SlideShare uma empresa Scribd logo
arquitetura e
urbanismo
CURSO ARQUITETURA
E URBANISMO
Profs. Paula e Amon
PROJETO DA
PAISAGEM URBANA
AULA 9
PAULA
1ºsem2021
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
Fatores primordiais para transformação de uma área qualquer em uma
Unidade de Conservação...
A
1- Riqueza de
Biodiversidade
(flora, fauna,
animais em
extinção,
espécies
endêmicas)
Na foto: Arara.
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
Mico-leão-dourado
(em extinção)
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
Tatu-bola
(em extinção)
A
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
Flora
amazônica
A
2- Variedade de
Ecossistemas
Naturais
Na foto:
Caatinga.
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
Pantanal
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
Pantanal
3- Paisagens
Naturais
Relevantes
Na foto:
Fernando de
Noronha.
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
Lençois
MA
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
Foz do Iguaçu
4- Aspectos
Geográficos /
Culturais
Relevantes
Na foto:
Chapada dos
Guimarães.
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
Serra da
Capivara
5- Necessidade
de Ordenamento
das Atividades
Humanas
Pesca.
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
Turismo
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
Agricultura
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
Desmatamento
6- Presença de
Populações
Tradicionais
Na foto: Minas
Gerais
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
População
Indígena brasileira
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
Catador de
Castanha-do-Pará
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
Marisqueiras
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
Pescador
Artesanal
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
Comunidades
Quilombolas
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
Catadoras de
côco babaçu
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
Seringueiro
• As Unidades de Conservação são áreas com características naturais
relevantes, legalmente instituídas pelo Poder Público, com limites definidos,
destinadas à proteção dos recursos naturais (preservação x conservação).
• As Unidades de Conservação podem ser municipais, estaduais ou
federais, e públicas ou particulares.
• Sistema Nacional de Unidades de Conservação – SNUC (LEI N° 9.985/2000)
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO – SNUC
• Objetivos:
I - contribuir para a manutenção da diversidade biológica e dos recursos genéticos no
território nacional e nas águas jurisdicionais;
II - proteger as espécies ameaçadas de extinção no âmbito regional e nacional;
III - contribuir para a preservação e a restauração da diversidade de ecossistemas
naturais;
IV - promover o desenvolvimento sustentável a partir dos recursos naturais;
V - promover a utilização dos princípios e práticas de conservação da natureza no
processo de desenvolvimento;
VI - proteger paisagens naturais e pouco alteradas de notável beleza cênica;
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
VII - proteger as características relevantes de natureza geológica, espeleológica,
arqueológica, paleontológica e cultural;
VIII - proteger e recuperar recursos hídricos e edáficos (solo);
IX - recuperar ou restaurar ecossistemas degradados;
X - proporcionar meios e incentivos para atividades de pesquisa científica, estudos e
monitoramento ambiental;
XI - valorizar econômica e socialmente a diversidade biológica;
XII - favorecer condições e promover a educação e interpretação ambiental, a recreação
em contato com a natureza e o turismo ecológico;
XIII - proteger os recursos naturais necessários à subsistência de populações
tradicionais, respeitando e valorizando seu conhecimento e sua cultura e promovendo-
as social e economicamente.
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
CATEGORIAS DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO
I – Unidades de Proteção Integral (preservação)
Entende-se por proteção integral a manutenção dos ecossistemas livres de
alterações causadas por interferência humana, admitindo apenas o uso
indireto dos seus atributos naturais.
II – Unidades de Uso Sustentável (conservação)
Entende-se como uso sustentável a exploração do ambiente de maneira a
garantir a sobrevivência dos recursos ambientais renováveis e dos processos
ecológicos, mantendo a biodiversidade e os demais atributos ecológicos, de
forma socialmente justa e economicamente viável.
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
Exemplos de atividades
de uso indireto dos
recursos naturais são:
• Visitação;
• Recreação em contato
com a natureza;
• Turismo ecológico;
• Pesquisa científica;
• Educação e
• Interpretação ambiental.
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
UNIDADES DE
CONSERVAÇÃO
A
SNUC
Reserva Particular do Patrimônio Natural
Reserva de Desenvolvimento Sustentável
Unidades de Proteção Integral Unidades de Uso Sustentável
Estação Ecológica
Reserva Biológica
Parque Nacional, Estadual e Municipal
Monumento Natural
Refúgio da Vida Silvestre
Área de Proteção Ambiental
Área de Relevante Interesse Ecológico
Floresta Nacional
Reserva Extrativista
Reserva de Fauna
FLUXOGRAMA DE
CRIAÇÃO DE UC
ESTAÇÃO ECOLÓGICA
• Preservação da natureza.
• Permitido a pesquisa científica e visitação com fins educacionais
RESERVA BIOLÓGICA
• Preservação da biota.
• Permitido a pesquisa científica e visitação com fins educacionais
PARQUE NACIONAL, ESTADUAL OU MUNICIPAL
• Preservação de ecossistemas de grande relevância e beleza cênica.
• Permitido a pesquisa científica, visitação com fins educacionais
e visitação pública Monumento Natural
• Preservação de sítios naturais raros, singulares.
• Pode ser constituído por áreas privadas, destinado à visitação pública.
REFÚGIO DA VIDA SILVESTRE
• Proteger locais importantes para fauna, residente ou migratória.
• Pode ser constituída por área privadas, destinada à visitação pública e
pesquisa.
UNIDADES DE PROTEÇÃO
INTEGRAL
ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL
• Área extensa, misto de áreas privadas e públicas
• Ordenamento da ocupação
ÁREA DE RELEVANTE INTERESSE ECOLÓGICO
• Área de pequena extensão
• Conservar ecossistemas e espécies, compatibilizando com uso humano
FLORESTA NACIONAL
• Área com cobertura florestal nativa
• Uso dos recursos florestais, pesquisa, permanência de populações
tradicionais e visitação
RESERVA EXTRATIVISTA
• Área utilizada por populações tradicionais extrativistas
• Domínio público, com concessão de uso
• Visitação e pesquisa
UNIDADES DE USO
SUSTENTÁVEL
RESERVA DE FAUNA
• Área natural com espécies nativas, adequada para estudos visando
manejo econômico sustentável
• Domínio público, visitação permitida
RESERVA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
• Conservação e assegurar a manutenção de povos tradicionais
• Permite e incentiva a visitação e pesquisa científica
RESERVA PARTICULAR DO PATRIMÔNIO NATURAL
• Área privada, averbada para conservação
• Permite pesquisa e visitação recreacional e educacional.
• Proprietário é quem elabora o plano de manejo
UNIDADES DE USO
SUSTENTÁVEL
AULA SNUC - UNIDADES DE CONSERVAÇÃO.pdf
UC’S FEDERAIS - PERNAMBUCO
Reserva Biológica de Serra Negra
Bioma: Caatinga
Ano de Criação: 1982
UNIDADES DE USO
SUSTENTÁVEL
Reserva Biológica de Saltinho
Bioma: Mata Atlântica
Ano de Criação: 1983
UNIDADES DE USO
SUSTENTÁVEL
Área de Proteção Ambiental de Fernando de Noronha
Bioma: Ambientes Marinhos e Costeiros
Ano de Criação: 1987
UNIDADES DE USO
SUSTENTÁVEL
Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha
Bioma: Ecossistemas Marinhos
Ano de Criação: 1988
UNIDADES DE USO
SUSTENTÁVEL
Parque Nacional do Catimbau
Bioma: Caatinga, Cerrado, Campos Rupestres, Mata Atlântica
Ano de Criação: 1997
UNIDADES DE USO
SUSTENTÁVEL
RPPN Maurício Dantas em Betânia e Floresta
Bioma: Caatinga
Ano de Criação: 1997
UNIDADES DE USO
SUSTENTÁVEL
Área de Proteção Ambiental Costa dos Corais
Bioma: Ambientes Costeiros e Marinhos
Ano de Criação: 1997
UNIDADES DE USO
SUSTENTÁVEL
Área de Proteção Ambiental da Chapada do Araripe
Bioma: Caatinga
Ano de Criação: 1997
UNIDADES DE USO
SUSTENTÁVEL
RPPN Nossa Senhora do Outeiro de Maracaípe em Ipojuca
Bioma: Mata Atlântica
Ano de Criação: 2000
UNIDADES DE USO
SUSTENTÁVEL
RPPN Santa Beatriz do Carnijó em Moreno
Bioma: Mata Atlântica
Ano de Criação: 2001
UNIDADES DE USO
SUSTENTÁVEL
RPPN Cabanos em Altinho
Bioma: Caatinga
Ano de Criação: 2002
UNIDADES DE USO
SUSTENTÁVEL
RPPN Frei Caneca em Jaqueira
Bioma: Mata Atlântica
Ano de Criação: 2002
UNIDADES DE USO
SUSTENTÁVEL
RPPN Fazenda Brejo em Saloá
Bioma: Mata Atlântica
Ano de Criação: 2002
UNIDADES DE USO
SUSTENTÁVEL
RPPN Cantidiano Valgueiro Barros em Floresta
Bioma: Caatinga
Ano de Criação: 2002
UNIDADES DE USO
SUSTENTÁVEL
Reserva Extrativista Acaú-Goiana
Bioma: Ambientes Costeiros e Marinhos
Ano de Criação: 2007
UNIDADES DE USO
SUSTENTÁVEL
Floresta Nacional Negreiros
Bioma: Caatinga
Ano de Criação: 2007
UNIDADES DE USO
SUSTENTÁVEL

