SlideShare uma empresa Scribd logo
UM CONVITE PARA PENSAR UMA EDUCAÇÃO PARA A VIDA
Eliane Balonecker Siqueira
1
Tania T. S. Nunes
2
Maria Isaura Rodrigues Pinto (Coordenadora do Subprojeto PBID)
3
Quando o tempo é de ousar, calar é se acovardar. É
preciso ousar, querer, usar saber, ousar Ser... Se não for
agora, quando? Se não for aqui, onde? Se não for você,
quem? (Roberto Crema)
Pensar em educação é pensar no seu protagonista: sujeito. A Educação do
século XXI, cada vez mais, precisa estar pautada em quatro pilares: aprender a
aprender, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a ser, como preconiza o
pensador Edgard Morin (2011).
É fato que a escola privilegia muito mais o primeiro pilar, valorizando pouco o
aprender fazendo. E, quase sempre, fica para o plano secundário o aprender a conviver
e o aprender a ser, aprendizados dependentes do segundo pilar. Preocupar-se com o
sujeito ultrapassa a ideia de aluno, pessoa ou indivíduo, para centrar-se no cidadão,
enquanto ser social.
Sobre esse pensamento, não se pode deixar de dizer que Paulo Freire (1996)
postulou uma educação pela autonomia do sujeito cidadão.
É importante ressaltar que a escola assume função valiosa no processo
ensino-aprendizagem quando repensa constantemente sua prática, pois, assim, atuará
não só como mediadora do conhecimento, mas, como espaço de trocas de ideias, de
pensamentos criativos para elaborar novas propostas de ensino mais lúdicas e mais
prazerosas para o aluno e para o professor.
É preciso pensar em ensinar valores. É preciso pensar em vidas-exemplo. É
preciso conhecer o aluno para melhor moldar a proposta de ensino. Todo indivíduo é
um ser incompleto, mas em que a escola pode contribuir para sua felicidade, para que
tenha uma vida mais digna, mais completa?É preciso valorizar suas expectativas e
crenças, seus sonhos e talentos para que conquistas possam ser alcançadas. Afinal,
como igualar os desiguais?
A valorização da escola como espaço de busca e de autoconhecimento se faz
necessária, pois extirpa o medo do por vir e promove a liberdade de ser. Promove a
1
Professora e Supervisora do Projeto no Colégio Estadual Coronel Francisco Lima, São Gonçalo-RJ.
2
Professora e Supervisora do Projeto no Colégio Estadual Coronel Francisco Lima, São Gonçalo-RJ.
3
Orientadora do Projeto CAPES/PIBID-UERJ Saber Escolar e Formação Docente na Educação Básica
formação de leitores, o desenvolvimento do uso das palavras, dos sonhos, dos atos
criativos. E também um aprendizado sempre em construção.
Então, cabe à escola formar cidadãos inseridos no mercado de talentos, para
sua inclusão na vida ativa, com cidadania plena e direção consciente do rumo a seguir
no seu futuro, sujeitos cientes de como obter conhecimento com autonomia e não
meros “reprodutores”.
Isto é educar com consciência. No entanto, a escola precisa saber quem é o
sujeito que existe em cada aluno.
A proposta deste artigo é apresentar uma sequência didática, planejada e
utilizada pela equipe do Subprojeto PIBID Letras da FFP para melhor conhecer os
alunos do Colégio Estadual Coronel Francisco Lima. O seu emprego, no início do ano,
antes do trabalho com os conteúdos da grade curricular, mostrou-se eficiente, razão
pela qual se considerou válido compartilhá-la neste espaço, após de ter sido
socializada, na Seccional II, da Secretaria de Estado de Educação, durante evento
destinado à apresentação de boas práticas pedagógicas.
Vale ressaltar que a sequência didática referenciada e para a qual dirigimos
nossa atenção foi aplicada no início do ano letivo de 2015.
1 – Conhecendo o aluno
O projeto de trabalho denominado “Selfie Perfil” se dividiu em diferentes
atividades realizadas com todas as turmas do primeiro ano do ensino médio, as quais
serão destacadas a seguir. Como afirma Iván Izquierdo: “Da mesma forma que sem
fome não aprendemos a comer e sem sede não aprendemos a beber água, sem
motivação não conseguimos aprender". Com base nesse pensamento, incentivamos o
grupo para o conhecimento e o acolhimento do Subprojeto, para refletir sobre si
mesmo e para a exposição de opiniões acerca do mundo real e virtual (SALLA, 2015,
p.2).
Inicialmente, exibimos o vídeo da canção “Reconvexo” de Caetano Veloso. A
letra altamente imagética e rica em personagens e personalidades nos permitiu
apresentar e conhecer figuras públicas como Henri Salvador, Andy Warhol, Dona Canô,
Joãozinho Trinta e o jogador Bobô. Foi possível, também,construir com a turma
sentidos para a nossa história e cultura nacionais.
Ao analisarmos o trecho “...quem é você?”, os alunos foram instigados com
essa pergunta. Fizemos uma analogia com a filosofia socrática do “conhece-te a ti
mesmo”, isto é, uma referência na busca pelo autoconhecimento e o conhecimento da
vida e do mundo.
2 – Produção de texto individual e coletiva
Nessa etapa, apresentamos a parte teórica do gênero textual “perfil” no
contexto virtual, suas características e o seu propósito comunicativo, no caso: fornecer
um mecanismo para que os participantes possam se "conhecer a distância" com o
