SlideShare uma empresa Scribd logo
Antropologia Bíblica
Prof. Carlos Eduardo
O Relato Bíblico da Criação Humana
• O quadro bíblico é que um Deus totalmente
sábio, poderoso e bom criou a raça humana para
amá-lo e servi-lo, e para desfrutar de um
relacionamento com Ele.
• A decisão divina de fazer os seres humanos em
fazer em sua própria imagem e semelhança – Gn
1.26,27;
• A ação divina concretizando essa decisão Gn 2.7
A Criação humana direta da Escritura
• Será que Deus criou diretamente toda
constituição física e psicológica de Adão? Ou ele
tomou um primata evoluído e o modificou,
conferindo-lhe a imagem de Deus, de modo que
se tornasse um ser humano vivo?
Teísmo
• Deus criou o primeiro organismo e depois atuou
no processo de evolução intervindo
ocasionalmente, entretanto, para modificar o
que estava emergindo, Ele infundiu a alma
humana numa forma física que já existia.
Fiat
• Deus criou todas as espécies num breve período
de tempo
Criacionismo Progressivo
• Deus criou, de forma direta, cada um dos vários
“tipos”, incluindo os homens; essas criações
distintas constituíram uma série de passos ao
longo de um bom período de tempo
Abordagem Hermenêutica de Gênesis
• Toda natureza humana era criação nova, ou
alguma parte dela teve origem no processo de
evolução?
• Não seria o “pó” usado para formar Adão (Gn
2.7) mais que partículas materiais de terra?
• Não poderiam representar, uma forma de vida
pré-humana? (teísta)
Resolução
• A palavra pó aparece em Gn 2.7 e 3.19
• “porque tu és pó e ao pó retornarás”
• Se interpretarmos 2.7 como alguma forma de
vida preexistente, temos duas opções: ou seu
significado deve ser diferente em 3.19 (bem
como 3.14) ou temos uma situação um tanto
abusrda.
O significado teológico da criação
humana.
• 1. O homem não tem existência independente.
Já que não estaríamos vivos, a não ser por Deus,
tudo e temos e somos vêm dele.
• 2. A humanidade faz parte da criação. Somos
parte da sequência da criação. Deve haver
harmonia entre nós e o restante da criação.
• 3. A humanidade ocupa um lugar singular na
criação – imagem e semelhança de Deus
O significado teológico da criação humana
• 4. Há um vínculo comum entre todos os seres
humanos. O aspecto negativo de nossa
descendência comum é que, no estado natural,
todos os homens são filhos rebeldes do Pai
celeste e, portanto, estão alienados dele e uns
dos outros.
• 5. Há limitações definidas sobre a humanidade.
Nossa finitude significa que nosso conhecimento
sempre será incompleto e sujeito a erros. O
homem é mortal (Hb 9.27)
O significado teológico da criação humana
• 6. A limitação não é inerentemente má. Gn 1.31.
A finitude bem pode nos conduzir ao pecado,
caso deixemos de aceitar nossas limitações. Mas
o simples fato de sermos limitados não produz
inevitavelmente o pecado. Entretanto, reações
descabidas em face dessa limitação ou
constituem pecado ou podem provocá-lo.
• 7. Os homens são algo maravilhosos. Apesar de
criaturas somos as mais elevadas delas, as
únicas feitas à imagem e semelhança de Deus.
Os homens são grandes, mas o que os torna
grandes é o fato de Deus os ter criado.
Salmos 100.3-5
• Sabei que o SENHOR é Deus; foi ele que nos fez, e
não nós a nós mesmos; somos povo seu e ovelhas do
seu pasto.
• Entrai pelas portas dele com gratidão, e em seus
átrios com louvor; louvai-o, e bendizei o seu nome.
• Porque o SENHOR é bom, e eterna a sua
misericórdia; e a sua verdade dura de geração em
geração
A Imagem de Deus no Homem
• Gn 1.26,27 – O versículo 26 é a declaração da
intenção de Deus; ele inclui os termos selem e
dêmûth,que são traduzidos respectivamente por
“imagem” e “semelhança”.
• Gn 5.1 temos uma recapitulação do que Deus fez
• Gn 9.6 o homicídio é proibido pelo fato da raça
humana ter sido criada à imagem e semelhança
de Deus.
• Homens pecadores continuaram carregando a
imagem.
A Imagem de Deus no Homem
• No NT em 1Co 11.7;
