SlideShare uma empresa Scribd logo
Revolução de 1930
Disciplina: Realidade Sócio-Econômica e Política Brasileira
Prof.: Ms. Laércio Torres de Góes
Proclamação da República (1889)
⦁ Governo Provisório (1889-1891): Mal.Deodoro da Fonseca
⦁ Debate político na imprensa:fim do império
(República) e da escravidão (abolição).
⦁ Surgimento de jornais abolicionistas e republicanos
em todo o Brasil.
⦁ Mudanças institucionais:
⦁ Federalismo
⦁ Grande Naturalização (1890): imigrantes que estavam no Brasil em
15/11/1889 não declararam o desejo de conservar a naturalidade de
origem.
⦁ Assembleia Nacional Constituinte
Constituição de 1891
⦁ Forma de Governo: República
⦁ Forma de Estado: Federalismo
⦁ Sistema de Governo: Presidencialismo
⦁ Divisão de Poderes: Três Poderes (Executivo, Legislativo e
Judiciário)
⦁ Voto direto,universal e aberto: brasileiros maiores de 21
anos (exceto: analfabetos, mendigos, soldados, religiosos e
mulheres)
Constituição de 1891
⦁ Separação entre Igreja e Estado (Estado laico):
⦁ Deixou de existir uma religião oficial
⦁ Reconhecimento do casamento civil e os cemitérios passaram para
às mãos da administração municipal.
⦁ Liberdade de culto
⦁ Facilitar a integração de imigrantes alemães,que eram em sua
maioria luteranos.
⦁ Censura: primeiros governos republicanos fecham vários jornais
em todo o país,embora a liberdade de imprensa fosse garantida pela
Constituição de 1891.
República Oligárquica
⦁ Política econômica voltada
aos interesses dos cafeicultores paulistas.
⦁ Coronelismo
⦁ Guarda Nacional
⦁ Oligarquias estaduais
República Oligárquica
⦁ Voto de Cabresto
⦁ Curral Eleitoral
⦁ Política dos Governadores
⦁ Clientelismo (troca de favores)
República dos coronéis
⦁ Manipulação das Eleições: falsificação de atas,do voto
dos mortos, dos estrangeiros,etc.
⦁ O voto não era secreto e maioria dos eleitores estava
sujeito à pressão dos chefes políticos.
⦁ Política do Café-com-leite:São Paulo/Minas Gerais
Mudanças socioeconômicas
⦁ Imigração em massa:cerca de 3,8 milhões de estrangeiros entraram no
Brasil entre 1887 e 1930.
⦁ Regiões Centro-Sul,Sul e Leste do Brasil.
⦁ Italianos,alemães,espanhóis,portugueses,japoneses,etc.
⦁ Imigrantes para trabalharem na lavoura de café.
⦁ Política de branqueamento da sociedade: no início do século XIX
foram trazidos imigrantes europeus (suíços e alemães) para o Brasil,como
experiências-piloto de um projeto civilizatório.
Mudanças socioeconômicas
⦁ Após a abolição dos escravos e o fim do
Império, implementação de uma política de
branqueamento da população (eliminação dos
vestígios indesejados da presença negra e
indígena) e de um sistema produtivo de
imigrantes brancos europeus em detrimento
dos escravos e dos nacionais livres.
⦁ Havia um imaginário que associava o
progresso das nações desenvolvidas ao caráter
de seus povos, que por vez seria resultante de
sua constituição racial.
⦁ Positivismo e Darwinismo social.
Mudanças socioeconômicas
⦁ População predominantemente rural e agrícola.
⦁ Predomínio das atividades agroexportadoras.
