SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Baixar para ler offline
TECNOMETAL - 239 - novembro/dezembro 201810
GESTÃO & TECNOLOGIAS
1. INTRODUÇÃO AO PENSAMENTO ÁGIL
ExistemmuitostrabalhospublicadossobreafilosofiaLean.Em1991é
publicada a obra “A máquina que mudou o mundo”, escrita por
Womacket al.Nestaéapresentadoumestudosobreaindústriaauto-
móvelrealizadoduranteadécadade1980.Nesteestudo,oSistema
ToyotadeProdução(TPS)éevidenciadocomoumparadigmadelide-
rançaegestão,comparandoagestãojaponesacommétodoseuro-
peusenorte-americanos(Pinto,2009).
Em1996,olivro“Lean Thinking”,dosmesmosautores,aprofunda
asdiferençasentreaabordagemtradicionaldeproduçãoeaabor-
dagemlean (ágil).Neleérelatadoodesenvolvimentohistórico,van-
tagensebenefícios,descriçãoedefiniçõesdosprincípioseaborda-
gensdafilosofialean thinking (pensamentoágil).
Outrostrabalhosimportantes,comoRotheret al.(1999),Womack
et al.(2005),Leeet al.(2006)eMann(2005),continuamoestudo
dessafilosofiaepráticasassociadasereforçamasvantagensque
elaapresenta.
Gestão ágil de projectos
Do modelo tradicional (waterfall) à estrutura Scrum
ABSTRACT
Lean Thinking main focus is reducing waste, while creating value and satisfying
customer's needs, through processes that may guarantee the organisation
sustainability. As well as other types of projects, Lean Projects are subject to
change, risk and other kinds of constraints.
The emphasis of the traditional project management model, usually named
Waterfall, lies in the initial planning of the project, on setting the scope, cost and
schedule, and managing these parameters.
The Scrum framework focus on deliver the greatest amount of value in the
shortest possible time, encourages iterative decision making, based on data, and
the delivery of results in small, iterative increments that are usable.
This paper aims to analyze both methods, considering the principles of Lean
Thinking.
Autores:ChristianeTscharfeJoãoPauloPinto[CLTValuebaseServices]
Keywords:
Lean,
Scrum,
ProjectManagement,
Sustainability,
Value.
TECNOMETAL - 239 - novembro/dezembro 2018 11
GESTÃO  TECNOLOGIAS
Em2004,Liker,comolivro“The Toyota Way”,marcouumpontode
viragemaocentraressafilosofianaintervençãodaspessoas,algoque
éreforçadocomotrabalho“Toyota Talent”,daLikereMeier,em2007.
Oscincoprincípios,identificadosporWomackeJones(1996),resu-
memasprincipaisdiretrizesdaFilosofiaLean:
1.Definirvalor;
2.Mapearacadeiadevalor;
3.Criarofluxo;
4.Estabelecerosistemapull;
5.Procuraraperfeição.
Noentanto,Pinto(2009)consideraqueoscincoprincípiosapresen-
tadospodemteralgumasdeficiências:elesconsideramapenasa
cadeiadevalordocliente,masnaverdadeexistemoutrascadeias
devalor,umaparacadaparteinteressada.Outralimitaçãoéque
elestendemalevarasorganizaçõesaciclosintermináveisderedu-
çãododesperdício,ignorandoaactividadecrucialdecriaçãode
valorpormeiodainovaçãonosprodutos,serviçoseprocessos.
Todos os trabalhos acima mencionados contribuem para apoiar,
teoricamente,osprincípioseconceitosquenorteiamessafilosofiae
também conhecer e compreender as práticas, materializadas em
métodoseferramentas,devidamenteestruturadas,cujaaplicação
deve respeitar sempre dois conceitos básicos associados ao lean
thinking:eliminarodesperdícioecriarvalor.
1.1. Desperdício
“Muda”éumadaspalavras(japonesas)quetodosnumaorganiza-
çãodevemsaber.“Muda”significa“desperdício”,emqualqueracti-
vidade humana que absorve recur-
sos, mas não cria valor algum”
(Womack et al., 1996). Não agre-
gando valor, os produtos e serviços
que disponibilizamos no mercado
sãomaiscaros.Avantagemqueas
organizações criam é medida pelo
valor que elas oferecem, quando
comparado com o preço que elas
pedememtroca(Pinto,2009).
As sete categorias de “Muda” mais
conhecidas foram identificadas por
