SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 39
Baixar para ler offline
Conceitos e Metodologias em Extensão Rural
Professor Dr. Gabriel Miranda Macambira
Zootecnista
UNINASSAU UNIDADE BOA VIAGEM
Curso de Bacharelado em Medicina Veterinária
Disciplina: Sociologia e Extensão Rural
Aula 6
Métodos de Extensão
Difusão de conhecimentos, tecnologias e inovações no
meio rural;
Método: meio pelo qual o processo de comunicação será
efetuado;
Metodologia: explicação minuciosa, detalhada, rigorosa e
exata de toda ação desenvolvida no método escolhido para
se atingir um determinado objetivo.
MÉTODO X METODOLOGIA
Métodos de Extensão: objetivos
CAPACITAÇÃO MOTIVAÇÃO INFORMAÇÃO
AUMENTO NO NÚMERO DE PESSOAS
Métodos de Extensão: eficiência e eficácia
Intimamente relacionados aos métodos de extensão;
Eficiência
Alcance
Eficácia
Nível de
aprendizado
Métodos de Extensão: objetivos
CAPACITAÇÃO MOTIVAÇÃO INFORMAÇÃO
Aumento da eficiência
Aumento da eficácia
Métodos de Extensão: meios de efetuação
Individual
Atende ao público individualmente;
Métodos baratos, no entanto com menor número de
pessoas atingidas;
Atendimento individualizado;
Permite que os produtores conheçam melhor os
extensionistas e criem, mais facilmente, laços de confiança;
Métodos com maior eficácia e menor eficiência.
Métodos de Extensão: meios de efetuação
Grupal
Atende a grupos pré-definidos;
Proporcionando trocas de ideias, experiências e construção
de saberes;
Tem a vantagem de atender um número maior de pessoas
com menor custo;
Facilita: descoberta de cooperação, de líderes comunitários
e incentivam a cooperação e organização;
Métodos com níveis intermediários de eficiência e eficácia.
Métodos de Extensão: meios de efetuação
Massal
Atende o público em geral, visando atender as pessoas em
massa;
Atende um número significativo e indeterminado de
pessoas;
Estes métodos possuem maior eficiência e menor eficácia.
Métodos de Extensão: seleção do método
Na seleção do método de extensão e difusão de
tecnologias deve-se atentar as seguintes características:
Tamanho do grupo;
Grau de instrução do grupo;
Local e recursos para a apresentação;
Infraestrutura;
O método principal deve primeiramente chamar a atenção
do produtor e engajá-lo no processo.
Demais métodos: despertar o interesse do produtor
através de experimentação e demonstração aplicada.
Metodologia em Extensão Rural: como planejar?
Público
Objetivo
Conteúdo
Método
Quais os elementos essenciais no processo de extensão?
Metodologia em Extensão Rural
I – Público
Quem são?
Como são?
O que já sabem?
O que fazem?
Quais as suas necessidades mais imediatas?
Conectar-se com as reais necessidades das pessoas e
comunidades é de extrema importância para a criação
de laços de confiança.
Metodologia em Extensão Rural
II – Objetivo
Para quê?
Com que finalidade?
Qual a expectativa?
Qual mudança de comportamento, atitude?
Metodologia em Extensão Rural
III – Conteúdo: informação que temos sobre determinado
assunto/tema.
Qual a matéria?
Qual o assunto?
Que temas faltam?
Que experiências temos disponíveis?
Metodologia em Extensão Rural
IV – Métodos
Como vou fazer?
Quais os procedimentos?
Que técnicas irei utilizar?
Logística: recursos, local, horário, convites, facilitador.
Metodologia em Extensão Rural: como planejar?
Quais os elementos essenciais no processo de extensão?
Público
Conteúdo
Objetivo
Método
Metodologia em Extensão Rural: como planejar?
1º Momento
Conhecimento da
realidade
2º Momento
Organização da
ação e gestão social
3º Momento
Execução da ação e
acompanhamento
Quais os elementos essenciais no processo de extensão?
Métodos e meios de comunicação em extensão rural
- Métodos de comunicação em extensão rural: quanto ao alcance
Métodos e meios de comunicação em extensão rural
- Métodos de comunicação em extensão rural: quanto ao efeito
Métodos e meios de comunicação em extensão rural
- Métodos de comunicação em extensão rural: quanto ao uso
Metodologia em Extensão Rural
VISITAS
Técnica ou de orientação.
