SlideShare uma empresa Scribd logo
Reflexões da CESE a partir da visão da CA sobre como ocorre a mudança social e o seu papel  “ Não a uma mudança pequena"
Pequenos Projetos, GRANDES Resultados   Aproximadamente 9.500 projetos apoiados em 36 anos 1 - Considerações iniciais   Uma experiência referenciada em  direitos A luta por direitos é histórica, no Brasil civis e políticos econômicos, sociais, culturais ambientais direitos negados -------direitos conquistados ----  ----conquistas ameaçadas
Movimentos populares protagonistas de mudanças efetivas Defesa de direitos é de difícil entendimento pelo senso comum: bandidagem? polêmica: legalidade e legitimidade (principalmente em questões de luta pela terra) a considerar o poder da mídia sobre a sociedade, estimulando preconceitos, questionando ações dos movimentos sociais
Importância dos ideais, crenças e valores para compreensão das ações Iniciativas próprias de pequenos grupos, comunidades, associações etc – combinadas com articulações entre grupos e movimentos sociais para intervenção em políticas públicas e exigências de mudanças estruturais.   (exemplo: iniciativa de um grupo de mulheres moradoras da periferia de Salvador, Bahia, para constituir uma escola comunitária, que responda às necessidades educacionais daquela região. Nasce como  alternativa,  mas pressiona os poderes públicos, conseguindo que seja assumida financeiramente pela municipalidade)
Reações a propostas governamentais de mudanças beneficiando população mais pobre e marginalizada Aceitação quando incide em acesso a direitos básicos Questionamento sobre o alcance da política adotada Pressão coletiva para ampliação da política, provocando mudanças estruturais   (exemplo: FOME ZERO e a necessidade de assegurar uma política de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional) Mudanças por iniciativa dos próprios grupos populares ou mudanças provocadas pelo  poder público – estimulam reações, novas questões e dificuldades –  nem sempre explicitadas.
2)Dois casos escolhidos para discutir mudanças, direitos e poder a partir de apoios a pequenos projetos apoiados pela CESE nos 36 anos de sua existência: 1º : Estado do ACRE - uma experiência de poder local   pequeno apoio a escolas para seringueiros (projeto inspirado no enfoque de Paulo Freire, ligando alfabetização com uma conscientização libertadora);   jovens idealistas asseguram uma alternativa importante para essa população;   articulações com outros grupos: direitos humanos, rede acriana de homens e mulheres, entre outros.
dificuldades e perseguições na defesa de direitos dos povos da floresta os “empates” : ação pacífica, mas numerosa de trabalhadores, sob a liderança do sindicato, que constrangiam os desmatadores com suas moto-serras ocupando as áreas.  O seringal, assim como outras espécies, depende do conjunto do eco-sistema para sua sobrevivência (evidencia relação social/ambiental) a partir de sucessivos movimentos como esses, e em articulação com parlamentares, para avançar na legislação e garantir essas unidades de conservação,  se reconhece um novo tipo de unidade de conservação – as resex (reservas extrativistas).
destacam-se nessa luta o STR  de Xapuri e Chico Mendes;  também provocou  reflexões  importantes. O Banco Mundial convidou representação do movimento para discutir o controle dos desmatamentos na região; visibilidade internacional.
Assassinatos, ameaças...   a  articulação política se amplia: aquela “juventude idealista” da luta seringueira e dos povos da floresta forma o núcleo de uma força política de mudança no Estado como um todo. Tornam-se secretários de municipalidade, governadores do Estado- hoje conhecido como “Governo da Floresta”, senadores (âmbito nacional).
2º : Identidade negra, direitos humanos e fortalecimento das organizações populares   da negritude defensiva à afirmação da identidade [1] pressupostos: mudança permanente das sociedades contemporâneas;  caráter estrutural das desigualdades sociais no Brasil, marcadas pela estratificação de classe, raça, etnia e gênero;  [1]  De acordo com a terceira edição do Retrato das Desigualdades de gênero e raça (IPEA, UNIFEM e SPM, 2008), os negros formam 49,8% da população total, mas representam quase 70% entre os 10% mais pobres.   
