SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 36
Baixar para ler offline
PRÉ-VESTIBULAR
LIVRO DO PROFESSOR
BIOLOGIA
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
© 2006-2008 – IESDE Brasil S.A. É proibida a reprodução, mesmo parcial, por qualquer processo, sem autorização por escrito dos autores e do
detentor dos direitos autorais.
Produção
Projeto e
Desenvolvimento Pedagógico
Disciplinas			 Autores	
Língua Portuguesa			 Francis Madeira da S. Sales
				 Márcio F. Santiago Calixto
				 Rita de Fátima Bezerra
Literatura			 Fábio D’Ávila	
				 Danton Pedro dos Santos
Matemática			 Feres Fares
				 Haroldo Costa Silva Filho
				 Jayme Andrade Neto
				 Renato Caldas Madeira
				 Rodrigo Piracicaba Costa
Física				 Cleber Ribeiro
				 Marco Antonio Noronha
				 Vitor M. Saquette
Química				 Edson Costa P. da Cruz
				 Fernanda Barbosa
Biologia				 Fernando Pimentel
				 Hélio Apostolo
				 Rogério Fernandes
História				 Jefferson dos Santos da Silva	
				 Marcelo Piccinini			
				 Rafael F. de Menezes
				 Rogério de Sousa Gonçalves
				 Vanessa Silva
Geografia	 	 	 Duarte A. R. Vieira
				 Enilson F. Venâncio
				 Felipe Silveira de Souza
				 Fernando Mousquer
I229 IESDE Brasil S.A. / Pré-vestibular / IESDE Brasil S.A. —
Curitiba : IESDE Brasil S.A., 2008. [Livro do Professor]
764 p.
ISBN: 978-85-387-0578-9
1. Pré-vestibular. 2. Educação. 3. Estudo e Ensino. I. Título.
CDD 370.71
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
1
EM_V_BIO_002
Biologia celular
Quando estudamos a evolução dos seres vivos,
na realidade, estamos observando a própria evolução
da célula, pois reconhecemos que todos os seres vi-
vos são celulares, sejam uni ou pluricelulares.
O desenvolvimento do estudo citológico ca-
minhou junto com o desenvolvimento da micros-
copia, pois a maioria das estruturas celulares são
microscópicas.
Desde o primeiro microscópico utilizado para
os estudos biológicos, desenvolvido por Anton van
Leeuwenhoek (século XVII), passando por Robert
Hooke (1667), até os dias atuais com a microscopia
eletrônica, o estudo citológico tem esclarecido as vá-
rias estruturas celulares e suas delicadas funções.
O termo célula surgiu com Robert Hooke ao
observar finas lâminas de cortiça, pois os pequenos
compartimentos lembravam celas (do inglês cell).
Atualmente, existem vários tipos de microscópios que
são usados nos mais diversos estudos citológicos.
Após os estudos desenvolvidos por Hooke, vá-
rios cientistas começaram a desenvolver pesquisas
no campo citológico. Em 1838, dois pesquisadores
alemães, Matthias Schleiden e Theodor Schwann,
formularam a teoria celular, na qual:
todos os seres vivos são formados por cé-••
lulas;
células são a unidade morfofisiológica da••
vida; e
toda célula se origina de outra célula.••
Os vírus não são exceção à teoria celular, pois
dependem de células para realizarem suas funções
de reprodução.
Membrana plasmática
É o envoltório celular presente em todos os tipos
de células.
A membrana plasmática é compreendida por
meio de um modelo denominado de mosaico fluido,
descrito por Singer e Nicholson em 1972, no qual ob-
serva-se duas camadas fosfolipídicas e proteínas.
A camada fosfolipídica forma uma película iso-
lante em relação ao meio externo da célula. As pro-
teínas, que se movimentam nesta camada, formam
portais que permitem a troca de substâncias entre
a célula e o meio exterior.
Porém, essa troca não é executada de qualquer
maneira. Existe uma certa seleção das substâncias
que passam pela membrana. A essa seleção deno-
minamos de permeabilidade seletiva.
Glicocálix
Proteína
Camada
Fosfolipídica
Proteína
IESDEBrasilS.A.
Corte esquemático da membrana plasmática.
Envoltórios celulares –
especializações
A membrana plasmática possui, em sua super-
fície, determinadas especializações evolutivamente
importantes.
Uma especialização ou envoltório externo da
membrana é o Glicocálix, que consiste em uma
camada de carboidratos que se associa à camada
fosfolipídica e proteica da membrana.
O Glicocálix tem as seguintes funções:
constituir uma barreira contra agentes físicos••
e químicos do meio externo;
permiteoreconhecimentocelular,poisdeacor-••
do com o tipo celular o glicocálix é diferente;
retém nutrientes e enzimas em volta da célula,••
mantendo um meio externo adequado a esta.
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
2
EM_V_BIO_002
O segundo envoltório é a parede celular, que é
variável, dependendo da célula.
As bactérias e as cianofíceas apresentam uma
parede celular formada por uma substância denomi-
nada de peptidoglicano.
Já os fungos apresentam um reforço externo for-
mado por quitina, sendo possível encontrar celulose
em alguns fungos.
Em determinados protistas como, por exemplo,
nas diatomáceas, esse revestimento é feito por síli-
ca. Mas, o revestimento mais encontrado é a parede
celular dos vegetais, formada por celulose, que é
basicamente permeável, deixando o controle com a
membrana plasmática.
Os vegetais podem ter, ainda, junto com a celu-
lose, a presença de lignina e suberina, que aumenta
o poder de resistência.
As células vegetais apresentam alguns pontos
de contato entre as suas paredes e que, por não so-
frerem a deposição de celulose, formam verdadeiras
pontes citoplasmáticas entre elas. Essas pontes são
denominadas de plasmodesmos, que facilitam o
intercâmbio entre as células.
Convém lembrar que a parede celulósica em
células jovens é fina, denominada de primária e de
secundária quando a célula atinge a sua forma e
tamanho definitivos, sendo a segunda mais espessa
do que a primeira.
Observamos, também, a ocorrência das seguin-
tes especializações da membrana:
Desmossomos•• – localizam-se entre células
dos tecidos epiteliais com a finalidade de
aumentar o poder de coesão entre elas. Os
desmossomos são acúmulos de fios de que-
ratina e substâncias adesivas, como o ácido
hialurônico.
A
B
A – Microvilosidades
B – Desmossomos
IESDEBrasilS.A.
Nexos ou junções intercomunicantes•• – são
canais formados pela união de duas proteí-
nas das membranas plasmáticas que se en-
contram juntas. Estão presentes em células
cardíacas, hepáticas e embrionárias.
Interdigitações•• – são encaixes que aumen-
tam o poder de coesão entre as células e a
superfície de troca entre elas.
Interdigitações
IESDEBrasilS.A.
Microvilosidades•• – são dobras ou projeções
existentes na membrana plasmática que
aumentam a área de absorção dessas mem-
branas. São encontradas em áreas onde a ab-
sorção de substâncias é fundamental como,
por exemplo, a parede interna do intestino
delgado.
microvilosidades
superfície celular
IESDEBrasilS.A.
Transporte através
da membrana
A permeabilidade da membrana plasmática
permite trocas seletivas entre o meio intracelular
e o meio extracelular. Essas trocas são agrupadas
em dois mecanismos básicos: o ativo e o passivo. A
diferença entre eles reside, fundamentalmente, no
gasto ou não de energia pela célula.
Para que essas trocas se realizem, seja de modo
passivo ou ativo, devemos ter em mente que os meios
(intra e extracelulares) não são necessariamente
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
3
EM_V_BIO_002
iguais. Normalmente, existe uma diferença entre a
quantidade de líquido que dissolve as substâncias
(solvente) e as próprias substâncias dissolvidas
(soluto). A essa relação entre solvente e soluto de-
nominamos de concentração, ou seja, a quantidade
de soluto dissolvida pelo solvente de uma solução
determina a sua concentração.
Quando comparamos duas soluções (como, por
exemplo, o meio intracelular e o meio extracelular)
e elas apresentam a mesma concentração, dizemos
que ocorre isotonia ou os meios são isotônicos.
Quando ocorre diferença entre eles, o meio
que apresenta maior concentração (mais soluto em
relação ao solvente) é denominado de hipertônico.
O outro é hipotônico.
Com base nesse princípio é que iremos clas-
sificar os mecanismos de transporte, observando a
seguinte lógica:
Quando um meio possui mais soluto ou solvente
do que o outro, poderá ceder sem que a célula se
esforce para isso. Nesse caso, o mecanismo será
passivo. Caso contrário, será ativo, pois para ir contra
uma concentração maior do que a sua, o gasto de
energia se torna obrigatório.
Transporte passivo
Osmose
É a difusão das moléculas de solvente (água)
por meio de membranas semipermeáveis.
O solvente difunde-se do meio hipotônico para
o meio hipertônico, com a finalidade de igualar os
meios.
Devemos observar que a regra continua sendo
mantida: “o lado que possui mais cede para o lado
que possui menos.”
Você pode estar pensando como essa regra
continua sendo mantida se o solvente está indo do
meio hipo para o meio hiper. Porém, observe que se o
meio é hipotônico é porque apresenta pouco soluto e
muito solvente, logo, o meio hiper apresentará pouco
solvente. Dessa maneira, o solvente movimenta-se do
lado que existe mais para o lado que existe menos.
A tendência do mecanismo é de igualar os lados,
sendo que nem sempre isso é possível.
As células animal e vegetal apresentam diferen-
ças de comportamento quanto ao princípio osmótico.
A célula, quando colocada em meio hipertônico,
tende a perder água e quando colocada em meio
hipotônico, a ganhar água.
Se for uma célula animal, a perda excessiva de
água provocará um murchamento, denominado de
crenação. Caso ocorra o contrário, ou seja, o ganho
de água excessivo, acarretará um rompimento da
membrana plasmática, denominado de lise celular
ou plasmoptise (quando a célula animal for uma
hemácia denominamos de hemólise).
Osmose em célula animal – hemácia
Colocando-se a
célula em meio
externo hiper-
tônico há perda
de água pela
célula, que se
torna murcha.
Colocando-se a
célula em meio ex-
terno muito hipotô-
nico ocorre entrada
de água na célula,
que se rompe (lise
celular).
Meio externo isotônico
com meio interno: hemá-
cia normal. A quantidade
de água que entra na
célula é igual à que sai,
havendo equilíbrio.
IESDEBrasilS.A.
Em uma célula vegetal túrgida, quer dizer cheia,
d’água, a perda acarretará a plasmólise. Se colocar-
mos esta célula em um meio hipotônico, ela voltará a
ganhar água, denominando então de deplasmólise.
Em geral, quando colocamos uma célula em
meio hipotônico, esta tende a inchar, denominando-
se o processo de turgência.
Osmose em células vegetais
IESDEBrasilS.A.
Colocada em solu-
ção hipertônica, a
célula perde muita
água, o que provo-
ca desligamento
entre a membrana
plasmática e a
parede celular.
Colocada em
água pura ou
solução de baixa
concentração,
a célula recebe
água, tornando-se
normal ou túrgida
novamente.
Célula
túrgida
Vacúolo
Célula
plasmolisada
Célula
túrgida
A capacidade de uma substância receber a água
por osmose denomina-se pressão osmótica. Quanto
mais concentrada for uma substância, maior será a
sua pressão osmótica, pois menos água terá. Nas
células vegetais, a troca entre o meio e a célula, na
realidade, ocorrerá entre o meio e o vacúolo, por apre-
sentarem vacúolos celulares grandes criando-se os
efeitos de plasmólise e turgência. Existem duas forças
que fazem com que a água se movimente: uma é a
capacidade de absorção do meio intracelular, a outra
é a força exercida pela célula para eliminar a água.
A primeira tem o nome de pressão osmótica
(PO) e a segunda de pressão de turgência (PT).
Logo, a movimentação da água deverá obedecer ao
princípio da diferença entre as duas forças. Assim,
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
4
EM_V_BIO_002
se a pressão osmótica for maior do que a pressão de
turgência, a água entrará ou saíra da célula, depen-
dendo do meio que possuir maior PO.
Essa diferença entre as pressões é denominada
de pressão de sucção (PS) ou déficit de pressão de
difusão (DPD). Observe:
DPD = PO – PT
Se PO > PT o DPD será alto, então entrará
água.
Se PO = PT o DPD será 0, então o equilíbrio
estará atingido.
Normalmente, a célula possui PO maior do que o
meio. Porém, em dias muito quentes e secos, a célula
tende a perder água, pois o meio se torna hipertônico,
devido, normalmente, à evaporação.
Difusão
É o processo de movimentação das partículas
do local onde elas existem em maior quantidade para
o local onde há em menor quantidade.
Existem dois tipos de difusão: a simples (que
ocorre com compostos apolares através dos lipídios
da membrana) e a facilitada (que ocorre com com-
postos polares e de grande porte pelas proteínas da
membrana).
Difusão facilitada
A passagem de substâncias pela membrana
plasmática é favorecida pela presença de proteí-
nas carregadoras. Isso ocorre porque a maioria das
substâncias possui moléculas grandes demais para
passarem pela camada fosfolipídica.
As proteínas carregadoras ou permeases fun-
cionam de maneira semelhante a uma enzima que
se liga à substância de um lado e a solta do outro
lado da membrana.
É dessa maneira que aminoácidos, glicose e
alguns íons atravessam a membrana plasmática.
Lembremos que esse transporte é passivo, pois as
proteínas transportam substâncias do lado mais
concentrado para o lado de menor concentração.
Bicamada
Lipídica
Canal
Iônico
Difusão
simples
Difusão
facilitada
IESDEBrasilS.A.
Permeases
Difusão
facilitada
IESDEBrasilS.A.
Transporte ativo
Todos os mecanismos estudados até agora eram
passivos. A célula não necessitava gastar energia.
Ocorre que, muitas vezes, a célula necessita trans-
portar substâncias do lado menos concentrado para
o lado mais concentrado. Nesses casos, o gasto de
energia é inevitável.
Esse mecanismo é possível devido ao fato de
existirem proteínas especiais na membrana plas-
mática que, alterando a sua forma, transportam as
substâncias de um lado para o outro. Essa alteração
de forma é que promove o gasto de energia.
Permeases
Transporte
ativo
IESDEBrasilS.A.
Essa energia é conseguida por meio da quebra
de moléculas de ATP (trifosfato de adenosina) por
essas proteínas. Por essa razão, são consideradas
como um tipo especial de enzimas, as ATPases.
O mecanismo ativo de transporte pela membra-
na mais conhecido é a Bomba de Sódio e Potássio,
que mantém as concentrações desses íons sempre di-
ferentes entre o meio externo e o interno da célula.
Lembre-se que se isso não ocorresse, a ten-
dência seria igualar os meios.
A concentração de Na+
do meio externo é maior
do que o meio interno da célula. O K+
apresenta con-
centração contrária ao Na+
.
Se não houvesse o transporte ativo, essas con-
centrações se tornariam iguais, tanto interna quanto
externamente.
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
5
EM_V_BIO_002
Porém, a célula bombeia constantemente o
sódio para fora e o potássio para dentro, mantendo,
dessa forma, a diferença entre as concentrações. Isso
é importante por três motivos básicos:
permite a diferença entre cargas elétricas do••
meio interno e do meio externo, favorecendo
os fenômenos elétricos que ocorrem nas cé-
lulas nervosas e musculares;
evita que a concentração interna seja maior, o••
que acarretaria a entrada de água em exces-
so, podendo provocar ruptura da membrana
plasmática. Ocorre este fato porque a célula
expulsa muito mais sódio do que importa
potássio;
a entrada de sódio por difusão facilita o••
transporte de aminoácidos e glicose, que são
arrastadas por ele.
IESDEBrasilS.A.
1,2,3 – A união dos 3 Na+
e o subsequente fornecimento de
energia induzem a mudanças na forma da proteína, que lança
os 3 Na+
para fora da célula.
4 – 2 K+
do fluído extracelular unem-se aos seus sítios.
5,6 – A união do K+
induz ao retorno da proteína à forma inicial,
e o K+
é lançado para o citoplasma.
citoplasma
Fluido
extracelular
Endocitose e exocitose
O transporte passivo ou ativo, da maneira como
observamos até agora, diz respeito a moléculas pe-
quenas. As moléculas maiores como, por exemplo,
proteínas, polissacarídios, não passam pela membra-
na por meio dos mecanismos citados.
Por isso, algumas células possuem mecanismos
que atuam de maneira diferente.
O englobamento de partículas pela célula é
denominado endocitose, e é dividido em fagocitose
e pinocitose.
A fagocitose é o mecanismo de englobamento
de partículas iguais ou maiores do que 10μ, como, por
exemplo, micro-organismos ou partículas celulares.
Esse processo consiste em, por meio de altera-
ções citoplasmáticas, criar expansões (pseudópodes)
que envolvem a partícula, colocando-a no interior da
célula. Essa cavidade criada no interior irá desenvol-
ver a digestão intracelular.
É feita por células de espongiários, cnidários,
bactérias e protozoários. Em vertebrados, deter-
minados grupos de células de defesa fazem esse
mecanismo para defender o organismo de agentes
invasores.
Lembrete:
As células de defesa fazem fagocitose como
meio de proteção para o organismo a que elas per-
tencem. Invertebrados também possuem células
fagocitárias de defesa.
A pinocitose é outro mecanismo de engloba-
mento de partículas, porém menores do que 10μ.
A maioria das células eucariontes dos seres
vivos tem essa capacidade. O mecanismo de englo-
bamento é o mesmo do processo anterior, porém as
partículas são bem menores. Um exemplo clássico
são as células da parede intestinal, que absorvem go-
tículas de gordura, presentes no alimento ingerido.
A exocitose, também denominada de clasmo-
citose ou clasmatose, é o processo de eliminação
de produtos para o exterior da célula, quer dizer,
movimento contrário ao da endocitose.
Como vimos anteriormente, as células intesti-
nais absorvem gotículas de gordura do intestino para
o seu interior por pinocitose e, depois, eliminam-nas
por exocitose para a corrente sanguínea.
IESDEBrasilS.A.
Bactéria
Membrana plasmática
envolve o material a
ser ingerido
Pseudópode
Fagossomo
Fagocitose.
Pequenas partí-
culas dissolvidas
em água
Membrana plas-
mática sofre a
invaginação e en-
globa o material a
ser ingerido
Pinossomo
CitoplasmaCitoplasma
Núcleo Núcleo
Pinocitose.
Citoplasma
Consiste em um material gelatinoso que fica
compreendido entre a membrana plasmática e o
núcleo das células eucarióticas. Lembre-se que nas
células procarióticas, como não existe núcleo indivi-
dualizado, o citoplasma preenche todo o espaço in-
terno, pois não é possível a observação do núcleo.
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
6
EM_V_BIO_002
Na realidade o citoplasma é dividido didatica-
mente em citosol (hialoplasma ou matriz citoplasmá-
tica) e órgãos citoplasmáticos.
O citosol é formado por água que dissolve mo-
léculas orgânicas e íons, constituindo um coloide,
devido ao tamanho das moléculas, gerando um as-
pecto gelatinoso.
Esse aspecto pode ser mais fluido ou menos
fluido, o que caracteriza o coloide em estado sol ou
estado gel. Normalmente, encontramos o hialoplas-
ma no estado gel próximo à membrana plasmática
e o estado sol no interior, perto do núcleo. Porém,
a célula é capaz de modificar esse estado, o que
permite a ela desempenhar determinadas funções
como a fagocitose.
No interior do citosol encontramos o citoes-
queleto, que é formado por microtúbulos, pequenos
tubos constituídos por uma proteína denominada
de tubulina.
Além dos microtúbulos, o citoesqueleto é for-
mado por microfilamentos, que são constituídos por
outro tipo de proteína, a actina, o que lhe confere a
capacidade de contração.
IESDEBrasilS.A.
MP
N
CG
REA
REG
Mit
Lis
Per
M
O citoesqueleto permite que a célula mantenha
a sua estrutura, bem como a movimentação da mes-
ma, como por exemplo, o movimento ameboide, a
própria fagocitose, devido a capacidade de formar
pseudópodes, por contração e expansão da actina.
O citosol apresenta um movimento de corrente
citoplasmática, denominada de ciclose, que é carac-
terística de células vegetais e que também depen-
dem da contração da actina. Essa corrente facilita a
distribuição de substâncias.
IESDEBrasilS.A.
Citoplasma
cortical
Vacúolo
Cloroplasto
Parede
celular
Corrente
citoplasmática
Organelas citoplasmáticas
No citoplasma encontramos várias organelas,
cada qual apresentando uma função importante
na célula. Elas serão comentadas a seguir, exceto
a mitocôndria e os plastos que, por participarem
de processos energéticos, serão comentados sepa-
radamente.
Ribossomos
Os ribossomos são grânulos formados pela
união de RNAr e proteínas. O RNAr (ribossomal)
é um dos três tipos de RNAs que são transcritos
na célula.
O ribossomo é formado por duas subunidades
de tamanhos e densidades diferentes, denominadas
de subunidade maior e subunidade menor.
Todo ser vivo celular possui ribossomos, sendo
que os dos procariontes são menores do que os dos
eucariontes.
O ribossomo está envolvido na síntese de
proteína (que estudaremos mais adiante) e pode
estar livre no citoplasma ou aderido a uma rede de
canais denominada de Retículo Endoplasmático
Granular (REG).
Quando vários ribossomos estão associados a
um RNA para a montagem de várias proteínas, são
denominados de polirribossomos ou polissoma.
Normalmente, os ribossomos livres do citoplas-
ma formam proteínas para uso da célula no citosol,
enquanto que os aderidos do REG lançam as pro-
teínas para o interior do retículo, sendo, por vezes,
exportada para fora da célula.
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
7
EM_V_BIO_002
IESDEBrasilS.A.
Esquema de célula animal.
Prof.P.Motta&T.Naguro/SPI.
Micrografia eletrônica de varredura mostrando
numerosos grânulos, que são os ribossomos.
Foto colorida artificialmente.
Citosol
Retículo
endoplasmático
granulosoRibossomos
IESDEBrasilS.A.
Esquema simplificado
de ribossomo.
Subunidade
menor
Subunidade
maior
Retículo endoplasmático
A microscopia eletrônica revelou uma série de
canais em células eucarióticas, formados por vesícu-
las achatadas ou cisternas, que são criadas a partir
de invaginações da membrana plasmática.
O retículo pode se apresentar de dois tipos.
Um, com ribossomos aderidos, como vimos ante-
riormente, denominado de granular. O outro, sem
ribossomos, chamados de agranular.
O primeiro está envolvido na síntese de proteí-
nas, que podem ser utilizadas na própria célula, como
na montagem de membranas, ou exportadas, como é
o caso dos REG de células glandulares e produtoras
de anticorpos.
As substâncias presentes no REG podem se li-
gar às proteínas produzidas nele, como, por exemplo,
as glicoproteínas.
Convém ressaltar que todas as proteínas produ-
zidas no REG para a exportação passarão antes por
um conjunto de vesículas achatadas denominadas
de complexo golgiense.
O retículo endoplasmático agranular (REA)
não possui ribossomos, por isso não está ligado à
síntese de proteínas. Porém, produz vários tipos de
lipídios, como os fosfolípidios da membrana plasmá-
tica, os hormônios sexuais, os corticosteroides etc.
No fígado, as células hepáticas possuem REA
bem desenvolvidos, o que permite o trabalho de
desintoxicação promovida por estas células, devido
ao fato de possuírem enzimas que incorporam hi-
droxilas às substâncias tóxicas, favorecendo a sua
eliminação.
No músculo, o retículo liso é denominado de
retículo sarcoplasmático e está envolvido no me-
canismo de contração por meio do armazenamento
