
Test Cases
              Comunicação
Encontrar problemas antes que o cliente o faça
Test Cases
              Comunicação
Encontrar problemas antes que o cliente o faça
        Evitar que problemas ocorram
Test Cases
              Comunicação
Encontrar problemas antes que o cliente o faça
        Evitar que problemas ocorram
        Auxiliar na tomada de decisão
Test Cases


Aderência aos requisitos de negócio,
          não de sistema
Test Cases

Redução de Riscos

Medir a Qualidade
Encontre as prioridades do projeto!
Encontre as prioridades do projeto!
Um único objetivo por vez!
Encontre as prioridades do projeto!
Um único objetivo por vez!
Está tudo claro? Pergunte!
Encontre as prioridades do projeto!
Um único objetivo por vez!
Está tudo claro? Pergunte!
Pare e pense!
Test Cases
 Qualidades
Test Cases
                 Qualidades
Fácil de ler
- Não há lugar para enrolação!
Test Cases
                 Qualidades
Fácil de ler
- Não há lugar para enrolação!
Rápido de encontrar o resultado esperado
- Interpretação em poucos segundos
Test Cases
                 Qualidades
Fácil de ler
- Não há lugar para enrolação!
Rápido de encontrar o resultado esperado
- Interpretação em poucos segundos
Autoexplicativos
- Não necessitam da especificação completa do sistma
Test Cases
                 Qualidades
Fácil de ler
- Não há lugar para enrolação!
Rápido de encontrar o resultado esperado
- Interpretação em poucos segundos
Autoexplicativos
- Não necessitam da especificação completa do sistma
Curtos
- Elimine todos os desperdícios!
Easy to Test Language
- Seja imperativo
  quot;clique no botãoquot;, quot;vá ao item 1quot;
- Seja direto e simples, porém não simplório
- Use nomes exatos e consistentes para campos,
não seja genérico
- Entre 10 e 15 passos
- Siga convenções de nomes
- Se não existem convenções, CRIE-AS!!!
Atributos Comuns
  • Identificador
  • Descricao
  • Prioridade
  • Pre-condição
  • Dependências
  • Entradas
  • Instruções de utilização
  • Resultados esperados
  • Resultado Atual
  • Pós-condições
  • Resultado (passou/falhou)
  • Número da versao
Linhas Gerais
Linhas Gerais
Escrever testes juntamente com os requisitos
Linhas Gerais
Escrever testes juntamente com os requisitos
        Descrevem o atual requisito
Linhas Gerais
Escrever testes juntamente com os requisitos
        Descrevem o atual requisito
   Siga um padrão, facilite a comunicação
Linhas Gerais
Escrever testes juntamente com os requisitos
        Descrevem o atual requisito
   Siga um padrão, facilite a comunicação
  Priorize seus testes por valor de negócio
Linhas Gerais
Escrever testes juntamente com os requisitos
        Descrevem o atual requisito
   Siga um padrão, facilite a comunicação
  Priorize seus testes por valor de negócio
        Agrupe testes por domínio
Linhas Gerais
Escrever testes juntamente com os requisitos
        Descrevem o atual requisito
   Siga um padrão, facilite a comunicação
  Priorize seus testes por valor de negócio
        Agrupe testes por domínio

    Foque no valor! Foque no resultado!
Pratique!!
   A prática leva à perfeição
Pratique!!
    A prática leva à perfeição


Priorize!
Remova
desperdícios!
Pratique!!
     A prática leva à perfeição


Priorize!
Remova
desperdícios!

Se possível,
automatize!
Seja preguiçoso!
Exercício VI
     Sistema de Vendas

Construir testes de aceitação
 para módulo Fazer Pedido



                 http://www.consiste.dimap.ufrn.br/~andre/casouso/
Exercício VI
Fazer Pedido - versão 4
Atores
    Cliente
Pré-condição:
O usuário deve ter feito quot;log-inquot; e obtido autorização
do sistema
Pós-condição:
O pedido deve ter sido gravado no sistema e marcado
como confirmado.

                   Applying Use Cases: A Pratical Guidequot;, Geri Schneider & Jason Winters, Addison-Wesley, 1998.
Fazer Pedido - versão 4
Fluxo de eventos primário:

 1.
O caso de uso começa quando po cliente seleciona quot;fazer pedidoquot;.

 2.
O cliente fornece seu nome e endereço.

 3.
Se o cliente fornece apenas o CEP, o sistema coloca automaticamente o a cidade e o
     estado.

 4.
Enquanto o cliente quiser pedir itens faça

     1.
O cliente fornece código do produto

     2.
O sistema fornece as descrição e preço do produto

     3.
O sistema atualiza o valor total

 5.
O cliente fornece as informações sobre cartão de crédito.

 6.
O cliente submete os dados ao sistema.

 7.
O sistema verifica as informações fornecidas, marca o pedido como quot;pendentequot; e envia as
     informações de pagamento para o sistema de contabilidade e pagamento.

 8.
Quando o pagamento é confirmado, o pedido é marcado como quot;confirmadoquot; e o número
     de pedido (NP) é dado ao cliente.
Fluxo de eventos secundário:
A qualquer momento antes de submeter, o cliente pode selecionar cancelar. O pedido não é
gravado e o caso de uso termina.
No passo 7, se alguma informação estiver correta, o sistema pede ao cliente para corrigir a
informação.
                                  Applying Use Cases: A Pratical Guidequot;, Geri Schneider & Jason Winters, Addison-Wesley, 1998.
Planejamento de Testes
Por que Planejar?
Por que planejar?
Finalidade:
• Localizar e documentar defeitos na qualidade do
software.
• Avisar de forma geral sobre a qualidade
observada no software.
• Validar as suposições feitas nas especificações
de design e requisito através de demonstração
concreta.
• Validar as funções do software conforme
projetadas.
• Verificar se os requisitos foram implementados
de forma adequada.
Com Planejar?
Teste antes, teste sempre!
Teste antes, teste sempre!
     Comunique-se!
Teste antes, teste sempre!
     Comunique-se!
     Comunique-se!
Teste antes, teste sempre!
     Comunique-se!
     Comunique-se!
  Se puder, automatize!
Teste antes, teste sempre!
       Comunique-se!
       Comunique-se!
    Se puder, automatize!
Entenda o domínio do negócio
Templates
Introdução
Introdução