• Em Tiago 3.9 – Baseando-se no fato de que os
homens são feitos à semelhança de Deus, o autor
condena o uso da língua para amaldiçoar outros.
• Atos 17.28 – Existem uma insinuação da
imagem de Deus.
• Romanos 8.29;
• 2 Coríntios 3.18
Concepções da Imagem
Há 3 maneiras gerais de entender a natureza da
imagem:
• Concepção Substantiva da Imagem: Certas
características da própria natureza da raça
humana, características que podem ser físicas ou
psicológicas e espirituais
• Concepção Relacional:A vivência de um
relacionamento entre os homens e Deus ou entre
dois ou mais homens.
• Concepção Funcional: Algo que os homens
fazem.
O Significado de “imagem de Deus”
• Podemos usar a seguinte definição: o fato de ser
o homem à imagem de Deus significa que ele é
semelhante a Deus e o representa.
• As palavras hebraicas que exprimem “imagem”
(tselem) e “semelhança” (demût) se referem a
algo similar, mas não idêntico, à coisa que
representa ou de que é uma “imagem”. A palavra
imagem pode também ser usada para exprimir
algo que representa outra coisa.
Gênesis 1.26
• “Façamos o homem como nós, para que nos
represente”.
• Quanto mais sabemos sobre Deus e o homem,
mais semelhanças reconhecemos, e mais
plenamente compreedemos o que as Escrituras
querem dizer ao afirmar que o homem existe à
semelhança de Deus.
Gênesis 5.3
• “ Viveu Adão cento e trinta anos, e gerou um
filho à sua semelhança [demût], conforme sua
imagem [tselem], e lhe chamou Sete”.
• Sete não era idêntico a Adão, mas era como ele
em muitos aspectos específicos em que Sete era
como Adão.
• Todo aspecto segundo o qual homem é como
Deus faz parte do fato de ser ele à imagem de
Deus.
A queda: a imagem de Deus se
distorce, mas não se perde
• Resposta em Gn 9.6.
• Mesmo sendo os homens pecadores, ainda resta
neles bastante semelhança a Deus, tanto que
assassinar outra pessoa é atacar a parte da criação
que mais se parece com Deus, e revela uma tentativa
ou desejo de atacar o próprio Deus.expressão do
Antigo Testamento que significa tirar a vida.
• Todavia, sua pureza moral se perdeu, e seu caráter
pecaminoso certamente não espelha a santidade de
Deus. (Ec 7.29)
A redenção em Cristo: a recuperação
gradual da imagem de Deus.
• Colossenses 3.10
• Somos refeitos
• 2 Coríntios 3.18
Na volta de Cristo: a completa
restauração da imagem de Deus
• Somos hoje como Adão (sujeitos à morte e ao
pecado);
• Seremos como Cristo no futuro (moralmente
puros, jamais sujeitos à morte de novo)
• 1 Co 15.49
Concepção Substantiva
• Alguns consideram que a imagem de Deus é um
aspecto de nossa constituição física ou corporal.
Ela é baseada na leitura literal da palavra
hebraica selem.
• As concepções mais comuns da imagem de Deus
a isolam sob o aspecto de alguma qualidade
psicológica ou espiritual da natureza humana.
• As concepções concordam em um particular: a
localização da imagem. Ela está colocada dentro
do home.
Concepção Relacional
• Pensam na imagem de Deus como a vivência de
uma relacionamento ;
• Apresentamos imagem quando entramos em
determinado relacionamento;
• Emil Brunner e Karl Barth.
Concepção Funcional
• A imagem consiste em algo que fazemos. Trata-
se de uma função que exercemos.
• Gn 1.26 e Salmos 8.5,6;
• Leonard Verduin – “A ideia de ter o domínio
destaca-se como o aspecto central. Que o
homem é uma criatura designada para ter
domínio e que desse modo ele é segundo a
imagem de seu Artífice”
Avaliação das concepções
• Relacional – Universalidade da imagem
• Em que sentido pode-se dizer que os que estão
vivendo em total indiferença para com Deus, ou
mesmo em rebelião hostil contra ele, são
imagem de Deus (ou nela estão)?
• Funcional – Existe uma ligação muito estreita
entre Gn 1 Salmo 8, mas essa concepção
enfrenta dificuldades.
• Os termos imagem e semelhança não aparecem
no Salmo 8
• Substantiva – limita-se a um aspecto da na
natureza humana. Razão
Conclusões a respeito da natureza
imagem
