SlideShare uma empresa Scribd logo
CONSTRUTIVISMO
ACADÊMICOS
 DERMISON SALGADO DA CUNHA
 PAULO TAVARES
 ROGER PIMENTEL PEREIRA
O QUE FOI O
CONSTRUTIVISMO?
 O Construtivismo foi um movimento anti-naturalista que trouxe a ideia de que
a arte não é um elemento especial da criação humana, um elemento que se
separe, excepcional. Iniciou como um movimento escultórico vindo da
colagem e evoluindo para objetos tridimensionais, utilizando o ferro, a
madeira, o vidro, arame de aço, etc.
 Este movimento negava a arte pura e assimilava influências da indústria. A
arte, inspirada pelas novas conquistas do novo estado operário deveria
inspirar-se nas novas perspectivas trazidas pela máquina e pela
industrialização.
 O termo construtivista aplicado à arte foi usado em 1917, pela primeira vez ,
para descrever o trabalho de Rodchenko.
CARACTERÍSTICAS
 Como principais características, têm-se: a busca da técnica da
engenharia (inspiração com base na indústria, máquinas); oposição ao
individualismo; tendência para design e arquitetura; uso de formas
geométricas e cores primárias; e fotomontagem. E como temas principais
usados para construção de pinturas, esculturas e cartazes eram
principalmente revoluções, greves, a sociedade e questões políticas.
A ESCULTURA CONSTRUTIVISTA
 A escultura é a grande beneficiada pela contribuição construtivista que
modifica a noção tradicional de "esculpir", em que está embutida a
idéia de desgastar um material, o chamado método subtrativo.
 O construtivismo apresenta a idéia de "construir" usando materiais
naturais e sintéticos oferecidos pela industrialização. As obras se
apresentam como objetos compostos de elementos geométricos em
materiais diversos.
 O aparecimento de novos materiais implica na geração de novas
técnicas e sistemas de construção, que , por sua vez determinam o
surgimento de novas estruturas e aparências.
ARTISTAS DO CONSTRUTIVISMO
•Vladimir Tátlin (1885-1953) foi um pintor, escultor e
arquiteto russo. Foi o primeiro teórico desse
movimento. Estudou na Escola de Pintura,
Escultura.Viaja para Paris onde é fortemente
influenciado pelas construções tridimensionais de
Picasso feitas em papel, madeira e outros
materiais.
•Tátlin cria os chamados contra relevo,
assemblages abstratas de metal industrializado,
arame, madeira, plástico, com superposição de
fios, vidro e outros materiais, utilizando uma técnica
semelhante à colagem cubista.
•A partir dessas obras, o artista inaugura o
construtivismo, movimento que acabará
associando vários artistas.
Vladimir Tátlin
OBRA
Monumento à Terceira Internacional,
Vladimir Tátlin.
• Sua obra mais significativa é o Monumento à
Terceira Internacional, feito em 1919, os “novos
tempos” e a dinâmica social, tentando
integrar arte e técnica. A Torre teria 400 metros
(mais que a Torre Eiffel que possui 324 metros) e
seria feita de materiais como ferro e vidro.
• A inspiração do projeto foi a imagem de uma
catedral que Tátlin converteu em um cubo,
uma pirâmide, um cilindro e uma
semiesfera. O cubo iria girar em um ano,
a pirâmide em um mês, o cilindro em um
dia e a semiesfera em uma hora.
• O interior era composto por uma
estrutura em dupla-hélice em que seus
visitantes se locomoveriam por ela
através de estruturas mecânicas. A idéia
não passou de um modelo, mas
certamente é um dos mais importantes
projetos arquitetônicos já
feitos.representando
Naum Gabo
 Naum Gabo (1890-1977) foi um pintor e
escultor russo. Em 1913, em Paris, conhece
as obras cubistas de Braque e Picasso, e o
dinamismo dos futuristas italianos. Suas
primeiras esculturas foram influenciadas
pelas formas geométricas do cubismo.
 Em 1917, volta para a Rússia e liga-se à
artistas como Tátlin e Malevich. Em agosto
de 1920 escreve o Manifesto Realista com
seu irmão, também artista, Antoine Pavsner.
Nesse manifesto eles defendiam uma arte
nova e realista que não fosse apenas
baseada no cubismo.
OBRAS
Uma de suas obras mais
importantes foi a Cabeça
Construída No1, que
representava bem algumas
características do
construtivismo, como a
exaltação da profundidade e
do volume e a utilização de
materiais industrializados.
Gabo queria revelar o espaço
interior. Essa obra foi
erroneamente considerada
cubista, já que era uma obra
claramente construtivista.
Amilcar Castro
 Amilcar de castro foi um escultor,
artista plástico e designer gráfico
brasileiro.
 Sua matéria prima é chapa de
aço e ferro, ele trabalhava em
suas obras com expressão e forma.
É considerado pelos críticos e
historiadores da arte um dos
escultores construtivos mais
representativos da arte brasileira
contemporânea.
Amílcar de Castro virou referência para os artistas brasileiros e, especialmente, para
seus alunos na Escola Guignard, em Belo Horizonte, para onde voltou. Suas
esculturas, fundadas quase exclusivamente em duas ações (corte e dobra, que
nem sempre vem juntas) sobre ferro e madeira, impressionam pela economia de
meios e pela lição que oferecem sobre a capacidade afirmativa do gesto e o fato
de realizarem a passagem do plano para o volume.
Escultura no jardim do MAC-USP Escultura no Hall das Bandeiras da
Assembléia Legislativa de Minas
Gerais.
Referências:
 http://comunicacaoeartes20122.wordpress.com/2013/01/25/o-
construtivismo/
 http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enciclopedia_ic/index.cfm
?fuseaction=termos_texto&cd_verbete=3780
 http://pt.slideshare.net/flataveira/construtivismo-russo-
28289150?related=1#
 http://penta.ufrgs.br/~luis/Ativ1/ConstruEvelise.html

