SlideShare uma empresa Scribd logo
Um novo projeto de vida
   Os grupos que se movimentaram para
    entrarem na terra de Canaã entorno de
    1200 a.C. tiveram um longo processo de
    assentamento e entrosamento com os
    grupos que lá já estavam
   Este processo teve o seu ponto alto na
    Assembléia de Siquém ( Js 24,1,28)
   Siquém se encontra
    no centro-norte da
    terra de Canaã.
   Segundo a própria
    Bíblia nunca foi
    conquistada
   Ela aglutinou e
    representou todo
    aquele povo que
    estabeleceu um outro
    tipo de vivencia fora
    das cidades estado
Todos fizeram a
           experiencia da
           Passagem = Páscoa
           Todos fizeram uma forte
           experiência de Deus

    Todos eras excluídos,
    todos se libertaram
     de reis opressores
   A assembléia de
    Siquém nos mostra as
    duas tradições mais
    antigas que formaram
    o povo e que também
    se encontram nos
    textos bíblicos:
       Israel Javista portador das
        tradições do Egito
       Israel eloista,portador das
        tradições de Canaã
 OS JAVISTAS:
      Implementaram o
       sistema militar,bem
       organizado,capaz
       de ataque e
       defesa,com forte
       hierarquia

Introduziram o culto a
Javé,que, aos poucos,
se tornou o Deus de
todos
   Militarmente se
      dedicavam mais a
      ações de guerrilha
     Trouxeram a
      capacidade de lutar
      pelos interesses
      comuns


Introduziram o culto a
Javé,que, aos poucos, se
tornou o Deus de todos
   Em Siquém todos os
    grupos se
    comprometem em
    servir a Javé,o Deus
    libertador do Sinai.


    Quanto a mim e a minha
    casa serviremos a
    Javé(Js 24,15b)
   O número 12 indica “todos”
   Na Bíblia há vários relatos sobre as 12 tribos
    e o número delas é sempre diferente:
   Gn. 49,1-27 – 12 tribos
   Dt. 33,1ss – 14 tribos
   Jz.5,ss - 10 tribos
   1 Cr 27,16-22 – 13 tribos.
   O número foi definido a partir de Daví,para
    arrecadação de verba e de Salomão,que
    dividiu todo o território em 12 distritos
    administrativos
 Tribalismo foi o sistema socio-político do
  povo de Israel antes da instituição da
  monarquia.
 Foi caracterizado:

           Pela ausência de impostos,
              Pela ausência de poder
           constituído,
             Pela ausência de um
           exército
 A maneira de viver de Israel se
  diferenciava de todos os outros
  povos
 Javé era o elo de ligação entre as
  tribos e o chefe supremo (teocracia)
 O nível de desenvolvimento
  econômico e social era mais baixo
  daquele de outros povos desta
  época. (gregos,troiano,Egípcios)
   As tribos eram articuladas entre si
   Cada tribo era subdividida em clã
   Cada clã era formado de diversas famílias
   A família era a unidade básica
F= família/ C= Clã / T= tribo /
C=confederação
   .Reconhecer a
         Javé como o único
         Deus


 Viver a autoridade
  de forma subsidiaria
  e como serviço
Vivera
  união entre
  todos



 Produzir leis
  que defendam
  a vida
   Viver o culto a
         Deus como
         louvor e
         agradecimento




Trabalhar para
ganhar o pão para
o próprio sustento
e não para
acumular
 Se o povo vai mal é por culpa dele mesmo,todavia
  ele sabe se arrepender e recomeçar
 Este período alterna tempos de paz com tempos de
  lutas e guerras,nos quais Javé suscitava o JUÍZ
   Era uma pessoa-
                              homem ou mulher-
                              carismática,que
                              Javé suscitava,sob
                              o impulso do
                              Espírito, para
                              salvar o povo de
                              um perigo
                              iminente.
O Juíz era o instrumento que Jeová
escolhia para mostrar que Deus e o
homem caminham, de fato, juntos
   O livro dos Juízes mostra claramente que Deus e o
    homem tem um projeto em comum:
                                   Deus inicia o processo
                                   O homem tem que dar