Técnica: visa a difusão de conhecimento técnico e
treinamento de colaboradores;
Fortalece os elos entre a pesquisa, a assistência técnica,
a extensão rural e os produtores rurais;
Permite um feedback periódico de informações e a
avaliação dos resultados obtidos;
Podem ser INDIVIDUAIS ou GRUPAIS.
Metodologia em Extensão Rural
VISITAS
Técnica ou de orientação.
Orientação: visa a orientação sobre problemas
estabelecidos dentro da propriedade e/ou dúvidas;
Visitas mais pontuais, mas que podem ser feitas de
maneira periódica;
Permite um feedback periódico de informações,
avaliação dos resultados obtidos e/ou orientações sobre
mudanças;
Podem ser INDIVIDUAIS ou GRUPAIS.
Metodologia em Extensão Rural
ENTREVISTA
Visa a coleta de informações e dados.
Estruturada, semiestruturada ou não estruturada;
Estruturada: roteiro preestabelecido com as mesmas
perguntas para todos os entrevistados. É imparcial e inflexível;
Não estruturada: não segue roteiro algum, as perguntas são
feitas a medida que a entrevista é feita;
Semiestruturadas: consiste em um modelo de entrevista
flexível. Possuí roteiro prévio, mas o entrevistador pode fazer
perguntas fora do mesmo.
Individual ou grupal.
Metodologia em Extensão Rural
REUNIÃO
Ação planejada;
Extensionista presta informações técnicas ou práticas;
Público planejado e com interesses em comum.
INDIVIDUAL ou GRUPAL
Metodologia em Extensão Rural
CURSO
Ação planejada;
Transmissão de um conjunto de técnicas e práticas mediante
programação específica;
Instrutores qualificados;
Objetivo: qualificar produtores rurais em curto prazo.
Exemplo: série de palestras, aulas e demonstrações práticas
sobre as ações que devem ser tomadas com a introdução da
gripe aviária na região.
Metodologia em Extensão Rural
EXCURSÃO
Ação planejada;
Produtores e técnico deslocam-se para um ou mais locais;
OBJETIVO: Observar a aplicação de diversas técnicas ou
práticas existentes;
Análise sobre a sua adoção ou não na comunidade e/ou
propriedades de acordo com sua viabilidade.
Metodologia em Extensão Rural
OFICINA
Ação planejada;
Grupo prevê a formação coletiva sobre determinado assunto
de interesse comum;
Momentos de interação e troca de saberes e experiências;
Exemplo: oficina sobre boas práticas na ordenha e seus
impactos sobre a qualidade do leite.
Metodologia em Extensão Rural
DIA DE CAMPO
Ação planejada;
Ação grupal de caráter prático: mostrar uma série de práticas,
conceitos e tecnologias;
Geralmente se reúne produtores com interesses comuns;
Exemplo: dia de campo sobre conservação de forragem e sua
importância na constância da produção de leite durante o ano.
Metodologia em Extensão Rural
EXPOSIÇÃO
Ação planejada;
Ação dirigida a um público determinado, com o objetivo a
adoção de novas práticas e conhecimentos;
Ação massiva: permite uso simultâneo de diferentes meios de
comunicação;
Ação promotora e/ou motivacional;
Apresenta novos produtos e resultados alcançados.
Permite troca de ideias, experiências e conhecimentos.
Metodologia em Extensão Rural
CAMPANHA
Ação planejada, complexa;
Sequência de atividades realizadas em relação a um
determinado assunto durante um longo período de tempo;
Ações são executadas em etapas relacionas entre si;
Objetivo: provocar mudanças no modo de pensar, agir, sentir e
atuar das pessoas utilizando variados meios de comunicação;
Exemplo: campanha sobre a importância do uso de EPIs no
meio rural.
Metodologia em Extensão Rural
CONCURSO
Ação planejada, complexa;
Competição construtiva. Demonstra aos interessados a
existência de várias maneiras de avaliar os resultados dos
seus esforços;
Objetivos: estimular o incremento da produção de alguma
atividade ou práticas específicas através do emprego de uma
tecnologia ou padrão de raça;
Exemplo: concurso de produtividade de grãos, qualidade dos
animais (exterior, produção, etc...)
