SlideShare uma empresa Scribd logo
BULLYING            O que é?
Bullying é um termo de origem inglesa utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por uma pessoa (bully) ou grupo de pessoas, com o objetivo de intimidar ou agredir outro indivíduo incapaz de se defender. 	A palavra "Bully" significa "valentão", o autor das agressões. A vítima, ou alvo, é a que sofre os efeitos delas...
Estudiosos aceitam geralmente que o bullying contenha três elementos essenciais: 1 - O comportamento é agressivo e negativo;  2 - O comportamento é executado repetidamente;  3 - O comportamento ocorre num relacionamento onde há um desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas.
O Bullying divide-se em duas categorias:   - O BullyingDirecto é a forma mais comum entre os agressores (bullies) masculinos.   - A agressãosocial ou Bullyingindirecto é a forma mais comum em bullies do sexo feminino e crianças pequenas, e é caracterizada por forçar a vítima ao isolamento social. Este isolamento é obtido através de uma vasta variedade de técnicas, que incluem:
Espalhar fofocas;  Recusa em se socializar com a vítima;  Intimidar outras pessoas que desejam se socializar com a vítima;  Criticar o modo de vestir ou outros aspectos socialmente significativos (incluindo a etnia da vítima, religião, incapacidades etc).
 O bullying pode ocorrer em diversas situações, a estrutura de poder é tipicamente evidente entre o agressor (bully) e a vítima.  Para aqueles fora do relacionamento, parece que o poder do agressor depende somente da percepção da vítima, que parece estar por demais intimidada para oferecer alguma resistência.  Todavia, a vítima geralmente tem motivos para temer o agressor, devido às ameaças ou concretizações de violência física/sexual, ou perda dos meios de subsistência.
Características dos Bullies
	Pesquisas indicam que adultos agressores têm personalidades autoritárias, combinadas com uma forte necessidade de controlar ou dominar. 	Estudos adicionais têm mostrado que enquanto inveja e ressentimento podem ser motivos para a prática do bullying, ao contrário da crença popular, há pouca evidência que sugira que os bullies sofram de qualquer déficit de auto estima.
	É freqüentemente sugerido que os comportamentos agressivos têm sua origem na infância: "Se o comportamento agressivo não é desafiado na infância, há o risco de que ele se torne habitual. Realmente, há evidência documental que indica que a prática do bullying durante a infância põe a criança em risco de comportamento criminoso e violência doméstica na idade adulta."
Tipos de Bullying
Insulta a vítima; acusa sistematicamente a vítima de não servir para nada.  Ataques físicos repetidos contra uma pessoa, seja contra o corpo dela ou propriedade.  Interferi com a propriedade pessoal de uma pessoa, livros ou material escolar, roupas etc, danificando-os ou fazendo pilhérias por meio deles sobre um indivíduo, de qualquer forma.
Espalha rumores negativos e fofocassobre a vítima.  Deprecia a vítima sem qualquer motivo.  Faz com que a vítima faça o que ela não quer, valendo-se de ameaças para se assegurar que a vítima seguirá as suas ordens.  Coloca a vítima em situação problemática com alguém (geralmente, uma autoridade), ou consegue uma ação disciplinar contra a vítima, por ato que ela não cometeu ou que foi exagerado pelo bully.
Faz comentários depreciativos sobre a família de uma pessoa (particularmente a mãe), sobre o local de moradia de alguém, aparência pessoal, orientação sexual, religião, raça, nível de renda, nacionalidade. Isolamento social da vítima.  Usa as tecnologias de informação para praticar o cyberbullying (criar páginas falsas sobre a vítima em sites de relacionamento).  Expressões ameaçadoras e chantagem.  Usa de sarcasmo evidente para se passar por amigo enquanto assegura o controle e a posição em relação à vítima (isto ocorre com freqüência logo após o bully avaliar que a pessoa é uma "vítima perfeita").
Locais onde acontecem o Bullying
Escolas Em escolas, o bullying geralmente ocorre em áreas com supervisão adulta mínima ou inexistente. Ele pode acontecer em praticamente qualquer parte, dentro ou em torno do prédio da escola.