⦁ A urbanização refletia maior diversificação da economia, bem como o
desenvolvimento de uma infraestrutura ligada aos transportes,comércio,
bancos e meios de comunicação.
⦁ Desenvolvimento das indústrias (indústria têxtil,alimentação,bebidas e
vestuário), principalmente em São Paulo,por causa das condições criadas
pelacafeicultura.
⦁ Carência de uma indústria de base (cimento,ferro,aço,máquinas e
equipamentos).
Grupos sociais
⦁ Latifundiários: política de proteção ao café duramente
criticada pelos grupos econômicos não ligados à cafeicultura.
⦁ Burguesia industrial: proprietários dos cafezais (barões do
café que aplicavam seu lucro em indústrias visando diversificar
os investimentos) e imigrantes enriquecidos (antigos
importadores).
⦁ Apesar de minoria,representava uma alternativa política ao
monopólio do poder exercido pelas oligarquias.
Grupos sociais
⦁ Classe média (profissionais liberais,servidores públicos,etc.): grupo
urbano que se opunha ao regime das oligarquias,tanto pela valorização
excessiva do café,quanto pelas fraudes eleitorais,que vedavam a participação
desta classe na política.
⦁ Operários: ligados à imigração europeiadesde o final do século XIX.
⦁ Não existiam leis trabalhistas e as condições de trabalho eram péssimas:
salários baixos ,longas jornadas e péssimas condições de trabalho para
homens,mulheres e crianças.
⦁ Ausência de legislação trabalhista obrigou os trabalhadores a se organizarem
em diferentes formas de associações.
⦁ Importância do jornal na luta por melhores condições de vida e pela
transformação da sociedade.
Movimentos sociais
⦁ Revolta de Canudos (1893 – 1897):conflito entre
tropas do governo e sertanejos seguidores deAntônio
Conselheiro,no sertão da Bahia.
⦁ Arraial de Canudos: 20 a 30 mil pessoas.
⦁ Contrários à República (cobrança de impostos e
separação da Igreja do Estado).
⦁ Quatro expedições militares: 3ª Expedição:
Coronel Moreira César - 4ª Expedição:Carlos
Bittencourt (Ministro de Guerra).
⦁ Euclides da Cunha: “Os Sertões”.
⦁ Conflito entre dois Brasis:litorâneo x profundo/
civilização x barbárie.
Movimentos sociais
⦁ Revolta daVacina (1904): Varíola e
FebreAmarela (vacinação obrigatória).
⦁ Revolta da Chibata (1910):contra
os castigos corporais - J
oão Cândido.
⦁ Guerra do Contestado (1912 –
1916):disputa territorial entre Paraná
e Santa Catarina – Beato José Maria.
Movimentos sociais
⦁ Ciclo de greve entre 1917 e 1920 por melhores condições de
trabalho e conquista de um mínimo de direitos.
⦁ Agravamento da carestia e onda revolucionária na Europa com a
Revolução de 1917 na Rússia.
⦁ O movimento operário passou ser objeto de preocupações das
elites do país.
⦁ Imprensa operária divulgando,principalmente, ideias anarquistas,que
estimulavam a resistência dos trabalhadores.
⦁ O impacto da Revolução Russa de 1917 e aexpansão da indústria
no país influenciaram a fundação e crescimento do PCB (Partido
Comunista Brasileiro),em 1922.
Movimentos sociais
⦁ Tenentismo
⦁ Série de levantes militares que eclodiram na década de 1920. Originou-se
