SlideShare uma empresa Scribd logo
Avaliação de genótipos de cenoura na região de cerrado pré-Amazônico.
José O. M. Carvalho1
; Marley M. Utumi1
;Jairo V. Vieira2
; Lais M. L. Lima3
; Marília Locatelli1
1
Embrapa Rondônia, c. postal 406 – Porto Velho/RO, 78900-970 – orestes@cpafro.embrapa.br; 2
Embrapa
Hortaliças, c. postal 218, Brasília/DF, 70359-970 – jairo@cnph.embrapa.br; 3
Faculdade São Lucas – Porto
Velho/RO – laismary@saolucas.edu.br
RESUMO
O objetivo deste ensaio foi avaliar a incidência de queima-das-folhas e a qualidade das raízes de genótipos
de cenoura em cultivo na região de cerrado pré-Amazônico, durante o período do ano com as maiores
precipitações pluviométricas. O ensaio foi conduzido no Campo Experimental da Embrapa Rondônia no
município de Vilhena/RO. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, com 11 tratamentos
(genótipos: Brazlândia, Alvorada, Carandaí, Brasília Bionatur, Brasília Hortec, Brasília selecionada Agroflora,
Brasília Agroceres, Brasília Asgrow, Brasília Isla, Brasília RL Agroflora e a população Embrapa Hortaliças
0312310) em 4 repetições. As variáveis analisadas foram: produção total de raízes, produção de raízes
comerciais, porcentagem de raízes não-comerciais, peso médio de raiz, porcentagem de plantas florescidas
precocemente e nível de queima das folhas. Houve baixa incidência de queima-das-folhas para todos os
genótipos e a cultivar Alvorada foi a que produziu a maior quantidade de raízes comerciais.
Palavras-chave: Daucus carota, produtividade, queima-das-folhas, cerrado
ABSTRACT
Carrot genotypes evaluation in the pre-amazon savanna region
The goal of this research was to evaluate the leaf blight incidence and the carrot genotypes roots quality in
cultivation in the pre-amazon savanna region, during year's period with the biggest rain incidence. This research
was conducted in the Experimental Station of Embrapa Rondônia located in Vilhena, Northwest of Brazil. The
experimental design used was the complete randomised blocks, with 11 treatments (genotypes: Brazlândia,
Alvorada, Carandaí, Brasília Bionatur, Brasília Hortec, Brasília selected Agroflora, Brasília Agroceres, Brasília
Asgrow, Brasília Isla, Brasília RL Agroflora and the Embrapa Vegetables population 0312310) in 4 repetitions.
The analysed variables were: total root production, commercial root production, non-commercial roots
percentage, commercial roots average weight, precocious flourished plants percentage and leaf blight level.
There was low leaf blight incidence for all the genotypes and Alvorada genotype was the one that produced the
biggest commercial roots quantity.
Key words: Daucus carota, yield, leaf blight, savanna
A cenoura (Daucus carota L.) é um alimento rico, principalmente em cálcio e beta-caroteno, que no
organismo humano é transformado em vitamina A. Além do consumo in natura, pode ser utilizada como matéria
prima por indústrias processadoras de alimentos.
O principal fator para o produtor de cenoura obter sucesso é a escolha da variedade adequada. Esta deve
atender as exigências do mercado quanto a qualidade das raízes, apresentar baixa incidência de florescimento
precoce, que causa endurecimento dos tecidos e sabor amargo nas raízes e resistência as principais doenças
(Vieira et al., 1997). O mercado brasileiro prefere raízes cilíndricas, lisas, sem a presença de raízes adjacentes,
bem desenvolvidas, com diâmetro de 3,5 cm e comprimento entre 15 e 20 cm, coloração alaranjado intensa e
sem ombro verde.
A queima-das-folhas é a doença que mais afeta a produção de cenoura no verão brasileiro (Carvalho,
2004). Ela é causada pelos patógenos Alternaria dauci, Cercospora carotae e Xanthomonas campestris pv.
Carotae, isolados ou presentes na mesma lesão (Reifschneider, 1980). Em Rondônia este problema pode ser
agravado no período que vai de outubro a abril, quando as médias de precipitação mensal são mais elevadas
(Tabela 1) e adicionalmente as temperaturas mantêm-se bastante altas, favorecendo o desenvolvimento de
doenças em geral. Além deste fator, as temperaturas elevadas podem afetar o desenvolvimento das raízes.
O objetivo deste ensaio foi avaliar a incidência de queima-das-folhas e a qualidade das raízes de genótipos de
cenoura em cultivo na região de cerrado pré-Amazônico, durante o período do ano com as maiores
precipitações pluviométricas.
MATERIAL E MÉTODOS
O ensaio foi conduzido no Campo Experimental da Embrapa Rondônia no município de Vilhena, região
de cerrado pré-Amazônico, localizado no sul do estado de Rondônia, a 12°46’12’’ S e 60°05’39’’ W, a 612 m de
altitude em relação ao nível do mar e distante 724 Km da capital Porto Velho. O solo da área experimental é um
Latossolo Vermelho-amarelo (Lva) de textura argilosa. Segundo a classificação de Köpen, o clima da região é
do tipo Aw (Bastos & Diniz, 1982). A precipitação média anual de Vilhena é de 2068 mm, sendo a estação
chuvosa de outrubro a abril, com média de precipitação mensal de 263 mm (Tabela 1). A temperatura média
máxima anual é de 29°C e a mínima média de 19,3°C (Ramalho et al., 2004).
O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, com 11 tratamentos (genótipos:
Brazlândia, Alvorada, Carandaí, Brasília Bionatur, Brasília Hortec, Brasília selecionada Agroflora, Brasília
Agroceres, Brasília Asgrow, Brasília Isla, Brasília RL Agroflora e a população Embrapa Hortaliças 0312310) em
4 repetições. Cada parcela foi composta por 10 linhas transversais espaçadas em 20 cm, em canteiros com 1,0
m de largura, sendo então a área útil de 2,0 m2
por parcela. O espaçamento entre canteiros foi de 40,0 cm,
totalizando 2,8 m2
de área total por parcela.
A adubação de plantio consistiu em 1 kg de esterco de galinha poedeira/m2
+ 81 kg N/ha + 898 kg
P2O5/ha + 610 kg K2O/ha + 375 kg FTE BR12/ha. As adubações de cobertura foram feitas com 50 Kg N/ha e 50
Kg K/ha aos 30 e aos 60 dias após a semeadura. Por um erro na operacionalização das recomendações, a
adubação de plantio correspondeu ao dobro da recomendada (Vieira et al., 1997) com base em análise de solo.
A semeadura ocorreu em 05.10.2004. O desbaste foi realizado aos 33 dias após a semeadura,
ajustando o espaçamento para 5 cm entre plantas. Uma única aplicação de inseticida foi realizada aos 20 dias
após a semeadura utilizando-se Triazophos (0,01 ppm) para controle de lagartas. A colheita foi realizada em
17/01/2005, aos 104 dias após a semeadura, quando as folhas mais novas apresentavam arqueamento para
baixo, característica típica do ponto de colheita da cenoura (Vieira et al., 1997).
As variáveis analisadas foram: produção total de raízes (PTR); produção de raízes comerciais (PRC) –
sem defeitos (Vieira et al., 1997); porcentagem de raízes refugadas (%RR, em relação a produção total) –
deformadas, florescidas, quebradas, rachadas, ramificadas, com galhas e com ombros verdes ou roxos; peso
médio de raiz (PMR); porcentagem de plantas florescidas (%PF, em relação ao estande) e; nível de queima das