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Arte ensino médio slide 1
Arte ensino médio  slide 1Arte ensino médio  slide 1
Arte ensino médio slide 1
Eponina Alencar
 
Walter Benjamin e a reprodutibilidade técnica
Walter Benjamin e a reprodutibilidade técnicaWalter Benjamin e a reprodutibilidade técnica
Walter Benjamin e a reprodutibilidade técnica
Marcos Ramon
 
História da Arte: Realismo
História da Arte: RealismoHistória da Arte: Realismo
História da Arte: Realismo
Raphael Lanzillotte
 
Questões Arte
Questões ArteQuestões Arte
Questões Arte
Renata Assunção
 
Neoclassicismo
NeoclassicismoNeoclassicismo
Neoclassicismo
Arte Educadora
 
Arquitetura barroca brasileira
Arquitetura barroca brasileiraArquitetura barroca brasileira
Arquitetura barroca brasileira
Doug Caesar
 
Vanguardas Europeias
Vanguardas EuropeiasVanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Hely Costa Júnior
 
Evolução da Arte
Evolução da ArteEvolução da Arte
Evolução da Arte
Alexandre Ribeiro
 
Arte o que é
Arte   o que éArte   o que é
Arte o que é
Darli Corrêa Marinho
 
Textos historia da arte Ensino Medio
Textos historia da arte Ensino MedioTextos historia da arte Ensino Medio
Textos historia da arte Ensino Medio
Dulcinea Lisboa Passos
 
O modernismo brasileiro
O modernismo brasileiroO modernismo brasileiro
O modernismo brasileiro
Junior Onildo
 
Aula de artes para o ensino médio
Aula de artes para o ensino médioAula de artes para o ensino médio
Aula de artes para o ensino médio
Wagna Ferreirra Soares Amancio
 
