SlideShare uma empresa Scribd logo
Como pregar para os Jovens

   - Esta formação não substitui em hipótese nenhuma a formação de pregadores do
ministério de pregação, ou seja, este projeto visa dar aos pregadores jovens uma
direção para pregar aos jovens.
   - O jovem tem uma necessidade diferenciada e ao mesmo tempo é muito exigente,
ou seja, é aquele que mais quer seu direito e que menos quer exercer seu dever. Por
isso Deus chama também jovens para falar para sua juventude, porque o jovem tem a
linguagem, enfrenta os mesmos desafios, passa pelas mesmas experiências.
  - Um chamado da igreja: “Sois jovens da Igreja. Por isso Eu vos envio para a
grande missão de evangelizar os jovens e as jovens, que andam por este mundo
errantes, como ovelhas sem pastor. Sede os apóstolos dos jovens. Convidai-os
para que venham convosco, façam a mesma experiência de fé, de esperança e de
amor; encontrem-se com Jesus, para se sentirem realmente amados, acolhidos, com
plena possibilidade de realizar-se. Que também eles e elas descubram os caminhos
seguros dos Mandamentos e por eles cheguem até Deus”. (Bento XVI, no encontro
com os Jovens no Pacaembu em Maio de 2007)
O chamado que o Papa faz a juventude é muito específico: Evangelizar os outros
jovens, que andam perdidos, no erro (errantes). Pra isso nos chama a pregação. Nos
chama com todo vigor de nossa juventude para anunciarmos Cristo crucificado e
ressuscitado. Nossa missão é ser uma voz, assim como João Batista (Mt 3, 3), ser a
voz que anuncia a salvação através de Jesus, nossa missão é convidar, porque como
jovens, estamos no mesmo meio, estudamos juntos, trabalhamos juntos, vivemos no
mesmo “mundo”, por isso, nosso testemunho tem força, tem a força da juventude,
porque somos fortes e a palavra de Deus permanece em nós (I Jo 2, 14).
É preciso assumir com o coração essa missão. A missão de evangelizar a juventude
que anda perdida é dada para os jovens que se encontraram com Jesus. É preciso
testemunhar essa experiência, a grande experiência da conversão, a grande
experiência do amor a Cristo.
Em 2007 a CNBB publicou um documento sobre Evangelização da Juventude (EvJ),
onde ela trata repetidas vezes do termo “Protagonismo dos Jovens”. Isso quer dizer,
em tudo aquilo que for feito para a evangelização dos jovens, seja em algum
movimento ou mesmo numa pastoral o jovem precisa estar à frente, ou seja, jovem
deve coordenar jovem, jovem deve organizar os meios de evangelização pra jovem,
jovem deve pregar para jovem.
A igreja da América se pronunciou diversas vezes sobre os jovens. Em 1968, no
CELAM de Medellín, os bispos diagnosticaram que os jovens não se identificam com a
igreja porque não se sentem convidados a participar, identificaram ainda os jovens
como sendo sinceros, autênticos e com boa aceitação do diferente. Em Medellín os
bispos chamam a juventude de “símbolo da Igreja”, chamada a uma constante
renovação de si mesma. Em 1979, no CELAM de Puebla, os bispos chamam a
atenção para algumas características dos jovens: espírito de aventura, capacidade
criadora, o desejo de liberdade e o fato de serem sinal de alegria e felicidade, exigindo
autenticidade e simplicidade. Dizem nossos pastores que o papel da juventude no
corpo social da Igreja é dinamizar este corpo. A igreja deixa claro que confia nos
jovens, sendo eles sua esperança. Em Puebla a Igreja da América Latina faz a opção
preferencial pelos jovens, no aspecto de pastoreio e evangelização. Em 1992 em
Santo Domingo O CELAM reafirmou a opção preferencial pelos Jovens, e pede uma
maior inserção dos jovens na evangelização, promovendo o protagonismo dos jovens
e anunciando que o Deus da Vida ama os jovens.
A Igreja não trata os jovens como o futuro da Igreja e sim como o presente, Portanto,
“na evangelização da juventude está em jogo o presente e o futuro da Igreja” (EvJ, n.
70), que “evangeliza e precisa ser continuamente ser evangelizada”. (EvJ, n. 69)

Vamos a algumas características:

1- Dinâmico: O jovem não gosta de nada parado, quer algo inesperado. É
interessante que o jovem não seja somente um expectador, é bom que ele participe,
que a mente dele funcione durante a pregação. Quando se faz uma dinâmica o jovem
precisa prestar atenção pra saber o que vai acontecer, e, muitas vezes ele mesmo vai
entender aquilo que foi feito. “O jovem necessita encontrar instrumentos, pessoas e
momentos que o marquem profundamente, provocando nele o desejo de verdadeira
mudança.” (EvJ, n. 120) Pra isso o pregador jovem precisa ser criativo, é preciso então
buscar todas essas dinâmica através da intimidade com Deus, que se consegue
através da oração, porque “o jovem só é criativo quando se sente a vontade com Deus
e amado por Ele.” (EvJ, n. 121)

2- Feliz: Para anunciar aos jovens, precisamos ter uma alegria contagiante, pois aí
está o que o jovem procura: felicidade. “Vivei sempre contentes” (I Tes 5, 16), para
isso, “Orai sem cessar” (I Tes 5, 17). Enquanto o mundo oferece euforia, Jesus oferece
alegria. Isso precisa estar estampado em nossa face, essa alegria que vem do Senhor,
a alegria no Servir. Em todos os momentos é preciso viver contente, quando sou
convidado para pregar em um grande encontro, com muitas pessoas, mas quando sou
chamado a pregar num grupo bem pequeno, numa reunião de equipe, é preciso
manter a mesma alegria. Nossa felicidade está no serviço ao Senhor, Jesus é nossa
festa, portanto, estar servindo-o já é o motivo suficiente pra estarmos alegres, não
importando o porte do evento. Na alegria de um jovem que prega, o jovem que escuta
vê a esperança de experimentar também dessa alegria, por isso “o jovem é o
evangelizador privilegiado de outros jovens” (EvJ, n. 63), porque o jovem que está
sentado tem a oportunidade de se ver na condição daquele que prega.