Visão Geral:
- Escopo, métodos, Padroes
Introdução

Visão Geral:
- Escopo, métodos, Padroes

Requisitos:
- Hardware, software, Pessoal
Templates
Template
Interação Homem-Computador
   • descrição,
   • objetivos,
   • métodos,
   • objetos a serem testados,
   • eventos a serem testados,
   • verificação dos testes,
   • ferramentas de teste.
Template
      Testes Funcionais
• objetivos,
• métodos,
• funções a serem testadas,
• projeto de dados para testes,
• construção dos dados de teste,
• verficação do teste,
• ferramentas de teste
Template
       Testes de regressão
•Objetivos
 • O que não funciona mais e o que
   continua funcionando na nova versão
• Dados para teste
 • quais casos serão reutilizados
• Execução dos testes
• Ferramentas de teste
Template
Testes de desempenho
• Objetivos
• Métodos de teste
 • Monousuário
 • Multiusuário
• Criação dos dados de teste
• Verficação do teste
• Ferramentas de teste
Template
     Testes de aceitação
• Objetivos
 •Cenários de negócio a serem
   testados
• Projeto dos casos de teste
• Métodos de teste
• Verficação do teste
• Ferramentas de teste
Template
      Testes de Sistema

• Objetivos
 • cenários de negócio a serem testados
• Projeto dos casos de teste
• Métodos de teste
• Verficação do teste
• Ferramentas de teste
Como documentar um Bug
Documentar um Bug

•
Seja preciso

•
Seja claro - explique de forma que outros
   possam reproduzir o erro

•
Um bug por relatório

•
Nenhum bug é simples o suficiente para não
   ser registrado

•
Separe claramente fatos de especulações

•
Um printscreen vale mais que mil parágrafos
Documentar um Bug
“Eu estava usando o sistema e então ele deu pau”
Documentar um Bug
“Eu estava usando o sistema e então ele deu pau”


-> Abra o sistema e vá ao item quot;Arquivo > Novoquot;
-> Desenhe uma Reta
-> Vá até a função quot;Salvar Como...quot; e salve o arquivo
-> Tente abrir o arquivo novo
-> Verifique a mensagem de erro
O que testar?
Análise de Risco & Prioridades
Analise de Risco
Analise de Risco


Use Case    Cenário    Risco   Frequência Criticidade

UserCase 1 Cenário A   Alto       Alta       Baixa

UserCase 2 Cenario B   Médio     Baixa       Alta
Priorização
Priorização
Modelo Kano
Priorização
         Modelo Kano

Priorização Pelo Valor Percebido
Modelo Kano




         http://en.wikipedia.org/wiki/Kano_model
Modelo Kano


            Obrigatórios
Must-have




                     http://en.wikipedia.org/wiki/Kano_model
Modelo Kano


            Obrigatórios
Must-have

            Quanto mais, melhor!
 Linear




                     http://en.wikipedia.org/wiki/Kano_model
Modelo Kano


            Obrigatórios
Must-have

            Quanto mais, melhor!
 Linear
            Necessidades não
Exciters
              conhecidas

                     http://en.wikipedia.org/wiki/Kano_model
Modelo Kano
2 Perguntas:




               http://www.acarlos.com.br/blog/
Modelo Kano
2 Perguntas:
              O que você acha de ter uma
 Funcional   cerveja de graça no quarto de
                  hotel todos os dias?




                       http://www.acarlos.com.br/blog/
Modelo Kano
 2 Perguntas:
                 O que você acha de ter uma
   Funcional    cerveja de graça no quarto de
                     hotel todos os dias?

              Chegar em um hotel que não
DysFunctional tem cerveja grátis, o que você
                          acha?

                          http://www.acarlos.com.br/blog/
Modelo Kano
                                   DysFunction Question




                                                            Live with
                                                  Neutral
                                         Expect




                                                                        Dislike
                                  Like
                                                                                  M - Mandatory
                                                                                  L - Linear
                        Like       Q       E        E         E           L
Functional Question




                                                                                  E - Exciter
                       Expect      R        I        I         I         M
                                                                                  Q - Questionable
                      Neutral      R        I        I         I         M        R - Reverse
                                                                                  I - Indifferent
                      Live with    R        I        I         I         M
                       Dislike     R       R        R         R          Q
Benefício Relativo
Benefício Relativo




             http://www.acarlos.com.br/blog/
Benefício Relativo
Pré-requisito: Estimativas criadas




                       http://www.acarlos.com.br/blog/
Benefício Relativo
Pré-requisito: Estimativas criadas
            Benefits Penalties Sum(BV) Estimation BV/Est
Feature 1      1       9        10           2              5
Feature 2
Feature 3
Feature 4
Feature 5
                                     http://www.acarlos.com.br/blog/
Benefício Relativo
Pré-requisito: Estimativas criadas
            Benefits Penalties Sum(BV) Estimation BV/Est
Feature 1      1       9        10           2              5
Feature 2      2       3        5            5              1
Feature 3
Feature 4
Feature 5
                                     http://www.acarlos.com.br/blog/
Benefício Relativo


       Feature 5
       Feature 1
       Feature 3
       Feature 4
       Feature 2
Benefício Relativo
Pré-requisito: Estimativas criadas
            Benefits Penalties Sum(BV) Estimation BV/Est
Feature 1      1       9        10           2              5
Feature 2      2       3        5            5              1
Feature 3      5      1.6       13           8              8
Feature 4      6       7        13          13              1
Feature 5      5       5        10           2              5
                                     http://www.acarlos.com.br/blog/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Introdução a Automação de Teste de Software
Introdução a Automação de Teste de SoftwareIntrodução a Automação de Teste de Software
Introdução a Automação de Teste de Software
Camilo Ribeiro
 
Teste de Software Introdução à Qualidade
Teste de Software Introdução à Qualidade Teste de Software Introdução à Qualidade
Teste de Software Introdução à Qualidade
Camilo Ribeiro
 
Introdução a Testes de Software - Unidade I
Introdução a Testes de Software - Unidade IIntrodução a Testes de Software - Unidade I
Introdução a Testes de Software - Unidade I
João Lourenço
 