                                  continuidade,através da
        fidelidade
                                  e da liberdade,no seu dia-
        a-dia.
                                  DEUS É SEMPRE FIEL.O
                                  HOMEM NEM SEMPRE O É
   Período de
    paz/fidelidade=benção=vida
  para todos
 Período de
    perigo/infidelidade=maldição=m
    orte para muitos
   O povo se arrepende, clama a
    Javé,que manda um JUÍZ para libertá-lo
 A cobiça do poder(Jz 9,7-21)
 A influencia dos outros povos da
  planície cananéia.
 A tentação constante da idolatria( Jz
  8,22-23
 A dominação de um pelo outro,
  especialmente contra mulheres(Jz 4-5)
 O aparecimento dos Filisteus ( 1050
  a.C.)
› A partilha e a
  solidariedade(Nm.
  11,10-30;Dt.1,9-18
› O poder partilhado(Êx.18,13 ss
  ; Nm.1,1-46)
› A liderança como serviço( Dt
  17,14-20; Js.18,1-10
 Quer que todos sejamos como irmãos
 Quer que nossas relações sejam
  pautadas pelo serviço(Mc 10,44ss)
 Que nossa solidariedade seja singela e
  real(Mc 12,41-44)
 Que nosso serviço seja humilde e não
  arrogante(Lc 17,7-10)
   O decálogo é um
    compêndio da
    legislação desta
    época.
   Há muitas outras
    leis espalhadas
    pelo Pentatéuco
    e nos livros de
    Josué e dos Jízes
 A sua composição, como hoje a
  conhecemos,remonta 700 a.C.
 Os seus
  destinatários( pai,mãe,filhos,escravos,
  animais...)remetem às famílias do
  período em que foi escrito
 Leia e compare o que é igual e o que
  é diferente dos dois textos
NÃO IMPOSITIVAS E SIM PROPOSITIVAS:
 - porque querem garantir
   a fraternidade
 - porque querem
   preservar a liberdade
 - porque querem
  promover a solidariedade
  e a partilha
ENFIM:
Um outro mundo é possível
 Faça   uma leitura da sua
  história de vida e compartilhe
 Faça uma comparação com
  a história do povo de
 Deus na época dos juízes
 Ler: Jz 2,2-23;3,1-6
Prof. Antonio Marcos N. dos Reis
www.pamnr.blogspot.com
www.profamnr.blogspot.com
antonio_ead@hotmail.com
                    06/02/12     29

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Panorama do AT - Ezequiel
Panorama do AT - EzequielPanorama do AT - Ezequiel
Panorama do AT - Ezequiel
Respirando Deus
 
Montanhas e-planicies-de-israel
Montanhas e-planicies-de-israelMontanhas e-planicies-de-israel
Montanhas e-planicies-de-israel
sergio_chumbinho
 
33. O profeta Daniel
33. O profeta Daniel33. O profeta Daniel
33. O profeta Daniel
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. CapriRevelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
capriello
 
A Nova Aliança
A Nova AliançaA Nova Aliança
A Nova Aliança
Márcio Melânia
 
Slides Lição 5, CPAD, Motim em Família, 2Tr23, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 5, CPAD, Motim em Família, 2Tr23, Pr Henrique.pptxSlides Lição 5, CPAD, Motim em Família, 2Tr23, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 5, CPAD, Motim em Família, 2Tr23, Pr Henrique.pptx
Igreja Evangélica Assembleia de Deus Celebrando o Rei
 
Fruto do Espírito
Fruto do EspíritoFruto do Espírito
Fruto do Espírito
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
Estudo das alianças bíblicas
Estudo das alianças bíblicasEstudo das alianças bíblicas
Estudo das alianças bíblicas
Estudos Bíblicos
 
Panorama do AT - Êxodo
Panorama do AT -  ÊxodoPanorama do AT -  Êxodo
Panorama do AT - Êxodo
Respirando Deus
 
32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Panorama Bíblico
Panorama Bíblico Panorama Bíblico
Panorama Bíblico
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
PROFETAS MENORES
 PROFETAS MENORES PROFETAS MENORES
PROFETAS MENORES
Miguel Aguilera
 
As obras da carne e do Espírito
As obras da carne e do EspíritoAs obras da carne e do Espírito
As obras da carne e do Espírito
Joselito Machado
 
Santa Ceia do Senhor
Santa Ceia do SenhorSanta Ceia do Senhor
Santa Ceia do Senhor
Almy Alves
 
Batismo nas águas
Batismo nas águasBatismo nas águas
Batismo nas águas
Icm Bela Vista
 
Panorama do AT - Joel
Panorama do AT - JoelPanorama do AT - Joel
Panorama do AT - Joel
Respirando Deus
 
Panorama do AT - Miqueias
Panorama do AT - MiqueiasPanorama do AT - Miqueias
Panorama do AT - Miqueias
Respirando Deus
 
Profetas maiores
Profetas maioresProfetas maiores
Profetas maiores
Silvio Fagundes
 
Aula - Bodas do Cordeiro
Aula - Bodas do CordeiroAula - Bodas do Cordeiro
Slides Licao 1, O Avivamento Espiritual, 1Tr23, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Licao 1, O Avivamento Espiritual, 1Tr23, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxSlides Licao 1, O Avivamento Espiritual, 1Tr23, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Licao 1, O Avivamento Espiritual, 1Tr23, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Igreja Evangélica Assembleia de Deus Celebrando o Rei
 

Mais procurados (20)

Panorama do AT - Ezequiel
Panorama do AT - EzequielPanorama do AT - Ezequiel
Panorama do AT - Ezequiel
 
Montanhas e-planicies-de-israel
Montanhas e-planicies-de-israelMontanhas e-planicies-de-israel
Montanhas e-planicies-de-israel
 
33. O profeta Daniel
33. O profeta Daniel33. O profeta Daniel
33. O profeta Daniel
 
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. CapriRevelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
 
A Nova Aliança
A Nova AliançaA Nova Aliança
A Nova Aliança
 
Slides Lição 5, CPAD, Motim em Família, 2Tr23, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 5, CPAD, Motim em Família, 2Tr23, Pr Henrique.pptxSlides Lição 5, CPAD, Motim em Família, 2Tr23, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 5, CPAD, Motim em Família, 2Tr23, Pr Henrique.pptx
 