3- Conhecimento: Podemos usar as palavras do profeta Oséias de forma adaptada:
“Os jovens perecem por falta de conhecimento” (Os 4, 6). É preciso buscar conhecer a
palavra de Deus. “Da palavra da sagrada escritura se nutre salutarmente e
santamente floresce o ministério da palavra, a saber, a Pregação...” (CIC, n. 132)
“Desconhecer a escritura é desconhecer Jesus Cristo e renunciar a anunciá-lo... é
condição indispensável o conhecimento profundo e vivencial, da Palavra de Deus... Do
contrário, como vão anunciar uma mensagem cujo conteúdo e espírito não conhecem
profundamente? É preciso fundamentar nosso compromisso missionário e toda a
nossa vida na rocha da Palavra de Deus.” (DAp, n. 247) O pregador jovem precisa ser
firme e corajoso. Essa ordem que foi tantas vezes dada na história é dada ainda hoje,
mas não existe firmeza se não há convicção. Portanto, o pregador que não estiver
certo do que fala, passa a incerteza para aqueles que o ouvem. Sem certeza e sem
convicção não há coragem, portanto, sem conhecimento da palavra e da doutrina da
Igreja, não existirá pregador firme e corajoso, vai existir sempre aquele que fala
porque precisa dizer algo e não o que fala porque tem algo a dizer. “São de grande
valia as leituras teológicas, Espirituais
e documentos da Igreja como instrumento para o fortalecimento e crescimento da Fé.
A Leitura da vida dos santos e de seus escritos pode contribuir enormemente para
despertar ou alimentar a vida dos jovens que hoje, sentem necessidade de modelos,
líderes, testemunhos. Na história da nossa igreja temos muitos santos e bem
aventurados jovens como, por exemplo: Inês, Tarcísio, Domingos Sávio, Albertina
Berkenbrock e outros. A devoção aos santos lembra aos jovens a sua vocação à
santidade.” (EvJ, n. 128)

4- Saber enxergar as entrelinhas: Com base na palavra de Deus, poderemos ver
além do lógico, ver aquilo que precisa ser anunciado. É preciso colocar na realidade
da assembléia que lhe escuta o conteúdo da mensagem bíblica lida. Existem muitos
pontos de reflexão numa passagem bíblica, como a do filho pródigo por exemplo (Luc
15, 11-32), não podemos abordar numa mesma pregação todos os seus pontos, é
preciso discernir qual o ponto que a assembléia local precisa viver naquela pregação.
Por isso é muito importante conhecer a realidade na qual se vai pregar. Ex: Pedro
andando sobre as águas onde começa a afundar (humildade). Outro fato: Os
hipócritas (fariseu/saduceus) levaram a prostituta para ser apedrejada. Os nossos
inimigos (dificuldades) precisam nos levar para Deus.

5- Pregar o querigma: jovem quando está iniciando, precisa ouvir o 1º anúncio. “O
Jovem necessita que falemos não somente de um Deus que vem de fora, mas de um
Deus que é real dentro dele em seu modo juvenil de ser alegre, dinâmico, criativo e
ousado.” (EvJ, n. 80) O jovem precisa se sentir amado, reconhecer que Jesus dá a
salvação e que Ele é o único Senhor. É claro que não devemos permanecer apenas
no primeiro no anúncio, o jovem precisa ser bem formado na fé, ter uma fé
amadurecida, mas antes de qualquer coisa, precisa se encontrar com Jesus, caminho,
verdade e vida. Anunciar o querigma envolve experiência de vida, só se pode anunciar
o que se vive, portanto, é missão dos jovens pregadores transmitirem em suas
pregações a experiência de Cristo que eles tiveram. A Juventude precisa se apaixonar
por Jesus, pra isso precisa conhecê-lo, pra então aceitarem sua salvação, seu
senhorio, seu Espírito. Assim como Deus enviou Paulo aos pagãos para anunciar
Jesus ressuscitado (Atos 13, 2-3), hoje o senhor envia os jovens para evangelizar os
jovens, e foi bem claro usando a voz do nosso amado Papa Bento XVI: ““Sois jovens
da Igreja. Por isso Eu vos envio para a grande missão de evangelizar os jovens e as
jovens, que andam por este mundo errantes, como ovelhas sem pastor. Sede os
apóstolos dos jovens. Convidai-os para que venham convosco, façam a mesma
experiência de fé, de esperança e de amor; encontrem-se com Jesus, para se
sentirem realmente amados, acolhidos, com plena possibilidade de realizar-se.” Esse
é o grande Desejo da Igreja, ver “Jovens evangelizando Jovens” (EvJ, n. 120). O
Senhor quer falar para os jovens através dos jovens, porque de fato “Deus nos fala
através do Jovem. (EvJ, n. 81) Não podemos esquecer que, “na base da
evangelização está a força do anúncio querigmático. O poder do Espírito e da palavra
contagia as pessoas e as leva a escutar Jesus Cristo, a crer n’Ele como seu Salvador,
a reconhecê-lo como quem dá pleno significado a suas vidas e a seguir seus passos.”
(DAp, n. 279)

6- Testemunhar: Desde que seja, Breve, atual e objetivo. (bife) Contar...O testemunho
precisa ser dado com prudência, muitas vezes vivemos coisas difíceis até de se falar
delas, precisa discernir se o testemunho não vai escandalizar os ouvintes. Não
devemos ficar lembrando de como era nossa vida de pecado, nem falar como se
existisse um saudosismo. Testemunhar é
dizer o que Deus fez e como estou agora. O testemunho traz esperança para os
ouvintes, se Deus fez com um, certamente fará com o outro, por isso, o testemunho
precisa ser verídico, deixe claro quando é história e quando é testemunho, não misture
as coisas, não devemos aumentar nem mudar os fatos, testemunha-se o que
aconteceu.

7- Precisa ter e levar: empolgação, entusiasmo, força, coragem, alegria...

8- Assumir a unção ministerial: Você foi o escolhido, eleito, a autoridade e a unção
está com você, só precisa tomar posse.

9- Vida de santidade: “O verdadeiro missionário é o Santo, o chamado a missão
deriva do chamado a santidade. Todo missionário só o é, autenticamente, se se
empenhar no caminho de santidade.” (RM, n.90) A única forma de pregar com
autoridade é vivendo aquilo que se prega. É preciso antes de qualquer coisa ser
testemunha, e testemunha é aquele que viveu. Num processo judicial, o testemunho
que tem mais valor é aquele de quem esteve lá, de quem viveu aquele episódio.
Portanto, na pregação, somente aquele que vive terá autoridade para pregar, como diz
o apóstolo do Amor, os apóstolos deram o testemunho do que viram, do que ouviram,
do que suas mãos apalparam (I Jo, 1-2). “O homem contemporâneo acredita mais nas
testemunhas do que nos mestres” (EN, n.41) “O homem crê mais na experiência do
que na doutrina, mais na vida e nos fatos do que nas teorias. O Testemunho de vida
Cristã é a primeira e insubstituível forma de missão.” (RM, n. 42) Portanto, o que a
gente faz fala muito mais do que só falar. Por isso a Palavra precisa virar carne na
minha carne, é preciso viver o evangelho, assim teremos autoridade para pregá-lo. “A
Evangelização exige testemunho de vida, anúncio de Jesus Cristo e adesão a Ele,
adesão à comunidade, participação na missão da Igreja e transformação da
sociedade.” (EvJ, n. 8)

10- Ser cheio do Espírito: “Verdadeiramente o Espírito Santo é o protagonista de
toda a missão.” (RM, n. 21) Os jovens precisam sentir a unção do Espírito através das
palavras que são ditas na pregação. A juventude precisa de unção, o que tocará no
coração é a unção. A palavra proclamada tem autoridade, porque é de Deus, se
aquele que proclama a Palavra fala na unção do Espírito de Deus, milagres irão surgir
nas pregações, e sentiremos a mesma experiência de Pedro, que ao pregar, aqueles
que recebiam sua palavra eram batizados. (Atos 2, 41) Com a força do Espírito o
evangelho será anunciado com ousadia e intrepidez, nossa oração precisa ser como
dos apóstolos, pedindo o desassombro para anunciar a Jesus Cristo (Atos 4, 29),
porque devemos “resistir a tentação de reduzir ou manipular a mensagem do
evangelho para ganhar mais adpetos” (EvJ, 21), a verdade precisa ser dita.