Fundamentos de Testes de Software
Fundamentos de Testes de SoftwareFundamentos de Testes de Software
Fundamentos de Testes de Software
Álvaro Farias Pinheiro
 
Validação e Testes de software
Validação e Testes de softwareValidação e Testes de software
Validação e Testes de software
Rondinelli Mesquita
 
Revisao inspecao artefatos testes estaticos
Revisao inspecao artefatos testes estaticosRevisao inspecao artefatos testes estaticos
Revisao inspecao artefatos testes estaticos
Cristiano Caetano
 
Minicurso - Teste de software (CACSI 2015)
Minicurso - Teste de software (CACSI 2015)Minicurso - Teste de software (CACSI 2015)
Minicurso - Teste de software (CACSI 2015)
Vanilton Pinheiro
 
Aula - Teste de Software
Aula - Teste de SoftwareAula - Teste de Software
Aula - Teste de Software
Mauricio Cesar Santos da Purificação
 
Verificação e validação de software
Verificação e validação de softwareVerificação e validação de software
Verificação e validação de software
Leonardo Melo Santos
 
Papéis em Teste e Qualidade de Software
Papéis em Teste e Qualidade de SoftwarePapéis em Teste e Qualidade de Software
Papéis em Teste e Qualidade de Software
Camilo Ribeiro
 
Introdução ao Teste de Software - Uma abordagem prática
Introdução ao Teste de Software - Uma abordagem práticaIntrodução ao Teste de Software - Uma abordagem prática
Introdução ao Teste de Software - Uma abordagem prática
Fabrício Campos
 
Palestra Teste de Software: princípios, ferramentas e carreira
Palestra Teste de Software: princípios, ferramentas e carreiraPalestra Teste de Software: princípios, ferramentas e carreira
Palestra Teste de Software: princípios, ferramentas e carreira
Taís Dall'Oca
 
Qualidade e Teste de Software
Qualidade e Teste de SoftwareQualidade e Teste de Software
Qualidade e Teste de Software
Kamilla Queiroz Xavier
 
IBM Rational Piores Práticas em Testes
IBM Rational Piores Práticas em TestesIBM Rational Piores Práticas em Testes
IBM Rational Piores Práticas em Testes
Felipe Freire
 
Engenharia de Testes
Engenharia de TestesEngenharia de Testes
Engenharia de Testes
UFPA
 
Papéis em teste e qualidade de software
Papéis em teste e qualidade de softwarePapéis em teste e qualidade de software
Papéis em teste e qualidade de software
Felipe de Oliveira, CSM, CSPO
 
Testes De Software - Uma Visão Geral
Testes De Software - Uma Visão GeralTestes De Software - Uma Visão Geral
Testes De Software - Uma Visão Geral
paulo peres
 
Testes de Software & Ferramentas de Testes
Testes de Software & Ferramentas de TestesTestes de Software & Ferramentas de Testes
Testes de Software & Ferramentas de Testes
Paulo César M Jeveaux
 
Certificações em Teste e Qualidade de Software
Certificações em Teste e Qualidade de SoftwareCertificações em Teste e Qualidade de Software
Certificações em Teste e Qualidade de Software
Camilo Ribeiro
 
Ctfl 2018 sample_b[v1.3br]
Ctfl 2018 sample_b[v1.3br]Ctfl 2018 sample_b[v1.3br]
Ctfl 2018 sample_b[v1.3br]
rafael327780
 

Mais procurados (20)

Introdução a Automação de Teste de Software
Introdução a Automação de Teste de SoftwareIntrodução a Automação de Teste de Software
Introdução a Automação de Teste de Software
 
Teste de Software Introdução à Qualidade
Teste de Software Introdução à Qualidade Teste de Software Introdução à Qualidade
Teste de Software Introdução à Qualidade
 
Introdução a Testes de Software - Unidade I
Introdução a Testes de Software - Unidade IIntrodução a Testes de Software - Unidade I
Introdução a Testes de Software - Unidade I
 
Fundamentos de Testes de Software
Fundamentos de Testes de SoftwareFundamentos de Testes de Software
Fundamentos de Testes de Software
 
Validação e Testes de software
Validação e Testes de softwareValidação e Testes de software
Validação e Testes de software
 
Revisao inspecao artefatos testes estaticos
Revisao inspecao artefatos testes estaticosRevisao inspecao artefatos testes estaticos
Revisao inspecao artefatos testes estaticos
 
Minicurso - Teste de software (CACSI 2015)
Minicurso - Teste de software (CACSI 2015)Minicurso - Teste de software (CACSI 2015)
Minicurso - Teste de software (CACSI 2015)
 
Aula - Teste de Software
Aula - Teste de SoftwareAula - Teste de Software
Aula - Teste de Software
 
Verificação e validação de software
Verificação e validação de softwareVerificação e validação de software
Verificação e validação de software
 
Papéis em Teste e Qualidade de Software
Papéis em Teste e Qualidade de SoftwarePapéis em Teste e Qualidade de Software
Papéis em Teste e Qualidade de Software
 
Introdução ao Teste de Software - Uma abordagem prática
Introdução ao Teste de Software - Uma abordagem práticaIntrodução ao Teste de Software - Uma abordagem prática
Introdução ao Teste de Software - Uma abordagem prática
 
Palestra Teste de Software: princípios, ferramentas e carreira
Palestra Teste de Software: princípios, ferramentas e carreiraPalestra Teste de Software: princípios, ferramentas e carreira
Palestra Teste de Software: princípios, ferramentas e carreira
 
Qualidade e Teste de Software
Qualidade e Teste de SoftwareQualidade e Teste de Software
Qualidade e Teste de Software
 
IBM Rational Piores Práticas em Testes
IBM Rational Piores Práticas em TestesIBM Rational Piores Práticas em Testes
IBM Rational Piores Práticas em Testes
 
Engenharia de Testes
Engenharia de TestesEngenharia de Testes
Engenharia de Testes
 
Papéis em teste e qualidade de software
Papéis em teste e qualidade de softwarePapéis em teste e qualidade de software
Papéis em teste e qualidade de software
 
Testes De Software - Uma Visão Geral
Testes De Software - Uma Visão GeralTestes De Software - Uma Visão Geral
Testes De Software - Uma Visão Geral
 
Testes de Software & Ferramentas de Testes
Testes de Software & Ferramentas de TestesTestes de Software & Ferramentas de Testes
Testes de Software & Ferramentas de Testes
 