Taiichi Ohno(1912-1990) e Shigeo
Shingo(1909-1990). É a classifica-
çãomaispopular,emboraosautores
afirmemquepodemserconsideradas
maiscategoriasalémdaquelasapre-
sentadas.Aestessetemuda foiacres-
centadoumoitavodesperdício(des-
perdíciodotalentodaspessoas)ver
figura1.
1.2. Valor
Quandonosreferimosaumproduto
ouserviçoqueadquirimosouutiliza-
mos,tendemosaclassificá-loscomo
termo valor. Pode-se dizer que
“valor é a compensação pelo que
recebemos em troca do que paga-
mos”.Noentanto,nãoclassificamos
ascoisasdeacordocomseuvalor,
apenas quando pagamos um preço
por elas. Num programa de TV ou
teatro, também é possível ter uma
noção de valor associado, relacio-
nadocomotempodedicadoaele,
ou com a atenção que lhe presta-
mos.
Valor é tudo que justifica o tempo,
atençãoeesforçoquecolocamosem
algo.Quandosentimosquenãovale
a pena, não vamos, não compra-
mos,nãodedicamostempoouaten-
ção(Pinto,2009).
Então,comopodemostercertezade
que, numa organização, o valor é
criadoparatodasaspartesinteressa-
das?Emprimeirolugar,estaquestão
destacaanecessidadedesaberquem
sãoaspartesinteressadasedeconhe-
cerassuasnecessidadeseexpectati-
vas. Em segundo lugar, precisamosFigura1– Os oitos muda críticos do pensamento lean
TECNOMETAL - 239 - novembro/dezembro 201812
GESTÃO  TECNOLOGIAS
Aagilidadeéumaabordagemiterativaeincrementaldedesenvol-
vimentodeprodutoseserviçosparadisponibilizarassoluçõespor
etapas. A agilidade promove o planeamento adaptativo para
desenvolverumprodutoemiterações,proporcionandomaiorfle-
xibilidadeemalteraçõesduranteoprojetoereduzindoaextensão
doplaneamentoalongoprazo,mitigandooriscoenvolvidocom
pedidosadicionaisdocliente,alteraçõeslegislativasoudemer-
cado.
Umdosmétodoságeismaisconhecidoéo“Scrum”quesecarac-
terizaporgerirasatividadesdumprojetoemintervalosdetempo
fixos “Sprints”. Para além dos “Sprints” , o “Scrum” realiza reu-
niõesemintervalosregulares,“daily standup meeting”, paraaju-
daraspartesinteressadasaacompanharoprogressodoprojeto.
O“Scrum”,comometodologiaágil,édiferentedagestãotradi-
cionaldeprojetos,sendoestaconhecidacomoométodowater-
fall.
2. GESTÃO DE PROJECTOS
2.1. A abordagem waterfall
Agestãotradicionaldeprojetos,waterfall,realizaoplaneamento
detalhadoeantecipadodetodooprojecto,comênfasenoâmbito,
custoecronogramaenagestãodessesparâmetros.Aabordagem
waterfall pode,àsvezes,levaraumasituaçãoemqueoplanofoi
bemsucedidoeoclientenãoestásatisfeito,ouseja,oprojetofoi
bemexecutado,masnofinalnãoeraaquiloqueoclientequeria.
Sim,osclientesmudamdeopiniãoemuitasvezesnoiníciodopro-
jetonãotêmumaideiamuitoclaradoquepretendem.Quefazer
nestassituações?Mudardeclienteoudemétododegestãodepro-
jectos?
Omodelowaterfall éadequadoparaprojetosordenadoseprevisí-
veis nos quais todos os requisitos de entrada estão definidos e
podemserestimadoscomprecisão,situaçãocadavezmaisrara.As
mudançasnosrequisitosdosclienteslevaramaumamaiorpressão
sobreasempresasparaqueseadaptememudemosseusmétodos
deentrega.
identificartodasasatividadesquenão
atendem a essas necessidades e
expectativas.Nessecaso,elasdevem
serclassificadascomo“Muda”.Num
ambientedemelhoriacontínua,todo
o desperdício identificado deve ser
vistonãoapenascomoumproblema,
mas como uma oportunidade de
melhoriaquepromoveprocessoslean
(ágeis,isentosdegordura).
1.3. Lean é agilidade
Os princípios “Lean” dão enfase à
importância de saber quem são os
stakeholders (aspartesinteressadas)
equaléasuanoçãodevalor,para
que os processos possam ser apri-
morados,reduzindoeventualdesper-
dício. Hoje, com a velocidade com
quetodasasmudançasocorrem,à
escalaglobal,anoçãodevalor,ou
seja,asnecessidadeseexpectativas
dos clientes, muda frequentemente.
É,portanto,cadavezmaisnecessá-
rio que as organizações implemen-
temnãoapenasosprincípioseferra-
mentas lean para melhorar
