SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
Baixar para ler offline
AlgarveAlgarve
O nome Algarve vem do árabe al-Gharb al-
Ândalus, que significa o oeste da Andaluzia,
então sob domínio muçulmano.
Tem:
- 1 distrito: Faro;
- 16 concelhos;
- 450 484 habitantes (Censos 2011);
- área de 4.996 km2.
Clima temperado mediterrânico.
Constituído pelo litoral, barrocal e serra.
Chaminés do AlgarveChaminés do Algarve
Lenda das amendoeiras em florLenda das amendoeiras em flor
Música tradicionalMúsica tradicional
CorridinhoCorridinho
Danças:
● Corridinho;
http://www.youtube.com/watch?v=lpp5f2MbeQE&feature=related
● Bailes de roda;
● Bailes mandados.
Instrumentos:
● Viola campaniça;
● Bandolim;
● Violão;
● Cavaquinho;
● Flauta travessa de cana;
● Harmónica de boca;
● Triângulo/ ferrinhos;
● Acordeão/ concertina.
Trajes tradicionaisTrajes tradicionais
GastronomiaGastronomia
Litoral:
● peixes e mariscos:
● Sardinhas assadas;
● Atum (Tavira e VRSA);
● Polvo (Santa Luzia,
Tavira);
● Caldeirada;
● Amêijoas, ostras,
conquilhas, berbigões,
lingueirões.
● Barrocal:
● Laranjas, amêndoas,
figos, alfarrobas, romãs;
● Conserva de cenoura;
● Caracóis cozidos;
● Serra:
● Carne de porco,
enchidos, presuntos;
● Aguardente de
medronho;
● Pudim de mel de
Monchique.
DesportoDesporto
FutebolFutebol
DiversãoDiversão
Vila Real de Santo António -Vila Real de Santo António -
Castro Marim - SapalCastro Marim - Sapal
● Castelo;
● Forte de São Sebastião;
● Sapal.
AlcoutimAlcoutim
● Castelo;
● Castelo velho;
● Praia fluvial do Pego do Fundo.
Vaqueiros,Vaqueiros,
Parque Mineiro da Cova dos MourosParque Mineiro da Cova dos Mouros
São Brás de AlportelSão Brás de Alportel
● “Calçadinha” romana;
● Museu do trajo
algarvio;
TaviraTavira
●Igreja de Santa Maria do Castelo;
●Pego do Inferno.
Querença – Salir - AlteQuerença – Salir - Alte
●Querença: Parque da Fonte
Benémola;
●Salir: Rocha da Pena;
●Alte: fontes.
Castelo de PaderneCastelo de Paderne
MonchiqueMonchique
●Caldas de
Monchique;
●Fonte dos
amores;
●Miradouro da
Picota;
●Miradouro de
Fóia;
●Águia de Bonelli.
Odeceixe:Odeceixe: Praia - Parque Natural da Costa
Vicentina e Sudoeste Alentejano
AlzejurAlzejur
●Castelo;
●Fonte das mentiras;
●Ribeira de Aljezur.
Fortaleza de Sagres eFortaleza de Sagres e
Cabo de São VicenteCabo de São Vicente
Procurar atracções turísticasProcurar atracções turísticas
1 – Lagos
2 – Alvor
3 – Portimão
4 – Silves
5 – Carvoeiro, Armação de Pera, Albufeira, Vilamoura,
6 – Loulé
7 – Estoi e Milreu
8 – Faro, Olhão e Ria Formosa
Apresentação Oral sobre o Algarve
As chaminés do Algarve
Exemplo de perguntas: Já viu uma destas chaminés? Pode descrevê-la?
Estas chaminés são brancas, ainda que possam ter alguns apontamentos a ocre ou azul, e têm por
hábito ser muito trabalhadas. Antigamente costumava-se perguntar: “Quantos dias quer de
chaminé?”, isto é, quanto tempo desejava o cliente que demorasse o trabalho, uma vez que quanto
mais tempo demorasse, mais caro seria, mas também mais bonito.
Têm diferentes formas, tamanhos e até há casas com mais do que uma: normalmente a mais simples
ficava no sítio onde se costumava comer, e a outra, mais rendilhada, na cozinha, a qual era utilizada
para festas ou para receber visitas. De facto, mais do que úteis, as chaminés algarvias eram
decorativas.
Apesar de advirem de cinco séculos de influência mourisca, só começaram a ser produzidas cerca
de 200 anos após a expulsão dos árabes.
O interior algarvio, especialmente Querença, Martinlongo e Monchique, é onde se podem encontrar
muitas destas chaminés.