folhas (ND). A avaliação da queima das folhas foi realizada aos 104 dias após a semeadura. Foi adotada a
escala subjetiva adaptada de Aguillar et al. (1986), onde 1 = folhagem totalmente destruída; 2 = folhas inferiores
mortas, muitas lesões nas folhas superiores; 3 = muitas lesões as folhas inferiores, poucas lesões nas folhas
superiores; 4 = poucas lesões nas folhas inferiores, folhas superiores sadias e 5 = folhagem totalmente sadia
(Carvalho, 2004).
PTR, PRC, %RR e %PF foram corrigidas para o estande médio do experimento, que foi de 94 plantas
por parcela, de acordo com a metodologia proposta por Vencovsky e Cruz (1991), em que Zij=Yij*((H-a*(H-Xij))/
Xij), onde Zij é o valor corrigido, Yij é o valor inicial, H é o estande ideal, Xij é o estande observado e a é um fator
de correção dado por a=b/Ym, onde b é o coeficiente de regressão residual da variável Yij, corrigida por regra de
três, em função do número de falhas na parcela e Ym é soma(Yij)/soma(Xij). Para aplicação da análise de
variância (teste F, ao nível de 5% ou 10% de probalidade) e teste de comparação entre médias (teste de Tukey,
ao nível de 5% ou 10% de probabilidade), os dados em porcentagem foram transformados para arco seno da
raiz de x/100 e a variável ND para log (x) (Gomes & Garcia, 2002; Gomes, 2004).
RESULTADOS E DISCUSSÃO
A análise de variância mostrou haver diferenças estatisticamente significativas entre as médias dos
genótipos para PCR, %RR, %PF e ND, ao nível de 5%, 15%, 5% e 10% de probabilidade, respectivamente.
Para PCR, houve diferença somente entre os genótipos Alvorada (17,62 kg/ha) e Embrapa 0312310 (9,00
kg/ha), sendo os demais iguais entre si. Em Brazlândia, Carvalho (2004) obteve para a cultivar Alvorada
produção comercial de 30,6 t/ha, porém, este resultado não se repetiu no campo experimental da Embrapa
Hortaliças, onde a produtividade desta variedade foi de 4,8 t/ha. Isto demonstra a existência de grande
influência do ambiente sobre a produtividade da cenoura. Desta forma, considerando-se que a área utilizada
para este ensaio estava sendo cultivada com a dobradinha milho/soja há alguns anos, pode-se considerar que
a produtividade obtida neste ensaio foi bastante satisfatória. Sendo possível, provavelmente, que com a
melhoria do solo, a produtividade alcance os mesmos patamares das regiões tradicionais de cultivo no Brasil.
Já para %RR, houve diferença somente entre Embrapa 0312310 (75,21%) e Brasília Agroceres (46,26%),
sendo as demais iguais entre si. Ao mesmo tempo, para %PF, houve diferença somente entre o genótipo
Carandaí (0,19%), por um lado, e os genótipos Brasília Bionatur (6,77%), Brasília Hortec (6,70%), Brazlândia
(6,67%) e Brasília Isla (5,50%), por outro. Enquanto que, para ND, o menor nível de doença foi atribuído ao
genótipo Carandaí (4,33), sendo esta nota igual a dos demais genótipos, exceto a da variedade Brazlândia
(3,03). Carvalho (2004) obteve, ao avaliar o nível de doença aos 70 dias após a semeadura, notas médias de
3,51 e 4,04, para os sistemas convencional e orgânico, respectivamente, sendo que para a cultivar Carandaí no
sistema convencional, a nota atribuída foi 3,5 e para a cultivar Brazlândia foi 3,6. Desta forma, como não se
utilizou fungicida neste ensaio, pode-se considerar que a incidência da queima-das-folhas foi muito baixa, já
que a avaliação foi realizada aos 104 dias após a semeadura.
LITERATURA CITADA
AGUILLAR, J.A.E.; REIFSCHNEIDER, F.J.B.; PESSOA, H.B.S.V. Época de aplicação de fungicidas para o
controle de queima-das-folhas de cenoura. Horticultura Brasileira, v.4, n.11, p.41, maio 1996.
BASTOS, T.X.; DINIZ, T.D.A. Avaliação do clima do estado de Rondônia para desenvolvimento agrícola. Belém:
Embrapa – Centro de pesquisa do trópico úmido, 1982. 27p. (Boletim de Pesquisa, n°44).
CARVALHO, A.M. Produtividade, qualidade e análise sensorial de genótipos de cenoura cultivados em sistema
orgânico e convencional, no distrito federal. 2004. 147p. (Dissertação mestrado) – UNB, FAMV, Brasília.
GOMES, F.P. A estatística é como o biquíni. Informações Agronômicas, n° 108, p.9, dezembro 2004.
GOMES, F.P.; GARCIA, C.H. Estatística aplicada a experimentos agronômicos e florestais: exposição com
exemplos e orientações para uso de aplicativos. Piracicaba: FEALQ, 2002. 309p.
RAMALHO, A.R.; GODINHO, V.P.; UTUMI, M.M.; JESUS, J.; Condicionantes agroclimáticas para a ricinocultura
no sul de rondônia. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE MAMONA, 1., 2004, Campina Grande. CD-Rom.
Campina Grande: Embrapa Algodão, 2004.
VENCOVSKY, R.; CRUZ, C.D. Comparação de métodos de correção do rendimento de parcelas com estandes
variados – 1. Dados simulados. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.26, n.5, p. 647-657, maio 1991.
VIEIRA, J.V.; PESSOA, H.B.S.V.; MAKISHIMA, N. Cultivo da cenoura (Daucus carota L.). Brasília: Embrapa
Hortaliças, 1997. 20p. (Instruções Técnicas, n. 13).
TABELAS
Tabela 1. Precipitação mensal (P), temperatura máxima média (T máx), temperatura mínima média (T min),
Umidade relativa (UR) e duração média do brilho solar mensal (SOL) no cerrado de Vilhena, RO.
Mês P (mm) T máx
°C
T mín °
C
UR % SOL
(horas)
Mês P (mm) T máx
°C
T mín °
C
UR
%
SOL
(horas)
Jan 295 27,5 20,1 83,8 5271 Jul 9 30,2 16,5 60,4 2976
Fev 310 27,3 20,1 84,9 4831 Ago 31 31,4 18,2 60,1 3980
Mar 300 28,1 20,2 82,4 4791 Set 93 30,2 19,7 66,1 5131
Abr 216 28,9 19,6 79,4 3248 Out 188 29,9 20,2 73,8 4726
Mai 78 28,7 18,8 75,2 2366 Nov 207 28,4 20,3 78,4 4926
Jun 14 29,0 17,8 69,3 3089 Dez 326 27,9 20,4 82,6 5653
Média - - - - - - - 29,0 19,3 74,7 4249
Total - - - - - - 2068 - - - 50988
Fonte: Ramalho et al., 2004.
Tabela 2. Produção de raízes comerciais (PCR), porcentagem de raízes não comerciais (%RR), produção total
de raízes (PTR), peso médio de raízes comerciais (PMRC), porcentagem de plantas florescidas (%PF) e nível
de doença (ND) de genótipos de cenoura no cerrado rondoniense. Vilhena, Embrapa Rondônia, 2005.
Genótipos PCR (t/ha) %RR PTR (t/ha) PMRC (g) %PF ND
Brazlândia 13,69 ab*1
50,01 ab2
35,06 95,02 6,67 a1
3,03 b2
Alvorada 17,62 a 60,49 ab 44,32 122,75 2,62 ab 3,87 ab
Carandaí 12,08 ab 66,21 ab 37,08 98,00 0,19 b 4,33 a
Brasília Bionatur 15,06 ab 55,76 ab 34,70 88,76 6,77 a 3,87 ab
Brasília Hortec 13,67 ab 65,72 ab 43,03 105,20 6,70 a 3,50 ab
Brasília Agroflora 15,21 ab 58,35 ab 37,17 98,27 1,58 ab 3,83 ab
Brasília Agroceres 17,75 a 46,26 b 33,86 89,80 1,05 ab 4,11 ab
Brasília Asgrow 14,52 ab 64,11 ab 41,32 103,05 4,27 ab 3,72 ab
Brasília Isla 17,05 ab 53,71 ab 38,40 101,70 5,50 a 4,12 ab
Brasília RL Agroflora 15,23 ab 57,79 ab 36,07 101,32 4,52 ab 4,24 ab
Embrapa 0312310 9,00 b 75,21 a 36,29 88,52 1,25 ab 4,24 ab
Média 14,62 60,01 37,94 99,31 4,07 3,93
CV% 23,42 14,03 21,21 16,87 39,64 11,42
* Médias seguidas de letras minúsculas diferentes nas colunas indicam existência de diferença estatisticamente significativa
pelo teste de Tukey ao nível de: 1 – 5% de probabilidade e 2 – 10 % de probabilidade.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