O bullying nas escolas pode também assumir, por exemplo, a forma de avaliações abaixo da média, não retorno das tarefas escolares, segregação de estudantes competentes por professores incompetentes ou não-atuantes, para proteger a reputação de uma instituição de ensino. Isto é feito para que seus programas e códigos internos de conduta nunca sejam questionados, e que os pais (que geralmente pagam as taxas), sejam levados a acreditar que seus filhos são incapazes de lidar com o curso.
Local de trabalho O bullying em locais de trabalho é descrito pelo Congresso Sindical do Reino Unido (TUC, 1998) como: "um problema sério que muito freqüentemente as pessoas pensam que seja somente um problema ocasional entre indivíduos. Mas o bullying é mais do que um ataque ocasional de raiva ou briguinha. É uma intimidação regular e persistente que solapa a integridade e confiança da vítima do bully. E é freqüentemente aceita ou mesmo encorajada como parte da cultura da organização".
Vizinhança Entre vizinhos, o bullying normalmente toma a forma de intimidação por comportamento inconveniente, tais como barulho excessivo para perturbar o sono e os padrões de vida normais ou fazer queixa às autoridades (tais como a polícia) por incidentes menores ou forjados. O propósito desta forma de comportamento é fazer com que a vítima fique tão desconfortável que acabe se mudando da propriedade. Nem todo comportamento pode ser caracterizado como bullying: a falta de sensibilidade pode ser uma explicação.
Alcunhas ou apelidos (dar nomes) Normalmente, uma alcunha (apelido) é dada a alguém por um amigo, devido a uma característica única dele. Em casos extremos, professores podem ajudar a popularizá-la, mas isto é geralmente percebido como inofensivo ou o golpe é sutil demais para ser reconhecido. Há uma discussão sobre se é pior que a vítima conheça ou não o nome pelo qual é chamada. Todavia, uma alcunha pode por vezes tornar-se tão embaraçosa que a vítima terá de se mudar (de escola, de residência ou de ambos).
Efeitos do bullying
Efeitos sobre o indivíduo incluem:  Depressão Reativa, uma forma de depressão clínica causada por eventos exógenos;  Estresse de desordem pós-traumática;  Tornar-se também um agressor;  Ansiedade;  Problemas gástricos;  Dores não-especificadas;
Perda de auto-estima;  Medo de expressar emoções;  Problemas de relacionamento;  Abuso de drogas e álcool;  Auto-mutilação;  Suicídio (também conhecido como bullycídio).
Efeitos numa escola incluem: Níveis elevados de evasão escolar;  Alta rotatividade do quadro de pessoal;  Desrespeito pelos professores;  Alto nível de faltas por males menores;  Porte de arma por parte de crianças visando proteção;
Efeitos sobre a organização (tal como um local de trabalho):  Perda de moral; Níveis elevados de faltas por depressão, ansiedade e dor nas costas; Queda de produtividade e lucro;  Altos níveis de rotatividade de pessoal.
Por não existir uma palavra na língua portuguesa capaz de expressar todas as situações de BULLYING possíveis, o quadro, a seguir, relaciona algumas ações que podem estar presentes:
Colocar apelidos       Ofender                 Zoar                     Gozar                           Encarnar                               Sacanear                                    Humilhar                                        Fazer sofrer                                            Discriminar                                                Excluir
Isolar     Ignorar        Intimidar           Perseguir             Assediar                Aterrorizar                   Amedrontar                     Tiranizar                        Dominar
Agredir     Bater       Chutar           Empurrar              Ferir                 Roubar                     Quebrar pertences
Seja qual for a atuação de cada aluno, algumas características podem ser destacadas, como relacionadas aos papéis que venham a representar:
[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Bullying, definição e solução
Bullying, definição e soluçãoBullying, definição e solução
Bullying, definição e solução
Belinda Maria Lobo
 