1. A imagem de Deus é universal em toda a raça
humana;
2. A imagem de Deus não se perdeu em consequência
do pecado. É algo inseparavelmente ligado à
humanidade;
3. Não há indicação que a imagem esteja presente em
maior grau numa pessoa que em outra;
4. A imagem de Deus não está relacionada com
nenhuma variável – relações ou domínio;
5. A imagem é algo localizado na própria natureza
dos homens, na maneira pela qual são formados;
6. A imagem diz respeito aos elementos que, na
constituição dos seres humanos, permitem-lhes o
cumprimento do seu destino
Porque somos a imagem e semelhança
de Deus
• Jesus tinha perfeita comunhão com o Pai. (Jo
17) – Ele e o Pai são um (v. 21,22). Ele glorificou
e glorificaria o Pai (1.1,4), e o Pai glorificou e o
glorificaria (v. 1,5,22,24).
• Jesus obedeceu perfeitamente a vontade do Pai.
(Lc 22.42)
• Jesus sempre demonstrou grande amor pelos
homens. (Mt 9.36; 10.6), sua compaixão pelos
doentes (Mc 1.41) e aflitos (Lc 7.13), sua
paciência e perdão para os que haviam falhado.
Implicações da Doutrina
1. Pertencemos a Deus – Mc 12.13-17
2. Devemos nos moldar de acordo com Jesus, que é a
revelação complete de como é a imagem de Deus. (Hb
4.15)
3. Só experimentamos a plena humanidade quando nos
relacionamos corretamente com Deus. (2 Co 3.18)
4. O exercício do domínio é uma consequência da
imagem de Deus. Precisamos ganhar entendimento e
controle da criação, bem como exercer domínio sobre
nossa personalidade e habilidades.
5. O homem é valioso. (Gn 9.6)
6. A imagem é universal na humanidade (Gn 1.27 e 5.1,2)
• A imagem de Deus e a natureza humana são
mais bem compreendidas por meio do estudo da
pessoa de Jesus;
• Nosso entendimento da imagem é obtido da
revelação divina;
• A imagem de Deus é dinâmica;
• O relacionamento dos homens, que constituem a
imagem de Deus;
• A imagem de Deus é universal – é encontrada
em todos os seres humanos.
• A imagem de Deus não é uma entidade que
possuímos, mas uma experiência que está
presente quando um relacionamento está em
atividade.
A natureza constitucional do homem
• Que somos?
• Somos um todo unitário?
• Somos formados por dois ou mais componentes?
• Se somos formados por múltiplos componentes,
que componentes são esses?
CONCEPÇÕES BÁSICAS DA
CONSTITUIÇÃO HUMANA
• Tricotomismo
• Dicotomismo
• Monismo
Tricotomismo
• Os homens são compostos de 3 elementos:
• Corpo Físico: algo comum entre animais e
plantas;
• Alma: elemento psicológico, a base da razão, da
emoção, das relações sociais etc.
• Espírito: percepção de questões espirituais e
reage aos estímulos espirituais. Centro das
qualidades espirituais do indivíduo.
• Texto Base: 1 Ts 5.23; 1 Co 2.14-3.4
Dicotomismo
• Material: Corpo
• Imaterial: Alma ou Espírito
Monismo
• Não se pode pensar no homem como ser
composto de partes ou entidades distintas, mas
antes como uma unidade radical.
• O homem é composto de um único elemento, e
de que seu corpo é a própria pessoa
• Não possibilidade de existência desencarnada
após a morte;
• A imortalidade da alma é inaceitável
De onde vem nossa alma?
• Criacionismo;
• Traducionismo;
• Preexistencialismo.
Criacionismo
• É a concepção de que Deus cria uma nova alma
para cada pessoa e a envia ao corpo da pessoa
em algum momento entre a concepção e o
nascimento.
• Defendido pelo Catolicismo e por Calvino
Traducionismo
• Sustenta que alma e o corpo da criança são
herdados dos pais no momento da concepção.
• Defendido por Lutero, Jonathan Edwards e A.H.
Strong
Preexistecialismo
• Preconiza que as almas das pessoas existem no
céu muito antes dos corpos serem concebidos no
ventre das mães, e que Deus depois traz a alma à
terra, unindo-a ao corpo do bebê enquanto ele se
desenvolve no útero.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Introdução à Teologia Sistemática 1
Introdução à Teologia Sistemática 1Introdução à Teologia Sistemática 1
Introdução à Teologia Sistemática 1
Luciana Lisboa
 