Certificações em Teste e Qualidade de Software
Certificações em Teste e Qualidade de SoftwareCertificações em Teste e Qualidade de Software
Certificações em Teste e Qualidade de Software
 
Ctfl 2018 sample_b[v1.3br]
Ctfl 2018 sample_b[v1.3br]Ctfl 2018 sample_b[v1.3br]
Ctfl 2018 sample_b[v1.3br]
 

Semelhante a Ctai Teste De Software Aula 2

GOTEST-Aula2.2-Projeto.pdf
GOTEST-Aula2.2-Projeto.pdfGOTEST-Aula2.2-Projeto.pdf
GOTEST-Aula2.2-Projeto.pdf
RodolphoCesar2
 
Test é para os fracos
Test é para os fracosTest é para os fracos
Test é para os fracos
Thiago Avelino
 
Palestra Testes Ágeis - SEMAC INF UFRGS
Palestra Testes Ágeis - SEMAC INF UFRGSPalestra Testes Ágeis - SEMAC INF UFRGS
Palestra Testes Ágeis - SEMAC INF UFRGS
Diraci Junior Trindade da Silva
 
Automação de Testes de Aceitação em Sistemas Web
Automação de Testes de Aceitação em Sistemas WebAutomação de Testes de Aceitação em Sistemas Web
Automação de Testes de Aceitação em Sistemas Web
Rodrigo Veiga
 
Palestra Ufpb
Palestra UfpbPalestra Ufpb
Palestra Ufpb
Ítalo Brilhante
 
Introdução a Desenvolvimento Orientado a Testes ( TDD )
Introdução a Desenvolvimento Orientado a Testes ( TDD )Introdução a Desenvolvimento Orientado a Testes ( TDD )
Introdução a Desenvolvimento Orientado a Testes ( TDD )
Iure Guimaraes
 
Testes
TestesTestes
DevCamp - O papel de um testador em uma equipe ágil
DevCamp - O papel de um testador em uma equipe ágilDevCamp - O papel de um testador em uma equipe ágil
DevCamp - O papel de um testador em uma equipe ágil
Elias Nogueira
 
Testing sucks
Testing sucksTesting sucks
Testing sucks
Leonardo Balter
 
Mini curso de testes ágeis
Mini curso de testes ágeisMini curso de testes ágeis
Mini curso de testes ágeis
Qualister
 
O que é Teste de Software?
O que é Teste de Software?O que é Teste de Software?
O que é Teste de Software?
testedesoftwarepe
 
Como fazer testes de usabilidade
Como fazer testes de usabilidadeComo fazer testes de usabilidade
Como fazer testes de usabilidade
UTFPR
 
At Ma Qualidade Molinari V11 Final Version
At Ma Qualidade Molinari V11 Final VersionAt Ma Qualidade Molinari V11 Final Version
At Ma Qualidade Molinari V11 Final Version
Leonardo Molinari
 
At Ma Qualidade Molinari V11 Final Version
At Ma Qualidade Molinari V11 Final VersionAt Ma Qualidade Molinari V11 Final Version
At Ma Qualidade Molinari V11 Final Version
Leonardo Molinari
 
At Ma Qualidade Molinari V11 Final Version
At Ma Qualidade Molinari V11 Final VersionAt Ma Qualidade Molinari V11 Final Version
At Ma Qualidade Molinari V11 Final Version
Leonardo Molinari
 
VR Dev Summit 2016 - Primeiros Passos em Automação de Testes
VR Dev Summit 2016 - Primeiros Passos em Automação de TestesVR Dev Summit 2016 - Primeiros Passos em Automação de Testes
VR Dev Summit 2016 - Primeiros Passos em Automação de Testes
Stefan Teixeira
 
Verdades e mitos sobre testes que eu gostaria
Verdades e mitos sobre testes que eu gostariaVerdades e mitos sobre testes que eu gostaria
Verdades e mitos sobre testes que eu gostaria
Livia Gabos
 
Automação de testes: Teoria e Prática (SENAI) - Qualister
Automação de testes: Teoria e Prática (SENAI) - QualisterAutomação de testes: Teoria e Prática (SENAI) - Qualister
Automação de testes: Teoria e Prática (SENAI) - Qualister
Cristiano Caetano
 
Gerenciando Testes Com Qualidade V2a
Gerenciando Testes Com Qualidade V2aGerenciando Testes Com Qualidade V2a
Gerenciando Testes Com Qualidade V2a
Leonardo Molinari
 
QA Reviews, Kick-offs e Desk Checks por estória: três práticas que podem prev...
QA Reviews, Kick-offs e Desk Checks por estória: três práticas que podem prev...QA Reviews, Kick-offs e Desk Checks por estória: três práticas que podem prev...
QA Reviews, Kick-offs e Desk Checks por estória: três práticas que podem prev...
Thiago Ghisi
 

Semelhante a Ctai Teste De Software Aula 2 (20)

GOTEST-Aula2.2-Projeto.pdf
GOTEST-Aula2.2-Projeto.pdfGOTEST-Aula2.2-Projeto.pdf
GOTEST-Aula2.2-Projeto.pdf
 
Test é para os fracos
Test é para os fracosTest é para os fracos
Test é para os fracos
 
Palestra Testes Ágeis - SEMAC INF UFRGS
Palestra Testes Ágeis - SEMAC INF UFRGSPalestra Testes Ágeis - SEMAC INF UFRGS
Palestra Testes Ágeis - SEMAC INF UFRGS
 
Automação de Testes de Aceitação em Sistemas Web
Automação de Testes de Aceitação em Sistemas WebAutomação de Testes de Aceitação em Sistemas Web
Automação de Testes de Aceitação em Sistemas Web
 
Palestra Ufpb
Palestra UfpbPalestra Ufpb
Palestra Ufpb
 
Introdução a Desenvolvimento Orientado a Testes ( TDD )
Introdução a Desenvolvimento Orientado a Testes ( TDD )Introdução a Desenvolvimento Orientado a Testes ( TDD )
Introdução a Desenvolvimento Orientado a Testes ( TDD )
 
Testes
TestesTestes
Testes
 
DevCamp - O papel de um testador em uma equipe ágil
DevCamp - O papel de um testador em uma equipe ágilDevCamp - O papel de um testador em uma equipe ágil
DevCamp - O papel de um testador em uma equipe ágil
 
Testing sucks
Testing sucksTesting sucks
Testing sucks
 
Mini curso de testes ágeis
Mini curso de testes ágeisMini curso de testes ágeis
Mini curso de testes ágeis
 
O que é Teste de Software?
O que é Teste de Software?O que é Teste de Software?
O que é Teste de Software?
 