Palestra Bullying filinto
Palestra Bullying filintoPalestra Bullying filinto
Palestra Bullying filinto
leila_rosana
 
Buling
BulingBuling
Buling
Geralicia
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
AndreeCamilooo
 
Bulllying
BulllyingBulllying
Bulllying
Célia Menezes
 
Informativo Bullying
Informativo BullyingInformativo Bullying
Informativo Bullying
navarrolins
 
Sara e Leticia 6A
Sara e Leticia 6ASara e Leticia 6A
Sara e Leticia 6A
Julio Mesquita
 
Bullying não é brincadeira! Saiba o que é bullying, quais suas consequências,...
Bullying não é brincadeira! Saiba o que é bullying, quais suas consequências,...Bullying não é brincadeira! Saiba o que é bullying, quais suas consequências,...
Bullying não é brincadeira! Saiba o que é bullying, quais suas consequências,...
Daniela Moreira Ramos
 
Vitimas de bullying
Vitimas de bullyingVitimas de bullying
Vitimas de bullying
catiaemaria
 
Bullying
BullyingBullying
O que é bully
O que é bullyO que é bully
O que é bully
yasmin150
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
Rodrigo
 
bullying - testemunhas
bullying - testemunhasbullying - testemunhas
bullying - testemunhas
ap8bgrp12
 
ApresentaçãO Do Bullying Palestra 2007
ApresentaçãO Do Bullying Palestra 2007ApresentaçãO Do Bullying Palestra 2007
ApresentaçãO Do Bullying Palestra 2007
Anderson Hipolito Albuquerque Sousa
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
lenaeteresa
 
Bullying trabalho
Bullying trabalhoBullying trabalho
Bullying trabalho
Branadenses2
 
Bullying palestra
Bullying palestraBullying palestra
Bullying palestra
Lugus
 
Violencia em meio escolar bullying
Violencia em meio escolar  bullyingViolencia em meio escolar  bullying
Violencia em meio escolar bullying
alexandra
 
Bullying
Bullying Bullying
Bullying
Cesarina Sousa
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
Renata Sofia
 

Mais procurados (20)

Bullying, definição e solução
Bullying, definição e soluçãoBullying, definição e solução
Bullying, definição e solução
 
Palestra Bullying filinto
Palestra Bullying filintoPalestra Bullying filinto
Palestra Bullying filinto
 
Buling
BulingBuling
Buling
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Bulllying
BulllyingBulllying
Bulllying
 
Informativo Bullying
Informativo BullyingInformativo Bullying
Informativo Bullying
 
Sara e Leticia 6A
Sara e Leticia 6ASara e Leticia 6A
Sara e Leticia 6A
 
Bullying não é brincadeira! Saiba o que é bullying, quais suas consequências,...
Bullying não é brincadeira! Saiba o que é bullying, quais suas consequências,...Bullying não é brincadeira! Saiba o que é bullying, quais suas consequências,...
Bullying não é brincadeira! Saiba o que é bullying, quais suas consequências,...
 
Vitimas de bullying
Vitimas de bullyingVitimas de bullying
Vitimas de bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
O que é bully
O que é bullyO que é bully
O que é bully
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
bullying - testemunhas
bullying - testemunhasbullying - testemunhas
bullying - testemunhas
 
ApresentaçãO Do Bullying Palestra 2007
ApresentaçãO Do Bullying Palestra 2007ApresentaçãO Do Bullying Palestra 2007
ApresentaçãO Do Bullying Palestra 2007
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Bullying trabalho
Bullying trabalhoBullying trabalho
Bullying trabalho
 
Bullying palestra
Bullying palestraBullying palestra
Bullying palestra
 
Violencia em meio escolar bullying
Violencia em meio escolar  bullyingViolencia em meio escolar  bullying
Violencia em meio escolar bullying
 
Bullying
Bullying Bullying
Bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 

Destaque

Trabalho sobre bullying
Trabalho sobre bullyingTrabalho sobre bullying
Trabalho sobre bullying
jackzeus
 
Apresentação bullying
Apresentação bullyingApresentação bullying
Apresentação bullying
Parceiros Voluntários
 
Ed. física bullying
Ed. física  bullyingEd. física  bullying
Ed. física bullying
Walkiria Zanuncio
 
Bullying na escola_diretores
Bullying na escola_diretoresBullying na escola_diretores
Bullying na escola_diretores
Nairpietski
 
Bullying 5ºano
Bullying 5ºanoBullying 5ºano
Bullying 5ºano
Walkiria Zanuncio
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
Pedro Peixoto
 
Projeto "Com o Bullying Não Se Brinca"
Projeto "Com o Bullying Não Se Brinca"Projeto "Com o Bullying Não Se Brinca"
Projeto "Com o Bullying Não Se Brinca"
Jana Caetano
 
Slides bullying
Slides bullyingSlides bullying
Slides bullying
Joao Ribeiro
 
Projeto prevenção e combate ao bullying escolar slides
Projeto prevenção e combate ao bullying escolar slidesProjeto prevenção e combate ao bullying escolar slides
Projeto prevenção e combate ao bullying escolar slides
prof_roseli_barbosa
 