3 aula bibliologia teologia sistemática
3 aula bibliologia teologia sistemática3 aula bibliologia teologia sistemática
3 aula bibliologia teologia sistemática
RODRIGO FERREIRA
 
Doutrina do homem
Doutrina do homemDoutrina do homem
Doutrina do homem
Gcom digital factory
 
Teologia sistematica - Cristologia
Teologia sistematica - CristologiaTeologia sistematica - Cristologia
Teologia sistematica - Cristologia
Gcom digital factory
 
Profetas Maiores.pptx
Profetas Maiores.pptxProfetas Maiores.pptx
Profetas Maiores.pptx
antonio211075
 
hamartiologia - Doutrina do pecado.
hamartiologia - Doutrina do pecado.hamartiologia - Doutrina do pecado.
hamartiologia - Doutrina do pecado.
RODRIGO FERREIRA
 
Curso de Bibliologia
Curso de BibliologiaCurso de Bibliologia
Curso de Bibliologia
Sergio Silva
 
3. O Evangelho Segundo Mateus
3. O Evangelho Segundo Mateus3. O Evangelho Segundo Mateus
3. O Evangelho Segundo Mateus
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Aula 6 eclesiologia
Aula 6   eclesiologiaAula 6   eclesiologia
Aula 6 eclesiologia
magnao2
 
Teontologia - AULA 03
Teontologia - AULA 03Teontologia - AULA 03
Teontologia - AULA 03
Pastor W. Costa
 
Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Coop. Fabio Silva
 
Angelologia (power point)
Angelologia (power point)Angelologia (power point)
Angelologia (power point)
Filipe Rodrigues
 
Doutrina de deus
Doutrina de deusDoutrina de deus
Doutrina de deus
Gcom digital factory
 
Introdução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo TestamentoIntrodução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo Testamento
Viva a Igreja
 
Teontologia - AULA 01
Teontologia - AULA 01Teontologia - AULA 01
Teontologia - AULA 01
Pastor W. Costa
 
Bibliologia - Cânon biblico
Bibliologia - Cânon biblicoBibliologia - Cânon biblico
Bibliologia - Cânon biblico
RODRIGO FERREIRA
 
2. introdução ao novo testamento
2.  introdução ao novo testamento2.  introdução ao novo testamento
2. introdução ao novo testamento
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Doutrina do Pecado
Doutrina do Pecado Doutrina do Pecado
Doutrina do Pecado
Geversom Sousa
 
Ressurreição
RessurreiçãoRessurreição
Ressurreição
Dókimos Aprovado
 
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza OliveiraPentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Gesiel Oliveira
 

Mais procurados (20)

Introdução à Teologia Sistemática 1
Introdução à Teologia Sistemática 1Introdução à Teologia Sistemática 1
Introdução à Teologia Sistemática 1
 
3 aula bibliologia teologia sistemática
3 aula bibliologia teologia sistemática3 aula bibliologia teologia sistemática
3 aula bibliologia teologia sistemática
 
Doutrina do homem
Doutrina do homemDoutrina do homem
Doutrina do homem
 
Teologia sistematica - Cristologia
Teologia sistematica - CristologiaTeologia sistematica - Cristologia
Teologia sistematica - Cristologia
 
Profetas Maiores.pptx
Profetas Maiores.pptxProfetas Maiores.pptx
Profetas Maiores.pptx
 
hamartiologia - Doutrina do pecado.
hamartiologia - Doutrina do pecado.hamartiologia - Doutrina do pecado.
hamartiologia - Doutrina do pecado.
 
Curso de Bibliologia
Curso de BibliologiaCurso de Bibliologia
Curso de Bibliologia
 
3. O Evangelho Segundo Mateus
3. O Evangelho Segundo Mateus3. O Evangelho Segundo Mateus
3. O Evangelho Segundo Mateus
 
Aula 6 eclesiologia
Aula 6   eclesiologiaAula 6   eclesiologia
Aula 6 eclesiologia
 
Teontologia - AULA 03
Teontologia - AULA 03Teontologia - AULA 03
Teontologia - AULA 03
 
Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01
 
Angelologia (power point)
Angelologia (power point)Angelologia (power point)
Angelologia (power point)
 
Doutrina de deus
Doutrina de deusDoutrina de deus
Doutrina de deus
 
Introdução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo TestamentoIntrodução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo Testamento
 
Teontologia - AULA 01
Teontologia - AULA 01Teontologia - AULA 01
Teontologia - AULA 01
 
Bibliologia - Cânon biblico
Bibliologia - Cânon biblicoBibliologia - Cânon biblico
Bibliologia - Cânon biblico
 
2. introdução ao novo testamento
2.  introdução ao novo testamento2.  introdução ao novo testamento
2. introdução ao novo testamento
 
Doutrina do Pecado
Doutrina do Pecado Doutrina do Pecado
Doutrina do Pecado
 
Ressurreição
RessurreiçãoRessurreição
Ressurreição
 
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza OliveiraPentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
 

Semelhante a Antropologia Bíblica.pptx

Escola Missionaria V.N.D
Escola Missionaria V.N.DEscola Missionaria V.N.D
Escola Missionaria V.N.D
Diego Roberto
 