da insatisfação de jovens oficiais do Exército (Tenentes) com a política das
oligarquias,que não valorizara o Exército.
⦁ Os tenentes exigiam o voto secreto,o fim da corrupção oligárquica e a
centralização política.
⦁ T
ambém reivindicavam melhores salários e mudanças na estrutura da
carreira que dificultava a ascensão aos postos mais altos.
⦁ Revoltado Forte de Copacabana(1922)
⦁ Revolução Paulista (1924)
⦁ A Coluna Prestes (1925-1927)
Movimentos sociais
⦁ Colunas de Miguel Costa e Luís
Carlos Prestes
⦁ As colunas tenentistas de Miguel Costa
(paulista) e Luís Carlos Prestes (gaúchos)
se encontraram em Foz do Iguaçu,
sempre atacados por forças do governo.
⦁ A Coluna Prestes percorreu 11 Estados e
caminhou 25 mil quilômetros.
⦁ Luís Carlos Prestes se tornou um herói,
sendo chamado de“Cavaleiro da
Esperança”,pelo menos pelos grupos
urbanos.
Revolução de 30
⦁ Fatores:
⦁ Externo: A Grande Depressão
⦁ Interno: A quebra da política do café-com-leite.
⦁ Washington Luis apoiou o governador de SP
, Júlio Prestes,
desrespeitando o acordo do café com leite,que previa um candidato
indicado por Minas Gerais.
⦁ Oligarquias mineiras uniram-se as oligarquias do Rio Grande do Sul
e da Paraíba formando aAliança Liberal.
⦁ Apoio dos remanescentes tenentistas.
Revolução de 30
⦁ A Aliança Liberal lançou como candidato apresidência,
o governador do Rio Grande do Sul, Getúlio Vargas.
Para vice,o escolhido foi o governador da Paraíba J
oão
Pessoa.
⦁ A fraudulenta máquinaeleitoral das oligarquias deu a
vitória ao paulista Júlio Prestes.
⦁ Alguns setores daAliança Liberal não aceitaram o
resultado das eleições e começaram acogitar uma
revolução.
⦁ Assassinato de João Pessoa: estopim para o golpe.
⦁ “Façamos a revolução antes que o povo a faça!”
(Antonio Carlos deAndrada – presidente de MG)
Revolução de 30
⦁ O movimento golpista eclodiu
em Minas Gerais e no Rio
Grande do Sul e se espalhou
pelo país.
⦁ Em 24/10/1930 os rebeldes
cercaram o Palácio da
Guanabara e depuseram
Washington Luís.
⦁ GetúlioVargas assume o
Governo Provisório.
Revolução de 30
⦁ Oligarquias dissidentes:queriam participar do governo,sem
que houvesse mudanças políticas e sociais profundas.
⦁ Burguesia industrial:queria ampliar a industrialização,
mantendo os operários sob controle.
⦁ Classe média e tenentes: defendiam o fim da corrupção,
modernização política e econômica que gerasse empregos e
economia interna menos dependente da externa.
⦁ Operários: queriam mudanças sociais, melhorias nas suas
condições de vida e trabalho, bem como participar da vida
política brasileira.
Consequências da Revolução de 30
⦁ Centralização do poder
⦁ T
roca da elite no poder: saem os representantes das
oligarquias e entram os militares,os técnicos diplomados,os
jovens políticos e os industriais.
⦁ Promoção da industrialização.
⦁ Proteção aos trabalhadores urbanos,incorporando-os a uma
aliança de classes promovidas pelo poder estatal.
⦁ Papel central das ForçasArmadas como suporte da criação de
uma indústria de base e como fator de garantia da ordem
interna.
FIM