Fruto do Espírito
Fruto do EspíritoFruto do Espírito
Fruto do Espírito
 
Estudo das alianças bíblicas
Estudo das alianças bíblicasEstudo das alianças bíblicas
Estudo das alianças bíblicas
 
Panorama do AT - Êxodo
Panorama do AT -  ÊxodoPanorama do AT -  Êxodo
Panorama do AT - Êxodo
 
32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel32. O Profeta Ezequiel
32. O Profeta Ezequiel
 
Panorama Bíblico
Panorama Bíblico Panorama Bíblico
Panorama Bíblico
 
PROFETAS MENORES
 PROFETAS MENORES PROFETAS MENORES
PROFETAS MENORES
 
As obras da carne e do Espírito
As obras da carne e do EspíritoAs obras da carne e do Espírito
As obras da carne e do Espírito
 
Santa Ceia do Senhor
Santa Ceia do SenhorSanta Ceia do Senhor
Santa Ceia do Senhor
 
Batismo nas águas
Batismo nas águasBatismo nas águas
Batismo nas águas
 
Panorama do AT - Joel
Panorama do AT - JoelPanorama do AT - Joel
Panorama do AT - Joel
 
Panorama do AT - Miqueias
Panorama do AT - MiqueiasPanorama do AT - Miqueias
Panorama do AT - Miqueias
 
Profetas maiores
Profetas maioresProfetas maiores
Profetas maiores
 
Aula - Bodas do Cordeiro
Aula - Bodas do CordeiroAula - Bodas do Cordeiro
Aula - Bodas do Cordeiro
 
Slides Licao 1, O Avivamento Espiritual, 1Tr23, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Licao 1, O Avivamento Espiritual, 1Tr23, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxSlides Licao 1, O Avivamento Espiritual, 1Tr23, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Licao 1, O Avivamento Espiritual, 1Tr23, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
 

Destaque

A TRIBO DE DÃ
A TRIBO DE DÃA TRIBO DE DÃ
A TRIBO DE DÃ
Eduardo Sousa Gomes
 
Quem são realmente os 144 mil
Quem são realmente os 144 milQuem são realmente os 144 mil
Quem são realmente os 144 mil
Diego Fortunatto
 
Bibliologia Parte 1
Bibliologia Parte 1Bibliologia Parte 1
Bibliologia Parte 1
Jovens Do Caminho
 
Slides de estudo apocalíptico - Redenção s
Slides de estudo apocalíptico    - Redenção sSlides de estudo apocalíptico    - Redenção s
Slides de estudo apocalíptico - Redenção s
Arão Mendes de Melo
 
O alinhamento devido com a tribo de Judá - parte 2.
O alinhamento devido com a tribo de Judá - parte 2.O alinhamento devido com a tribo de Judá - parte 2.
O alinhamento devido com a tribo de Judá - parte 2.
RAMO ESTENDIDO
 
Aprendendo com os erros de sansão
Aprendendo com os erros de sansãoAprendendo com os erros de sansão
Aprendendo com os erros de sansão
Celso do Rozário Brasil Gonçalves
 
14 Sansão, um forte homem de DEUS / 14 samson gods strong man portuguese
14 Sansão, um forte homem de DEUS / 14 samson gods strong man portuguese14 Sansão, um forte homem de DEUS / 14 samson gods strong man portuguese
14 Sansão, um forte homem de DEUS / 14 samson gods strong man portuguese
Ping Ponga
 
Lição 10 - As duas testemunhas
Lição 10 - As duas testemunhasLição 10 - As duas testemunhas
Lição 10 - As duas testemunhas
Sergio Silva
 
Israel e Palestina
Israel e PalestinaIsrael e Palestina
Israel e Palestina
lidia76
 
EBD PIB Araruama - A Conquista da Terra Prometida (Josué)
EBD PIB Araruama - A Conquista da Terra Prometida (Josué)EBD PIB Araruama - A Conquista da Terra Prometida (Josué)
EBD PIB Araruama - A Conquista da Terra Prometida (Josué)
Andre Nascimento
 
O povo-hebreu
O povo-hebreuO povo-hebreu
O povo-hebreu
Fabiana Tonsis
 
Pessach - A Páscoa Cristã
Pessach - A Páscoa CristãPessach - A Páscoa Cristã
Pessach - A Páscoa Cristã
Rodrigo Mendonça
 
A prática das ofertas - parte 1.
A prática das ofertas -  parte 1.A prática das ofertas -  parte 1.
A prática das ofertas - parte 1.
RAMO ESTENDIDO
 
O alinhamento devido com a tribo de Judá - parte 1.
O alinhamento devido com a tribo de Judá - parte 1.O alinhamento devido com a tribo de Judá - parte 1.
O alinhamento devido com a tribo de Judá - parte 1.
RAMO ESTENDIDO
 
Jugo filisteu
Jugo filisteuJugo filisteu
Livro: Assim diz o senhor - Lourenã§o Gonzalez -iasd
Livro: Assim diz o senhor - Lourenã§o Gonzalez -iasdLivro: Assim diz o senhor - Lourenã§o Gonzalez -iasd
Livro: Assim diz o senhor - Lourenã§o Gonzalez -iasd
Celso do Rozário Brasil Gonçalves
 