Microsoft Power Point Bullying
Microsoft Power Point   BullyingMicrosoft Power Point   Bullying
Microsoft Power Point Bullying
Tito Romeu Gomes de Sousa Maia Mendes
 
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Viviane De Carvalho Teixeira
 

Destaque (11)

Trabalho sobre bullying
Trabalho sobre bullyingTrabalho sobre bullying
Trabalho sobre bullying
 
Apresentação bullying
Apresentação bullyingApresentação bullying
Apresentação bullying
 
Ed. física bullying
Ed. física  bullyingEd. física  bullying
Ed. física bullying
 
Bullying na escola_diretores
Bullying na escola_diretoresBullying na escola_diretores
Bullying na escola_diretores
 
Bullying 5ºano
Bullying 5ºanoBullying 5ºano
Bullying 5ºano
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Projeto "Com o Bullying Não Se Brinca"
Projeto "Com o Bullying Não Se Brinca"Projeto "Com o Bullying Não Se Brinca"
Projeto "Com o Bullying Não Se Brinca"
 
Slides bullying
Slides bullyingSlides bullying
Slides bullying
 
Projeto prevenção e combate ao bullying escolar slides
Projeto prevenção e combate ao bullying escolar slidesProjeto prevenção e combate ao bullying escolar slides
Projeto prevenção e combate ao bullying escolar slides
 
Microsoft Power Point Bullying
Microsoft Power Point   BullyingMicrosoft Power Point   Bullying
Microsoft Power Point Bullying
 
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
 

Semelhante a Bullying "Gilnei"

Bullying
BullyingBullying
Bullying
interatividade
 
A para quem ainda não sabe
A para quem ainda não sabeA para quem ainda não sabe
A para quem ainda não sabe
29portugal
 
122360761 bullying
122360761 bullying122360761 bullying
122360761 bullying
Pelo Siro
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
mariaedna
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
mariaedna
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
mariaedna
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
BullyingBullying
Bullying
BullyingBullying
Bullying
veronicasilva
 
Builing mario marcus_pedro_tiago
Builing mario marcus_pedro_tiagoBuiling mario marcus_pedro_tiago
Builing mario marcus_pedro_tiago
navegananet
 
Projeto anti bullyng
Projeto anti bullyngProjeto anti bullyng
Projeto anti bullyng
Francineteproinfo
 
Power point4
Power point4Power point4
Power point4
Mariana Pires
 
O que é bullying ?
O que é bullying ?O que é bullying ?
O que é bullying ?
Aliados
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
Tgokart
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
Tgokart
 
Palestra gabriel chalita em manaus 210809
Palestra gabriel chalita em manaus 210809Palestra gabriel chalita em manaus 210809
Palestra gabriel chalita em manaus 210809
SimoneHelenDrumond
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
Livres.art.br
 
Violência em Meio Escolar
Violência em Meio EscolarViolência em Meio Escolar
Violência em Meio Escolar
Msaude
 
Violência em Meio Escolar
Violência em Meio EscolarViolência em Meio Escolar
Violência em Meio Escolar
Msaude
 
Aula 8 adolescência e bullying
Aula 8   adolescência e bullyingAula 8   adolescência e bullying
Aula 8 adolescência e bullying
ariadnemonitoria
 

Semelhante a Bullying "Gilnei" (20)

Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
A para quem ainda não sabe
A para quem ainda não sabeA para quem ainda não sabe
A para quem ainda não sabe
 
122360761 bullying
122360761 bullying122360761 bullying
122360761 bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Builing mario marcus_pedro_tiago
Builing mario marcus_pedro_tiagoBuiling mario marcus_pedro_tiago
Builing mario marcus_pedro_tiago
 
Projeto anti bullyng
Projeto anti bullyngProjeto anti bullyng
Projeto anti bullyng
 
Power point4
Power point4Power point4
Power point4
 
O que é bullying ?
O que é bullying ?O que é bullying ?
O que é bullying ?
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Palestra gabriel chalita em manaus 210809
Palestra gabriel chalita em manaus 210809Palestra gabriel chalita em manaus 210809
Palestra gabriel chalita em manaus 210809
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Violência em Meio Escolar
Violência em Meio EscolarViolência em Meio Escolar
Violência em Meio Escolar
 