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a aula-revoluode1930-140222094305-phpapp01.pptx

Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
Joice Belini
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Brasil Republica Velha - declinio
Brasil Republica Velha - declinioBrasil Republica Velha - declinio
Brasil Republica Velha - declinio
Alexandre Protásio
 
História rafa- república da espada e república do café com leite
História   rafa- república da espada e república do café com leiteHistória   rafa- república da espada e república do café com leite
História rafa- república da espada e república do café com leite
Rafael Noronha
 
Revolução de 1930
Revolução de 1930Revolução de 1930
Revolução de 1930
Professora Natália de Oliveira
 
Era Vargas e o Período Populista
Era Vargas e o Período PopulistaEra Vargas e o Período Populista
Era Vargas e o Período Populista
Edenilson Morais
 
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoA Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
Rodrigo Luiz
 
Era vargas forte militar aula 9
Era vargas forte militar   aula 9Era vargas forte militar   aula 9
Era vargas forte militar aula 9
Íris Ferreira
 
A era vargas (1930 1945)-2
A era vargas (1930 1945)-2A era vargas (1930 1945)-2
A era vargas (1930 1945)-2
Rodrigo Luiz
 
A era vargas
A era vargasA era vargas
A era vargas
Nelia Salles Nantes
 
A ERA VARGAS- MARINA.pptx
A ERA VARGAS- MARINA.pptxA ERA VARGAS- MARINA.pptx
A ERA VARGAS- MARINA.pptx
WLLIANEMARTINSDESOUS
 
A ERA VARGAS
A ERA VARGASA ERA VARGAS
A ERA VARGAS
Paulo Alexandre
 
A Era Vargas: 1930-1945
A Era Vargas: 1930-1945A Era Vargas: 1930-1945
A Era Vargas: 1930-1945
Pedro Artigas Daiha
 
República velha e suas revoltas
República velha e suas revoltasRepública velha e suas revoltas
República velha e suas revoltas
Wesley Germano Otávio
 
República velha 4
República velha 4República velha 4
República velha 4
harlissoncarvalho
 
Brasil republica
Brasil republicaBrasil republica
Brasil republica
Lucimara Foloni
 
Era vargas (1930-1945)
Era vargas (1930-1945)Era vargas (1930-1945)
Era vargas (1930-1945)
Dinei2814
 
A República dos Excluídos
A República dos ExcluídosA República dos Excluídos
A República dos Excluídos
Edenilson Morais
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
Laércio Góes
 
Brasil em-busca
Brasil em-buscaBrasil em-busca
Brasil em-busca
Glasiely Virgílio Silva
 

Semelhante a aula-revoluode1930-140222094305-phpapp01.pptx (20)

Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
Brasil Republica Velha - declinio
Brasil Republica Velha - declinioBrasil Republica Velha - declinio
Brasil Republica Velha - declinio
 
História rafa- república da espada e república do café com leite
História   rafa- república da espada e república do café com leiteHistória   rafa- república da espada e república do café com leite
História rafa- república da espada e república do café com leite
 
Revolução de 1930
Revolução de 1930Revolução de 1930
Revolução de 1930
 
Era Vargas e o Período Populista
Era Vargas e o Período PopulistaEra Vargas e o Período Populista
Era Vargas e o Período Populista
 
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoA Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
 
Era vargas forte militar aula 9
Era vargas forte militar   aula 9Era vargas forte militar   aula 9
Era vargas forte militar aula 9
 
A era vargas (1930 1945)-2
A era vargas (1930 1945)-2A era vargas (1930 1945)-2
A era vargas (1930 1945)-2
 
A era vargas
A era vargasA era vargas
A era vargas
 
A ERA VARGAS- MARINA.pptx
A ERA VARGAS- MARINA.pptxA ERA VARGAS- MARINA.pptx
A ERA VARGAS- MARINA.pptx
 
A ERA VARGAS
A ERA VARGASA ERA VARGAS
A ERA VARGAS
 
A Era Vargas: 1930-1945
A Era Vargas: 1930-1945A Era Vargas: 1930-1945
A Era Vargas: 1930-1945
 
República velha e suas revoltas
República velha e suas revoltasRepública velha e suas revoltas
República velha e suas revoltas
 
República velha 4
República velha 4República velha 4
República velha 4
 
Brasil republica
Brasil republicaBrasil republica
Brasil republica
 
Era vargas (1930-1945)
Era vargas (1930-1945)Era vargas (1930-1945)
Era vargas (1930-1945)
 
A República dos Excluídos
A República dos ExcluídosA República dos Excluídos
A República dos Excluídos
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
Brasil em-busca
Brasil em-buscaBrasil em-busca
Brasil em-busca
 

Mais de luluzivania

Relevo Brasileiro 17.pptx SUAS PRINCIPAIS CARCTERISTICAS
Relevo Brasileiro 17.pptx SUAS PRINCIPAIS CARCTERISTICASRelevo Brasileiro 17.pptx SUAS PRINCIPAIS CARCTERISTICAS
Relevo Brasileiro 17.pptx SUAS PRINCIPAIS CARCTERISTICAS
luluzivania
 