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Crimes ambientais
Crimes ambientaisCrimes ambientais
Crimes ambientais
crisdupret
 
Aula SNUC - Introdução
Aula SNUC  - IntroduçãoAula SNUC  - Introdução
Aula SNUC - Introdução
lucianagraciano
 
Sistema nacional de unidades de conservação
Sistema nacional de unidades de conservaçãoSistema nacional de unidades de conservação
Sistema nacional de unidades de conservação
guest0a95ab
 
Fundamentos de educação ambiental
Fundamentos de educação ambientalFundamentos de educação ambiental
Fundamentos de educação ambiental
Marília Gomes
 
Aula 6 planejamento urbano e amb
Aula 6   planejamento urbano e ambAula 6   planejamento urbano e amb
Aula 6 planejamento urbano e amb
Giovanna Ortiz
 
Conservação e recuperação de areas degradas
Conservação e recuperação de areas degradasConservação e recuperação de areas degradas
Conservação e recuperação de areas degradas
UERGS
 
Impactos ambientais no brasil
Impactos ambientais no brasilImpactos ambientais no brasil
Impactos ambientais no brasil
metodologia2011
 
Plano de Recuperação da Área Degradada como condicionante da Implantação do H...
Plano de Recuperação da Área Degradada como condicionante da Implantação do H...Plano de Recuperação da Área Degradada como condicionante da Implantação do H...
Plano de Recuperação da Área Degradada como condicionante da Implantação do H...
Mayara Leão
 