Metodologia em Extensão Rural
CAMPO DE DEMONSTRAÇÃO
Ação planejada;
Desenvolvimento e/ou adoção de uma prática ou cultura por
um colaborador em sua propriedade;
Forma-se campos separadas para a demonstração e exposição
dos resultados para produtores que por ventura estejam
interessados;
Objetivo: observação de práticas e/ou culturas adotadas por
outros produtores.
Metodologia em Extensão Rural
UNIDADE DE OBSERVAÇÃO
Ação planejada;
Utilizado para comprovar a conveniência de introduzir
determinada técnica e/ou cultura em um determinado lugar;
Geralmente utilizado em técnicas e/ou culturas utilizadas em
condições diferentes daquelas que se quer introduzir;
Compara a viabilidade da utilização de técnicas, inovações,
animais, culturas...
Metodologia em Extensão Rural
DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS
Ação planejada;
Visa demonstrar os resultados de uma prática e/ou tecnologia
já comprovada experimentalmente;
Resultados dos experimentos são mostrados, assim como a
viabilidade da introdução destas;
Gabriel Miranda Macambira
gabriel.miranda.zootecnia@gmail.com
(87) 99108-3675
@gabrielmiranda.zootec
UNINASSAU UNIDADE BOA VIAGEM
Curso de Bacharelado em Medicina Veterinária
Disciplina: Sociologia e Extensão Rural

Mais conteúdo relacionado

Aula 6 - Fundamentos e Motodologias em Extensão Rural - Copia.pptx

  • 1. Conceitos e Metodologias em Extensão Rural Professor Dr. Gabriel Miranda Macambira Zootecnista UNINASSAU UNIDADE BOA VIAGEM Curso de Bacharelado em Medicina Veterinária Disciplina: Sociologia e Extensão Rural Aula 6
  • 2. Métodos de Extensão Difusão de conhecimentos, tecnologias e inovações no meio rural; Método: meio pelo qual o processo de comunicação será efetuado; Metodologia: explicação minuciosa, detalhada, rigorosa e exata de toda ação desenvolvida no método escolhido para se atingir um determinado objetivo. MÉTODO X METODOLOGIA
  • 3. Métodos de Extensão: objetivos CAPACITAÇÃO MOTIVAÇÃO INFORMAÇÃO AUMENTO NO NÚMERO DE PESSOAS
  • 4. Métodos de Extensão: eficiência e eficácia Intimamente relacionados aos métodos de extensão; Eficiência Alcance Eficácia Nível de aprendizado
  • 5. Métodos de Extensão: objetivos CAPACITAÇÃO MOTIVAÇÃO INFORMAÇÃO Aumento da eficiência Aumento da eficácia
  • 6. Métodos de Extensão: meios de efetuação Individual Atende ao público individualmente; Métodos baratos, no entanto com menor número de pessoas atingidas; Atendimento individualizado; Permite que os produtores conheçam melhor os extensionistas e criem, mais facilmente, laços de confiança; Métodos com maior eficácia e menor eficiência.
  • 7. Métodos de Extensão: meios de efetuação Grupal Atende a grupos pré-definidos; Proporcionando trocas de ideias, experiências e construção de saberes; Tem a vantagem de atender um número maior de pessoas com menor custo; Facilita: descoberta de cooperação, de líderes comunitários e incentivam a cooperação e organização; Métodos com níveis intermediários de eficiência e eficácia.
  • 8. Métodos de Extensão: meios de efetuação Massal Atende o público em geral, visando atender as pessoas em massa; Atende um número significativo e indeterminado de pessoas; Estes métodos possuem maior eficiência e menor eficácia.
  • 9. Métodos de Extensão: seleção do método Na seleção do método de extensão e difusão de tecnologias deve-se atentar as seguintes características: Tamanho do grupo; Grau de instrução do grupo; Local e recursos para a apresentação; Infraestrutura; O método principal deve primeiramente chamar a atenção do produtor e engajá-lo no processo. Demais métodos: despertar o interesse do produtor através de experimentação e demonstração aplicada.