PECUARIA (1).pptx A PECUARIA NO BRASIL DE UMA FORMA SIMPLES E RAPIDA
PECUARIA (1).pptx A PECUARIA NO BRASIL DE UMA FORMA SIMPLES E RAPIDAPECUARIA (1).pptx A PECUARIA NO BRASIL DE UMA FORMA SIMPLES E RAPIDA
PECUARIA (1).pptx A PECUARIA NO BRASIL DE UMA FORMA SIMPLES E RAPIDA
luluzivania
 
Clima final.pptx AULA SIMPLIFICADA SOBRE CLIMA
Clima final.pptx AULA SIMPLIFICADA SOBRE CLIMAClima final.pptx AULA SIMPLIFICADA SOBRE CLIMA
Clima final.pptx AULA SIMPLIFICADA SOBRE CLIMA
luluzivania
 
apecuria-141021232000-conversion-gate02.pptx
apecuria-141021232000-conversion-gate02.pptxapecuria-141021232000-conversion-gate02.pptx
apecuria-141021232000-conversion-gate02.pptx
luluzivania
 
29082022222340Movimento Operário e Diversidades.pptx
29082022222340Movimento Operário e Diversidades.pptx29082022222340Movimento Operário e Diversidades.pptx
29082022222340Movimento Operário e Diversidades.pptx
luluzivania
 
1 AULA REVOLUCAO PERNAMBUCANA DE 1917 .pptx
1 AULA REVOLUCAO PERNAMBUCANA DE 1917 .pptx1 AULA REVOLUCAO PERNAMBUCANA DE 1917 .pptx
1 AULA REVOLUCAO PERNAMBUCANA DE 1917 .pptx
luluzivania
 
AULAS FILOSOFIA.pdf SOCRATES E PLATAO E ARISTOTELES
AULAS FILOSOFIA.pdf SOCRATES E PLATAO E ARISTOTELESAULAS FILOSOFIA.pdf SOCRATES E PLATAO E ARISTOTELES
AULAS FILOSOFIA.pdf SOCRATES E PLATAO E ARISTOTELES
luluzivania
 

Mais de luluzivania (7)

Relevo Brasileiro 17.pptx SUAS PRINCIPAIS CARCTERISTICAS
Relevo Brasileiro 17.pptx SUAS PRINCIPAIS CARCTERISTICASRelevo Brasileiro 17.pptx SUAS PRINCIPAIS CARCTERISTICAS
Relevo Brasileiro 17.pptx SUAS PRINCIPAIS CARCTERISTICAS
 
PECUARIA (1).pptx A PECUARIA NO BRASIL DE UMA FORMA SIMPLES E RAPIDA
PECUARIA (1).pptx A PECUARIA NO BRASIL DE UMA FORMA SIMPLES E RAPIDAPECUARIA (1).pptx A PECUARIA NO BRASIL DE UMA FORMA SIMPLES E RAPIDA
PECUARIA (1).pptx A PECUARIA NO BRASIL DE UMA FORMA SIMPLES E RAPIDA
 
Clima final.pptx AULA SIMPLIFICADA SOBRE CLIMA
Clima final.pptx AULA SIMPLIFICADA SOBRE CLIMAClima final.pptx AULA SIMPLIFICADA SOBRE CLIMA
Clima final.pptx AULA SIMPLIFICADA SOBRE CLIMA
 
apecuria-141021232000-conversion-gate02.pptx
apecuria-141021232000-conversion-gate02.pptxapecuria-141021232000-conversion-gate02.pptx
apecuria-141021232000-conversion-gate02.pptx
 
29082022222340Movimento Operário e Diversidades.pptx
29082022222340Movimento Operário e Diversidades.pptx29082022222340Movimento Operário e Diversidades.pptx
29082022222340Movimento Operário e Diversidades.pptx
 