objetivo de se engajarem em ações de comprometimento entre o grupo. Os alunos
perceberam em quais momentos produzimos esse tipo de texto e quais seriam seus
suportes. Fizemos referência ao ​curriculum vitae e os orientamos a respeito do tipo de
informação que devem constar tanto nele como nos perfis públicos virtuais.
Fizemos um debate sobre o uso das redes sociais. O assunto foi bastante
discutido em sala. Os alunos foram estimulados a refletir sobre o uso das tecnologias,
seus pontos positivos e negativos. Foram estimulados a perceber também, quanto
tempo dedicam ao mundo virtual em detrimento do mundo real. Comentamos sobre o
que deve ou não aparecer em seus perfis e refletimos a respeito da proporção
imensurável do que é posto na rede. Falamos sobre o ​cyberbullying e sobre o vício do
uso da internet. Alguns alunos, percebendo o perigo do excesso de horas dedicadas ao
mundo virtual, que pode causar certas doenças, solicitaram à escola uma palestra com
um psicólogo em busca de orientação profissional sobre o assunto.
Preparamos uma cópia de um celular do tamanho de uma folha A4, com as
fotos dos alunos, as quais foram solicitadas com antecedência. Com adesivos e
recortes de jornais e revistas, cada aluno preparou o seu próprio perfil e apresentou ao
grupo, tirando as dúvidas, assim que elas surgiam. Esse momento de ação prática
permitiu uma intensa troca de informações entre as professoras e os alunos, já que as
fotos levadas eram de um momento especial na vida de cada um deles.
Em seguida, apresentamos aos alunos uma proposta de uso de uma rede social
desconhecida deles, mas muito comum nos anos 80: o Caderno de Perguntas. Para tal,
confeccionamos um caderno com algumas perguntas direcionadas para o
conhecimento do aluno. Mostramos como os adolescentes se conheciam antes do uso
dos computadores e celulares. Eles apreciaram muito a ideia e gostaram de escrever
no caderno.
Para a preparação de uma produção de texto coletiva, lemos com os alunos a
Lei Estadual nº 5.222, de 11.4.2008, que determina que é proibido o uso de aparelhos
eletrônicos nas escolas. Em sala, os alunos leram e debateram essa lei e também leram
diferentes textos sobre o tema e se posicionaram a respeito da lei. Em outro
momento, a turma foi dividida em grupos e cada grupo produziu um texto coletivo
sobre o tema, com orientação da professora.
Na etapa final, voltamos a discutir a noção de gênero para pensar em
agrupá-los a partir dos usos sociais de comunicação (narrar, relatar, argumentar, expor
e instruir). Nesse sentido, foi realizada a leitura de diferentes textos do domínio do
argumentar, que se referiam ao uso de celulares nas escolas. Depois, os alunos
elaboraram individualmente seu textos sobre a lei e os melhores textos, foram
escolhidos dos no blog da escola e no jornal escolar ​InformAção​. Percebeu-se neste
momento que nossos alunos têm consciência do quanto o uso do celular atrapalha a
atenção.
3 – Considerações Finais:
O primeiro passo deste trabalho foi conhecer o aluno e criar certo vínculo com
ele. Para isso, apresentamos elementos da formação de nossa cultura nacional, para
que a partir daí, o aluno fosse capaz de pensar em si mesmo como agente de
transformação de uma realidade.
O objetivo principal do projeto foi melhor conhecer o aluno e aproximar a
escola de seu pensar. Refletimos sobre a atração que o mundo virtual exerce sobre
pessoas, levando-as a permanecer por horas na internet, muitas vezes para não
enfrentar os problemas da vida ou para buscar suprir algo que lhes falta no mundo
real.
Com a criação de um perfil próprio, o aluno foi estimulado a refletir sobre sua
história individual, família e comunidade. Sabemos que uma das saídas para
reconectar o indivíduo ao mundo onde vive passa pelo desenvolvimento de
competências socioemocionais.
Esperamos ter, com essas atividades docentes, contribuído para a autoestima
do aluno e para tornar suas relações sociais mais positivas, não só na escola, mas
também na vida fora dela.
4 - Referências
DOLZ, Joaquim; NOVERRAZ, Michele; SCHNEUWLY, Bernard. ​Sequências didáticas para
o oral e a escrita: apresentação de um procedimento​. In: DOLZ, Joaquim; SCHNEUWLY,
Bernard e colaboradores. Gêneros orais e escritos na escola. Trad. E Org. de Roxane
Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2004.
FREIRE, Paulo. ​Pedagogia da Autonomia; saberes necessários à prática educativa [Col.
Leitura]. São Paulo: Paz e Terra, 1996.
MARCUSCHI, Luiz Antônio. ​Produção textual, análise de gêneros e compreensão​. São
Paulo: Parábola, 2008.
MORIN, Edgar. ​Os sete saberes necessários à educação do Futuro​. Trad. Catarina
Eleonora F. da Silva e Jeanne Sawaya. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2011.
SALLA, Fernanda. Neurociência como ela ajuda a entender a aprendizagem. Revista
Nova Escola. Domínio:
http://revistaescola.abril.com.br/formacao/neurociencia-como-ela-ajuda-entender-ap
rendizagem​. Acesso: 13.10.2015.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
20162016
 