(13) apresentação aula 13 a imagem e semelhança de deus.
(13) apresentação aula 13 a imagem e semelhança de deus.(13) apresentação aula 13 a imagem e semelhança de deus.
(13) apresentação aula 13 a imagem e semelhança de deus.
GlauciaSlides
 
Apostila 03
Apostila 03Apostila 03
Apostila 03
amaildo pereira
 
Estudos doutrinários no metodismo
Estudos doutrinários no metodismoEstudos doutrinários no metodismo
Estudos doutrinários no metodismo
Paulo Dias Nogueira
 
Apostila 03teologia
Apostila 03teologiaApostila 03teologia
Apostila 03teologia
Omar Gebara
 
Material de teologia
Material de teologia Material de teologia
Material de teologia
marcelo olegario
 
Apostila 03
Apostila 03Apostila 03
Apostila 03
Omar Gebara
 
Teologia 03
Teologia  03Teologia  03
Teologia 03
marcelo olegario
 
Apostila 03
Apostila 03Apostila 03
Apostila 03
amaildo pereira
 
LIÃO 1 A deformação do caráter humano
LIÃO 1 A deformação do caráter humanoLIÃO 1 A deformação do caráter humano
LIÃO 1 A deformação do caráter humano
Damiao Silva
 
Monografia - O estado Original do Homem
Monografia - O estado Original do HomemMonografia - O estado Original do Homem
Monografia - O estado Original do Homem
Rubens Bastos
 
Lição 1 - A Formação do Caráter Cristão
Lição 1 - A Formação do Caráter CristãoLição 1 - A Formação do Caráter Cristão
Lição 1 - A Formação do Caráter Cristão
I.A.D.F.J - SAMAMABAIA SUL
 
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃOLIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
Lourinaldo Serafim
 
Lição 01 a formação do caráter cristão
Lição 01   a formação do caráter cristãoLição 01   a formação do caráter cristão
Lição 01 a formação do caráter cristão
Daniel Felipe Kroth
 
Lição 02 - Todos Pecaram.pptx
Lição 02 - Todos Pecaram.pptxLição 02 - Todos Pecaram.pptx
Lição 02 - Todos Pecaram.pptx
Joel Silva
 
Elementos fundamentais de cristologia frei oton
Elementos fundamentais de cristologia   frei otonElementos fundamentais de cristologia   frei oton
Elementos fundamentais de cristologia frei oton
Zé Vitor Rabelo
 
Elementos fundamentais de cristologia frei oton
Elementos fundamentais de cristologia   frei otonElementos fundamentais de cristologia   frei oton
Elementos fundamentais de cristologia frei oton
Zé Vitor Rabelo
 
Elementos fundamentais de cristologia frei oton
Elementos fundamentais de cristologia   frei otonElementos fundamentais de cristologia   frei oton
Elementos fundamentais de cristologia frei oton
Zé Vitor Rabelo
 
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristãoLição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
Erberson Pinheiro
 
Um toque de amor
Um toque  de amorUm toque  de amor

Semelhante a Antropologia Bíblica.pptx (20)

Escola Missionaria V.N.D
Escola Missionaria V.N.DEscola Missionaria V.N.D
Escola Missionaria V.N.D
 
(13) apresentação aula 13 a imagem e semelhança de deus.
(13) apresentação aula 13 a imagem e semelhança de deus.(13) apresentação aula 13 a imagem e semelhança de deus.
(13) apresentação aula 13 a imagem e semelhança de deus.
 
Apostila 03
Apostila 03Apostila 03
Apostila 03
 
Estudos doutrinários no metodismo
Estudos doutrinários no metodismoEstudos doutrinários no metodismo
Estudos doutrinários no metodismo
 
Apostila 03teologia
Apostila 03teologiaApostila 03teologia
Apostila 03teologia
 
Material de teologia
Material de teologia Material de teologia
Material de teologia
 
Apostila 03
Apostila 03Apostila 03
Apostila 03
 
Teologia 03
Teologia  03Teologia  03
Teologia 03
 
Apostila 03
Apostila 03Apostila 03
Apostila 03
 
LIÃO 1 A deformação do caráter humano
LIÃO 1 A deformação do caráter humanoLIÃO 1 A deformação do caráter humano
LIÃO 1 A deformação do caráter humano
 
Monografia - O estado Original do Homem
Monografia - O estado Original do HomemMonografia - O estado Original do Homem
Monografia - O estado Original do Homem
 
Lição 1 - A Formação do Caráter Cristão
Lição 1 - A Formação do Caráter CristãoLição 1 - A Formação do Caráter Cristão
Lição 1 - A Formação do Caráter Cristão
 
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃOLIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
 
Lição 01 a formação do caráter cristão
Lição 01   a formação do caráter cristãoLição 01   a formação do caráter cristão
Lição 01 a formação do caráter cristão
 