Violência em Meio Escolar
Violência em Meio EscolarViolência em Meio Escolar
Violência em Meio Escolar
 
Aula 8 adolescência e bullying
Aula 8   adolescência e bullyingAula 8   adolescência e bullying
Aula 8 adolescência e bullying
 

Último

Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Luana Neres
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
kdn15710
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
KeilianeOliveira3
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
Manuais Formação
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
MariaFatima425285
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 

Último (20)

Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 

Bullying "Gilnei"

  • 1. BULLYING O que é?
  • 2. Bullying é um termo de origem inglesa utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por uma pessoa (bully) ou grupo de pessoas, com o objetivo de intimidar ou agredir outro indivíduo incapaz de se defender. A palavra "Bully" significa "valentão", o autor das agressões. A vítima, ou alvo, é a que sofre os efeitos delas...
  • 3. Estudiosos aceitam geralmente que o bullying contenha três elementos essenciais: 1 - O comportamento é agressivo e negativo; 2 - O comportamento é executado repetidamente; 3 - O comportamento ocorre num relacionamento onde há um desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas.
  • 4. O Bullying divide-se em duas categorias: - O BullyingDirecto é a forma mais comum entre os agressores (bullies) masculinos. - A agressãosocial ou Bullyingindirecto é a forma mais comum em bullies do sexo feminino e crianças pequenas, e é caracterizada por forçar a vítima ao isolamento social. Este isolamento é obtido através de uma vasta variedade de técnicas, que incluem:
  • 5. Espalhar fofocas; Recusa em se socializar com a vítima; Intimidar outras pessoas que desejam se socializar com a vítima; Criticar o modo de vestir ou outros aspectos socialmente significativos (incluindo a etnia da vítima, religião, incapacidades etc).
  • 6. O bullying pode ocorrer em diversas situações, a estrutura de poder é tipicamente evidente entre o agressor (bully) e a vítima. Para aqueles fora do relacionamento, parece que o poder do agressor depende somente da percepção da vítima, que parece estar por demais intimidada para oferecer alguma resistência. Todavia, a vítima geralmente tem motivos para temer o agressor, devido às ameaças ou concretizações de violência física/sexual, ou perda dos meios de subsistência.
  • 8. Pesquisas indicam que adultos agressores têm personalidades autoritárias, combinadas com uma forte necessidade de controlar ou dominar. Estudos adicionais têm mostrado que enquanto inveja e ressentimento podem ser motivos para a prática do bullying, ao contrário da crença popular, há pouca evidência que sugira que os bullies sofram de qualquer déficit de auto estima.
  • 9. É freqüentemente sugerido que os comportamentos agressivos têm sua origem na infância: "Se o comportamento agressivo não é desafiado na infância, há o risco de que ele se torne habitual. Realmente, há evidência documental que indica que a prática do bullying durante a infância põe a criança em risco de comportamento criminoso e violência doméstica na idade adulta."
  • 11. Insulta a vítima; acusa sistematicamente a vítima de não servir para nada. Ataques físicos repetidos contra uma pessoa, seja contra o corpo dela ou propriedade. Interferi com a propriedade pessoal de uma pessoa, livros ou material escolar, roupas etc, danificando-os ou fazendo pilhérias por meio deles sobre um indivíduo, de qualquer forma.
  • 12. Espalha rumores negativos e fofocassobre a vítima. Deprecia a vítima sem qualquer motivo. Faz com que a vítima faça o que ela não quer, valendo-se de ameaças para se assegurar que a vítima seguirá as suas ordens. Coloca a vítima em situação problemática com alguém (geralmente, uma autoridade), ou consegue uma ação disciplinar contra a vítima, por ato que ela não cometeu ou que foi exagerado pelo bully.
  • 13. Faz comentários depreciativos sobre a família de uma pessoa (particularmente a mãe), sobre o local de moradia de alguém, aparência pessoal, orientação sexual, religião, raça, nível de renda, nacionalidade. Isolamento social da vítima. Usa as tecnologias de informação para praticar o cyberbullying (criar páginas falsas sobre a vítima em sites de relacionamento). Expressões ameaçadoras e chantagem. Usa de sarcasmo evidente para se passar por amigo enquanto assegura o controle e a posição em relação à vítima (isto ocorre com freqüência logo após o bully avaliar que a pessoa é uma "vítima perfeita").