Metodologia e alfabetização
Metodologia e alfabetizaçãoMetodologia e alfabetização
Metodologia e alfabetização
cefaprodematupa
 
Slide Cida Novo
Slide Cida NovoSlide Cida Novo
Slide Cida Novo
guest5796bc
 
Projeto interdisciplinar pronto
Projeto interdisciplinar prontoProjeto interdisciplinar pronto
Projeto interdisciplinar pronto
grupodisseia
 
São josé do rio preto
São josé do rio pretoSão josé do rio preto
São josé do rio preto
linguagensemidias2013
 
Projeto eeefm maria de abreu alvim
Projeto eeefm maria de abreu alvimProjeto eeefm maria de abreu alvim
Projeto eeefm maria de abreu alvim
Marilia Frizzera Dias
 
Unidade 2 - ano 2 - Planejamento
Unidade 2 - ano 2 - PlanejamentoUnidade 2 - ano 2 - Planejamento
Unidade 2 - ano 2 - Planejamento
Bete Feliciano
 
Trabalho eepp iv completo
Trabalho eepp iv completoTrabalho eepp iv completo
Trabalho eepp iv completo
Thamires Bernardo
 
Alfabetização slides
Alfabetização slidesAlfabetização slides
Alfabetização slides
AVM
 
Projeto: Gentileza gera gentileza - aline & carminha
Projeto: Gentileza gera gentileza - aline & carminhaProjeto: Gentileza gera gentileza - aline & carminha
Projeto: Gentileza gera gentileza - aline & carminha
Carminha Melo
 
Planejamento pedagógico_ Projeto Gentileza Gera Gentileza
Planejamento pedagógico_ Projeto Gentileza Gera GentilezaPlanejamento pedagógico_ Projeto Gentileza Gera Gentileza
Planejamento pedagógico_ Projeto Gentileza Gera Gentileza
Escola Estadual Antônio Valadares
 
Letramento e alfabetização. A muitas facetas Magda Soares
Letramento e alfabetização. A muitas facetas Magda SoaresLetramento e alfabetização. A muitas facetas Magda Soares
Letramento e alfabetização. A muitas facetas Magda Soares
Susana Felix
 
Projeto lendo e escrevendo
Projeto lendo e escrevendoProjeto lendo e escrevendo
Projeto lendo e escrevendo
vanildebmatos
 
Apresentaçãp projeto de leitura nos anos iniciais
Apresentaçãp projeto de leitura nos anos iniciaisApresentaçãp projeto de leitura nos anos iniciais
Apresentaçãp projeto de leitura nos anos iniciais
leao162010
 
O DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E ESCRITA NA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL GUIBSO...
O DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E ESCRITA NA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL GUIBSO...O DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E ESCRITA NA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL GUIBSO...
O DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E ESCRITA NA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL GUIBSO...
Dalva Maria Bento
 