Semana de arte moderna de 1922, conflitos e confrontos.
Semana de arte moderna de 1922, conflitos e confrontos.Semana de arte moderna de 1922, conflitos e confrontos.
Semana de arte moderna de 1922, conflitos e confrontos.
Grupo Educacional Opet
 
Literatura brasileira
Literatura brasileiraLiteratura brasileira
Literatura brasileira
Fernando Henning
 
Arte - Missão artística francesa
Arte - Missão artística francesa Arte - Missão artística francesa
Arte - Missão artística francesa
Mary Alvarenga
 
Concretismo No Brasil
Concretismo No BrasilConcretismo No Brasil
Concretismo No Brasil
Thalles Yvson
 
Arte Barroca
Arte BarrocaArte Barroca
Arte Barroca
Carlos Pinheiro
 
Literatura Portuguesa Contemporânea: Prosa e Poesia
Literatura Portuguesa Contemporânea: Prosa e PoesiaLiteratura Portuguesa Contemporânea: Prosa e Poesia
Literatura Portuguesa Contemporânea: Prosa e Poesia
Juullio
 
Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)
Equipemundi2014
 
NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro
Andrea Dressler
 

Mais procurados (20)

Arte ensino médio slide 1
Arte ensino médio  slide 1Arte ensino médio  slide 1
Arte ensino médio slide 1
 
Walter Benjamin e a reprodutibilidade técnica
Walter Benjamin e a reprodutibilidade técnicaWalter Benjamin e a reprodutibilidade técnica
Walter Benjamin e a reprodutibilidade técnica
 
História da Arte: Realismo
História da Arte: RealismoHistória da Arte: Realismo
História da Arte: Realismo
 
Questões Arte
Questões ArteQuestões Arte
Questões Arte
 
Neoclassicismo
NeoclassicismoNeoclassicismo
Neoclassicismo
 
Arquitetura barroca brasileira
Arquitetura barroca brasileiraArquitetura barroca brasileira
Arquitetura barroca brasileira
 
Vanguardas Europeias
Vanguardas EuropeiasVanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
 
Evolução da Arte
Evolução da ArteEvolução da Arte
Evolução da Arte
 
Arte o que é
Arte   o que éArte   o que é
Arte o que é
 
Textos historia da arte Ensino Medio
Textos historia da arte Ensino MedioTextos historia da arte Ensino Medio
Textos historia da arte Ensino Medio
 
O modernismo brasileiro
O modernismo brasileiroO modernismo brasileiro
O modernismo brasileiro
 
Aula de artes para o ensino médio
Aula de artes para o ensino médioAula de artes para o ensino médio
Aula de artes para o ensino médio
 
Semana de arte moderna de 1922, conflitos e confrontos.
Semana de arte moderna de 1922, conflitos e confrontos.Semana de arte moderna de 1922, conflitos e confrontos.
Semana de arte moderna de 1922, conflitos e confrontos.
 
Literatura brasileira
Literatura brasileiraLiteratura brasileira
Literatura brasileira
 
Arte - Missão artística francesa
Arte - Missão artística francesa Arte - Missão artística francesa
Arte - Missão artística francesa
 
Concretismo No Brasil
Concretismo No BrasilConcretismo No Brasil
Concretismo No Brasil
 
Arte Barroca
Arte BarrocaArte Barroca
Arte Barroca
 
Literatura Portuguesa Contemporânea: Prosa e Poesia
Literatura Portuguesa Contemporânea: Prosa e PoesiaLiteratura Portuguesa Contemporânea: Prosa e Poesia
Literatura Portuguesa Contemporânea: Prosa e Poesia
 
Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)
 
NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro NeoConcretismo Brasileiro
NeoConcretismo Brasileiro
 

Destaque

Historia das artes - Construtivismo
Historia das artes - ConstrutivismoHistoria das artes - Construtivismo
Historia das artes - Construtivismo
Filipe_Carvalho
 
Construtivismo Apresentação
Construtivismo ApresentaçãoConstrutivismo Apresentação
Construtivismo Apresentação
Mayara Vellardi
 