e transporte de íons, cálcio e ATP.
IESDEBrasilS.A.
Núcleo
Membrana
Nuclear
Ribossomo
R.E.
R.E.
O retículo endoplasmático granular (REG)
também é denominado de rugoso (RER) e o agra-
nular (REA) de liso (REL).
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
8
EM_V_BIO_002
Complexo golgiense
É um conjunto de vesículas achatadas, presen-
tes em células eucariontes, que apresenta várias
funções, tais como:
encapsulamento de proteínas formadas no••
REG;
síntese de glicídios e mucopolissacarídeos••
que participam da formação da lamela média
e parede celular dos vegetais, glicocálix, for-
mação do muco protetor do sistema respirató-
rio e digestivo, do ácido hialurônico etc;
participa da formação do•• acrossomo (ex-
tremidade anterior do espermatozoide) que
contém a enzima hialuronidase. Essa enzima
é importante no processo de fecundação,
pois durante o mecanismo de formação do
espermatozoide, as vesículas do complexo
golgiense se fundem formando o acrossomo,
que é a região anterior do espermatozóide.
Essa região é pressionada contra a corona
radiata (conjunto de células que protegem o
ovócito) liberando a enzima, que ataca o ácido
hialurônico. Esse ácido é o responsável pela
manutenção da integridade da corona. Dessa
maneira, a corona se desmonta, permitindo
a entrada do espermatozoide.
IESDEBrasilS.A.
Lisossomos
São responsáveis pela digestão intracelular
e formados a partir de vesículas que se soltam do
Complexo de Golgi. No seu interior existem enzimas
ácidas denominadas de hidrolases ácidas que não
atacam a própria membrana dos lisossomos por estas
serem revestidas internamente por glicoproteínas.
Após a ocorrência da fagocitose, o material
incorporado pelo processo fica retido dentro de uma
vesícula criada pela invaginação da membrana plas-
mática, denominada de fagossomo.
O lisossomo se liga ao fagossomo, formando o
vacúolo digestivo ou heterofagossomo. Essa vesícu-
la, formada pela união do lisossomo e do fagossomo,
possui a partícula ingerida e as enzimas presentes
no lisossomo.
Durante o processo de digestão, as moléculas
produzidas pelo processo são atravessadas para
o hialoplasma, por meio da membrana do vacúolo
digestivo.
Terminada a digestão, o vacúolo que acumula
o material que não for absorvido, transforma-se no
vacúolo residual.
Esse vacúolo pode se ligar à membrana plas-
mática, promovendo a exocitose ou clasmocitose,
ou permanecer no interior da célula. Como exemplo,
temos os protozoários e as células do tecido nervoso,
respectivamente.
Pinocitose
Fagocitose
Clasmocitose
Membrana
plasmática
Vesícula
Fagocitótica
ou Fagossomo
Pinossomo
ou Vesícula
Pinocitótica
Vacúolo
residual
Lisossomo Secundário
ou Vacúolo DigestivoLisossomo Primário
Endocitose
IESDEBrasilS.A.
Ocasionalmente, a falta de nutrientes pode
promover o englobamento de organoides celula-
res, que englobados pelos lisossomos formam os
chamados vacúolos autofágicos e o fenômeno de
autofagia. Além de suprir as necessidades nutri-
cionais esse mecanismo é executado para troca de
organelas velhas.
Existe, também, um outro mecanismo digestório
denominado de autólise. Ocorre quando do derra-
mamento de enzimas lisossômicas no interior do
citoplasma, promovendo a digestão de toda a célula
e sua consequente morte.
Esse mecanismo é acionado quando células
velhas morrem, destruindo-se automaticamente,
como acontece na metamorfose dos anfíbios, onde o
processo é observado na redução da cauda do girino
quando da transformação para o anfíbio adulto.
Peroxissomos
São vesículas presentes em todas as células
eucariotas, que possuem enzimas capazes de rea-
girem o oxigênio com o hidrogênio produzido por
reações celulares, gerando peróxido de hidrogênio
(H2
O2
). Como o peróxido de hidrogênio é extrema-
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
9
EM_V_BIO_002
mente tóxico, o peroxissomo produz a catalase, que
o decompõe, liberando oxigênio.
O peroxissomo também possui enzimas que
promovem a oxidação dos ácidos graxos, para a res-
piração celular e oxidação de substâncias tóxicas,
como o álcool. O fígado possui uma grande quantida-
de de peroxissomos, o que lhe confere a propriedade
de oxidar várias substâncias durante o processo de
filtragem dos nutrientes que são absorvidos no pro-
cesso digestório.
Glioxissomo
Presente em células vegetais, promove a oxida-
ção de lipídios em glicídios simples, armazenados
nas sementes. Como durante essa oxidação existe
sempre a produção do ácido glioxílico, o peroxissomo
ganhou o nome especial de glioxissomo.
Vacúolos
São cavidades existentes nas células, originá-
rias de invaginações da membrana plasmática ou de
dilatações do retículo endoplasmático.
Os protozoários de água doce possuem o vacúo-
lo contrátil que elimina o excesso de água ganho pelo
protozoário por osmose, visto que ele é hipertônico
em relação à água. Com isso, o protozoário mantém
o equilíbrio osmótico e elimina substâncias tóxicas,
juntamente com a água.
Os vegetais possuem o chamado vacúolo de
suco celular que é grande e ocupa quase todo o
volume da célula. Está ligado à função de armazena-
mento de substâncias nutritivas, enzimas digestivas
e controle osmótico.
Convém lembrar que todas as células possuem
vacúolos, que podem ser pequenos ou grandes, de-
pendendo da célula.
Membrana
celulósica
Vacúolo de
suco celular
Vacúolo de célula
Plasmolizada
Célula Túrgida
IESDEBrasilS.A.
Centríolo, cílio e flagelos
Em células de origem animal existe um conjunto
de dois cilindros, que formam um ângulo reto entre
si, denominado de centríolo.
O centríolo é formado por microtúbulos de pro-
teína com organização cilíndrica, de modo que cada
centríolo apresenta nove trincas de microtúbulos.
Nas células encontramos normalmente dois
centríolos, formando um ângulo reto entre eles, em
forma de cruz.
São responsáveis pela organização dos fusos
acromáticos, cílios e flagelos, e são capazes de se
multiplicar a partir da orientação de microtúbulos
do citoplasma.
Os cílios e flagelos são estruturas semelhantes
que participam da movimentação de células, como os
protozoários, algumas algas e estruturas de células
animais, como o epitélio interno do sistema respira-
tório (cílios) e o espermatozoide (flagelo).
Apresentam configuração cilíndrica, com nove
pares de microtúbulos periféricos e um par central.
A diferença entre eles consiste, fundamental-
mente, no tamanho e quantidade. Os cílios são cur-
tos e numerosos, enquanto os flagelos são longos e
encontrados em pequena quantidade.
IESDEBrasilS.A.
Centríolo
Microtúbulos
de proteína
Um processo no qual uma célula engloba partículas1.	
do meio externo, em geral, na forma de gotículas,
denomina-se:
osmose.a)	
fagocitose.b)	
pinocitose.c)	
endomixia.d)	
difusão facilitada.e)	
Solução:`` C
A pinocitose é o processo de endocitose de gotículas.
Convém lembrar que gotículas de gordura não são
transportadas por osmose.
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
10
EM_V_BIO_002
(UFMG) A célula de uma planta aquática que necessite2.	
manter sua concentração de íons Na+
mais elevada
que a do meio circundante utilizará, normalmente, o
processo de:
difusão.a)	
fagocitose.b)	
osmose.c)	
pinocitose.d)	
transporte ativo.e)	
Solução:`` E
Para que uma célula mantenha a sua concentração
diferente do meio, terá sempre que manter o transporte
ativo, pois a tendência, caso isso não ocorra, será igualar
os meios por difusão.
Solução:`` D
O transporte de substâncias dentro da célula é responsa-
bilidade de uma rede de canais denominada de retículo
endoplasmático.
Um material sintetizado por uma célula é “empacotado”5.	
para ser secretado para o meio externo no:
retículo endoplasmático.a)	
Complexo de Golgi.b)	
lisossomo.c)	
nucléolo.d)	
vacúolo secretor.e)	
Solução:`` B
O Complexo de Golgi, modernamente denominado de
complexogolgiense,éoresponsávelpeloempacotamento
de substâncias sintetizadas no retículo endoplasmático,
seja granular ou agranular.
A digestão de partículas intracelulares é função dos lisos-6.	
somos, que possuem em enzimas proteases ácidas.
“A silicose é uma doença muito comum em trabalhadores
que trabalham com amianto. Um dos componentes do
amianto é a sílica, uma substância inorgânica que
forma minúsculos cristais que podem se acumular nos
pulmões. As células dos alvéolos pulmonares afetadas
por estes cristais acabam sofrendo autólise”.
Essa doença está relacionada com organoides
citoplasmáticos denominados:
plastos.a)	
lisossomos.b)	
dictiossomos.c)	
mitocôndrias.d)	
centríolos.e)	
Solução:`` B
A silicose acaba provocando a autólise lisossômica e
consequente destruição alveolar.
Se um micro-organismo penetra no organismo3.	
imediata­mente, células de defesa irão fazer fagoci-
tose para destruir o inimigo.
Sabemos que a mitose feita por essas células para
aumentar o número de combatentes ocorre a uma
razão de 102
/s. Logo, se a cada 1 segundo o número
de células aumenta nessa razão e que no processo
inicial (1.º segundo) existem, aproximadamente,
1 100 células por mm de sangue, quantas células
existirão, aproximadamente, após 10 minutos?
Solução:``
O problema leva a uma PA
10 minutos = 600 segundos
a600
= 1 100 + (599) . 100
a600
= 1 100 + 59 900
a600
= 61 000
a600
= 6,1 . 103
células
A função de transporte dentro da célula é exercida:4.	
pelos lisossomos.a)	
pelos ribossomos.b)	
pelas mitocôndrias.c)	
pelo retículo endoplasmático.d)	
pelo Complexo de Golgi.e)	
O retículo endoplasmático liso entre as suas várias7.	
funções, encontra a de transporte. Vários íons são
conduzidos por esse sistema, como por exemplo,
o cálcio.
Se considerarmos que a distância entre a membrana
plasmática e o núcleo é de 10 micrômetros e que um
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
11
EM_V_BIO_002
(Fuvest) A tabela a seguir compara a concentração de1.	
certos íons nas células de Nitella e na água do lago
onde vive essa alga.
Concentração de íons em mg/L
Na+
K+
Mg2+
Ca2+
Cl–
Células 1980 2400 260 380 3750
Água do lago 28 2 36 26 35
Os dados permitem concluir que as células dessa alga
absorvem:
esses íons por difusão.a)	
esses íons por osmose.b)	
esses íons por transporte ativo.c)	
alguns desses íons por transporte ativo e outros pord)	
osmose.
alguns desses íons por difusão e outros por osmose.e)	
(Fuvest) O gráfico a seguir mostra as concentrações re-2.	
lativas de alguns íons no citoplasma da alga verde Nitella
e na água circundante. A partir dos conhecimentos sobre
permeabilidade da membrana celular, qual a melhor
interpretação para os dados mostrados no gráfico?
Concentração na água
Concentração no citoplasma
Concentração
Na+
K+
	 Ca++
	 Mg++
	 C
Os íons difundem-se espontaneamente através daa)	
membrana.
A diferença de concentração iônica deve-se à os-b)	
mose.
A diferença de concentração iônica se deve à pi-c)	
nocitose.
A carga elétrica atrai os íons para dentro da célula.d)	
Ocorre transporte ativo dos íons através da mem-e)	
brana.
(Unirio) Algumas pessoas, após constatarem que o feijão3.	
que prepararam ficou muito salgado, colocam pedaços
de batatas para torná-lo menos salgado.
Durante esse procedimento, ocorre o seguinte processo
no caldo do feijão:
o sal passa para a batata por osmose, diminuindoa)	
o gosto salgado.
o amido da batata, pela fervura, é transformado emb)	
glicose, “adoçando” o feijão.
o sal, passa, por transporte ativo, para a batata, di-c)	
minuindo o gosto salgado.
o amido da batata se dissolve, diminuindo o gostod)	
salgado.
o sal se difunde pela batata, diminuindo sua con-e)	
centração.
(Fuvest) Medidas da concentração de íons de sódio4.	
(Na+
) e de potássio (K+
), dentro e fora dos neurônios
gigantes de lula, revelaram os seguintes valores:
[Na+
] no citoplasma = 50
[Na+
] no meio extracelular = 440
[K+
] no citoplasma = 400
[K+
] no meio extracelular = 20
Se os neurônios são expostos a um bloqueador
respiratório, como o cianeto, a concentração de sódio
rapidamente se iguala dentro e fora da célula, o mesmo
ocorrendo com o potássio.
Em condições normais, qual o mecanismo responsável
pela manutenção da diferença entre as concentrações
iônicas dentro e fora do neurônio?
Difusão, pelo qual íons podem atravessar a mem-a)	
brana espontaneamente.
Osmose, pelo qual apenas a água atravessa a mem-b)	
brana espontaneamente.
Transporte ativo, pelo qual íons atravessam a mem-c)	
brana com gasto de energia.
Fagocitose, pelo qual a célula captura partículasd)	
sólidas.
Pinocitose, pelo qual a célula captura gotículas.e)	
(Fuvest) Na figura a seguir, as setas numeradas indicam5.	
o sentido do fluxo de água em duas células.
íon demora para ser transportado da membrana até
o núcleo o tempo de 10 -5
s, devemos supor que a
velocidade média desse íon será de:
Solução:``
VM =
ΔΣS
ΔΣT
VM =
10-5
10-5
→ → VM = 10-1
mm/s
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
12
EM_V_BIO_002
Qual das alternativas identifica corretamente os proces-
sos responsáveis pelos fluxos indicados?
I - osmose, II - osmose, III - osmose.a)	
I - osmose, II - osmose, III - transporte ativo.b)	
I - osmose, II - transporte ativo, III - transporte ativo.c)	
I - transporte ativo, II - transporte ativo, III - osmose.d)	
I -	transporte ativo, II - transporte ativo, III - trans-e)	
porte ativo.
(Unirio) Se colocarmos uma célula animal e outra vegetal6.	
em uma solução de NaCl a 1,5%, observaremos que:
ambas as células permanecem intactas por estarema)	
mergulhadas em uma solução isotônica.
as duas perdem água por osmose e, enquanto ab)	
célula animal arrebenta num fenômeno denominado
de plasmoptose, a célula vegetal sofre turgência.
as duas perdem água por osmose e, enquanto ac)	
célula animal murcha, ficando com a superfície en-
rugada, a célula vegetal sofre plasmólise.
o volume de ambas as células aumenta devido à en-d)	
trada de água por osmose e, enquanto a célula ani-
mal sofre hemólise, a célula vegetal sofre turgência.
ao serem colocadas em uma solução hipertônica, ae)	
célula animal perde água e murcha, enquanto que
a célula vegetal, protegida pela parede celular, per-
manece intacta.
(UFF) A representação a seguir indica as concentrações7.	
intra e extracelulares de sódio e potássio relativas a uma
célula animal típica.
K+
145mM
Na+
20mM
Célula animal
K+
5mM
Na+
150mM
Compartimento extracelular
Observou-se, em uma experiência, que as concentrações
de sódio nos dois compartimentos se tornaram
aproximadamente iguais, o mesmo acontecendo com
as concentrações de potássio.
Neste caso poderia ter ocorrido:
uma inibição do processo de difusão facilitada.a)	
a utilização de um inibidor específico da bomba deb)	
cálcio.
um estímulo ao processo de osmose.c)	
a utilização de um ativador específico da bomba ded)	
sódio e potássio.
a utilização de um inibidor da cadeia respiratória.e)	
(PUC-Campinas) Nos protozoários de água doce,8.	
embora a água passe continuamente do meio externo
para o citoplasma, o meio interno tende a permanecer
constante graças à ação dos vacúolos contráteis. O
esquema abaixo indica o sentido em que a água se
move em uma ameba, passando do meio externo para
o citoplasma e deste para o vacúolo contrátil.
I
II
Os processos responsáveis pelos movimentos I e II são,
respectivamente:
osmose e transporte ativo.a)	
difusão e osmose.b)	
transporte ativo e pinocitose.c)	
pinocitose e fagocitose.d)	
fagocitose e difusão.e)	
(Cesgranrio) No que diz respeito à osmose, em condi-9.	
ções normais, podemos fazer a seguinte afirmação:
as hemácias dos mamíferos são hipotônicas em re-a)	
lação ao sangue e à linfa.
as células dos animais superiores são isotônicas emb)	
relação ao sangue e à linfa.
os paramécios, com vacúolo pulsátil, são isotônicosc)	
em relação ao meio ambiente.
os unicelulares, com vacúolo pulsátil, são hipotôni-d)	
cos em relação ao meio ambiente.
os unicelulares de água salgada são geralmente hi-e)	
potônicos em relação ao meio ambiente.
(PUC-Campinas) As características estruturais e a com-10.	
posição química das membranas celulares conferem-
lhes permeabilidade:
seletiva.a)	
somente às substâncias iônicas.b)	
somente às substâncias moleculares.c)	
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
13
EM_V_BIO_002
somente à água e a outras substâncias inorgânicas.d)	
a todas as substâncias.e)	
(UFF) Diversas espécies de peixes modificam a cor da11.	
pele quando submetidas a algumas variações do meio
ambiente. As células responsáveis por essa alteração
contêm grânulos de pigmentos que se espalham
por toda a célula ou se agregam numa posição mais
central da mesma, em resposta a estímulos hormonais
ou nervosos.
Assinale a opção que indica, corretamente, as estruturas
celulares responsáveis pela movimentação dos grânulos
de pigmentos no citoplasma.
Desmossomos.a)	
Dictiossomos.b)	
Glioxissomos.c)	
Microtúbulos.d)	
Ribossomos.e)	
(Fuvest) Um antibiótico que atue nos ribossomos12.	
mata:
bactérias por interferir na síntese de proteínas.a)	
bactérias por provocar plasmólise.b)	
fungos por interferir na síntese de lipídios.c)	
vírus por alterar DNA.d)	
vírus por impedir recombinação gênica.e)	
(PUC-Campinas) Nos eritroblastos ocorre intensa13.	
síntese de hemoglobina. Essa síntese relaciona-se
diretamente com
o Complexo de Golgi.a)	
os centríolos.b)	
as mitocôndrias.c)	
os lisossomos.d)	
os ribossomos.e)	
(PUC-Campinas) Considere os seguintes eventos numa14.	
célula produtora de mucopolissacarídeos:
Síntese de polipeptídeos.I.	
Combinação de açúcares com polipeptídeos.II.	
Formação dos grãos de secreção.III.	
O Complexo de Golgi é responsável apenas por:
Ia)	
IIb)	
IIIc)	
I e IId)	
II e IIIe)	
(PUC-Campinas) Células endodérmicas indiferencia-15.	
das e totipotentes da gástrula dos vertebrados podem
originar células altamente especializadas, como é o
caso das células dos ácinos pancreáticos que secretam
enzimas digestivas.
Os grânulos de secreção dessas células são liberados
a partir:
do retículo endoplasmático.a)	
do sistema golgiense.b)	
das mitocôndrias.c)	
dos lisossomos.d)	
dos ribossomos.e)	
(PUC Minas) Observe a figura a seguir, que representa16.	
o corte transversal de um cílio de um protozoário:
A estrutura apontada pela seta corresponde:
ao microtúbulo.a)	
à unidade de membrana.b)	
ao feixe esquelético calcificado.c)	
ao tecido conjuntivo fibroso.d)	
a uma fibra conjuntiva elástica.e)	
(Mackenzie) Células musculares, células glandulares e17.	
células de um microrganismo de água doce, deverão
ter bem desenvolvidas as seguintes organelas, respec-
tivamente:
cloroplastos, mitocôndrias e centríolos.a)	
Complexo de Golgi, retículo endoplasmático liso eb)	
lisossomos.
mitocôndrias, complexo de Golgi e vacúolo contrátil.c)	
retículo endoplasmático rugoso, mitocôndrias ed)	
Complexo de Golgi.
centríolos, vacúolo contrátil e lisossomos.e)	
(Fuvest) Alimento proteico marcado com radioatividade18.	
foi fagocitado por paramécios. Poucos minutos depois,
os paramécios foram analisados e a maior concentração
de radiatividade foi encontrada:
nos centríolos.a)	
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
14
EM_V_BIO_002
nas mitocôndrias.b)	
na carioteca.c)	
no nucléolo.d)	
no retículo endoplasmático.e)	
(PUC-Campinas) Observe a figura a seguir.19.	
A organela citoplasmática envolvida no processo nela
esquematizado é denominada:
ribossomo.a)	
lisossomo.b)	
centríolo.c)	
mitocôndria.d)	
cloroplasto.e)	
(Fuvest) A figura a seguir indica as diversas etapas do20.	
processo que uma ameba realiza para obter alimento.
A organela que se funde ao fagossomo contém:
produtos finais da digestão.a)	
enzimas que sintetizam carboidratos.b)	
enzimas digestivas.c)	
enzimas da cadeia respiratória.d)	
reservas energéticas.e)	
(UFPR) Sobre células, organelas celulares e suas fun-21.	
ções, é correto afirmar que:
(01)	As mitocôndrias estão presentes tanto em células
animais quanto em vegetais e são responsáveis pela
produção de energia.
(02)	Lisossomas são organelas responsáveis pela diges-
tão intracelular.
(04)	Numa célula onde se processa intensa síntese de
proteínas encontra-se bastante desenvolvido o retí-
culo endoplasmático granular ou rugoso.
(08)	Um organismo multicelular que produza gás carbô-
nico e água a partir da glicose apresenta obrigatoria-
mente cloroplastos.
(16)	A remoção dos centríolos de uma célula impede o
processo da fotossíntese.
(32)	Os ribossomos podem ser encontrados aderidos ao
retículo endoplasmático agranular ou liso.
(64)	Entende-se por permeabilidade seletiva o controle
de entrada e saída de substâncias da célula, feito
pela membrana celular.
A seguir, escreva no espaço apropriado a soma dos
itens corretos.
Soma ( )
(Mackenzie) Observe o desenho e assinale a alterna-22.	
tiva que preenche corretamente os espaços da frase
a seguir.
A organela indicada no desenho é o ............., responsável
pela eliminação do excesso de ............. que entra por
............. em uma célula que vive em um meio ............. em
relação ao seu citoplasma.
vacúolo pulsátil; água; osmose; hipotônico.a)	
vacúolo digestivo; sais minerais; osmose; hipertônico.b)	
vacúolo pulsátil; água; transporte ativo; hipertônico.c)	
vacúolo digestivo; sais minerais; difusão; hipertônico.d)	
vacúolo pulsátil; sais minerais; transporte ativo; hi-e)	
pertônico.
(UFMG) A doença de23.	 Tay-Sachs é hereditária e provoca
retardamento mental grave e morte do paciente na in-
fância. Essa doença é devida à incapacidade das células
de digerir uma substância cujo acúmulo é responsável
pelas lesões no Sistema Nervoso Central.
Com base nessas informações, pode-se afirmar que
a organela celular cuja função está alterada nessa
doença é:
a mitocôndria.a)	
o Complexo de Golgi.b)	
o lisossomo.c)	
o retículo endoplasmático rugoso.d)	
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
15
EM_V_BIO_002
(Unirio) Tendo sua origem na fase de maturação do24.	
Complexo de Golgi, os lisossomas são corpúsculos ci-
toplasmáticos arredondados, pequenos, e que possuem
grande quantidade de proteínas no seu interior. Assim,
podemos afirmar que os lisossomas estão ligados à
função de:
digestão intracelular.a)	
síntese de proteínas.b)	
complexação de lipídeos.c)	
coagulação sanguínea.d)	
reserva de glicogênio.e)	
(UFSC) Um tecido de determinado animal tem uma alta25.	
atividade fagocitária; portanto, a organela encontrada em
maior quantidade nesse tecido é a denominada:
mitocôndria.a)	
Complexo de Golgi.b)	
lisossoma.c)	
ribossoma.d)	
retículo endoplasmático.e)	
(PUC-Campinas) Silicose, doença frequente em ope-26.	
rários que trabalham em pedreiras, é um exemplo de
consequência da autólise celular. A sílica, que se mistura
ao ar inspirado, destrói determinados componentes
celulares, cujas enzimas resultam na morte das células
pulmonares.
Os componentes celulares diretamente afetados pela
sílica são:
os ribossomos.a)	
os centríolos.b)	
os lisossomos.c)	
as mitocôndrias.d)	
os peroxissomos.e)	
(PUC Minas) Autofagia e autólise:27.	
são denominações diferentes para o mesmo fenô-a)	
meno.
são fenômenos diferentes, sendo que, no primeiro,b)	
a célula capta partículas nutritivas do meio extra-