Monografia Naiane Pedagogia 2012
Monografia Naiane Pedagogia 2012Monografia Naiane Pedagogia 2012
Monografia Naiane Pedagogia 2012
Biblioteca Campus VII
 
A arvore generosa
A arvore generosaA arvore generosa
A arvore generosa
Cristini Lins
 
Projeto lendo interpretando na EJA
Projeto lendo interpretando na EJAProjeto lendo interpretando na EJA
Projeto lendo interpretando na EJA
prof_roseli_barbosa
 
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas ARTES
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas ARTESProjeto ler e escrever compromisso de todas as áreas ARTES
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas ARTES
Adriana Melo
 
A descoberta da_escrita
A descoberta da_escritaA descoberta da_escrita
A descoberta da_escrita
Jessica Carriço
 

Mais procurados (20)

Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
 
Metodologia e alfabetização
Metodologia e alfabetizaçãoMetodologia e alfabetização
Metodologia e alfabetização
 
Slide Cida Novo
Slide Cida NovoSlide Cida Novo
Slide Cida Novo
 
Projeto interdisciplinar pronto
Projeto interdisciplinar prontoProjeto interdisciplinar pronto
Projeto interdisciplinar pronto
 
São josé do rio preto
São josé do rio pretoSão josé do rio preto
São josé do rio preto
 
Projeto eeefm maria de abreu alvim
Projeto eeefm maria de abreu alvimProjeto eeefm maria de abreu alvim
Projeto eeefm maria de abreu alvim
 
Unidade 2 - ano 2 - Planejamento
Unidade 2 - ano 2 - PlanejamentoUnidade 2 - ano 2 - Planejamento
Unidade 2 - ano 2 - Planejamento
 
Trabalho eepp iv completo
Trabalho eepp iv completoTrabalho eepp iv completo
Trabalho eepp iv completo
 
Alfabetização slides
Alfabetização slidesAlfabetização slides
Alfabetização slides
 
Projeto: Gentileza gera gentileza - aline & carminha
Projeto: Gentileza gera gentileza - aline & carminhaProjeto: Gentileza gera gentileza - aline & carminha
Projeto: Gentileza gera gentileza - aline & carminha
 
Planejamento pedagógico_ Projeto Gentileza Gera Gentileza
Planejamento pedagógico_ Projeto Gentileza Gera GentilezaPlanejamento pedagógico_ Projeto Gentileza Gera Gentileza
Planejamento pedagógico_ Projeto Gentileza Gera Gentileza
 
Letramento e alfabetização. A muitas facetas Magda Soares
Letramento e alfabetização. A muitas facetas Magda SoaresLetramento e alfabetização. A muitas facetas Magda Soares
Letramento e alfabetização. A muitas facetas Magda Soares
 
Projeto lendo e escrevendo
Projeto lendo e escrevendoProjeto lendo e escrevendo
Projeto lendo e escrevendo
 
Apresentaçãp projeto de leitura nos anos iniciais
Apresentaçãp projeto de leitura nos anos iniciaisApresentaçãp projeto de leitura nos anos iniciais
Apresentaçãp projeto de leitura nos anos iniciais
 
O DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E ESCRITA NA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL GUIBSO...
O DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E ESCRITA NA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL GUIBSO...O DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E ESCRITA NA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL GUIBSO...
O DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E ESCRITA NA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL GUIBSO...
 
Monografia Naiane Pedagogia 2012
Monografia Naiane Pedagogia 2012Monografia Naiane Pedagogia 2012
Monografia Naiane Pedagogia 2012
 
A arvore generosa
A arvore generosaA arvore generosa
A arvore generosa
 
Projeto lendo interpretando na EJA
Projeto lendo interpretando na EJAProjeto lendo interpretando na EJA
Projeto lendo interpretando na EJA
 
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas ARTES
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas ARTESProjeto ler e escrever compromisso de todas as áreas ARTES
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas ARTES
 
A descoberta da_escrita
A descoberta da_escritaA descoberta da_escrita
A descoberta da_escrita
 

Semelhante a Artigo selfie perfil corrigido.docx

O jovem como sujeito do ensino médio, caderno 2
O jovem como sujeito do ensino médio, caderno 2O jovem como sujeito do ensino médio, caderno 2
O jovem como sujeito do ensino médio, caderno 2
Kadu Lannes
 
Unidade 3
Unidade 3Unidade 3
Unidade 3
guest3b31a4
 
Projetoarturramos
ProjetoarturramosProjetoarturramos
Projetoarturramos
ataidepassos
 