1 AULA REVOLUCAO PERNAMBUCANA DE 1917 .pptx
1 AULA REVOLUCAO PERNAMBUCANA DE 1917 .pptx1 AULA REVOLUCAO PERNAMBUCANA DE 1917 .pptx
1 AULA REVOLUCAO PERNAMBUCANA DE 1917 .pptx
 
AULAS FILOSOFIA.pdf SOCRATES E PLATAO E ARISTOTELES
AULAS FILOSOFIA.pdf SOCRATES E PLATAO E ARISTOTELESAULAS FILOSOFIA.pdf SOCRATES E PLATAO E ARISTOTELES
AULAS FILOSOFIA.pdf SOCRATES E PLATAO E ARISTOTELES
 

Último

TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
alphabarros2
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
FernandaOliveira758273
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
IACEMCASA
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 

Último (20)

TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
7 ano - Rede e hierarquia urbana - Geografia - Alpha.pptx
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 

aula-revoluode1930-140222094305-phpapp01.pptx

  • 1. Revolução de 1930 Disciplina: Realidade Sócio-Econômica e Política Brasileira Prof.: Ms. Laércio Torres de Góes
  • 2. Proclamação da República (1889) ⦁ Governo Provisório (1889-1891): Mal.Deodoro da Fonseca ⦁ Debate político na imprensa:fim do império (República) e da escravidão (abolição). ⦁ Surgimento de jornais abolicionistas e republicanos em todo o Brasil. ⦁ Mudanças institucionais: ⦁ Federalismo ⦁ Grande Naturalização (1890): imigrantes que estavam no Brasil em 15/11/1889 não declararam o desejo de conservar a naturalidade de origem. ⦁ Assembleia Nacional Constituinte
  • 3. Constituição de 1891 ⦁ Forma de Governo: República ⦁ Forma de Estado: Federalismo ⦁ Sistema de Governo: Presidencialismo ⦁ Divisão de Poderes: Três Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) ⦁ Voto direto,universal e aberto: brasileiros maiores de 21 anos (exceto: analfabetos, mendigos, soldados, religiosos e mulheres)
  • 4. Constituição de 1891 ⦁ Separação entre Igreja e Estado (Estado laico): ⦁ Deixou de existir uma religião oficial ⦁ Reconhecimento do casamento civil e os cemitérios passaram para às mãos da administração municipal. ⦁ Liberdade de culto ⦁ Facilitar a integração de imigrantes alemães,que eram em sua maioria luteranos. ⦁ Censura: primeiros governos republicanos fecham vários jornais em todo o país,embora a liberdade de imprensa fosse garantida pela Constituição de 1891.
  • 5. República Oligárquica ⦁ Política econômica voltada aos interesses dos cafeicultores paulistas. ⦁ Coronelismo ⦁ Guarda Nacional ⦁ Oligarquias estaduais
  • 6. República Oligárquica ⦁ Voto de Cabresto ⦁ Curral Eleitoral ⦁ Política dos Governadores ⦁ Clientelismo (troca de favores)
  • 7. República dos coronéis ⦁ Manipulação das Eleições: falsificação de atas,do voto dos mortos, dos estrangeiros,etc. ⦁ O voto não era secreto e maioria dos eleitores estava sujeito à pressão dos chefes políticos. ⦁ Política do Café-com-leite:São Paulo/Minas Gerais
  • 8. Mudanças socioeconômicas ⦁ Imigração em massa:cerca de 3,8 milhões de estrangeiros entraram no Brasil entre 1887 e 1930. ⦁ Regiões Centro-Sul,Sul e Leste do Brasil. ⦁ Italianos,alemães,espanhóis,portugueses,japoneses,etc. ⦁ Imigrantes para trabalharem na lavoura de café. ⦁ Política de branqueamento da sociedade: no início do século XIX foram trazidos imigrantes europeus (suíços e alemães) para o Brasil,como experiências-piloto de um projeto civilizatório.