celular.
são fenômenos diferentes, sendo que, no segundo,c)	
a célula é destruída pela ruptura dos lisossomos.
constituem o mesmo tipo de fenômeno, em que ad)	
célula busca alimento no meio extracelular.
constituem o mesmo tipo de fenômeno, sendo quee)	
o primeiro corresponde à fagocitose e o segundo,
à pinocitose.
(Fuvest) Células animais, quando privadas de alimento,28.	
passam a degradar partes de si mesmas como fonte de
matéria-prima para sobreviver. A organela citoplasmática
diretamente responsável por essa degradação é:
o aparelho de Golgi.a)	
o centríolo.b)	
o lisossomo.c)	
a mitocôndria.d)	
o ribossomo.e)	
(PUC Minas) A modelagem dos dedos do embrião29.	
humano ocorre por destruição da membrana que une
os dedos e que é semelhante inicialmente ao pé de um
pato, muito útil no processo de natação. Esse processo
de destruir essa membrana, que ocorre pela ação dos
lisossomos, é denominado de:
hemólise.a)	
plasmólise.b)	
autólise.c)	
autofagia.d)	
heterofagia.e)	
(PUC-SP) No interior da célula, o ATP produzido em um30.	
processo (I) é utilizado na síntese de enzimas digestivas
(II) e no mecanismo de digestão de partículas fagocita-
das (III).Três componentes celulares relacionados direta
e respectivamente com I, II e III são:
mitocôndria, ribossomo e lisossomo.a)	
mitocôndria, cromossomo e lisossomo.b)	
cloroplasto, cromossomo e lisossomo.c)	
cloroplasto, lisossomo e ribossomo.d)	
cromossomo, mitocôndria e ribossomo.e)	
(Fuvest) A hipótese de que os cloroplastos e as mito-31.	
côndrias tenham surgido através de uma associação
simbiótica de um eucarioto primitivo com, respectiva-
mente, bactérias fotossintetizantes e bactérias aeróbicas,
é reforçada pelo fato daquelas organelas celulares:
serem estruturas equivalentes, com grande super-a)	
fície interna.
apresentarem DNA próprio.b)	
estarem envolvidas, respectivamente, na produçãoc)	
e consumo de oxigênio.
apresentarem tilacoides e cristas como as bactérias.d)	
serem encontradas tanto em organismos superio-e)	
res como inferiores.
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
16
EM_V_BIO_002
(PUC-Campinas) O corante I é específico para DNA e o32.	
corante II para RNA. Um pesquisador usou esses dois
corantes em células fixadas e observou sua ação sobre
algumas organelas citoplasmáticas.
Assinale, no quadro a seguir, a alternativa que representa
os possíveis resultados obtidos por esse pesquisador (o
sinal + significa reação positiva e o sinal - negativa).
RIBOSSOMOS
COMPLEXO DE
GOLGI
MITOCÔNDRIAS
corante
I
corante
II
corante
I
corante
II
corante
I
corante
II
a) + + + – – –
b) + + – + + –
c) + ± – + – +
d) – + – – + +
e) – – + + + –
(PUC-Campinas) “Captura aminoácidos que se encon-33.	
tram dissolvidos no citoplasma e carrega-os ao local da
síntese de proteínas”.
Essa função é desempenhada pelo:
RNA mensageiro.a)	
RNA transportador.b)	
RNA ribossômico.c)	
ribossomo.d)	
DNA.e)	
(Unesp) O corante I é específico para identificar a pre-34.	
sença de DNA e o corante II é específico para RNA.
Numa experiência, foram usados esses dois corantes
em dois tipos diferentes de organelas citoplasmáticas
fixadas e observou-se a ação deles. Qual a alternativa
no quadro a seguir que representa corretamente os
resultados esperados dessa experiência, sabendo-se
que os sinais (+) e (-) representam, respectivamente,
a presença e a ausência de um ácido nucleico?
RETÍCULO
ENDOPLASMÁTICO
RUGOSO
MITOCÔNDRIAS
Corante I Corante II Corante I Corante II
a) + + – +
b) + – + +
c) – + – –
d) – + + +
e) – – + –
(Unirio) Censores do Genoma / RNA de Interferência35.	
(RNAi)
“Quasetodasascélulasanimaisevegetaisapresentamum
mecanismo interno que utiliza formas distintas do RNA, a
moléculamensageiragenética,paranaturalmentesilenciar
determinados genes. Esse mecanismo se desenvolveu
tanto para proteger as células de genes hostis como
para regular a atividade de genes normais durante o
crescimento e desenvolvimento. Novos medicamentos
poderão ser desenvolvidos para explorar o mecanismo do
RNAi na prevenção e no tratamento de doenças.”
(Scientific American-Brasil, 2003.)
Uma das formas distintas de RNA citada no texto, que
participa do silenciamento dos genes é um tipo de
RNA de filamento duplo, cujo emparelhamento das
bases obedece ao critério padrão (base púrica e base
pirimídica). Neste tipo de molécula, a relação entre suas
bases nitrogenadas é:
(U + C) / (G + A) = 1a)	
(U + A) / (C + G) = 1b)	
(T + C) / (A + G) > 1c)	
(T + C) / (A + G) = 1d)	
(U + C) / (A + G) · 1e)	
(Unirio) Uma das hipóteses mais amplamente aceitas36.	
na biologia considera que mitocôndrias e cloroplastos
se originaram de uma relação mutualística entre pro-
cariontes e eucariontes primitivos. Qual das seguintes
observações constituiria evidência correta para apoiar
essa hipótese?
As mitocôndrias são responsáveis pela respiração,a)	
e os cloroplastos, pela fotossíntese.
Mitocôndrias e cloroplastos apresentam ribosso-b)	
mas, que são responsáveis pela síntese proteica.
Cloroplastos e mitocôndrias são organelas mem-c)	
branosas presentes no citoplasma da célula.
Essas organelas apresentam enzimas responsáveisd)	
por reações de oxidação e redução de moléculas.
Tanto mitocôndrias quanto cloroplastos apresentame)	
DNA circular, distinto do DNA do núcleo.
(PUC-Rio) “A capacidade de errar ligeiramente é a37.	
verdadeira maravilha do DNA. Sem esse atributo espe-
cial, seríamos ainda bactéria anaeróbia, e a música não
existiria [...]. Errar é humano, dizemos, mas a ideia não
nos agrada muito, e é mais difícil ainda aceitar o fato de
que errar é também biológico”.
(THOMAS, Lewis. A Medusa e a Lesma.
Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1979.)
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
17
EM_V_BIO_002
Esse texto refere-se a uma característica dos seres
vivos. É ela:
seleção natural.a)	
reprodução.b)	
excitabilidade.c)	
excreção.d)	
mutação.e)	
(UFF) Considere a experiência relatada a seguir:38.	
Incubaram-se células de camundongo com anticor-••
pos marcados com rodamina (fluorescência verme-
lha), os quais reagem com proteínas de membrana
de células de camundongo.
Incubaram-se células humanas com anticorpos••
marcados com fluoresceína (fluorescência verde),
os quais reagem com proteínas de membrana de
células humanas.
Promoveu-se a fusão das células de camundongo••
com as células humanas, ambas já ligadas aos
anticorpos.
Observaram-se, ao microscópio de fluorescência,••
as células híbridas formadas logo após a fusão e
quarenta minutos depois.
Com base nessas informações, conclui-se que a
membrana citoplasmática tem características:
elásticas.a)	
glicolipoproteicas.b)	
fluidas.c)	
rígidas.d)	
semipermeáveis.e)	
(Puc-Campinas) Muitas membranas celulares contêm39.	
apreciável quantidade de ésteres de ácidos graxos
insaturados, derivados do ácido fosfórico e proteínas.
Essas substâncias têm na membrana, uma distribuição
definida, isto é, cadeias hidrofóbicas se estendem para
dentro de uma bicamada e os grupos hidrofílicos são
orientados para fora em contato com a água.
cabeça – grupos hidrofílicos
cauda – grupos hidrofóbicos
Devem fazer parte da “cabeça” e da “cauda”,
respectivamente,
grupos polares e grupos fosfóricos.a)	
longas cadeias carbônicas e grupos polares.b)	
grupos polares e longas cadeias carbônicas.c)	
longas cadeias carbônicas e grupos apolares.d)	
grupos apolares e grupos polares.e)	
(PUC-Rio) A análise da composição dos nucleotídeos40.	
do ácido nucleico, que constitui o material genético
de quatro diferentes organismos, mostrou o seguinte
resultado:
Molécula I II III IV
Adenina(A) 23,3 17,3 23,5 23,5
Guanina(G) 26,7 40, 5 14,3 26,5
Timina(T) 23,5 28,8 0 0
Citosina(C) 26,5 14 35,5 26,7
Uracila(U) 0 0 22,7 23,3
Com base nos resultados, marque a afirmativa correta
em relação à identificação das moléculas.
I é uma molécula de DNA, porque tem o mesmoa)	
percentual de A e T e de G e C.
I e III são moléculas que contêm somente uma fitab)	
de nucleo­tídeos.
IV é uma molécula de RNA, cópia de uma das fitasc)	
da molécula I.
II e IV são moléculas responsáveis pela traduçãod)	
proteica.
III é uma molécula RNA de fita dupla.e)	
(Mackenzie) O esquema a seguir representa o modelo41.	
de organização molecular da membrana plasmática.
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
18
EM_V_BIO_002
Assinale a alternativa INCORRETA:
Esse mesmo tipo de membrana é encontrado ema)	
organelas citoplasmáticas.
1 indica a camada de fosfolipídios.b)	
2 indica proteína responsável pelo transporte dec)	
certas substâncias que atravessam a membrana.
Trata-se da membrana de uma célula eucariota, jád)	
que nas células procariotas há apenas uma camada
de fosfolipídios.
3 indica carboidrato que forma o glicocálix.e)	
(UFF) Três amostras idênticas de células animais foram1.	
colocadas, cada uma, respectivamente, nas soluções
X, Y e Z cujas concentrações salinas são distintas. A
variação do volume celular, acompanhada ao longo de
certo tempo, está representada no gráfico a seguir.
VOLUMECELULAR
X
Y
Z
TEMPO
Classifique, quanto à tonicidade, as soluções X, Y e Z.
Justifique sua resposta.
(UFRJ) As halobactérias são classificadas como halófilas2.	
extremas porque vivem em ambientes com uma concen-
tração muito alta de Na+
. Nessas bactérias, ao contrário
do que ocorre na maioria das células, existem sistemas
enzimáticos que bombeiam o K+
para o seu interior de tal
forma que [K+
] interior > [Na+
] exterior. Em geral, nas ou-
tras espécies de micro-organismo, essas concentrações
são iguais. De que forma o mecanismo de concentração
de K+
é importante para as halobactérias?
(UERJ) Num experimento sobre absorção intestinal3.	
foi utilizado o seguinte procedimento:
fechar um pedaço de alça intestinal em uma das••
extremidades, formando um saco;
virar o saco, expondo a mucosa para o lado externo;••
colocar solução salina no interior do saco;••
mergulhá-lo, parcialmente, numa solução salina••
idêntica, porém acrescida de glicose;
medir, em função do tempo, a variação da concen-••
tração da glicose na solução externa, mantendo as
condições adequadas;
adicionar, em um determinado momento T, à solução••
externa, cianeto de sódio, um forte inibidor da cadeia
respiratória mitocondrial.
O resultado deste experimento está representado por
uma das curvas do gráfico a seguir.
1
2
3
4
TEMPOT
CONCENTRAÇÃODEGLICOSE
A curva que representa as variações da concentração
de glicose na solução em que o saco foi mergulhado é
a de número:
1a)	
2b)	
3c)	
4d)	
(UFRJ) Na membrana citoplasmática existe uma4.	
proteína que faz o transporte ativo (com gasto de ATP)
de Na+
para fora da célula.
Outro tipo de proteína da membrana funciona como uma
espécie de portão que pode abrir ou fechar, permitindo
ou não a passagem do Na+
. Com o portão fechado, o
Na+
acumula-se do lado de fora da célula, o que aumenta
a pressão osmótica externa, compensando a grande
concentração de soluto orgânico no citoplasma. Isso
evita a entrada excessiva de água por osmose.
Que estrutura celular torna menos importante essaa)	
função de equilíbrio osmótico do Na+
nas células
vegetais? Justifique sua resposta.
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
19
EM_V_BIO_002
Entre as duas proteínas descritas, qual delas permi-b)	
te o movimento do Na+
a favor do seu gradiente de
concentração? Justifique.
(Unicamp) Foi feito um experimento utilizando a epi-5.	
derme de folha de uma planta e uma suspensão de
hemácias. Esses dois tipos celulares foram colocados
em água destilada e em solução salina concentrada.
Observou-se ao microscópio que as hemácias, em pre-
sença de água destilada, estouravam e, em presença de
solução concentrada, murchavam. As células vegetais
não se rompiam em água destilada, mas em solução
salina concentrada notou-se que o conteúdo citoplas-
mático encolhia.
A que tipo de transporte celular o experimento estáa)	
relacionado?
Em que situação ocorre esse tipo de transporte?b)	
A que se deve a diferença de comportamento dac)	
célula vegetal em relação à célula animal? Explique
a diferença de comportamento, considerando as
células em água destilada e em solução concen-
trada.
(UERJ) Colocando-se hemácias humanas em diferentes6.	
soluções com concentrações iônicas variáveis, pode-se
exemplificar a influência que o grau de permeabilidade
da membrana plasmática à água exerce sobre a célula.
As consequências desse experimento estão demons-
tradas nos esquemas adiante.
O esquema que representa o comportamento da
hemácia, ao ser colocada em um meio hipertônico, é
o de número:
1a)	
2b)	
3c)	
4d)	
(UFRJ) O diagrama a seguir mostra como se passa a7.	
absorção de glicose e de Na+
numa célula do epitélio
intestinal. As células possuem um transportador que
liga-se simultaneamente a estes solutos e os transfere
para o citoplasma.
Em seguida, a membrana plasmática, que contém
bombas de sódio (enzima Na+
/K+
ATPase), ativamente
transporta o Na+
para o sangue.
Transportador Glicose LUZ
INTESTINAL
Glicose
Glicose
SANGUE
Epitélio
Intestinal
Na+
Na+
Na+
Em casos severos de desidratação como, por exemplo, no
cólera, ocorre tanto a perda de água quanto a de Na+
.
Examinando o diagrama, explique por que, nesses casos,
a reposição de água é feita com mistura de açúcar e sal,
ao invés de água pura.
(UFRJ) Para investigar a dinâmica de biossíntese de uma8.	
proteína transportadora de glicose com relação às várias
organelas de uma célula, um pesquisador incubou as
células com um meio de cultura contendo um aminoá-
cido marcado com carbono-14 (radioativo).
Após um período de incubação, o pesquisador tomou
amostras das células em cultura, isolou as várias
organelas e contou a radioatividade de cada uma.
As organelas analisadas foram: núcleo, ribossomas,
mitocôndrias e membrana plasmática.
Identifique a organela que, inicialmente, apresentoua)	
radioatividade mais alta. Justifique sua resposta.
Ao final do período de incubação, qual organelab)	
apresentou radioatividade mais alta? Justifique sua
resposta.
(UFF) O gráfico mostra a velocidade de transporte,9.	
através da membrana celular, das substâncias S1
e S2
em função da concentração destas substâncias.
Velocidadedotransporte
S1
Concentração da Substância
S2
Assinale, nos parênteses correspondentes, todaa)	
alternativa que indica o mecanismo de transporte
revelado pelo gráfico acima.
A substância S(  )( 2
é transportada por difusão simples e
o transporte de S1
se faz ativamente.
O transporte da substância S(  )( 2
é mediado por car-
reador.
A substância S(  )( 1
é transportada por difusão simples.
Explique cada escolha feita no item anterior.b)	
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
20
EM_V_BIO_002
(UERJ) Em condições adequadas, células foram incu-10.	
badas com as substâncias A e B. A partir do momento
inicial do experimento - tempo zero, foram medidas as
concentrações intra e extracelulares e estabelecida a re-
lação C(intra) / C(extra), para cada substância A e B.
O gráfico a seguir mostra a variação dessas relações em
função do tempo de incubação.
Tempo
Cinfra
/Cextra
3,0
2,5
2,0
1,5
1,0
0,5
0,0
A
B
Cextra
– concentração extracelular
Cintra
– concentração intracelular
Cite os tipos de transporte das substâncias A e B,a)	
respectivamente, através da membrana plasmática.
Justifique sua resposta.
O cianeto de sódio é um inibidor da síntese de ATPb)	
na célula. Indique a consequência de sua presença
no transporte da substância A e da substância B.
A partir da análise do texto e da figura, responda às
questões propostas.
Que tipo de transporte é utilizado para manter asa)	
concentrações altas de iodeto no interior da célula?
De que forma o retículo endoplasmático rugoso eb)	
o Complexo de Golgi participam na produção de
tireoglobulina?
(Unicamp) A mudança na cor da pele de algumas13.	
espécies de peixes se deve ao deslocamento, ao longo
dos microtúbulos, de grânulos de pigmentos que podem
agregar-se no centro da célula ou dispersar-se pelo
citoplasma.
O que são microtúbulos? Qual sua composiçãoa)	
química?
Apresente um outro exemplo de função desempe-b)	
nhada pelos microtúbulos, explicando seu papel.
Para que o peixe muda de cor?c)	
(UERJ) Células hepáticas, adequadamente rompidas,14.	
foram separadas, por centrifugação, em quatro frações
particuladas e uma fração solúvel.
Cada uma das frações particuladas apresentava predo-
minância, respectivamente, de núcleos, mitocôndrias,
lisossomas ou microssomas.
Admita que todas as frações tenham sido incuba-a)	
das com concentrações iguais de ácido pirúvico
marcado com carbono radioativo (14
C).
Nomeie a fração que deverá produzir, nesta con-
dição, maior quantidade de (14
C), quando em ae-
robiose, e cite as etapas da respiração aeróbica
envolvidas em tal produção.
Indique a fração que poderá, em condições ade-b)	
quadas, sintetizar proteínas do citosol, nomeando
os tipos de ácido ribonucleicos necessários para a
síntese.
(Unesp) Sabe-se que o alcaloide colchicina é um inibidor15.	
da divisão mitótica, cuja ação impede a formação das
fibras do fuso.
Calcule a pressão osmótica, a 27ºC, de uma solução11.	
aquosa que contém 6g de glicose (M = 180g)
em 820ml de solução (admita conhecido o valor
de R).
(UFRJ) A membrana basal das células tireoideanas tem a12.	
capacidade específica de bombear iodeto para o interior
da célula. Isso é chamado de sequestro de iodeto. Na
glândula normal, a bomba de iodeto é capaz de concen-
trar o iodeto até cerca de 30 vezes sua concentração
no sangue. Quando a glândula tireoide está em sua
atividade máxima, a proporção entre as concentrações
pode chegar a um valor de até 250 vezes. [...]
O retículo endoplasmático e o Complexo de Golgi
sintetizam e secretam para dentro dos folículos
uma grande molécula glicoproteica chamada de
tireoglobulina.
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
21
EM_V_BIO_002
Com base nessas informações, responda:
Até que fase a mitose se processaria normalmentea)	
em uma célula diploide tratada com a colchicina?
Justifique sua resposta.
Nesse caso, qual seria o número cromossômicob)	
resultante do processo de divisão? Justifique sua
resposta.
(Unicamp) A figura a seguir mostra o esquema do corte16.	
de uma célula, observado ao microscópio eletrônico:
A célula é proveniente de tecido animal ou vegetal?a)	
Justifique.
Se essa célula estivesse em intensa atividade deb)	
síntese proteica, que organelas estariam mais de-
senvolvidas ou presentes em maior quantidade?
Por quê?
(UERJ) Sabemos que o citoesqueleto forma um arca-17.	
bouço interno de sustentação das células. A análise da
capacidade de resistência à distensão dos microtúbulos,
dos filamentos intermediários e dos filamentos de actina
presentes nesse arcabouço nos permite chegar aos
resultados mostrados no gráfico.
microtúbulos filamento
intermediário
filamento de
actina ponto de ruptura
FORÇA DE DEFORMAÇÃO
DEFORMAÇÃO
Com base nos dados apresentados e no conhecimento
das características morfofuncionais do citoesqueleto,
cite:
o componente que apresenta maior resistência aoa)	
estresse mecânico e a consequência que a sua
ruptura traz para a célula.
a localização e a função dos filamentos de actinab)	
nas miofibrilas das fibras musculares estriadas.
(UFF) O esquema a seguir representa a participação18.	
de organelas no transporte de proteínas de uma célula
eucariótica.
Nomeie as estruturas indicadas, respectivamente,a)	
pelos números 1, 2, 3, 4, e 5, identificando as or-
ganelas envolvidas na síntese de enzimas lisosso-
mais.
Cite uma função de cada uma das estruturas 1, 2 e 5.b)	
(Unicamp) Um certo tipo de macromolécula destinada19.	
à membrana plasmática celular, depende de etapas nu-
cleares e citoplasmáticas para sua produção, de acordo
com os percursos esquematizados a seguir:
DNA
RNA
Ribossomos R.E. Rugoso
Membrana
plasmática (I)
Complexo de
Golgi
Membrana
plasmática (II)
Por que essas etapas começam no núcleo?a)	
Qual é a composição da macromolécula ao final dob)	
per­curso I? E do percurso II? Esclareça a diferença,
baseando-se nas funções das organelas citoplas-
máticas envolvidas em cada percurso.
(UERJ) O gráfico a seguir demonstra a distribuição20.	
citoplasmática do número de ribossomos isolados e
polirribossomos, em comparação com o número de
cadeias polipeptídicas em formação durante um certo
período de tempo.
número de cadeias polipeptídicas em formação
polirribossomas
ribossomas isolados
polirribossomas ribossomas isolados
(ALBERTS, Bruce et al. Molecular Biology of the Cell.
New York: Garland Publishing, 1994, p. 239. Adaptado.)
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
22
EM_V_BIO_002
Defina a relação existente entre os ribossomas iso-a)	
lados e a formação das cadeias polipeptídicas. Jus-
tifique sua resposta.
Descreva a estrutura das cadeias polipeptídicas e ab)	
dos polirribossomas.
(Unicamp) Suponha que as células de um tecido foram21.	
fragmentadas, separando-se um tipo de organela em
cinco tubos de ensaio. Em seguida, alguns componen-
tes químicos de três tubos foram identificados, como
especificado a seguir.
Tubo I - Grande quantidade de DNA e RNA; proteínas
histônicas e proteínas de membrana.
Tubo II - Fosfolipídeos; proteínas de membrana, RNA
ribossômico e proteína de ribossomos.
Tubo III - Fosfolipídeos; proteínas de membrana e
clorofila.
Qual é a organela presente em cada um dos trêsa)	
tubos?
Cite outro componente químico que poderia terb)	
sido encontrado no tubo III.
Cite duas organelas que poderiam ter sido encon-c)	
tradas nos tubos IV e V, indicando um componente
químico característico de cada uma delas.
(Fuvest) O esquema adiante representa um corte de22.	
célula acinosa do pâncreas, observado ao microscópio
eletrônico de transmissão.
Identifique as estruturas apontadas pelas setas A,a)	
B, e C, e indique suas respectivas funções no me-
tabolismo celular.
Por meio da ordenação das letras indicadoras dasb)	
estruturas celulares, mostre o caminho percorrido
pelas enzimas componentes do suco pancreático
desde seu local de síntese até sua secreção pela
célula acinosa.
Considerando que uma célula epitelial tenha um23.	
formato de um paralelepípedo e que seu volume seja
de 10-8
e considerando que as estruturas citoplasmá-
ticas ocupem um volume correspondente a 50% do
volume total, determine o volume do hialoplasma.
(Unicamp) Os fumantes causam maiores danos às suas24.	
vias e respiratórias ao introduzir nelas partículas de
tabaco e substâncias como nicotina em concentrações
maiores do que as existentes no ar. Estas substâncias
inicialmente paralisam os cílios na traqueia e brônquios
e posteriormente os destroem. Além disso, a nicotina
provoca a liberação excessiva de adrenalina no sangue
aumentando o risco de acidentes vasculares.
A que tipo de tecido estão associados os cílios?a)	
Qual é a consequência da paralisação e destruiçãob)	
dos cílios das vias respiratórias?
Explique como os efeitos fisiológicos da liberaçãoc)	
da adrenalina podem aumentar os riscos de aci-
dentes vasculares.
Onde é produzida a adrenalina?d)	