O que e construtivismo
O que e construtivismoO que e construtivismo
O que e construtivismo
LIVROS PSI
 
Construtivismo, Alexander Rodchenko - História das artes contemporâneas
Construtivismo, Alexander Rodchenko - História das artes contemporâneasConstrutivismo, Alexander Rodchenko - História das artes contemporâneas
Construtivismo, Alexander Rodchenko - História das artes contemporâneas
MarcioEnes
 
Atividades filosofia, ciência e religião
Atividades filosofia, ciência e religiãoAtividades filosofia, ciência e religião
Atividades filosofia, ciência e religião
Doug Caesar
 
Construtivismo russo
Construtivismo russoConstrutivismo russo
Construtivismo russo
Macedo1634
 
El lissitzky
El lissitzkyEl lissitzky
El lissitzky
claudiasvieira
 
Aleksandr rodchenko construtivismo
Aleksandr rodchenko construtivismoAleksandr rodchenko construtivismo
Aleksandr rodchenko construtivismo
JoaoDamiao
 
Alexander Rodchenko
Alexander RodchenkoAlexander Rodchenko
Alexander Rodchenko
BernardoSilva2013
 
[HAVC] Construtivismo: Vladimir Mayakovsky
[HAVC] Construtivismo: Vladimir Mayakovsky[HAVC] Construtivismo: Vladimir Mayakovsky
[HAVC] Construtivismo: Vladimir Mayakovsky
Ricardo Sousa
 
Construtivismo russo (3)
Construtivismo russo (3)Construtivismo russo (3)
Construtivismo russo (3)
Ronyduarte
 
Construtivismo Russo - Pesquisa
Construtivismo Russo - PesquisaConstrutivismo Russo - Pesquisa
Construtivismo Russo - Pesquisa
Joao Rocha
 
Max Bill
Max BillMax Bill
Max Bill
Érico Galindo
 
Construtivismo - Carlos Alves - N58512 - CM-UTAD
Construtivismo - Carlos Alves - N58512 - CM-UTADConstrutivismo - Carlos Alves - N58512 - CM-UTAD
Construtivismo - Carlos Alves - N58512 - CM-UTAD
Carlos Alves
 
Prueba de slideshare
Prueba de slidesharePrueba de slideshare
Prueba de slideshare
ELIZABETH178
 
Descritivos academia gis vs10.1
Descritivos academia gis vs10.1Descritivos academia gis vs10.1
Descritivos academia gis vs10.1
JulianaGIS
 
Construtivismo Russo
Construtivismo RussoConstrutivismo Russo
Construtivismo Russo
Rita Mota
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
Leticiachibi
 
Ppt construtivismo
Ppt construtivismoPpt construtivismo
Ppt construtivismo
Tiago Fonseca
 
[HAD2012] 13 - construtivismo
[HAD2012] 13 - construtivismo[HAD2012] 13 - construtivismo
[HAD2012] 13 - construtivismo
Eduardo Novais
 

Destaque (20)

Historia das artes - Construtivismo
Historia das artes - ConstrutivismoHistoria das artes - Construtivismo
Historia das artes - Construtivismo
 
Construtivismo Apresentação
Construtivismo ApresentaçãoConstrutivismo Apresentação
Construtivismo Apresentação
 
O que e construtivismo
O que e construtivismoO que e construtivismo
O que e construtivismo
 
Construtivismo, Alexander Rodchenko - História das artes contemporâneas
Construtivismo, Alexander Rodchenko - História das artes contemporâneasConstrutivismo, Alexander Rodchenko - História das artes contemporâneas
Construtivismo, Alexander Rodchenko - História das artes contemporâneas
 
Atividades filosofia, ciência e religião
Atividades filosofia, ciência e religiãoAtividades filosofia, ciência e religião
Atividades filosofia, ciência e religião
 
