SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Baixar para ler offline
Ano lectivo 2009/2010
No Egipto, as bibliotecas eram chamadas ''Tesouro dos remédios da alma''. De facto é nelas que se cura a ignorância, a mais perigosa das enfermidades e a origem de todas as outras.   Jacques‐Bénigne Bossuet Manifesto da Biblioteca Escolar (UNESCO/IFLA) Está comprovado que quando os bibliotecários e os professores trabalham em conjunto, os alunos atingem níveis mais elevados de literacia, de leitura, de aprendizagem, de resolução de problemas e competências no domínio das tecnologias de informação e comunicação. Segundo Ross Todd, a marca de uma biblioteca do século XXI está  nas  acções e evidências  que mostram que a biblioteca faz a verdadeira diferença e contribui, de forma significativa, para o desenvolvimento da compreensão humana, logo, faz a  construção de conhecimento .   08-12-09
Evolução do conceito biblioteca ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],08-12-09
Estudos internacionais concluem que… Biblioteca escolar   com colecção adequada e recursos humanos qualificados Escola   com envolvimento dos diferentes actores Sucesso educativo 08-12-09
Ligação escola/biblioteca   por, Katherine Mansfield 08-12-09
Ligação escola/biblioteca 08-12-09
AVALIAR PARA QUÊ? Mudar para melhorar 08-12-09 Avaliar para mudar “ Medir o sucesso não é um fim em si, é uma ferramenta para a melhoria.” Elspeth S Scott
AVALIAR PORQUÊ? O que fazemos Como sabemos Para onde vamos Como fazemos 08-12-09 Porque queremos saber…
QUEM ESTÁ IMPLICADO NO PROCESSO DE AUTO-AVALIAÇÃO? ESCOLA 08-12-09
Análise SWOT AMEAÇAS PONTOS FORTES ACÇÕES A IMPLEMENTAR PONTOS FRACOS OPORTUNIDA DES 08-12-09
COMO AVALIAMOS? MAABE 08-12-09 ,[object Object],[object Object],[object Object]
O QUE AVALIAMOS? 08-12-09 DOMÍNIOS   A.  Apoio ao desenvolvimento curricular  B.  Leitura e literacias  C.  Projectos, parcerias e actividades livres e de abertura à comunidade  D.  Gestão da BE  SUBDOMÍNIOS  A.1. Articulação curricular da BE com as estruturas pedagógicas e os docentes  C.1. Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento curricular  D.1 Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso a serviços prestados pela BE  A.2. Desenvolvimento da literacia da informação  C.2. Projectos e parcerias  D.2. Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços  D.3. Gestão da colecção
EM QUE NOS BASEAMOS?  ( Action and evidence-based, learning-centered practice - Ross Todd)  08-12-09 Recolha de evidências Onde? PE PCT PAA ACTAS RELATOS DE ACTIVIDADES MATERIAIS PRODUZIDOS PELA BE ESTATÍSTICAS TRABALHOS REALIZADOS PELOS ALUNOS INQUÉRITOS ENTREVISTAS
Escala de classificação EXCELENTE BOM SATISFATÓRIO FRACO 08-12-09 O trabalho desenvolvido é de grande qualidade tem grande impacto nas aprendizagens dos alunos e nas práticas dos docentes. A BE é um “recurso indutor de inovação”. O trabalho é de qualidade, tem algum impacto mas ainda há caminho a percorrer para melhorar alguns aspectos. A BE começou a desenvolver trabalho mas ainda não tem muito impacto pelo que é necessário melhorar o seu desempenho.  Não há trabalho sistemático e não tem qualquer impacto. É preciso proceder a grandes mudanças das práticas.
Para onde vamos? ,[object Object],08-12-09 Pontos fortes  Pontos fracos Acções para a melhoria
Etapas de aplicação do modelo ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],08-12-09
Divulgação do relatório e do plano de melhoria 08-12-09 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Impactos esperados ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],08-12-09
Conclusão 08-12-09 Auto-avaliação Inovação e melhoria de resultados Mudança: (objectivos e estratégias) Auto-Avaliação BE Avaliação externa da escola E amanhã não seremos o que fomos nem o que somos. Ovídio
BIBLIOGRAFIA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],08-12-09
[object Object],[object Object],08-12-09

Mais conteúdo relacionado

Destaque

PréMios Nobel Da Literatura
PréMios Nobel Da LiteraturaPréMios Nobel Da Literatura
PréMios Nobel Da Literaturaanapaulaoliveira
 