832 3044-1-pb
832 3044-1-pb832 3044-1-pb
832 3044-1-pb
Bruno Rodrigues
 
2581 8935-1-pb
2581 8935-1-pb2581 8935-1-pb
2581 8935-1-pb
Igor Bulhões
 
Mudas da fruta do sabiá (Acnistus arborescens) por estaquia
Mudas da fruta do sabiá (Acnistus arborescens) por estaquiaMudas da fruta do sabiá (Acnistus arborescens) por estaquia
Mudas da fruta do sabiá (Acnistus arborescens) por estaquia
Laerte Pedro
 
Avaliação e Seleção de Progênies de Cupuaçuzeiro em Belém, Pará
Avaliação e Seleção de Progênies de Cupuaçuzeiro em Belém, ParáAvaliação e Seleção de Progênies de Cupuaçuzeiro em Belém, Pará
Avaliação e Seleção de Progênies de Cupuaçuzeiro em Belém, Pará
Thiago Pinheiro
 
35166
3516635166
Artigo bioterra v16_n2_08
Artigo bioterra v16_n2_08Artigo bioterra v16_n2_08
Artigo bioterra v16_n2_08
Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
Artigo bioterra v16_n2_05
Artigo bioterra v16_n2_05Artigo bioterra v16_n2_05
Artigo bioterra v16_n2_05
Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
Utilização de substratos orgânicos na produção de pimentão, sob
Utilização de substratos orgânicos na produção de pimentão, sobUtilização de substratos orgânicos na produção de pimentão, sob
Utilização de substratos orgânicos na produção de pimentão, sob
Jose Carvalho
 
11628 37607-1-pb
11628 37607-1-pb11628 37607-1-pb
11628 37607-1-pb
Bruno Rodrigues
 
Manicoba
ManicobaManicoba
Manicoba
Bruno Rodrigues
 
V57 n001p10208
V57 n001p10208V57 n001p10208
V57 n001p10208
Adriana Maria Meneghetti
 
Manejo e-praticas-culturais-e-fitossanitario-em-gravioleira-no-cerrado
Manejo e-praticas-culturais-e-fitossanitario-em-gravioleira-no-cerradoManejo e-praticas-culturais-e-fitossanitario-em-gravioleira-no-cerrado
Manejo e-praticas-culturais-e-fitossanitario-em-gravioleira-no-cerrado
daviagr
 
Fertilizantes e substratos na produção de mudas de oliveira
Fertilizantes e substratos na produção de mudas de oliveiraFertilizantes e substratos na produção de mudas de oliveira
Fertilizantes e substratos na produção de mudas de oliveira
Agricultura Sao Paulo
 
4902 55754-1-pb
4902 55754-1-pb4902 55754-1-pb
4902 55754-1-pb
UNINOVE
 
Avaliação de caracteristicas fisiológicas em progênies de macaúba com vistas ...
Avaliação de caracteristicas fisiológicas em progênies de macaúba com vistas ...Avaliação de caracteristicas fisiológicas em progênies de macaúba com vistas ...
Avaliação de caracteristicas fisiológicas em progênies de macaúba com vistas ...
AcessoMacauba
 
EMERGÊNCIA E CRESCIMENTO DE PLÂNTULA DE GOIABEIRA SOB DIFERENTES SUBSTRATOS E...
EMERGÊNCIA E CRESCIMENTO DE PLÂNTULA DE GOIABEIRA SOB DIFERENTES SUBSTRATOS E...EMERGÊNCIA E CRESCIMENTO DE PLÂNTULA DE GOIABEIRA SOB DIFERENTES SUBSTRATOS E...
EMERGÊNCIA E CRESCIMENTO DE PLÂNTULA DE GOIABEIRA SOB DIFERENTES SUBSTRATOS E...
Ana Aguiar
 
Dialnet alocacaodebiomassaemplantasdebambuemrespostaaaduba-2902567
Dialnet alocacaodebiomassaemplantasdebambuemrespostaaaduba-2902567Dialnet alocacaodebiomassaemplantasdebambuemrespostaaaduba-2902567
Dialnet alocacaodebiomassaemplantasdebambuemrespostaaaduba-2902567
Eduardo Marques
 
Correlação fenotípica entre descritores agronômicos da macaúba acrocomia acul...
Correlação fenotípica entre descritores agronômicos da macaúba acrocomia acul...Correlação fenotípica entre descritores agronômicos da macaúba acrocomia acul...
Correlação fenotípica entre descritores agronômicos da macaúba acrocomia acul...
AcessoMacauba
 
Artigo bioterra v22_n1_02
Artigo bioterra v22_n1_02Artigo bioterra v22_n1_02
Artigo bioterra v22_n1_02
Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
Adubação nitrogenada suplementar tardia em soja
Adubação nitrogenada suplementar tardia em sojaAdubação nitrogenada suplementar tardia em soja
Adubação nitrogenada suplementar tardia em soja
Maurício Sangiogo
 

Mais procurados (20)

832 3044-1-pb
832 3044-1-pb832 3044-1-pb
832 3044-1-pb
 
2581 8935-1-pb
2581 8935-1-pb2581 8935-1-pb
2581 8935-1-pb
 
Mudas da fruta do sabiá (Acnistus arborescens) por estaquia
Mudas da fruta do sabiá (Acnistus arborescens) por estaquiaMudas da fruta do sabiá (Acnistus arborescens) por estaquia
Mudas da fruta do sabiá (Acnistus arborescens) por estaquia
 
Avaliação e Seleção de Progênies de Cupuaçuzeiro em Belém, Pará
Avaliação e Seleção de Progênies de Cupuaçuzeiro em Belém, ParáAvaliação e Seleção de Progênies de Cupuaçuzeiro em Belém, Pará
Avaliação e Seleção de Progênies de Cupuaçuzeiro em Belém, Pará
 