Como fazer testes de usabilidade
Como fazer testes de usabilidadeComo fazer testes de usabilidade
Como fazer testes de usabilidade
 
At Ma Qualidade Molinari V11 Final Version
At Ma Qualidade Molinari V11 Final VersionAt Ma Qualidade Molinari V11 Final Version
At Ma Qualidade Molinari V11 Final Version
 
At Ma Qualidade Molinari V11 Final Version
At Ma Qualidade Molinari V11 Final VersionAt Ma Qualidade Molinari V11 Final Version
At Ma Qualidade Molinari V11 Final Version
 
At Ma Qualidade Molinari V11 Final Version
At Ma Qualidade Molinari V11 Final VersionAt Ma Qualidade Molinari V11 Final Version
At Ma Qualidade Molinari V11 Final Version
 
VR Dev Summit 2016 - Primeiros Passos em Automação de Testes
VR Dev Summit 2016 - Primeiros Passos em Automação de TestesVR Dev Summit 2016 - Primeiros Passos em Automação de Testes
VR Dev Summit 2016 - Primeiros Passos em Automação de Testes
 
Verdades e mitos sobre testes que eu gostaria
Verdades e mitos sobre testes que eu gostariaVerdades e mitos sobre testes que eu gostaria
Verdades e mitos sobre testes que eu gostaria
 
Automação de testes: Teoria e Prática (SENAI) - Qualister
Automação de testes: Teoria e Prática (SENAI) - QualisterAutomação de testes: Teoria e Prática (SENAI) - Qualister
Automação de testes: Teoria e Prática (SENAI) - Qualister
 
Gerenciando Testes Com Qualidade V2a
Gerenciando Testes Com Qualidade V2aGerenciando Testes Com Qualidade V2a
Gerenciando Testes Com Qualidade V2a
 
QA Reviews, Kick-offs e Desk Checks por estória: três práticas que podem prev...
QA Reviews, Kick-offs e Desk Checks por estória: três práticas que podem prev...QA Reviews, Kick-offs e Desk Checks por estória: três práticas que podem prev...
QA Reviews, Kick-offs e Desk Checks por estória: três práticas que podem prev...
 

Mais de Victor Hugo Germano

Expectativa ágil - Caipira Ágil 2017
Expectativa ágil - Caipira Ágil 2017Expectativa ágil - Caipira Ágil 2017
Expectativa ágil - Caipira Ágil 2017
Victor Hugo Germano
 
O que não te contaram sobre entregar projetos Ágeis - TDC2017
O que não te contaram sobre entregar projetos Ágeis - TDC2017O que não te contaram sobre entregar projetos Ágeis - TDC2017
O que não te contaram sobre entregar projetos Ágeis - TDC2017
Victor Hugo Germano
 
Agile coaching competency framework - TDC
Agile coaching competency framework - TDCAgile coaching competency framework - TDC
Agile coaching competency framework - TDC
Victor Hugo Germano
 
5 disfunções de um time Scrum Day
5 disfunções de um time   Scrum Day5 disfunções de um time   Scrum Day
5 disfunções de um time Scrum Day
Victor Hugo Germano
 
5 disfunções de um time - Devops Summit Brasil
5 disfunções de um time  - Devops Summit Brasil5 disfunções de um time  - Devops Summit Brasil
5 disfunções de um time - Devops Summit Brasil
Victor Hugo Germano
 
Direto ao Ponto - DevOpsSummit Brasil
Direto ao Ponto - DevOpsSummit BrasilDireto ao Ponto - DevOpsSummit Brasil
Direto ao Ponto - DevOpsSummit Brasil
Victor Hugo Germano
 
Métricas que importam Agile Brazil 2016
Métricas que importam   Agile Brazil 2016Métricas que importam   Agile Brazil 2016
Métricas que importam Agile Brazil 2016
Victor Hugo Germano
 
Auto-gestão, negócios e produtividade - Agile Floripa 2016
Auto-gestão, negócios e produtividade - Agile Floripa 2016Auto-gestão, negócios e produtividade - Agile Floripa 2016
Auto-gestão, negócios e produtividade - Agile Floripa 2016
Victor Hugo Germano
 
O Mundo dos OKRs
O Mundo dos OKRsO Mundo dos OKRs
O Mundo dos OKRs
Victor Hugo Germano
 
Além da gestão tradicional
Além da gestão tradicionalAlém da gestão tradicional
Além da gestão tradicional
Victor Hugo Germano
 
Democracia Organizacional - Linguagil 2015
Democracia Organizacional - Linguagil 2015Democracia Organizacional - Linguagil 2015
Democracia Organizacional - Linguagil 2015
Victor Hugo Germano
 
Trilha management 3.0 - arbejdsglaede v2 (1)
Trilha   management 3.0 - arbejdsglaede v2 (1)Trilha   management 3.0 - arbejdsglaede v2 (1)
Trilha management 3.0 - arbejdsglaede v2 (1)
Victor Hugo Germano
 
Democracia organizacional TDC 2013
Democracia organizacional TDC 2013Democracia organizacional TDC 2013
Democracia organizacional TDC 2013
Victor Hugo Germano
 
Largamos o cucumber
Largamos o cucumberLargamos o cucumber
Largamos o cucumber
Victor Hugo Germano
 
O futuro do agile - TDC 2011
O futuro do agile - TDC 2011O futuro do agile - TDC 2011
O futuro do agile - TDC 2011
Victor Hugo Germano
 
O futuro do agile
O futuro do agileO futuro do agile
O futuro do agile
Victor Hugo Germano
 
Minicurso groovy grails
Minicurso groovy grailsMinicurso groovy grails
Minicurso groovy grails
Victor Hugo Germano
 
Having fun with jabber bots
Having fun with jabber botsHaving fun with jabber bots
Having fun with jabber bots
Victor Hugo Germano
 