Construtivismo russo
Construtivismo russoConstrutivismo russo
Construtivismo russo
 
El lissitzky
El lissitzkyEl lissitzky
El lissitzky
 
Aleksandr rodchenko construtivismo
Aleksandr rodchenko construtivismoAleksandr rodchenko construtivismo
Aleksandr rodchenko construtivismo
 
Alexander Rodchenko
Alexander RodchenkoAlexander Rodchenko
Alexander Rodchenko
 
[HAVC] Construtivismo: Vladimir Mayakovsky
[HAVC] Construtivismo: Vladimir Mayakovsky[HAVC] Construtivismo: Vladimir Mayakovsky
[HAVC] Construtivismo: Vladimir Mayakovsky
 
Construtivismo russo (3)
Construtivismo russo (3)Construtivismo russo (3)
Construtivismo russo (3)
 
Construtivismo Russo - Pesquisa
Construtivismo Russo - PesquisaConstrutivismo Russo - Pesquisa
Construtivismo Russo - Pesquisa
 
Max Bill
Max BillMax Bill
Max Bill
 
Construtivismo - Carlos Alves - N58512 - CM-UTAD
Construtivismo - Carlos Alves - N58512 - CM-UTADConstrutivismo - Carlos Alves - N58512 - CM-UTAD
Construtivismo - Carlos Alves - N58512 - CM-UTAD
 
Prueba de slideshare
Prueba de slidesharePrueba de slideshare
Prueba de slideshare
 
Descritivos academia gis vs10.1
Descritivos academia gis vs10.1Descritivos academia gis vs10.1
Descritivos academia gis vs10.1
 
Construtivismo Russo
Construtivismo RussoConstrutivismo Russo
Construtivismo Russo
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
 
Ppt construtivismo
Ppt construtivismoPpt construtivismo
Ppt construtivismo
 
[HAD2012] 13 - construtivismo
[HAD2012] 13 - construtivismo[HAD2012] 13 - construtivismo
[HAD2012] 13 - construtivismo
 

Semelhante a Construtivismo - Escultura no Construtivismo

Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
gil_57z
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
Paulo Miguel
 
Construtivismo russo
Construtivismo russoConstrutivismo russo
Construtivismo russo
Viviane Marques
 
Construtivismo Russo
Construtivismo RussoConstrutivismo Russo
Construtivismo Russo
Joel Sousa
 
Moscou 1910 1930
Moscou 1910 1930Moscou 1910 1930
Moscou 1910 1930
Mariana Loures
 
Album de Figurinhas Introdução ao Design
Album de Figurinhas Introdução ao DesignAlbum de Figurinhas Introdução ao Design
Album de Figurinhas Introdução ao Design
Andressa Baptista
 
8A A Cultura da Gare_Arquitectura do Ferro e Arts and Crafts_Impressionismo.pdf
8A A Cultura da Gare_Arquitectura do Ferro e Arts and Crafts_Impressionismo.pdf8A A Cultura da Gare_Arquitectura do Ferro e Arts and Crafts_Impressionismo.pdf
8A A Cultura da Gare_Arquitectura do Ferro e Arts and Crafts_Impressionismo.pdf
EmilioBarbosa9
 
Album figurinhas ind_2015(1)
Album figurinhas ind_2015(1)Album figurinhas ind_2015(1)
Album figurinhas ind_2015(1)
Geiziane Schubert
 
Brutalismo
BrutalismoBrutalismo
Artigo bimestral introd design
Artigo bimestral introd designArtigo bimestral introd design
Artigo bimestral introd design
Ariceli Nunes
 
Concretismo e neoconcretismo slides
Concretismo e neoconcretismo slidesConcretismo e neoconcretismo slides
Concretismo e neoconcretismo slides
wddan
 
8ºano
8ºano8ºano
Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz
Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz
Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz
jvthomaz
 
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Viviane Marques
 
Album de figurinhas ana caroline venturi
Album de figurinhas   ana caroline venturiAlbum de figurinhas   ana caroline venturi
Album de figurinhas ana caroline venturi
Ana Caroline Venturi
 