continuamente, mas também que
assumamoconceitoprocessoágil.
JimHighsmith,umpopularguruda
agilidade que escreveu vários livros
sobremétodoságeiseadaptativos,o
define no seu livro “Agile Project
Management:Criandoprodutosino-
vadores”(2004):
“Agilidadeéacapacidadedecriare
responder a mudanças para lucrar
num ambiente de negócios turbu-
lento. Agilidade é a capacidade de
equilibrar flexibilidade e estabili-
dade”.
Serágiléseradaptativoparamudar,
é a capacidade de rapidamente se
ajustaràsmudanças.Oconceitode
agilidade não se aplica apenas no
desenvolvimento de software (onde
nasceu); O conceito de agilidade
podeserusadoemqualquerprojeto,
independentementedasuacomple-
xidade ou setor de actividade, por-
tanto, também pode ser usado em
projetoslean. Figura2– Diferenças entre abordagens de gestão de projectos
TECNOMETAL - 239 - novembro/dezembro 2018 13
GESTÃO  TECNOLOGIAS
Poroutrolado,asmetodologiaságeis,comoo“Scrum”,exigem
umamudançadementalidadeporpartedostradicionaisgesto-
resdeprojeto.Ofococentralmudoudoâmbito(métodowater-
fall)parao“valor”(método“Scrum”).Enquantoquenomodelo
waterfall custoecronogramasãoalteradosparagarantirqueo
âmbito desejado seja alcançado, no “Scrum” a atenção está
focalizadanaqualidadeenasrestriçõesquepodemseralteradas
paraatingiroobjetivoprincipal(valormáximoparaonegócio),
verfigura2.
2.2. “Scrum framework”
Em meados dos anos 1980-90, Hirotaka Takeuchi e Ikujiro
Nonakadefiniramumaestratégiadedesenvolvimentodeprodutos
flexíveleabrangenteemqueaequipadedesenvolvimentotraba-
lhacomoumaunidadeparaalcançarumobjetivocomum.Eles
descreveramumaabordageminovadoraparaodesenvolvimento
deprodutosquedesignaramporholísticaouderugby,emque
umaequipatentapercorreradistânciacomoumaunidade,pas-
sandoabolaparaoladoouparatrás.Estesautoresbasearama
sua proposta em vários case studies, realizados em inúmeras
empresasindustriais.
TakeuchieNonakapropuseramqueodesenvolvimentodeprodu-
tosnãodeveriasercomoumacorridadelongadistância,massim
deveria ser análogo ao jogo de rugby onde a equipa trabalha
junta, passando a bola de um lado para outro enquanto se
movem como uma unidade no campo. O termo usado em
“Scrum”(ondeumgrupodejogadoresseformaparareiniciaro
jogo),foiintroduzidonesteartigoparadescreverapropostados
autoresdedesenvolvimentodeprodutoscomométodo“Scrum”,
realizadoempequenosciclositerativos.
KenSchwabereJeffSutherlandelaboraramoconceito“Scrum”e
suaaplicabilidadeaodesenvolvimentodesoftware numaapresen-
taçãonaconferênciadeProgramaçãoOrientadaaObjetos,Sis-
temas,IdiomaseAplicações(OOPSLA)realizadaem1995,em
Austin, Texas. Desde então, vários praticantes, especialistas e
autoresdo“Scrum”continuaramarefinaroconceitoeametodo-
logia.Nosúltimosanos,o“Scrum”ganhoupopularidadeàescala
mundialeactualmenteéametodologiapreferidanodesenvolvi-
mentodeprojetosparamuitasorganizações.
Aestrutura“Scrum”baseia-senacrençadequeostrabalhadores
doconhecimentodehojepodemoferecermuitomaisdoqueape-
nassuaespecializaçãotécnicaequemapeareplanear,comple-
tamente,nãoéeficientenumambienteemconstantemudança.O
“Scrum”incentivaatomadadedecisãoiterativabaseadaemfac-
tosedados.
3. “SCRUM” E A GESTÃO “LEAN” DE
PROJETOS
No“Scrum”,ofocoprincipaléfornecerprodutosquesatisfaçamos
requisitos do cliente em entregas iterativas, para disponibilizar a
maiorquantidadedevalornomenortempopossível.O“Scrum”
promove a priorização e o time-
boxing,fixandooâmbito,ocustoeo
cronograma de um projeto. Uma
característicaimportantedo“Scrum”
éaauto-organização,quepermitea
quemrealizaotrabalhopossaapro-
priar-se das tarefas e estimar o
temponecessário.
Alguns dos principais benefícios do
“Scrum”emprojetoslean são:
1.Adaptabilidade–controloempí-
ricodoprocessoeentregaitera-
tivatornamosprojetosadaptá-
veiseabertosàincorporaçãode