35166
3516635166
35166
 
Artigo bioterra v16_n2_08
Artigo bioterra v16_n2_08Artigo bioterra v16_n2_08
Artigo bioterra v16_n2_08
 
Artigo bioterra v16_n2_05
Artigo bioterra v16_n2_05Artigo bioterra v16_n2_05
Artigo bioterra v16_n2_05
 
Utilização de substratos orgânicos na produção de pimentão, sob
Utilização de substratos orgânicos na produção de pimentão, sobUtilização de substratos orgânicos na produção de pimentão, sob
Utilização de substratos orgânicos na produção de pimentão, sob
 
11628 37607-1-pb
11628 37607-1-pb11628 37607-1-pb
11628 37607-1-pb
 
Manicoba
ManicobaManicoba
Manicoba
 
V57 n001p10208
V57 n001p10208V57 n001p10208
V57 n001p10208
 
Manejo e-praticas-culturais-e-fitossanitario-em-gravioleira-no-cerrado
Manejo e-praticas-culturais-e-fitossanitario-em-gravioleira-no-cerradoManejo e-praticas-culturais-e-fitossanitario-em-gravioleira-no-cerrado
Manejo e-praticas-culturais-e-fitossanitario-em-gravioleira-no-cerrado
 
Fertilizantes e substratos na produção de mudas de oliveira
Fertilizantes e substratos na produção de mudas de oliveiraFertilizantes e substratos na produção de mudas de oliveira
Fertilizantes e substratos na produção de mudas de oliveira
 
4902 55754-1-pb
4902 55754-1-pb4902 55754-1-pb
4902 55754-1-pb
 
Avaliação de caracteristicas fisiológicas em progênies de macaúba com vistas ...
Avaliação de caracteristicas fisiológicas em progênies de macaúba com vistas ...Avaliação de caracteristicas fisiológicas em progênies de macaúba com vistas ...
Avaliação de caracteristicas fisiológicas em progênies de macaúba com vistas ...
 
EMERGÊNCIA E CRESCIMENTO DE PLÂNTULA DE GOIABEIRA SOB DIFERENTES SUBSTRATOS E...
EMERGÊNCIA E CRESCIMENTO DE PLÂNTULA DE GOIABEIRA SOB DIFERENTES SUBSTRATOS E...EMERGÊNCIA E CRESCIMENTO DE PLÂNTULA DE GOIABEIRA SOB DIFERENTES SUBSTRATOS E...
EMERGÊNCIA E CRESCIMENTO DE PLÂNTULA DE GOIABEIRA SOB DIFERENTES SUBSTRATOS E...
 
Dialnet alocacaodebiomassaemplantasdebambuemrespostaaaduba-2902567
Dialnet alocacaodebiomassaemplantasdebambuemrespostaaaduba-2902567Dialnet alocacaodebiomassaemplantasdebambuemrespostaaaduba-2902567
Dialnet alocacaodebiomassaemplantasdebambuemrespostaaaduba-2902567
 
Correlação fenotípica entre descritores agronômicos da macaúba acrocomia acul...
Correlação fenotípica entre descritores agronômicos da macaúba acrocomia acul...Correlação fenotípica entre descritores agronômicos da macaúba acrocomia acul...
Correlação fenotípica entre descritores agronômicos da macaúba acrocomia acul...
 
Artigo bioterra v22_n1_02
Artigo bioterra v22_n1_02Artigo bioterra v22_n1_02
Artigo bioterra v22_n1_02
 
Adubação nitrogenada suplementar tardia em soja
Adubação nitrogenada suplementar tardia em sojaAdubação nitrogenada suplementar tardia em soja
Adubação nitrogenada suplementar tardia em soja
 

Destaque

Seleção de famílias de tomateiro para processamento nos sistemas pivô central...
Seleção de famílias de tomateiro para processamento nos sistemas pivô central...Seleção de famílias de tomateiro para processamento nos sistemas pivô central...
Seleção de famílias de tomateiro para processamento nos sistemas pivô central...
Jose Carvalho
 
Produção de minicenouras não processadas em função de diferentes
Produção de minicenouras não processadas em função de diferentesProdução de minicenouras não processadas em função de diferentes
Produção de minicenouras não processadas em função de diferentes
Jose Carvalho
 
Produtividade de clones de mandioca no município de machadinho d'oeste
Produtividade de clones de mandioca no município de machadinho d'oesteProdutividade de clones de mandioca no município de machadinho d'oeste
Produtividade de clones de mandioca no município de machadinho d'oeste
Jose Carvalho
 
O cultivo protegido de hortaliças em uberlândia-MG
O cultivo protegido de hortaliças em uberlândia-MGO cultivo protegido de hortaliças em uberlândia-MG
O cultivo protegido de hortaliças em uberlândia-MG
Jose Carvalho
 
Teor de macronutrientes em plantas utilizadas como adubos verdes
Teor de macronutrientes em plantas utilizadas como adubos verdesTeor de macronutrientes em plantas utilizadas como adubos verdes
Teor de macronutrientes em plantas utilizadas como adubos verdes
Jose Carvalho
 
Efeito da adubação verde sobre o crescimento de kalanchoe pinnata (LAM.) PERS.
Efeito da adubação verde sobre o crescimento de kalanchoe pinnata (LAM.) PERS.Efeito da adubação verde sobre o crescimento de kalanchoe pinnata (LAM.) PERS.
Efeito da adubação verde sobre o crescimento de kalanchoe pinnata (LAM.) PERS.
Jose Carvalho
 
Capacitação para intervenção e gestão de recursos naturais em comunidades rur...
Capacitação para intervenção e gestão de recursos naturais em comunidades rur...Capacitação para intervenção e gestão de recursos naturais em comunidades rur...
Capacitação para intervenção e gestão de recursos naturais em comunidades rur...
Jose Carvalho
 
Produçao de mudas de café em função de diferentes lâminas de irrigação e dose...
Produçao de mudas de café em função de diferentes lâminas de irrigação e dose...Produçao de mudas de café em função de diferentes lâminas de irrigação e dose...
Produçao de mudas de café em função de diferentes lâminas de irrigação e dose...
Jose Carvalho
 
Parâmetros genéticos para germinação de sementes e produção de raízes de ceno...
Parâmetros genéticos para germinação de sementes e produção de raízes de ceno...Parâmetros genéticos para germinação de sementes e produção de raízes de ceno...
Parâmetros genéticos para germinação de sementes e produção de raízes de ceno...
Jose Carvalho
 
Base.de datos
Base.de datosBase.de datos
Vazquez Residence Quick View
Vazquez Residence Quick ViewVazquez Residence Quick View
Vazquez Residence Quick View
Xochitl Lopez
 
Movilidad laboral en la UE: una verdad incómoda
Movilidad laboral en la UE: una verdad incómodaMovilidad laboral en la UE: una verdad incómoda
Movilidad laboral en la UE: una verdad incómoda
Ofizios
 
Tutorial, COMO LLEGA EL CAFÉ A TUS MANOS
 Tutorial, COMO LLEGA EL CAFÉ A TUS MANOS Tutorial, COMO LLEGA EL CAFÉ A TUS MANOS
Tutorial, COMO LLEGA EL CAFÉ A TUS MANOS
elmeruvg
 
respiración celular
respiración celularrespiración celular
respiración celular
Aldo Alejandro Hernandez Garza
 