Lição 02 - Todos Pecaram.pptx
Lição 02 - Todos Pecaram.pptxLição 02 - Todos Pecaram.pptx
Lição 02 - Todos Pecaram.pptx
 
Elementos fundamentais de cristologia frei oton
Elementos fundamentais de cristologia   frei otonElementos fundamentais de cristologia   frei oton
Elementos fundamentais de cristologia frei oton
 
Elementos fundamentais de cristologia frei oton
Elementos fundamentais de cristologia   frei otonElementos fundamentais de cristologia   frei oton
Elementos fundamentais de cristologia frei oton
 
Elementos fundamentais de cristologia frei oton
Elementos fundamentais de cristologia   frei otonElementos fundamentais de cristologia   frei oton
Elementos fundamentais de cristologia frei oton
 
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristãoLição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
 
Um toque de amor
Um toque  de amorUm toque  de amor
Um toque de amor
 

Último

Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
ESCRIBA DE CRISTO
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
ESCRIBA DE CRISTO
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 

Último (16)

Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 

Antropologia Bíblica.pptx

  • 2. O Relato Bíblico da Criação Humana • O quadro bíblico é que um Deus totalmente sábio, poderoso e bom criou a raça humana para amá-lo e servi-lo, e para desfrutar de um relacionamento com Ele. • A decisão divina de fazer os seres humanos em fazer em sua própria imagem e semelhança – Gn 1.26,27; • A ação divina concretizando essa decisão Gn 2.7
  • 3. A Criação humana direta da Escritura • Será que Deus criou diretamente toda constituição física e psicológica de Adão? Ou ele tomou um primata evoluído e o modificou, conferindo-lhe a imagem de Deus, de modo que se tornasse um ser humano vivo?
  • 4. Teísmo • Deus criou o primeiro organismo e depois atuou no processo de evolução intervindo ocasionalmente, entretanto, para modificar o que estava emergindo, Ele infundiu a alma humana numa forma física que já existia.
  • 5. Fiat • Deus criou todas as espécies num breve período de tempo
  • 6. Criacionismo Progressivo • Deus criou, de forma direta, cada um dos vários “tipos”, incluindo os homens; essas criações distintas constituíram uma série de passos ao longo de um bom período de tempo
  • 7. Abordagem Hermenêutica de Gênesis • Toda natureza humana era criação nova, ou alguma parte dela teve origem no processo de evolução? • Não seria o “pó” usado para formar Adão (Gn 2.7) mais que partículas materiais de terra? • Não poderiam representar, uma forma de vida pré-humana? (teísta)
  • 8. Resolução • A palavra pó aparece em Gn 2.7 e 3.19 • “porque tu és pó e ao pó retornarás” • Se interpretarmos 2.7 como alguma forma de vida preexistente, temos duas opções: ou seu significado deve ser diferente em 3.19 (bem como 3.14) ou temos uma situação um tanto abusrda.
  • 9. O significado teológico da criação humana. • 1. O homem não tem existência independente. Já que não estaríamos vivos, a não ser por Deus, tudo e temos e somos vêm dele. • 2. A humanidade faz parte da criação. Somos parte da sequência da criação. Deve haver harmonia entre nós e o restante da criação. • 3. A humanidade ocupa um lugar singular na criação – imagem e semelhança de Deus
  • 10. O significado teológico da criação humana • 4. Há um vínculo comum entre todos os seres humanos. O aspecto negativo de nossa descendência comum é que, no estado natural, todos os homens são filhos rebeldes do Pai celeste e, portanto, estão alienados dele e uns dos outros. • 5. Há limitações definidas sobre a humanidade. Nossa finitude significa que nosso conhecimento sempre será incompleto e sujeito a erros. O homem é mortal (Hb 9.27)
  • 11. O significado teológico da criação humana • 6. A limitação não é inerentemente má. Gn 1.31. A finitude bem pode nos conduzir ao pecado, caso deixemos de aceitar nossas limitações. Mas o simples fato de sermos limitados não produz inevitavelmente o pecado. Entretanto, reações descabidas em face dessa limitação ou constituem pecado ou podem provocá-lo. • 7. Os homens são algo maravilhosos. Apesar de criaturas somos as mais elevadas delas, as únicas feitas à imagem e semelhança de Deus. Os homens são grandes, mas o que os torna grandes é o fato de Deus os ter criado.