  • 10. Metodologia em Extensão Rural: como planejar? Público Objetivo Conteúdo Método Quais os elementos essenciais no processo de extensão?
  • 11. Metodologia em Extensão Rural I – Público Quem são? Como são? O que já sabem? O que fazem? Quais as suas necessidades mais imediatas? Conectar-se com as reais necessidades das pessoas e comunidades é de extrema importância para a criação de laços de confiança.
  • 12. Metodologia em Extensão Rural II – Objetivo Para quê? Com que finalidade? Qual a expectativa? Qual mudança de comportamento, atitude?
  • 13. Metodologia em Extensão Rural III – Conteúdo: informação que temos sobre determinado assunto/tema. Qual a matéria? Qual o assunto? Que temas faltam? Que experiências temos disponíveis?
  • 14. Metodologia em Extensão Rural IV – Métodos Como vou fazer? Quais os procedimentos? Que técnicas irei utilizar? Logística: recursos, local, horário, convites, facilitador.
  • 15. Metodologia em Extensão Rural: como planejar? Quais os elementos essenciais no processo de extensão? Público Conteúdo Objetivo Método
  • 16. Metodologia em Extensão Rural: como planejar? 1º Momento Conhecimento da realidade 2º Momento Organização da ação e gestão social 3º Momento Execução da ação e acompanhamento Quais os elementos essenciais no processo de extensão?
  • 17. Métodos e meios de comunicação em extensão rural - Métodos de comunicação em extensão rural: quanto ao alcance
  • 18. Métodos e meios de comunicação em extensão rural - Métodos de comunicação em extensão rural: quanto ao efeito
  • 19. Métodos e meios de comunicação em extensão rural - Métodos de comunicação em extensão rural: quanto ao uso
  • 20. Metodologia em Extensão Rural VISITAS Técnica ou de orientação. Técnica: visa a difusão de conhecimento técnico e treinamento de colaboradores; Fortalece os elos entre a pesquisa, a assistência técnica, a extensão rural e os produtores rurais; Permite um feedback periódico de informações e a avaliação dos resultados obtidos; Podem ser INDIVIDUAIS ou GRUPAIS.
  • 21. Metodologia em Extensão Rural VISITAS Técnica ou de orientação. Orientação: visa a orientação sobre problemas estabelecidos dentro da propriedade e/ou dúvidas; Visitas mais pontuais, mas que podem ser feitas de maneira periódica; Permite um feedback periódico de informações, avaliação dos resultados obtidos e/ou orientações sobre mudanças; Podem ser INDIVIDUAIS ou GRUPAIS.
  • 22.
  • 23. Metodologia em Extensão Rural ENTREVISTA Visa a coleta de informações e dados. Estruturada, semiestruturada ou não estruturada; Estruturada: roteiro preestabelecido com as mesmas perguntas para todos os entrevistados. É imparcial e inflexível; Não estruturada: não segue roteiro algum, as perguntas são feitas a medida que a entrevista é feita; Semiestruturadas: consiste em um modelo de entrevista flexível. Possuí roteiro prévio, mas o entrevistador pode fazer perguntas fora do mesmo. Individual ou grupal.
  • 24. Metodologia em Extensão Rural REUNIÃO Ação planejada; Extensionista presta informações técnicas ou práticas; Público planejado e com interesses em comum. INDIVIDUAL ou GRUPAL
  • 25. Metodologia em Extensão Rural CURSO Ação planejada; Transmissão de um conjunto de técnicas e práticas mediante programação específica; Instrutores qualificados; Objetivo: qualificar produtores rurais em curto prazo. Exemplo: série de palestras, aulas e demonstrações práticas sobre as ações que devem ser tomadas com a introdução da gripe aviária na região.
  • 26. Metodologia em Extensão Rural EXCURSÃO Ação planejada; Produtores e técnico deslocam-se para um ou mais locais; OBJETIVO: Observar a aplicação de diversas técnicas ou práticas existentes; Análise sobre a sua adoção ou não na comunidade e/ou propriedades de acordo com sua viabilidade.