Estadosdelamateria
EstadosdelamateriaEstadosdelamateria
Estadosdelamateria
Aldo Alejandro Hernandez Garza
 
Recursos y tratamientos en drogodependencias
Recursos y tratamientos en drogodependenciasRecursos y tratamientos en drogodependencias
Recursos y tratamientos en drogodependencias
Asociación Proyecto Hogar
 
Cosas a tener en cuenta en adicciones
Cosas a tener en cuenta en adiccionesCosas a tener en cuenta en adicciones
Cosas a tener en cuenta en adicciones
Asociación Proyecto Hogar
 
Un acercamiento al trabajo de los profesionales que
Un acercamiento al trabajo de los profesionales queUn acercamiento al trabajo de los profesionales que
Un acercamiento al trabajo de los profesionales que
Asociación Proyecto Hogar
 
Sustancias
SustanciasSustancias

Destaque (20)

Seleção de famílias de tomateiro para processamento nos sistemas pivô central...
Seleção de famílias de tomateiro para processamento nos sistemas pivô central...Seleção de famílias de tomateiro para processamento nos sistemas pivô central...
Seleção de famílias de tomateiro para processamento nos sistemas pivô central...
 
Produção de minicenouras não processadas em função de diferentes
Produção de minicenouras não processadas em função de diferentesProdução de minicenouras não processadas em função de diferentes
Produção de minicenouras não processadas em função de diferentes
 
Produtividade de clones de mandioca no município de machadinho d'oeste
Produtividade de clones de mandioca no município de machadinho d'oesteProdutividade de clones de mandioca no município de machadinho d'oeste
Produtividade de clones de mandioca no município de machadinho d'oeste
 
O cultivo protegido de hortaliças em uberlândia-MG
O cultivo protegido de hortaliças em uberlândia-MGO cultivo protegido de hortaliças em uberlândia-MG
O cultivo protegido de hortaliças em uberlândia-MG
 
Teor de macronutrientes em plantas utilizadas como adubos verdes
Teor de macronutrientes em plantas utilizadas como adubos verdesTeor de macronutrientes em plantas utilizadas como adubos verdes
Teor de macronutrientes em plantas utilizadas como adubos verdes
 
Efeito da adubação verde sobre o crescimento de kalanchoe pinnata (LAM.) PERS.
Efeito da adubação verde sobre o crescimento de kalanchoe pinnata (LAM.) PERS.Efeito da adubação verde sobre o crescimento de kalanchoe pinnata (LAM.) PERS.
Efeito da adubação verde sobre o crescimento de kalanchoe pinnata (LAM.) PERS.
 
Capacitação para intervenção e gestão de recursos naturais em comunidades rur...
Capacitação para intervenção e gestão de recursos naturais em comunidades rur...Capacitação para intervenção e gestão de recursos naturais em comunidades rur...
Capacitação para intervenção e gestão de recursos naturais em comunidades rur...
 
Produçao de mudas de café em função de diferentes lâminas de irrigação e dose...
Produçao de mudas de café em função de diferentes lâminas de irrigação e dose...Produçao de mudas de café em função de diferentes lâminas de irrigação e dose...
Produçao de mudas de café em função de diferentes lâminas de irrigação e dose...
 
Parâmetros genéticos para germinação de sementes e produção de raízes de ceno...
Parâmetros genéticos para germinação de sementes e produção de raízes de ceno...Parâmetros genéticos para germinação de sementes e produção de raízes de ceno...
Parâmetros genéticos para germinação de sementes e produção de raízes de ceno...
 
Base.de datos
Base.de datosBase.de datos
Base.de datos
 
4 - Canciones
4 - Canciones4 - Canciones
4 - Canciones
 
Vazquez Residence Quick View
Vazquez Residence Quick ViewVazquez Residence Quick View
Vazquez Residence Quick View
 
Movilidad laboral en la UE: una verdad incómoda
Movilidad laboral en la UE: una verdad incómodaMovilidad laboral en la UE: una verdad incómoda
Movilidad laboral en la UE: una verdad incómoda
 
Tutorial, COMO LLEGA EL CAFÉ A TUS MANOS
 Tutorial, COMO LLEGA EL CAFÉ A TUS MANOS Tutorial, COMO LLEGA EL CAFÉ A TUS MANOS
Tutorial, COMO LLEGA EL CAFÉ A TUS MANOS
 
respiración celular
respiración celularrespiración celular
respiración celular
 
Estadosdelamateria
EstadosdelamateriaEstadosdelamateria
Estadosdelamateria
 
Recursos y tratamientos en drogodependencias
Recursos y tratamientos en drogodependenciasRecursos y tratamientos en drogodependencias
Recursos y tratamientos en drogodependencias
 
Cosas a tener en cuenta en adicciones
Cosas a tener en cuenta en adiccionesCosas a tener en cuenta en adicciones
Cosas a tener en cuenta en adicciones
 
Un acercamiento al trabajo de los profesionales que
Un acercamiento al trabajo de los profesionales queUn acercamiento al trabajo de los profesionales que
Un acercamiento al trabajo de los profesionales que
 
Sustancias
SustanciasSustancias
Sustancias
 

Semelhante a Avaliaçao de genotipos de cenoura na regiao de cerrado pre amazonico

Capim limão orgânico
Capim limão orgânicoCapim limão orgânico
Capim limão orgânico
Fabio Morais
 
COMPLEXO DE ANTAGONISTAS E FERTILIZANTES FOLIARES NO MANEJO DE TRIPES EM CEBOLA
COMPLEXO DE ANTAGONISTAS E FERTILIZANTES FOLIARES NO MANEJO DE TRIPES EM CEBOLACOMPLEXO DE ANTAGONISTAS E FERTILIZANTES FOLIARES NO MANEJO DE TRIPES EM CEBOLA
COMPLEXO DE ANTAGONISTAS E FERTILIZANTES FOLIARES NO MANEJO DE TRIPES EM CEBOLA
Paulo Antonio de Souza Gonçalves
 
Potenciais produtivo e genético de clones de batata doce
Potenciais produtivo e genético de clones de batata docePotenciais produtivo e genético de clones de batata doce
Potenciais produtivo e genético de clones de batata doce
BIOMIX
 
905-3074-1-PB
905-3074-1-PB905-3074-1-PB
905-3074-1-PB
Gabriela Sotelo Castan
 
1234 5109-1-pb (1)
1234 5109-1-pb (1)1234 5109-1-pb (1)
1234 5109-1-pb (1)
Lucas Ferreira
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
Características de crescimento capim braquiarao
Características de crescimento capim braquiaraoCaracterísticas de crescimento capim braquiarao
Características de crescimento capim braquiarao
Holosgreen - Soluções para Agronegócios
 
Compatibilidade do tratamento de sementes de feijão‑caupi
Compatibilidade do tratamento de sementes de feijão‑caupiCompatibilidade do tratamento de sementes de feijão‑caupi
Compatibilidade do tratamento de sementes de feijão‑caupi
nayara moraes
 
Artigo bioterra v1_n1_2019_08
Artigo bioterra v1_n1_2019_08Artigo bioterra v1_n1_2019_08
Artigo bioterra v1_n1_2019_08
Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
INTERAÇÃO ADUBAÇÃO NITROGENADA E AZOSPIRILUM
INTERAÇÃO ADUBAÇÃO NITROGENADA E AZOSPIRILUMINTERAÇÃO ADUBAÇÃO NITROGENADA E AZOSPIRILUM
INTERAÇÃO ADUBAÇÃO NITROGENADA E AZOSPIRILUM
Vinicius Marca
 