Folheto Internet Segura PDF
Folheto Internet Segura PDFFolheto Internet Segura PDF
Folheto Internet Segura PDF
Gabriel Pereira
 
Amizade cristã
Amizade cristãAmizade cristã
Amizade cristã
Priscila Faqueres
 
Período dos juízes e tribos
Período dos juízes e tribosPeríodo dos juízes e tribos
Período dos juízes e tribos
Rubens da Silva Dias Junior
 
Pictura Chinezeasca
Pictura ChinezeascaPictura Chinezeasca
Pictura Chinezeascamariane m
 

Destaque (20)

A TRIBO DE DÃ
A TRIBO DE DÃA TRIBO DE DÃ
A TRIBO DE DÃ
 
Quem são realmente os 144 mil
Quem são realmente os 144 milQuem são realmente os 144 mil
Quem são realmente os 144 mil
 
Bibliologia Parte 1
Bibliologia Parte 1Bibliologia Parte 1
Bibliologia Parte 1
 
Slides de estudo apocalíptico - Redenção s
Slides de estudo apocalíptico    - Redenção sSlides de estudo apocalíptico    - Redenção s
Slides de estudo apocalíptico - Redenção s
 
O alinhamento devido com a tribo de Judá - parte 2.
O alinhamento devido com a tribo de Judá - parte 2.O alinhamento devido com a tribo de Judá - parte 2.
O alinhamento devido com a tribo de Judá - parte 2.
 
Aprendendo com os erros de sansão
Aprendendo com os erros de sansãoAprendendo com os erros de sansão
Aprendendo com os erros de sansão
 
14 Sansão, um forte homem de DEUS / 14 samson gods strong man portuguese
14 Sansão, um forte homem de DEUS / 14 samson gods strong man portuguese14 Sansão, um forte homem de DEUS / 14 samson gods strong man portuguese
14 Sansão, um forte homem de DEUS / 14 samson gods strong man portuguese
 
Lição 10 - As duas testemunhas
Lição 10 - As duas testemunhasLição 10 - As duas testemunhas
Lição 10 - As duas testemunhas
 
Israel e Palestina
Israel e PalestinaIsrael e Palestina
Israel e Palestina
 
EBD PIB Araruama - A Conquista da Terra Prometida (Josué)
EBD PIB Araruama - A Conquista da Terra Prometida (Josué)EBD PIB Araruama - A Conquista da Terra Prometida (Josué)
EBD PIB Araruama - A Conquista da Terra Prometida (Josué)
 
O povo-hebreu
O povo-hebreuO povo-hebreu
O povo-hebreu
 
Pessach - A Páscoa Cristã
Pessach - A Páscoa CristãPessach - A Páscoa Cristã
Pessach - A Páscoa Cristã
 
A prática das ofertas - parte 1.
A prática das ofertas -  parte 1.A prática das ofertas -  parte 1.
A prática das ofertas - parte 1.
 
O alinhamento devido com a tribo de Judá - parte 1.
O alinhamento devido com a tribo de Judá - parte 1.O alinhamento devido com a tribo de Judá - parte 1.
O alinhamento devido com a tribo de Judá - parte 1.
 
Jugo filisteu
Jugo filisteuJugo filisteu
Jugo filisteu
 
Livro: Assim diz o senhor - Lourenã§o Gonzalez -iasd
Livro: Assim diz o senhor - Lourenã§o Gonzalez -iasdLivro: Assim diz o senhor - Lourenã§o Gonzalez -iasd
Livro: Assim diz o senhor - Lourenã§o Gonzalez -iasd
 
Folheto Internet Segura PDF
Folheto Internet Segura PDFFolheto Internet Segura PDF
Folheto Internet Segura PDF
 
Amizade cristã
Amizade cristãAmizade cristã
Amizade cristã
 
Período dos juízes e tribos
Período dos juízes e tribosPeríodo dos juízes e tribos
Período dos juízes e tribos
 
Pictura Chinezeasca
Pictura ChinezeascaPictura Chinezeasca
Pictura Chinezeasca
 

Semelhante a AS DOZE TRIBOS DE ISRAEL

Espiritualidade bíblica
Espiritualidade bíblicaEspiritualidade bíblica
Espiritualidade bíblica
Eugenio Hansen, OFS
 
Alianças e Dispensações - Ourilândia - Atual.pptx
Alianças e Dispensações - Ourilândia - Atual.pptxAlianças e Dispensações - Ourilândia - Atual.pptx
Alianças e Dispensações - Ourilândia - Atual.pptx
CarlosAzevedo109
 
Deus no AT
Deus no ATDeus no AT
Deus no AT
Luciano Jose Dias
 
Mês da Bíblia - História de Israel - Aliança
Mês da Bíblia  - História de Israel - AliançaMês da Bíblia  - História de Israel - Aliança
Mês da Bíblia - História de Israel - Aliança
Mary Donzellini MJC
 
Comentário: Ano Novo - 1° de janeiro
Comentário: Ano Novo - 1° de janeiroComentário: Ano Novo - 1° de janeiro
Comentário: Ano Novo - 1° de janeiro
José Lima
 