Aula 6 legislação ambiental
Aula 6 legislação ambientalAula 6 legislação ambiental
Aula 6 legislação ambiental
sionara14
 
Aula 10 ia
Aula 10   iaAula 10   ia
Aula 10 ia
Giovanna Ortiz
 
LEIS DE CRIMES AMBIENTAIS
LEIS DE CRIMES AMBIENTAISLEIS DE CRIMES AMBIENTAIS
LEIS DE CRIMES AMBIENTAIS
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Pegada Ecológica
Pegada EcológicaPegada Ecológica
Pegada Ecológica
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Manejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do SoloManejo e Conservação do Solo
O que é plano de manejo?
O que é plano de manejo?O que é plano de manejo?
O que é plano de manejo?
Master Ambiental
 
SNUC - Sistema Nacional de Unidades de Conservação
SNUC - Sistema Nacional de Unidades de Conservação SNUC - Sistema Nacional de Unidades de Conservação
SNUC - Sistema Nacional de Unidades de Conservação
Leandro A. Machado de Moura
 
Cadastro Ambiental Rural
Cadastro Ambiental RuralCadastro Ambiental Rural
Cadastro Ambiental Rural
CBH Rio das Velhas
 
Fitorremediacão: Como despolir águas e solos utilizando vegetais
Fitorremediacão: Como despolir águas e solos utilizando vegetaisFitorremediacão: Como despolir águas e solos utilizando vegetais
Fitorremediacão: Como despolir águas e solos utilizando vegetais
FREDY TELLO
 
Apresentação nascentes original
Apresentação  nascentes   originalApresentação  nascentes   original
Apresentação nascentes original
Rodrigo Fernandes
 
AULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
AULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptxAULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
AULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
Zoraide6
 
Unidades de Conservação - Por Renato Marchesini
Unidades de Conservação - Por Renato MarchesiniUnidades de Conservação - Por Renato Marchesini
Unidades de Conservação - Por Renato Marchesini
Renato Marchesini
 

Mais procurados (20)

Crimes ambientais
Crimes ambientaisCrimes ambientais
Crimes ambientais
 
Aula SNUC - Introdução
Aula SNUC  - IntroduçãoAula SNUC  - Introdução
Aula SNUC - Introdução
 
Sistema nacional de unidades de conservação
Sistema nacional de unidades de conservaçãoSistema nacional de unidades de conservação
Sistema nacional de unidades de conservação
 
Fundamentos de educação ambiental
Fundamentos de educação ambientalFundamentos de educação ambiental
Fundamentos de educação ambiental
 
Aula 6 planejamento urbano e amb
Aula 6   planejamento urbano e ambAula 6   planejamento urbano e amb
Aula 6 planejamento urbano e amb
 
Conservação e recuperação de areas degradas
Conservação e recuperação de areas degradasConservação e recuperação de areas degradas
Conservação e recuperação de areas degradas
 
Impactos ambientais no brasil
Impactos ambientais no brasilImpactos ambientais no brasil
Impactos ambientais no brasil
 
Plano de Recuperação da Área Degradada como condicionante da Implantação do H...
Plano de Recuperação da Área Degradada como condicionante da Implantação do H...Plano de Recuperação da Área Degradada como condicionante da Implantação do H...
Plano de Recuperação da Área Degradada como condicionante da Implantação do H...
 
Aula 6 legislação ambiental
Aula 6 legislação ambientalAula 6 legislação ambiental
Aula 6 legislação ambiental
 
Aula 10 ia
Aula 10   iaAula 10   ia
Aula 10 ia
 
LEIS DE CRIMES AMBIENTAIS
LEIS DE CRIMES AMBIENTAISLEIS DE CRIMES AMBIENTAIS
LEIS DE CRIMES AMBIENTAIS
 
Pegada Ecológica
Pegada EcológicaPegada Ecológica
Pegada Ecológica
 
Manejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do SoloManejo e Conservação do Solo
Manejo e Conservação do Solo
 
O que é plano de manejo?
O que é plano de manejo?O que é plano de manejo?
O que é plano de manejo?
 
SNUC - Sistema Nacional de Unidades de Conservação
SNUC - Sistema Nacional de Unidades de Conservação SNUC - Sistema Nacional de Unidades de Conservação
SNUC - Sistema Nacional de Unidades de Conservação
 
Cadastro Ambiental Rural
Cadastro Ambiental RuralCadastro Ambiental Rural
Cadastro Ambiental Rural
 
Fitorremediacão: Como despolir águas e solos utilizando vegetais
Fitorremediacão: Como despolir águas e solos utilizando vegetaisFitorremediacão: Como despolir águas e solos utilizando vegetais
Fitorremediacão: Como despolir águas e solos utilizando vegetais
 
Apresentação nascentes original
Apresentação  nascentes   originalApresentação  nascentes   original
Apresentação nascentes original
 
AULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
AULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptxAULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
AULA 1 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
 
Unidades de Conservação - Por Renato Marchesini
Unidades de Conservação - Por Renato MarchesiniUnidades de Conservação - Por Renato Marchesini
Unidades de Conservação - Por Renato Marchesini
 

Semelhante a AULA SNUC - UNIDADES DE CONSERVAÇÃO.pdf

975
975975
Unidades de Conservação Ambiental.pptx
Unidades de Conservação Ambiental.pptxUnidades de Conservação Ambiental.pptx
Unidades de Conservação Ambiental.pptx
rickriordan
 