Voce Tem Orgulho Do Seu Codigo
Voce Tem Orgulho Do Seu CodigoVoce Tem Orgulho Do Seu Codigo
Voce Tem Orgulho Do Seu Codigo
Victor Hugo Germano
 
Trust - Diana Larsen at Agiles 2009
Trust - Diana Larsen at Agiles 2009Trust - Diana Larsen at Agiles 2009
Trust - Diana Larsen at Agiles 2009
Victor Hugo Germano
 

Mais de Victor Hugo Germano (20)

Expectativa ágil - Caipira Ágil 2017
Expectativa ágil - Caipira Ágil 2017Expectativa ágil - Caipira Ágil 2017
Expectativa ágil - Caipira Ágil 2017
 
O que não te contaram sobre entregar projetos Ágeis - TDC2017
O que não te contaram sobre entregar projetos Ágeis - TDC2017O que não te contaram sobre entregar projetos Ágeis - TDC2017
O que não te contaram sobre entregar projetos Ágeis - TDC2017
 
Agile coaching competency framework - TDC
Agile coaching competency framework - TDCAgile coaching competency framework - TDC
Agile coaching competency framework - TDC
 
5 disfunções de um time Scrum Day
5 disfunções de um time   Scrum Day5 disfunções de um time   Scrum Day
5 disfunções de um time Scrum Day
 
5 disfunções de um time - Devops Summit Brasil
5 disfunções de um time  - Devops Summit Brasil5 disfunções de um time  - Devops Summit Brasil
5 disfunções de um time - Devops Summit Brasil
 
Direto ao Ponto - DevOpsSummit Brasil
Direto ao Ponto - DevOpsSummit BrasilDireto ao Ponto - DevOpsSummit Brasil
Direto ao Ponto - DevOpsSummit Brasil
 
Métricas que importam Agile Brazil 2016
Métricas que importam   Agile Brazil 2016Métricas que importam   Agile Brazil 2016
Métricas que importam Agile Brazil 2016
 
Auto-gestão, negócios e produtividade - Agile Floripa 2016
Auto-gestão, negócios e produtividade - Agile Floripa 2016Auto-gestão, negócios e produtividade - Agile Floripa 2016
Auto-gestão, negócios e produtividade - Agile Floripa 2016
 
O Mundo dos OKRs
O Mundo dos OKRsO Mundo dos OKRs
O Mundo dos OKRs
 
Além da gestão tradicional
Além da gestão tradicionalAlém da gestão tradicional
Além da gestão tradicional
 
Democracia Organizacional - Linguagil 2015
Democracia Organizacional - Linguagil 2015Democracia Organizacional - Linguagil 2015
Democracia Organizacional - Linguagil 2015
 
Trilha management 3.0 - arbejdsglaede v2 (1)
Trilha   management 3.0 - arbejdsglaede v2 (1)Trilha   management 3.0 - arbejdsglaede v2 (1)
Trilha management 3.0 - arbejdsglaede v2 (1)
 
Democracia organizacional TDC 2013
Democracia organizacional TDC 2013Democracia organizacional TDC 2013
Democracia organizacional TDC 2013
 
Largamos o cucumber
Largamos o cucumberLargamos o cucumber
Largamos o cucumber
 
O futuro do agile - TDC 2011
O futuro do agile - TDC 2011O futuro do agile - TDC 2011
O futuro do agile - TDC 2011
 
O futuro do agile
O futuro do agileO futuro do agile
O futuro do agile
 
Minicurso groovy grails
Minicurso groovy grailsMinicurso groovy grails
Minicurso groovy grails
 
Having fun with jabber bots
Having fun with jabber botsHaving fun with jabber bots
Having fun with jabber bots
 
Voce Tem Orgulho Do Seu Codigo
Voce Tem Orgulho Do Seu CodigoVoce Tem Orgulho Do Seu Codigo
Voce Tem Orgulho Do Seu Codigo
 
Trust - Diana Larsen at Agiles 2009
Trust - Diana Larsen at Agiles 2009Trust - Diana Larsen at Agiles 2009
Trust - Diana Larsen at Agiles 2009
 