Comentário: 1°-de-janeiro - Ano A, B e C
Comentário: 1°-de-janeiro - Ano A, B e CComentário: 1°-de-janeiro - Ano A, B e C
Comentário: 1°-de-janeiro - Ano A, B e C
José Lima
 
Josue seminario 1
Josue seminario 1Josue seminario 1
Josue seminario 1
Elisa Schenk
 
Catequese bíblica (iv) josué
Catequese bíblica (iv) josuéCatequese bíblica (iv) josué
Catequese bíblica (iv) josué
Maria Thereza Tosta Camillo
 
O livro de Josué
O livro de JosuéO livro de Josué
O livro de Josué
Alberto Simonton
 
Comentário: 1° Domingo da Quaresma - Ano C
Comentário: 1° Domingo da Quaresma - Ano CComentário: 1° Domingo da Quaresma - Ano C
Comentário: 1° Domingo da Quaresma - Ano C
José Lima
 
28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Missões no Antigo Testamento
Missões no Antigo TestamentoMissões no Antigo Testamento
Missões no Antigo Testamento
Alberto Simonton
 
Comentário: 16° Domingo Tempo Comum - Ano A
Comentário: 16° Domingo Tempo Comum - Ano AComentário: 16° Domingo Tempo Comum - Ano A
Comentário: 16° Domingo Tempo Comum - Ano A
José Lima
 
Lição 5 Aliança Mosaica
Lição 5   Aliança MosaicaLição 5   Aliança Mosaica
Lição 5 Aliança Mosaica
Cleonilson Freitas
 
Comentário: Batismo do Senhor - Ano B
Comentário: Batismo do Senhor - Ano BComentário: Batismo do Senhor - Ano B
Comentário: Batismo do Senhor - Ano B
José Lima
 
2016 3 TRI LIÇÃO 4 - O JUÍZO DE JUDÁ E DE JERUSALÉM
2016 3 TRI LIÇÃO 4 -  O JUÍZO DE JUDÁ E DE JERUSALÉM2016 3 TRI LIÇÃO 4 -  O JUÍZO DE JUDÁ E DE JERUSALÉM
2016 3 TRI LIÇÃO 4 - O JUÍZO DE JUDÁ E DE JERUSALÉM
Natalino das Neves Neves
 
Pv201603
Pv201603Pv201603
Pv201603
ceufortaleza
 
Lição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptx
Lição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptxLição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptx
Lição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptx
Celso Napoleon
 
A MISSÃO DE JESUS
A MISSÃO DE JESUSA MISSÃO DE JESUS
A MISSÃO DE JESUS
Paulo David
 
Lição 03 Missões Transculturais no Antigo Testamento 4° Trimestre de 2023 ...
Lição 03  Missões Transculturais no Antigo Testamento  4° Trimestre de 2023  ...Lição 03  Missões Transculturais no Antigo Testamento  4° Trimestre de 2023  ...
Lição 03 Missões Transculturais no Antigo Testamento 4° Trimestre de 2023 ...
JOSELAURINDODASILVA
 

Semelhante a AS DOZE TRIBOS DE ISRAEL (20)

Espiritualidade bíblica
Espiritualidade bíblicaEspiritualidade bíblica
Espiritualidade bíblica
 
Alianças e Dispensações - Ourilândia - Atual.pptx
Alianças e Dispensações - Ourilândia - Atual.pptxAlianças e Dispensações - Ourilândia - Atual.pptx
Alianças e Dispensações - Ourilândia - Atual.pptx
 
Deus no AT
Deus no ATDeus no AT
Deus no AT
 
Mês da Bíblia - História de Israel - Aliança
Mês da Bíblia  - História de Israel - AliançaMês da Bíblia  - História de Israel - Aliança
Mês da Bíblia - História de Israel - Aliança
 
Comentário: Ano Novo - 1° de janeiro
Comentário: Ano Novo - 1° de janeiroComentário: Ano Novo - 1° de janeiro
Comentário: Ano Novo - 1° de janeiro
 
Comentário: 1°-de-janeiro - Ano A, B e C
Comentário: 1°-de-janeiro - Ano A, B e CComentário: 1°-de-janeiro - Ano A, B e C
Comentário: 1°-de-janeiro - Ano A, B e C
 
Josue seminario 1
Josue seminario 1Josue seminario 1
Josue seminario 1
 
Catequese bíblica (iv) josué
Catequese bíblica (iv) josuéCatequese bíblica (iv) josué
Catequese bíblica (iv) josué
 
O livro de Josué
O livro de JosuéO livro de Josué
O livro de Josué
 
Comentário: 1° Domingo da Quaresma - Ano C
Comentário: 1° Domingo da Quaresma - Ano CComentário: 1° Domingo da Quaresma - Ano C
Comentário: 1° Domingo da Quaresma - Ano C
 
28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas
 
Missões no Antigo Testamento
Missões no Antigo TestamentoMissões no Antigo Testamento
Missões no Antigo Testamento
 
Comentário: 16° Domingo Tempo Comum - Ano A
Comentário: 16° Domingo Tempo Comum - Ano AComentário: 16° Domingo Tempo Comum - Ano A
Comentário: 16° Domingo Tempo Comum - Ano A
 