Experimento soja
Experimento sojaExperimento soja
Experimento soja
Rogger Wins
 
4987 27155-1-pb
4987 27155-1-pb4987 27155-1-pb
4987 27155-1-pb
arturbonilha mendes
 
Fontes e doses de nitrogênio e fósforo
Fontes e doses de nitrogênio e fósforoFontes e doses de nitrogênio e fósforo
Fontes e doses de nitrogênio e fósforo
arturbonilha mendes
 
Fontes e doses de nitrogênio e fósforo
Fontes e doses de nitrogênio e fósforoFontes e doses de nitrogênio e fósforo
Fontes e doses de nitrogênio e fósforo
Walter Artur Artur Mendes
 
DIFERENTES SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃO
DIFERENTES SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃODIFERENTES SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃO
DIFERENTES SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃO
Ana Aguiar
 
Teor de macronutrientes e produção de biomassa de adubos verdes em rondônia
Teor de macronutrientes e produção de biomassa de adubos verdes em rondôniaTeor de macronutrientes e produção de biomassa de adubos verdes em rondônia
Teor de macronutrientes e produção de biomassa de adubos verdes em rondônia
Jose Carvalho
 
ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...
ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...
ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...
Armindo Rosa
 
Incidência de tripes em genótipos de cebola. Incidence of thrips in onion gen...
Incidência de tripes em genótipos de cebola. Incidence of thrips in onion gen...Incidência de tripes em genótipos de cebola. Incidence of thrips in onion gen...
Incidência de tripes em genótipos de cebola. Incidence of thrips in onion gen...
Paulo Antonio de Souza Gonçalves
 
4 microbiota na soja
4 microbiota na soja4 microbiota na soja
4 microbiota na soja
Geancarlo Ribeiro
 
Romano 2007 milho
Romano 2007 milhoRomano 2007 milho
Romano 2007 milho
carinapivetta
 

Semelhante a Avaliaçao de genotipos de cenoura na regiao de cerrado pre amazonico (20)

Capim limão orgânico
Capim limão orgânicoCapim limão orgânico
Capim limão orgânico
 
COMPLEXO DE ANTAGONISTAS E FERTILIZANTES FOLIARES NO MANEJO DE TRIPES EM CEBOLA
COMPLEXO DE ANTAGONISTAS E FERTILIZANTES FOLIARES NO MANEJO DE TRIPES EM CEBOLACOMPLEXO DE ANTAGONISTAS E FERTILIZANTES FOLIARES NO MANEJO DE TRIPES EM CEBOLA
COMPLEXO DE ANTAGONISTAS E FERTILIZANTES FOLIARES NO MANEJO DE TRIPES EM CEBOLA
 
Potenciais produtivo e genético de clones de batata doce
Potenciais produtivo e genético de clones de batata docePotenciais produtivo e genético de clones de batata doce
Potenciais produtivo e genético de clones de batata doce
 
905-3074-1-PB
905-3074-1-PB905-3074-1-PB
905-3074-1-PB
 
1234 5109-1-pb (1)
1234 5109-1-pb (1)1234 5109-1-pb (1)
1234 5109-1-pb (1)
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
Características de crescimento capim braquiarao
Características de crescimento capim braquiaraoCaracterísticas de crescimento capim braquiarao
Características de crescimento capim braquiarao
 
Compatibilidade do tratamento de sementes de feijão‑caupi
Compatibilidade do tratamento de sementes de feijão‑caupiCompatibilidade do tratamento de sementes de feijão‑caupi
Compatibilidade do tratamento de sementes de feijão‑caupi
 
Artigo bioterra v1_n1_2019_08
Artigo bioterra v1_n1_2019_08Artigo bioterra v1_n1_2019_08
Artigo bioterra v1_n1_2019_08
 
INTERAÇÃO ADUBAÇÃO NITROGENADA E AZOSPIRILUM
INTERAÇÃO ADUBAÇÃO NITROGENADA E AZOSPIRILUMINTERAÇÃO ADUBAÇÃO NITROGENADA E AZOSPIRILUM
INTERAÇÃO ADUBAÇÃO NITROGENADA E AZOSPIRILUM
 
Experimento soja
Experimento sojaExperimento soja
Experimento soja
 
4987 27155-1-pb
4987 27155-1-pb4987 27155-1-pb
4987 27155-1-pb
 
Fontes e doses de nitrogênio e fósforo
Fontes e doses de nitrogênio e fósforoFontes e doses de nitrogênio e fósforo
Fontes e doses de nitrogênio e fósforo
 
Fontes e doses de nitrogênio e fósforo
Fontes e doses de nitrogênio e fósforoFontes e doses de nitrogênio e fósforo
Fontes e doses de nitrogênio e fósforo
 
DIFERENTES SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃO
DIFERENTES SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃODIFERENTES SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃO
DIFERENTES SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃO
 
Teor de macronutrientes e produção de biomassa de adubos verdes em rondônia
Teor de macronutrientes e produção de biomassa de adubos verdes em rondôniaTeor de macronutrientes e produção de biomassa de adubos verdes em rondônia
Teor de macronutrientes e produção de biomassa de adubos verdes em rondônia
 
ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...
ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...
ESTUDO DA VIABILIDADE DA PODA, NA CULTURA DO PIMENTEIRO (Capsicum annuum L.),...
 
Incidência de tripes em genótipos de cebola. Incidence of thrips in onion gen...
Incidência de tripes em genótipos de cebola. Incidence of thrips in onion gen...Incidência de tripes em genótipos de cebola. Incidence of thrips in onion gen...
Incidência de tripes em genótipos de cebola. Incidence of thrips in onion gen...
 
4 microbiota na soja
4 microbiota na soja4 microbiota na soja
4 microbiota na soja
 