História do Design - Mov.Vanguarda - Hd06
História do Design - Mov.Vanguarda - Hd06História do Design - Mov.Vanguarda - Hd06
História do Design - Mov.Vanguarda - Hd06
Valdir Soares
 
História da Arte - do Construtivismo à Arte Contemporanea
História da Arte - do Construtivismo à Arte ContemporaneaHistória da Arte - do Construtivismo à Arte Contemporanea
História da Arte - do Construtivismo à Arte Contemporanea
Raphael Lanzillotte
 
Escultura e surrealismo
Escultura e surrealismoEscultura e surrealismo
Escultura e surrealismo
ThiagoSousa16anos
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
Marta Carvalho
 
Crítica de arte
Crítica de arteCrítica de arte
Crítica de arte
Andrea Cortelazzi
 

Semelhante a Construtivismo - Escultura no Construtivismo (20)

Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
 
Construtivismo russo
Construtivismo russoConstrutivismo russo
Construtivismo russo
 
Construtivismo Russo
Construtivismo RussoConstrutivismo Russo
Construtivismo Russo
 
Moscou 1910 1930
Moscou 1910 1930Moscou 1910 1930
Moscou 1910 1930
 
Album de Figurinhas Introdução ao Design
Album de Figurinhas Introdução ao DesignAlbum de Figurinhas Introdução ao Design
Album de Figurinhas Introdução ao Design
 
8A A Cultura da Gare_Arquitectura do Ferro e Arts and Crafts_Impressionismo.pdf
8A A Cultura da Gare_Arquitectura do Ferro e Arts and Crafts_Impressionismo.pdf8A A Cultura da Gare_Arquitectura do Ferro e Arts and Crafts_Impressionismo.pdf
8A A Cultura da Gare_Arquitectura do Ferro e Arts and Crafts_Impressionismo.pdf
 
Album figurinhas ind_2015(1)
Album figurinhas ind_2015(1)Album figurinhas ind_2015(1)
Album figurinhas ind_2015(1)
 
Brutalismo
BrutalismoBrutalismo
Brutalismo
 
Artigo bimestral introd design
Artigo bimestral introd designArtigo bimestral introd design
Artigo bimestral introd design
 
Concretismo e neoconcretismo slides
Concretismo e neoconcretismo slidesConcretismo e neoconcretismo slides
Concretismo e neoconcretismo slides
 
8ºano
8ºano8ºano
8ºano
 
Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz
Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz
Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz
 
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
 
Album de figurinhas ana caroline venturi
Album de figurinhas   ana caroline venturiAlbum de figurinhas   ana caroline venturi
Album de figurinhas ana caroline venturi
 
História do Design - Mov.Vanguarda - Hd06
História do Design - Mov.Vanguarda - Hd06História do Design - Mov.Vanguarda - Hd06
História do Design - Mov.Vanguarda - Hd06
 
História da Arte - do Construtivismo à Arte Contemporanea
História da Arte - do Construtivismo à Arte ContemporaneaHistória da Arte - do Construtivismo à Arte Contemporanea
História da Arte - do Construtivismo à Arte Contemporanea
 
Escultura e surrealismo
Escultura e surrealismoEscultura e surrealismo
Escultura e surrealismo
 
Construtivismo
ConstrutivismoConstrutivismo
Construtivismo
 
Crítica de arte
Crítica de arteCrítica de arte
Crítica de arte
 

Mais de Roger Pimentel

Hahnemann bacelar - História da Arte na Amazônia
Hahnemann bacelar - História da Arte na AmazôniaHahnemann bacelar - História da Arte na Amazônia
Hahnemann bacelar - História da Arte na Amazônia
Roger Pimentel
 
Orlando Brito - Introdução a Fotografia
Orlando Brito - Introdução a FotografiaOrlando Brito - Introdução a Fotografia
Orlando Brito - Introdução a Fotografia
Roger Pimentel
 
Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.
Roger Pimentel
 
Ecoturismo e Conservação dos Recursos Naturais, Turismo em Território Indíge...
Ecoturismo e Conservação dos Recursos Naturais,  Turismo em Território Indíge...Ecoturismo e Conservação dos Recursos Naturais,  Turismo em Território Indíge...
Ecoturismo e Conservação dos Recursos Naturais, Turismo em Território Indíge...
Roger Pimentel
 
Teoria da percepção
Teoria da percepção Teoria da percepção
Teoria da percepção
Roger Pimentel
 
Positivismo de Augusto Comte
Positivismo de Augusto ComtePositivismo de Augusto Comte
Positivismo de Augusto Comte
Roger Pimentel
 
Arquitetura barroca - História da Arte
Arquitetura barroca - História da ArteArquitetura barroca - História da Arte
Arquitetura barroca - História da Arte
Roger Pimentel
 
Impressão Offset
Impressão Offset Impressão Offset
Impressão Offset
Roger Pimentel
 

Mais de Roger Pimentel (8)

Hahnemann bacelar - História da Arte na Amazônia
Hahnemann bacelar - História da Arte na AmazôniaHahnemann bacelar - História da Arte na Amazônia
Hahnemann bacelar - História da Arte na Amazônia
 
Orlando Brito - Introdução a Fotografia
Orlando Brito - Introdução a FotografiaOrlando Brito - Introdução a Fotografia
Orlando Brito - Introdução a Fotografia
 
Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.
 
Ecoturismo e Conservação dos Recursos Naturais, Turismo em Território Indíge...
Ecoturismo e Conservação dos Recursos Naturais,  Turismo em Território Indíge...Ecoturismo e Conservação dos Recursos Naturais,  Turismo em Território Indíge...
Ecoturismo e Conservação dos Recursos Naturais, Turismo em Território Indíge...
 
Teoria da percepção
Teoria da percepção Teoria da percepção
Teoria da percepção
 
Positivismo de Augusto Comte
Positivismo de Augusto ComtePositivismo de Augusto Comte
Positivismo de Augusto Comte
 
Arquitetura barroca - História da Arte
Arquitetura barroca - História da ArteArquitetura barroca - História da Arte
Arquitetura barroca - História da Arte
 
Impressão Offset
Impressão Offset Impressão Offset
Impressão Offset
 

Último

Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
PatriciaZanoli
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 

Último (20)

Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 

Construtivismo - Escultura no Construtivismo

  • 2. ACADÊMICOS  DERMISON SALGADO DA CUNHA  PAULO TAVARES  ROGER PIMENTEL PEREIRA
  • 3. O QUE FOI O CONSTRUTIVISMO?  O Construtivismo foi um movimento anti-naturalista que trouxe a ideia de que a arte não é um elemento especial da criação humana, um elemento que se separe, excepcional. Iniciou como um movimento escultórico vindo da colagem e evoluindo para objetos tridimensionais, utilizando o ferro, a madeira, o vidro, arame de aço, etc.  Este movimento negava a arte pura e assimilava influências da indústria. A arte, inspirada pelas novas conquistas do novo estado operário deveria inspirar-se nas novas perspectivas trazidas pela máquina e pela industrialização.  O termo construtivista aplicado à arte foi usado em 1917, pela primeira vez , para descrever o trabalho de Rodchenko.
  • 4. CARACTERÍSTICAS  Como principais características, têm-se: a busca da técnica da engenharia (inspiração com base na indústria, máquinas); oposição ao individualismo; tendência para design e arquitetura; uso de formas geométricas e cores primárias; e fotomontagem. E como temas principais usados para construção de pinturas, esculturas e cartazes eram principalmente revoluções, greves, a sociedade e questões políticas.
  • 5. A ESCULTURA CONSTRUTIVISTA  A escultura é a grande beneficiada pela contribuição construtivista que modifica a noção tradicional de "esculpir", em que está embutida a idéia de desgastar um material, o chamado método subtrativo.  O construtivismo apresenta a idéia de "construir" usando materiais naturais e sintéticos oferecidos pela industrialização. As obras se apresentam como objetos compostos de elementos geométricos em materiais diversos.  O aparecimento de novos materiais implica na geração de novas técnicas e sistemas de construção, que , por sua vez determinam o surgimento de novas estruturas e aparências.
  • 6. ARTISTAS DO CONSTRUTIVISMO •Vladimir Tátlin (1885-1953) foi um pintor, escultor e arquiteto russo. Foi o primeiro teórico desse movimento. Estudou na Escola de Pintura, Escultura.Viaja para Paris onde é fortemente influenciado pelas construções tridimensionais de Picasso feitas em papel, madeira e outros materiais. •Tátlin cria os chamados contra relevo, assemblages abstratas de metal industrializado, arame, madeira, plástico, com superposição de fios, vidro e outros materiais, utilizando uma técnica semelhante à colagem cubista. •A partir dessas obras, o artista inaugura o construtivismo, movimento que acabará associando vários artistas. Vladimir Tátlin
  • 7. OBRA Monumento à Terceira Internacional, Vladimir Tátlin. • Sua obra mais significativa é o Monumento à Terceira Internacional, feito em 1919, os “novos tempos” e a dinâmica social, tentando integrar arte e técnica. A Torre teria 400 metros (mais que a Torre Eiffel que possui 324 metros) e seria feita de materiais como ferro e vidro. • A inspiração do projeto foi a imagem de uma catedral que Tátlin converteu em um cubo, uma pirâmide, um cilindro e uma semiesfera. O cubo iria girar em um ano, a pirâmide em um mês, o cilindro em um dia e a semiesfera em uma hora. • O interior era composto por uma estrutura em dupla-hélice em que seus visitantes se locomoveriam por ela através de estruturas mecânicas. A idéia não passou de um modelo, mas certamente é um dos mais importantes projetos arquitetônicos já feitos.representando
  • 8. Naum Gabo  Naum Gabo (1890-1977) foi um pintor e escultor russo. Em 1913, em Paris, conhece as obras cubistas de Braque e Picasso, e o dinamismo dos futuristas italianos. Suas primeiras esculturas foram influenciadas pelas formas geométricas do cubismo.  Em 1917, volta para a Rússia e liga-se à artistas como Tátlin e Malevich. Em agosto de 1920 escreve o Manifesto Realista com seu irmão, também artista, Antoine Pavsner. Nesse manifesto eles defendiam uma arte nova e realista que não fosse apenas baseada no cubismo.
  • 9. OBRAS Uma de suas obras mais importantes foi a Cabeça Construída No1, que representava bem algumas características do construtivismo, como a exaltação da profundidade e do volume e a utilização de materiais industrializados. Gabo queria revelar o espaço interior. Essa obra foi erroneamente considerada cubista, já que era uma obra claramente construtivista.
  • 10. Amilcar Castro  Amilcar de castro foi um escultor, artista plástico e designer gráfico brasileiro.  Sua matéria prima é chapa de aço e ferro, ele trabalhava em suas obras com expressão e forma. É considerado pelos críticos e historiadores da arte um dos escultores construtivos mais representativos da arte brasileira contemporânea.
  • 11. Amílcar de Castro virou referência para os artistas brasileiros e, especialmente, para seus alunos na Escola Guignard, em Belo Horizonte, para onde voltou. Suas esculturas, fundadas quase exclusivamente em duas ações (corte e dobra, que nem sempre vem juntas) sobre ferro e madeira, impressionam pela economia de meios e pela lição que oferecem sobre a capacidade afirmativa do gesto e o fato de realizarem a passagem do plano para o volume. Escultura no jardim do MAC-USP Escultura no Hall das Bandeiras da Assembléia Legislativa de Minas Gerais.