Lição 5 Aliança Mosaica
Lição 5   Aliança MosaicaLição 5   Aliança Mosaica
Lição 5 Aliança Mosaica
 
Comentário: Batismo do Senhor - Ano B
Comentário: Batismo do Senhor - Ano BComentário: Batismo do Senhor - Ano B
Comentário: Batismo do Senhor - Ano B
 
2016 3 TRI LIÇÃO 4 - O JUÍZO DE JUDÁ E DE JERUSALÉM
2016 3 TRI LIÇÃO 4 -  O JUÍZO DE JUDÁ E DE JERUSALÉM2016 3 TRI LIÇÃO 4 -  O JUÍZO DE JUDÁ E DE JERUSALÉM
2016 3 TRI LIÇÃO 4 - O JUÍZO DE JUDÁ E DE JERUSALÉM
 
Pv201603
Pv201603Pv201603
Pv201603
 
Lição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptx
Lição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptxLição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptx
Lição 3 – Missões Transculturais no Antigo Testamento.pptx
 
A MISSÃO DE JESUS
A MISSÃO DE JESUSA MISSÃO DE JESUS
A MISSÃO DE JESUS
 
Lição 03 Missões Transculturais no Antigo Testamento 4° Trimestre de 2023 ...
Lição 03  Missões Transculturais no Antigo Testamento  4° Trimestre de 2023  ...Lição 03  Missões Transculturais no Antigo Testamento  4° Trimestre de 2023  ...
Lição 03 Missões Transculturais no Antigo Testamento 4° Trimestre de 2023 ...
 

Mais de Antonio Marcos

EZEQUIEL, O HOMEM DAS VISÕES
EZEQUIEL, O HOMEM DAS VISÕESEZEQUIEL, O HOMEM DAS VISÕES
EZEQUIEL, O HOMEM DAS VISÕES
Antonio Marcos
 
ESTER, UMA LINDA RAINHA
ESTER, UMA LINDA RAINHAESTER, UMA LINDA RAINHA
ESTER, UMA LINDA RAINHA
Antonio Marcos
 
ELISEU, UM HOMEM MILAGROSO
ELISEU, UM HOMEM MILAGROSOELISEU, UM HOMEM MILAGROSO
ELISEU, UM HOMEM MILAGROSO
Antonio Marcos
 
ELIAS, UM HOMEM DE FOGO
ELIAS, UM HOMEM DE FOGOELIAS, UM HOMEM DE FOGO
ELIAS, UM HOMEM DE FOGO
Antonio Marcos
 
O SÁBIO REI SALOMÃO
O SÁBIO REI SALOMÃOO SÁBIO REI SALOMÃO
O SÁBIO REI SALOMÃO
Antonio Marcos
 
DAVI, O REI – PARTE II
DAVI, O REI – PARTE IIDAVI, O REI – PARTE II
DAVI, O REI – PARTE II
Antonio Marcos
 
DAVI, O REI – PARTE I
DAVI, O REI – PARTE IDAVI, O REI – PARTE I
DAVI, O REI – PARTE I
Antonio Marcos
 
DAVI, O PASTORZINHO
DAVI, O PASTORZINHODAVI, O PASTORZINHO
DAVI, O PASTORZINHO
Antonio Marcos
 
SAUL, UM REI BONITO E TOLO
SAUL, UM REI BONITO E TOLOSAUL, UM REI BONITO E TOLO
SAUL, UM REI BONITO E TOLOAntonio Marcos
 
SAMUEL, O MENINO SERVO DE DEUS
SAMUEL, O MENINO SERVO DE DEUSSAMUEL, O MENINO SERVO DE DEUS
SAMUEL, O MENINO SERVO DE DEUSAntonio Marcos
 
RUTE, UMA HISTÓRIA DE AMOR
RUTE, UMA HISTÓRIA DE AMORRUTE, UMA HISTÓRIA DE AMOR
RUTE, UMA HISTÓRIA DE AMOR
Antonio Marcos
 
O PEQUENO EXÉRCITO DE GIDEÃO
O PEQUENO EXÉRCITO DE GIDEÃOO PEQUENO EXÉRCITO DE GIDEÃO
O PEQUENO EXÉRCITO DE GIDEÃO
Antonio Marcos
 
SANSÃO, UM FORTE HOMEM DE DEUS
SANSÃO, UM FORTE HOMEM DE DEUSSANSÃO, UM FORTE HOMEM DE DEUS
SANSÃO, UM FORTE HOMEM DE DEUS
Antonio Marcos
 
JOSUÉ ASSUME O COMANDO
JOSUÉ ASSUME O COMANDOJOSUÉ ASSUME O COMANDO
JOSUÉ ASSUME O COMANDO
Antonio Marcos
 
QUARENTA ANOS
QUARENTA ANOSQUARENTA ANOS
QUARENTA ANOS
Antonio Marcos
 
ADEUS, FARAÓ!
ADEUS, FARAÓ!ADEUS, FARAÓ!
ADEUS, FARAÓ!
Antonio Marcos
 
UM FILHO FAVORITO QUE SE TORNOU ESCRAVO
UM FILHO FAVORITO QUE SE TORNOU ESCRAVOUM FILHO FAVORITO QUE SE TORNOU ESCRAVO
UM FILHO FAVORITO QUE SE TORNOU ESCRAVOAntonio Marcos
 