pressupostos (continuidade): necessidade de garantia de direitos diferenciados, de uma perspectiva de relevância e opção política das identidades organizadas em movimentos sociais, e que demandam da CESE apoio na luta por direitos e reparações;  para que o Brasil consiga erradicar a pobreza, precisa enfrentar, com êxito, o desafio do combate à desigualdade, nas diversas formas em que ela se expressa.
organização em movimentos para: afirmação de identidades coletivas confrontar abusos e reverter desigualdades atuação na Assembléia Nacional Constituinte (1988). Ações de pressão e articulação conseguem transformar em lei compromissos internacionais já assumidos pelo Brasil e outras demandas de promoção da equidade, garantindo a inclusão de artigos referentes a direitos desse segmento da sociedade na Constituição. No entanto, não houve o reconhecimento explícito de identidades coletivas distintas e auto-organizadas
Destaques de discussões com projetos: a construção da identidade coletiva como povo negro está intimamente ligada à reconstrução da identidade pessoal “ Assim como eu, as crianças se sentem inferiores por serem negras; lembro que na minha infância de vivência cristã, eu fazia oração para acordar branca e pensava comigo mesma: 'q ue bom que não nasci na África'”   “ Gosto muito de participar desses encontros, pois, após 50 anos vivendo no meio de brancos, querendo ser o mais branca possível, tenho cinco anos trilhando esse caminho de resgate, depois que meu inquice me solicitou de forma veemente que eu o assumisse”.  
... Os resultados dos projetos implementados pelas organizações falam de identidades negras (re)criadas num contexto de afirmação da negritude e dos valores da comunidade negra. entender as causas que determinam a pobreza e a violência em que os negros e negras vivem e que estruturam seu lugar social é imprescindível para compreender que são condições construídas de exclusão, e, portanto, não são inerentes às pessoas negras.
... a culpabilização e a inferiorização por essa condição são substituídas por um entendimento das causas e consequências político-sociais e dos impactos subjetivos do racismo:  “A consciência negra transforma a culpa em direito”.  Vale observar que, embora os militantes do Movimento Negro sejam uma pequena minoria, a partir deles a consciência negra e elementos de auto-estima começam a permear o Povo Negro.   Pessoas negras não-politizadas que começam a "tomar atitude".
Promoção do acesso de negras e negros à história e cultura afro-brasileira, silenciada ou distorcida na educação brasileira [2] Promoção do aumento da representação da população negra na universidade como um direito, através do debate sobre negras e negros como sujeitos do conhecimento e sobre cotas para negros/as nas universidades públicas.     [2]  A Lei 10.639/03 prevê o ensino de História da África e Cultura Afro-Brasileira nas escolas do País. Em 2008, a Lei recebeu um complemento para a inclusão da história e cultura indígena passando a ter o número 11.645/08). Diversas formas de afirmação política da identidade negra:
... Uso de elementos da estética negra, como cabelo  black e  ojá (torço) entre outros, resistindo às manifestações de racismo que comumente provocam quando são usados. Elevação da auto-estima  é um elemento central para a afirmação da identidade e combate à discriminação. As organizações religiosas enfatizaram seu caráter de resistência negra a partir da estruturação de espaços de afirmação de valores afro-brasileiros, tanto na relação com o sagrado como na vida comunitária.
... O movimento negro, nos últimos anos, vem influenciando cada vez mais as pautas políticas dos partidos (e também de sindicatos, governos,  ONGs etc.) para  o reconhecimento da importância da questão racial e a necessidade de desenvolvimento de políticas de enfrentamento ao racismo. Algumas secretarias especiais foram conquistadas.
Entre as dificuldades:   A intolerância religiosa, inclusive com violência contra negros e negras do candomblé; A forma negativa como a mulher negra é retratada na televisão, nas propagandas, nas letras de pagode e na mídia em geral;
... Violência contra a juventude negra; Falta maior articulação entre a agenda do movimento de direitos humanos e a agenda do movimento negro, para enfrentar violações de direitos humanos com base na raça, em particular os altos índices de assassinatos de jovens negros, o que vem sendo chamado de genocídio ou extermínio da juventude negra.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