Pesquisar corretamente na internet
Pesquisar corretamente na internetPesquisar corretamente na internet
Pesquisar corretamente na internetanapaulaoliveira
 
Educar a geração copiar-colar
Educar a geração copiar-colarEducar a geração copiar-colar
Educar a geração copiar-colaranapaulaoliveira
 
Pesquisar no catálogo Winlib
Pesquisar no catálogo WinlibPesquisar no catálogo Winlib
Pesquisar no catálogo Winlibanapaulaoliveira
 

Destaque (7)

PréMios Nobel Da Literatura
PréMios Nobel Da LiteraturaPréMios Nobel Da Literatura
PréMios Nobel Da Literatura
 
Pesquisar corretamente na internet
Pesquisar corretamente na internetPesquisar corretamente na internet
Pesquisar corretamente na internet
 
Educar a geração copiar-colar
Educar a geração copiar-colarEducar a geração copiar-colar
Educar a geração copiar-colar
 
A História na Literatura
A História na LiteraturaA História na Literatura
A História na Literatura
 
Dia do holocausto
Dia do holocaustoDia do holocausto
Dia do holocausto
 
Pesquisar no catálogo Winlib
Pesquisar no catálogo WinlibPesquisar no catálogo Winlib
Pesquisar no catálogo Winlib
 
Acordo ortográfico
Acordo ortográficoAcordo ortográfico
Acordo ortográfico
 

Semelhante a Avaliação Bibliotecas Escolares

O meu slideshare
O meu slideshareO meu slideshare
O meu slideshareAna Ribeiro
 
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...subranco
 
O Modelo De Auto AvaliaçãO Das Bibliotecas Escolares No
O Modelo De Auto AvaliaçãO Das Bibliotecas Escolares NoO Modelo De Auto AvaliaçãO Das Bibliotecas Escolares No
O Modelo De Auto AvaliaçãO Das Bibliotecas Escolares NoIsabel Pinheiro
 
Auto Avaliação Da Be Pp 1
Auto Avaliação Da Be Pp 1Auto Avaliação Da Be Pp 1
Auto Avaliação Da Be Pp 1Gloria Lopes
 
Apresentacao Do Mabe Compativel
Apresentacao Do Mabe CompativelApresentacao Do Mabe Compativel
Apresentacao Do Mabe Compativelelsaemar
 
ApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO MaabeApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO Maabebeloule
 
ApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO MaabeApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO Maabebeloule
 
Texto desafios oportunidades_sessao_1_2_-1
Texto desafios oportunidades_sessao_1_2_-1Texto desafios oportunidades_sessao_1_2_-1
Texto desafios oportunidades_sessao_1_2_-1candidamatos
 
Tarefa3
Tarefa3Tarefa3
Tarefa3dora
 
Texto Desafios Oportunidades Sessao 1
Texto Desafios Oportunidades Sessao 1Texto Desafios Oportunidades Sessao 1
Texto Desafios Oportunidades Sessao 1eudorapereira
 
Texto Desafios Oportunidades Sessao 1
Texto  Desafios  Oportunidades  Sessao 1Texto  Desafios  Oportunidades  Sessao 1
Texto Desafios Oportunidades Sessao 1eudorapereira
 
Texto Desafios Oportunidades Sessao 1
Texto  Desafios  Oportunidades  Sessao 1Texto  Desafios  Oportunidades  Sessao 1
Texto Desafios Oportunidades Sessao 1eudorapereira
 
Sessao 3 Teresa Semedo[1]
Sessao 3   Teresa Semedo[1]Sessao 3   Teresa Semedo[1]
Sessao 3 Teresa Semedo[1]Teresa Semedo
 
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be ApresentaçãO
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be   ApresentaçãOModelo De Auto AvaliaçãO Da Be   ApresentaçãO
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be ApresentaçãObibjcm
 
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]mjoaocaldeira
 
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]mjoaocaldeira
 
Modelo de Auto-Avaliação BE
Modelo de Auto-Avaliação BEModelo de Auto-Avaliação BE
Modelo de Auto-Avaliação BEDanielaSantos
 
Apresentacao Maabe Penacova
Apresentacao Maabe PenacovaApresentacao Maabe Penacova
Apresentacao Maabe PenacovaLurdes Dias
 

Semelhante a Avaliação Bibliotecas Escolares (20)

avaliacao_esffl_BE_2009-2010
avaliacao_esffl_BE_2009-2010avaliacao_esffl_BE_2009-2010
avaliacao_esffl_BE_2009-2010
 
O meu slideshare
O meu slideshareO meu slideshare
O meu slideshare
 
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...
O Modelo de Auto-Avaliação das bibliotecas escolares no contexto da Escola / ...
 