Reasprotegidas 120214074257-phpapp01
Reasprotegidas 120214074257-phpapp01Reasprotegidas 120214074257-phpapp01
Reasprotegidas 120214074257-phpapp01
Pelo Siro
 
Guia Parques estaduais de Minas Gerais
Guia  Parques estaduais de Minas GeraisGuia  Parques estaduais de Minas Gerais
Guia Parques estaduais de Minas Gerais
Gabriela Leal
 
Uc's - Unidades de conservação
Uc's - Unidades de conservação Uc's - Unidades de conservação
Uc's - Unidades de conservação
Jhoony Larrye
 
Apres. carvalhais turismo
Apres. carvalhais turismoApres. carvalhais turismo
Apres. carvalhais turismo
esev6882
 
áReas protegidas
áReas protegidasáReas protegidas
áReas protegidas
Pelo Siro
 
mma-apresentacao-geral-snuc-convertido.pdf
mma-apresentacao-geral-snuc-convertido.pdfmma-apresentacao-geral-snuc-convertido.pdf
mma-apresentacao-geral-snuc-convertido.pdf
UsoPblicoPEPB
 
Ac
AcAc
Unidades de Conservação - Conceituação e Classificação
Unidades de Conservação - Conceituação e Classificação Unidades de Conservação - Conceituação e Classificação
Unidades de Conservação - Conceituação e Classificação
Leandro A. Machado de Moura
 
Pode ser config. --chapada dos veadeiros – cavalcante-go
Pode ser config.  --chapada dos veadeiros –  cavalcante-goPode ser config.  --chapada dos veadeiros –  cavalcante-go
Pode ser config. --chapada dos veadeiros – cavalcante-go
olecramsepol
 
Unidades de conservação
Unidades de conservaçãoUnidades de conservação
Unidades de conservação
Maira Egito Barros
 
Protecção e conservação da natureza e da biodiversidade
Protecção e conservação da natureza e da biodiversidadeProtecção e conservação da natureza e da biodiversidade
Protecção e conservação da natureza e da biodiversidade
Robert Szabo
 
Plano de Manejo Parque Estadual da Serra do Mar
Plano de Manejo Parque Estadual da Serra do MarPlano de Manejo Parque Estadual da Serra do Mar
Plano de Manejo Parque Estadual da Serra do Mar
Ricardo Anderáos
 
Espaços territoriais protegidos e unidades de conservação
Espaços territoriais protegidos e unidades de conservaçãoEspaços territoriais protegidos e unidades de conservação
Espaços territoriais protegidos e unidades de conservação
UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Faculdade de Direito
 
Guia para criar e implementar uma rppn – reserva particular de patrimônio nat...
Guia para criar e implementar uma rppn – reserva particular de patrimônio nat...Guia para criar e implementar uma rppn – reserva particular de patrimônio nat...
Guia para criar e implementar uma rppn – reserva particular de patrimônio nat...
EcoHospedagem
 
unidades_de_conservacao.pptx
unidades_de_conservacao.pptxunidades_de_conservacao.pptx
unidades_de_conservacao.pptx
BeatrizMassacesi1
 
Reserva particular do patrimônio natural o caso da rppn serra dos criminoso...
Reserva particular do patrimônio natural   o caso da rppn serra dos criminoso...Reserva particular do patrimônio natural   o caso da rppn serra dos criminoso...
Reserva particular do patrimônio natural o caso da rppn serra dos criminoso...
Revista Cafeicultura
 
Icmbio - apresentação sobre o parque nacional da Serra da Gandarela
Icmbio - apresentação sobre o parque nacional da Serra da GandarelaIcmbio - apresentação sobre o parque nacional da Serra da Gandarela
Icmbio - apresentação sobre o parque nacional da Serra da Gandarela
Agência Peixe Vivo
 
Plano de manejo: MONUMENTO NATURAL MUNICIPAL DA SERRA DO PANTANAL
Plano de manejo: MONUMENTO NATURAL MUNICIPAL DA SERRA DO PANTANAL Plano de manejo: MONUMENTO NATURAL MUNICIPAL DA SERRA DO PANTANAL
Plano de manejo: MONUMENTO NATURAL MUNICIPAL DA SERRA DO PANTANAL
Raylana Avinte
 

Semelhante a AULA SNUC - UNIDADES DE CONSERVAÇÃO.pdf (20)

975
975975
975
 
Unidades de Conservação Ambiental.pptx
Unidades de Conservação Ambiental.pptxUnidades de Conservação Ambiental.pptx
Unidades de Conservação Ambiental.pptx
 
Reasprotegidas 120214074257-phpapp01
Reasprotegidas 120214074257-phpapp01Reasprotegidas 120214074257-phpapp01
Reasprotegidas 120214074257-phpapp01
 
Guia Parques estaduais de Minas Gerais
Guia  Parques estaduais de Minas GeraisGuia  Parques estaduais de Minas Gerais
Guia Parques estaduais de Minas Gerais
 
Uc's - Unidades de conservação
Uc's - Unidades de conservação Uc's - Unidades de conservação
Uc's - Unidades de conservação
 
Apres. carvalhais turismo
Apres. carvalhais turismoApres. carvalhais turismo
Apres. carvalhais turismo
 
áReas protegidas
áReas protegidasáReas protegidas
áReas protegidas
 
mma-apresentacao-geral-snuc-convertido.pdf
mma-apresentacao-geral-snuc-convertido.pdfmma-apresentacao-geral-snuc-convertido.pdf
mma-apresentacao-geral-snuc-convertido.pdf
 