precursores e pioneiros do serviço social
 precursores e pioneiros do serviço social precursores e pioneiros do serviço social
precursores e pioneiros do serviço social
weslainymaria
 
Atualização da profissao fundamentos do serviço social
Atualização da profissao   fundamentos do serviço socialAtualização da profissao   fundamentos do serviço social
Atualização da profissao fundamentos do serviço social
Daniele Rubim
 
Ações afirmativas:resposta as questões mais frequentes.
Ações afirmativas:resposta as questões mais frequentes.Ações afirmativas:resposta as questões mais frequentes.
Ações afirmativas:resposta as questões mais frequentes.
Geraa Ufms
 
Surgimento e institucionalização do Serviço Social no Brasil
Surgimento e institucionalização do Serviço Social no BrasilSurgimento e institucionalização do Serviço Social no Brasil
Surgimento e institucionalização do Serviço Social no Brasil
Rosane Domingues
 
Pobreza, questão social, e seu enfrentamento
Pobreza, questão social, e seu enfrentamentoPobreza, questão social, e seu enfrentamento
Pobreza, questão social, e seu enfrentamento
Rosane Domingues
 
Movimentos sociais e ativismo
Movimentos sociais e ativismo Movimentos sociais e ativismo
Movimentos sociais e ativismo
Vanessa Mutti
 
The Political Organisation of the Homeless in Brazil - ENThe Political Organi...
The Political Organisation of the Homeless in Brazil - ENThe Political Organi...The Political Organisation of the Homeless in Brazil - ENThe Political Organi...
The Political Organisation of the Homeless in Brazil - ENThe Political Organi...
FEANTSA
 
2014 concurso da policia 2
2014 concurso da policia 22014 concurso da policia 2
2014 concurso da policia 2
Jorge Marcos Oliveira
 
"Mulher Negra e Interseccionalidades"
"Mulher Negra e Interseccionalidades""Mulher Negra e Interseccionalidades"
"Mulher Negra e Interseccionalidades"
Observatório Negro
 
Quando a pessoa com deficiência fal em primeiro lugar
Quando a pessoa com deficiência fal em primeiro lugarQuando a pessoa com deficiência fal em primeiro lugar
Quando a pessoa com deficiência fal em primeiro lugar
Vitor Moura
 
Apostila 04 questão social
Apostila 04   questão socialApostila 04   questão social
Apostila 04 questão social
Marilda Cardoso
 
Movimentos sociais e educação
Movimentos sociais e educaçãoMovimentos sociais e educação
Movimentos sociais e educação
Diana Sampaio
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
esdrasfm
 
Texto 2 etnocentrismo
Texto 2   etnocentrismoTexto 2   etnocentrismo
Texto 2 etnocentrismo
Luciana Melo
 
Formação da questão social no brasil
Formação da questão social no brasilFormação da questão social no brasil
Formação da questão social no brasil
Arare Carvalho Júnior
 
A influência da Igreja Católica na Escola de Serviço Social de São Paulo (pio...
A influência da Igreja Católica na Escola de Serviço Social de São Paulo (pio...A influência da Igreja Católica na Escola de Serviço Social de São Paulo (pio...
A influência da Igreja Católica na Escola de Serviço Social de São Paulo (pio...
Micherline Teodosio
 
Exercicios sociologia 5
Exercicios sociologia 5Exercicios sociologia 5
Exercicios sociologia 5
Escola Estadual Antônio Carlos
 
Fundamentos serviço social ardis do capitalismo - 1 º semestre
Fundamentos serviço social   ardis do capitalismo - 1 º semestreFundamentos serviço social   ardis do capitalismo - 1 º semestre
Fundamentos serviço social ardis do capitalismo - 1 º semestre
Daniele Rubim
 

Mais procurados (18)

precursores e pioneiros do serviço social
 precursores e pioneiros do serviço social precursores e pioneiros do serviço social
precursores e pioneiros do serviço social
 
Atualização da profissao fundamentos do serviço social
Atualização da profissao   fundamentos do serviço socialAtualização da profissao   fundamentos do serviço social
Atualização da profissao fundamentos do serviço social
 
Ações afirmativas:resposta as questões mais frequentes.
Ações afirmativas:resposta as questões mais frequentes.Ações afirmativas:resposta as questões mais frequentes.
Ações afirmativas:resposta as questões mais frequentes.
 