  • 12. Salmos 100.3-5 • Sabei que o SENHOR é Deus; foi ele que nos fez, e não nós a nós mesmos; somos povo seu e ovelhas do seu pasto. • Entrai pelas portas dele com gratidão, e em seus átrios com louvor; louvai-o, e bendizei o seu nome. • Porque o SENHOR é bom, e eterna a sua misericórdia; e a sua verdade dura de geração em geração
  • 13. A Imagem de Deus no Homem • Gn 1.26,27 – O versículo 26 é a declaração da intenção de Deus; ele inclui os termos selem e dêmûth,que são traduzidos respectivamente por “imagem” e “semelhança”. • Gn 5.1 temos uma recapitulação do que Deus fez • Gn 9.6 o homicídio é proibido pelo fato da raça humana ter sido criada à imagem e semelhança de Deus. • Homens pecadores continuaram carregando a imagem.
  • 14. A Imagem de Deus no Homem • No NT em 1Co 11.7; • Em Tiago 3.9 – Baseando-se no fato de que os homens são feitos à semelhança de Deus, o autor condena o uso da língua para amaldiçoar outros. • Atos 17.28 – Existem uma insinuação da imagem de Deus. • Romanos 8.29; • 2 Coríntios 3.18
  • 15. Concepções da Imagem Há 3 maneiras gerais de entender a natureza da imagem: • Concepção Substantiva da Imagem: Certas características da própria natureza da raça humana, características que podem ser físicas ou psicológicas e espirituais • Concepção Relacional:A vivência de um relacionamento entre os homens e Deus ou entre dois ou mais homens. • Concepção Funcional: Algo que os homens fazem.
  • 16. O Significado de “imagem de Deus” • Podemos usar a seguinte definição: o fato de ser o homem à imagem de Deus significa que ele é semelhante a Deus e o representa. • As palavras hebraicas que exprimem “imagem” (tselem) e “semelhança” (demût) se referem a algo similar, mas não idêntico, à coisa que representa ou de que é uma “imagem”. A palavra imagem pode também ser usada para exprimir algo que representa outra coisa.
  • 17. Gênesis 1.26 • “Façamos o homem como nós, para que nos represente”. • Quanto mais sabemos sobre Deus e o homem, mais semelhanças reconhecemos, e mais plenamente compreedemos o que as Escrituras querem dizer ao afirmar que o homem existe à semelhança de Deus.
  • 18. Gênesis 5.3 • “ Viveu Adão cento e trinta anos, e gerou um filho à sua semelhança [demût], conforme sua imagem [tselem], e lhe chamou Sete”. • Sete não era idêntico a Adão, mas era como ele em muitos aspectos específicos em que Sete era como Adão. • Todo aspecto segundo o qual homem é como Deus faz parte do fato de ser ele à imagem de Deus.
  • 19. A queda: a imagem de Deus se distorce, mas não se perde • Resposta em Gn 9.6. • Mesmo sendo os homens pecadores, ainda resta neles bastante semelhança a Deus, tanto que assassinar outra pessoa é atacar a parte da criação que mais se parece com Deus, e revela uma tentativa ou desejo de atacar o próprio Deus.expressão do Antigo Testamento que significa tirar a vida. • Todavia, sua pureza moral se perdeu, e seu caráter pecaminoso certamente não espelha a santidade de Deus. (Ec 7.29)
  • 20. A redenção em Cristo: a recuperação gradual da imagem de Deus. • Colossenses 3.10 • Somos refeitos • 2 Coríntios 3.18
  • 21. Na volta de Cristo: a completa restauração da imagem de Deus • Somos hoje como Adão (sujeitos à morte e ao pecado); • Seremos como Cristo no futuro (moralmente puros, jamais sujeitos à morte de novo) • 1 Co 15.49
  • 22. Concepção Substantiva • Alguns consideram que a imagem de Deus é um aspecto de nossa constituição física ou corporal. Ela é baseada na leitura literal da palavra hebraica selem. • As concepções mais comuns da imagem de Deus a isolam sob o aspecto de alguma qualidade psicológica ou espiritual da natureza humana. • As concepções concordam em um particular: a localização da imagem. Ela está colocada dentro do home.
  • 23. Concepção Relacional • Pensam na imagem de Deus como a vivência de uma relacionamento ; • Apresentamos imagem quando entramos em determinado relacionamento; • Emil Brunner e Karl Barth.
  • 24. Concepção Funcional • A imagem consiste em algo que fazemos. Trata- se de uma função que exercemos. • Gn 1.26 e Salmos 8.5,6; • Leonard Verduin – “A ideia de ter o domínio destaca-se como o aspecto central. Que o homem é uma criatura designada para ter domínio e que desse modo ele é segundo a imagem de seu Artífice”