Ac
AcAc
Ac
 
Unidades de Conservação - Conceituação e Classificação
Unidades de Conservação - Conceituação e Classificação Unidades de Conservação - Conceituação e Classificação
Unidades de Conservação - Conceituação e Classificação
 
Pode ser config. --chapada dos veadeiros – cavalcante-go
Pode ser config.  --chapada dos veadeiros –  cavalcante-goPode ser config.  --chapada dos veadeiros –  cavalcante-go
Pode ser config. --chapada dos veadeiros – cavalcante-go
 
Unidades de conservação
Unidades de conservaçãoUnidades de conservação
Unidades de conservação
 
Protecção e conservação da natureza e da biodiversidade
Protecção e conservação da natureza e da biodiversidadeProtecção e conservação da natureza e da biodiversidade
Protecção e conservação da natureza e da biodiversidade
 
Plano de Manejo Parque Estadual da Serra do Mar
Plano de Manejo Parque Estadual da Serra do MarPlano de Manejo Parque Estadual da Serra do Mar
Plano de Manejo Parque Estadual da Serra do Mar
 
Espaços territoriais protegidos e unidades de conservação
Espaços territoriais protegidos e unidades de conservaçãoEspaços territoriais protegidos e unidades de conservação
Espaços territoriais protegidos e unidades de conservação
 
Guia para criar e implementar uma rppn – reserva particular de patrimônio nat...
Guia para criar e implementar uma rppn – reserva particular de patrimônio nat...Guia para criar e implementar uma rppn – reserva particular de patrimônio nat...
Guia para criar e implementar uma rppn – reserva particular de patrimônio nat...
 
unidades_de_conservacao.pptx
unidades_de_conservacao.pptxunidades_de_conservacao.pptx
unidades_de_conservacao.pptx
 
Reserva particular do patrimônio natural o caso da rppn serra dos criminoso...
Reserva particular do patrimônio natural   o caso da rppn serra dos criminoso...Reserva particular do patrimônio natural   o caso da rppn serra dos criminoso...
Reserva particular do patrimônio natural o caso da rppn serra dos criminoso...
 
Icmbio - apresentação sobre o parque nacional da Serra da Gandarela
Icmbio - apresentação sobre o parque nacional da Serra da GandarelaIcmbio - apresentação sobre o parque nacional da Serra da Gandarela
Icmbio - apresentação sobre o parque nacional da Serra da Gandarela
 
Plano de manejo: MONUMENTO NATURAL MUNICIPAL DA SERRA DO PANTANAL
Plano de manejo: MONUMENTO NATURAL MUNICIPAL DA SERRA DO PANTANAL Plano de manejo: MONUMENTO NATURAL MUNICIPAL DA SERRA DO PANTANAL
Plano de manejo: MONUMENTO NATURAL MUNICIPAL DA SERRA DO PANTANAL
 

Mais de PaulaMariaMagalhesTe

AULA 6 - ERGONOMIA.pdf
AULA 6 - ERGONOMIA.pdfAULA 6 - ERGONOMIA.pdf
AULA 6 - ERGONOMIA.pdf
PaulaMariaMagalhesTe
 
AULA 7 - ENSINO DESIGN E SUSTENTABILIDADE.pdf
AULA 7 - ENSINO DESIGN E SUSTENTABILIDADE.pdfAULA 7 - ENSINO DESIGN E SUSTENTABILIDADE.pdf
AULA 7 - ENSINO DESIGN E SUSTENTABILIDADE.pdf
PaulaMariaMagalhesTe
 
AULA 2 - GABRIEL - CULTURA E ARTESANATO INDIGENA NO BRASIL.pdf
AULA 2 - GABRIEL - CULTURA E ARTESANATO INDIGENA NO BRASIL.pdfAULA 2 - GABRIEL - CULTURA E ARTESANATO INDIGENA NO BRASIL.pdf
AULA 2 - GABRIEL - CULTURA E ARTESANATO INDIGENA NO BRASIL.pdf
PaulaMariaMagalhesTe
 
AULA 13 - VAZIOS URBANOS E QUADRA ABERTA - CONCEITOS.pdf
AULA 13 - VAZIOS URBANOS E QUADRA ABERTA - CONCEITOS.pdfAULA 13 - VAZIOS URBANOS E QUADRA ABERTA - CONCEITOS.pdf
AULA 13 - VAZIOS URBANOS E QUADRA ABERTA - CONCEITOS.pdf
PaulaMariaMagalhesTe
 
AULA 3 - PAISAGISMO NO BRASIL - ECLETICO.pdf
AULA 3 - PAISAGISMO NO BRASIL - ECLETICO.pdfAULA 3 - PAISAGISMO NO BRASIL - ECLETICO.pdf
AULA 3 - PAISAGISMO NO BRASIL - ECLETICO.pdf
PaulaMariaMagalhesTe
 
AULA 3 - PARTE 1 - CONCEITOS PAISAGISMO.pdf
AULA 3 - PARTE 1 - CONCEITOS PAISAGISMO.pdfAULA 3 - PARTE 1 - CONCEITOS PAISAGISMO.pdf
AULA 3 - PARTE 1 - CONCEITOS PAISAGISMO.pdf
PaulaMariaMagalhesTe
 
AULA 3 - PAISAGISMO NO BRASIL-MODERNISMO.pdf
AULA 3 - PAISAGISMO  NO BRASIL-MODERNISMO.pdfAULA 3 - PAISAGISMO  NO BRASIL-MODERNISMO.pdf
AULA 3 - PAISAGISMO NO BRASIL-MODERNISMO.pdf
PaulaMariaMagalhesTe
 