Surgimento e institucionalização do Serviço Social no Brasil
Surgimento e institucionalização do Serviço Social no BrasilSurgimento e institucionalização do Serviço Social no Brasil
Surgimento e institucionalização do Serviço Social no Brasil
 
Pobreza, questão social, e seu enfrentamento
Pobreza, questão social, e seu enfrentamentoPobreza, questão social, e seu enfrentamento
Pobreza, questão social, e seu enfrentamento
 
Movimentos sociais e ativismo
Movimentos sociais e ativismo Movimentos sociais e ativismo
Movimentos sociais e ativismo
 
The Political Organisation of the Homeless in Brazil - ENThe Political Organi...
The Political Organisation of the Homeless in Brazil - ENThe Political Organi...The Political Organisation of the Homeless in Brazil - ENThe Political Organi...
The Political Organisation of the Homeless in Brazil - ENThe Political Organi...
 
2014 concurso da policia 2
2014 concurso da policia 22014 concurso da policia 2
2014 concurso da policia 2
 
"Mulher Negra e Interseccionalidades"
"Mulher Negra e Interseccionalidades""Mulher Negra e Interseccionalidades"
"Mulher Negra e Interseccionalidades"
 
Quando a pessoa com deficiência fal em primeiro lugar
Quando a pessoa com deficiência fal em primeiro lugarQuando a pessoa com deficiência fal em primeiro lugar
Quando a pessoa com deficiência fal em primeiro lugar
 
Apostila 04 questão social
Apostila 04   questão socialApostila 04   questão social
Apostila 04 questão social
 
Movimentos sociais e educação
Movimentos sociais e educaçãoMovimentos sociais e educação
Movimentos sociais e educação
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Texto 2 etnocentrismo
Texto 2   etnocentrismoTexto 2   etnocentrismo
Texto 2 etnocentrismo
 
Formação da questão social no brasil
Formação da questão social no brasilFormação da questão social no brasil
Formação da questão social no brasil
 
A influência da Igreja Católica na Escola de Serviço Social de São Paulo (pio...
A influência da Igreja Católica na Escola de Serviço Social de São Paulo (pio...A influência da Igreja Católica na Escola de Serviço Social de São Paulo (pio...
A influência da Igreja Católica na Escola de Serviço Social de São Paulo (pio...
 
Exercicios sociologia 5
Exercicios sociologia 5Exercicios sociologia 5
Exercicios sociologia 5
 
Fundamentos serviço social ardis do capitalismo - 1 º semestre
Fundamentos serviço social   ardis do capitalismo - 1 º semestreFundamentos serviço social   ardis do capitalismo - 1 º semestre
Fundamentos serviço social ardis do capitalismo - 1 º semestre
 

Semelhante a Caid Brasil 2009 Cese

Organizações de mulheres negras: suas demandas, seus projetos.
Organizações de mulheres negras: suas demandas, seus projetos.Organizações de mulheres negras: suas demandas, seus projetos.
Organizações de mulheres negras: suas demandas, seus projetos.
Fábio Fernandes
 
sociologia_aula28_3série_revisada.pptx
sociologia_aula28_3série_revisada.pptxsociologia_aula28_3série_revisada.pptx
sociologia_aula28_3série_revisada.pptx
PedroHenrique52353
 
PRECONCEITO_RACIAL_CONTEXTUALZICAO_HISTORICA_RELACOES_ETNICO_RACIAIS.pdf
PRECONCEITO_RACIAL_CONTEXTUALZICAO_HISTORICA_RELACOES_ETNICO_RACIAIS.pdfPRECONCEITO_RACIAL_CONTEXTUALZICAO_HISTORICA_RELACOES_ETNICO_RACIAIS.pdf
PRECONCEITO_RACIAL_CONTEXTUALZICAO_HISTORICA_RELACOES_ETNICO_RACIAIS.pdf
imonilps
 
MANUAL SejaAntirracista.pdf manual para estabelecer cidadãos antirracistas
MANUAL SejaAntirracista.pdf manual para estabelecer cidadãos antirracistasMANUAL SejaAntirracista.pdf manual para estabelecer cidadãos antirracistas
MANUAL SejaAntirracista.pdf manual para estabelecer cidadãos antirracistas
NdiaOliveira43
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
Fabio Salvari
 
Sociologia iv
Sociologia ivSociologia iv
Sociologia iv
andrea almeida
 
A questão de Raça e Etnia
A questão de Raça e EtniaA questão de Raça e Etnia
A questão de Raça e Etnia
Junior Ozono
 