11- Obediência e amor a Igreja: é preciso buscar conhecer e assimilar os
documentos do magistério da Igreja, principalmente aqueles que tocam a juventude
diretamente, além dos que são específicos, deve-se observar ainda o que a igreja diz
sobre a internet e meios de comunicação em geral, sobre a evangelização, sobre
família, sobre Maria, sobre eucaristia, entre outras coisas. São realidades que tocam
de forma direta a juventude, portanto é preciso conhecer o que a Igreja fala sobre isso,
para que esse seja o conteúdo da nossa pregação. Não podemos pregar em
desacordo com aquilo que a Igreja ensina. Devemos testemunhar o amor a santa
Igreja e pregar a sua doutrina, não pregamos nada de nós mesmos, mas em
concordância com
a Palavra de Deus, com a Sagrada Tradição e com o Magistério (concílios, encíclicas,
exortações apostólicas, conclusões de conferências, etc.). Na América latina, além de
observar os documentos do Vaticano, precisamos nos atentar àqueles redigidos pelo
CELAM (Conferência Episcopal Latino Americana) e os documentos redigidos pela
CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), e ainda existem documentos
próprios de cada diocese. Esse conteúdo é de suma importância, pois trata de forma
mais direta de nossa realidade. Precisamos vivenciar as moções vividas em cada
tempo pela RCC, o movimento em que estamos inseridos, observando e vivendo na
unidade com o movimento e a igreja as moções para cada tempo, em comunhão
sempre com o Ministério Jovem, que caminha em unidade e obediência a RCC. Não
podemos pregar nosso conteúdo, e sim o conteúdo de Cristo, que é guardado pela
Igreja, no santo Magistério. Precisamos testemunhar e viver esse amor pela Igreja,
muitos jovens têm dificuldade de se inserir em grupos religiosos, nossa cultura
implanta a idéia da não-religião, os jovens assimilam a idéia de Deus, mas têm
dificuldade de se encaixar num grupo religioso por achar que deverá seguir regras
apenas e irá perder sua liberdade, tão desejada entre os jovens. “Muitos jovens têm
dificuldade para entender que eles são Igreja ou não se sentem acolhidos nas
comunidades.” (EvJ, n. 67) Por isso, na pregação precisa transparecer esse amor
sólido e verdadeiro pela Igreja. Sou Católico e amo a Igreja, e amar é Igreja é bom
demais!




EvJ = Evangelização da Juventude, publicações da CNBB, documento 3, 2007.
DAp = Documento de Aparecida (CELAM 2007)
RM = Redemptoris Missio
EN = Exortação Apostólica Evangelii Nuntiandi (Paulo VI)
CIC = Catecismo da Igreja Católica
Ministério Jovem RCC - ES

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Atividades da pastoral da juventude de manacapuru 2010
Atividades da pastoral da juventude de manacapuru 2010Atividades da pastoral da juventude de manacapuru 2010
Atividades da pastoral da juventude de manacapuru 2010
Manoel Nerys de Almeida
 
Encontro de Catequistas
Encontro de Catequistas  Encontro de Catequistas
Encontro de Catequistas
José Vieira Dos Santos
 
Introdução Bíblica
Introdução BíblicaIntrodução Bíblica
Introdução Bíblica
Pastoral da Juventude
 
Apostila do curso de liturgia
Apostila do curso de liturgiaApostila do curso de liturgia
Apostila do curso de liturgia
Simone Oliveira
 
Lição 5 – Uma Perspectiva Pentecostal de Missões.pptx
Lição 5 – Uma Perspectiva Pentecostal de Missões.pptxLição 5 – Uma Perspectiva Pentecostal de Missões.pptx
Lição 5 – Uma Perspectiva Pentecostal de Missões.pptx
Celso Napoleon
 
Cronologia Bíblica do Antigo Testamento
Cronologia Bíblica do Antigo TestamentoCronologia Bíblica do Antigo Testamento
Cronologia Bíblica do Antigo Testamento
Amor pela EBD
 
Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Formação batismo pais e padrinhos Católicos Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Rodrigo F Menegatti
 
Pensun primer nivel
Pensun primer nivelPensun primer nivel
Pensun primer nivel
Victor Manuel Minchala Heras
 
Bibliologia aula 3
Bibliologia aula 3Bibliologia aula 3
Bibliologia aula 3
Juarez Sobrenome
 
(01) apresentação aula 1 a bíblia
(01) apresentação aula 1 a bíblia(01) apresentação aula 1 a bíblia
(01) apresentação aula 1 a bíblia
GlauciaSlides
 
01 genesis o livro da criação divina
01  genesis o livro da criação divina01  genesis o livro da criação divina
01 genesis o livro da criação divina
Márcio Martins
 
Acolitos objeto liturgico
Acolitos objeto liturgicoAcolitos objeto liturgico
Acolitos objeto liturgico
Josemilton Junior
 
Lição 2 - A escravidão dos hebreus no Egito
Lição 2 - A escravidão dos hebreus no EgitoLição 2 - A escravidão dos hebreus no Egito
Lição 2 - A escravidão dos hebreus no Egito
Éder Tomé
 
1º aula de os evangelhos
1º   aula de os evangelhos1º   aula de os evangelhos
1º aula de os evangelhos
Jefferson Evangelista
 
PPC - SETAD.pdf
PPC - SETAD.pdfPPC - SETAD.pdf
PPC - SETAD.pdf
Pastor W. Costa
 
Introdução aos sacramentos
Introdução aos sacramentosIntrodução aos sacramentos
Introdução aos sacramentos
Jean
 
Arrepentimiento bíblico.pdf
Arrepentimiento bíblico.pdfArrepentimiento bíblico.pdf
Arrepentimiento bíblico.pdf
ssuser848a96
 
A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.
Márcio Martins
 
Lição 18 Apostasia da Fé
Lição 18   Apostasia da FéLição 18   Apostasia da Fé
Lição 18 Apostasia da Fé
Wander Sousa
 
Apresentação da Bíblia: Conhecer e Manusear
Apresentação da Bíblia: Conhecer e ManusearApresentação da Bíblia: Conhecer e Manusear
Apresentação da Bíblia: Conhecer e Manusear
MoniqueSantosL
 

Mais procurados (20)

Atividades da pastoral da juventude de manacapuru 2010
Atividades da pastoral da juventude de manacapuru 2010Atividades da pastoral da juventude de manacapuru 2010
Atividades da pastoral da juventude de manacapuru 2010
 