Lenda das Amendoeiras em Flor
Exemplo de perguntas: Conhece esta lenda? Pode contá-la?
A lenda das amendoeiras em flor passa-se em Silves e conta a história de um rei árabe, Ibn-
Almundim, e de uma princesa do Norte da Europa, Gilda. Depois de uma das muitas batalhas que
travava, o rei, moreno, com o cabelo e os olhos escuros, viu esta princesa, loira, muito branca e alta,
e decidiu tomá-la como sua esposa. Foram felizes durante algum tempo, até que a princesa começou
a dar sinais de tristeza e o rei, como gostava muito dela, quis saber o que se passava. A princesa,
então, diz-lhe que tem saudades da neve da sua terra. No Algarve, como faz muito calor e os
Invernos não são muito fortes, nunca neva. O rei começou a pensar no que haveria de fazer, até que
se lembrou da solução adequada. Foi ter com a princesa e disse-lhe “Princesa, não precisas ficar
triste. Na próxima Primavera, assoma-te à janela e vais ter uma surpresa.” Assim foi, na Primavera
seguinte a princesa espreitou pela janela e voltou a sorrir, porque a paisagem estava coberta por um
manto branco. O que ela não sabia era que o rei tinha mandado plantar amendoeiras por todo o
reino de modo a dar-lhe a ilusão de se encontrar no seu país, rodeada de neve.
Exemplo de actividades: Pedir aos mais novos para fazerem uma banda-desenhada depois de
ouvirem a lenda (desenharem o rei árabe e a princesa nórdica consoante a sua descrição física;
desenharem as estações do ano). Pedir para procurarem mais lendas. Pedir para inventarem uma
lenda. Pedir para imaginarem que a situação se passava no Norte da Europa e que a princesa era
uma moura e que estava triste por ver tanta neve.
Música Algarvia
Exemplo de perguntas: Conhece a música tradicional do Algarve? Conhece algum instrumento
típico? Sabe identificar algum cantor/ grupo musical algarvio?
No “corridinho”, “baile de roda” e “baile mandado”, os dançarinos obedecem às ordens do
“mandador”, o que proporciona uma visão deslumbrante com a profusão de cores que as saias das
dançarinas oferecem com as suas rodas sem parar. A constrastar com a animação destes bailes, o
cantar dos marinheiros é bem mais calmo. Trata-se de cantigas de trabalho que os ajudavam na sua
labor de puxar e lançar redes: se todos cantassem a mesma canção, significava que estavam no
mesmo ritmo, logo, mais coordenados para fazer o seu trabalho. Finalmente existem as “Janeiras”,
cantadas de porta em porta nos primeiros dias do ano.
Exemplo de actividades: Seleccionar exemplos de bailes e canções tradicionais algarvias e
apresentá-las ao resto da turma. Comentar a letra de uma das músicas. Tocar uma das músicas.
Trajos Tradicionais
Exemplo de perguntas: Pode descrever estes trajos?
O trajo algarvio é escuro e com pouca ou nenhuma cor garrida. O homem veste-se de preto e com
um chapéu de feltro, a mulher usa um lenço na cabeça e um vestido discreto. Apenas para os bailes
estão reservadas as cores mais chamativas.
Gastronomia
Exemplo de perguntas: Já comeu algum destes pratos? Pode descrevê-lo? A que sabe?
Doces tradicionais: Dom Rodrigos, Maçapão, Queijinhos de Figo, Morgados, Figos Recheados com
Amêndoas.
Exemplo de actividades: Fazer algumas receitas.
Desporto e Futebol
Exemplo de actividades: Pedir para identificar os desportos apresentados e perguntar pelo que falta.
Depois, pedir para idenficar os clubes.
Golfe, Ténis, Vela, Ciclismo, Karting e Mergulho.
Sporting Clube Olhanense, Portimonense Sporting Clube, Louletano Desportos Clube e Sporting
Clube Farense.
Diversão
Exemplo de perguntas: Já foi a algum destes sítios? Pode descrevê-lo? O que é que fez lá?
Vila Real de Santo António
V.R.S.A. foi construída em apenas dois anos, a mando de Sebastião José de Carvalho e Melo,
Marquês de Pombal, e segue o padrão iluminista do século XVIII. Em V.R.S.A. Pode-se visitar a
Praça Marquês de Pombal, a Avenida da República, acompanhada pela Marina, e ver os últimos
vestígios da indústria conserveira nesta cidade.