  • 27. Metodologia em Extensão Rural OFICINA Ação planejada; Grupo prevê a formação coletiva sobre determinado assunto de interesse comum; Momentos de interação e troca de saberes e experiências; Exemplo: oficina sobre boas práticas na ordenha e seus impactos sobre a qualidade do leite.
  • 28.
  • 29. Metodologia em Extensão Rural DIA DE CAMPO Ação planejada; Ação grupal de caráter prático: mostrar uma série de práticas, conceitos e tecnologias; Geralmente se reúne produtores com interesses comuns; Exemplo: dia de campo sobre conservação de forragem e sua importância na constância da produção de leite durante o ano.
  • 30.
  • 31. Metodologia em Extensão Rural EXPOSIÇÃO Ação planejada; Ação dirigida a um público determinado, com o objetivo a adoção de novas práticas e conhecimentos; Ação massiva: permite uso simultâneo de diferentes meios de comunicação; Ação promotora e/ou motivacional; Apresenta novos produtos e resultados alcançados. Permite troca de ideias, experiências e conhecimentos.
  • 32.
  • 33. Metodologia em Extensão Rural CAMPANHA Ação planejada, complexa; Sequência de atividades realizadas em relação a um determinado assunto durante um longo período de tempo; Ações são executadas em etapas relacionas entre si; Objetivo: provocar mudanças no modo de pensar, agir, sentir e atuar das pessoas utilizando variados meios de comunicação; Exemplo: campanha sobre a importância do uso de EPIs no meio rural.
  • 34. Metodologia em Extensão Rural CONCURSO Ação planejada, complexa; Competição construtiva. Demonstra aos interessados a existência de várias maneiras de avaliar os resultados dos seus esforços; Objetivos: estimular o incremento da produção de alguma atividade ou práticas específicas através do emprego de uma tecnologia ou padrão de raça; Exemplo: concurso de produtividade de grãos, qualidade dos animais (exterior, produção, etc...)
  • 35.
  • 36. Metodologia em Extensão Rural CAMPO DE DEMONSTRAÇÃO Ação planejada; Desenvolvimento e/ou adoção de uma prática ou cultura por um colaborador em sua propriedade; Forma-se campos separadas para a demonstração e exposição dos resultados para produtores que por ventura estejam interessados; Objetivo: observação de práticas e/ou culturas adotadas por outros produtores.
  • 37. Metodologia em Extensão Rural UNIDADE DE OBSERVAÇÃO Ação planejada; Utilizado para comprovar a conveniência de introduzir determinada técnica e/ou cultura em um determinado lugar; Geralmente utilizado em técnicas e/ou culturas utilizadas em condições diferentes daquelas que se quer introduzir; Compara a viabilidade da utilização de técnicas, inovações, animais, culturas...
  • 38. Metodologia em Extensão Rural DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS Ação planejada; Visa demonstrar os resultados de uma prática e/ou tecnologia já comprovada experimentalmente; Resultados dos experimentos são mostrados, assim como a viabilidade da introdução destas;
  • 39. Gabriel Miranda Macambira gabriel.miranda.zootecnia@gmail.com (87) 99108-3675 @gabrielmiranda.zootec UNINASSAU UNIDADE BOA VIAGEM Curso de Bacharelado em Medicina Veterinária Disciplina: Sociologia e Extensão Rural

Notas do Editor

  1. Os métodos em extensão rural são utilizados para a difusão de conhecimentos, tecnologias e inovações no meio rural, sendo o método a principal ferramenta utilizada para se efetuar o processo de comunicação. Antes de continuarmos, então, o que seria método e metodologia? Método pode ser descrito como o meio pelo qual o processo de comunicação será efetuado. A metodologia, no entanto, é uma explicação minuciosa, detalhada, rigorosa e exata de toda ação que foi desenvolvida no método escolhido. Podemos dizer, então, que a metodologia é o caminho e o método é a forma de caminhar.
  2. Os métodos em extensão rural ele visam: Capacitação: capacitar produtores rurais na utilização de novas técnicas, tecnologias e conhecimentos. Motivação: motivar produtores rurais quanto a uso dessas técnicas e tecnologias para a mudança de sua realidade. Informação: informação sobre mercados, técnicas, atualizações quanto a políticas públicas, etc... O número de pessoas assistidas em uma ação de capacitação é menor do que nas ações de motivação e informação, respectivamente. Isso se deve devido ao nível de complexidade e recursos despendidos em cada uma das ações.