Encontro de Catequistas
Encontro de Catequistas  Encontro de Catequistas
Encontro de Catequistas
 
Introdução Bíblica
Introdução BíblicaIntrodução Bíblica
Introdução Bíblica
 
Apostila do curso de liturgia
Apostila do curso de liturgiaApostila do curso de liturgia
Apostila do curso de liturgia
 
Lição 5 – Uma Perspectiva Pentecostal de Missões.pptx
Lição 5 – Uma Perspectiva Pentecostal de Missões.pptxLição 5 – Uma Perspectiva Pentecostal de Missões.pptx
Lição 5 – Uma Perspectiva Pentecostal de Missões.pptx
 
Cronologia Bíblica do Antigo Testamento
Cronologia Bíblica do Antigo TestamentoCronologia Bíblica do Antigo Testamento
Cronologia Bíblica do Antigo Testamento
 
Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Formação batismo pais e padrinhos Católicos Formação batismo pais e padrinhos Católicos
Formação batismo pais e padrinhos Católicos
 
Pensun primer nivel
Pensun primer nivelPensun primer nivel
Pensun primer nivel
 
Bibliologia aula 3
Bibliologia aula 3Bibliologia aula 3
Bibliologia aula 3
 
(01) apresentação aula 1 a bíblia
(01) apresentação aula 1 a bíblia(01) apresentação aula 1 a bíblia
(01) apresentação aula 1 a bíblia
 
01 genesis o livro da criação divina
01  genesis o livro da criação divina01  genesis o livro da criação divina
01 genesis o livro da criação divina
 
Acolitos objeto liturgico
Acolitos objeto liturgicoAcolitos objeto liturgico
Acolitos objeto liturgico
 
Lição 2 - A escravidão dos hebreus no Egito
Lição 2 - A escravidão dos hebreus no EgitoLição 2 - A escravidão dos hebreus no Egito
Lição 2 - A escravidão dos hebreus no Egito
 
1º aula de os evangelhos
1º   aula de os evangelhos1º   aula de os evangelhos
1º aula de os evangelhos
 
PPC - SETAD.pdf
PPC - SETAD.pdfPPC - SETAD.pdf
PPC - SETAD.pdf
 
Introdução aos sacramentos
Introdução aos sacramentosIntrodução aos sacramentos
Introdução aos sacramentos
 
Arrepentimiento bíblico.pdf
Arrepentimiento bíblico.pdfArrepentimiento bíblico.pdf
Arrepentimiento bíblico.pdf
 
A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.
 
Lição 18 Apostasia da Fé
Lição 18   Apostasia da FéLição 18   Apostasia da Fé
Lição 18 Apostasia da Fé
 
Apresentação da Bíblia: Conhecer e Manusear
Apresentação da Bíblia: Conhecer e ManusearApresentação da Bíblia: Conhecer e Manusear
Apresentação da Bíblia: Conhecer e Manusear
 

Destaque

Temas atuais que tem afastado os jovens da igreja
Temas atuais que tem afastado os jovens da igrejaTemas atuais que tem afastado os jovens da igreja
Temas atuais que tem afastado os jovens da igreja
Dilean Melo
 
Os desafios para o adolescente cristão no mundo
Os desafios para o adolescente cristão no mundoOs desafios para o adolescente cristão no mundo
Os desafios para o adolescente cristão no mundo
CRISTOPAA
 
Slides para o Culto de Jovens
Slides para o Culto de JovensSlides para o Culto de Jovens
Slides para o Culto de Jovens
CmteAlyne
 
Como ser-um-jovem-segundo-o-coração-de-deus
Como ser-um-jovem-segundo-o-coração-de-deusComo ser-um-jovem-segundo-o-coração-de-deus
Como ser-um-jovem-segundo-o-coração-de-deus
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
Brincadeira
BrincadeiraBrincadeira
Brincadeira
Maracy Guimaraes
 
Como ser-um-jovem-segundo-o-corao-de-deus-120311062916-phpapp01
Como ser-um-jovem-segundo-o-corao-de-deus-120311062916-phpapp01Como ser-um-jovem-segundo-o-corao-de-deus-120311062916-phpapp01
Como ser-um-jovem-segundo-o-corao-de-deus-120311062916-phpapp01
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
Mensagens Pps Dia Das Maes Flores Para Voce
Mensagens Pps Dia Das Maes Flores Para VoceMensagens Pps Dia Das Maes Flores Para Voce
Mensagens Pps Dia Das Maes Flores Para Voce
Mensagens Poemas
 
FéFé
A princesa e a ervilha
A princesa e a ervilhaA princesa e a ervilha
A princesa e a ervilha
Roseli Aparecida Tavares
 
Jovens segundo o
Jovens segundo oJovens segundo o
Jovens segundo o
joatandennet
 
Ministração encontro com deus midia-rasb
Ministração encontro com deus  midia-rasbMinistração encontro com deus  midia-rasb
Ministração encontro com deus midia-rasb
R.A. DA SILVA BECKMA-ME
 
Perfil Social de um Jovem Cristão
Perfil Social de um Jovem CristãoPerfil Social de um Jovem Cristão
Perfil Social de um Jovem Cristão
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
Parabolas - Perdidos
Parabolas - PerdidosParabolas - Perdidos
Parabolas - Perdidos
Tinnova Tech
 
Primeira apostila dos jovens - PDF
Primeira apostila dos jovens - PDFPrimeira apostila dos jovens - PDF
Primeira apostila dos jovens - PDF
Lucas Martins
 
O jovem e a sexualidade
O jovem e a sexualidadeO jovem e a sexualidade
O jovem e a sexualidade
Marcos Patricio Patricio
 
A Princesa E A Ervilha
A Princesa E A ErvilhaA Princesa E A Ervilha
A Princesa E A Ervilha
vera1979
 
Pregadores.ppt
Pregadores.pptPregadores.ppt
Pregadores.ppt
Herbert de Carvalho
 
Namoro Noivado Sexo Casamento
Namoro Noivado Sexo CasamentoNamoro Noivado Sexo Casamento
Namoro Noivado Sexo Casamento
prweber
 
A Igreja primitiva e as 7 chaves do livro de Atos
A Igreja primitiva e as 7 chaves do livro de AtosA Igreja primitiva e as 7 chaves do livro de Atos
A Igreja primitiva e as 7 chaves do livro de Atos
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
Pregação - Satisfação em Deus
Pregação - Satisfação em DeusPregação - Satisfação em Deus
Pregação - Satisfação em Deus
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 

Destaque (20)

Temas atuais que tem afastado os jovens da igreja
Temas atuais que tem afastado os jovens da igrejaTemas atuais que tem afastado os jovens da igreja
Temas atuais que tem afastado os jovens da igreja
 
Os desafios para o adolescente cristão no mundo
Os desafios para o adolescente cristão no mundoOs desafios para o adolescente cristão no mundo
Os desafios para o adolescente cristão no mundo
 