Apresentaogeralplanejarleiva 110224062602-phpapp01
Apresentaogeralplanejarleiva 110224062602-phpapp01Apresentaogeralplanejarleiva 110224062602-phpapp01
Apresentaogeralplanejarleiva 110224062602-phpapp01
Geija Fortunato
 
Projeto de leitura
Projeto de leituraProjeto de leitura
Projeto de leitura
Alexandre Albuquerque
 
Planejar 2011: planejando aulas para a Geração Y
Planejar 2011: planejando aulas para a Geração Y Planejar 2011: planejando aulas para a Geração Y
Planejar 2011: planejando aulas para a Geração Y
Editora Moderna
 
Sidéia sugestão 2 de oficina juventudes
Sidéia  sugestão 2 de oficina juventudesSidéia  sugestão 2 de oficina juventudes
Sidéia sugestão 2 de oficina juventudes
pactoensinomedioufu
 
Didatica ad1 Ana Paula Pontes
Didatica ad1 Ana Paula PontesDidatica ad1 Ana Paula Pontes
Didatica ad1 Ana Paula Pontes
Ana Pontes
 
Projetoarturramos
ProjetoarturramosProjetoarturramos
Projetoarturramos
fatima66souza
 
Projeto "E se eu fosse o autor?" - Incentivo à leitura através da cultura dig...
Projeto "E se eu fosse o autor?" - Incentivo à leitura através da cultura dig...Projeto "E se eu fosse o autor?" - Incentivo à leitura através da cultura dig...
Projeto "E se eu fosse o autor?" - Incentivo à leitura através da cultura dig...
Casa da Árvore - Cultura Digital e Aprendizagem Criativa
 
Portfólio de aprendizagens 2015
Portfólio de aprendizagens 2015Portfólio de aprendizagens 2015
Portfólio de aprendizagens 2015
bibi1856
 
Portfólio de aprendizagens 2015
Portfólio de aprendizagens 2015Portfólio de aprendizagens 2015
Portfólio de aprendizagens 2015
bibiufrgs
 
Imagens que contam
Imagens que contamImagens que contam
Imagens que contam
Eliane Maciel
 
Plano de Ação Intel 10
Plano de Ação Intel 10Plano de Ação Intel 10
Plano de Ação Intel 10
Lúcia Peres
 
Newsletter SocioAmbientar 2014/1
Newsletter SocioAmbientar 2014/1Newsletter SocioAmbientar 2014/1
Newsletter SocioAmbientar 2014/1
Aghata Gonsalves
 
Autoria como estrategia pedagogica
Autoria como estrategia pedagogicaAutoria como estrategia pedagogica
Autoria como estrategia pedagogica
Myrian Laste
 
O jovem como sujeito do ensino médio ap 02
O jovem como sujeito do ensino médio ap 02O jovem como sujeito do ensino médio ap 02
O jovem como sujeito do ensino médio ap 02
Everaldo Fernandes Barbosa
 
Palestras | Oficinas | Cursos
Palestras | Oficinas | CursosPalestras | Oficinas | Cursos
Palestras | Oficinas | Cursos
INSTITUTO GENS
 
4.1 EDUCAÇÃO INFANTIL - slide ptg 4º semestre 2019.pptx
4.1 EDUCAÇÃO INFANTIL - slide ptg 4º semestre 2019.pptx4.1 EDUCAÇÃO INFANTIL - slide ptg 4º semestre 2019.pptx
4.1 EDUCAÇÃO INFANTIL - slide ptg 4º semestre 2019.pptx
MayraAzevedo3
 
Afinal, quem é este tal de adolescente?
Afinal, quem é este tal de adolescente?Afinal, quem é este tal de adolescente?
Afinal, quem é este tal de adolescente?
Juliana Soares
 

Semelhante a Artigo selfie perfil corrigido.docx (20)

O jovem como sujeito do ensino médio, caderno 2
O jovem como sujeito do ensino médio, caderno 2O jovem como sujeito do ensino médio, caderno 2
O jovem como sujeito do ensino médio, caderno 2
 
Unidade 3
Unidade 3Unidade 3
Unidade 3
 
Projetoarturramos
ProjetoarturramosProjetoarturramos
Projetoarturramos
 
Apresentaogeralplanejarleiva 110224062602-phpapp01
Apresentaogeralplanejarleiva 110224062602-phpapp01Apresentaogeralplanejarleiva 110224062602-phpapp01
Apresentaogeralplanejarleiva 110224062602-phpapp01
 