Movimento Negro
Movimento NegroMovimento Negro
Movimento Negro
Aline Dantas
 
Aula 2 - CIDADANIA.ppt
Aula 2 - CIDADANIA.pptAula 2 - CIDADANIA.ppt
Aula 2 - CIDADANIA.ppt
GiseleDias67
 
Algumas Explicacoes De Termos Utilizados Na Luta Contra O Racismo
Algumas Explicacoes De Termos Utilizados Na Luta Contra O RacismoAlgumas Explicacoes De Termos Utilizados Na Luta Contra O Racismo
Algumas Explicacoes De Termos Utilizados Na Luta Contra O Racismo
guesta7e113
 
Tópico 24 cidadania no mundo atual
Tópico 24 cidadania no mundo atualTópico 24 cidadania no mundo atual
Tópico 24 cidadania no mundo atual
Atividades Diversas Cláudia
 
Políticas públicas e formação humana
Políticas públicas e formação humanaPolíticas públicas e formação humana
Políticas públicas e formação humana
Luci Bonini
 
Relatoria ps 2012
Relatoria ps 2012Relatoria ps 2012
Relatoria ps 2012
Feab Brasil
 
Pequeno manual antirracista
Pequeno manual antirracistaPequeno manual antirracista
Pequeno manual antirracista
Jornal do Commercio
 
Relatório Mesas Quadradas Igualdade Racial
Relatório Mesas Quadradas Igualdade RacialRelatório Mesas Quadradas Igualdade Racial
Relatório Mesas Quadradas Igualdade Racial
ICom - Instituto Comunitário Grande Florianópolis
 
Atps mov.sociais
Atps mov.sociaisAtps mov.sociais
Atps mov.sociais
Bruno Maciel
 
Capítulo 13 - A Sociedade Diante do Estado
Capítulo 13 - A Sociedade Diante do EstadoCapítulo 13 - A Sociedade Diante do Estado
Capítulo 13 - A Sociedade Diante do Estado
Marcos Antonio Grigorio de Figueiredo
 
Movimento negro lei do caô (2)
Movimento negro lei do caô (2)Movimento negro lei do caô (2)
Movimento negro lei do caô (2)
Atividades Diversas Cláudia
 
Movimento negro lei do caô
Movimento negro lei do caôMovimento negro lei do caô
Movimento negro lei do caô
Atividades Diversas Cláudia
 
Movimento negro lei do caô
Movimento negro lei do caôMovimento negro lei do caô
Movimento negro lei do caô
Atividades Diversas Cláudia
 

Semelhante a Caid Brasil 2009 Cese (20)

Organizações de mulheres negras: suas demandas, seus projetos.
Organizações de mulheres negras: suas demandas, seus projetos.Organizações de mulheres negras: suas demandas, seus projetos.
Organizações de mulheres negras: suas demandas, seus projetos.
 
sociologia_aula28_3série_revisada.pptx
sociologia_aula28_3série_revisada.pptxsociologia_aula28_3série_revisada.pptx
sociologia_aula28_3série_revisada.pptx
 
PRECONCEITO_RACIAL_CONTEXTUALZICAO_HISTORICA_RELACOES_ETNICO_RACIAIS.pdf
PRECONCEITO_RACIAL_CONTEXTUALZICAO_HISTORICA_RELACOES_ETNICO_RACIAIS.pdfPRECONCEITO_RACIAL_CONTEXTUALZICAO_HISTORICA_RELACOES_ETNICO_RACIAIS.pdf
PRECONCEITO_RACIAL_CONTEXTUALZICAO_HISTORICA_RELACOES_ETNICO_RACIAIS.pdf
 
MANUAL SejaAntirracista.pdf manual para estabelecer cidadãos antirracistas
MANUAL SejaAntirracista.pdf manual para estabelecer cidadãos antirracistasMANUAL SejaAntirracista.pdf manual para estabelecer cidadãos antirracistas
MANUAL SejaAntirracista.pdf manual para estabelecer cidadãos antirracistas
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Sociologia iv
Sociologia ivSociologia iv
Sociologia iv
 
A questão de Raça e Etnia
A questão de Raça e EtniaA questão de Raça e Etnia
A questão de Raça e Etnia
 