mudanças;
2.Transparência – todos os irra-
diadoresdeinformações,como
o Scrumboard e o Sprint Burn-
down Chart, são partilhados,
criandoumambientedetraba-
lho aberto, que também é um
paradigma relacionado com a
filosofialean thinking;
3.Feedbackcontínuo–fornecido
atravésdosváriosprocessosda
estruturaScrum;
4.Melhoria contínua – as entre-
gassãomelhoradasprogressi-
vamenteacadaSprint (ciclode
curtaduração);
5.Entrega de valor – processos
iterativos permitem a entrega
contínuadevalor.Aentregade
valoraoclienteéumdospila-
resdopensamentolean;
6.Ritmo sustentável – os proces-
soscomScrum sãoprojetados
deformaqueaspessoasenvol-
vidas podem trabalhar a um
ritmoqueserámantido;
7.Entregaantecipadadeelevado
valor–foconasnecessidadese
expectativas dos clientes, e
entrega de valor, são igual-
mente paradigmas do pensa-
mentolean;
8.Processo de desenvolvimento
eficiente – O time-boxing e a
minimização do trabalho não
TECNOMETAL - 239 - novembro/dezembro 201814
GESTÃO  TECNOLOGIAS
essencial levam a níveis mais
altosdeeficiência;
9. Motivação–osprocessosScrum
levamamaioresníveisdemoti-
vação entre os colaboradores,
sendoestatambémumadiretriz
dolean thinking,quesefocaliza
nodesenvolvimentodaspessoas
(Likeret al,2007).
10.Rápidaresoluçãodeproblemas
–acolaboraçãoeacolocação
de equipas multifuncionais
levam a uma resolução mais
rápidadosproblemas.
4. CONCLUSÕES
Quando os projectos são simples,
comfuncionalidadesbemdefinidase
aequipativerexperiêncianaconclu-
são de projectos similares, reco-
menda-se o método waterfall. Por
outro lado, em projectos complexos, em que o cliente não está
segurosobreoquedesejaeosrequisitosdefuncionalidademudam
comfrequência,omodeloiterativoémaisflexívelparagarantirque
essasalteraçõespossamserincluídasantesdaconclusãodopro-
jecto.
Considerandoqueosprincípioslean sãobaseadosnacriaçãode
valor,foconocliente,reduçãodedesperdícioemelhoriacontínua,
épossívelidentificarumaforterelaçãocomosmétodoságeisesuas
características,emparticular,comametodologia“Scrum”.
Os projectos lean, como qualquer outro tipo de projecto, estão
sujeitosadiversasalterações.São,porvezes,iniciadossemsesaber
oquesepretendeatingirnofinalousemconheceroprocessocom-
pleto(algoquesóéfeitopordiagnóstico,utilizandoferramentase
recursosespecíficos),comanecessidadedecontinuamenteajustar
o planeamento inicial e incorporar as alterações solicitadas pelo
cliente,emvezderejeitá-las.
Alémdisso,considerandoosprincípioslean eofoconoenvolvi-
mento das pessoas e no desenvolvimento do potencial humano,
destacamosovaloragregadodo“Scrum”paragerirprojetoslean
pode trazer, juntamente com todas as vantagens do método e
ligando-osaosprincípiosbásicosediretrizesdesseparadigmade
liderançaegestão.
REFERÊNCIAS
Highsmith,J.(2004).Agile Project Management: Creating Innovative Product. Addison-Wesley.
Lee,Q.andSnyder,B.(2006).Value stream and mapping process: genesis of manufacturing strategy:Enna.
Liker,J.K.(2004).The Toyota Way.NewYork:McGraw-Hill.
Liker,J.K.andMeier,D.P.(2007).Toyota Talent.NewYork:McGraw-Hill.
Mann,D.(2005).Creating a Lean Culture.ProductivityPress.
Pinto,J.P.(2009).Pensamento Lean: a filosofia das organizações vencedoras.Lisboa:Lidel.
Rother,M.andShook,J.(1999).Learning to see: value stream mapping to create value and eliminate muda.LeanEnter-
priseInstitute.
SCRUMStudy(2017).A Guide to the Scrum Body of Knowledge.Phoenix:SCRUMStudy.
Takeuchi,HeNonakaI.(1986).The New New Product Development Game.HBR,January1986Issue.
Womack,J.et al (1991).The machine that chenged the world.FreePress.
Womack,J.andJones,D.(1996).Lean Thinking. NewYork:SimonSchuster.
Steinbeck,M.(2006).Enablers of Reconfiguration Dynamics.InF.Shadow(Ed.),InformationTechnologyforManufacturing
(pp.141-149).NewYork:Springer-Verlag.