Slides para o Culto de Jovens
Slides para o Culto de JovensSlides para o Culto de Jovens
Slides para o Culto de Jovens
 
Como ser-um-jovem-segundo-o-coração-de-deus
Como ser-um-jovem-segundo-o-coração-de-deusComo ser-um-jovem-segundo-o-coração-de-deus
Como ser-um-jovem-segundo-o-coração-de-deus
 
Brincadeira
BrincadeiraBrincadeira
Brincadeira
 
Como ser-um-jovem-segundo-o-corao-de-deus-120311062916-phpapp01
Como ser-um-jovem-segundo-o-corao-de-deus-120311062916-phpapp01Como ser-um-jovem-segundo-o-corao-de-deus-120311062916-phpapp01
Como ser-um-jovem-segundo-o-corao-de-deus-120311062916-phpapp01
 
Mensagens Pps Dia Das Maes Flores Para Voce
Mensagens Pps Dia Das Maes Flores Para VoceMensagens Pps Dia Das Maes Flores Para Voce
Mensagens Pps Dia Das Maes Flores Para Voce
 
FéFé
 
A princesa e a ervilha
A princesa e a ervilhaA princesa e a ervilha
A princesa e a ervilha
 
Jovens segundo o
Jovens segundo oJovens segundo o
Jovens segundo o
 
Ministração encontro com deus midia-rasb
Ministração encontro com deus  midia-rasbMinistração encontro com deus  midia-rasb
Ministração encontro com deus midia-rasb
 
Perfil Social de um Jovem Cristão
Perfil Social de um Jovem CristãoPerfil Social de um Jovem Cristão
Perfil Social de um Jovem Cristão
 
Parabolas - Perdidos
Parabolas - PerdidosParabolas - Perdidos
Parabolas - Perdidos
 
Primeira apostila dos jovens - PDF
Primeira apostila dos jovens - PDFPrimeira apostila dos jovens - PDF
Primeira apostila dos jovens - PDF
 
O jovem e a sexualidade
O jovem e a sexualidadeO jovem e a sexualidade
O jovem e a sexualidade
 
A Princesa E A Ervilha
A Princesa E A ErvilhaA Princesa E A Ervilha
A Princesa E A Ervilha
 
Pregadores.ppt
Pregadores.pptPregadores.ppt
Pregadores.ppt
 
Namoro Noivado Sexo Casamento
Namoro Noivado Sexo CasamentoNamoro Noivado Sexo Casamento
Namoro Noivado Sexo Casamento
 
A Igreja primitiva e as 7 chaves do livro de Atos
A Igreja primitiva e as 7 chaves do livro de AtosA Igreja primitiva e as 7 chaves do livro de Atos
A Igreja primitiva e as 7 chaves do livro de Atos
 
Pregação - Satisfação em Deus
Pregação - Satisfação em DeusPregação - Satisfação em Deus
Pregação - Satisfação em Deus
 

Semelhante a Como pregar para jovens

Documento 85-cnbb (1)
Documento 85-cnbb (1)Documento 85-cnbb (1)
Documento 85-cnbb (1)
Pejota2015
 
Documento 85 cnbb_
Documento 85 cnbb_Documento 85 cnbb_
Documento 85 cnbb_
Flávia Renata
 
Documento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
Documento 85 CNBB - Evangelização da JuventudeDocumento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
Documento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
Reinaldo Oliveira Do Carmo
 
Porquê evangelizar?
Porquê evangelizar?Porquê evangelizar?
Porquê evangelizar?
conceicaoborges
 
Seminario-1-Introducao.pptx
Seminario-1-Introducao.pptxSeminario-1-Introducao.pptx
Seminario-1-Introducao.pptx
CrissantoMachadoCard
 
Diretriz evangelizacao juventude
Diretriz evangelizacao juventudeDiretriz evangelizacao juventude
Diretriz evangelizacao juventude
Alice Lirio
 
Documento 85 da cnbb
Documento 85 da cnbbDocumento 85 da cnbb
Documento 85 da cnbb
frmarquescj
 
Documento 85 Da Cnbb - Evangelização da Juventude
Documento 85 Da Cnbb - Evangelização da JuventudeDocumento 85 Da Cnbb - Evangelização da Juventude
Documento 85 Da Cnbb - Evangelização da Juventude
Marciel de Oliveira Rocha
 
Documento 85 - Sintese 3
Documento 85 - Sintese 3Documento 85 - Sintese 3
Documento 85 - Sintese 3
LEANDRO DE SOUZA RAMOS
 
Apresentação do documento 85 da cnbb
Apresentação do  documento 85 da cnbbApresentação do  documento 85 da cnbb
Apresentação do documento 85 da cnbb
Bernadetecebs .
 
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
Robson Santana
 
Adv apresentação-2014
Adv   apresentação-2014Adv   apresentação-2014
Adv apresentação-2014
Grupo Adv Jovem
 
Evangelização Espirita Infanto juvenil
Evangelização Espirita Infanto juvenilEvangelização Espirita Infanto juvenil
Evangelização Espirita Infanto juvenil
FEEAK
 
Evangelização espirita
Evangelização espiritaEvangelização espirita
Evangelização espirita
FEEAK
 
Cristo Vive - cap 1,2,3 (Portugues).pptx
Cristo Vive - cap 1,2,3 (Portugues).pptxCristo Vive - cap 1,2,3 (Portugues).pptx
Cristo Vive - cap 1,2,3 (Portugues).pptx
Martin M Flynn
 
Jornal outubro
Jornal outubroJornal outubro
Jornal outubro
saojosepascom
 
Como orar por missoes
Como orar por missoesComo orar por missoes
Como orar por missoes
Marcos Lino
 
Ev efetivo 002
Ev efetivo 002Ev efetivo 002
Ev efetivo 002
Vinicio Pacifico
 
Grupo Adoração e Vida
Grupo Adoração e VidaGrupo Adoração e Vida
Grupo Adoração e Vida
Grupo Adv Jovem
 
Evangelismo
EvangelismoEvangelismo

Semelhante a Como pregar para jovens (20)

Documento 85-cnbb (1)
Documento 85-cnbb (1)Documento 85-cnbb (1)
Documento 85-cnbb (1)
 
Documento 85 cnbb_
Documento 85 cnbb_Documento 85 cnbb_
Documento 85 cnbb_
 
Documento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
Documento 85 CNBB - Evangelização da JuventudeDocumento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
Documento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
 
Porquê evangelizar?
Porquê evangelizar?Porquê evangelizar?
Porquê evangelizar?
 