Projeto de leitura
Projeto de leituraProjeto de leitura
Projeto de leitura
 
Planejar 2011: planejando aulas para a Geração Y
Planejar 2011: planejando aulas para a Geração Y Planejar 2011: planejando aulas para a Geração Y
Planejar 2011: planejando aulas para a Geração Y
 
Sidéia sugestão 2 de oficina juventudes
Sidéia  sugestão 2 de oficina juventudesSidéia  sugestão 2 de oficina juventudes
Sidéia sugestão 2 de oficina juventudes
 
Didatica ad1 Ana Paula Pontes
Didatica ad1 Ana Paula PontesDidatica ad1 Ana Paula Pontes
Didatica ad1 Ana Paula Pontes
 
Projetoarturramos
ProjetoarturramosProjetoarturramos
Projetoarturramos
 
Projeto "E se eu fosse o autor?" - Incentivo à leitura através da cultura dig...
Projeto "E se eu fosse o autor?" - Incentivo à leitura através da cultura dig...Projeto "E se eu fosse o autor?" - Incentivo à leitura através da cultura dig...
Projeto "E se eu fosse o autor?" - Incentivo à leitura através da cultura dig...
 
Portfólio de aprendizagens 2015
Portfólio de aprendizagens 2015Portfólio de aprendizagens 2015
Portfólio de aprendizagens 2015
 
Portfólio de aprendizagens 2015
Portfólio de aprendizagens 2015Portfólio de aprendizagens 2015
Portfólio de aprendizagens 2015
 
Imagens que contam
Imagens que contamImagens que contam
Imagens que contam
 
Plano de Ação Intel 10
Plano de Ação Intel 10Plano de Ação Intel 10
Plano de Ação Intel 10
 
Newsletter SocioAmbientar 2014/1
Newsletter SocioAmbientar 2014/1Newsletter SocioAmbientar 2014/1
Newsletter SocioAmbientar 2014/1
 
Autoria como estrategia pedagogica
Autoria como estrategia pedagogicaAutoria como estrategia pedagogica
Autoria como estrategia pedagogica
 
O jovem como sujeito do ensino médio ap 02
O jovem como sujeito do ensino médio ap 02O jovem como sujeito do ensino médio ap 02
O jovem como sujeito do ensino médio ap 02
 
Palestras | Oficinas | Cursos
Palestras | Oficinas | CursosPalestras | Oficinas | Cursos
Palestras | Oficinas | Cursos
 
4.1 EDUCAÇÃO INFANTIL - slide ptg 4º semestre 2019.pptx
4.1 EDUCAÇÃO INFANTIL - slide ptg 4º semestre 2019.pptx4.1 EDUCAÇÃO INFANTIL - slide ptg 4º semestre 2019.pptx
4.1 EDUCAÇÃO INFANTIL - slide ptg 4º semestre 2019.pptx
 
Afinal, quem é este tal de adolescente?
Afinal, quem é este tal de adolescente?Afinal, quem é este tal de adolescente?
Afinal, quem é este tal de adolescente?
 

Último

Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
TathyLopes1
 

Último (20)

Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
 

Artigo selfie perfil corrigido.docx

  • 1. UM CONVITE PARA PENSAR UMA EDUCAÇÃO PARA A VIDA Eliane Balonecker Siqueira 1 Tania T. S. Nunes 2 Maria Isaura Rodrigues Pinto (Coordenadora do Subprojeto PBID) 3 Quando o tempo é de ousar, calar é se acovardar. É preciso ousar, querer, usar saber, ousar Ser... Se não for agora, quando? Se não for aqui, onde? Se não for você, quem? (Roberto Crema) Pensar em educação é pensar no seu protagonista: sujeito. A Educação do século XXI, cada vez mais, precisa estar pautada em quatro pilares: aprender a aprender, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a ser, como preconiza o pensador Edgard Morin (2011). É fato que a escola privilegia muito mais o primeiro pilar, valorizando pouco o aprender fazendo. E, quase sempre, fica para o plano secundário o aprender a conviver e o aprender a ser, aprendizados dependentes do segundo pilar. Preocupar-se com o sujeito ultrapassa a ideia de aluno, pessoa ou indivíduo, para centrar-se no cidadão, enquanto ser social. Sobre esse pensamento, não se pode deixar de dizer que Paulo Freire (1996) postulou uma educação pela autonomia do sujeito cidadão. É importante ressaltar que a escola assume função valiosa no processo ensino-aprendizagem quando repensa constantemente sua prática, pois, assim, atuará não só como mediadora do conhecimento, mas, como espaço de trocas de ideias, de pensamentos criativos para elaborar novas propostas de ensino mais lúdicas e mais prazerosas para o aluno e para o professor. É preciso pensar em ensinar valores. É preciso pensar em vidas-exemplo. É preciso conhecer o aluno para melhor moldar a proposta de ensino. Todo indivíduo é um ser incompleto, mas em que a escola pode contribuir para sua felicidade, para que tenha uma vida mais digna, mais completa?É preciso valorizar suas expectativas e crenças, seus sonhos e talentos para que conquistas possam ser alcançadas. Afinal, como igualar os desiguais? A valorização da escola como espaço de busca e de autoconhecimento se faz necessária, pois extirpa o medo do por vir e promove a liberdade de ser. Promove a 1 Professora e Supervisora do Projeto no Colégio Estadual Coronel Francisco Lima, São Gonçalo-RJ. 2 Professora e Supervisora do Projeto no Colégio Estadual Coronel Francisco Lima, São Gonçalo-RJ. 3 Orientadora do Projeto CAPES/PIBID-UERJ Saber Escolar e Formação Docente na Educação Básica
  • 2. formação de leitores, o desenvolvimento do uso das palavras, dos sonhos, dos atos criativos. E também um aprendizado sempre em construção. Então, cabe à escola formar cidadãos inseridos no mercado de talentos, para sua inclusão na vida ativa, com cidadania plena e direção consciente do rumo a seguir no seu futuro, sujeitos cientes de como obter conhecimento com autonomia e não meros “reprodutores”. Isto é educar com consciência. No entanto, a escola precisa saber quem é o sujeito que existe em cada aluno. A proposta deste artigo é apresentar uma sequência didática, planejada e utilizada pela equipe do Subprojeto PIBID Letras da FFP para melhor conhecer os alunos do Colégio Estadual Coronel Francisco Lima. O seu emprego, no início do ano, antes do trabalho com os conteúdos da grade curricular, mostrou-se eficiente, razão pela qual se considerou válido compartilhá-la neste espaço, após de ter sido socializada, na Seccional II, da Secretaria de Estado de Educação, durante evento destinado à apresentação de boas práticas pedagógicas. Vale ressaltar que a sequência didática referenciada e para a qual dirigimos nossa atenção foi aplicada no início do ano letivo de 2015. 1 – Conhecendo o aluno O projeto de trabalho denominado “Selfie Perfil” se dividiu em diferentes atividades realizadas com todas as turmas do primeiro ano do ensino médio, as quais serão destacadas a seguir. Como afirma Iván Izquierdo: “Da mesma forma que sem fome não aprendemos a comer e sem sede não aprendemos a beber água, sem motivação não conseguimos aprender". Com base nesse pensamento, incentivamos o grupo para o conhecimento e o acolhimento do Subprojeto, para refletir sobre si mesmo e para a exposição de opiniões acerca do mundo real e virtual (SALLA, 2015, p.2). Inicialmente, exibimos o vídeo da canção “Reconvexo” de Caetano Veloso. A letra altamente imagética e rica em personagens e personalidades nos permitiu apresentar e conhecer figuras públicas como Henri Salvador, Andy Warhol, Dona Canô, Joãozinho Trinta e o jogador Bobô. Foi possível, também,construir com a turma sentidos para a nossa história e cultura nacionais. Ao analisarmos o trecho “...quem é você?”, os alunos foram instigados com essa pergunta. Fizemos uma analogia com a filosofia socrática do “conhece-te a ti mesmo”, isto é, uma referência na busca pelo autoconhecimento e o conhecimento da vida e do mundo. 2 – Produção de texto individual e coletiva