AULA POLITICAS AMBIENTAIS NO BRASIL.pdf
AULA POLITICAS AMBIENTAIS NO BRASIL.pdfAULA POLITICAS AMBIENTAIS NO BRASIL.pdf
AULA POLITICAS AMBIENTAIS NO BRASIL.pdf
PaulaMariaMagalhesTe
 
AULA APP - AREAS DE PROTEÇÃO PERMANENTE.pdf
AULA  APP - AREAS DE PROTEÇÃO PERMANENTE.pdfAULA  APP - AREAS DE PROTEÇÃO PERMANENTE.pdf
AULA APP - AREAS DE PROTEÇÃO PERMANENTE.pdf
PaulaMariaMagalhesTe
 
AULA BACIA HIDROGRAFICA.pdf
AULA BACIA HIDROGRAFICA.pdfAULA BACIA HIDROGRAFICA.pdf
AULA BACIA HIDROGRAFICA.pdf
PaulaMariaMagalhesTe
 
AULA CONCEITOS DE PAISAGEM.pdf
AULA CONCEITOS DE PAISAGEM.pdfAULA CONCEITOS DE PAISAGEM.pdf
AULA CONCEITOS DE PAISAGEM.pdf
PaulaMariaMagalhesTe
 

Mais de PaulaMariaMagalhesTe (11)

AULA 6 - ERGONOMIA.pdf
AULA 6 - ERGONOMIA.pdfAULA 6 - ERGONOMIA.pdf
AULA 6 - ERGONOMIA.pdf
 
AULA 7 - ENSINO DESIGN E SUSTENTABILIDADE.pdf
AULA 7 - ENSINO DESIGN E SUSTENTABILIDADE.pdfAULA 7 - ENSINO DESIGN E SUSTENTABILIDADE.pdf
AULA 7 - ENSINO DESIGN E SUSTENTABILIDADE.pdf
 
AULA 2 - GABRIEL - CULTURA E ARTESANATO INDIGENA NO BRASIL.pdf
AULA 2 - GABRIEL - CULTURA E ARTESANATO INDIGENA NO BRASIL.pdfAULA 2 - GABRIEL - CULTURA E ARTESANATO INDIGENA NO BRASIL.pdf
AULA 2 - GABRIEL - CULTURA E ARTESANATO INDIGENA NO BRASIL.pdf
 
AULA 13 - VAZIOS URBANOS E QUADRA ABERTA - CONCEITOS.pdf
AULA 13 - VAZIOS URBANOS E QUADRA ABERTA - CONCEITOS.pdfAULA 13 - VAZIOS URBANOS E QUADRA ABERTA - CONCEITOS.pdf
AULA 13 - VAZIOS URBANOS E QUADRA ABERTA - CONCEITOS.pdf
 
AULA 3 - PAISAGISMO NO BRASIL - ECLETICO.pdf
AULA 3 - PAISAGISMO NO BRASIL - ECLETICO.pdfAULA 3 - PAISAGISMO NO BRASIL - ECLETICO.pdf
AULA 3 - PAISAGISMO NO BRASIL - ECLETICO.pdf
 
AULA 3 - PARTE 1 - CONCEITOS PAISAGISMO.pdf
AULA 3 - PARTE 1 - CONCEITOS PAISAGISMO.pdfAULA 3 - PARTE 1 - CONCEITOS PAISAGISMO.pdf
AULA 3 - PARTE 1 - CONCEITOS PAISAGISMO.pdf
 
AULA 3 - PAISAGISMO NO BRASIL-MODERNISMO.pdf
AULA 3 - PAISAGISMO  NO BRASIL-MODERNISMO.pdfAULA 3 - PAISAGISMO  NO BRASIL-MODERNISMO.pdf
AULA 3 - PAISAGISMO NO BRASIL-MODERNISMO.pdf
 
AULA POLITICAS AMBIENTAIS NO BRASIL.pdf
AULA POLITICAS AMBIENTAIS NO BRASIL.pdfAULA POLITICAS AMBIENTAIS NO BRASIL.pdf
AULA POLITICAS AMBIENTAIS NO BRASIL.pdf
 
AULA APP - AREAS DE PROTEÇÃO PERMANENTE.pdf
AULA  APP - AREAS DE PROTEÇÃO PERMANENTE.pdfAULA  APP - AREAS DE PROTEÇÃO PERMANENTE.pdf
AULA APP - AREAS DE PROTEÇÃO PERMANENTE.pdf
 
AULA BACIA HIDROGRAFICA.pdf
AULA BACIA HIDROGRAFICA.pdfAULA BACIA HIDROGRAFICA.pdf
AULA BACIA HIDROGRAFICA.pdf
 
AULA CONCEITOS DE PAISAGEM.pdf
AULA CONCEITOS DE PAISAGEM.pdfAULA CONCEITOS DE PAISAGEM.pdf
AULA CONCEITOS DE PAISAGEM.pdf
 

Último

CIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdf
CIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdfCIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdf
CIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdf
viictorrkk
 
Mecanismos de ação dos inseticidas. Marlison Teixeira
Mecanismos de ação dos inseticidas. Marlison TeixeiraMecanismos de ação dos inseticidas. Marlison Teixeira
Mecanismos de ação dos inseticidas. Marlison Teixeira
Geagra UFG
 
Muro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdf
Muro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdfMuro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdf
Muro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdf
Marco Zero Conteúdo
 