  3. Os conceitos de eficiência e eficácia estão intimamente relacionados aos métodos em extensão rural. A eficiência se refere ao alcance que determinado método tem; Já a eficácia se refere ao nível de aprendizado que aquele método tem ao entrar em contato com o público.
  4. Geralmente métodos informativos são mais eficientes, visto que podem ser transmitidos para um maior número de pessoas, enquanto métodos de capacitação tem maior eficácia, visto que o processo de se aprender fazendo o nível de aprendizado é muito maior.
  5. Quanto aos meios de efetuação dos métodos em extensão rural nós teremos métodos individuais, grupais e massais Os métodos individuais atendem o público individualmente, são métodos mais baratos, no entanto atingem um menor número de pessoas. Nesse tipo de efetuação o atendimento é individualizado o que permite que produtores conheçam melhor os extensionistas e criem laços de confiança mais facilmente. Geralmente os métodos individuais tem uma maior eficácia e menor eficiência. Estes métodos tem maior eficácia visto que a assistência de forma individual faz com que o processo de aprendizagem seja mais efetivo, visto que ocorra uma melhor assistência quando se atende a pessoas individualmente que em grupo.
  6. Os métodos grupais atendem a grupos pré-definidos proporcionando trocas de ideais, experiências e construção de saberes. Estes métodos tem a vantagem de atender um número maior de pessoas com menor custo. São nos métodos grupais, devido a interação de grupos com um maior numero de pessoas, que estes facilitam a descoberta de cooperação, de líderes comunitários e incentivam a cooperação e organização. São métodos com níveis intermediários de eficiência e eficácia.
  7. Os métodos massais são métodos que atendem o público em geral, visando atender as pessoas em massa. O objetivo aqui é atender um maior número de pessoas, independentemente se são produtores rurais ou não. São métodos que utilizam um número indeterminado de pessoas, muitas vezes com realidades distintas. São métodos que possuem maior eficiência e menor eficácia.
  8. Com base em todo o exposto, então, como se faz a seleção do método que se utilizará? Para que ocorra a adequada seleção do método de extensão e difusão de tecnologia o extensionista deve se atentar as seguintes características Tamanho de grupo, grau de instrução, local e recursos para a apresentação, infraestrutura. Deve-se ter em mente que o método principal deve primeiramente chamar a atenção do produtor e engajá-lo no processo ao passo que os demais métodos devem despertar o interesse do produtor através da experimentação e demonstração aplicada
  9. Dentre os elementos essenciais no processo de extensão teremos o público, o objetivo, o conteúdo e o método
  10. Nas ações de extensão rurais deve-se, sempre que possível, seguir passos para sua organização para que o processo seja feito de forma efetiva e que possa ser, realmente, catalizadoras de processos de mudanças. 1º momento: é imprescindível o conhecimento da realidade da comunidade e/ou propriedade que se pretende realizar a ação. 2º Após o conhecimento dessa realidade, busca-se a organização da ação e gestão social, muitas vezes com a ajuda de líderes naturais dentro da comunidade, este momento visa a organização a gestão das ações para que elas atinjam toda a comunidade. 3º Executa-se a ação e faz-se o acompanhamento de suas consequências de forma continuada e contínua, sempre fazendo adaptações quando necessário.
  11. Individuais: atingem poucas pessoas. Grupais: atingem maior quantidade de pessoas. Massivos: atingem grandes massas.
  12. Percebam que são os mesmos métodos, mas classificados em finalidades diferentes quando ao efeito que eu quero passar, se é um efeito motivacional ou de ensinamento técnico
  13. Eu posso unir mais de um método em um mesmo processo de extensão.
  14. As visitas elas podem ter caráter técnico ou orientação. Aas visitas técnicas visam a difusão de conhecimento técnico e treinamento de colaboradores. Essas visitas fortalecem os elos entre a pesquisa a assistência técnicas, a extensão rural e os produtores rurais. Um das vantagens desse tipo de visita é que ela permite o feedback periódico de informações e a avaliação de resultados obtidos. Essas visitas podem individuais ou grupais.