O Modelo De Auto AvaliaçãO Das Bibliotecas Escolares No
O Modelo De Auto AvaliaçãO Das Bibliotecas Escolares NoO Modelo De Auto AvaliaçãO Das Bibliotecas Escolares No
O Modelo De Auto AvaliaçãO Das Bibliotecas Escolares No
 
Auto Avaliação Da Be Pp 1
Auto Avaliação Da Be Pp 1Auto Avaliação Da Be Pp 1
Auto Avaliação Da Be Pp 1
 
Ppt Mav SessãO3
Ppt Mav SessãO3Ppt Mav SessãO3
Ppt Mav SessãO3
 
Apresentacao Do Mabe Compativel
Apresentacao Do Mabe CompativelApresentacao Do Mabe Compativel
Apresentacao Do Mabe Compativel
 
ApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO MaabeApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO Maabe
 
ApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO MaabeApresentaçãO Maabe
ApresentaçãO Maabe
 
Texto desafios oportunidades_sessao_1_2_-1
Texto desafios oportunidades_sessao_1_2_-1Texto desafios oportunidades_sessao_1_2_-1
Texto desafios oportunidades_sessao_1_2_-1
 
Tarefa3
Tarefa3Tarefa3
Tarefa3
 
Texto Desafios Oportunidades Sessao 1
Texto Desafios Oportunidades Sessao 1Texto Desafios Oportunidades Sessao 1
Texto Desafios Oportunidades Sessao 1
 
Texto Desafios Oportunidades Sessao 1
Texto  Desafios  Oportunidades  Sessao 1Texto  Desafios  Oportunidades  Sessao 1
Texto Desafios Oportunidades Sessao 1
 
Texto Desafios Oportunidades Sessao 1
Texto  Desafios  Oportunidades  Sessao 1Texto  Desafios  Oportunidades  Sessao 1
Texto Desafios Oportunidades Sessao 1
 
Sessao 3 Teresa Semedo[1]
Sessao 3   Teresa Semedo[1]Sessao 3   Teresa Semedo[1]
Sessao 3 Teresa Semedo[1]
 
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be ApresentaçãO
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be   ApresentaçãOModelo De Auto AvaliaçãO Da Be   ApresentaçãO
Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be ApresentaçãO
 
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
 
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]Modelo Auto Avaliacao Be   Bemag[1]
Modelo Auto Avaliacao Be Bemag[1]
 
Modelo de Auto-Avaliação BE
Modelo de Auto-Avaliação BEModelo de Auto-Avaliação BE
Modelo de Auto-Avaliação BE
 
Apresentacao Maabe Penacova
Apresentacao Maabe PenacovaApresentacao Maabe Penacova
Apresentacao Maabe Penacova
 

Mais de anapaulaoliveira

Mais de anapaulaoliveira (20)

Passeio por S. João da Madeira
Passeio por S. João da MadeiraPasseio por S. João da Madeira
Passeio por S. João da Madeira
 
Resume um livro numa frase
Resume um livro numa fraseResume um livro numa frase
Resume um livro numa frase
 
Notícia
NotíciaNotícia
Notícia
 
Semana da leitura
Semana da leituraSemana da leitura
Semana da leitura
 
Dia Europeu das Línguas 2011
Dia Europeu das Línguas 2011Dia Europeu das Línguas 2011
Dia Europeu das Línguas 2011
 
Festa Grande C, Cascais
Festa Grande C, CascaisFesta Grande C, Cascais
Festa Grande C, Cascais
 
Top leitura
Top leituraTop leitura
Top leitura
 
Moeda portuguesa
Moeda portuguesaMoeda portuguesa
Moeda portuguesa
 
Ode à Natureza
Ode à NaturezaOde à Natureza
Ode à Natureza
 
Lenda da Lagoa das Sete Cidades
Lenda da Lagoa das Sete Cidades Lenda da Lagoa das Sete Cidades
Lenda da Lagoa das Sete Cidades
 
Álbum de desenhos
Álbum de desenhosÁlbum de desenhos
Álbum de desenhos
 
Feira dos 4 e Capela de Santo Estêvão
Feira dos 4 e Capela de Santo EstêvãoFeira dos 4 e Capela de Santo Estêvão
Feira dos 4 e Capela de Santo Estêvão
 
Rancho S.Martinho de Escapães
Rancho S.Martinho de EscapãesRancho S.Martinho de Escapães
Rancho S.Martinho de Escapães
 