(Unicamp) No citoplasma das células são encontradas25.	
diversas organelas, cada uma com funções específi-
cas, mas interagindo e dependendo das outras para o
funcionamento celular completo. Assim, por exemplo,
os lisossomos estão relacionados ao Complexo de
Golgi e ao retículo endoplasmático rugoso, e todos às
mitocôndrias.
Explique que relação existe entre lisossomos ea)	
Complexo de Golgi.
Qual a função dos lisossomos?b)	
Por que todas as organelas dependem das mito-c)	
côndrias?
(UFMG) O desenvolvimento de seres multicelulares26.	
depende da morte programada de certas células. Esse
fenômeno biológico, regulado por genes, é conhecido
como apoptose e está ilustrado nestas figuras:
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
23
EM_V_BIO_002
Durante a metamorfose, desaparecem as guelras,I.	
as nadadeiras e a cauda.
No embrião, os sulcos dos dedos das mãos sãoII.	
formados como consequência da morte das células
das membranas interdigitais.
Com base nas informações dessas figuras e em outros
conhecimentos sobre o assunto, é INCORRETO
afirmar que:
a apoptose, no caso II, ocorre devido a um proces-a)	
so inflamatório.
a apoptose que ocorre no caso I resulta da ação deb)	
enzimas digestivas presentes nos lisossomos.
a ausência de apoptose, no caso ilustrado em II,c)	
pode dificultar uma melhor exploração do ambiente.
a ocorrência de alterações nos genes responsáveisd)	
pela apoptose, nos casos I e II, pode ser transmitida
aos descendentes.
(Fuvest) Certas doenças hereditárias decorrem da falta27.	
de enzimas lisossômicas. Nesses casos, substâncias
orgânicas complexas acumulam-se no interior dos li-
sossomos e formam grandes inclusões que prejudicam
o funcionamento das células.
O que são lisossomos e como eles contribuem paraa)	
o bom funcionamento de nossas células?
Como se explica que as doenças lisossômicas se-b)	
jam hereditárias se os lisossomos não são estrutu-
ras transmissíveis de pais para filhos?
(UFRJ) Existe um certo órgão do aparelho digestivo dos28.	
animais vertebrados que tem uma função equivalente à
dos lisossomos das amebas e de outros protozoários.
Identifique esse órgão.a)	
Que característica funcional é comum aos lisosso-b)	
mos e a esse órgão?
(UFSC) Os lisossomos são organoides membranosos,29.	
com formato esférico, que contêm enzimas digestivas.
Em relação a essa estrutura citoplasmática, assinale com
V as verdadeiras e F as falsas.
Os lisossomos desempenham, entre outras, funções(  )(
de defesa celular.
As enzimas lisossômicas são fabricadas no retículo(  )(
endoplasmático liso, passando em seguida para o
Sistema de Golgi, que as “empacota” e as libera sob
a forma de lisossomos secundários.
A função heterofágica dos lisossomos refere-se à(  )(
digestão de substâncias que são absorvidas pela
célula por fagocitose ou pinocitose.
O lisossomo secundário é formado pela fusão do va-(  )(
cúolo alimentar, que contém o alimento englobado
por pinocitose ou fagocitose, com o lisossomo pri-
mário, que contém as enzimas digestivas.
Junto com as mitocôndrias, os lisossomos são res-(  )(
ponsáveis por uma reciclagem de moléculas e orga-
noides inativos.
Em girinos, o fenômeno de reabsorção da cauda(  )(
é comparado a um “suicídio celular” já que, com o
rompimento dos lisossomos, ocorre uma autodiges-
tão das moléculas e dos organóides que constituem
as células daquela estrutura.
(PUCRS) Quando uma dada célula engloba uma partí-30.	
cula alimentar, verificam-se no seu citoplasma uma série
de eventos, tais como:
1. 	 O fenômeno denominado clasmocitose.
2. 	 Enzimas digestivas que passam à fase ativa.
3. 	 A fusão do lisossomo com o fagossomo.
4. 	 A formação de um tipo de vacúolo dito fagossomo.
A sequência correta do aparecimento desses eventos é:
1 - 4 - 2 - 3a)	
3 - 2 - 1 - 4b)	
2 - 3 - 4 - 1c)	
4 - 3 - 2 - 1d)	
2 - 4 - 1 – 3e)	
(UFAL) Em animais mantidos em jejum, células do fígado31.	
digerem parte de suas próprias estruturas para sobrevi-
verem. Essa atividade é desempenhada:
pelos ribossomos.a)	
pelos lisossomos.b)	
pelas mitocôndrias.c)	
pelo Complexo de Golgi.d)	
pelo retículo endoplasmático.e)	
(UFRN) Quando há infecção bacteriana, os neutrófilos32.	
englobam os patógenos e os destroem.
No processo de destruição dessas bactérias, ocorre
sucessivamente:
endocitose - formação do fagossomo - formaçãoa)	
do vacúolo digestivo - degradação x bacteriana -
clasmocitose.
fagocitose - formação do vacúolo autofágico - for-b)	
mação do fagossomo - degradação bacteriana -
defecação celular.
endocitose - formação do vacúolo autofágico - ata-c)	
que lisossômico - egestão.
pinocitose - ataque lisossômico - formação do va-d)	
cúolo digestivo - exocitose.
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
24
EM_V_BIO_002
(UFPE) Como mostrado na figura a seguir, substâncias33.	
capturadas do meio externo, assim como partes com-
ponentes da própria célula, sofrem digestão intracelular.
Com relação aos processos ilustrados, assinale a alter-
nativa INCORRETA:
Os lisossomos (1) são pequenas vesículas quea)	
contêm enzimas responsáveis pela digestão intra-
celular.
A autofagia (2) pode representar um meio de reci-b)	
clagem do material celular.
Os vacúolos digestivos (3) originam-se da fusão dec)	
lisossomos com fagossomos ou pinossomos.
Os vacúolos residuais (4) são bolsas membranosasd)	
onde se processa a digestão autofágica.
Clasmocitose (5) é o processo de eliminação dee)	
resíduos resultantes da digestão intracelular para o
exterior da célula.
de animais. Isso deixa as pessoas desapontadas quando
se deparam com os robôs reais, que executam tarefas
repetitivas em fábricas. Eles não são tão esplêndidos
como os anteriormente citados, mas significam menos
esforço muscular no mundo real.
(MEEK, James. Robôs mais baratos tomam fábricas
européias, O Estado de S. Paulo, set. 2000. Adaptado.)
Uma das diferenças entre robôs e seres humanosa)	
é que nos homens existem quatro grupos de mo-
léculas orgânicas. Quais são esses grupos? Expli-
que o que essas moléculas têm em comum na sua
composição.
O sistema robótico armazena energia em baterias.b)	
Indique dois órgãos ou tecidos de armazenamento
de energia nos seres humanos. Que composto é ar-
mazenado em cada um desses órgãos ou tecidos?
(Unesp) A ilustração apresenta o resultado de um teste37.	
de paternidade obtido pelo método do DNA-Fingerprint,
ou “impressão digital de DNA”.
Segundo o resultado acima, qual dos homens, A oua)	
B, é o provável pai da criança? Justifique.
Em linhas gerais, como é feito o teste de identifica-b)	
ção individual pelo método do DNA-Fingerprint?
(Unesp) Os biólogos moleculares decifraram o código38.	
genético no começo dos anos 60 do século XX. No
modelo proposto, códons constituídos por três bases
nitrogenadas no RNA, cada base representada por uma
letra, codificam os vinte aminoácidos. Considerando as
quatro bases nitrogenadas presentes no RNA (A, U, C
e G), responda:
Por que foram propostos no modelo códons de trêsa)	
letras, ao invés de códons de duas letras?
Um dado aminoácido pode ser codificado por maisb)	
de um códon? Um único códon pode especificar
mais de um aminoácido?
Se considerarmos que um fagossomo possua um34.	
aspecto esférico com um raio de 10-6
, qual o seu
volume provável?
(Unicamp) Explique como ocorre o processo de digestão35.	
das substâncias endocitadas pelas células, mencionando
a organela envolvida e o destino dos produtos dessa
digestão.
(Unicamp) A indústria do entretenimento tem mostrado36.	
imagens ilusórias de robôs de ficção como o jovial R2D2
e o chato C3PO, de Guerra nas Estrelas, e o Exterminador
do Futuro. Entre os brinquedos japoneses, há uma série
de robôs que imitam movimentos de seres humanos e
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
25
EM_V_BIO_002
(Unicamp) A seguir estão representados três modelos39.	
de biomembranas:
A que constituintes da membrana se referem as le-a)	
tras a, b e c?
Qual dos modelos é atualmente aceito para explicarb)	
a estrutura das biomembranas?
Qual a característica do modelo escolhido que lhec)	
confere vantagem do ponto de vista de transporte
através da biomembrana?
(Fuvest) Em que células do corpo humano podemos40.	
encontrar as estruturas a seguir e quais são suas fun-
ções?
Microvilosidades.a)	
Cílios.b)	
Flagelos.c)	
Pseudópodes.d)	
(UFC) Os requerimentos nutricionais variam muito41.	
dentre os diferentes grupos de organismos e isso é
consequência da diferente capacidade de síntese destes.
Diferentes subgrupos de protistas flagelados apresen-
tam diferentes requerimentos de tiamina (vitamina B) na
dieta. O subgrupo 1 deve ser suprido com tiamina na
dieta. O subgrupo 2 requer somente tiazol. O subgrupo 3
necessita apenas que lhe sejam fornecidos aminoácidos
simples. O subgrupo 4 necessita de pirimidina e tiazol.
Com base nessas informações e observando a estrutura
da tiamina a seguir, responda:
H3
C
C
N
N
CH
C
C
NH2
N+
CH2
C C
C S
CH3
H
OH–
CH2
CH2
OH
Pirimidina Tiazol
Tiamina
Qual subgrupo apresenta a maior capacidade dea)	
sobrevivência com uma dieta pobre em tiamina?
Justifique sua resposta.
Qual subgrupo não sobreviveria com uma dieta livreb)	
de tiamina? Justifique sua resposta.
42.	
H3
C
CH3 CH3
OH
CH3
CH3
Vitamina A (ponto de fusão = 63ºC)
O
OH
OH
O
HO
OH
Vitamina C (ponto de fusão = 193ºC)
Uma das propriedades que determina a maior ou
menor concentração de uma vitamina na urina é a
sua solubilidade em água.
Qual dessas vitaminas é mais facilmente elimi-a)	
nada na urina? Justifique.
Dê uma justificativa para o ponto da fusão dab)	
vitamina C ser superior ao da vitamina A.
O esquema representa parte da membrana plasmática43.	
de uma célula eucariótica.
A que correspondem X e Y?a)	
Explique, usando o modelo do “mosaico fluido” para ab)	
membrana plasmática, como se dá a secreção de pro-
dutos do meio intracelular para o meio extracelular.
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
26
EM_V_BIO_002
C1.	
A diferença iônica só é capaz de existir se houver
transporte ativo, pois a tendência seria os meio se
igualarem.
E2.	
E3.	
C4.	
B5.	
C6.	
Se os meios forem iguais, a tendência é que o transporte
se torne lento demais, pois as pressões seriam
igualitárias, dificultando a movimentação.
E7.	
A movimentação a favor da concentração é passiva
enquanto que contra o gradiente é ativa.
A8.	
B9.	
A10.	
D11.	
A12.	
Porque os ribossomos são responsáveis pela síntese
de Ptn.
E13.	
E14.	
Granulos de secreção ou vesículas tem origem no
Complexo de Golgi.
B15.	
A16.	
C17.	
E18.	
O transporte inicial de substâncias é feito pelo retículo.
Após a separação dos aminoácidos, eles seriam levados
para a área de síntese proteica.
B19.	
C20.	
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
27
EM_V_BIO_002
01 + 02 + 04 + 64 = 7121.	
O item 8 está incorreto, pois o processo citado é
respiratório e não fotossintético.
O item 16 está errado, pois o centríolo não é uma
estrutura responsável pela atividade fotossintérica.
O item 32 está errado, pois o REA não possui ribossomos.
A22.	
C23.	
A digestão intracelular é responsabilidade dos li-
sossomos.
A24.	
C25.	
C26.	
C27.	
C28.	
C29.	
A autólise é a destruição dos próprios órgão citoplas-
máticos pelos lisossomos.
A30.	
B31.	
D32.	
B33.	
A função de transporte de aminoácidos é de responsabi-
lidade dos RNAt. São eles que identificam o aminoácido,
levando-o até a área de tradução.
D34.	
A35.	
Só se encontra uracila em regiões onde possa haver
RNA.
E36.	
E37.	
Asmembranasapresentamconstituiçãolipoproteica,logo,
encontraremos em todas as estruturas membranosas.
C38.	
C39.	
A40.	
D41.	
X é uma solução hipotônica, Y é isotônica e Z é hiper-1.	
tônica em relação às células. O volume varia conforme
o movimento da água por osmose.
A maior concentração de K2.	 +
no interior das halobacté-
rias cria um gradiente osmótico que, num ambiente de
alta concentração salina, favorece a entrada de água
nas células.
B3.	
4.	
A parede celular de celulose. A elasticidade daa)	
celulose faz com que ela, quando distendida pela
entrada de água, exerça uma pressão no sentido
contrário, bombeando a água para fora — pressão
de tirgência. Quando essa pressão iguala a pressão
osmótica, a água pára de entrar.
A proteína do portão de Nab)	 +
. Como o Na+
acumu-
la-se do lado extracelular, a abertura desse portão
permite a difusão do Na+
para o compartimento
intracelular.
5.	
Transporte passivo de água por osmose.a)	
Soluções de diferentes concentrações separadasb)	
por membrana semipermeável.
A diferença de comportamento deve-se à presençac)	
da parede celular nas células vegetais e a ausência
dessa estrutura nas células animais (hemácias).
Em água destilada:
célula vegetal: túrgida••
hemácias: estouram••
Em solução salina:••
célula vegetal: plasmolisadas••
hemácias: crenadas••
A6.	
Na desidratação severa, a hidratação com água conten-7.	
do sal e açúcar tem a finalidade de repor o sódio (Na+
)
perdido e fornecer glicose como combustível extra já
que a absorção desse íon consome energia.
8.	
Ribossomo. É nessa organela que ocorre a síntesea)	
de proteínas.
A membrana plasmática, pois é nela que acontece ob)	
transporte de glicose.
9.	
(x) O transporte da substância Sa)	 2
é mediado por
carreador.
(x) A substância S1
é transportada por difusão
simples.
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
28
EM_V_BIO_002
O transporte da substância Sb)	 1
é feito por difusão
simples, enquanto que a substância S2
é trans-
portada por carreador. Na difusão simples, a ve-
locidade do transporte é diretamente proporcional
à concentração da molécula transportada. Já no
transporte mediado por carreador, a velocidade
de transporte se aproxima de um valor máximo
quando a proteína carreadora está saturada (to-
dos os sítios ligantes estão ocupados), pois esse
transporte depende da ligação da molécula a ser
transportada à proteína carreadora.
10.	
Transporte ativo e transporte passivo.a)	
O transporte de A ocorre mesmo contra um gra-
diente de concentração, como mostra a relação
C(intra) / C(extra) maior que 1.
O transporte de B não ocorre contra um gradien-
te de concentração, atingindo o equilíbrio com
C(intra) / C(extra) igual a 1.
O transporte da substância A deve ser inibido pelob)	
cianeto, pois o transporte ativo depende de fonte
energética (ATP).
O transporte passivo de B não deve ser alterado
pelo cianeto.
11.	
PV = m1
= RT
	 M1
P = Pressão osmótica da solução (atm)
V = volume da solução (L)
T = temperatura absoluta da solução
m1
= quantidade de massa do soluto
M1
= massa molecular do soluto
R = constante universal dos gases perfeitos
Solução:
PV =
m1
M1
= RT → P . 0,820 = 6 . 0,082 . 300 → P = 1atm
		 180
OBS: A equação fundamental da osmometria para
soluções moleculares é idêntica a equação dos gases
perfeitos.
12.	
Transporte ativo, que ocorre com gasto de energia.a)	
O retículo endoplasmático rugoso é o responsávelb)	
pela síntese da porção proteica da tireoglobulina.
O Complexo de Golgi realiza a associação das par-
tes proteica e glicídica na formação da tireglobulina
iodada.
13.	
Filamentos tubulares formados pela proteína tubulina.a)	
Formação do fuso de divisão celular onde se prendemb)	
os cromossomos duplicados antes da disjunção.
Muda de cor para se confundir com o ambiente ec)	
(ou) atrair indivíduos do sexo oposto.
14.	
Fração mitocondrial.a)	
Oxidação do ácido pirúvico para acetil coenzima A
e ciclo dos ácidos tricarboxílicos pu ciclo de Krebs.
Fração de microssomas.b)	
Mensageiro (m-RNA), ribossomal (r-RNA) e trans-
feridor (t-RNA)
15.	
Metáfase, porque a colchicina impede a associaçãoa)	
das subunidades de tubulina que formam o fuso
mitótico, sem afetar a separação das cromátides.
A célula tratada com colchicina torna-se poliploide,b)	
ou seja, como não se divide, permanece com todos
os seus cromossomos duplicados.
16.	
Vegetal porque possui membrana celulósica ea)	
plastos.
Retículo endoplasmático rugoso, que é rico em ribos-b)	
somos, responsáveis pela produção de proteínas, e
mitocôndrias, para a produção de energia para o tra-
balho celular.
17.	
Filamento intermediário. A célula também se rompe.a)	
Localizam-se no sarcômetro.b)	
Atuam na contração muscular.
18.	
1 - Retículo Endoplasmático Rugoso.a)	
2 - Complexo de Golgi.
3 - Vesícula de secreção.
4 - Vesícula endocítica.
5 - Lisossoma
As organelas envolvidas na síntese de enzimas li-
sossomais são: Retículo Endoplasmático Rugoso e
Complexo de Golgi.
Retículo endoplasmático Rugoso – síntese de pro-b)	
teínas ou glicosilação de proteínas ou endereça-
mento de proteínas.
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
29
EM_V_BIO_002
Complexo de Golgi – glicosilação de proteínas ou
síntese de polissacarídeos ou produção de grânu-
los de secreção.
Lisossoma – digestão intracelular.
19.	
O núcleo contém DNA que comanda a produção dasa)	
proteínas através da síntese de RNA.
Proteínas e glicoproteínas, porque os ribossomos pro-b)	
duzem as proteínas, que são associadas aos açúcares
no complexo de Golgi.
20.	
Em ribossomos isolados não há síntese de cadeiasa)	
polipeptídicas. O RNA mensageiro é necessário,
pois transmite a mensagem genética para a síntese
dos polipeptídeos.
Polipeptídeos são formados a aprtir do encadea-b)	
mento de aminoácidos. Polirribossomos são consti-
tuídos de ribossomos ligados ao RNA mensageiro.
21.	
Tubo I: núcleo.a)	
Tubo II: retículo endoplasmático rugoso.
Tubo III: cloroplasto.
DNA, RNA, pigmentos fotossintetizantes, ATP eb)	
NADP, glicose, amido etc.
Mitocôndrias: citocromos, DNA, RNA, ATP.c)	
Lisossomos: enzimas hidrolíticas.
22.	
As estruturas indicadas pelas setas são:a)	
A - Retículo endoplasmático rugoso: síntese de
proteínas, armazenamento e transporte.
B - Mitocôndrias: produção de energia através da
respiração celular.
C - Complexo de Golgi: armazenamento, transporte
e secreção celular.
Ab)	 → C → D
Considerando que as estruturas ocupem um volume de23.	
50%, significa que o volume ocupado pelo hialoplasma
corresponderá aos 50% restantes, o que vale 10-4
.
24.	
Os cílios são prolongamentos celulares do epitélioa)	
cilíndrico pseudoestratificado que revestem o apa-
relho respiratório humano.
A paralisação ou destruição dos cílios acarreta ob)	
acúmulo de impurezas inaladas com o ar nas vias
respiratórias.
A adrenalina provoca vasoconstrição e, consequente-c)	
mente, aumento da pressão arterial. Este fato aumen-
ta o risco de acidentes vasculares como a ruptura de
vasos sanguíneos.
A adrenalina é produzida pela medula da glândulasd)	
suprarrenais e pelas terminações nervosas do Sistema
Nervoso autônomo simpático.
25.	
Lisossomos são organoides citoplasmáticos cons-a)	
tituídos por uma membrana originada à partir do
Complexo de Golgi. Contêm enzimas digestivas
que foram produzidas pelos ribossomos do retículo
endoplasmático rugoso.
Digestão intracelular heterofágica e autofágica.b)	
Mitocôndrias são os organoides responsáveis pelac)	
produção de energia (ATP) necessária para o tra-
balho celular.
A26.	
27.	
Lisossomos são organoides intracelulares que exe-a)	
cutam a digestão de material endógeno e exógeno.
As enzimas contidas nos lisossomos são proteínasb)	
produzidas pelos ribossomos sob comando ge-
nético. Mutações nos genes que codificam estes
catalisadores proteicos podem ser transmitidas à
descendência.
28.	
O estômago.a)	
Os lisossomos e o estômago realizam a digestão deb)	
proteínas em meio ácido.
V, F, V, F, F, V29.	
D30.	
B31.	
A32.	
D33.	
V = 4/3 .34.	 π r3
V = 4/3 . 3,14 . (10-6
)3
V = 4/3 . 3,14 . 10- 18
V = 4,18 . 10-18
As substâncias endocitadas são quebradas em unida-35.	
des menores pelas enzimas dos lisossomos, processo
chamado de digestão intracelular. Assim:
os polissacarídeos são quebrados em glicose e/ou••
outros monossacarídeos que servem de combustível
para a respiração celular;
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
30
EM_V_BIO_002
proteínas são quebradas em aminoácidos, que••
podem ser utilizados para construir outras proteí-
nas (função plástica) ou se combinarem a outros
compostos;
lipídios são quebrados em ácidos graxos e glicerol,••
que podem ser utilizados como nutrientes plásticos
ou queimados para obtenção de energia;
ácidos nucleicos são quebrados em nucleotídeos,••
que podem ser reutilizados para formação do mate-
rial genético ou acoplados a outros compostos para
reações metabólicas (caso do ATP).
36.	
Os seres humanos possuem em sua composiçãoa)	
os seguintes grupos de compostos orgânicos prin-
cipais:
Carboidratos (hidratos de carbono ou glicídios)••
Proteínas••
Lipídios (gorduras)••
Ácidos nucleicos (DNA e RNA)••
Todos os compostos citados anteriormente pos-
suem em sua composição química átomos de car-
bono, além de hidrogênio e oxigênio.
Músculos, fígado e tecido adiposo são estruturas ar-b)	
mazenadoras de substâncias energéticas. Glicogênio
é armazenado nos músculos e no fígado, gorduras
ou lipídios são armazenadas no tecido adiposo.
37.	
As três bandas de DNA de origem paterna (nãoa)	
encontradas na mãe) ocorrem no homem B.
O teste é feito comparando-se as bandas do DNAb)	
repetitivo da mãe e da criança com os possíveis
pais. Essas bandas são obtidas pela clivagem do
DNA e são altamente específicas para cada orga-
nismo, daí o seu uso.
38.	
Pois códons de duas letras codificam menos amino-a)	
ácidos que o número existente.
Uma vez que o código é degenerado, mais de umb)	
códon pode determinar um aminoácido, porém o
códon sempre especifica um único tipo de amino-
ácido.
39.	
a - fosfolipídios, b - proteínas e c - glicocálix.a)	
Modelo Ib)	
A fluidez lipídica aliada à presença de canais pro-c)	
teicos.
40.	
Estrutura
Célula onde
pode ser
encontrada
Função
a microvilosidades epitélio intestinal absorção
b cílios epitélio da traqueia
remoção de
resíduos
c flagelos espermatozoides locomoção
d pseudópodos glóbulos brancos fagocitose
41.	
O subgrupo 3 possui a maior capacidade de sínte-a)	
se, uma vez que consegue sintetizar a vitamina B1 a
partir de simples aminoácidos, podendo sobreviver
com uma dieta pobre em tiamina.
O subgrupo 1 é o de menor capacidade de sínte-b)	
se, uma vez que precisa ter a tiamina na dieta. Não
consegue sintetizar nenhum precursor. Portanto,
não sobreviveria com uma dieta livre de tiamina.
42.	
A vitamina C, que é a mais solúvel em água poisa)	
apresenta maior número de grupos OH em sua
molécula.
Como os 4 grupos OH formam maior número deb)	
pontes de hidrogênio, irão requerer mais energia
para serem rompidas.
43.	
X - lipídiosa)	
Y - proteína
As secreções do retículo endoplasmático (tantob)	
proteicas quanto lipídicas) são empacotadas no
Complexo de Golgi em vesículas cuja membrana
também é lipídica. Devido à sua propriedade de
fluidez, quando a vesícula se aproxima da membra-
na plasmática, as duas se fundem, e o produto é
liberado para o meio extracelular.
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
31
EM_V_BIO_002
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
32
EM_V_BIO_002
Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A,
mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