Romano 2007 milho
Romano 2007 milhoRomano 2007 milho
Romano 2007 milho
 

Avaliaçao de genotipos de cenoura na regiao de cerrado pre amazonico

  • 1. Avaliação de genótipos de cenoura na região de cerrado pré-Amazônico. José O. M. Carvalho1 ; Marley M. Utumi1 ;Jairo V. Vieira2 ; Lais M. L. Lima3 ; Marília Locatelli1 1 Embrapa Rondônia, c. postal 406 – Porto Velho/RO, 78900-970 – orestes@cpafro.embrapa.br; 2 Embrapa Hortaliças, c. postal 218, Brasília/DF, 70359-970 – jairo@cnph.embrapa.br; 3 Faculdade São Lucas – Porto Velho/RO – laismary@saolucas.edu.br RESUMO O objetivo deste ensaio foi avaliar a incidência de queima-das-folhas e a qualidade das raízes de genótipos de cenoura em cultivo na região de cerrado pré-Amazônico, durante o período do ano com as maiores precipitações pluviométricas. O ensaio foi conduzido no Campo Experimental da Embrapa Rondônia no município de Vilhena/RO. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, com 11 tratamentos (genótipos: Brazlândia, Alvorada, Carandaí, Brasília Bionatur, Brasília Hortec, Brasília selecionada Agroflora, Brasília Agroceres, Brasília Asgrow, Brasília Isla, Brasília RL Agroflora e a população Embrapa Hortaliças 0312310) em 4 repetições. As variáveis analisadas foram: produção total de raízes, produção de raízes comerciais, porcentagem de raízes não-comerciais, peso médio de raiz, porcentagem de plantas florescidas precocemente e nível de queima das folhas. Houve baixa incidência de queima-das-folhas para todos os genótipos e a cultivar Alvorada foi a que produziu a maior quantidade de raízes comerciais. Palavras-chave: Daucus carota, produtividade, queima-das-folhas, cerrado ABSTRACT Carrot genotypes evaluation in the pre-amazon savanna region The goal of this research was to evaluate the leaf blight incidence and the carrot genotypes roots quality in cultivation in the pre-amazon savanna region, during year's period with the biggest rain incidence. This research was conducted in the Experimental Station of Embrapa Rondônia located in Vilhena, Northwest of Brazil. The experimental design used was the complete randomised blocks, with 11 treatments (genotypes: Brazlândia, Alvorada, Carandaí, Brasília Bionatur, Brasília Hortec, Brasília selected Agroflora, Brasília Agroceres, Brasília Asgrow, Brasília Isla, Brasília RL Agroflora and the Embrapa Vegetables population 0312310) in 4 repetitions. The analysed variables were: total root production, commercial root production, non-commercial roots percentage, commercial roots average weight, precocious flourished plants percentage and leaf blight level. There was low leaf blight incidence for all the genotypes and Alvorada genotype was the one that produced the biggest commercial roots quantity. Key words: Daucus carota, yield, leaf blight, savanna A cenoura (Daucus carota L.) é um alimento rico, principalmente em cálcio e beta-caroteno, que no organismo humano é transformado em vitamina A. Além do consumo in natura, pode ser utilizada como matéria prima por indústrias processadoras de alimentos. O principal fator para o produtor de cenoura obter sucesso é a escolha da variedade adequada. Esta deve atender as exigências do mercado quanto a qualidade das raízes, apresentar baixa incidência de florescimento precoce, que causa endurecimento dos tecidos e sabor amargo nas raízes e resistência as principais doenças (Vieira et al., 1997). O mercado brasileiro prefere raízes cilíndricas, lisas, sem a presença de raízes adjacentes, bem desenvolvidas, com diâmetro de 3,5 cm e comprimento entre 15 e 20 cm, coloração alaranjado intensa e sem ombro verde. A queima-das-folhas é a doença que mais afeta a produção de cenoura no verão brasileiro (Carvalho, 2004). Ela é causada pelos patógenos Alternaria dauci, Cercospora carotae e Xanthomonas campestris pv.
  • 2. Carotae, isolados ou presentes na mesma lesão (Reifschneider, 1980). Em Rondônia este problema pode ser agravado no período que vai de outubro a abril, quando as médias de precipitação mensal são mais elevadas (Tabela 1) e adicionalmente as temperaturas mantêm-se bastante altas, favorecendo o desenvolvimento de doenças em geral. Além deste fator, as temperaturas elevadas podem afetar o desenvolvimento das raízes. O objetivo deste ensaio foi avaliar a incidência de queima-das-folhas e a qualidade das raízes de genótipos de cenoura em cultivo na região de cerrado pré-Amazônico, durante o período do ano com as maiores precipitações pluviométricas. MATERIAL E MÉTODOS O ensaio foi conduzido no Campo Experimental da Embrapa Rondônia no município de Vilhena, região de cerrado pré-Amazônico, localizado no sul do estado de Rondônia, a 12°46’12’’ S e 60°05’39’’ W, a 612 m de altitude em relação ao nível do mar e distante 724 Km da capital Porto Velho. O solo da área experimental é um Latossolo Vermelho-amarelo (Lva) de textura argilosa. Segundo a classificação de Köpen, o clima da região é do tipo Aw (Bastos & Diniz, 1982). A precipitação média anual de Vilhena é de 2068 mm, sendo a estação chuvosa de outrubro a abril, com média de precipitação mensal de 263 mm (Tabela 1). A temperatura média máxima anual é de 29°C e a mínima média de 19,3°C (Ramalho et al., 2004). O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, com 11 tratamentos (genótipos: Brazlândia, Alvorada, Carandaí, Brasília Bionatur, Brasília Hortec, Brasília selecionada Agroflora, Brasília Agroceres, Brasília Asgrow, Brasília Isla, Brasília RL Agroflora e a população Embrapa Hortaliças 0312310) em 4 repetições. Cada parcela foi composta por 10 linhas transversais espaçadas em 20 cm, em canteiros com 1,0 m de largura, sendo então a área útil de 2,0 m2 por parcela. O espaçamento entre canteiros foi de 40,0 cm, totalizando 2,8 m2 de área total por parcela. A adubação de plantio consistiu em 1 kg de esterco de galinha poedeira/m2 + 81 kg N/ha + 898 kg P2O5/ha + 610 kg K2O/ha + 375 kg FTE BR12/ha. As adubações de cobertura foram feitas com 50 Kg N/ha e 50 Kg K/ha aos 30 e aos 60 dias após a semeadura. Por um erro na operacionalização das recomendações, a adubação de plantio correspondeu ao dobro da recomendada (Vieira et al., 1997) com base em análise de solo. A semeadura ocorreu em 05.10.2004. O desbaste foi realizado aos 33 dias após a semeadura, ajustando o espaçamento para 5 cm entre plantas. Uma única aplicação de inseticida foi realizada aos 20 dias após a semeadura utilizando-se Triazophos (0,01 ppm) para controle de lagartas. A colheita foi realizada em 17/01/2005, aos 104 dias após a semeadura, quando as folhas mais novas apresentavam arqueamento para baixo, característica típica do ponto de colheita da cenoura (Vieira et al., 1997). As variáveis analisadas foram: produção total de raízes (PTR); produção de raízes comerciais (PRC) – sem defeitos (Vieira et al., 1997); porcentagem de raízes refugadas (%RR, em relação a produção total) – deformadas, florescidas, quebradas, rachadas, ramificadas, com galhas e com ombros verdes ou roxos; peso médio de raiz (PMR); porcentagem de plantas florescidas (%PF, em relação ao estande) e; nível de queima das folhas (ND). A avaliação da queima das folhas foi realizada aos 104 dias após a semeadura. Foi adotada a escala subjetiva adaptada de Aguillar et al. (1986), onde 1 = folhagem totalmente destruída; 2 = folhas inferiores mortas, muitas lesões nas folhas superiores; 3 = muitas lesões as folhas inferiores, poucas lesões nas folhas superiores; 4 = poucas lesões nas folhas inferiores, folhas superiores sadias e 5 = folhagem totalmente sadia (Carvalho, 2004). PTR, PRC, %RR e %PF foram corrigidas para o estande médio do experimento, que foi de 94 plantas por parcela, de acordo com a metodologia proposta por Vencovsky e Cruz (1991), em que Zij=Yij*((H-a*(H-Xij))/ Xij), onde Zij é o valor corrigido, Yij é o valor inicial, H é o estande ideal, Xij é o estande observado e a é um fator de correção dado por a=b/Ym, onde b é o coeficiente de regressão residual da variável Yij, corrigida por regra de