DEUS PROVA O AMOR DE ABRAÃO
DEUS PROVA O AMOR DE ABRAÃODEUS PROVA O AMOR DE ABRAÃO
DEUS PROVA O AMOR DE ABRAÃO
Antonio Marcos
 

Mais de Antonio Marcos (20)

EZEQUIEL, O HOMEM DAS VISÕES
EZEQUIEL, O HOMEM DAS VISÕESEZEQUIEL, O HOMEM DAS VISÕES
EZEQUIEL, O HOMEM DAS VISÕES
 
ESTER, UMA LINDA RAINHA
ESTER, UMA LINDA RAINHAESTER, UMA LINDA RAINHA
ESTER, UMA LINDA RAINHA
 
ELISEU, UM HOMEM MILAGROSO
ELISEU, UM HOMEM MILAGROSOELISEU, UM HOMEM MILAGROSO
ELISEU, UM HOMEM MILAGROSO
 
ELIAS, UM HOMEM DE FOGO
ELIAS, UM HOMEM DE FOGOELIAS, UM HOMEM DE FOGO
ELIAS, UM HOMEM DE FOGO
 
REIS BONS E REIS MAUS
REIS BONS E REIS MAUSREIS BONS E REIS MAUS
REIS BONS E REIS MAUS
 
O SÁBIO REI SALOMÃO
O SÁBIO REI SALOMÃOO SÁBIO REI SALOMÃO
O SÁBIO REI SALOMÃO
 
DAVI, O REI – PARTE II
DAVI, O REI – PARTE IIDAVI, O REI – PARTE II
DAVI, O REI – PARTE II
 
DAVI, O REI – PARTE I
DAVI, O REI – PARTE IDAVI, O REI – PARTE I
DAVI, O REI – PARTE I
 
DAVI, O PASTORZINHO
DAVI, O PASTORZINHODAVI, O PASTORZINHO
DAVI, O PASTORZINHO
 
SAUL, UM REI BONITO E TOLO
SAUL, UM REI BONITO E TOLOSAUL, UM REI BONITO E TOLO
SAUL, UM REI BONITO E TOLO
 
SAMUEL, O MENINO SERVO DE DEUS
SAMUEL, O MENINO SERVO DE DEUSSAMUEL, O MENINO SERVO DE DEUS
SAMUEL, O MENINO SERVO DE DEUS
 
RUTE, UMA HISTÓRIA DE AMOR
RUTE, UMA HISTÓRIA DE AMORRUTE, UMA HISTÓRIA DE AMOR
RUTE, UMA HISTÓRIA DE AMOR
 
O PEQUENO EXÉRCITO DE GIDEÃO
O PEQUENO EXÉRCITO DE GIDEÃOO PEQUENO EXÉRCITO DE GIDEÃO
O PEQUENO EXÉRCITO DE GIDEÃO
 
SANSÃO, UM FORTE HOMEM DE DEUS
SANSÃO, UM FORTE HOMEM DE DEUSSANSÃO, UM FORTE HOMEM DE DEUS
SANSÃO, UM FORTE HOMEM DE DEUS
 
JOSUÉ ASSUME O COMANDO
JOSUÉ ASSUME O COMANDOJOSUÉ ASSUME O COMANDO
JOSUÉ ASSUME O COMANDO
 
QUARENTA ANOS
QUARENTA ANOSQUARENTA ANOS
QUARENTA ANOS
 
ADEUS, FARAÓ!
ADEUS, FARAÓ!ADEUS, FARAÓ!
ADEUS, FARAÓ!
 
UM FILHO FAVORITO QUE SE TORNOU ESCRAVO
UM FILHO FAVORITO QUE SE TORNOU ESCRAVOUM FILHO FAVORITO QUE SE TORNOU ESCRAVO
UM FILHO FAVORITO QUE SE TORNOU ESCRAVO
 