B11 aula de revisões 1
B11   aula de revisões 1B11   aula de revisões 1
B11 aula de revisões 1Nuno Correia
 
Lista sobre citoplasma e organelas
Lista sobre citoplasma e organelasLista sobre citoplasma e organelas
Lista sobre citoplasma e organelasIonara Urrutia Moura
 
Exercicios organelas
Exercicios organelas Exercicios organelas
Exercicios organelas Juliana Pedro
 
Lista sobre citoplasma e organelas
Lista sobre citoplasma e organelasLista sobre citoplasma e organelas
Lista sobre citoplasma e organelasCotucaAmbiental
 
Treinamento citoplasma
Treinamento citoplasmaTreinamento citoplasma
Treinamento citoplasmaemanuel
 
Aula03 transportes de-substnciascbm21122021
Aula03 transportes de-substnciascbm21122021Aula03 transportes de-substnciascbm21122021
Aula03 transportes de-substnciascbm21122021SandroMendes25
 
Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022
Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022
Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022SandroMendes25
 
Resumo de Introdução a Citologia
Resumo de Introdução a CitologiaResumo de Introdução a Citologia
Resumo de Introdução a Citologialoirissimavivi
 
Aula01 organizao celular-da-vidacbm15122021
Aula01 organizao celular-da-vidacbm15122021Aula01 organizao celular-da-vidacbm15122021
Aula01 organizao celular-da-vidacbm15122021SandroMendes25
 
Bio celular e molecular
Bio celular e molecularBio celular e molecular
Bio celular e molecularfamiliaestagio
 
Introdução a biologia celular
Introdução a biologia celularIntrodução a biologia celular
Introdução a biologia celularJulio D'Almeida
 
Revestimentos celulares 3 a aula 6
Revestimentos celulares 3 a aula 6Revestimentos celulares 3 a aula 6
Revestimentos celulares 3 a aula 6César Milani
 
Biologia aula 01 - apostila-citologia
Biologia   aula 01 - apostila-citologiaBiologia   aula 01 - apostila-citologia
Biologia aula 01 - apostila-citologiaMarcos Vieira
 
Citologia membrana plasmatica
Citologia membrana plasmaticaCitologia membrana plasmatica
Citologia membrana plasmaticaDianna Gomes
 
Aula biologia celular
Aula   biologia celularAula   biologia celular
Aula biologia celularsanthdalcin
 
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Citologia
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre CitologiaSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Citologia
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre CitologiaTurma Olímpica
 

Mais procurados (20)

Atividade organelas
Atividade organelasAtividade organelas
Atividade organelas
 
B11 aula de revisões 1
B11   aula de revisões 1B11   aula de revisões 1
B11 aula de revisões 1
 
Lista sobre citoplasma e organelas
Lista sobre citoplasma e organelasLista sobre citoplasma e organelas
Lista sobre citoplasma e organelas
 
Exercicios organelas
Exercicios organelas Exercicios organelas
Exercicios organelas
 
Lista sobre citoplasma e organelas
Lista sobre citoplasma e organelasLista sobre citoplasma e organelas
Lista sobre citoplasma e organelas
 
Treinamento citoplasma
Treinamento citoplasmaTreinamento citoplasma
Treinamento citoplasma
 
Aula03 transportes de-substnciascbm21122021
Aula03 transportes de-substnciascbm21122021Aula03 transportes de-substnciascbm21122021
Aula03 transportes de-substnciascbm21122021
 
Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022
Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022
Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022
 
Resumo de Introdução a Citologia
Resumo de Introdução a CitologiaResumo de Introdução a Citologia
Resumo de Introdução a Citologia
 
Aula01 organizao celular-da-vidacbm15122021
Aula01 organizao celular-da-vidacbm15122021Aula01 organizao celular-da-vidacbm15122021
Aula01 organizao celular-da-vidacbm15122021
 
Bio celular e molecular
Bio celular e molecularBio celular e molecular
Bio celular e molecular
 
A membrana e a permeabilidade
A membrana e a permeabilidadeA membrana e a permeabilidade
A membrana e a permeabilidade
 
Introdução a biologia celular
Introdução a biologia celularIntrodução a biologia celular
Introdução a biologia celular
 
EXERCÍCIOS DE EXAMES
EXERCÍCIOS DE EXAMESEXERCÍCIOS DE EXAMES
EXERCÍCIOS DE EXAMES
 
Revestimentos celulares 3 a aula 6
Revestimentos celulares 3 a aula 6Revestimentos celulares 3 a aula 6
Revestimentos celulares 3 a aula 6
 
Biologia aula 01 - apostila-citologia
Biologia   aula 01 - apostila-citologiaBiologia   aula 01 - apostila-citologia
Biologia aula 01 - apostila-citologia
 
Citologia membrana plasmatica
Citologia membrana plasmaticaCitologia membrana plasmatica
Citologia membrana plasmatica
 
Biologia celular
Biologia celularBiologia celular
Biologia celular
 
Aula biologia celular
Aula   biologia celularAula   biologia celular
Aula biologia celular
 
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Citologia
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre CitologiaSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Citologia
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Citologia
 

Semelhante a apostilla Bilogia Iesde (20)

Aula Citologia
Aula CitologiaAula Citologia
Aula Citologia
 
Citologia.ppt
Citologia.pptCitologia.ppt
Citologia.ppt
 
Citologia e membrana celular
Citologia e membrana celularCitologia e membrana celular
Citologia e membrana celular
 
Revisão - Biologia celular
Revisão - Biologia celularRevisão - Biologia celular
Revisão - Biologia celular
 
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
 
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
 
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
 
(5) biologia e geologia 10º ano - obtenção de matéria
(5) biologia e geologia   10º ano - obtenção de matéria(5) biologia e geologia   10º ano - obtenção de matéria
(5) biologia e geologia 10º ano - obtenção de matéria
 
biologia geral
biologia geral biologia geral
biologia geral
 
Biologia geral
Biologia geralBiologia geral
Biologia geral
 
Aula citologia 1ºanos erem
Aula citologia 1ºanos eremAula citologia 1ºanos erem
Aula citologia 1ºanos erem
 
Biologia 1-6
Biologia  1-6Biologia  1-6
Biologia 1-6
 
01
0101
01
 
01
0101
01
 
01
0101
01
 
Apostila estudo militar
Apostila estudo militarApostila estudo militar
Apostila estudo militar
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
capitulo_1_vol2.pdf
capitulo_1_vol2.pdfcapitulo_1_vol2.pdf
capitulo_1_vol2.pdf
 
ObtençãO De MatéRia Tr
ObtençãO De MatéRia   TrObtençãO De MatéRia   Tr
ObtençãO De MatéRia Tr
 
1ª aula biologia celular
1ª aula biologia celular1ª aula biologia celular
1ª aula biologia celular
 

Último

UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoVitor Vieira Vasconcelos
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitlerhabiwo1978
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...WelitaDiaz1
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 

Último (20)

UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 

apostilla Bilogia Iesde

  • 1. PRÉ-VESTIBULAR LIVRO DO PROFESSOR BIOLOGIA Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 2. © 2006-2008 – IESDE Brasil S.A. É proibida a reprodução, mesmo parcial, por qualquer processo, sem autorização por escrito dos autores e do detentor dos direitos autorais. Produção Projeto e Desenvolvimento Pedagógico Disciplinas Autores Língua Portuguesa Francis Madeira da S. Sales Márcio F. Santiago Calixto Rita de Fátima Bezerra Literatura Fábio D’Ávila Danton Pedro dos Santos Matemática Feres Fares Haroldo Costa Silva Filho Jayme Andrade Neto Renato Caldas Madeira Rodrigo Piracicaba Costa Física Cleber Ribeiro Marco Antonio Noronha Vitor M. Saquette Química Edson Costa P. da Cruz Fernanda Barbosa Biologia Fernando Pimentel Hélio Apostolo Rogério Fernandes História Jefferson dos Santos da Silva Marcelo Piccinini Rafael F. de Menezes Rogério de Sousa Gonçalves Vanessa Silva Geografia Duarte A. R. Vieira Enilson F. Venâncio Felipe Silveira de Souza Fernando Mousquer I229 IESDE Brasil S.A. / Pré-vestibular / IESDE Brasil S.A. — Curitiba : IESDE Brasil S.A., 2008. [Livro do Professor] 764 p. ISBN: 978-85-387-0578-9 1. Pré-vestibular. 2. Educação. 3. Estudo e Ensino. I. Título. CDD 370.71 Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 3. Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 4. Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 5. 1 EM_V_BIO_002 Biologia celular Quando estudamos a evolução dos seres vivos, na realidade, estamos observando a própria evolução da célula, pois reconhecemos que todos os seres vi- vos são celulares, sejam uni ou pluricelulares. O desenvolvimento do estudo citológico ca- minhou junto com o desenvolvimento da micros- copia, pois a maioria das estruturas celulares são microscópicas. Desde o primeiro microscópico utilizado para os estudos biológicos, desenvolvido por Anton van Leeuwenhoek (século XVII), passando por Robert Hooke (1667), até os dias atuais com a microscopia eletrônica, o estudo citológico tem esclarecido as vá- rias estruturas celulares e suas delicadas funções. O termo célula surgiu com Robert Hooke ao observar finas lâminas de cortiça, pois os pequenos compartimentos lembravam celas (do inglês cell). Atualmente, existem vários tipos de microscópios que são usados nos mais diversos estudos citológicos. Após os estudos desenvolvidos por Hooke, vá- rios cientistas começaram a desenvolver pesquisas no campo citológico. Em 1838, dois pesquisadores alemães, Matthias Schleiden e Theodor Schwann, formularam a teoria celular, na qual: todos os seres vivos são formados por cé-•• lulas; células são a unidade morfofisiológica da•• vida; e toda célula se origina de outra célula.•• Os vírus não são exceção à teoria celular, pois dependem de células para realizarem suas funções de reprodução. Membrana plasmática É o envoltório celular presente em todos os tipos de células. A membrana plasmática é compreendida por meio de um modelo denominado de mosaico fluido, descrito por Singer e Nicholson em 1972, no qual ob- serva-se duas camadas fosfolipídicas e proteínas. A camada fosfolipídica forma uma película iso- lante em relação ao meio externo da célula. As pro- teínas, que se movimentam nesta camada, formam portais que permitem a troca de substâncias entre a célula e o meio exterior. Porém, essa troca não é executada de qualquer maneira. Existe uma certa seleção das substâncias que passam pela membrana. A essa seleção deno- minamos de permeabilidade seletiva. Glicocálix Proteína Camada Fosfolipídica Proteína IESDEBrasilS.A. Corte esquemático da membrana plasmática. Envoltórios celulares – especializações A membrana plasmática possui, em sua super- fície, determinadas especializações evolutivamente importantes. Uma especialização ou envoltório externo da membrana é o Glicocálix, que consiste em uma camada de carboidratos que se associa à camada fosfolipídica e proteica da membrana. O Glicocálix tem as seguintes funções: constituir uma barreira contra agentes físicos•• e químicos do meio externo; permiteoreconhecimentocelular,poisdeacor-•• do com o tipo celular o glicocálix é diferente; retém nutrientes e enzimas em volta da célula,•• mantendo um meio externo adequado a esta. Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 6. 2 EM_V_BIO_002 O segundo envoltório é a parede celular, que é variável, dependendo da célula. As bactérias e as cianofíceas apresentam uma parede celular formada por uma substância denomi- nada de peptidoglicano. Já os fungos apresentam um reforço externo for- mado por quitina, sendo possível encontrar celulose em alguns fungos. Em determinados protistas como, por exemplo, nas diatomáceas, esse revestimento é feito por síli- ca. Mas, o revestimento mais encontrado é a parede celular dos vegetais, formada por celulose, que é basicamente permeável, deixando o controle com a membrana plasmática. Os vegetais podem ter, ainda, junto com a celu- lose, a presença de lignina e suberina, que aumenta o poder de resistência. As células vegetais apresentam alguns pontos de contato entre as suas paredes e que, por não so- frerem a deposição de celulose, formam verdadeiras pontes citoplasmáticas entre elas. Essas pontes são denominadas de plasmodesmos, que facilitam o intercâmbio entre as células. Convém lembrar que a parede celulósica em células jovens é fina, denominada de primária e de secundária quando a célula atinge a sua forma e tamanho definitivos, sendo a segunda mais espessa do que a primeira. Observamos, também, a ocorrência das seguin- tes especializações da membrana: Desmossomos•• – localizam-se entre células dos tecidos epiteliais com a finalidade de aumentar o poder de coesão entre elas. Os desmossomos são acúmulos de fios de que- ratina e substâncias adesivas, como o ácido hialurônico. A B A – Microvilosidades B – Desmossomos IESDEBrasilS.A. Nexos ou junções intercomunicantes•• – são canais formados pela união de duas proteí- nas das membranas plasmáticas que se en- contram juntas. Estão presentes em células cardíacas, hepáticas e embrionárias. Interdigitações•• – são encaixes que aumen- tam o poder de coesão entre as células e a superfície de troca entre elas. Interdigitações IESDEBrasilS.A. Microvilosidades•• – são dobras ou projeções existentes na membrana plasmática que aumentam a área de absorção dessas mem- branas. São encontradas em áreas onde a ab- sorção de substâncias é fundamental como, por exemplo, a parede interna do intestino delgado. microvilosidades superfície celular IESDEBrasilS.A. Transporte através da membrana A permeabilidade da membrana plasmática permite trocas seletivas entre o meio intracelular e o meio extracelular. Essas trocas são agrupadas em dois mecanismos básicos: o ativo e o passivo. A diferença entre eles reside, fundamentalmente, no gasto ou não de energia pela célula. Para que essas trocas se realizem, seja de modo passivo ou ativo, devemos ter em mente que os meios (intra e extracelulares) não são necessariamente Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 7. 3 EM_V_BIO_002 iguais. Normalmente, existe uma diferença entre a quantidade de líquido que dissolve as substâncias (solvente) e as próprias substâncias dissolvidas (soluto). A essa relação entre solvente e soluto de- nominamos de concentração, ou seja, a quantidade de soluto dissolvida pelo solvente de uma solução determina a sua concentração. Quando comparamos duas soluções (como, por exemplo, o meio intracelular e o meio extracelular) e elas apresentam a mesma concentração, dizemos que ocorre isotonia ou os meios são isotônicos. Quando ocorre diferença entre eles, o meio que apresenta maior concentração (mais soluto em relação ao solvente) é denominado de hipertônico. O outro é hipotônico. Com base nesse princípio é que iremos clas- sificar os mecanismos de transporte, observando a seguinte lógica: Quando um meio possui mais soluto ou solvente do que o outro, poderá ceder sem que a célula se esforce para isso. Nesse caso, o mecanismo será passivo. Caso contrário, será ativo, pois para ir contra uma concentração maior do que a sua, o gasto de energia se torna obrigatório. Transporte passivo Osmose É a difusão das moléculas de solvente (água) por meio de membranas semipermeáveis. O solvente difunde-se do meio hipotônico para o meio hipertônico, com a finalidade de igualar os meios. Devemos observar que a regra continua sendo mantida: “o lado que possui mais cede para o lado que possui menos.” Você pode estar pensando como essa regra continua sendo mantida se o solvente está indo do meio hipo para o meio hiper. Porém, observe que se o meio é hipotônico é porque apresenta pouco soluto e muito solvente, logo, o meio hiper apresentará pouco solvente. Dessa maneira, o solvente movimenta-se do lado que existe mais para o lado que existe menos. A tendência do mecanismo é de igualar os lados, sendo que nem sempre isso é possível. As células animal e vegetal apresentam diferen- ças de comportamento quanto ao princípio osmótico. A célula, quando colocada em meio hipertônico, tende a perder água e quando colocada em meio hipotônico, a ganhar água. Se for uma célula animal, a perda excessiva de água provocará um murchamento, denominado de crenação. Caso ocorra o contrário, ou seja, o ganho de água excessivo, acarretará um rompimento da membrana plasmática, denominado de lise celular ou plasmoptise (quando a célula animal for uma hemácia denominamos de hemólise). Osmose em célula animal – hemácia Colocando-se a célula em meio externo hiper- tônico há perda de água pela célula, que se torna murcha. Colocando-se a célula em meio ex- terno muito hipotô- nico ocorre entrada de água na célula, que se rompe (lise celular). Meio externo isotônico com meio interno: hemá- cia normal. A quantidade de água que entra na célula é igual à que sai, havendo equilíbrio. IESDEBrasilS.A. Em uma célula vegetal túrgida, quer dizer cheia, d’água, a perda acarretará a plasmólise. Se colocar- mos esta célula em um meio hipotônico, ela voltará a ganhar água, denominando então de deplasmólise. Em geral, quando colocamos uma célula em meio hipotônico, esta tende a inchar, denominando- se o processo de turgência. Osmose em células vegetais IESDEBrasilS.A. Colocada em solu- ção hipertônica, a célula perde muita água, o que provo- ca desligamento entre a membrana plasmática e a parede celular. Colocada em água pura ou solução de baixa concentração, a célula recebe água, tornando-se normal ou túrgida novamente. Célula túrgida Vacúolo Célula plasmolisada Célula túrgida A capacidade de uma substância receber a água por osmose denomina-se pressão osmótica. Quanto mais concentrada for uma substância, maior será a sua pressão osmótica, pois menos água terá. Nas células vegetais, a troca entre o meio e a célula, na realidade, ocorrerá entre o meio e o vacúolo, por apre- sentarem vacúolos celulares grandes criando-se os efeitos de plasmólise e turgência. Existem duas forças que fazem com que a água se movimente: uma é a capacidade de absorção do meio intracelular, a outra é a força exercida pela célula para eliminar a água. A primeira tem o nome de pressão osmótica (PO) e a segunda de pressão de turgência (PT). Logo, a movimentação da água deverá obedecer ao princípio da diferença entre as duas forças. Assim, Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 8. 4 EM_V_BIO_002 se a pressão osmótica for maior do que a pressão de turgência, a água entrará ou saíra da célula, depen- dendo do meio que possuir maior PO. Essa diferença entre as pressões é denominada de pressão de sucção (PS) ou déficit de pressão de difusão (DPD). Observe: DPD = PO – PT Se PO > PT o DPD será alto, então entrará água. Se PO = PT o DPD será 0, então o equilíbrio estará atingido. Normalmente, a célula possui PO maior do que o meio. Porém, em dias muito quentes e secos, a célula tende a perder água, pois o meio se torna hipertônico, devido, normalmente, à evaporação. Difusão É o processo de movimentação das partículas do local onde elas existem em maior quantidade para o local onde há em menor quantidade. Existem dois tipos de difusão: a simples (que ocorre com compostos apolares através dos lipídios da membrana) e a facilitada (que ocorre com com- postos polares e de grande porte pelas proteínas da membrana). Difusão facilitada A passagem de substâncias pela membrana plasmática é favorecida pela presença de proteí- nas carregadoras. Isso ocorre porque a maioria das substâncias possui moléculas grandes demais para passarem pela camada fosfolipídica. As proteínas carregadoras ou permeases fun- cionam de maneira semelhante a uma enzima que se liga à substância de um lado e a solta do outro lado da membrana. É dessa maneira que aminoácidos, glicose e alguns íons atravessam a membrana plasmática. Lembremos que esse transporte é passivo, pois as proteínas transportam substâncias do lado mais concentrado para o lado de menor concentração. Bicamada Lipídica Canal Iônico Difusão simples Difusão facilitada IESDEBrasilS.A. Permeases Difusão facilitada IESDEBrasilS.A. Transporte ativo Todos os mecanismos estudados até agora eram passivos. A célula não necessitava gastar energia. Ocorre que, muitas vezes, a célula necessita trans- portar substâncias do lado menos concentrado para o lado mais concentrado. Nesses casos, o gasto de energia é inevitável. Esse mecanismo é possível devido ao fato de existirem proteínas especiais na membrana plas- mática que, alterando a sua forma, transportam as substâncias de um lado para o outro. Essa alteração de forma é que promove o gasto de energia. Permeases Transporte ativo IESDEBrasilS.A. Essa energia é conseguida por meio da quebra de moléculas de ATP (trifosfato de adenosina) por essas proteínas. Por essa razão, são consideradas como um tipo especial de enzimas, as ATPases. O mecanismo ativo de transporte pela membra- na mais conhecido é a Bomba de Sódio e Potássio, que mantém as concentrações desses íons sempre di- ferentes entre o meio externo e o interno da célula. Lembre-se que se isso não ocorresse, a ten- dência seria igualar os meios. A concentração de Na+ do meio externo é maior do que o meio interno da célula. O K+ apresenta con- centração contrária ao Na+ . Se não houvesse o transporte ativo, essas con- centrações se tornariam iguais, tanto interna quanto externamente. Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 9. 5 EM_V_BIO_002 Porém, a célula bombeia constantemente o sódio para fora e o potássio para dentro, mantendo, dessa forma, a diferença entre as concentrações. Isso é importante por três motivos básicos: permite a diferença entre cargas elétricas do•• meio interno e do meio externo, favorecendo os fenômenos elétricos que ocorrem nas cé- lulas nervosas e musculares; evita que a concentração interna seja maior, o•• que acarretaria a entrada de água em exces- so, podendo provocar ruptura da membrana plasmática. Ocorre este fato porque a célula expulsa muito mais sódio do que importa potássio; a entrada de sódio por difusão facilita o•• transporte de aminoácidos e glicose, que são arrastadas por ele. IESDEBrasilS.A. 1,2,3 – A união dos 3 Na+ e o subsequente fornecimento de energia induzem a mudanças na forma da proteína, que lança os 3 Na+ para fora da célula. 4 – 2 K+ do fluído extracelular unem-se aos seus sítios. 5,6 – A união do K+ induz ao retorno da proteína à forma inicial, e o K+ é lançado para o citoplasma. citoplasma Fluido extracelular Endocitose e exocitose O transporte passivo ou ativo, da maneira como observamos até agora, diz respeito a moléculas pe- quenas. As moléculas maiores como, por exemplo, proteínas, polissacarídios, não passam pela membra- na por meio dos mecanismos citados. Por isso, algumas células possuem mecanismos que atuam de maneira diferente. O englobamento de partículas pela célula é denominado endocitose, e é dividido em fagocitose e pinocitose. A fagocitose é o mecanismo de englobamento de partículas iguais ou maiores do que 10μ, como, por exemplo, micro-organismos ou partículas celulares. Esse processo consiste em, por meio de altera- ções citoplasmáticas, criar expansões (pseudópodes) que envolvem a partícula, colocando-a no interior da célula. Essa cavidade criada no interior irá desenvol- ver a digestão intracelular. É feita por células de espongiários, cnidários, bactérias e protozoários. Em vertebrados, deter- minados grupos de células de defesa fazem esse mecanismo para defender o organismo de agentes invasores. Lembrete: As células de defesa fazem fagocitose como meio de proteção para o organismo a que elas per- tencem. Invertebrados também possuem células fagocitárias de defesa. A pinocitose é outro mecanismo de engloba- mento de partículas, porém menores do que 10μ. A maioria das células eucariontes dos seres vivos tem essa capacidade. O mecanismo de englo- bamento é o mesmo do processo anterior, porém as partículas são bem menores. Um exemplo clássico são as células da parede intestinal, que absorvem go- tículas de gordura, presentes no alimento ingerido. A exocitose, também denominada de clasmo- citose ou clasmatose, é o processo de eliminação de produtos para o exterior da célula, quer dizer, movimento contrário ao da endocitose. Como vimos anteriormente, as células intesti- nais absorvem gotículas de gordura do intestino para o seu interior por pinocitose e, depois, eliminam-nas por exocitose para a corrente sanguínea. IESDEBrasilS.A. Bactéria Membrana plasmática envolve o material a ser ingerido Pseudópode Fagossomo Fagocitose. Pequenas partí- culas dissolvidas em água Membrana plas- mática sofre a invaginação e en- globa o material a ser ingerido Pinossomo CitoplasmaCitoplasma Núcleo Núcleo Pinocitose. Citoplasma Consiste em um material gelatinoso que fica compreendido entre a membrana plasmática e o núcleo das células eucarióticas. Lembre-se que nas células procarióticas, como não existe núcleo indivi- dualizado, o citoplasma preenche todo o espaço in- terno, pois não é possível a observação do núcleo. Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 10. 6 EM_V_BIO_002 Na realidade o citoplasma é dividido didatica- mente em citosol (hialoplasma ou matriz citoplasmá- tica) e órgãos citoplasmáticos. O citosol é formado por água que dissolve mo- léculas orgânicas e íons, constituindo um coloide, devido ao tamanho das moléculas, gerando um as- pecto gelatinoso. Esse aspecto pode ser mais fluido ou menos fluido, o que caracteriza o coloide em estado sol ou estado gel. Normalmente, encontramos o hialoplas- ma no estado gel próximo à membrana plasmática e o estado sol no interior, perto do núcleo. Porém, a célula é capaz de modificar esse estado, o que permite a ela desempenhar determinadas funções como a fagocitose. No interior do citosol encontramos o citoes- queleto, que é formado por microtúbulos, pequenos tubos constituídos por uma proteína denominada de tubulina. Além dos microtúbulos, o citoesqueleto é for- mado por microfilamentos, que são constituídos por outro tipo de proteína, a actina, o que lhe confere a capacidade de contração. IESDEBrasilS.A. MP N CG REA REG Mit Lis Per M O citoesqueleto permite que a célula mantenha a sua estrutura, bem como a movimentação da mes- ma, como por exemplo, o movimento ameboide, a própria fagocitose, devido a capacidade de formar pseudópodes, por contração e expansão da actina. O citosol apresenta um movimento de corrente citoplasmática, denominada de ciclose, que é carac- terística de células vegetais e que também depen- dem da contração da actina. Essa corrente facilita a distribuição de substâncias. IESDEBrasilS.A. Citoplasma cortical Vacúolo Cloroplasto Parede celular Corrente citoplasmática Organelas citoplasmáticas No citoplasma encontramos várias organelas, cada qual apresentando uma função importante na célula. Elas serão comentadas a seguir, exceto a mitocôndria e os plastos que, por participarem de processos energéticos, serão comentados sepa- radamente. Ribossomos Os ribossomos são grânulos formados pela união de RNAr e proteínas. O RNAr (ribossomal) é um dos três tipos de RNAs que são transcritos na célula. O ribossomo é formado por duas subunidades de tamanhos e densidades diferentes, denominadas de subunidade maior e subunidade menor. Todo ser vivo celular possui ribossomos, sendo que os dos procariontes são menores do que os dos eucariontes. O ribossomo está envolvido na síntese de proteína (que estudaremos mais adiante) e pode estar livre no citoplasma ou aderido a uma rede de canais denominada de Retículo Endoplasmático Granular (REG). Quando vários ribossomos estão associados a um RNA para a montagem de várias proteínas, são denominados de polirribossomos ou polissoma. Normalmente, os ribossomos livres do citoplas- ma formam proteínas para uso da célula no citosol, enquanto que os aderidos do REG lançam as pro- teínas para o interior do retículo, sendo, por vezes, exportada para fora da célula. Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 11. 7 EM_V_BIO_002 IESDEBrasilS.A. Esquema de célula animal. Prof.P.Motta&T.Naguro/SPI. Micrografia eletrônica de varredura mostrando numerosos grânulos, que são os ribossomos. Foto colorida artificialmente. Citosol Retículo endoplasmático granulosoRibossomos IESDEBrasilS.A. Esquema simplificado de ribossomo. Subunidade menor Subunidade maior Retículo endoplasmático A microscopia eletrônica revelou uma série de canais em células eucarióticas, formados por vesícu- las achatadas ou cisternas, que são criadas a partir de invaginações da membrana plasmática. O retículo pode se apresentar de dois tipos. Um, com ribossomos aderidos, como vimos ante- riormente, denominado de granular. O outro, sem ribossomos, chamados de agranular. O primeiro está envolvido na síntese de proteí- nas, que podem ser utilizadas na própria célula, como na montagem de membranas, ou exportadas, como é o caso dos REG de células glandulares e produtoras de anticorpos. As substâncias presentes no REG podem se li- gar às proteínas produzidas nele, como, por exemplo, as glicoproteínas. Convém ressaltar que todas as proteínas produ- zidas no REG para a exportação passarão antes por um conjunto de vesículas achatadas denominadas de complexo golgiense. O retículo endoplasmático agranular (REA) não possui ribossomos, por isso não está ligado à síntese de proteínas. Porém, produz vários tipos de lipídios, como os fosfolípidios da membrana plasmá- tica, os hormônios sexuais, os corticosteroides etc. No fígado, as células hepáticas possuem REA bem desenvolvidos, o que permite o trabalho de desintoxicação promovida por estas células, devido ao fato de possuírem enzimas que incorporam hi- droxilas às substâncias tóxicas, favorecendo a sua eliminação. No músculo, o retículo liso é denominado de retículo sarcoplasmático e está envolvido no me- canismo de contração por meio do armazenamento e transporte de íons, cálcio e ATP. IESDEBrasilS.A. Núcleo Membrana Nuclear Ribossomo R.E. R.E. O retículo endoplasmático granular (REG) também é denominado de rugoso (RER) e o agra- nular (REA) de liso (REL). Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 12. 8 EM_V_BIO_002 Complexo golgiense É um conjunto de vesículas achatadas, presen- tes em células eucariontes, que apresenta várias funções, tais como: encapsulamento de proteínas formadas no•• REG; síntese de glicídios e mucopolissacarídeos•• que participam da formação da lamela média e parede celular dos vegetais, glicocálix, for- mação do muco protetor do sistema respirató- rio e digestivo, do ácido hialurônico etc; participa da formação do•• acrossomo (ex- tremidade anterior do espermatozoide) que contém a enzima hialuronidase. Essa enzima é importante no processo de fecundação, pois durante o mecanismo de formação do espermatozoide, as vesículas do complexo golgiense se fundem formando o acrossomo, que é a região anterior do espermatozóide. Essa região é pressionada contra a corona radiata (conjunto de células que protegem o ovócito) liberando a enzima, que ataca o ácido hialurônico. Esse ácido é o responsável pela manutenção da integridade da corona. Dessa maneira, a corona se desmonta, permitindo a entrada do espermatozoide. IESDEBrasilS.A. Lisossomos São responsáveis pela digestão intracelular e formados a partir de vesículas que se soltam do Complexo de Golgi. No seu interior existem enzimas ácidas denominadas de hidrolases ácidas que não atacam a própria membrana dos lisossomos por estas serem revestidas internamente por glicoproteínas. Após a ocorrência da fagocitose, o material incorporado pelo processo fica retido dentro de uma vesícula criada pela invaginação da membrana plas- mática, denominada de fagossomo. O lisossomo se liga ao fagossomo, formando o vacúolo digestivo ou heterofagossomo. Essa vesícu- la, formada pela união do lisossomo e do fagossomo, possui a partícula ingerida e as enzimas presentes no lisossomo. Durante o processo de digestão, as moléculas produzidas pelo processo são atravessadas para o hialoplasma, por meio da membrana do vacúolo digestivo. Terminada a digestão, o vacúolo que acumula o material que não for absorvido, transforma-se no vacúolo residual. Esse vacúolo pode se ligar à membrana plas- mática, promovendo a exocitose ou clasmocitose, ou permanecer no interior da célula. Como exemplo, temos os protozoários e as células do tecido nervoso, respectivamente. Pinocitose Fagocitose Clasmocitose Membrana plasmática Vesícula Fagocitótica ou Fagossomo Pinossomo ou Vesícula Pinocitótica Vacúolo residual Lisossomo Secundário ou Vacúolo DigestivoLisossomo Primário Endocitose IESDEBrasilS.A. Ocasionalmente, a falta de nutrientes pode promover o englobamento de organoides celula- res, que englobados pelos lisossomos formam os chamados vacúolos autofágicos e o fenômeno de autofagia. Além de suprir as necessidades nutri- cionais esse mecanismo é executado para troca de organelas velhas. Existe, também, um outro mecanismo digestório denominado de autólise. Ocorre quando do derra- mamento de enzimas lisossômicas no interior do citoplasma, promovendo a digestão de toda a célula e sua consequente morte. Esse mecanismo é acionado quando células velhas morrem, destruindo-se automaticamente, como acontece na metamorfose dos anfíbios, onde o processo é observado na redução da cauda do girino quando da transformação para o anfíbio adulto. Peroxissomos São vesículas presentes em todas as células eucariotas, que possuem enzimas capazes de rea- girem o oxigênio com o hidrogênio produzido por reações celulares, gerando peróxido de hidrogênio (H2 O2 ). Como o peróxido de hidrogênio é extrema- Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 13. 9 EM_V_BIO_002 mente tóxico, o peroxissomo produz a catalase, que o decompõe, liberando oxigênio. O peroxissomo também possui enzimas que promovem a oxidação dos ácidos graxos, para a res- piração celular e oxidação de substâncias tóxicas, como o álcool. O fígado possui uma grande quantida- de de peroxissomos, o que lhe confere a propriedade de oxidar várias substâncias durante o processo de filtragem dos nutrientes que são absorvidos no pro- cesso digestório. Glioxissomo Presente em células vegetais, promove a oxida- ção de lipídios em glicídios simples, armazenados nas sementes. Como durante essa oxidação existe sempre a produção do ácido glioxílico, o peroxissomo ganhou o nome especial de glioxissomo. Vacúolos São cavidades existentes nas células, originá- rias de invaginações da membrana plasmática ou de dilatações do retículo endoplasmático. Os protozoários de água doce possuem o vacúo- lo contrátil que elimina o excesso de água ganho pelo protozoário por osmose, visto que ele é hipertônico em relação à água. Com isso, o protozoário mantém o equilíbrio osmótico e elimina substâncias tóxicas, juntamente com a água. Os vegetais possuem o chamado vacúolo de suco celular que é grande e ocupa quase todo o volume da célula. Está ligado à função de armazena- mento de substâncias nutritivas, enzimas digestivas e controle osmótico. Convém lembrar que todas as células possuem vacúolos, que podem ser pequenos ou grandes, de- pendendo da célula. Membrana celulósica Vacúolo de suco celular Vacúolo de célula Plasmolizada Célula Túrgida IESDEBrasilS.A. Centríolo, cílio e flagelos Em células de origem animal existe um conjunto de dois cilindros, que formam um ângulo reto entre si, denominado de centríolo. O centríolo é formado por microtúbulos de pro- teína com organização cilíndrica, de modo que cada centríolo apresenta nove trincas de microtúbulos. Nas células encontramos normalmente dois centríolos, formando um ângulo reto entre eles, em forma de cruz. São responsáveis pela organização dos fusos acromáticos, cílios e flagelos, e são capazes de se multiplicar a partir da orientação de microtúbulos do citoplasma. Os cílios e flagelos são estruturas semelhantes que participam da movimentação de células, como os protozoários, algumas algas e estruturas de células animais, como o epitélio interno do sistema respira- tório (cílios) e o espermatozoide (flagelo). Apresentam configuração cilíndrica, com nove pares de microtúbulos periféricos e um par central. A diferença entre eles consiste, fundamental- mente, no tamanho e quantidade. Os cílios são cur- tos e numerosos, enquanto os flagelos são longos e encontrados em pequena quantidade. IESDEBrasilS.A. Centríolo Microtúbulos de proteína Um processo no qual uma célula engloba partículas1. do meio externo, em geral, na forma de gotículas, denomina-se: osmose.a) fagocitose.b) pinocitose.c) endomixia.d) difusão facilitada.e) Solução:`` C A pinocitose é o processo de endocitose de gotículas. Convém lembrar que gotículas de gordura não são transportadas por osmose. Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 14. 