  15. Já as visitas de orientação tem o objetivo a orientação sobre problemas estabelecidos dentro da propriedade e/ou saneamento de dúvidas. As visitas de orientação são mais pontuais, mas que podem ser feitas de maneira periódica As visitas de orientação permitem um feedback periódico de informações, avaliação dos resultados obtidos e/ou orientação sobre mudanças. Esses visitas podem ser individuais ou grupais.
  16. O método entrevista visa a coleta de informações e dados. Pode ser estruturada, semiestruturada e não estruturada. As entrevistas estruturadas possuem um roteiro preestabelecido com as mesmas perguntas para todos os entrevistados. É imparcial e inflexível. As entrevista não estruturadas não segue roteiro algum e as perguntas são feitas a medida que a entrevista é feita. Semiestruturada é um modelo de entrevista flexível. Possuí roteiro prévio, mas o entrevistador pode fazer perguntas fora do mesmo.
  17. A reunião é uma ação planejada onde o extensionista presta informações técnicas ou práticas para um público planejado e com interesses em comum. Essa ação pode ser individual ou grupal.
  18. Cursos também é uma ação planejada, visa a transmissão de um conjunto de técnicas e praticas mediante programação específica. Nesse tipo de ação é necessário instrutores qualificados que transmitem técnicas e práticas com o objetivo de qualificar produtores rurais em curto prazo. Exemplo: série de palestras, aulas e demonstrações práticas sobre as ações que devem ser tomadas com a introdução da gripe aviária na região.
  19. Excursão é uma ação planejada onde produtores e técnicos deslocam-se para um ou mais locais com o objetivo de observar a aplicação de diversas técnicas ou práticas existentes e fazer uma análise sobre a sua adoração ou não na comunidade e ou/ou propriedade de acordo com a viabilidade.
  20. Oficina é uma ação planejada onde um grupo prevê a formação coletiva sobre determinado assunto de interesse comum para a comunidade e/ou grupo de produtores. Se caracterizada em momentos de interação e troca de saberes e experiências.
  21. É uma ação planejada e grupal de caráter prático e tem por objetivo mostrar uma série de práticas, conceitos e tecnologias a produtores que tenham interesses em comum. Exemplo: dia de campo sobre conservação de forragem e sua importância na constância da produção de leite durante o ano.
  22. Exposição é uma ação planejada onde a ação é dirigida a um público determinado com o objetivo a adoção de novas práticas e conhecimentos. É caracterizada como uma ação massiva, visto que permite o uso simultânea de diferentes meios de comunicação. Tem ação promotora e ou motivacional. Permite a troca de ideias, experiências e conhecimentos.
  23. Campanha é uma ação planejada, complexa. Esse método consiste em uma sequência de atividades realizadas em relação a um determinado assunto durante um longo período de tempo onde as etapas são executadas são relacionadas entre si Tem o objetivo de provocar mudanças no modo de pensar, agir, sentir e atuar das pessoas utilizando variados meios de comunicação.
  24. Concurso é uma ação planejada, complexa. Este método consiste em uma competição construtiva que demonstra aos interessados a existência de várias maneiras de avaliar os resultados de seus esforços. Tem por objetivo estimular o incremento da produção de alguma atividade ou práticas específicas através do emprego de uma tecnologia ou padrão de raça.;
  25. Campo de demonstração é uma ação planejada. Este método se caracteriza no desenvolvimento e/ou adoção de uma prática ou cultura por um colaborador em sua propriedade Nesse método são formados campos separados para a demonstração e exposição de resultados para produtores que por ventura estejam interessados. Tem por objetivo observação de práticas e ou culturas adotada por outros produtores.
  26. Unidade de observação é uma ação planejada Este método é utilizado para comprovar a conveniência ne introduzir determinada técnica e ou cultura em um determinador lugar A unidade de observação é geralmente utilizada em técnicas e ou cultura que era utilizadas em condições diferentes daquelas que se quer introduzir para a comparação da viabilidade na utilização de culturas, inovações, animais...etc...
  27. Demonstração de resultados é uma ação planejada que visa demonstrar os resultados de uma prática e ou tecnologia já comprovada experimentalmente Nesse métodos os resultados dos experimentos são mostrados, assim como a viabilidade da introdução destas.