Mais conteúdo relacionado

Mais de CLT Valuebased Services

Mais de CLT Valuebased Services (20)

Last Mile Logistics
Last Mile LogisticsLast Mile Logistics
Last Mile Logistics
 
Industry 4.0
Industry 4.0Industry 4.0
Industry 4.0
 
Lean 6Sigma Agile 2019
Lean 6Sigma Agile 2019Lean 6Sigma Agile 2019
Lean 6Sigma Agile 2019
 
Tabelas MTM ln IPC
Tabelas MTM ln IPCTabelas MTM ln IPC
Tabelas MTM ln IPC
 
Bordo de linha
Bordo de linhaBordo de linha
Bordo de linha
 
Scrum Book
Scrum BookScrum Book
Scrum Book
 
Booklet Estudo do Trabalho final
Booklet Estudo do Trabalho finalBooklet Estudo do Trabalho final
Booklet Estudo do Trabalho final
 
Domotica
DomoticaDomotica
Domotica
 
Projeto Implementação Lean
Projeto Implementação Lean Projeto Implementação Lean
Projeto Implementação Lean
 
Retrato de Poortugal 2019
Retrato de Poortugal 2019Retrato de Poortugal 2019
Retrato de Poortugal 2019
 
Fut global-edition
Fut  global-editionFut  global-edition
Fut global-edition
 
Tabelas MTM LM IPC
Tabelas MTM LM IPCTabelas MTM LM IPC
Tabelas MTM LM IPC
 
Exercicio de Dimensionamento do Mizu
Exercicio de Dimensionamento do MizuExercicio de Dimensionamento do Mizu
Exercicio de Dimensionamento do Mizu
 
TWI JI
TWI JITWI JI
TWI JI
 
Exercicio de Antropometria
Exercicio de AntropometriaExercicio de Antropometria
Exercicio de Antropometria
 
Mba ToC
Mba ToC Mba ToC
Mba ToC
 
Estudo do Trabalho
Estudo do TrabalhoEstudo do Trabalho
Estudo do Trabalho
 
Engenheiro de Projectos
Engenheiro de ProjectosEngenheiro de Projectos
Engenheiro de Projectos
 
Catalogo de titutlos comunidade lean
Catalogo de titutlos comunidade leanCatalogo de titutlos comunidade lean
Catalogo de titutlos comunidade lean
 