A importância da leitura
A importância da leituraA importância da leitura
A importância da leitura
 
Da Monarquia à República
Da Monarquia à RepúblicaDa Monarquia à República
Da Monarquia à República
 
Poetas da I República
Poetas da I RepúblicaPoetas da I República
Poetas da I República
 
BD da Energia
BD da EnergiaBD da Energia
BD da Energia
 
Membros da Revolução do 5 de Outubro
Membros da Revolução do 5 de OutubroMembros da Revolução do 5 de Outubro
Membros da Revolução do 5 de Outubro
 
A Primeira República
A Primeira República   A Primeira República
A Primeira República
 
Abel Salazar
Abel SalazarAbel Salazar
Abel Salazar
 

Último

AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 

Último (20)

“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 

Avaliação Bibliotecas Escolares

  • 2. No Egipto, as bibliotecas eram chamadas ''Tesouro dos remédios da alma''. De facto é nelas que se cura a ignorância, a mais perigosa das enfermidades e a origem de todas as outras. Jacques‐Bénigne Bossuet Manifesto da Biblioteca Escolar (UNESCO/IFLA) Está comprovado que quando os bibliotecários e os professores trabalham em conjunto, os alunos atingem níveis mais elevados de literacia, de leitura, de aprendizagem, de resolução de problemas e competências no domínio das tecnologias de informação e comunicação. Segundo Ross Todd, a marca de uma biblioteca do século XXI está nas acções e evidências que mostram que a biblioteca faz a verdadeira diferença e contribui, de forma significativa, para o desenvolvimento da compreensão humana, logo, faz a construção de conhecimento . 08-12-09
  • 3.
  • 4. Estudos internacionais concluem que… Biblioteca escolar com colecção adequada e recursos humanos qualificados Escola com envolvimento dos diferentes actores Sucesso educativo 08-12-09
  • 5. Ligação escola/biblioteca por, Katherine Mansfield 08-12-09
  • 7. AVALIAR PARA QUÊ? Mudar para melhorar 08-12-09 Avaliar para mudar “ Medir o sucesso não é um fim em si, é uma ferramenta para a melhoria.” Elspeth S Scott
  • 8. AVALIAR PORQUÊ? O que fazemos Como sabemos Para onde vamos Como fazemos 08-12-09 Porque queremos saber…
  • 9. QUEM ESTÁ IMPLICADO NO PROCESSO DE AUTO-AVALIAÇÃO? ESCOLA 08-12-09
  • 10. Análise SWOT AMEAÇAS PONTOS FORTES ACÇÕES A IMPLEMENTAR PONTOS FRACOS OPORTUNIDA DES 08-12-09
  • 11.
  • 12. O QUE AVALIAMOS? 08-12-09 DOMÍNIOS A. Apoio ao desenvolvimento curricular B. Leitura e literacias C. Projectos, parcerias e actividades livres e de abertura à comunidade D. Gestão da BE SUBDOMÍNIOS A.1. Articulação curricular da BE com as estruturas pedagógicas e os docentes C.1. Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento curricular D.1 Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso a serviços prestados pela BE A.2. Desenvolvimento da literacia da informação C.2. Projectos e parcerias D.2. Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços D.3. Gestão da colecção
  • 13. EM QUE NOS BASEAMOS? ( Action and evidence-based, learning-centered practice - Ross Todd) 08-12-09 Recolha de evidências Onde? PE PCT PAA ACTAS RELATOS DE ACTIVIDADES MATERIAIS PRODUZIDOS PELA BE ESTATÍSTICAS TRABALHOS REALIZADOS PELOS ALUNOS INQUÉRITOS ENTREVISTAS
  • 14. Escala de classificação EXCELENTE BOM SATISFATÓRIO FRACO 08-12-09 O trabalho desenvolvido é de grande qualidade tem grande impacto nas aprendizagens dos alunos e nas práticas dos docentes. A BE é um “recurso indutor de inovação”. O trabalho é de qualidade, tem algum impacto mas ainda há caminho a percorrer para melhorar alguns aspectos. A BE começou a desenvolver trabalho mas ainda não tem muito impacto pelo que é necessário melhorar o seu desempenho. Não há trabalho sistemático e não tem qualquer impacto. É preciso proceder a grandes mudanças das práticas.
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19. Conclusão 08-12-09 Auto-avaliação Inovação e melhoria de resultados Mudança: (objectivos e estratégias) Auto-Avaliação BE Avaliação externa da escola E amanhã não seremos o que fomos nem o que somos. Ovídio
  • 20.
  • 21.