Seminario-1-Introducao.pptx
Seminario-1-Introducao.pptxSeminario-1-Introducao.pptx
Seminario-1-Introducao.pptx
 
Diretriz evangelizacao juventude
Diretriz evangelizacao juventudeDiretriz evangelizacao juventude
Diretriz evangelizacao juventude
 
Documento 85 da cnbb
Documento 85 da cnbbDocumento 85 da cnbb
Documento 85 da cnbb
 
Documento 85 Da Cnbb - Evangelização da Juventude
Documento 85 Da Cnbb - Evangelização da JuventudeDocumento 85 Da Cnbb - Evangelização da Juventude
Documento 85 Da Cnbb - Evangelização da Juventude
 
Documento 85 - Sintese 3
Documento 85 - Sintese 3Documento 85 - Sintese 3
Documento 85 - Sintese 3
 
Apresentação do documento 85 da cnbb
Apresentação do  documento 85 da cnbbApresentação do  documento 85 da cnbb
Apresentação do documento 85 da cnbb
 
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
 
Adv apresentação-2014
Adv   apresentação-2014Adv   apresentação-2014
Adv apresentação-2014
 
Evangelização Espirita Infanto juvenil
Evangelização Espirita Infanto juvenilEvangelização Espirita Infanto juvenil
Evangelização Espirita Infanto juvenil
 
Evangelização espirita
Evangelização espiritaEvangelização espirita
Evangelização espirita
 
Cristo Vive - cap 1,2,3 (Portugues).pptx
Cristo Vive - cap 1,2,3 (Portugues).pptxCristo Vive - cap 1,2,3 (Portugues).pptx
Cristo Vive - cap 1,2,3 (Portugues).pptx
 
Jornal outubro
Jornal outubroJornal outubro
Jornal outubro
 
Como orar por missoes
Como orar por missoesComo orar por missoes
Como orar por missoes
 
Ev efetivo 002
Ev efetivo 002Ev efetivo 002
Ev efetivo 002
 
Grupo Adoração e Vida
Grupo Adoração e VidaGrupo Adoração e Vida
Grupo Adoração e Vida
 
Evangelismo
EvangelismoEvangelismo
Evangelismo
 

Mais de RCCPBJovem

Ser jovens sem deixar de ser santos
Ser jovens sem deixar de ser santosSer jovens sem deixar de ser santos
Ser jovens sem deixar de ser santos
RCCPBJovem
 
O caminho para a maturidade
O caminho para a maturidadeO caminho para a maturidade
O caminho para a maturidade
RCCPBJovem
 
O amor afetivo
O amor afetivoO amor afetivo
O amor afetivo
RCCPBJovem
 
Liberte se em deus
Liberte se em deusLiberte se em deus
Liberte se em deus
RCCPBJovem
 
Jovens sentinelas da manhã
Jovens sentinelas da manhãJovens sentinelas da manhã
Jovens sentinelas da manhã
RCCPBJovem
 
Jesus cristo é o senhor
Jesus cristo é o senhorJesus cristo é o senhor
Jesus cristo é o senhor
RCCPBJovem
 
Formação humana
Formação humanaFormação humana
Formação humana
RCCPBJovem
 
Sexualidade e castidade
Sexualidade e castidadeSexualidade e castidade
Sexualidade e castidade
RCCPBJovem
 
Formação sobre Grupo de Oração Jovem
Formação sobre Grupo de Oração JovemFormação sobre Grupo de Oração Jovem
Formação sobre Grupo de Oração Jovem
RCCPBJovem
 

Mais de RCCPBJovem (9)

Ser jovens sem deixar de ser santos
Ser jovens sem deixar de ser santosSer jovens sem deixar de ser santos
Ser jovens sem deixar de ser santos
 
O caminho para a maturidade
O caminho para a maturidadeO caminho para a maturidade
O caminho para a maturidade
 
O amor afetivo
O amor afetivoO amor afetivo
O amor afetivo
 
Liberte se em deus
Liberte se em deusLiberte se em deus
Liberte se em deus
 
Jovens sentinelas da manhã
Jovens sentinelas da manhãJovens sentinelas da manhã
Jovens sentinelas da manhã
 
Jesus cristo é o senhor
Jesus cristo é o senhorJesus cristo é o senhor
Jesus cristo é o senhor
 
Formação humana
Formação humanaFormação humana
Formação humana
 
Sexualidade e castidade
Sexualidade e castidadeSexualidade e castidade
Sexualidade e castidade
 
Formação sobre Grupo de Oração Jovem
Formação sobre Grupo de Oração JovemFormação sobre Grupo de Oração Jovem
Formação sobre Grupo de Oração Jovem
 