Case study gefco
Case study gefcoCase study gefco
Case study gefco
 

Artigo scrum by clt

  • 1. TECNOMETAL - 239 - novembro/dezembro 201810 GESTÃO & TECNOLOGIAS 1. INTRODUÇÃO AO PENSAMENTO ÁGIL ExistemmuitostrabalhospublicadossobreafilosofiaLean.Em1991é publicada a obra “A máquina que mudou o mundo”, escrita por Womacket al.Nestaéapresentadoumestudosobreaindústriaauto- móvelrealizadoduranteadécadade1980.Nesteestudo,oSistema ToyotadeProdução(TPS)éevidenciadocomoumparadigmadelide- rançaegestão,comparandoagestãojaponesacommétodoseuro- peusenorte-americanos(Pinto,2009). Em1996,olivro“Lean Thinking”,dosmesmosautores,aprofunda asdiferençasentreaabordagemtradicionaldeproduçãoeaabor- dagemlean (ágil).Neleérelatadoodesenvolvimentohistórico,van- tagensebenefícios,descriçãoedefiniçõesdosprincípioseaborda- gensdafilosofialean thinking (pensamentoágil). Outrostrabalhosimportantes,comoRotheret al.(1999),Womack et al.(2005),Leeet al.(2006)eMann(2005),continuamoestudo dessafilosofiaepráticasassociadasereforçamasvantagensque elaapresenta. Gestão ágil de projectos Do modelo tradicional (waterfall) à estrutura Scrum ABSTRACT Lean Thinking main focus is reducing waste, while creating value and satisfying customer's needs, through processes that may guarantee the organisation sustainability. As well as other types of projects, Lean Projects are subject to change, risk and other kinds of constraints. The emphasis of the traditional project management model, usually named Waterfall, lies in the initial planning of the project, on setting the scope, cost and schedule, and managing these parameters. The Scrum framework focus on deliver the greatest amount of value in the shortest possible time, encourages iterative decision making, based on data, and the delivery of results in small, iterative increments that are usable. This paper aims to analyze both methods, considering the principles of Lean Thinking. Autores:ChristianeTscharfeJoãoPauloPinto[CLTValuebaseServices] Keywords: Lean, Scrum, ProjectManagement, Sustainability, Value.
  • 2. TECNOMETAL - 239 - novembro/dezembro 2018 11 GESTÃO TECNOLOGIAS Em2004,Liker,comolivro“The Toyota Way”,marcouumpontode viragemaocentraressafilosofianaintervençãodaspessoas,algoque éreforçadocomotrabalho“Toyota Talent”,daLikereMeier,em2007. Oscincoprincípios,identificadosporWomackeJones(1996),resu- memasprincipaisdiretrizesdaFilosofiaLean: 1.Definirvalor; 2.Mapearacadeiadevalor; 3.Criarofluxo; 4.Estabelecerosistemapull; 5.Procuraraperfeição. Noentanto,Pinto(2009)consideraqueoscincoprincípiosapresen- tadospodemteralgumasdeficiências:elesconsideramapenasa cadeiadevalordocliente,masnaverdadeexistemoutrascadeias devalor,umaparacadaparteinteressada.Outralimitaçãoéque elestendemalevarasorganizaçõesaciclosintermináveisderedu- çãododesperdício,ignorandoaactividadecrucialdecriaçãode valorpormeiodainovaçãonosprodutos,serviçoseprocessos. Todos os trabalhos acima mencionados contribuem para apoiar, teoricamente,osprincípioseconceitosquenorteiamessafilosofiae também conhecer e compreender as práticas, materializadas em métodoseferramentas,devidamenteestruturadas,cujaaplicação deve respeitar sempre dois conceitos básicos associados ao lean thinking:eliminarodesperdícioecriarvalor. 1.1. Desperdício “Muda”éumadaspalavras(japonesas)quetodosnumaorganiza- çãodevemsaber.“Muda”significa“desperdício”,emqualqueracti- vidade humana que absorve recur- sos, mas não cria valor algum” (Womack et al., 1996). Não agre- gando valor, os produtos e serviços que disponibilizamos no mercado sãomaiscaros.Avantagemqueas organizações criam é medida pelo valor que elas oferecem, quando comparado com o preço que elas pedememtroca(Pinto,2009). As sete categorias de “Muda” mais conhecidas foram identificadas por Taiichi Ohno(1912-1990) e Shigeo Shingo(1909-1990). É a classifica- çãomaispopular,emboraosautores afirmemquepodemserconsideradas maiscategoriasalémdaquelasapre- sentadas.Aestessetemuda foiacres- centadoumoitavodesperdício(des- perdíciodotalentodaspessoas)ver figura1. 1.2. Valor Quandonosreferimosaumproduto ouserviçoqueadquirimosouutiliza- mos,tendemosaclassificá-loscomo termo valor. Pode-se dizer que “valor é a compensação pelo que recebemos em troca do que paga- mos”.Noentanto,nãoclassificamos ascoisasdeacordocomseuvalor, apenas quando pagamos um preço por elas. Num programa de TV ou teatro, também é possível ter uma noção de valor associado, relacio- nadocomotempodedicadoaele, ou com a atenção que lhe presta- mos. Valor é tudo que justifica o tempo, atençãoeesforçoquecolocamosem algo.Quandosentimosquenãovale a pena, não vamos, não compra- mos,nãodedicamostempoouaten- ção(Pinto,2009). Então,comopodemostercertezade que, numa organização, o valor é criadoparatodasaspartesinteressa- das?Emprimeirolugar,estaquestão destacaanecessidadedesaberquem sãoaspartesinteressadasedeconhe- cerassuasnecessidadeseexpectati- vas. Em segundo lugar, precisamosFigura1– Os oitos muda críticos do pensamento lean