Movimento Negro
Movimento NegroMovimento Negro
Movimento Negro
 
Aula 2 - CIDADANIA.ppt
Aula 2 - CIDADANIA.pptAula 2 - CIDADANIA.ppt
Aula 2 - CIDADANIA.ppt
 
Algumas Explicacoes De Termos Utilizados Na Luta Contra O Racismo
Algumas Explicacoes De Termos Utilizados Na Luta Contra O RacismoAlgumas Explicacoes De Termos Utilizados Na Luta Contra O Racismo
Algumas Explicacoes De Termos Utilizados Na Luta Contra O Racismo
 
Tópico 24 cidadania no mundo atual
Tópico 24 cidadania no mundo atualTópico 24 cidadania no mundo atual
Tópico 24 cidadania no mundo atual
 
Políticas públicas e formação humana
Políticas públicas e formação humanaPolíticas públicas e formação humana
Políticas públicas e formação humana
 
Relatoria ps 2012
Relatoria ps 2012Relatoria ps 2012
Relatoria ps 2012
 
Pequeno manual antirracista
Pequeno manual antirracistaPequeno manual antirracista
Pequeno manual antirracista
 
Relatório Mesas Quadradas Igualdade Racial
Relatório Mesas Quadradas Igualdade RacialRelatório Mesas Quadradas Igualdade Racial
Relatório Mesas Quadradas Igualdade Racial
 
Atps mov.sociais
Atps mov.sociaisAtps mov.sociais
Atps mov.sociais
 
Capítulo 13 - A Sociedade Diante do Estado
Capítulo 13 - A Sociedade Diante do EstadoCapítulo 13 - A Sociedade Diante do Estado
Capítulo 13 - A Sociedade Diante do Estado
 
Movimento negro lei do caô (2)
Movimento negro lei do caô (2)Movimento negro lei do caô (2)
Movimento negro lei do caô (2)
 
Movimento negro lei do caô
Movimento negro lei do caôMovimento negro lei do caô
Movimento negro lei do caô
 
Movimento negro lei do caô
Movimento negro lei do caôMovimento negro lei do caô
Movimento negro lei do caô
 

Mais de MarcStorms

Capacitação drupal MAB
Capacitação drupal MABCapacitação drupal MAB
Capacitação drupal MAB
MarcStorms
 
Caid Brasil 2009 America Sul
Caid Brasil 2009 America SulCaid Brasil 2009 America Sul
Caid Brasil 2009 America Sul
MarcStorms
 
Caid Brasil 2009 MST
Caid Brasil 2009 MSTCaid Brasil 2009 MST
Caid Brasil 2009 MST
MarcStorms
 
Caid Brasil 2009 Programa Brasil
Caid Brasil 2009 Programa BrasilCaid Brasil 2009 Programa Brasil
Caid Brasil 2009 Programa Brasil
MarcStorms
 
Caid Brasil 2009 Advocacy
Caid Brasil 2009 AdvocacyCaid Brasil 2009 Advocacy
Caid Brasil 2009 Advocacy
MarcStorms
 
Caid Brasil 2009 Paul Valentin
Caid Brasil 2009 Paul ValentinCaid Brasil 2009 Paul Valentin
Caid Brasil 2009 Paul Valentin
MarcStorms
 

Mais de MarcStorms (6)

Capacitação drupal MAB
Capacitação drupal MABCapacitação drupal MAB
Capacitação drupal MAB
 
Caid Brasil 2009 America Sul
Caid Brasil 2009 America SulCaid Brasil 2009 America Sul
Caid Brasil 2009 America Sul
 
Caid Brasil 2009 MST
Caid Brasil 2009 MSTCaid Brasil 2009 MST
Caid Brasil 2009 MST
 
Caid Brasil 2009 Programa Brasil
Caid Brasil 2009 Programa BrasilCaid Brasil 2009 Programa Brasil
Caid Brasil 2009 Programa Brasil
 
Caid Brasil 2009 Advocacy
Caid Brasil 2009 AdvocacyCaid Brasil 2009 Advocacy
Caid Brasil 2009 Advocacy
 
Caid Brasil 2009 Paul Valentin
Caid Brasil 2009 Paul ValentinCaid Brasil 2009 Paul Valentin
Caid Brasil 2009 Paul Valentin
 