  • 25. Avaliação das concepções • Relacional – Universalidade da imagem • Em que sentido pode-se dizer que os que estão vivendo em total indiferença para com Deus, ou mesmo em rebelião hostil contra ele, são imagem de Deus (ou nela estão)? • Funcional – Existe uma ligação muito estreita entre Gn 1 Salmo 8, mas essa concepção enfrenta dificuldades. • Os termos imagem e semelhança não aparecem no Salmo 8 • Substantiva – limita-se a um aspecto da na natureza humana. Razão
  • 26. Conclusões a respeito da natureza imagem 1. A imagem de Deus é universal em toda a raça humana; 2. A imagem de Deus não se perdeu em consequência do pecado. É algo inseparavelmente ligado à humanidade; 3. Não há indicação que a imagem esteja presente em maior grau numa pessoa que em outra; 4. A imagem de Deus não está relacionada com nenhuma variável – relações ou domínio; 5. A imagem é algo localizado na própria natureza dos homens, na maneira pela qual são formados; 6. A imagem diz respeito aos elementos que, na constituição dos seres humanos, permitem-lhes o cumprimento do seu destino
  • 27. Porque somos a imagem e semelhança de Deus • Jesus tinha perfeita comunhão com o Pai. (Jo 17) – Ele e o Pai são um (v. 21,22). Ele glorificou e glorificaria o Pai (1.1,4), e o Pai glorificou e o glorificaria (v. 1,5,22,24). • Jesus obedeceu perfeitamente a vontade do Pai. (Lc 22.42) • Jesus sempre demonstrou grande amor pelos homens. (Mt 9.36; 10.6), sua compaixão pelos doentes (Mc 1.41) e aflitos (Lc 7.13), sua paciência e perdão para os que haviam falhado.
  • 28. Implicações da Doutrina 1. Pertencemos a Deus – Mc 12.13-17 2. Devemos nos moldar de acordo com Jesus, que é a revelação complete de como é a imagem de Deus. (Hb 4.15) 3. Só experimentamos a plena humanidade quando nos relacionamos corretamente com Deus. (2 Co 3.18) 4. O exercício do domínio é uma consequência da imagem de Deus. Precisamos ganhar entendimento e controle da criação, bem como exercer domínio sobre nossa personalidade e habilidades. 5. O homem é valioso. (Gn 9.6) 6. A imagem é universal na humanidade (Gn 1.27 e 5.1,2)
  • 29. • A imagem de Deus e a natureza humana são mais bem compreendidas por meio do estudo da pessoa de Jesus; • Nosso entendimento da imagem é obtido da revelação divina; • A imagem de Deus é dinâmica; • O relacionamento dos homens, que constituem a imagem de Deus; • A imagem de Deus é universal – é encontrada em todos os seres humanos. • A imagem de Deus não é uma entidade que possuímos, mas uma experiência que está presente quando um relacionamento está em atividade.
  • 30. A natureza constitucional do homem • Que somos? • Somos um todo unitário? • Somos formados por dois ou mais componentes? • Se somos formados por múltiplos componentes, que componentes são esses?
  • 31. CONCEPÇÕES BÁSICAS DA CONSTITUIÇÃO HUMANA • Tricotomismo • Dicotomismo • Monismo
  • 32. Tricotomismo • Os homens são compostos de 3 elementos: • Corpo Físico: algo comum entre animais e plantas; • Alma: elemento psicológico, a base da razão, da emoção, das relações sociais etc. • Espírito: percepção de questões espirituais e reage aos estímulos espirituais. Centro das qualidades espirituais do indivíduo. • Texto Base: 1 Ts 5.23; 1 Co 2.14-3.4
  • 33. Dicotomismo • Material: Corpo • Imaterial: Alma ou Espírito
  • 34. Monismo • Não se pode pensar no homem como ser composto de partes ou entidades distintas, mas antes como uma unidade radical. • O homem é composto de um único elemento, e de que seu corpo é a própria pessoa • Não possibilidade de existência desencarnada após a morte; • A imortalidade da alma é inaceitável
  • 35. De onde vem nossa alma? • Criacionismo; • Traducionismo; • Preexistencialismo.
  • 36. Criacionismo • É a concepção de que Deus cria uma nova alma para cada pessoa e a envia ao corpo da pessoa em algum momento entre a concepção e o nascimento. • Defendido pelo Catolicismo e por Calvino
  • 37. Traducionismo • Sustenta que alma e o corpo da criança são herdados dos pais no momento da concepção. • Defendido por Lutero, Jonathan Edwards e A.H. Strong
  • 38. Preexistecialismo • Preconiza que as almas das pessoas existem no céu muito antes dos corpos serem concebidos no ventre das mães, e que Deus depois traz a alma à terra, unindo-a ao corpo do bebê enquanto ele se desenvolve no útero.