Ctai Teste De Software Aula 2

  • 1. Teste de Software Victor Hugo Germano Aula - 02 CTAI SENAISC
  • 2.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 12. Unitários Integração Transição de Estado
  • 13. Unitários Integração Transição de Estado Análise de Valor Limite
  • 14. Unitários Integração Transição de Estado Testes de Caminho Análise de Valor Limite
  • 15. Unitários Integração Aceitação Transição de Estado Testes de Caminho Análise de Valor Limite
  • 18. TDD
  • 19. TDD Escreva um teste que falhe
  • 20. TDD Escreva um teste que falhe Faça o teste passar
  • 21. TDD Escreva um teste que falhe Faça o teste passar Refatore
  • 25. Testes de aceitação Por quê? Direcionar o desenvolvimento do produto
  • 26. Testes de aceitação Pra quê? Verificar a completude de um requisito
  • 28. Testes de aceitação Como? • Idealmente escritos antes do desenvolvimento • Idealmente Automatizados • Garantem que o código faz exatamente o que se propõe a fazer
  • 29. Tempo
  • 31. Tempo 1 2
  • 32. Tempo 1 2 3
  • 33. Tempo 1 2 3 4
  • 34. Tempo 1 2 3 4
  • 35. Tempo 1 2 3 4 Explorar Requisitos Definir Testes de Aceitação para Use Cases
  • 36. Tempo 1 2 3 4 Explorar Requisitos Definir Testes de Aceitação para Use Cases
  • 37. Tempo Testes de aceitação garantes conformidade com os requisitos 1 2 3 4 Explorar Requisitos Definir Testes de Aceitação para Use Cases
  • 38. Tempo Testes de aceitação garantes conformidade com os requisitos 1 2 3 4 Explorar Requisitos Definir Testes de Aceitação para Use Cases
  • 39. Tempo Testes de aceitação garantes conformidade com os requisitos 1 2 3 4 Explorar Requisitos Definir Testes de Aceitação para Use Cases
  • 40. Tempo Testes de aceitação garantes conformidade com os requisitos 1 2 3 4 Explorar Requisitos Definir Testes de Aceitação para Use Cases
  • 41. Tempo Testes de aceitação garantes conformidade com os requisitos 1 2 3 4 Explorar Requisitos Definir Testes de Aceitação para Use Cases
  • 42. Tempo Testes de aceitação garantes conformidade com os requisitos 1 2 3 4 Explorar Requisitos Definir Testes de Aceitação para Use Cases
  • 43. Tempo Testes de aceitação garantes conformidade com os requisitos 1 2 3 4 Explorar Requisitos Definir Testes de Aceitação para Use Cases
  • 46.
  • 47. Test Suite <html> <head> <title>My Application Test Suite</title> </head> <body> <table> <tr><td><b>Suite Of Tests</b></td></tr> <tr><td><a href=quot;./TestLogin.htmlquot;>Test Login</a></td></tr> <tr><td><a href=quot;./TestFormEntry.htmlquot;>Test Form Entry</a></td></tr> <tr><td><a href=quot;./TestFormSave.htmlquot;>Test Form Save</a></td></tr> </table> </body> </html>
  • 48. Exercício V Integrar Testes numa suite de testes de aceitação
  • 49. Exercício V Construir testes de aceitação Na página principal, devem haver links para outros serviços do google: orkut, email, Imagens e Mapas Na pagina de Busca avançada, selecionar o idioma Ingles e buscar por “linux” deve retornar a pagina da wikipedia em inglês como primeiro item da busca Uma consulta que não apresenta resultados deve apresentar uma mensagem de indicação
  • 50. Quando Parar de testar?
  • 51. Quando Parar de testar? Custo
  • 52. Quando Parar de testar? Custo Prazo
  • 53. Quando Parar de testar? Custo Prazo Cliente
  • 56. Test Cases Comunicação Encontrar problemas antes que o cliente o faça
  • 57. Test Cases Comunicação Encontrar problemas antes que o cliente o faça Evitar que problemas ocorram
  • 58. Test Cases Comunicação Encontrar problemas antes que o cliente o faça Evitar que problemas ocorram Auxiliar na tomada de decisão
  • 59. Test Cases Aderência aos requisitos de negócio, não de sistema
  • 60. Test Cases Redução de Riscos Medir a Qualidade
  • 61.
  • 62. Encontre as prioridades do projeto!
  • 63. Encontre as prioridades do projeto! Um único objetivo por vez!
  • 64. Encontre as prioridades do projeto! Um único objetivo por vez! Está tudo claro? Pergunte!
  • 65. Encontre as prioridades do projeto! Um único objetivo por vez! Está tudo claro? Pergunte! Pare e pense!
  • 67. Test Cases Qualidades Fácil de ler - Não há lugar para enrolação!
  • 68. Test Cases Qualidades Fácil de ler - Não há lugar para enrolação! Rápido de encontrar o resultado esperado - Interpretação em poucos segundos
  • 69. Test Cases Qualidades Fácil de ler - Não há lugar para enrolação! Rápido de encontrar o resultado esperado - Interpretação em poucos segundos Autoexplicativos - Não necessitam da especificação completa do sistma
  • 70. Test Cases Qualidades Fácil de ler - Não há lugar para enrolação! Rápido de encontrar o resultado esperado - Interpretação em poucos segundos Autoexplicativos - Não necessitam da especificação completa do sistma Curtos - Elimine todos os desperdícios!
  • 71. Easy to Test Language - Seja imperativo   quot;clique no botãoquot;, quot;vá ao item 1quot; - Seja direto e simples, porém não simplório - Use nomes exatos e consistentes para campos, não seja genérico - Entre 10 e 15 passos - Siga convenções de nomes - Se não existem convenções, CRIE-AS!!!
  • 72. Atributos Comuns • Identificador • Descricao • Prioridade • Pre-condição • Dependências • Entradas • Instruções de utilização • Resultados esperados • Resultado Atual • Pós-condições • Resultado (passou/falhou) • Número da versao
  • 74. Linhas Gerais Escrever testes juntamente com os requisitos
  • 75. Linhas Gerais Escrever testes juntamente com os requisitos Descrevem o atual requisito
  • 76. Linhas Gerais Escrever testes juntamente com os requisitos Descrevem o atual requisito Siga um padrão, facilite a comunicação
  • 77. Linhas Gerais Escrever testes juntamente com os requisitos Descrevem o atual requisito Siga um padrão, facilite a comunicação Priorize seus testes por valor de negócio
  • 78. Linhas Gerais Escrever testes juntamente com os requisitos Descrevem o atual requisito Siga um padrão, facilite a comunicação Priorize seus testes por valor de negócio Agrupe testes por domínio
  • 79. Linhas Gerais Escrever testes juntamente com os requisitos Descrevem o atual requisito Siga um padrão, facilite a comunicação Priorize seus testes por valor de negócio Agrupe testes por domínio Foque no valor! Foque no resultado!
  • 80. Pratique!! A prática leva à perfeição
  • 81. Pratique!! A prática leva à perfeição Priorize! Remova desperdícios!
  • 82. Pratique!! A prática leva à perfeição Priorize! Remova desperdícios! Se possível, automatize! Seja preguiçoso!