  • 14. Locais onde acontecem o Bullying
  • 15. Escolas Em escolas, o bullying geralmente ocorre em áreas com supervisão adulta mínima ou inexistente. Ele pode acontecer em praticamente qualquer parte, dentro ou em torno do prédio da escola.
  • 16. O bullying nas escolas pode também assumir, por exemplo, a forma de avaliações abaixo da média, não retorno das tarefas escolares, segregação de estudantes competentes por professores incompetentes ou não-atuantes, para proteger a reputação de uma instituição de ensino. Isto é feito para que seus programas e códigos internos de conduta nunca sejam questionados, e que os pais (que geralmente pagam as taxas), sejam levados a acreditar que seus filhos são incapazes de lidar com o curso.
  • 17. Local de trabalho O bullying em locais de trabalho é descrito pelo Congresso Sindical do Reino Unido (TUC, 1998) como: "um problema sério que muito freqüentemente as pessoas pensam que seja somente um problema ocasional entre indivíduos. Mas o bullying é mais do que um ataque ocasional de raiva ou briguinha. É uma intimidação regular e persistente que solapa a integridade e confiança da vítima do bully. E é freqüentemente aceita ou mesmo encorajada como parte da cultura da organização".
  • 18. Vizinhança Entre vizinhos, o bullying normalmente toma a forma de intimidação por comportamento inconveniente, tais como barulho excessivo para perturbar o sono e os padrões de vida normais ou fazer queixa às autoridades (tais como a polícia) por incidentes menores ou forjados. O propósito desta forma de comportamento é fazer com que a vítima fique tão desconfortável que acabe se mudando da propriedade. Nem todo comportamento pode ser caracterizado como bullying: a falta de sensibilidade pode ser uma explicação.
  • 19. Alcunhas ou apelidos (dar nomes) Normalmente, uma alcunha (apelido) é dada a alguém por um amigo, devido a uma característica única dele. Em casos extremos, professores podem ajudar a popularizá-la, mas isto é geralmente percebido como inofensivo ou o golpe é sutil demais para ser reconhecido. Há uma discussão sobre se é pior que a vítima conheça ou não o nome pelo qual é chamada. Todavia, uma alcunha pode por vezes tornar-se tão embaraçosa que a vítima terá de se mudar (de escola, de residência ou de ambos).
  • 21. Efeitos sobre o indivíduo incluem: Depressão Reativa, uma forma de depressão clínica causada por eventos exógenos; Estresse de desordem pós-traumática; Tornar-se também um agressor; Ansiedade; Problemas gástricos; Dores não-especificadas;
  • 22. Perda de auto-estima; Medo de expressar emoções; Problemas de relacionamento; Abuso de drogas e álcool; Auto-mutilação; Suicídio (também conhecido como bullycídio).
  • 23. Efeitos numa escola incluem: Níveis elevados de evasão escolar; Alta rotatividade do quadro de pessoal; Desrespeito pelos professores; Alto nível de faltas por males menores; Porte de arma por parte de crianças visando proteção;
  • 24. Efeitos sobre a organização (tal como um local de trabalho): Perda de moral; Níveis elevados de faltas por depressão, ansiedade e dor nas costas; Queda de produtividade e lucro; Altos níveis de rotatividade de pessoal.
  • 25. Por não existir uma palavra na língua portuguesa capaz de expressar todas as situações de BULLYING possíveis, o quadro, a seguir, relaciona algumas ações que podem estar presentes:
  • 26. Colocar apelidos Ofender Zoar Gozar Encarnar Sacanear Humilhar Fazer sofrer Discriminar Excluir
  • 27. Isolar Ignorar Intimidar Perseguir Assediar Aterrorizar Amedrontar Tiranizar Dominar
  • 28. Agredir Bater Chutar Empurrar Ferir Roubar Quebrar pertences
  • 29. Seja qual for a atuação de cada aluno, algumas características podem ser destacadas, como relacionadas aos papéis que venham a representar:
  • 30.
  • 31. Alvos/autoresde Bullying - são os alunos que ora sofrem, ora praticam Bullying;
  • 32. Autores de Bullying - são os alunos que só praticam Bullying;- Testemunhas de Bullying - são os alunos que não sofrem, nem praticam Bullying, mas convivem em um ambiente onde isso ocorre.