Caid Brasil 2009 Cese

  • 1. Reflexões da CESE a partir da visão da CA sobre como ocorre a mudança social e o seu papel “ Não a uma mudança pequena"
  • 2. Pequenos Projetos, GRANDES Resultados Aproximadamente 9.500 projetos apoiados em 36 anos 1 - Considerações iniciais   Uma experiência referenciada em direitos A luta por direitos é histórica, no Brasil civis e políticos econômicos, sociais, culturais ambientais direitos negados -------direitos conquistados ---- ----conquistas ameaçadas
  • 3. Movimentos populares protagonistas de mudanças efetivas Defesa de direitos é de difícil entendimento pelo senso comum: bandidagem? polêmica: legalidade e legitimidade (principalmente em questões de luta pela terra) a considerar o poder da mídia sobre a sociedade, estimulando preconceitos, questionando ações dos movimentos sociais
  • 4. Importância dos ideais, crenças e valores para compreensão das ações Iniciativas próprias de pequenos grupos, comunidades, associações etc – combinadas com articulações entre grupos e movimentos sociais para intervenção em políticas públicas e exigências de mudanças estruturais. (exemplo: iniciativa de um grupo de mulheres moradoras da periferia de Salvador, Bahia, para constituir uma escola comunitária, que responda às necessidades educacionais daquela região. Nasce como alternativa, mas pressiona os poderes públicos, conseguindo que seja assumida financeiramente pela municipalidade)
  • 5. Reações a propostas governamentais de mudanças beneficiando população mais pobre e marginalizada Aceitação quando incide em acesso a direitos básicos Questionamento sobre o alcance da política adotada Pressão coletiva para ampliação da política, provocando mudanças estruturais (exemplo: FOME ZERO e a necessidade de assegurar uma política de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional) Mudanças por iniciativa dos próprios grupos populares ou mudanças provocadas pelo poder público – estimulam reações, novas questões e dificuldades – nem sempre explicitadas.
  • 6. 2)Dois casos escolhidos para discutir mudanças, direitos e poder a partir de apoios a pequenos projetos apoiados pela CESE nos 36 anos de sua existência: 1º : Estado do ACRE - uma experiência de poder local pequeno apoio a escolas para seringueiros (projeto inspirado no enfoque de Paulo Freire, ligando alfabetização com uma conscientização libertadora);   jovens idealistas asseguram uma alternativa importante para essa população;   articulações com outros grupos: direitos humanos, rede acriana de homens e mulheres, entre outros.
  • 7. dificuldades e perseguições na defesa de direitos dos povos da floresta os “empates” : ação pacífica, mas numerosa de trabalhadores, sob a liderança do sindicato, que constrangiam os desmatadores com suas moto-serras ocupando as áreas. O seringal, assim como outras espécies, depende do conjunto do eco-sistema para sua sobrevivência (evidencia relação social/ambiental) a partir de sucessivos movimentos como esses, e em articulação com parlamentares, para avançar na legislação e garantir essas unidades de conservação, se reconhece um novo tipo de unidade de conservação – as resex (reservas extrativistas).
  • 8. destacam-se nessa luta o STR de Xapuri e Chico Mendes; também provocou reflexões importantes. O Banco Mundial convidou representação do movimento para discutir o controle dos desmatamentos na região; visibilidade internacional.
  • 9. Assassinatos, ameaças...   a articulação política se amplia: aquela “juventude idealista” da luta seringueira e dos povos da floresta forma o núcleo de uma força política de mudança no Estado como um todo. Tornam-se secretários de municipalidade, governadores do Estado- hoje conhecido como “Governo da Floresta”, senadores (âmbito nacional).
  • 10. 2º : Identidade negra, direitos humanos e fortalecimento das organizações populares da negritude defensiva à afirmação da identidade [1] pressupostos: mudança permanente das sociedades contemporâneas; caráter estrutural das desigualdades sociais no Brasil, marcadas pela estratificação de classe, raça, etnia e gênero; [1] De acordo com a terceira edição do Retrato das Desigualdades de gênero e raça (IPEA, UNIFEM e SPM, 2008), os negros formam 49,8% da população total, mas representam quase 70% entre os 10% mais pobres.  