  • 3. Nessa etapa, apresentamos a parte teórica do gênero textual “perfil” no contexto virtual, suas características e o seu propósito comunicativo, no caso: fornecer um mecanismo para que os participantes possam se "conhecer a distância" com o objetivo de se engajarem em ações de comprometimento entre o grupo. Os alunos perceberam em quais momentos produzimos esse tipo de texto e quais seriam seus suportes. Fizemos referência ao ​curriculum vitae e os orientamos a respeito do tipo de informação que devem constar tanto nele como nos perfis públicos virtuais. Fizemos um debate sobre o uso das redes sociais. O assunto foi bastante discutido em sala. Os alunos foram estimulados a refletir sobre o uso das tecnologias, seus pontos positivos e negativos. Foram estimulados a perceber também, quanto tempo dedicam ao mundo virtual em detrimento do mundo real. Comentamos sobre o que deve ou não aparecer em seus perfis e refletimos a respeito da proporção imensurável do que é posto na rede. Falamos sobre o ​cyberbullying e sobre o vício do uso da internet. Alguns alunos, percebendo o perigo do excesso de horas dedicadas ao mundo virtual, que pode causar certas doenças, solicitaram à escola uma palestra com um psicólogo em busca de orientação profissional sobre o assunto. Preparamos uma cópia de um celular do tamanho de uma folha A4, com as fotos dos alunos, as quais foram solicitadas com antecedência. Com adesivos e recortes de jornais e revistas, cada aluno preparou o seu próprio perfil e apresentou ao grupo, tirando as dúvidas, assim que elas surgiam. Esse momento de ação prática permitiu uma intensa troca de informações entre as professoras e os alunos, já que as fotos levadas eram de um momento especial na vida de cada um deles. Em seguida, apresentamos aos alunos uma proposta de uso de uma rede social desconhecida deles, mas muito comum nos anos 80: o Caderno de Perguntas. Para tal, confeccionamos um caderno com algumas perguntas direcionadas para o conhecimento do aluno. Mostramos como os adolescentes se conheciam antes do uso dos computadores e celulares. Eles apreciaram muito a ideia e gostaram de escrever no caderno. Para a preparação de uma produção de texto coletiva, lemos com os alunos a Lei Estadual nº 5.222, de 11.4.2008, que determina que é proibido o uso de aparelhos eletrônicos nas escolas. Em sala, os alunos leram e debateram essa lei e também leram diferentes textos sobre o tema e se posicionaram a respeito da lei. Em outro momento, a turma foi dividida em grupos e cada grupo produziu um texto coletivo sobre o tema, com orientação da professora. Na etapa final, voltamos a discutir a noção de gênero para pensar em agrupá-los a partir dos usos sociais de comunicação (narrar, relatar, argumentar, expor e instruir). Nesse sentido, foi realizada a leitura de diferentes textos do domínio do argumentar, que se referiam ao uso de celulares nas escolas. Depois, os alunos elaboraram individualmente seu textos sobre a lei e os melhores textos, foram
  • 4. escolhidos dos no blog da escola e no jornal escolar ​InformAção​. Percebeu-se neste momento que nossos alunos têm consciência do quanto o uso do celular atrapalha a atenção. 3 – Considerações Finais: O primeiro passo deste trabalho foi conhecer o aluno e criar certo vínculo com ele. Para isso, apresentamos elementos da formação de nossa cultura nacional, para que a partir daí, o aluno fosse capaz de pensar em si mesmo como agente de transformação de uma realidade. O objetivo principal do projeto foi melhor conhecer o aluno e aproximar a escola de seu pensar. Refletimos sobre a atração que o mundo virtual exerce sobre pessoas, levando-as a permanecer por horas na internet, muitas vezes para não enfrentar os problemas da vida ou para buscar suprir algo que lhes falta no mundo real. Com a criação de um perfil próprio, o aluno foi estimulado a refletir sobre sua história individual, família e comunidade. Sabemos que uma das saídas para reconectar o indivíduo ao mundo onde vive passa pelo desenvolvimento de competências socioemocionais. Esperamos ter, com essas atividades docentes, contribuído para a autoestima do aluno e para tornar suas relações sociais mais positivas, não só na escola, mas também na vida fora dela. 4 - Referências DOLZ, Joaquim; NOVERRAZ, Michele; SCHNEUWLY, Bernard. ​Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento​. In: DOLZ, Joaquim; SCHNEUWLY, Bernard e colaboradores. Gêneros orais e escritos na escola. Trad. E Org. de Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2004. FREIRE, Paulo. ​Pedagogia da Autonomia; saberes necessários à prática educativa [Col. Leitura]. São Paulo: Paz e Terra, 1996. MARCUSCHI, Luiz Antônio. ​Produção textual, análise de gêneros e compreensão​. São Paulo: Parábola, 2008. MORIN, Edgar. ​Os sete saberes necessários à educação do Futuro​. Trad. Catarina Eleonora F. da Silva e Jeanne Sawaya. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2011. SALLA, Fernanda. Neurociência como ela ajuda a entender a aprendizagem. Revista Nova Escola. Domínio: http://revistaescola.abril.com.br/formacao/neurociencia-como-ela-ajuda-entender-ap rendizagem​. Acesso: 13.10.2015.