  • 9. Mudanças socioeconômicas ⦁ Após a abolição dos escravos e o fim do Império, implementação de uma política de branqueamento da população (eliminação dos vestígios indesejados da presença negra e indígena) e de um sistema produtivo de imigrantes brancos europeus em detrimento dos escravos e dos nacionais livres. ⦁ Havia um imaginário que associava o progresso das nações desenvolvidas ao caráter de seus povos, que por vez seria resultante de sua constituição racial. ⦁ Positivismo e Darwinismo social.
  • 10. Mudanças socioeconômicas ⦁ População predominantemente rural e agrícola. ⦁ Predomínio das atividades agroexportadoras. ⦁ A urbanização refletia maior diversificação da economia, bem como o desenvolvimento de uma infraestrutura ligada aos transportes,comércio, bancos e meios de comunicação. ⦁ Desenvolvimento das indústrias (indústria têxtil,alimentação,bebidas e vestuário), principalmente em São Paulo,por causa das condições criadas pelacafeicultura. ⦁ Carência de uma indústria de base (cimento,ferro,aço,máquinas e equipamentos).
  • 11. Grupos sociais ⦁ Latifundiários: política de proteção ao café duramente criticada pelos grupos econômicos não ligados à cafeicultura. ⦁ Burguesia industrial: proprietários dos cafezais (barões do café que aplicavam seu lucro em indústrias visando diversificar os investimentos) e imigrantes enriquecidos (antigos importadores). ⦁ Apesar de minoria,representava uma alternativa política ao monopólio do poder exercido pelas oligarquias.
  • 12. Grupos sociais ⦁ Classe média (profissionais liberais,servidores públicos,etc.): grupo urbano que se opunha ao regime das oligarquias,tanto pela valorização excessiva do café,quanto pelas fraudes eleitorais,que vedavam a participação desta classe na política. ⦁ Operários: ligados à imigração europeiadesde o final do século XIX. ⦁ Não existiam leis trabalhistas e as condições de trabalho eram péssimas: salários baixos ,longas jornadas e péssimas condições de trabalho para homens,mulheres e crianças. ⦁ Ausência de legislação trabalhista obrigou os trabalhadores a se organizarem em diferentes formas de associações. ⦁ Importância do jornal na luta por melhores condições de vida e pela transformação da sociedade.
  • 13. Movimentos sociais ⦁ Revolta de Canudos (1893 – 1897):conflito entre tropas do governo e sertanejos seguidores deAntônio Conselheiro,no sertão da Bahia. ⦁ Arraial de Canudos: 20 a 30 mil pessoas. ⦁ Contrários à República (cobrança de impostos e separação da Igreja do Estado). ⦁ Quatro expedições militares: 3ª Expedição: Coronel Moreira César - 4ª Expedição:Carlos Bittencourt (Ministro de Guerra). ⦁ Euclides da Cunha: “Os Sertões”. ⦁ Conflito entre dois Brasis:litorâneo x profundo/ civilização x barbárie.
  • 14. Movimentos sociais ⦁ Revolta daVacina (1904): Varíola e FebreAmarela (vacinação obrigatória). ⦁ Revolta da Chibata (1910):contra os castigos corporais - J oão Cândido. ⦁ Guerra do Contestado (1912 – 1916):disputa territorial entre Paraná e Santa Catarina – Beato José Maria.
  • 15. Movimentos sociais ⦁ Ciclo de greve entre 1917 e 1920 por melhores condições de trabalho e conquista de um mínimo de direitos. ⦁ Agravamento da carestia e onda revolucionária na Europa com a Revolução de 1917 na Rússia. ⦁ O movimento operário passou ser objeto de preocupações das elites do país. ⦁ Imprensa operária divulgando,principalmente, ideias anarquistas,que estimulavam a resistência dos trabalhadores. ⦁ O impacto da Revolução Russa de 1917 e aexpansão da indústria no país influenciaram a fundação e crescimento do PCB (Partido Comunista Brasileiro),em 1922.