  • 3. três, em função do número de falhas na parcela e Ym é soma(Yij)/soma(Xij). Para aplicação da análise de variância (teste F, ao nível de 5% ou 10% de probalidade) e teste de comparação entre médias (teste de Tukey, ao nível de 5% ou 10% de probabilidade), os dados em porcentagem foram transformados para arco seno da raiz de x/100 e a variável ND para log (x) (Gomes & Garcia, 2002; Gomes, 2004). RESULTADOS E DISCUSSÃO A análise de variância mostrou haver diferenças estatisticamente significativas entre as médias dos genótipos para PCR, %RR, %PF e ND, ao nível de 5%, 15%, 5% e 10% de probabilidade, respectivamente. Para PCR, houve diferença somente entre os genótipos Alvorada (17,62 kg/ha) e Embrapa 0312310 (9,00 kg/ha), sendo os demais iguais entre si. Em Brazlândia, Carvalho (2004) obteve para a cultivar Alvorada produção comercial de 30,6 t/ha, porém, este resultado não se repetiu no campo experimental da Embrapa Hortaliças, onde a produtividade desta variedade foi de 4,8 t/ha. Isto demonstra a existência de grande influência do ambiente sobre a produtividade da cenoura. Desta forma, considerando-se que a área utilizada para este ensaio estava sendo cultivada com a dobradinha milho/soja há alguns anos, pode-se considerar que a produtividade obtida neste ensaio foi bastante satisfatória. Sendo possível, provavelmente, que com a melhoria do solo, a produtividade alcance os mesmos patamares das regiões tradicionais de cultivo no Brasil. Já para %RR, houve diferença somente entre Embrapa 0312310 (75,21%) e Brasília Agroceres (46,26%), sendo as demais iguais entre si. Ao mesmo tempo, para %PF, houve diferença somente entre o genótipo Carandaí (0,19%), por um lado, e os genótipos Brasília Bionatur (6,77%), Brasília Hortec (6,70%), Brazlândia (6,67%) e Brasília Isla (5,50%), por outro. Enquanto que, para ND, o menor nível de doença foi atribuído ao genótipo Carandaí (4,33), sendo esta nota igual a dos demais genótipos, exceto a da variedade Brazlândia (3,03). Carvalho (2004) obteve, ao avaliar o nível de doença aos 70 dias após a semeadura, notas médias de 3,51 e 4,04, para os sistemas convencional e orgânico, respectivamente, sendo que para a cultivar Carandaí no sistema convencional, a nota atribuída foi 3,5 e para a cultivar Brazlândia foi 3,6. Desta forma, como não se utilizou fungicida neste ensaio, pode-se considerar que a incidência da queima-das-folhas foi muito baixa, já que a avaliação foi realizada aos 104 dias após a semeadura. LITERATURA CITADA AGUILLAR, J.A.E.; REIFSCHNEIDER, F.J.B.; PESSOA, H.B.S.V. Época de aplicação de fungicidas para o controle de queima-das-folhas de cenoura. Horticultura Brasileira, v.4, n.11, p.41, maio 1996. BASTOS, T.X.; DINIZ, T.D.A. Avaliação do clima do estado de Rondônia para desenvolvimento agrícola. Belém: Embrapa – Centro de pesquisa do trópico úmido, 1982. 27p. (Boletim de Pesquisa, n°44). CARVALHO, A.M. Produtividade, qualidade e análise sensorial de genótipos de cenoura cultivados em sistema orgânico e convencional, no distrito federal. 2004. 147p. (Dissertação mestrado) – UNB, FAMV, Brasília. GOMES, F.P. A estatística é como o biquíni. Informações Agronômicas, n° 108, p.9, dezembro 2004. GOMES, F.P.; GARCIA, C.H. Estatística aplicada a experimentos agronômicos e florestais: exposição com exemplos e orientações para uso de aplicativos. Piracicaba: FEALQ, 2002. 309p. RAMALHO, A.R.; GODINHO, V.P.; UTUMI, M.M.; JESUS, J.; Condicionantes agroclimáticas para a ricinocultura no sul de rondônia. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE MAMONA, 1., 2004, Campina Grande. CD-Rom. Campina Grande: Embrapa Algodão, 2004. VENCOVSKY, R.; CRUZ, C.D. Comparação de métodos de correção do rendimento de parcelas com estandes variados – 1. Dados simulados. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.26, n.5, p. 647-657, maio 1991. VIEIRA, J.V.; PESSOA, H.B.S.V.; MAKISHIMA, N. Cultivo da cenoura (Daucus carota L.). Brasília: Embrapa Hortaliças, 1997. 20p. (Instruções Técnicas, n. 13).
  • 4. TABELAS Tabela 1. Precipitação mensal (P), temperatura máxima média (T máx), temperatura mínima média (T min), Umidade relativa (UR) e duração média do brilho solar mensal (SOL) no cerrado de Vilhena, RO. Mês P (mm) T máx °C T mín ° C UR % SOL (horas) Mês P (mm) T máx °C T mín ° C UR % SOL (horas) Jan 295 27,5 20,1 83,8 5271 Jul 9 30,2 16,5 60,4 2976 Fev 310 27,3 20,1 84,9 4831 Ago 31 31,4 18,2 60,1 3980 Mar 300 28,1 20,2 82,4 4791 Set 93 30,2 19,7 66,1 5131 Abr 216 28,9 19,6 79,4 3248 Out 188 29,9 20,2 73,8 4726 Mai 78 28,7 18,8 75,2 2366 Nov 207 28,4 20,3 78,4 4926 Jun 14 29,0 17,8 69,3 3089 Dez 326 27,9 20,4 82,6 5653 Média - - - - - - - 29,0 19,3 74,7 4249 Total - - - - - - 2068 - - - 50988 Fonte: Ramalho et al., 2004. Tabela 2. Produção de raízes comerciais (PCR), porcentagem de raízes não comerciais (%RR), produção total de raízes (PTR), peso médio de raízes comerciais (PMRC), porcentagem de plantas florescidas (%PF) e nível de doença (ND) de genótipos de cenoura no cerrado rondoniense. Vilhena, Embrapa Rondônia, 2005. Genótipos PCR (t/ha) %RR PTR (t/ha) PMRC (g) %PF ND Brazlândia 13,69 ab*1 50,01 ab2 35,06 95,02 6,67 a1 3,03 b2 Alvorada 17,62 a 60,49 ab 44,32 122,75 2,62 ab 3,87 ab Carandaí 12,08 ab 66,21 ab 37,08 98,00 0,19 b 4,33 a Brasília Bionatur 15,06 ab 55,76 ab 34,70 88,76 6,77 a 3,87 ab Brasília Hortec 13,67 ab 65,72 ab 43,03 105,20 6,70 a 3,50 ab Brasília Agroflora 15,21 ab 58,35 ab 37,17 98,27 1,58 ab 3,83 ab Brasília Agroceres 17,75 a 46,26 b 33,86 89,80 1,05 ab 4,11 ab Brasília Asgrow 14,52 ab 64,11 ab 41,32 103,05 4,27 ab 3,72 ab Brasília Isla 17,05 ab 53,71 ab 38,40 101,70 5,50 a 4,12 ab Brasília RL Agroflora 15,23 ab 57,79 ab 36,07 101,32 4,52 ab 4,24 ab Embrapa 0312310 9,00 b 75,21 a 36,29 88,52 1,25 ab 4,24 ab Média 14,62 60,01 37,94 99,31 4,07 3,93 CV% 23,42 14,03 21,21 16,87 39,64 11,42 * Médias seguidas de letras minúsculas diferentes nas colunas indicam existência de diferença estatisticamente significativa pelo teste de Tukey ao nível de: 1 – 5% de probabilidade e 2 – 10 % de probabilidade.