10 EM_V_BIO_002 (UFMG) A célula de uma planta aquática que necessite2. manter sua concentração de íons Na+ mais elevada que a do meio circundante utilizará, normalmente, o processo de: difusão.a) fagocitose.b) osmose.c) pinocitose.d) transporte ativo.e) Solução:`` E Para que uma célula mantenha a sua concentração diferente do meio, terá sempre que manter o transporte ativo, pois a tendência, caso isso não ocorra, será igualar os meios por difusão. Solução:`` D O transporte de substâncias dentro da célula é responsa- bilidade de uma rede de canais denominada de retículo endoplasmático. Um material sintetizado por uma célula é “empacotado”5. para ser secretado para o meio externo no: retículo endoplasmático.a) Complexo de Golgi.b) lisossomo.c) nucléolo.d) vacúolo secretor.e) Solução:`` B O Complexo de Golgi, modernamente denominado de complexogolgiense,éoresponsávelpeloempacotamento de substâncias sintetizadas no retículo endoplasmático, seja granular ou agranular. A digestão de partículas intracelulares é função dos lisos-6. somos, que possuem em enzimas proteases ácidas. “A silicose é uma doença muito comum em trabalhadores que trabalham com amianto. Um dos componentes do amianto é a sílica, uma substância inorgânica que forma minúsculos cristais que podem se acumular nos pulmões. As células dos alvéolos pulmonares afetadas por estes cristais acabam sofrendo autólise”. Essa doença está relacionada com organoides citoplasmáticos denominados: plastos.a) lisossomos.b) dictiossomos.c) mitocôndrias.d) centríolos.e) Solução:`` B A silicose acaba provocando a autólise lisossômica e consequente destruição alveolar. Se um micro-organismo penetra no organismo3. imediata­mente, células de defesa irão fazer fagoci- tose para destruir o inimigo. Sabemos que a mitose feita por essas células para aumentar o número de combatentes ocorre a uma razão de 102 /s. Logo, se a cada 1 segundo o número de células aumenta nessa razão e que no processo inicial (1.º segundo) existem, aproximadamente, 1 100 células por mm de sangue, quantas células existirão, aproximadamente, após 10 minutos? Solução:`` O problema leva a uma PA 10 minutos = 600 segundos a600 = 1 100 + (599) . 100 a600 = 1 100 + 59 900 a600 = 61 000 a600 = 6,1 . 103 células A função de transporte dentro da célula é exercida:4. pelos lisossomos.a) pelos ribossomos.b) pelas mitocôndrias.c) pelo retículo endoplasmático.d) pelo Complexo de Golgi.e) O retículo endoplasmático liso entre as suas várias7. funções, encontra a de transporte. Vários íons são conduzidos por esse sistema, como por exemplo, o cálcio. Se considerarmos que a distância entre a membrana plasmática e o núcleo é de 10 micrômetros e que um Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 15. 11 EM_V_BIO_002 (Fuvest) A tabela a seguir compara a concentração de1. certos íons nas células de Nitella e na água do lago onde vive essa alga. Concentração de íons em mg/L Na+ K+ Mg2+ Ca2+ Cl– Células 1980 2400 260 380 3750 Água do lago 28 2 36 26 35 Os dados permitem concluir que as células dessa alga absorvem: esses íons por difusão.a) esses íons por osmose.b) esses íons por transporte ativo.c) alguns desses íons por transporte ativo e outros pord) osmose. alguns desses íons por difusão e outros por osmose.e) (Fuvest) O gráfico a seguir mostra as concentrações re-2. lativas de alguns íons no citoplasma da alga verde Nitella e na água circundante. A partir dos conhecimentos sobre permeabilidade da membrana celular, qual a melhor interpretação para os dados mostrados no gráfico? Concentração na água Concentração no citoplasma Concentração Na+ K+ Ca++ Mg++ C Os íons difundem-se espontaneamente através daa) membrana. A diferença de concentração iônica deve-se à os-b) mose. A diferença de concentração iônica se deve à pi-c) nocitose. A carga elétrica atrai os íons para dentro da célula.d) Ocorre transporte ativo dos íons através da mem-e) brana. (Unirio) Algumas pessoas, após constatarem que o feijão3. que prepararam ficou muito salgado, colocam pedaços de batatas para torná-lo menos salgado. Durante esse procedimento, ocorre o seguinte processo no caldo do feijão: o sal passa para a batata por osmose, diminuindoa) o gosto salgado. o amido da batata, pela fervura, é transformado emb) glicose, “adoçando” o feijão. o sal, passa, por transporte ativo, para a batata, di-c) minuindo o gosto salgado. o amido da batata se dissolve, diminuindo o gostod) salgado. o sal se difunde pela batata, diminuindo sua con-e) centração. (Fuvest) Medidas da concentração de íons de sódio4. (Na+ ) e de potássio (K+ ), dentro e fora dos neurônios gigantes de lula, revelaram os seguintes valores: [Na+ ] no citoplasma = 50 [Na+ ] no meio extracelular = 440 [K+ ] no citoplasma = 400 [K+ ] no meio extracelular = 20 Se os neurônios são expostos a um bloqueador respiratório, como o cianeto, a concentração de sódio rapidamente se iguala dentro e fora da célula, o mesmo ocorrendo com o potássio. Em condições normais, qual o mecanismo responsável pela manutenção da diferença entre as concentrações iônicas dentro e fora do neurônio? Difusão, pelo qual íons podem atravessar a mem-a) brana espontaneamente. Osmose, pelo qual apenas a água atravessa a mem-b) brana espontaneamente. Transporte ativo, pelo qual íons atravessam a mem-c) brana com gasto de energia. Fagocitose, pelo qual a célula captura partículasd) sólidas. Pinocitose, pelo qual a célula captura gotículas.e) (Fuvest) Na figura a seguir, as setas numeradas indicam5. o sentido do fluxo de água em duas células. íon demora para ser transportado da membrana até o núcleo o tempo de 10 -5 s, devemos supor que a velocidade média desse íon será de: Solução:`` VM = ΔΣS ΔΣT VM = 10-5 10-5 → → VM = 10-1 mm/s Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 16. 12 EM_V_BIO_002 Qual das alternativas identifica corretamente os proces- sos responsáveis pelos fluxos indicados? I - osmose, II - osmose, III - osmose.a) I - osmose, II - osmose, III - transporte ativo.b) I - osmose, II - transporte ativo, III - transporte ativo.c) I - transporte ativo, II - transporte ativo, III - osmose.d) I - transporte ativo, II - transporte ativo, III - trans-e) porte ativo. (Unirio) Se colocarmos uma célula animal e outra vegetal6. em uma solução de NaCl a 1,5%, observaremos que: ambas as células permanecem intactas por estarema) mergulhadas em uma solução isotônica. as duas perdem água por osmose e, enquanto ab) célula animal arrebenta num fenômeno denominado de plasmoptose, a célula vegetal sofre turgência. as duas perdem água por osmose e, enquanto ac) célula animal murcha, ficando com a superfície en- rugada, a célula vegetal sofre plasmólise. o volume de ambas as células aumenta devido à en-d) trada de água por osmose e, enquanto a célula ani- mal sofre hemólise, a célula vegetal sofre turgência. ao serem colocadas em uma solução hipertônica, ae) célula animal perde água e murcha, enquanto que a célula vegetal, protegida pela parede celular, per- manece intacta. (UFF) A representação a seguir indica as concentrações7. intra e extracelulares de sódio e potássio relativas a uma célula animal típica. K+ 145mM Na+ 20mM Célula animal K+ 5mM Na+ 150mM Compartimento extracelular Observou-se, em uma experiência, que as concentrações de sódio nos dois compartimentos se tornaram aproximadamente iguais, o mesmo acontecendo com as concentrações de potássio. Neste caso poderia ter ocorrido: uma inibição do processo de difusão facilitada.a) a utilização de um inibidor específico da bomba deb) cálcio. um estímulo ao processo de osmose.c) a utilização de um ativador específico da bomba ded) sódio e potássio. a utilização de um inibidor da cadeia respiratória.e) (PUC-Campinas) Nos protozoários de água doce,8. embora a água passe continuamente do meio externo para o citoplasma, o meio interno tende a permanecer constante graças à ação dos vacúolos contráteis. O esquema abaixo indica o sentido em que a água se move em uma ameba, passando do meio externo para o citoplasma e deste para o vacúolo contrátil. I II Os processos responsáveis pelos movimentos I e II são, respectivamente: osmose e transporte ativo.a) difusão e osmose.b) transporte ativo e pinocitose.c) pinocitose e fagocitose.d) fagocitose e difusão.e) (Cesgranrio) No que diz respeito à osmose, em condi-9. ções normais, podemos fazer a seguinte afirmação: as hemácias dos mamíferos são hipotônicas em re-a) lação ao sangue e à linfa. as células dos animais superiores são isotônicas emb) relação ao sangue e à linfa. os paramécios, com vacúolo pulsátil, são isotônicosc) em relação ao meio ambiente. os unicelulares, com vacúolo pulsátil, são hipotôni-d) cos em relação ao meio ambiente. os unicelulares de água salgada são geralmente hi-e) potônicos em relação ao meio ambiente. (PUC-Campinas) As características estruturais e a com-10. posição química das membranas celulares conferem- lhes permeabilidade: seletiva.a) somente às substâncias iônicas.b) somente às substâncias moleculares.c) Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 17. 13 EM_V_BIO_002 somente à água e a outras substâncias inorgânicas.d) a todas as substâncias.e) (UFF) Diversas espécies de peixes modificam a cor da11. pele quando submetidas a algumas variações do meio ambiente. As células responsáveis por essa alteração contêm grânulos de pigmentos que se espalham por toda a célula ou se agregam numa posição mais central da mesma, em resposta a estímulos hormonais ou nervosos. Assinale a opção que indica, corretamente, as estruturas celulares responsáveis pela movimentação dos grânulos de pigmentos no citoplasma. Desmossomos.a) Dictiossomos.b) Glioxissomos.c) Microtúbulos.d) Ribossomos.e) (Fuvest) Um antibiótico que atue nos ribossomos12. mata: bactérias por interferir na síntese de proteínas.a) bactérias por provocar plasmólise.b) fungos por interferir na síntese de lipídios.c) vírus por alterar DNA.d) vírus por impedir recombinação gênica.e) (PUC-Campinas) Nos eritroblastos ocorre intensa13. síntese de hemoglobina. Essa síntese relaciona-se diretamente com o Complexo de Golgi.a) os centríolos.b) as mitocôndrias.c) os lisossomos.d) os ribossomos.e) (PUC-Campinas) Considere os seguintes eventos numa14. célula produtora de mucopolissacarídeos: Síntese de polipeptídeos.I. Combinação de açúcares com polipeptídeos.II. Formação dos grãos de secreção.III. O Complexo de Golgi é responsável apenas por: Ia) IIb) IIIc) I e IId) II e IIIe) (PUC-Campinas) Células endodérmicas indiferencia-15. das e totipotentes da gástrula dos vertebrados podem originar células altamente especializadas, como é o caso das células dos ácinos pancreáticos que secretam enzimas digestivas. Os grânulos de secreção dessas células são liberados a partir: do retículo endoplasmático.a) do sistema golgiense.b) das mitocôndrias.c) dos lisossomos.d) dos ribossomos.e) (PUC Minas) Observe a figura a seguir, que representa16. o corte transversal de um cílio de um protozoário: A estrutura apontada pela seta corresponde: ao microtúbulo.a) à unidade de membrana.b) ao feixe esquelético calcificado.c) ao tecido conjuntivo fibroso.d) a uma fibra conjuntiva elástica.e) (Mackenzie) Células musculares, células glandulares e17. células de um microrganismo de água doce, deverão ter bem desenvolvidas as seguintes organelas, respec- tivamente: cloroplastos, mitocôndrias e centríolos.a) Complexo de Golgi, retículo endoplasmático liso eb) lisossomos. mitocôndrias, complexo de Golgi e vacúolo contrátil.c) retículo endoplasmático rugoso, mitocôndrias ed) Complexo de Golgi. centríolos, vacúolo contrátil e lisossomos.e) (Fuvest) Alimento proteico marcado com radioatividade18. foi fagocitado por paramécios. Poucos minutos depois, os paramécios foram analisados e a maior concentração de radiatividade foi encontrada: nos centríolos.a) Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 18. 14 EM_V_BIO_002 nas mitocôndrias.b) na carioteca.c) no nucléolo.d) no retículo endoplasmático.e) (PUC-Campinas) Observe a figura a seguir.19. A organela citoplasmática envolvida no processo nela esquematizado é denominada: ribossomo.a) lisossomo.b) centríolo.c) mitocôndria.d) cloroplasto.e) (Fuvest) A figura a seguir indica as diversas etapas do20. processo que uma ameba realiza para obter alimento. A organela que se funde ao fagossomo contém: produtos finais da digestão.a) enzimas que sintetizam carboidratos.b) enzimas digestivas.c) enzimas da cadeia respiratória.d) reservas energéticas.e) (UFPR) Sobre células, organelas celulares e suas fun-21. ções, é correto afirmar que: (01) As mitocôndrias estão presentes tanto em células animais quanto em vegetais e são responsáveis pela produção de energia. (02) Lisossomas são organelas responsáveis pela diges- tão intracelular. (04) Numa célula onde se processa intensa síntese de proteínas encontra-se bastante desenvolvido o retí- culo endoplasmático granular ou rugoso. (08) Um organismo multicelular que produza gás carbô- nico e água a partir da glicose apresenta obrigatoria- mente cloroplastos. (16) A remoção dos centríolos de uma célula impede o processo da fotossíntese. (32) Os ribossomos podem ser encontrados aderidos ao retículo endoplasmático agranular ou liso. (64) Entende-se por permeabilidade seletiva o controle de entrada e saída de substâncias da célula, feito pela membrana celular. A seguir, escreva no espaço apropriado a soma dos itens corretos. Soma ( ) (Mackenzie) Observe o desenho e assinale a alterna-22. tiva que preenche corretamente os espaços da frase a seguir. A organela indicada no desenho é o ............., responsável pela eliminação do excesso de ............. que entra por ............. em uma célula que vive em um meio ............. em relação ao seu citoplasma. vacúolo pulsátil; água; osmose; hipotônico.a) vacúolo digestivo; sais minerais; osmose; hipertônico.b) vacúolo pulsátil; água; transporte ativo; hipertônico.c) vacúolo digestivo; sais minerais; difusão; hipertônico.d) vacúolo pulsátil; sais minerais; transporte ativo; hi-e) pertônico. (UFMG) A doença de23. Tay-Sachs é hereditária e provoca retardamento mental grave e morte do paciente na in- fância. Essa doença é devida à incapacidade das células de digerir uma substância cujo acúmulo é responsável pelas lesões no Sistema Nervoso Central. Com base nessas informações, pode-se afirmar que a organela celular cuja função está alterada nessa doença é: a mitocôndria.a) o Complexo de Golgi.b) o lisossomo.c) o retículo endoplasmático rugoso.d) Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 19. 15 EM_V_BIO_002 (Unirio) Tendo sua origem na fase de maturação do24. Complexo de Golgi, os lisossomas são corpúsculos ci- toplasmáticos arredondados, pequenos, e que possuem grande quantidade de proteínas no seu interior. Assim, podemos afirmar que os lisossomas estão ligados à função de: digestão intracelular.a) síntese de proteínas.b) complexação de lipídeos.c) coagulação sanguínea.d) reserva de glicogênio.e) (UFSC) Um tecido de determinado animal tem uma alta25. atividade fagocitária; portanto, a organela encontrada em maior quantidade nesse tecido é a denominada: mitocôndria.a) Complexo de Golgi.b) lisossoma.c) ribossoma.d) retículo endoplasmático.e) (PUC-Campinas) Silicose, doença frequente em ope-26. rários que trabalham em pedreiras, é um exemplo de consequência da autólise celular. A sílica, que se mistura ao ar inspirado, destrói determinados componentes celulares, cujas enzimas resultam na morte das células pulmonares. Os componentes celulares diretamente afetados pela sílica são: os ribossomos.a) os centríolos.b) os lisossomos.c) as mitocôndrias.d) os peroxissomos.e) (PUC Minas) Autofagia e autólise:27. são denominações diferentes para o mesmo fenô-a) meno. são fenômenos diferentes, sendo que, no primeiro,b) a célula capta partículas nutritivas do meio extra- celular. são fenômenos diferentes, sendo que, no segundo,c) a célula é destruída pela ruptura dos lisossomos. constituem o mesmo tipo de fenômeno, em que ad) célula busca alimento no meio extracelular. constituem o mesmo tipo de fenômeno, sendo quee) o primeiro corresponde à fagocitose e o segundo, à pinocitose. (Fuvest) Células animais, quando privadas de alimento,28. passam a degradar partes de si mesmas como fonte de matéria-prima para sobreviver. A organela citoplasmática diretamente responsável por essa degradação é: o aparelho de Golgi.a) o centríolo.b) o lisossomo.c) a mitocôndria.d) o ribossomo.e) (PUC Minas) A modelagem dos dedos do embrião29. humano ocorre por destruição da membrana que une os dedos e que é semelhante inicialmente ao pé de um pato, muito útil no processo de natação. Esse processo de destruir essa membrana, que ocorre pela ação dos lisossomos, é denominado de: hemólise.a) plasmólise.b) autólise.c) autofagia.d) heterofagia.e) (PUC-SP) No interior da célula, o ATP produzido em um30. processo (I) é utilizado na síntese de enzimas digestivas (II) e no mecanismo de digestão de partículas fagocita- das (III).Três componentes celulares relacionados direta e respectivamente com I, II e III são: mitocôndria, ribossomo e lisossomo.a) mitocôndria, cromossomo e lisossomo.b) cloroplasto, cromossomo e lisossomo.c) cloroplasto, lisossomo e ribossomo.d) cromossomo, mitocôndria e ribossomo.e) (Fuvest) A hipótese de que os cloroplastos e as mito-31. côndrias tenham surgido através de uma associação simbiótica de um eucarioto primitivo com, respectiva- mente, bactérias fotossintetizantes e bactérias aeróbicas, é reforçada pelo fato daquelas organelas celulares: serem estruturas equivalentes, com grande super-a) fície interna. apresentarem DNA próprio.b) estarem envolvidas, respectivamente, na produçãoc) e consumo de oxigênio. apresentarem tilacoides e cristas como as bactérias.d) serem encontradas tanto em organismos superio-e) res como inferiores. Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 20. 16 EM_V_BIO_002 (PUC-Campinas) O corante I é específico para DNA e o32. corante II para RNA. Um pesquisador usou esses dois corantes em células fixadas e observou sua ação sobre algumas organelas citoplasmáticas. Assinale, no quadro a seguir, a alternativa que representa os possíveis resultados obtidos por esse pesquisador (o sinal + significa reação positiva e o sinal - negativa). RIBOSSOMOS COMPLEXO DE GOLGI MITOCÔNDRIAS corante I corante II corante I corante II corante I corante II a) + + + – – – b) + + – + + – c) + ± – + – + d) – + – – + + e) – – + + + – (PUC-Campinas) “Captura aminoácidos que se encon-33. tram dissolvidos no citoplasma e carrega-os ao local da síntese de proteínas”. Essa função é desempenhada pelo: RNA mensageiro.a) RNA transportador.b) RNA ribossômico.c) ribossomo.d) DNA.e) (Unesp) O corante I é específico para identificar a pre-34. sença de DNA e o corante II é específico para RNA. Numa experiência, foram usados esses dois corantes em dois tipos diferentes de organelas citoplasmáticas fixadas e observou-se a ação deles. Qual a alternativa no quadro a seguir que representa corretamente os resultados esperados dessa experiência, sabendo-se que os sinais (+) e (-) representam, respectivamente, a presença e a ausência de um ácido nucleico? RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO RUGOSO MITOCÔNDRIAS Corante I Corante II Corante I Corante II a) + + – + b) + – + + c) – + – – d) – + + + e) – – + – (Unirio) Censores do Genoma / RNA de Interferência35. (RNAi) “Quasetodasascélulasanimaisevegetaisapresentamum mecanismo interno que utiliza formas distintas do RNA, a moléculamensageiragenética,paranaturalmentesilenciar determinados genes. Esse mecanismo se desenvolveu tanto para proteger as células de genes hostis como para regular a atividade de genes normais durante o crescimento e desenvolvimento. Novos medicamentos poderão ser desenvolvidos para explorar o mecanismo do RNAi na prevenção e no tratamento de doenças.” (Scientific American-Brasil, 2003.) Uma das formas distintas de RNA citada no texto, que participa do silenciamento dos genes é um tipo de RNA de filamento duplo, cujo emparelhamento das bases obedece ao critério padrão (base púrica e base pirimídica). Neste tipo de molécula, a relação entre suas bases nitrogenadas é: (U + C) / (G + A) = 1a) (U + A) / (C + G) = 1b) (T + C) / (A + G) > 1c) (T + C) / (A + G) = 1d) (U + C) / (A + G) · 1e) (Unirio) Uma das hipóteses mais amplamente aceitas36. na biologia considera que mitocôndrias e cloroplastos se originaram de uma relação mutualística entre pro- cariontes e eucariontes primitivos. Qual das seguintes observações constituiria evidência correta para apoiar essa hipótese? As mitocôndrias são responsáveis pela respiração,a) e os cloroplastos, pela fotossíntese. Mitocôndrias e cloroplastos apresentam ribosso-b) mas, que são responsáveis pela síntese proteica. Cloroplastos e mitocôndrias são organelas mem-c) branosas presentes no citoplasma da célula. Essas organelas apresentam enzimas responsáveisd) por reações de oxidação e redução de moléculas. Tanto mitocôndrias quanto cloroplastos apresentame) DNA circular, distinto do DNA do núcleo. (PUC-Rio) “A capacidade de errar ligeiramente é a37. verdadeira maravilha do DNA. Sem esse atributo espe- cial, seríamos ainda bactéria anaeróbia, e a música não existiria [...]. Errar é humano, dizemos, mas a ideia não nos agrada muito, e é mais difícil ainda aceitar o fato de que errar é também biológico”. (THOMAS, Lewis. A Medusa e a Lesma. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1979.) Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 21. 17 EM_V_BIO_002 Esse texto refere-se a uma característica dos seres vivos. É ela: seleção natural.a) reprodução.b) excitabilidade.c) excreção.d) mutação.e) (UFF) Considere a experiência relatada a seguir:38. Incubaram-se células de camundongo com anticor-•• pos marcados com rodamina (fluorescência verme- lha), os quais reagem com proteínas de membrana de células de camundongo. Incubaram-se células humanas com anticorpos•• marcados com fluoresceína (fluorescência verde), os quais reagem com proteínas de membrana de células humanas. Promoveu-se a fusão das células de camundongo•• com as células humanas, ambas já ligadas aos anticorpos. Observaram-se, ao microscópio de fluorescência,•• as células híbridas formadas logo após a fusão e quarenta minutos depois. Com base nessas informações, conclui-se que a membrana citoplasmática tem características: elásticas.a) glicolipoproteicas.b) fluidas.c) rígidas.d) semipermeáveis.e) (Puc-Campinas) Muitas membranas celulares contêm39. apreciável quantidade de ésteres de ácidos graxos insaturados, derivados do ácido fosfórico e proteínas. Essas substâncias têm na membrana, uma distribuição definida, isto é, cadeias hidrofóbicas se estendem para dentro de uma bicamada e os grupos hidrofílicos são orientados para fora em contato com a água. cabeça – grupos hidrofílicos cauda – grupos hidrofóbicos Devem fazer parte da “cabeça” e da “cauda”, respectivamente, grupos polares e grupos fosfóricos.a) longas cadeias carbônicas e grupos polares.b) grupos polares e longas cadeias carbônicas.c) longas cadeias carbônicas e grupos apolares.d) grupos apolares e grupos polares.e) (PUC-Rio) A análise da composição dos nucleotídeos40. do ácido nucleico, que constitui o material genético de quatro diferentes organismos, mostrou o seguinte resultado: Molécula I II III IV Adenina(A) 23,3 17,3 23,5 23,5 Guanina(G) 26,7 40, 5 14,3 26,5 Timina(T) 23,5 28,8 0 0 Citosina(C) 26,5 14 35,5 26,7 Uracila(U) 0 0 22,7 23,3 Com base nos resultados, marque a afirmativa correta em relação à identificação das moléculas. I é uma molécula de DNA, porque tem o mesmoa) percentual de A e T e de G e C. I e III são moléculas que contêm somente uma fitab) de nucleo­tídeos. IV é uma molécula de RNA, cópia de uma das fitasc) da molécula I. II e IV são moléculas responsáveis pela traduçãod) proteica. III é uma molécula RNA de fita dupla.e) (Mackenzie) O esquema a seguir representa o modelo41. de organização molecular da membrana plasmática. Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 22. 18 EM_V_BIO_002 Assinale a alternativa INCORRETA: Esse mesmo tipo de membrana é encontrado ema) organelas citoplasmáticas. 1 indica a camada de fosfolipídios.b) 2 indica proteína responsável pelo transporte dec) certas substâncias que atravessam a membrana. Trata-se da membrana de uma célula eucariota, jád) que nas células procariotas há apenas uma camada de fosfolipídios. 3 indica carboidrato que forma o glicocálix.e) (UFF) Três amostras idênticas de células animais foram1. colocadas, cada uma, respectivamente, nas soluções X, Y e Z cujas concentrações salinas são distintas. A variação do volume celular, acompanhada ao longo de certo tempo, está representada no gráfico a seguir. VOLUMECELULAR X Y Z TEMPO Classifique, quanto à tonicidade, as soluções X, Y e Z. Justifique sua resposta. (UFRJ) As halobactérias são classificadas como halófilas2. extremas porque vivem em ambientes com uma concen- tração muito alta de Na+ . Nessas bactérias, ao contrário do que ocorre na maioria das células, existem sistemas enzimáticos que bombeiam o K+ para o seu interior de tal forma que [K+ ] interior > [Na+ ] exterior. Em geral, nas ou- tras espécies de micro-organismo, essas concentrações são iguais. De que forma o mecanismo de concentração de K+ é importante para as halobactérias? (UERJ) Num experimento sobre absorção intestinal3. foi utilizado o seguinte procedimento: fechar um pedaço de alça intestinal em uma das•• extremidades, formando um saco; virar o saco, expondo a mucosa para o lado externo;•• colocar solução salina no interior do saco;•• mergulhá-lo, parcialmente, numa solução salina•• idêntica, porém acrescida de glicose; medir, em função do tempo, a variação da concen-•• tração da glicose na solução externa, mantendo as condições adequadas; adicionar, em um determinado momento T, à solução•• externa, cianeto de sódio, um forte inibidor da cadeia respiratória mitocondrial. O resultado deste experimento está representado por uma das curvas do gráfico a seguir. 1 2 3 4 TEMPOT CONCENTRAÇÃODEGLICOSE A curva que representa as variações da concentração de glicose na solução em que o saco foi mergulhado é a de número: 1a) 2b) 3c) 4d) (UFRJ) Na membrana citoplasmática existe uma4. proteína que faz o transporte ativo (com gasto de ATP) de Na+ para fora da célula. Outro tipo de proteína da membrana funciona como uma espécie de portão que pode abrir ou fechar, permitindo ou não a passagem do Na+ . Com o portão fechado, o Na+ acumula-se do lado de fora da célula, o que aumenta a pressão osmótica externa, compensando a grande concentração de soluto orgânico no citoplasma. Isso evita a entrada excessiva de água por osmose. Que estrutura celular torna menos importante essaa) função de equilíbrio osmótico do Na+ nas células vegetais? Justifique sua resposta. Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 23. 19 EM_V_BIO_002 Entre as duas proteínas descritas, qual delas permi-b) te o movimento do Na+ a favor do seu gradiente de concentração? Justifique. (Unicamp) Foi feito um experimento utilizando a epi-5. derme de folha de uma planta e uma suspensão de hemácias. Esses dois tipos celulares foram colocados em água destilada e em solução salina concentrada. Observou-se ao microscópio que as hemácias, em pre- sença de água destilada, estouravam e, em presença de solução concentrada, murchavam. As células vegetais não se rompiam em água destilada, mas em solução salina concentrada notou-se que o conteúdo citoplas- mático encolhia. A que tipo de transporte celular o experimento estáa) relacionado? Em que situação ocorre esse tipo de transporte?b) A que se deve a diferença de comportamento dac) célula vegetal em relação à célula animal? Explique a diferença de comportamento, considerando as células em água destilada e em solução concen- trada. (UERJ) Colocando-se hemácias humanas em diferentes6. soluções com concentrações iônicas variáveis, pode-se exemplificar a influência que o grau de permeabilidade da membrana plasmática à água exerce sobre a célula. As consequências desse experimento estão demons- tradas nos esquemas adiante. O esquema que representa o comportamento da hemácia, ao ser colocada em um meio hipertônico, é o de número: 1a) 2b) 3c) 4d) (UFRJ) O diagrama a seguir mostra como se passa a7. absorção de glicose e de Na+ numa célula do epitélio intestinal. As células possuem um transportador que liga-se simultaneamente a estes solutos e os transfere para o citoplasma. Em seguida, a membrana plasmática, que contém bombas de sódio (enzima Na+ /K+ ATPase), ativamente transporta o Na+ para o sangue. Transportador Glicose LUZ INTESTINAL Glicose Glicose SANGUE Epitélio Intestinal Na+ Na+ Na+ Em casos severos de desidratação como, por exemplo, no cólera, ocorre tanto a perda de água quanto a de Na+ . Examinando o diagrama, explique por que, nesses casos, a reposição de água é feita com mistura de açúcar e sal, ao invés de água pura. (UFRJ) Para investigar a dinâmica de biossíntese de uma8. proteína transportadora de glicose com relação às várias organelas de uma célula, um pesquisador incubou as células com um meio de cultura contendo um aminoá- cido marcado com carbono-14 (radioativo). Após um período de incubação, o pesquisador tomou amostras das células em cultura, isolou as várias organelas e contou a radioatividade de cada uma. As organelas analisadas foram: núcleo, ribossomas, mitocôndrias e membrana plasmática. Identifique a organela que, inicialmente, apresentoua) radioatividade mais alta. Justifique sua resposta. Ao final do período de incubação, qual organelab) apresentou radioatividade mais alta? Justifique sua resposta. (UFF) O gráfico mostra a velocidade de transporte,9. através da membrana celular, das substâncias S1 e S2 em função da concentração destas substâncias. Velocidadedotransporte S1 Concentração da Substância S2 Assinale, nos parênteses correspondentes, todaa) alternativa que indica o mecanismo de transporte revelado pelo gráfico acima. A substância S( )( 2 é transportada por difusão simples e o transporte de S1 se faz ativamente. O transporte da substância S( )( 2 é mediado por car- reador. A substância S( )( 1 é transportada por difusão simples. Explique cada escolha feita no item anterior.b) Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 24. 