JACÓ, O ENGANADOR
JACÓ, O ENGANADORJACÓ, O ENGANADOR
JACÓ, O ENGANADOR
 
DEUS PROVA O AMOR DE ABRAÃO
DEUS PROVA O AMOR DE ABRAÃODEUS PROVA O AMOR DE ABRAÃO
DEUS PROVA O AMOR DE ABRAÃO
 

AS DOZE TRIBOS DE ISRAEL

  • 1. Um novo projeto de vida
  • 2. Os grupos que se movimentaram para entrarem na terra de Canaã entorno de 1200 a.C. tiveram um longo processo de assentamento e entrosamento com os grupos que lá já estavam  Este processo teve o seu ponto alto na Assembléia de Siquém ( Js 24,1,28)
  • 3. Siquém se encontra no centro-norte da terra de Canaã.  Segundo a própria Bíblia nunca foi conquistada  Ela aglutinou e representou todo aquele povo que estabeleceu um outro tipo de vivencia fora das cidades estado
  • 4. Todos fizeram a experiencia da Passagem = Páscoa Todos fizeram uma forte experiência de Deus  Todos eras excluídos, todos se libertaram de reis opressores
  • 5. A assembléia de Siquém nos mostra as duas tradições mais antigas que formaram o povo e que também se encontram nos textos bíblicos:  Israel Javista portador das tradições do Egito  Israel eloista,portador das tradições de Canaã
  • 6.  OS JAVISTAS:  Implementaram o sistema militar,bem organizado,capaz de ataque e defesa,com forte hierarquia Introduziram o culto a Javé,que, aos poucos, se tornou o Deus de todos
  • 7. Militarmente se dedicavam mais a ações de guerrilha  Trouxeram a capacidade de lutar pelos interesses comuns Introduziram o culto a Javé,que, aos poucos, se tornou o Deus de todos
  • 8. Em Siquém todos os grupos se comprometem em servir a Javé,o Deus libertador do Sinai. Quanto a mim e a minha casa serviremos a Javé(Js 24,15b)
  • 9.
  • 10. O número 12 indica “todos”  Na Bíblia há vários relatos sobre as 12 tribos e o número delas é sempre diferente:  Gn. 49,1-27 – 12 tribos  Dt. 33,1ss – 14 tribos  Jz.5,ss - 10 tribos  1 Cr 27,16-22 – 13 tribos.  O número foi definido a partir de Daví,para arrecadação de verba e de Salomão,que dividiu todo o território em 12 distritos administrativos
  • 11.  Tribalismo foi o sistema socio-político do povo de Israel antes da instituição da monarquia.  Foi caracterizado: Pela ausência de impostos, Pela ausência de poder constituído, Pela ausência de um exército
  • 12.  A maneira de viver de Israel se diferenciava de todos os outros povos  Javé era o elo de ligação entre as tribos e o chefe supremo (teocracia)  O nível de desenvolvimento econômico e social era mais baixo daquele de outros povos desta época. (gregos,troiano,Egípcios)
  • 13. As tribos eram articuladas entre si  Cada tribo era subdividida em clã  Cada clã era formado de diversas famílias  A família era a unidade básica
  • 14. F= família/ C= Clã / T= tribo / C=confederação
  • 15. .Reconhecer a Javé como o único Deus  Viver a autoridade de forma subsidiaria e como serviço
  • 16. Vivera união entre todos  Produzir leis que defendam a vida
  • 17. Viver o culto a Deus como louvor e agradecimento Trabalhar para ganhar o pão para o próprio sustento e não para acumular
  • 18.  Se o povo vai mal é por culpa dele mesmo,todavia ele sabe se arrepender e recomeçar  Este período alterna tempos de paz com tempos de lutas e guerras,nos quais Javé suscitava o JUÍZ
  • 19. Era uma pessoa- homem ou mulher- carismática,que Javé suscitava,sob o impulso do Espírito, para salvar o povo de um perigo iminente. O Juíz era o instrumento que Jeová escolhia para mostrar que Deus e o homem caminham, de fato, juntos
  • 20. O livro dos Juízes mostra claramente que Deus e o homem tem um projeto em comum: Deus inicia o processo O homem tem que dar continuidade,através da fidelidade e da liberdade,no seu dia- a-dia. DEUS É SEMPRE FIEL.O HOMEM NEM SEMPRE O É
  • 21. Período de paz/fidelidade=benção=vida para todos  Período de perigo/infidelidade=maldição=m orte para muitos  O povo se arrepende, clama a Javé,que manda um JUÍZ para libertá-lo
  • 22.  A cobiça do poder(Jz 9,7-21)  A influencia dos outros povos da planície cananéia.  A tentação constante da idolatria( Jz 8,22-23  A dominação de um pelo outro, especialmente contra mulheres(Jz 4-5)  O aparecimento dos Filisteus ( 1050 a.C.)
  • 23. › A partilha e a solidariedade(Nm. 11,10-30;Dt.1,9-18 › O poder partilhado(Êx.18,13 ss ; Nm.1,1-46) › A liderança como serviço( Dt 17,14-20; Js.18,1-10
  • 24.  Quer que todos sejamos como irmãos  Quer que nossas relações sejam pautadas pelo serviço(Mc 10,44ss)  Que nossa solidariedade seja singela e real(Mc 12,41-44)  Que nosso serviço seja humilde e não arrogante(Lc 17,7-10)
  • 25. O decálogo é um compêndio da legislação desta época.  Há muitas outras leis espalhadas pelo Pentatéuco e nos livros de Josué e dos Jízes
  • 26.  A sua composição, como hoje a conhecemos,remonta 700 a.C.  Os seus destinatários( pai,mãe,filhos,escravos, animais...)remetem às famílias do período em que foi escrito  Leia e compare o que é igual e o que é diferente dos dois textos
  • 27. NÃO IMPOSITIVAS E SIM PROPOSITIVAS: - porque querem garantir a fraternidade - porque querem preservar a liberdade - porque querem promover a solidariedade e a partilha ENFIM: Um outro mundo é possível
  • 28.  Faça uma leitura da sua história de vida e compartilhe  Faça uma comparação com a história do povo de Deus na época dos juízes  Ler: Jz 2,2-23;3,1-6
  • 29. Prof. Antonio Marcos N. dos Reis www.pamnr.blogspot.com www.profamnr.blogspot.com antonio_ead@hotmail.com 06/02/12 29