  • 3. TECNOMETAL - 239 - novembro/dezembro 201812 GESTÃO TECNOLOGIAS Aagilidadeéumaabordagemiterativaeincrementaldedesenvol- vimentodeprodutoseserviçosparadisponibilizarassoluçõespor etapas. A agilidade promove o planeamento adaptativo para desenvolverumprodutoemiterações,proporcionandomaiorfle- xibilidadeemalteraçõesduranteoprojetoereduzindoaextensão doplaneamentoalongoprazo,mitigandooriscoenvolvidocom pedidosadicionaisdocliente,alteraçõeslegislativasoudemer- cado. Umdosmétodoságeismaisconhecidoéo“Scrum”quesecarac- terizaporgerirasatividadesdumprojetoemintervalosdetempo fixos “Sprints”. Para além dos “Sprints” , o “Scrum” realiza reu- niõesemintervalosregulares,“daily standup meeting”, paraaju- daraspartesinteressadasaacompanharoprogressodoprojeto. O“Scrum”,comometodologiaágil,édiferentedagestãotradi- cionaldeprojetos,sendoestaconhecidacomoométodowater- fall. 2. GESTÃO DE PROJECTOS 2.1. A abordagem waterfall Agestãotradicionaldeprojetos,waterfall,realizaoplaneamento detalhadoeantecipadodetodooprojecto,comênfasenoâmbito, custoecronogramaenagestãodessesparâmetros.Aabordagem waterfall pode,àsvezes,levaraumasituaçãoemqueoplanofoi bemsucedidoeoclientenãoestásatisfeito,ouseja,oprojetofoi bemexecutado,masnofinalnãoeraaquiloqueoclientequeria. Sim,osclientesmudamdeopiniãoemuitasvezesnoiníciodopro- jetonãotêmumaideiamuitoclaradoquepretendem.Quefazer nestassituações?Mudardeclienteoudemétododegestãodepro- jectos? Omodelowaterfall éadequadoparaprojetosordenadoseprevisí- veis nos quais todos os requisitos de entrada estão definidos e podemserestimadoscomprecisão,situaçãocadavezmaisrara.As mudançasnosrequisitosdosclienteslevaramaumamaiorpressão sobreasempresasparaqueseadaptememudemosseusmétodos deentrega. identificartodasasatividadesquenão atendem a essas necessidades e expectativas.Nessecaso,elasdevem serclassificadascomo“Muda”.Num ambientedemelhoriacontínua,todo o desperdício identificado deve ser vistonãoapenascomoumproblema, mas como uma oportunidade de melhoriaquepromoveprocessoslean (ágeis,isentosdegordura). 1.3. Lean é agilidade Os princípios “Lean” dão enfase à importância de saber quem são os stakeholders (aspartesinteressadas) equaléasuanoçãodevalor,para que os processos possam ser apri- morados,reduzindoeventualdesper- dício. Hoje, com a velocidade com quetodasasmudançasocorrem,à escalaglobal,anoçãodevalor,ou seja,asnecessidadeseexpectativas dos clientes, muda frequentemente. É,portanto,cadavezmaisnecessá- rio que as organizações implemen- temnãoapenasosprincípioseferra- mentas lean para melhorar continuamente, mas também que assumamoconceitoprocessoágil. JimHighsmith,umpopularguruda agilidade que escreveu vários livros sobremétodoságeiseadaptativos,o define no seu livro “Agile Project Management:Criandoprodutosino- vadores”(2004): “Agilidadeéacapacidadedecriare responder a mudanças para lucrar num ambiente de negócios turbu- lento. Agilidade é a capacidade de equilibrar flexibilidade e estabili- dade”. Serágiléseradaptativoparamudar, é a capacidade de rapidamente se ajustaràsmudanças.Oconceitode agilidade não se aplica apenas no desenvolvimento de software (onde nasceu); O conceito de agilidade podeserusadoemqualquerprojeto, independentementedasuacomple- xidade ou setor de actividade, por- tanto, também pode ser usado em projetoslean. Figura2– Diferenças entre abordagens de gestão de projectos
  • 4. TECNOMETAL - 239 - novembro/dezembro 2018 13 GESTÃO TECNOLOGIAS Poroutrolado,asmetodologiaságeis,comoo“Scrum”,exigem umamudançadementalidadeporpartedostradicionaisgesto- resdeprojeto.Ofococentralmudoudoâmbito(métodowater- fall)parao“valor”(método“Scrum”).Enquantoquenomodelo waterfall custoecronogramasãoalteradosparagarantirqueo âmbito desejado seja alcançado, no “Scrum” a atenção está focalizadanaqualidadeenasrestriçõesquepodemseralteradas paraatingiroobjetivoprincipal(valormáximoparaonegócio), verfigura2. 2.2. “Scrum framework” Em meados dos anos 1980-90, Hirotaka Takeuchi e Ikujiro Nonakadefiniramumaestratégiadedesenvolvimentodeprodutos flexíveleabrangenteemqueaequipadedesenvolvimentotraba- lhacomoumaunidadeparaalcançarumobjetivocomum.Eles descreveramumaabordageminovadoraparaodesenvolvimento deprodutosquedesignaramporholísticaouderugby,emque umaequipatentapercorreradistânciacomoumaunidade,pas- sandoabolaparaoladoouparatrás.Estesautoresbasearama sua proposta em vários case studies, realizados em inúmeras empresasindustriais. TakeuchieNonakapropuseramqueodesenvolvimentodeprodu- tosnãodeveriasercomoumacorridadelongadistância,massim deveria ser análogo ao jogo de rugby onde a equipa trabalha junta, passando a bola de um lado para outro enquanto se movem como uma unidade no campo. O termo usado em “Scrum”(ondeumgrupodejogadoresseformaparareiniciaro jogo),foiintroduzidonesteartigoparadescreverapropostados autoresdedesenvolvimentodeprodutoscomométodo“Scrum”, realizadoempequenosciclositerativos. KenSchwabereJeffSutherlandelaboraramoconceito“Scrum”e suaaplicabilidadeaodesenvolvimentodesoftware numaapresen- taçãonaconferênciadeProgramaçãoOrientadaaObjetos,Sis- temas,IdiomaseAplicações(OOPSLA)realizadaem1995,em Austin, Texas. Desde então, vários praticantes, especialistas e autoresdo“Scrum”continuaramarefinaroconceitoeametodo- logia.Nosúltimosanos,o“Scrum”ganhoupopularidadeàescala mundialeactualmenteéametodologiapreferidanodesenvolvi- mentodeprojetosparamuitasorganizações. Aestrutura“Scrum”baseia-senacrençadequeostrabalhadores doconhecimentodehojepodemoferecermuitomaisdoqueape- nassuaespecializaçãotécnicaequemapeareplanear,comple- tamente,nãoéeficientenumambienteemconstantemudança.O “Scrum”incentivaatomadadedecisãoiterativabaseadaemfac- tosedados. 