  • 16. Movimentos sociais ⦁ Tenentismo ⦁ Série de levantes militares que eclodiram na década de 1920. Originou-se da insatisfação de jovens oficiais do Exército (Tenentes) com a política das oligarquias,que não valorizara o Exército. ⦁ Os tenentes exigiam o voto secreto,o fim da corrupção oligárquica e a centralização política. ⦁ T ambém reivindicavam melhores salários e mudanças na estrutura da carreira que dificultava a ascensão aos postos mais altos. ⦁ Revoltado Forte de Copacabana(1922) ⦁ Revolução Paulista (1924) ⦁ A Coluna Prestes (1925-1927)
  • 17. Movimentos sociais ⦁ Colunas de Miguel Costa e Luís Carlos Prestes ⦁ As colunas tenentistas de Miguel Costa (paulista) e Luís Carlos Prestes (gaúchos) se encontraram em Foz do Iguaçu, sempre atacados por forças do governo. ⦁ A Coluna Prestes percorreu 11 Estados e caminhou 25 mil quilômetros. ⦁ Luís Carlos Prestes se tornou um herói, sendo chamado de“Cavaleiro da Esperança”,pelo menos pelos grupos urbanos.
  • 18. Revolução de 30 ⦁ Fatores: ⦁ Externo: A Grande Depressão ⦁ Interno: A quebra da política do café-com-leite. ⦁ Washington Luis apoiou o governador de SP , Júlio Prestes, desrespeitando o acordo do café com leite,que previa um candidato indicado por Minas Gerais. ⦁ Oligarquias mineiras uniram-se as oligarquias do Rio Grande do Sul e da Paraíba formando aAliança Liberal. ⦁ Apoio dos remanescentes tenentistas.
  • 19. Revolução de 30 ⦁ A Aliança Liberal lançou como candidato apresidência, o governador do Rio Grande do Sul, Getúlio Vargas. Para vice,o escolhido foi o governador da Paraíba J oão Pessoa. ⦁ A fraudulenta máquinaeleitoral das oligarquias deu a vitória ao paulista Júlio Prestes. ⦁ Alguns setores daAliança Liberal não aceitaram o resultado das eleições e começaram acogitar uma revolução. ⦁ Assassinato de João Pessoa: estopim para o golpe. ⦁ “Façamos a revolução antes que o povo a faça!” (Antonio Carlos deAndrada – presidente de MG)
  • 20. Revolução de 30 ⦁ O movimento golpista eclodiu em Minas Gerais e no Rio Grande do Sul e se espalhou pelo país. ⦁ Em 24/10/1930 os rebeldes cercaram o Palácio da Guanabara e depuseram Washington Luís. ⦁ GetúlioVargas assume o Governo Provisório.
  • 21. Revolução de 30 ⦁ Oligarquias dissidentes:queriam participar do governo,sem que houvesse mudanças políticas e sociais profundas. ⦁ Burguesia industrial:queria ampliar a industrialização, mantendo os operários sob controle. ⦁ Classe média e tenentes: defendiam o fim da corrupção, modernização política e econômica que gerasse empregos e economia interna menos dependente da externa. ⦁ Operários: queriam mudanças sociais, melhorias nas suas condições de vida e trabalho, bem como participar da vida política brasileira.
  • 22. Consequências da Revolução de 30 ⦁ Centralização do poder ⦁ T roca da elite no poder: saem os representantes das oligarquias e entram os militares,os técnicos diplomados,os jovens políticos e os industriais. ⦁ Promoção da industrialização. ⦁ Proteção aos trabalhadores urbanos,incorporando-os a uma aliança de classes promovidas pelo poder estatal. ⦁ Papel central das ForçasArmadas como suporte da criação de uma indústria de base e como fator de garantia da ordem interna.
  • 23. FIM