Como pregar para jovens

  • 1. Como pregar para os Jovens - Esta formação não substitui em hipótese nenhuma a formação de pregadores do ministério de pregação, ou seja, este projeto visa dar aos pregadores jovens uma direção para pregar aos jovens. - O jovem tem uma necessidade diferenciada e ao mesmo tempo é muito exigente, ou seja, é aquele que mais quer seu direito e que menos quer exercer seu dever. Por isso Deus chama também jovens para falar para sua juventude, porque o jovem tem a linguagem, enfrenta os mesmos desafios, passa pelas mesmas experiências. - Um chamado da igreja: “Sois jovens da Igreja. Por isso Eu vos envio para a grande missão de evangelizar os jovens e as jovens, que andam por este mundo errantes, como ovelhas sem pastor. Sede os apóstolos dos jovens. Convidai-os para que venham convosco, façam a mesma experiência de fé, de esperança e de amor; encontrem-se com Jesus, para se sentirem realmente amados, acolhidos, com plena possibilidade de realizar-se. Que também eles e elas descubram os caminhos seguros dos Mandamentos e por eles cheguem até Deus”. (Bento XVI, no encontro com os Jovens no Pacaembu em Maio de 2007) O chamado que o Papa faz a juventude é muito específico: Evangelizar os outros jovens, que andam perdidos, no erro (errantes). Pra isso nos chama a pregação. Nos chama com todo vigor de nossa juventude para anunciarmos Cristo crucificado e ressuscitado. Nossa missão é ser uma voz, assim como João Batista (Mt 3, 3), ser a voz que anuncia a salvação através de Jesus, nossa missão é convidar, porque como jovens, estamos no mesmo meio, estudamos juntos, trabalhamos juntos, vivemos no mesmo “mundo”, por isso, nosso testemunho tem força, tem a força da juventude, porque somos fortes e a palavra de Deus permanece em nós (I Jo 2, 14). É preciso assumir com o coração essa missão. A missão de evangelizar a juventude que anda perdida é dada para os jovens que se encontraram com Jesus. É preciso testemunhar essa experiência, a grande experiência da conversão, a grande experiência do amor a Cristo. Em 2007 a CNBB publicou um documento sobre Evangelização da Juventude (EvJ), onde ela trata repetidas vezes do termo “Protagonismo dos Jovens”. Isso quer dizer, em tudo aquilo que for feito para a evangelização dos jovens, seja em algum movimento ou mesmo numa pastoral o jovem precisa estar à frente, ou seja, jovem deve coordenar jovem, jovem deve organizar os meios de evangelização pra jovem, jovem deve pregar para jovem. A igreja da América se pronunciou diversas vezes sobre os jovens. Em 1968, no CELAM de Medellín, os bispos diagnosticaram que os jovens não se identificam com a igreja porque não se sentem convidados a participar, identificaram ainda os jovens como sendo sinceros, autênticos e com boa aceitação do diferente. Em Medellín os bispos chamam a juventude de “símbolo da Igreja”, chamada a uma constante renovação de si mesma. Em 1979, no CELAM de Puebla, os bispos chamam a atenção para algumas características dos jovens: espírito de aventura, capacidade criadora, o desejo de liberdade e o fato de serem sinal de alegria e felicidade, exigindo autenticidade e simplicidade. Dizem nossos pastores que o papel da juventude no corpo social da Igreja é dinamizar este corpo. A igreja deixa claro que confia nos jovens, sendo eles sua esperança. Em Puebla a Igreja da América Latina faz a opção preferencial pelos jovens, no aspecto de pastoreio e evangelização. Em 1992 em Santo Domingo O CELAM reafirmou a opção preferencial pelos Jovens, e pede uma
  • 2. maior inserção dos jovens na evangelização, promovendo o protagonismo dos jovens e anunciando que o Deus da Vida ama os jovens. A Igreja não trata os jovens como o futuro da Igreja e sim como o presente, Portanto, “na evangelização da juventude está em jogo o presente e o futuro da Igreja” (EvJ, n. 70), que “evangeliza e precisa ser continuamente ser evangelizada”. (EvJ, n. 69) Vamos a algumas características: 1- Dinâmico: O jovem não gosta de nada parado, quer algo inesperado. É interessante que o jovem não seja somente um expectador, é bom que ele participe, que a mente dele funcione durante a pregação. Quando se faz uma dinâmica o jovem precisa prestar atenção pra saber o que vai acontecer, e, muitas vezes ele mesmo vai entender aquilo que foi feito. “O jovem necessita encontrar instrumentos, pessoas e momentos que o marquem profundamente, provocando nele o desejo de verdadeira mudança.” (EvJ, n. 120) Pra isso o pregador jovem precisa ser criativo, é preciso então buscar todas essas dinâmica através da intimidade com Deus, que se consegue através da oração, porque “o jovem só é criativo quando se sente a vontade com Deus e amado por Ele.” (EvJ, n. 121) 2- Feliz: Para anunciar aos jovens, precisamos ter uma alegria contagiante, pois aí está o que o jovem procura: felicidade. “Vivei sempre contentes” (I Tes 5, 16), para isso, “Orai sem cessar” (I Tes 5, 17). Enquanto o mundo oferece euforia, Jesus oferece alegria. Isso precisa estar estampado em nossa face, essa alegria que vem do Senhor, a alegria no Servir. Em todos os momentos é preciso viver contente, quando sou convidado para pregar em um grande encontro, com muitas pessoas, mas quando sou chamado a pregar num grupo bem pequeno, numa reunião de equipe, é preciso manter a mesma alegria. Nossa felicidade está no serviço ao Senhor, Jesus é nossa festa, portanto, estar servindo-o já é o motivo suficiente pra estarmos alegres, não importando o porte do evento. Na alegria de um jovem que prega, o jovem que escuta vê a esperança de experimentar também dessa alegria, por isso “o jovem é o evangelizador privilegiado de outros jovens” (EvJ, n. 63), porque o jovem que está sentado tem a oportunidade de se ver na condição daquele que prega. 3- Conhecimento: Podemos usar as palavras do profeta Oséias de forma adaptada: “Os jovens perecem por falta de conhecimento” (Os 4, 6). É preciso buscar conhecer a palavra de Deus. “Da palavra da sagrada escritura se nutre salutarmente e santamente floresce o ministério da palavra, a saber, a Pregação...” (CIC, n. 132) “Desconhecer a escritura é desconhecer Jesus Cristo e renunciar a anunciá-lo... é condição indispensável o conhecimento profundo e vivencial, da Palavra de Deus... Do contrário, como vão anunciar uma mensagem cujo conteúdo e espírito não conhecem profundamente? É preciso fundamentar nosso compromisso missionário e toda a nossa vida na rocha da Palavra de Deus.” (DAp, n. 247) O pregador jovem precisa ser firme e corajoso. Essa ordem que foi tantas vezes dada na história é dada ainda hoje, mas não existe firmeza se não há convicção. Portanto, o pregador que não estiver certo do que fala, passa a incerteza para aqueles que o ouvem. Sem certeza e sem convicção não há coragem, portanto, sem conhecimento da palavra e da doutrina da Igreja, não existirá pregador firme e corajoso, vai existir sempre aquele que fala porque precisa dizer algo e não o que fala porque tem algo a dizer. “São de grande valia as leituras teológicas, Espirituais