  • 83. Exercício VI Sistema de Vendas Construir testes de aceitação para módulo Fazer Pedido http://www.consiste.dimap.ufrn.br/~andre/casouso/
  • 84. Exercício VI Fazer Pedido - versão 4 Atores     Cliente Pré-condição: O usuário deve ter feito quot;log-inquot; e obtido autorização do sistema Pós-condição: O pedido deve ter sido gravado no sistema e marcado como confirmado. Applying Use Cases: A Pratical Guidequot;, Geri Schneider & Jason Winters, Addison-Wesley, 1998.
  • 85. Fazer Pedido - versão 4 Fluxo de eventos primário: 1. O caso de uso começa quando po cliente seleciona quot;fazer pedidoquot;. 2. O cliente fornece seu nome e endereço. 3. Se o cliente fornece apenas o CEP, o sistema coloca automaticamente o a cidade e o estado. 4. Enquanto o cliente quiser pedir itens faça 1. O cliente fornece código do produto 2. O sistema fornece as descrição e preço do produto 3. O sistema atualiza o valor total 5. O cliente fornece as informações sobre cartão de crédito. 6. O cliente submete os dados ao sistema. 7. O sistema verifica as informações fornecidas, marca o pedido como quot;pendentequot; e envia as informações de pagamento para o sistema de contabilidade e pagamento. 8. Quando o pagamento é confirmado, o pedido é marcado como quot;confirmadoquot; e o número de pedido (NP) é dado ao cliente. Fluxo de eventos secundário: A qualquer momento antes de submeter, o cliente pode selecionar cancelar. O pedido não é gravado e o caso de uso termina. No passo 7, se alguma informação estiver correta, o sistema pede ao cliente para corrigir a informação. Applying Use Cases: A Pratical Guidequot;, Geri Schneider & Jason Winters, Addison-Wesley, 1998.
  • 88. Por que planejar? Finalidade: • Localizar e documentar defeitos na qualidade do software. • Avisar de forma geral sobre a qualidade observada no software. • Validar as suposições feitas nas especificações de design e requisito através de demonstração concreta. • Validar as funções do software conforme projetadas. • Verificar se os requisitos foram implementados de forma adequada.
  • 90.
  • 91.
  • 93. Teste antes, teste sempre! Comunique-se!
  • 94. Teste antes, teste sempre! Comunique-se! Comunique-se!
  • 95. Teste antes, teste sempre! Comunique-se! Comunique-se! Se puder, automatize!
  • 96. Teste antes, teste sempre! Comunique-se! Comunique-se! Se puder, automatize! Entenda o domínio do negócio
  • 97.
  • 101. Introdução Visão Geral: - Escopo, métodos, Padroes Requisitos: - Hardware, software, Pessoal
  • 103. Template Interação Homem-Computador • descrição, • objetivos, • métodos, • objetos a serem testados, • eventos a serem testados, • verificação dos testes, • ferramentas de teste.
  • 104. Template Testes Funcionais • objetivos, • métodos, • funções a serem testadas, • projeto de dados para testes, • construção dos dados de teste, • verficação do teste, • ferramentas de teste
  • 105. Template Testes de regressão •Objetivos • O que não funciona mais e o que continua funcionando na nova versão • Dados para teste • quais casos serão reutilizados • Execução dos testes • Ferramentas de teste
  • 106. Template Testes de desempenho • Objetivos • Métodos de teste • Monousuário • Multiusuário • Criação dos dados de teste • Verficação do teste • Ferramentas de teste
  • 107. Template Testes de aceitação • Objetivos •Cenários de negócio a serem testados • Projeto dos casos de teste • Métodos de teste • Verficação do teste • Ferramentas de teste
  • 108. Template Testes de Sistema • Objetivos • cenários de negócio a serem testados • Projeto dos casos de teste • Métodos de teste • Verficação do teste • Ferramentas de teste
  • 110. Documentar um Bug • Seja preciso • Seja claro - explique de forma que outros possam reproduzir o erro • Um bug por relatório • Nenhum bug é simples o suficiente para não ser registrado • Separe claramente fatos de especulações • Um printscreen vale mais que mil parágrafos
  • 111. Documentar um Bug “Eu estava usando o sistema e então ele deu pau”
  • 112. Documentar um Bug “Eu estava usando o sistema e então ele deu pau” -> Abra o sistema e vá ao item quot;Arquivo > Novoquot; -> Desenhe uma Reta -> Vá até a função quot;Salvar Como...quot; e salve o arquivo -> Tente abrir o arquivo novo -> Verifique a mensagem de erro
  • 114. Análise de Risco & Prioridades
  • 116. Analise de Risco Use Case Cenário Risco Frequência Criticidade UserCase 1 Cenário A Alto Alta Baixa UserCase 2 Cenario B Médio Baixa Alta
  • 119. Priorização Modelo Kano Priorização Pelo Valor Percebido
  • 120. Modelo Kano http://en.wikipedia.org/wiki/Kano_model
  • 121. Modelo Kano Obrigatórios Must-have http://en.wikipedia.org/wiki/Kano_model
  • 122. Modelo Kano Obrigatórios Must-have Quanto mais, melhor! Linear http://en.wikipedia.org/wiki/Kano_model
  • 123. Modelo Kano Obrigatórios Must-have Quanto mais, melhor! Linear Necessidades não Exciters conhecidas http://en.wikipedia.org/wiki/Kano_model
  • 124. Modelo Kano 2 Perguntas: http://www.acarlos.com.br/blog/
  • 125. Modelo Kano 2 Perguntas: O que você acha de ter uma Funcional cerveja de graça no quarto de hotel todos os dias? http://www.acarlos.com.br/blog/
  • 126. Modelo Kano 2 Perguntas: O que você acha de ter uma Funcional cerveja de graça no quarto de hotel todos os dias? Chegar em um hotel que não DysFunctional tem cerveja grátis, o que você acha? http://www.acarlos.com.br/blog/
  • 127. Modelo Kano DysFunction Question Live with Neutral Expect Dislike Like M - Mandatory L - Linear Like Q E E E L Functional Question E - Exciter Expect R I I I M Q - Questionable Neutral R I I I M R - Reverse I - Indifferent Live with R I I I M Dislike R R R R Q
  • 129. Benefício Relativo http://www.acarlos.com.br/blog/
  • 130. Benefício Relativo Pré-requisito: Estimativas criadas http://www.acarlos.com.br/blog/
  • 131. Benefício Relativo Pré-requisito: Estimativas criadas Benefits Penalties Sum(BV) Estimation BV/Est Feature 1 1 9 10 2 5 Feature 2 Feature 3 Feature 4 Feature 5 http://www.acarlos.com.br/blog/
  • 132. Benefício Relativo Pré-requisito: Estimativas criadas Benefits Penalties Sum(BV) Estimation BV/Est Feature 1 1 9 10 2 5 Feature 2 2 3 5 5 1 Feature 3 Feature 4 Feature 5 http://www.acarlos.com.br/blog/
  • 133. Benefício Relativo Feature 5 Feature 1 Feature 3 Feature 4 Feature 2
  • 134. Benefício Relativo Pré-requisito: Estimativas criadas Benefits Penalties Sum(BV) Estimation BV/Est Feature 1 1 9 10 2 5 Feature 2 2 3 5 5 1 Feature 3 5 1.6 13 8 8 Feature 4 6 7 13 13 1 Feature 5 5 5 10 2 5 http://www.acarlos.com.br/blog/