3. “SCRUM” E A GESTÃO “LEAN” DE PROJETOS No“Scrum”,ofocoprincipaléfornecerprodutosquesatisfaçamos requisitos do cliente em entregas iterativas, para disponibilizar a maiorquantidadedevalornomenortempopossível.O“Scrum” promove a priorização e o time- boxing,fixandooâmbito,ocustoeo cronograma de um projeto. Uma característicaimportantedo“Scrum” éaauto-organização,quepermitea quemrealizaotrabalhopossaapro- priar-se das tarefas e estimar o temponecessário. Alguns dos principais benefícios do “Scrum”emprojetoslean são: 1.Adaptabilidade–controloempí- ricodoprocessoeentregaitera- tivatornamosprojetosadaptá- veiseabertosàincorporaçãode mudanças; 2.Transparência – todos os irra- diadoresdeinformações,como o Scrumboard e o Sprint Burn- down Chart, são partilhados, criandoumambientedetraba- lho aberto, que também é um paradigma relacionado com a filosofialean thinking; 3.Feedbackcontínuo–fornecido atravésdosváriosprocessosda estruturaScrum; 4.Melhoria contínua – as entre- gassãomelhoradasprogressi- vamenteacadaSprint (ciclode curtaduração); 5.Entrega de valor – processos iterativos permitem a entrega contínuadevalor.Aentregade valoraoclienteéumdospila- resdopensamentolean; 6.Ritmo sustentável – os proces- soscomScrum sãoprojetados deformaqueaspessoasenvol- vidas podem trabalhar a um ritmoqueserámantido; 7.Entregaantecipadadeelevado valor–foconasnecessidadese expectativas dos clientes, e entrega de valor, são igual- mente paradigmas do pensa- mentolean; 8.Processo de desenvolvimento eficiente – O time-boxing e a minimização do trabalho não
  • 5. TECNOMETAL - 239 - novembro/dezembro 201814 GESTÃO TECNOLOGIAS essencial levam a níveis mais altosdeeficiência; 9. Motivação–osprocessosScrum levamamaioresníveisdemoti- vação entre os colaboradores, sendoestatambémumadiretriz dolean thinking,quesefocaliza nodesenvolvimentodaspessoas (Likeret al,2007). 10.Rápidaresoluçãodeproblemas –acolaboraçãoeacolocação de equipas multifuncionais levam a uma resolução mais rápidadosproblemas. 4. CONCLUSÕES Quando os projectos são simples, comfuncionalidadesbemdefinidase aequipativerexperiêncianaconclu- são de projectos similares, reco- menda-se o método waterfall. Por outro lado, em projectos complexos, em que o cliente não está segurosobreoquedesejaeosrequisitosdefuncionalidademudam comfrequência,omodeloiterativoémaisflexívelparagarantirque essasalteraçõespossamserincluídasantesdaconclusãodopro- jecto. Considerandoqueosprincípioslean sãobaseadosnacriaçãode valor,foconocliente,reduçãodedesperdícioemelhoriacontínua, épossívelidentificarumaforterelaçãocomosmétodoságeisesuas características,emparticular,comametodologia“Scrum”. Os projectos lean, como qualquer outro tipo de projecto, estão sujeitosadiversasalterações.São,porvezes,iniciadossemsesaber oquesepretendeatingirnofinalousemconheceroprocessocom- pleto(algoquesóéfeitopordiagnóstico,utilizandoferramentase recursosespecíficos),comanecessidadedecontinuamenteajustar o planeamento inicial e incorporar as alterações solicitadas pelo cliente,emvezderejeitá-las. Alémdisso,considerandoosprincípioslean eofoconoenvolvi- mento das pessoas e no desenvolvimento do potencial humano, destacamosovaloragregadodo“Scrum”paragerirprojetoslean pode trazer, juntamente com todas as vantagens do método e ligando-osaosprincípiosbásicosediretrizesdesseparadigmade liderançaegestão. REFERÊNCIAS Highsmith,J.(2004).Agile Project Management: Creating Innovative Product. Addison-Wesley. Lee,Q.andSnyder,B.(2006).Value stream and mapping process: genesis of manufacturing strategy:Enna. Liker,J.K.(2004).The Toyota Way.NewYork:McGraw-Hill. Liker,J.K.andMeier,D.P.(2007).Toyota Talent.NewYork:McGraw-Hill. Mann,D.(2005).Creating a Lean Culture.ProductivityPress. Pinto,J.P.(2009).Pensamento Lean: a filosofia das organizações vencedoras.Lisboa:Lidel. Rother,M.andShook,J.(1999).Learning to see: value stream mapping to create value and eliminate muda.LeanEnter- priseInstitute. SCRUMStudy(2017).A Guide to the Scrum Body of Knowledge.Phoenix:SCRUMStudy. Takeuchi,HeNonakaI.(1986).The New New Product Development Game.HBR,January1986Issue. Womack,J.et al (1991).The machine that chenged the world.FreePress. Womack,J.andJones,D.(1996).Lean Thinking. NewYork:SimonSchuster. Steinbeck,M.(2006).Enablers of Reconfiguration Dynamics.InF.Shadow(Ed.),InformationTechnologyforManufacturing (pp.141-149).NewYork:Springer-Verlag.