  • 3. e documentos da Igreja como instrumento para o fortalecimento e crescimento da Fé. A Leitura da vida dos santos e de seus escritos pode contribuir enormemente para despertar ou alimentar a vida dos jovens que hoje, sentem necessidade de modelos, líderes, testemunhos. Na história da nossa igreja temos muitos santos e bem aventurados jovens como, por exemplo: Inês, Tarcísio, Domingos Sávio, Albertina Berkenbrock e outros. A devoção aos santos lembra aos jovens a sua vocação à santidade.” (EvJ, n. 128) 4- Saber enxergar as entrelinhas: Com base na palavra de Deus, poderemos ver além do lógico, ver aquilo que precisa ser anunciado. É preciso colocar na realidade da assembléia que lhe escuta o conteúdo da mensagem bíblica lida. Existem muitos pontos de reflexão numa passagem bíblica, como a do filho pródigo por exemplo (Luc 15, 11-32), não podemos abordar numa mesma pregação todos os seus pontos, é preciso discernir qual o ponto que a assembléia local precisa viver naquela pregação. Por isso é muito importante conhecer a realidade na qual se vai pregar. Ex: Pedro andando sobre as águas onde começa a afundar (humildade). Outro fato: Os hipócritas (fariseu/saduceus) levaram a prostituta para ser apedrejada. Os nossos inimigos (dificuldades) precisam nos levar para Deus. 5- Pregar o querigma: jovem quando está iniciando, precisa ouvir o 1º anúncio. “O Jovem necessita que falemos não somente de um Deus que vem de fora, mas de um Deus que é real dentro dele em seu modo juvenil de ser alegre, dinâmico, criativo e ousado.” (EvJ, n. 80) O jovem precisa se sentir amado, reconhecer que Jesus dá a salvação e que Ele é o único Senhor. É claro que não devemos permanecer apenas no primeiro no anúncio, o jovem precisa ser bem formado na fé, ter uma fé amadurecida, mas antes de qualquer coisa, precisa se encontrar com Jesus, caminho, verdade e vida. Anunciar o querigma envolve experiência de vida, só se pode anunciar o que se vive, portanto, é missão dos jovens pregadores transmitirem em suas pregações a experiência de Cristo que eles tiveram. A Juventude precisa se apaixonar por Jesus, pra isso precisa conhecê-lo, pra então aceitarem sua salvação, seu senhorio, seu Espírito. Assim como Deus enviou Paulo aos pagãos para anunciar Jesus ressuscitado (Atos 13, 2-3), hoje o senhor envia os jovens para evangelizar os jovens, e foi bem claro usando a voz do nosso amado Papa Bento XVI: ““Sois jovens da Igreja. Por isso Eu vos envio para a grande missão de evangelizar os jovens e as jovens, que andam por este mundo errantes, como ovelhas sem pastor. Sede os apóstolos dos jovens. Convidai-os para que venham convosco, façam a mesma experiência de fé, de esperança e de amor; encontrem-se com Jesus, para se sentirem realmente amados, acolhidos, com plena possibilidade de realizar-se.” Esse é o grande Desejo da Igreja, ver “Jovens evangelizando Jovens” (EvJ, n. 120). O Senhor quer falar para os jovens através dos jovens, porque de fato “Deus nos fala através do Jovem. (EvJ, n. 81) Não podemos esquecer que, “na base da evangelização está a força do anúncio querigmático. O poder do Espírito e da palavra contagia as pessoas e as leva a escutar Jesus Cristo, a crer n’Ele como seu Salvador, a reconhecê-lo como quem dá pleno significado a suas vidas e a seguir seus passos.” (DAp, n. 279) 6- Testemunhar: Desde que seja, Breve, atual e objetivo. (bife) Contar...O testemunho precisa ser dado com prudência, muitas vezes vivemos coisas difíceis até de se falar delas, precisa discernir se o testemunho não vai escandalizar os ouvintes. Não devemos ficar lembrando de como era nossa vida de pecado, nem falar como se existisse um saudosismo. Testemunhar é
  • 4. dizer o que Deus fez e como estou agora. O testemunho traz esperança para os ouvintes, se Deus fez com um, certamente fará com o outro, por isso, o testemunho precisa ser verídico, deixe claro quando é história e quando é testemunho, não misture as coisas, não devemos aumentar nem mudar os fatos, testemunha-se o que aconteceu. 7- Precisa ter e levar: empolgação, entusiasmo, força, coragem, alegria... 8- Assumir a unção ministerial: Você foi o escolhido, eleito, a autoridade e a unção está com você, só precisa tomar posse. 9- Vida de santidade: “O verdadeiro missionário é o Santo, o chamado a missão deriva do chamado a santidade. Todo missionário só o é, autenticamente, se se empenhar no caminho de santidade.” (RM, n.90) A única forma de pregar com autoridade é vivendo aquilo que se prega. É preciso antes de qualquer coisa ser testemunha, e testemunha é aquele que viveu. Num processo judicial, o testemunho que tem mais valor é aquele de quem esteve lá, de quem viveu aquele episódio. Portanto, na pregação, somente aquele que vive terá autoridade para pregar, como diz o apóstolo do Amor, os apóstolos deram o testemunho do que viram, do que ouviram, do que suas mãos apalparam (I Jo, 1-2). “O homem contemporâneo acredita mais nas testemunhas do que nos mestres” (EN, n.41) “O homem crê mais na experiência do que na doutrina, mais na vida e nos fatos do que nas teorias. O Testemunho de vida Cristã é a primeira e insubstituível forma de missão.” (RM, n. 42) Portanto, o que a gente faz fala muito mais do que só falar. Por isso a Palavra precisa virar carne na minha carne, é preciso viver o evangelho, assim teremos autoridade para pregá-lo. “A Evangelização exige testemunho de vida, anúncio de Jesus Cristo e adesão a Ele, adesão à comunidade, participação na missão da Igreja e transformação da sociedade.” (EvJ, n. 8) 10- Ser cheio do Espírito: “Verdadeiramente o Espírito Santo é o protagonista de toda a missão.” (RM, n. 21) Os jovens precisam sentir a unção do Espírito através das palavras que são ditas na pregação. A juventude precisa de unção, o que tocará no coração é a unção. A palavra proclamada tem autoridade, porque é de Deus, se aquele que proclama a Palavra fala na unção do Espírito de Deus, milagres irão surgir nas pregações, e sentiremos a mesma experiência de Pedro, que ao pregar, aqueles que recebiam sua palavra eram batizados. (Atos 2, 41) Com a força do Espírito o evangelho será anunciado com ousadia e intrepidez, nossa oração precisa ser como dos apóstolos, pedindo o desassombro para anunciar a Jesus Cristo (Atos 4, 29), porque devemos “resistir a tentação de reduzir ou manipular a mensagem do evangelho para ganhar mais adpetos” (EvJ, 21), a verdade precisa ser dita. 11- Obediência e amor a Igreja: é preciso buscar conhecer e assimilar os documentos do magistério da Igreja, principalmente aqueles que tocam a juventude diretamente, além dos que são específicos, deve-se observar ainda o que a igreja diz sobre a internet e meios de comunicação em geral, sobre a evangelização, sobre família, sobre Maria, sobre eucaristia, entre outras coisas. São realidades que tocam de forma direta a juventude, portanto é preciso conhecer o que a Igreja fala sobre isso, para que esse seja o conteúdo da nossa pregação. Não podemos pregar em desacordo com aquilo que a Igreja ensina. Devemos testemunhar o amor a santa Igreja e pregar a sua doutrina, não pregamos nada de nós mesmos, mas em concordância com
  • 5. a Palavra de Deus, com a Sagrada Tradição e com o Magistério (concílios, encíclicas, exortações apostólicas, conclusões de conferências, etc.). Na América latina, além de observar os documentos do Vaticano, precisamos nos atentar àqueles redigidos pelo CELAM (Conferência Episcopal Latino Americana) e os documentos redigidos pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), e ainda existem documentos próprios de cada diocese. Esse conteúdo é de suma importância, pois trata de forma mais direta de nossa realidade. Precisamos vivenciar as moções vividas em cada tempo pela RCC, o movimento em que estamos inseridos, observando e vivendo na unidade com o movimento e a igreja as moções para cada tempo, em comunhão sempre com o Ministério Jovem, que caminha em unidade e obediência a RCC. Não podemos pregar nosso conteúdo, e sim o conteúdo de Cristo, que é guardado pela Igreja, no santo Magistério. Precisamos testemunhar e viver esse amor pela Igreja, muitos jovens têm dificuldade de se inserir em grupos religiosos, nossa cultura implanta a idéia da não-religião, os jovens assimilam a idéia de Deus, mas têm dificuldade de se encaixar num grupo religioso por achar que deverá seguir regras apenas e irá perder sua liberdade, tão desejada entre os jovens. “Muitos jovens têm dificuldade para entender que eles são Igreja ou não se sentem acolhidos nas comunidades.” (EvJ, n. 67) Por isso, na pregação precisa transparecer esse amor sólido e verdadeiro pela Igreja. Sou Católico e amo a Igreja, e amar é Igreja é bom demais! EvJ = Evangelização da Juventude, publicações da CNBB, documento 3, 2007. DAp = Documento de Aparecida (CELAM 2007) RM = Redemptoris Missio EN = Exortação Apostólica Evangelii Nuntiandi (Paulo VI) CIC = Catecismo da Igreja Católica Ministério Jovem RCC - ES