Melhoramento animal genética e estatística
Melhoramento animal genética e estatísticaMelhoramento animal genética e estatística
Melhoramento animal genética e estatística
tyciavilela
 
Manejo de insetos-pragas sugadores .pptx
Manejo de insetos-pragas sugadores .pptxManejo de insetos-pragas sugadores .pptx
Manejo de insetos-pragas sugadores .pptx
Geagra UFG
 
Muro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdf
Muro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdfMuro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdf
Muro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdf
Marco Zero Conteúdo
 
Economia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdf
Economia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdfEconomia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdf
Economia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdf
DeboraGomes73
 

Último (7)

CIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdf
CIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdfCIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdf
CIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdf
 
Mecanismos de ação dos inseticidas. Marlison Teixeira
Mecanismos de ação dos inseticidas. Marlison TeixeiraMecanismos de ação dos inseticidas. Marlison Teixeira
Mecanismos de ação dos inseticidas. Marlison Teixeira
 
Muro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdf
Muro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdfMuro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdf
Muro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdf
 
Melhoramento animal genética e estatística
Melhoramento animal genética e estatísticaMelhoramento animal genética e estatística
Melhoramento animal genética e estatística
 
Manejo de insetos-pragas sugadores .pptx
Manejo de insetos-pragas sugadores .pptxManejo de insetos-pragas sugadores .pptx
Manejo de insetos-pragas sugadores .pptx
 
Muro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdf
Muro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdfMuro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdf
Muro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdf
 
Economia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdf
Economia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdfEconomia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdf
Economia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdf
 