  • 11. pressupostos (continuidade): necessidade de garantia de direitos diferenciados, de uma perspectiva de relevância e opção política das identidades organizadas em movimentos sociais, e que demandam da CESE apoio na luta por direitos e reparações; para que o Brasil consiga erradicar a pobreza, precisa enfrentar, com êxito, o desafio do combate à desigualdade, nas diversas formas em que ela se expressa.
  • 12. organização em movimentos para: afirmação de identidades coletivas confrontar abusos e reverter desigualdades atuação na Assembléia Nacional Constituinte (1988). Ações de pressão e articulação conseguem transformar em lei compromissos internacionais já assumidos pelo Brasil e outras demandas de promoção da equidade, garantindo a inclusão de artigos referentes a direitos desse segmento da sociedade na Constituição. No entanto, não houve o reconhecimento explícito de identidades coletivas distintas e auto-organizadas
  • 13. Destaques de discussões com projetos: a construção da identidade coletiva como povo negro está intimamente ligada à reconstrução da identidade pessoal “ Assim como eu, as crianças se sentem inferiores por serem negras; lembro que na minha infância de vivência cristã, eu fazia oração para acordar branca e pensava comigo mesma: 'q ue bom que não nasci na África'”   “ Gosto muito de participar desses encontros, pois, após 50 anos vivendo no meio de brancos, querendo ser o mais branca possível, tenho cinco anos trilhando esse caminho de resgate, depois que meu inquice me solicitou de forma veemente que eu o assumisse”.  
  • 14. ... Os resultados dos projetos implementados pelas organizações falam de identidades negras (re)criadas num contexto de afirmação da negritude e dos valores da comunidade negra. entender as causas que determinam a pobreza e a violência em que os negros e negras vivem e que estruturam seu lugar social é imprescindível para compreender que são condições construídas de exclusão, e, portanto, não são inerentes às pessoas negras.
  • 15. ... a culpabilização e a inferiorização por essa condição são substituídas por um entendimento das causas e consequências político-sociais e dos impactos subjetivos do racismo: “A consciência negra transforma a culpa em direito”. Vale observar que, embora os militantes do Movimento Negro sejam uma pequena minoria, a partir deles a consciência negra e elementos de auto-estima começam a permear o Povo Negro. Pessoas negras não-politizadas que começam a "tomar atitude".
  • 16. Promoção do acesso de negras e negros à história e cultura afro-brasileira, silenciada ou distorcida na educação brasileira [2] Promoção do aumento da representação da população negra na universidade como um direito, através do debate sobre negras e negros como sujeitos do conhecimento e sobre cotas para negros/as nas universidades públicas.   [2] A Lei 10.639/03 prevê o ensino de História da África e Cultura Afro-Brasileira nas escolas do País. Em 2008, a Lei recebeu um complemento para a inclusão da história e cultura indígena passando a ter o número 11.645/08). Diversas formas de afirmação política da identidade negra:
  • 17. ... Uso de elementos da estética negra, como cabelo black e ojá (torço) entre outros, resistindo às manifestações de racismo que comumente provocam quando são usados. Elevação da auto-estima é um elemento central para a afirmação da identidade e combate à discriminação. As organizações religiosas enfatizaram seu caráter de resistência negra a partir da estruturação de espaços de afirmação de valores afro-brasileiros, tanto na relação com o sagrado como na vida comunitária.
  • 18. ... O movimento negro, nos últimos anos, vem influenciando cada vez mais as pautas políticas dos partidos (e também de sindicatos, governos, ONGs etc.) para o reconhecimento da importância da questão racial e a necessidade de desenvolvimento de políticas de enfrentamento ao racismo. Algumas secretarias especiais foram conquistadas.
  • 19. Entre as dificuldades: A intolerância religiosa, inclusive com violência contra negros e negras do candomblé; A forma negativa como a mulher negra é retratada na televisão, nas propagandas, nas letras de pagode e na mídia em geral;
  • 20. ... Violência contra a juventude negra; Falta maior articulação entre a agenda do movimento de direitos humanos e a agenda do movimento negro, para enfrentar violações de direitos humanos com base na raça, em particular os altos índices de assassinatos de jovens negros, o que vem sendo chamado de genocídio ou extermínio da juventude negra.