20 EM_V_BIO_002 (UERJ) Em condições adequadas, células foram incu-10. badas com as substâncias A e B. A partir do momento inicial do experimento - tempo zero, foram medidas as concentrações intra e extracelulares e estabelecida a re- lação C(intra) / C(extra), para cada substância A e B. O gráfico a seguir mostra a variação dessas relações em função do tempo de incubação. Tempo Cinfra /Cextra 3,0 2,5 2,0 1,5 1,0 0,5 0,0 A B Cextra – concentração extracelular Cintra – concentração intracelular Cite os tipos de transporte das substâncias A e B,a) respectivamente, através da membrana plasmática. Justifique sua resposta. O cianeto de sódio é um inibidor da síntese de ATPb) na célula. Indique a consequência de sua presença no transporte da substância A e da substância B. A partir da análise do texto e da figura, responda às questões propostas. Que tipo de transporte é utilizado para manter asa) concentrações altas de iodeto no interior da célula? De que forma o retículo endoplasmático rugoso eb) o Complexo de Golgi participam na produção de tireoglobulina? (Unicamp) A mudança na cor da pele de algumas13. espécies de peixes se deve ao deslocamento, ao longo dos microtúbulos, de grânulos de pigmentos que podem agregar-se no centro da célula ou dispersar-se pelo citoplasma. O que são microtúbulos? Qual sua composiçãoa) química? Apresente um outro exemplo de função desempe-b) nhada pelos microtúbulos, explicando seu papel. Para que o peixe muda de cor?c) (UERJ) Células hepáticas, adequadamente rompidas,14. foram separadas, por centrifugação, em quatro frações particuladas e uma fração solúvel. Cada uma das frações particuladas apresentava predo- minância, respectivamente, de núcleos, mitocôndrias, lisossomas ou microssomas. Admita que todas as frações tenham sido incuba-a) das com concentrações iguais de ácido pirúvico marcado com carbono radioativo (14 C). Nomeie a fração que deverá produzir, nesta con- dição, maior quantidade de (14 C), quando em ae- robiose, e cite as etapas da respiração aeróbica envolvidas em tal produção. Indique a fração que poderá, em condições ade-b) quadas, sintetizar proteínas do citosol, nomeando os tipos de ácido ribonucleicos necessários para a síntese. (Unesp) Sabe-se que o alcaloide colchicina é um inibidor15. da divisão mitótica, cuja ação impede a formação das fibras do fuso. Calcule a pressão osmótica, a 27ºC, de uma solução11. aquosa que contém 6g de glicose (M = 180g) em 820ml de solução (admita conhecido o valor de R). (UFRJ) A membrana basal das células tireoideanas tem a12. capacidade específica de bombear iodeto para o interior da célula. Isso é chamado de sequestro de iodeto. Na glândula normal, a bomba de iodeto é capaz de concen- trar o iodeto até cerca de 30 vezes sua concentração no sangue. Quando a glândula tireoide está em sua atividade máxima, a proporção entre as concentrações pode chegar a um valor de até 250 vezes. [...] O retículo endoplasmático e o Complexo de Golgi sintetizam e secretam para dentro dos folículos uma grande molécula glicoproteica chamada de tireoglobulina. Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 25. 21 EM_V_BIO_002 Com base nessas informações, responda: Até que fase a mitose se processaria normalmentea) em uma célula diploide tratada com a colchicina? Justifique sua resposta. Nesse caso, qual seria o número cromossômicob) resultante do processo de divisão? Justifique sua resposta. (Unicamp) A figura a seguir mostra o esquema do corte16. de uma célula, observado ao microscópio eletrônico: A célula é proveniente de tecido animal ou vegetal?a) Justifique. Se essa célula estivesse em intensa atividade deb) síntese proteica, que organelas estariam mais de- senvolvidas ou presentes em maior quantidade? Por quê? (UERJ) Sabemos que o citoesqueleto forma um arca-17. bouço interno de sustentação das células. A análise da capacidade de resistência à distensão dos microtúbulos, dos filamentos intermediários e dos filamentos de actina presentes nesse arcabouço nos permite chegar aos resultados mostrados no gráfico. microtúbulos filamento intermediário filamento de actina ponto de ruptura FORÇA DE DEFORMAÇÃO DEFORMAÇÃO Com base nos dados apresentados e no conhecimento das características morfofuncionais do citoesqueleto, cite: o componente que apresenta maior resistência aoa) estresse mecânico e a consequência que a sua ruptura traz para a célula. a localização e a função dos filamentos de actinab) nas miofibrilas das fibras musculares estriadas. (UFF) O esquema a seguir representa a participação18. de organelas no transporte de proteínas de uma célula eucariótica. Nomeie as estruturas indicadas, respectivamente,a) pelos números 1, 2, 3, 4, e 5, identificando as or- ganelas envolvidas na síntese de enzimas lisosso- mais. Cite uma função de cada uma das estruturas 1, 2 e 5.b) (Unicamp) Um certo tipo de macromolécula destinada19. à membrana plasmática celular, depende de etapas nu- cleares e citoplasmáticas para sua produção, de acordo com os percursos esquematizados a seguir: DNA RNA Ribossomos R.E. Rugoso Membrana plasmática (I) Complexo de Golgi Membrana plasmática (II) Por que essas etapas começam no núcleo?a) Qual é a composição da macromolécula ao final dob) per­curso I? E do percurso II? Esclareça a diferença, baseando-se nas funções das organelas citoplas- máticas envolvidas em cada percurso. (UERJ) O gráfico a seguir demonstra a distribuição20. citoplasmática do número de ribossomos isolados e polirribossomos, em comparação com o número de cadeias polipeptídicas em formação durante um certo período de tempo. número de cadeias polipeptídicas em formação polirribossomas ribossomas isolados polirribossomas ribossomas isolados (ALBERTS, Bruce et al. Molecular Biology of the Cell. New York: Garland Publishing, 1994, p. 239. Adaptado.) Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 26. 22 EM_V_BIO_002 Defina a relação existente entre os ribossomas iso-a) lados e a formação das cadeias polipeptídicas. Jus- tifique sua resposta. Descreva a estrutura das cadeias polipeptídicas e ab) dos polirribossomas. (Unicamp) Suponha que as células de um tecido foram21. fragmentadas, separando-se um tipo de organela em cinco tubos de ensaio. Em seguida, alguns componen- tes químicos de três tubos foram identificados, como especificado a seguir. Tubo I - Grande quantidade de DNA e RNA; proteínas histônicas e proteínas de membrana. Tubo II - Fosfolipídeos; proteínas de membrana, RNA ribossômico e proteína de ribossomos. Tubo III - Fosfolipídeos; proteínas de membrana e clorofila. Qual é a organela presente em cada um dos trêsa) tubos? Cite outro componente químico que poderia terb) sido encontrado no tubo III. Cite duas organelas que poderiam ter sido encon-c) tradas nos tubos IV e V, indicando um componente químico característico de cada uma delas. (Fuvest) O esquema adiante representa um corte de22. célula acinosa do pâncreas, observado ao microscópio eletrônico de transmissão. Identifique as estruturas apontadas pelas setas A,a) B, e C, e indique suas respectivas funções no me- tabolismo celular. Por meio da ordenação das letras indicadoras dasb) estruturas celulares, mostre o caminho percorrido pelas enzimas componentes do suco pancreático desde seu local de síntese até sua secreção pela célula acinosa. Considerando que uma célula epitelial tenha um23. formato de um paralelepípedo e que seu volume seja de 10-8 e considerando que as estruturas citoplasmá- ticas ocupem um volume correspondente a 50% do volume total, determine o volume do hialoplasma. (Unicamp) Os fumantes causam maiores danos às suas24. vias e respiratórias ao introduzir nelas partículas de tabaco e substâncias como nicotina em concentrações maiores do que as existentes no ar. Estas substâncias inicialmente paralisam os cílios na traqueia e brônquios e posteriormente os destroem. Além disso, a nicotina provoca a liberação excessiva de adrenalina no sangue aumentando o risco de acidentes vasculares. A que tipo de tecido estão associados os cílios?a) Qual é a consequência da paralisação e destruiçãob) dos cílios das vias respiratórias? Explique como os efeitos fisiológicos da liberaçãoc) da adrenalina podem aumentar os riscos de aci- dentes vasculares. Onde é produzida a adrenalina?d) (Unicamp) No citoplasma das células são encontradas25. diversas organelas, cada uma com funções específi- cas, mas interagindo e dependendo das outras para o funcionamento celular completo. Assim, por exemplo, os lisossomos estão relacionados ao Complexo de Golgi e ao retículo endoplasmático rugoso, e todos às mitocôndrias. Explique que relação existe entre lisossomos ea) Complexo de Golgi. Qual a função dos lisossomos?b) Por que todas as organelas dependem das mito-c) côndrias? (UFMG) O desenvolvimento de seres multicelulares26. depende da morte programada de certas células. Esse fenômeno biológico, regulado por genes, é conhecido como apoptose e está ilustrado nestas figuras: Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 27. 23 EM_V_BIO_002 Durante a metamorfose, desaparecem as guelras,I. as nadadeiras e a cauda. No embrião, os sulcos dos dedos das mãos sãoII. formados como consequência da morte das células das membranas interdigitais. Com base nas informações dessas figuras e em outros conhecimentos sobre o assunto, é INCORRETO afirmar que: a apoptose, no caso II, ocorre devido a um proces-a) so inflamatório. a apoptose que ocorre no caso I resulta da ação deb) enzimas digestivas presentes nos lisossomos. a ausência de apoptose, no caso ilustrado em II,c) pode dificultar uma melhor exploração do ambiente. a ocorrência de alterações nos genes responsáveisd) pela apoptose, nos casos I e II, pode ser transmitida aos descendentes. (Fuvest) Certas doenças hereditárias decorrem da falta27. de enzimas lisossômicas. Nesses casos, substâncias orgânicas complexas acumulam-se no interior dos li- sossomos e formam grandes inclusões que prejudicam o funcionamento das células. O que são lisossomos e como eles contribuem paraa) o bom funcionamento de nossas células? Como se explica que as doenças lisossômicas se-b) jam hereditárias se os lisossomos não são estrutu- ras transmissíveis de pais para filhos? (UFRJ) Existe um certo órgão do aparelho digestivo dos28. animais vertebrados que tem uma função equivalente à dos lisossomos das amebas e de outros protozoários. Identifique esse órgão.a) Que característica funcional é comum aos lisosso-b) mos e a esse órgão? (UFSC) Os lisossomos são organoides membranosos,29. com formato esférico, que contêm enzimas digestivas. Em relação a essa estrutura citoplasmática, assinale com V as verdadeiras e F as falsas. Os lisossomos desempenham, entre outras, funções( )( de defesa celular. As enzimas lisossômicas são fabricadas no retículo( )( endoplasmático liso, passando em seguida para o Sistema de Golgi, que as “empacota” e as libera sob a forma de lisossomos secundários. A função heterofágica dos lisossomos refere-se à( )( digestão de substâncias que são absorvidas pela célula por fagocitose ou pinocitose. O lisossomo secundário é formado pela fusão do va-( )( cúolo alimentar, que contém o alimento englobado por pinocitose ou fagocitose, com o lisossomo pri- mário, que contém as enzimas digestivas. Junto com as mitocôndrias, os lisossomos são res-( )( ponsáveis por uma reciclagem de moléculas e orga- noides inativos. Em girinos, o fenômeno de reabsorção da cauda( )( é comparado a um “suicídio celular” já que, com o rompimento dos lisossomos, ocorre uma autodiges- tão das moléculas e dos organóides que constituem as células daquela estrutura. (PUCRS) Quando uma dada célula engloba uma partí-30. cula alimentar, verificam-se no seu citoplasma uma série de eventos, tais como: 1. O fenômeno denominado clasmocitose. 2. Enzimas digestivas que passam à fase ativa. 3. A fusão do lisossomo com o fagossomo. 4. A formação de um tipo de vacúolo dito fagossomo. A sequência correta do aparecimento desses eventos é: 1 - 4 - 2 - 3a) 3 - 2 - 1 - 4b) 2 - 3 - 4 - 1c) 4 - 3 - 2 - 1d) 2 - 4 - 1 – 3e) (UFAL) Em animais mantidos em jejum, células do fígado31. digerem parte de suas próprias estruturas para sobrevi- verem. Essa atividade é desempenhada: pelos ribossomos.a) pelos lisossomos.b) pelas mitocôndrias.c) pelo Complexo de Golgi.d) pelo retículo endoplasmático.e) (UFRN) Quando há infecção bacteriana, os neutrófilos32. englobam os patógenos e os destroem. No processo de destruição dessas bactérias, ocorre sucessivamente: endocitose - formação do fagossomo - formaçãoa) do vacúolo digestivo - degradação x bacteriana - clasmocitose. fagocitose - formação do vacúolo autofágico - for-b) mação do fagossomo - degradação bacteriana - defecação celular. endocitose - formação do vacúolo autofágico - ata-c) que lisossômico - egestão. pinocitose - ataque lisossômico - formação do va-d) cúolo digestivo - exocitose. Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 28. 24 EM_V_BIO_002 (UFPE) Como mostrado na figura a seguir, substâncias33. capturadas do meio externo, assim como partes com- ponentes da própria célula, sofrem digestão intracelular. Com relação aos processos ilustrados, assinale a alter- nativa INCORRETA: Os lisossomos (1) são pequenas vesículas quea) contêm enzimas responsáveis pela digestão intra- celular. A autofagia (2) pode representar um meio de reci-b) clagem do material celular. Os vacúolos digestivos (3) originam-se da fusão dec) lisossomos com fagossomos ou pinossomos. Os vacúolos residuais (4) são bolsas membranosasd) onde se processa a digestão autofágica. Clasmocitose (5) é o processo de eliminação dee) resíduos resultantes da digestão intracelular para o exterior da célula. de animais. Isso deixa as pessoas desapontadas quando se deparam com os robôs reais, que executam tarefas repetitivas em fábricas. Eles não são tão esplêndidos como os anteriormente citados, mas significam menos esforço muscular no mundo real. (MEEK, James. Robôs mais baratos tomam fábricas européias, O Estado de S. Paulo, set. 2000. Adaptado.) Uma das diferenças entre robôs e seres humanosa) é que nos homens existem quatro grupos de mo- léculas orgânicas. Quais são esses grupos? Expli- que o que essas moléculas têm em comum na sua composição. O sistema robótico armazena energia em baterias.b) Indique dois órgãos ou tecidos de armazenamento de energia nos seres humanos. Que composto é ar- mazenado em cada um desses órgãos ou tecidos? (Unesp) A ilustração apresenta o resultado de um teste37. de paternidade obtido pelo método do DNA-Fingerprint, ou “impressão digital de DNA”. Segundo o resultado acima, qual dos homens, A oua) B, é o provável pai da criança? Justifique. Em linhas gerais, como é feito o teste de identifica-b) ção individual pelo método do DNA-Fingerprint? (Unesp) Os biólogos moleculares decifraram o código38. genético no começo dos anos 60 do século XX. No modelo proposto, códons constituídos por três bases nitrogenadas no RNA, cada base representada por uma letra, codificam os vinte aminoácidos. Considerando as quatro bases nitrogenadas presentes no RNA (A, U, C e G), responda: Por que foram propostos no modelo códons de trêsa) letras, ao invés de códons de duas letras? Um dado aminoácido pode ser codificado por maisb) de um códon? Um único códon pode especificar mais de um aminoácido? Se considerarmos que um fagossomo possua um34. aspecto esférico com um raio de 10-6 , qual o seu volume provável? (Unicamp) Explique como ocorre o processo de digestão35. das substâncias endocitadas pelas células, mencionando a organela envolvida e o destino dos produtos dessa digestão. (Unicamp) A indústria do entretenimento tem mostrado36. imagens ilusórias de robôs de ficção como o jovial R2D2 e o chato C3PO, de Guerra nas Estrelas, e o Exterminador do Futuro. Entre os brinquedos japoneses, há uma série de robôs que imitam movimentos de seres humanos e Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 29. 25 EM_V_BIO_002 (Unicamp) A seguir estão representados três modelos39. de biomembranas: A que constituintes da membrana se referem as le-a) tras a, b e c? Qual dos modelos é atualmente aceito para explicarb) a estrutura das biomembranas? Qual a característica do modelo escolhido que lhec) confere vantagem do ponto de vista de transporte através da biomembrana? (Fuvest) Em que células do corpo humano podemos40. encontrar as estruturas a seguir e quais são suas fun- ções? Microvilosidades.a) Cílios.b) Flagelos.c) Pseudópodes.d) (UFC) Os requerimentos nutricionais variam muito41. dentre os diferentes grupos de organismos e isso é consequência da diferente capacidade de síntese destes. Diferentes subgrupos de protistas flagelados apresen- tam diferentes requerimentos de tiamina (vitamina B) na dieta. O subgrupo 1 deve ser suprido com tiamina na dieta. O subgrupo 2 requer somente tiazol. O subgrupo 3 necessita apenas que lhe sejam fornecidos aminoácidos simples. O subgrupo 4 necessita de pirimidina e tiazol. Com base nessas informações e observando a estrutura da tiamina a seguir, responda: H3 C C N N CH C C NH2 N+ CH2 C C C S CH3 H OH– CH2 CH2 OH Pirimidina Tiazol Tiamina Qual subgrupo apresenta a maior capacidade dea) sobrevivência com uma dieta pobre em tiamina? Justifique sua resposta. Qual subgrupo não sobreviveria com uma dieta livreb) de tiamina? Justifique sua resposta. 42. H3 C CH3 CH3 OH CH3 CH3 Vitamina A (ponto de fusão = 63ºC) O OH OH O HO OH Vitamina C (ponto de fusão = 193ºC) Uma das propriedades que determina a maior ou menor concentração de uma vitamina na urina é a sua solubilidade em água. Qual dessas vitaminas é mais facilmente elimi-a) nada na urina? Justifique. Dê uma justificativa para o ponto da fusão dab) vitamina C ser superior ao da vitamina A. O esquema representa parte da membrana plasmática43. de uma célula eucariótica. A que correspondem X e Y?a) Explique, usando o modelo do “mosaico fluido” para ab) membrana plasmática, como se dá a secreção de pro- dutos do meio intracelular para o meio extracelular. Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 30. 26 EM_V_BIO_002 C1. A diferença iônica só é capaz de existir se houver transporte ativo, pois a tendência seria os meio se igualarem. E2. E3. C4. B5. C6. Se os meios forem iguais, a tendência é que o transporte se torne lento demais, pois as pressões seriam igualitárias, dificultando a movimentação. E7. A movimentação a favor da concentração é passiva enquanto que contra o gradiente é ativa. A8. B9. A10. D11. A12. Porque os ribossomos são responsáveis pela síntese de Ptn. E13. E14. Granulos de secreção ou vesículas tem origem no Complexo de Golgi. B15. A16. C17. E18. O transporte inicial de substâncias é feito pelo retículo. Após a separação dos aminoácidos, eles seriam levados para a área de síntese proteica. B19. C20. Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 31. 27 EM_V_BIO_002 01 + 02 + 04 + 64 = 7121. O item 8 está incorreto, pois o processo citado é respiratório e não fotossintético. O item 16 está errado, pois o centríolo não é uma estrutura responsável pela atividade fotossintérica. O item 32 está errado, pois o REA não possui ribossomos. A22. C23. A digestão intracelular é responsabilidade dos li- sossomos. A24. C25. C26. C27. C28. C29. A autólise é a destruição dos próprios órgão citoplas- máticos pelos lisossomos. A30. B31. D32. B33. A função de transporte de aminoácidos é de responsabi- lidade dos RNAt. São eles que identificam o aminoácido, levando-o até a área de tradução. D34. A35. Só se encontra uracila em regiões onde possa haver RNA. E36. E37. Asmembranasapresentamconstituiçãolipoproteica,logo, encontraremos em todas as estruturas membranosas. C38. C39. A40. D41. X é uma solução hipotônica, Y é isotônica e Z é hiper-1. tônica em relação às células. O volume varia conforme o movimento da água por osmose. A maior concentração de K2. + no interior das halobacté- rias cria um gradiente osmótico que, num ambiente de alta concentração salina, favorece a entrada de água nas células. B3. 4. A parede celular de celulose. A elasticidade daa) celulose faz com que ela, quando distendida pela entrada de água, exerça uma pressão no sentido contrário, bombeando a água para fora — pressão de tirgência. Quando essa pressão iguala a pressão osmótica, a água pára de entrar. A proteína do portão de Nab) + . Como o Na+ acumu- la-se do lado extracelular, a abertura desse portão permite a difusão do Na+ para o compartimento intracelular. 5. Transporte passivo de água por osmose.a) Soluções de diferentes concentrações separadasb) por membrana semipermeável. A diferença de comportamento deve-se à presençac) da parede celular nas células vegetais e a ausência dessa estrutura nas células animais (hemácias). Em água destilada: célula vegetal: túrgida•• hemácias: estouram•• Em solução salina:•• célula vegetal: plasmolisadas•• hemácias: crenadas•• A6. Na desidratação severa, a hidratação com água conten-7. do sal e açúcar tem a finalidade de repor o sódio (Na+ ) perdido e fornecer glicose como combustível extra já que a absorção desse íon consome energia. 8. Ribossomo. É nessa organela que ocorre a síntesea) de proteínas. A membrana plasmática, pois é nela que acontece ob) transporte de glicose. 9. (x) O transporte da substância Sa) 2 é mediado por carreador. (x) A substância S1 é transportada por difusão simples. Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 32. 28 EM_V_BIO_002 O transporte da substância Sb) 1 é feito por difusão simples, enquanto que a substância S2 é trans- portada por carreador. Na difusão simples, a ve- locidade do transporte é diretamente proporcional à concentração da molécula transportada. Já no transporte mediado por carreador, a velocidade de transporte se aproxima de um valor máximo quando a proteína carreadora está saturada (to- dos os sítios ligantes estão ocupados), pois esse transporte depende da ligação da molécula a ser transportada à proteína carreadora. 10. Transporte ativo e transporte passivo.a) O transporte de A ocorre mesmo contra um gra- diente de concentração, como mostra a relação C(intra) / C(extra) maior que 1. O transporte de B não ocorre contra um gradien- te de concentração, atingindo o equilíbrio com C(intra) / C(extra) igual a 1. O transporte da substância A deve ser inibido pelob) cianeto, pois o transporte ativo depende de fonte energética (ATP). O transporte passivo de B não deve ser alterado pelo cianeto. 11. PV = m1 = RT M1 P = Pressão osmótica da solução (atm) V = volume da solução (L) T = temperatura absoluta da solução m1 = quantidade de massa do soluto M1 = massa molecular do soluto R = constante universal dos gases perfeitos Solução: PV = m1 M1 = RT → P . 0,820 = 6 . 0,082 . 300 → P = 1atm 180 OBS: A equação fundamental da osmometria para soluções moleculares é idêntica a equação dos gases perfeitos. 12. Transporte ativo, que ocorre com gasto de energia.a) O retículo endoplasmático rugoso é o responsávelb) pela síntese da porção proteica da tireoglobulina. O Complexo de Golgi realiza a associação das par- tes proteica e glicídica na formação da tireglobulina iodada. 13. Filamentos tubulares formados pela proteína tubulina.a) Formação do fuso de divisão celular onde se prendemb) os cromossomos duplicados antes da disjunção. Muda de cor para se confundir com o ambiente ec) (ou) atrair indivíduos do sexo oposto. 14. Fração mitocondrial.a) Oxidação do ácido pirúvico para acetil coenzima A e ciclo dos ácidos tricarboxílicos pu ciclo de Krebs. Fração de microssomas.b) Mensageiro (m-RNA), ribossomal (r-RNA) e trans- feridor (t-RNA) 15. Metáfase, porque a colchicina impede a associaçãoa) das subunidades de tubulina que formam o fuso mitótico, sem afetar a separação das cromátides. A célula tratada com colchicina torna-se poliploide,b) ou seja, como não se divide, permanece com todos os seus cromossomos duplicados. 16. Vegetal porque possui membrana celulósica ea) plastos. Retículo endoplasmático rugoso, que é rico em ribos-b) somos, responsáveis pela produção de proteínas, e mitocôndrias, para a produção de energia para o tra- balho celular. 17. Filamento intermediário. A célula também se rompe.a) Localizam-se no sarcômetro.b) Atuam na contração muscular. 18. 1 - Retículo Endoplasmático Rugoso.a) 2 - Complexo de Golgi. 3 - Vesícula de secreção. 4 - Vesícula endocítica. 5 - Lisossoma As organelas envolvidas na síntese de enzimas li- sossomais são: Retículo Endoplasmático Rugoso e Complexo de Golgi. Retículo endoplasmático Rugoso – síntese de pro-b) teínas ou glicosilação de proteínas ou endereça- mento de proteínas. Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 33. 29 EM_V_BIO_002 Complexo de Golgi – glicosilação de proteínas ou síntese de polissacarídeos ou produção de grânu- los de secreção. Lisossoma – digestão intracelular. 19. O núcleo contém DNA que comanda a produção dasa) proteínas através da síntese de RNA. Proteínas e glicoproteínas, porque os ribossomos pro-b) duzem as proteínas, que são associadas aos açúcares no complexo de Golgi. 20. Em ribossomos isolados não há síntese de cadeiasa) polipeptídicas. O RNA mensageiro é necessário, pois transmite a mensagem genética para a síntese dos polipeptídeos. Polipeptídeos são formados a aprtir do encadea-b) mento de aminoácidos. Polirribossomos são consti- tuídos de ribossomos ligados ao RNA mensageiro. 21. Tubo I: núcleo.a) Tubo II: retículo endoplasmático rugoso. Tubo III: cloroplasto. DNA, RNA, pigmentos fotossintetizantes, ATP eb) NADP, glicose, amido etc. Mitocôndrias: citocromos, DNA, RNA, ATP.c) Lisossomos: enzimas hidrolíticas. 22. As estruturas indicadas pelas setas são:a) A - Retículo endoplasmático rugoso: síntese de proteínas, armazenamento e transporte. B - Mitocôndrias: produção de energia através da respiração celular. C - Complexo de Golgi: armazenamento, transporte e secreção celular. Ab) → C → D Considerando que as estruturas ocupem um volume de23. 50%, significa que o volume ocupado pelo hialoplasma corresponderá aos 50% restantes, o que vale 10-4 . 24. Os cílios são prolongamentos celulares do epitélioa) cilíndrico pseudoestratificado que revestem o apa- relho respiratório humano. A paralisação ou destruição dos cílios acarreta ob) acúmulo de impurezas inaladas com o ar nas vias respiratórias. A adrenalina provoca vasoconstrição e, consequente-c) mente, aumento da pressão arterial. Este fato aumen- ta o risco de acidentes vasculares como a ruptura de vasos sanguíneos. A adrenalina é produzida pela medula da glândulasd) suprarrenais e pelas terminações nervosas do Sistema Nervoso autônomo simpático. 25. Lisossomos são organoides citoplasmáticos cons-a) tituídos por uma membrana originada à partir do Complexo de Golgi. Contêm enzimas digestivas que foram produzidas pelos ribossomos do retículo endoplasmático rugoso. Digestão intracelular heterofágica e autofágica.b) Mitocôndrias são os organoides responsáveis pelac) produção de energia (ATP) necessária para o tra- balho celular. A26. 27. Lisossomos são organoides intracelulares que exe-a) cutam a digestão de material endógeno e exógeno. As enzimas contidas nos lisossomos são proteínasb) produzidas pelos ribossomos sob comando ge- nético. Mutações nos genes que codificam estes catalisadores proteicos podem ser transmitidas à descendência. 28. O estômago.a) Os lisossomos e o estômago realizam a digestão deb) proteínas em meio ácido. V, F, V, F, F, V29. D30. B31. A32. D33. V = 4/3 .34. π r3 V = 4/3 . 3,14 . (10-6 )3 V = 4/3 . 3,14 . 10- 18 V = 4,18 . 10-18 As substâncias endocitadas são quebradas em unida-35. des menores pelas enzimas dos lisossomos, processo chamado de digestão intracelular. Assim: os polissacarídeos são quebrados em glicose e/ou•• outros monossacarídeos que servem de combustível para a respiração celular; Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 34. 30 EM_V_BIO_002 proteínas são quebradas em aminoácidos, que•• podem ser utilizados para construir outras proteí- nas (função plástica) ou se combinarem a outros compostos; lipídios são quebrados em ácidos graxos e glicerol,•• que podem ser utilizados como nutrientes plásticos ou queimados para obtenção de energia; ácidos nucleicos são quebrados em nucleotídeos,•• que podem ser reutilizados para formação do mate- rial genético ou acoplados a outros compostos para reações metabólicas (caso do ATP). 36. Os seres humanos possuem em sua composiçãoa) os seguintes grupos de compostos orgânicos prin- cipais: Carboidratos (hidratos de carbono ou glicídios)•• Proteínas•• Lipídios (gorduras)•• Ácidos nucleicos (DNA e RNA)•• Todos os compostos citados anteriormente pos- suem em sua composição química átomos de car- bono, além de hidrogênio e oxigênio. Músculos, fígado e tecido adiposo são estruturas ar-b) mazenadoras de substâncias energéticas. Glicogênio é armazenado nos músculos e no fígado, gorduras ou lipídios são armazenadas no tecido adiposo. 37. As três bandas de DNA de origem paterna (nãoa) encontradas na mãe) ocorrem no homem B. O teste é feito comparando-se as bandas do DNAb) repetitivo da mãe e da criança com os possíveis pais. Essas bandas são obtidas pela clivagem do DNA e são altamente específicas para cada orga- nismo, daí o seu uso. 38. Pois códons de duas letras codificam menos amino-a) ácidos que o número existente. Uma vez que o código é degenerado, mais de umb) códon pode determinar um aminoácido, porém o códon sempre especifica um único tipo de amino- ácido. 39. a - fosfolipídios, b - proteínas e c - glicocálix.a) Modelo Ib) A fluidez lipídica aliada à presença de canais pro-c) teicos. 40. Estrutura Célula onde pode ser encontrada Função a microvilosidades epitélio intestinal absorção b cílios epitélio da traqueia remoção de resíduos c flagelos espermatozoides locomoção d pseudópodos glóbulos brancos fagocitose 41. O subgrupo 3 possui a maior capacidade de sínte-a) se, uma vez que consegue sintetizar a vitamina B1 a partir de simples aminoácidos, podendo sobreviver com uma dieta pobre em tiamina. O subgrupo 1 é o de menor capacidade de sínte-b) se, uma vez que precisa ter a tiamina na dieta. Não consegue sintetizar nenhum precursor. Portanto, não sobreviveria com uma dieta livre de tiamina. 42. A vitamina C, que é a mais solúvel em água poisa) apresenta maior número de grupos OH em sua molécula. Como os 4 grupos OH formam maior número deb) pontes de hidrogênio, irão requerer mais energia para serem rompidas. 43. X - lipídiosa) Y - proteína As secreções do retículo endoplasmático (tantob) proteicas quanto lipídicas) são empacotadas no Complexo de Golgi em vesículas cuja membrana também é lipídica. Devido à sua propriedade de fluidez, quando a vesícula se aproxima da membra- na plasmática, as duas se fundem, e o produto é liberado para o meio extracelular. Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 35. 31 EM_V_BIO_002 Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br
  • 36. 32 EM_V_BIO_002 Esse material é parte integrante do Aulas Particulares on-line do IESDE BRASIL S/A, mais informações www.aulasparticularesiesde.com.br