AULA SNUC - UNIDADES DE CONSERVAÇÃO.pdf

  • 1. arquitetura e urbanismo CURSO ARQUITETURA E URBANISMO Profs. Paula e Amon PROJETO DA PAISAGEM URBANA AULA 9 PAULA 1ºsem2021 UNIDADES DE CONSERVAÇÃO
  • 2. UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Fatores primordiais para transformação de uma área qualquer em uma Unidade de Conservação... A
  • 3. 1- Riqueza de Biodiversidade (flora, fauna, animais em extinção, espécies endêmicas) Na foto: Arara. UNIDADES DE CONSERVAÇÃO A
  • 7. 2- Variedade de Ecossistemas Naturais Na foto: Caatinga. UNIDADES DE CONSERVAÇÃO A
  • 10. 3- Paisagens Naturais Relevantes Na foto: Fernando de Noronha. UNIDADES DE CONSERVAÇÃO A
  • 13. 4- Aspectos Geográficos / Culturais Relevantes Na foto: Chapada dos Guimarães. UNIDADES DE CONSERVAÇÃO A
  • 15. 5- Necessidade de Ordenamento das Atividades Humanas Pesca. UNIDADES DE CONSERVAÇÃO A
  • 19. 6- Presença de Populações Tradicionais Na foto: Minas Gerais UNIDADES DE CONSERVAÇÃO A
  • 27. • As Unidades de Conservação são áreas com características naturais relevantes, legalmente instituídas pelo Poder Público, com limites definidos, destinadas à proteção dos recursos naturais (preservação x conservação). • As Unidades de Conservação podem ser municipais, estaduais ou federais, e públicas ou particulares. • Sistema Nacional de Unidades de Conservação – SNUC (LEI N° 9.985/2000) UNIDADES DE CONSERVAÇÃO A
  • 28. SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO – SNUC • Objetivos: I - contribuir para a manutenção da diversidade biológica e dos recursos genéticos no território nacional e nas águas jurisdicionais; II - proteger as espécies ameaçadas de extinção no âmbito regional e nacional; III - contribuir para a preservação e a restauração da diversidade de ecossistemas naturais; IV - promover o desenvolvimento sustentável a partir dos recursos naturais; V - promover a utilização dos princípios e práticas de conservação da natureza no processo de desenvolvimento; VI - proteger paisagens naturais e pouco alteradas de notável beleza cênica; UNIDADES DE CONSERVAÇÃO A
  • 29. VII - proteger as características relevantes de natureza geológica, espeleológica, arqueológica, paleontológica e cultural; VIII - proteger e recuperar recursos hídricos e edáficos (solo); IX - recuperar ou restaurar ecossistemas degradados; X - proporcionar meios e incentivos para atividades de pesquisa científica, estudos e monitoramento ambiental; XI - valorizar econômica e socialmente a diversidade biológica; XII - favorecer condições e promover a educação e interpretação ambiental, a recreação em contato com a natureza e o turismo ecológico; XIII - proteger os recursos naturais necessários à subsistência de populações tradicionais, respeitando e valorizando seu conhecimento e sua cultura e promovendo- as social e economicamente. UNIDADES DE CONSERVAÇÃO A
  • 30. CATEGORIAS DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO I – Unidades de Proteção Integral (preservação) Entende-se por proteção integral a manutenção dos ecossistemas livres de alterações causadas por interferência humana, admitindo apenas o uso indireto dos seus atributos naturais. II – Unidades de Uso Sustentável (conservação) Entende-se como uso sustentável a exploração do ambiente de maneira a garantir a sobrevivência dos recursos ambientais renováveis e dos processos ecológicos, mantendo a biodiversidade e os demais atributos ecológicos, de forma socialmente justa e economicamente viável. UNIDADES DE CONSERVAÇÃO A
  • 31. Exemplos de atividades de uso indireto dos recursos naturais são: • Visitação; • Recreação em contato com a natureza; • Turismo ecológico; • Pesquisa científica; • Educação e • Interpretação ambiental. UNIDADES DE CONSERVAÇÃO A
  • 32. UNIDADES DE CONSERVAÇÃO A SNUC Reserva Particular do Patrimônio Natural Reserva de Desenvolvimento Sustentável Unidades de Proteção Integral Unidades de Uso Sustentável Estação Ecológica Reserva Biológica Parque Nacional, Estadual e Municipal Monumento Natural Refúgio da Vida Silvestre Área de Proteção Ambiental Área de Relevante Interesse Ecológico Floresta Nacional Reserva Extrativista Reserva de Fauna
  • 34. ESTAÇÃO ECOLÓGICA • Preservação da natureza. • Permitido a pesquisa científica e visitação com fins educacionais RESERVA BIOLÓGICA • Preservação da biota. • Permitido a pesquisa científica e visitação com fins educacionais PARQUE NACIONAL, ESTADUAL OU MUNICIPAL • Preservação de ecossistemas de grande relevância e beleza cênica. • Permitido a pesquisa científica, visitação com fins educacionais e visitação pública Monumento Natural • Preservação de sítios naturais raros, singulares. • Pode ser constituído por áreas privadas, destinado à visitação pública. REFÚGIO DA VIDA SILVESTRE • Proteger locais importantes para fauna, residente ou migratória. • Pode ser constituída por área privadas, destinada à visitação pública e pesquisa. UNIDADES DE PROTEÇÃO INTEGRAL
  • 35. ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL • Área extensa, misto de áreas privadas e públicas • Ordenamento da ocupação ÁREA DE RELEVANTE INTERESSE ECOLÓGICO • Área de pequena extensão • Conservar ecossistemas e espécies, compatibilizando com uso humano FLORESTA NACIONAL • Área com cobertura florestal nativa • Uso dos recursos florestais, pesquisa, permanência de populações tradicionais e visitação RESERVA EXTRATIVISTA • Área utilizada por populações tradicionais extrativistas • Domínio público, com concessão de uso • Visitação e pesquisa UNIDADES DE USO SUSTENTÁVEL
  • 36. RESERVA DE FAUNA • Área natural com espécies nativas, adequada para estudos visando manejo econômico sustentável • Domínio público, visitação permitida RESERVA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL • Conservação e assegurar a manutenção de povos tradicionais • Permite e incentiva a visitação e pesquisa científica RESERVA PARTICULAR DO PATRIMÔNIO NATURAL • Área privada, averbada para conservação • Permite pesquisa e visitação recreacional e educacional. • Proprietário é quem elabora o plano de manejo UNIDADES DE USO SUSTENTÁVEL
  • 38. UC’S FEDERAIS - PERNAMBUCO Reserva Biológica de Serra Negra Bioma: Caatinga Ano de Criação: 1982 UNIDADES DE USO SUSTENTÁVEL
  • 39. Reserva Biológica de Saltinho Bioma: Mata Atlântica Ano de Criação: 1983 UNIDADES DE USO SUSTENTÁVEL
  • 40. Área de Proteção Ambiental de Fernando de Noronha Bioma: Ambientes Marinhos e Costeiros Ano de Criação: 1987 UNIDADES DE USO SUSTENTÁVEL
  • 41. Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha Bioma: Ecossistemas Marinhos Ano de Criação: 1988 UNIDADES DE USO SUSTENTÁVEL
  • 42. Parque Nacional do Catimbau Bioma: Caatinga, Cerrado, Campos Rupestres, Mata Atlântica Ano de Criação: 1997 UNIDADES DE USO SUSTENTÁVEL
  • 43. RPPN Maurício Dantas em Betânia e Floresta Bioma: Caatinga Ano de Criação: 1997 UNIDADES DE USO SUSTENTÁVEL
  • 44. Área de Proteção Ambiental Costa dos Corais Bioma: Ambientes Costeiros e Marinhos Ano de Criação: 1997 UNIDADES DE USO SUSTENTÁVEL
  • 45. Área de Proteção Ambiental da Chapada do Araripe Bioma: Caatinga Ano de Criação: 1997 UNIDADES DE USO SUSTENTÁVEL
  • 46. RPPN Nossa Senhora do Outeiro de Maracaípe em Ipojuca Bioma: Mata Atlântica Ano de Criação: 2000 UNIDADES DE USO SUSTENTÁVEL
  • 47. RPPN Santa Beatriz do Carnijó em Moreno Bioma: Mata Atlântica Ano de Criação: 2001 UNIDADES DE USO SUSTENTÁVEL
  • 48. RPPN Cabanos em Altinho Bioma: Caatinga Ano de Criação: 2002 UNIDADES DE USO SUSTENTÁVEL
  • 49. RPPN Frei Caneca em Jaqueira Bioma: Mata Atlântica Ano de Criação: 2002 UNIDADES DE USO SUSTENTÁVEL
  • 50. RPPN Fazenda Brejo em Saloá Bioma: Mata Atlântica Ano de Criação: 2002 UNIDADES DE USO SUSTENTÁVEL
  • 51. RPPN Cantidiano Valgueiro Barros em Floresta Bioma: Caatinga Ano de Criação: 2002 UNIDADES DE USO SUSTENTÁVEL
  • 52. Reserva Extrativista Acaú-Goiana Bioma: Ambientes Costeiros e Marinhos Ano de Criação: 2007 UNIDADES DE USO SUSTENTÁVEL
  • 53. Floresta Nacional Negreiros Bioma: Caatinga Ano de Criação: 2007 UNIDADES DE USO SUSTENTÁVEL