Castro Marim
O Castelo de Castro Marim foi fundado pelos Templários durante a Idade Média. Actualmente
recebe os “Dias Medievais”, em finais de Agosto. O Forte de São Sebastião data do século XVII e é
muito importante porque é o exemplar mais bem preservado. É ainda em Castro Marim que
podemos apreciar as salinas, cujo sal é considerado um dos melhores da Europa.
Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António
Situado junto à foz do rio Guadiana, ocupa uma área de 2 153 hectares e estende-se pelos concelhos
de Castro Marim e Vila Real de Santo António. Pode encontrar os famosos flamingos durante uma
viagem de comboio.
Alcoutim
Na primeira foto podemos ver o Castelo novo. Apesar de remontar à Pré-História, a nova
construção data do século XIV. O Castelo velho foi construído entre os séculos VIII e IX e revela
influência islâmica. Nas imagens da direita podemos ver a Praia Fluvial do Pego de Fundo, na
Ribeira dos Cadavais, um local bem aproveitado para relaxar ao som da natureza.
Vaqueiros, Parque Mineiro da Cova dos Mouros
Este parque tem vestígios de uma mina de cobre, redescoberta em 1865, e faz a reconstituição das
actividades da população que habitava a zona. Os visitantes podem fazer passeios de burro,
garimpagem (procurar minerais com um utensílio que os deixa à superfície), uma simulação de
escavação arqueológica, entre outros.
São Brás de Alportel
Em São Brás de Alportel pode-se percorrer a “calçadinha”, uma via romano-medieval muito bem
conservada até aos dias de hoje. É também nesta localidade que se pode visitar o Museu
Etnográfico do Trajo Algarvio, integrado na Casa da ultura António Bentes.
Tavira
Quantas Igrejas imagina que Tavira tem? Pois fique a saber que tem 37 Igrejas, sendo uma delas a
de Santa Maria do Castelo. É possivelmente a cidade com mais Igrejas em Portugal. Em Tavira
pode ainda passear junto ao rio Gilão e apreciar as casas senhoriais, os telhados em triângulo, as
cantarias, as janelas de reixa e as platibandas.
O Pego do Inferno é uma área de lazer com uma cascata com 5 metros de altura, o que acaba por
formar uma piscina muito funda, daí o nome de “pego do inferno”.
Querença, Salir e Alte
Em Querença e Salir localizam-se os Sítios Classificados da Fonte Benémola e Rocha da Pena,
respectivamente. O primeiro é o melhor exemplo da vegetação do barrocal algarvio (a transição
entre o litoral e a serra) e ocupa 392 ha, enquanto o segundo ocupa 637, localiza-se na tranzição
entre o barrocal e a serra algarvia e está apto para a prática de desportos como o parapente ou a
escalada.
Em Alte pode desfrutar das fontes, as quais antigamente serviam para abastecer a população local,
fazendo, para isso, mover os nove moinho existentes ao longo do seu curso. Actualmente são usadas
como uma piscina natural e as instalações convidam a um saudável pic-nic.
Castelo de Paderne
É um dos que aparece na bandeira portuguesa, já que foi um dos sete castelos conquistados aos
mouros por Dom Afonso Henriques. Foi conquistado em 1248. Apesar de ter estado ao abandono
durante muito tempo, por a população ter-se deslocado para outras áreas, tem sido alvo de inúmeras
obras de restauração.
Monchique
Em Monchique pode-se visitar as Caldas de Monchique, um complexo termal cujas águas são
terapêuticas. Também pode passar pela Fonte dos Amores.
A Fóia é o ponto mais alto do Algarve e a Águia de Bonelli, apesar de ser uma espécie em extinção,
ainda sobrevoa esta área.
Odeceixe
Em Odeceixe deixe-se deslumbrar pelo Parque Natural da Costa Vicentina e Sudoeste Alentejano, o
qual, como o nome indica, percorre não só o Algarve como também o Alentejo.
Aljezur
O Castelo de Aljezur foi construído pelos árabes no século X, tendo sido o último castelo a ser
conquistado aos mouros no Algarve.
A Ribeira de Aljezur nasce na Serra de Monchique e atravessa o Parque Natural da Costa Vicentina
e Sudoeste Alentejano.
Fortaleza de Sagres e Cabo de São Vicente
O Cabo de São Vicente é o ponto mais a ocidente do Algarve. Quanto à Fortaleza, terá sido
construída pelo Infante Dom Henrique, impulsionador dos Descobrimentos portugueses.
Exemplos de trabalhos de pesquisa:
Regras: A informação recolhida deve estar em português.
Objectivo: Construir um texto de entre 5 a 10 linhas sobre os temas pesquisados.
• a origem do nome “Algarve” e as cidades que começam por “al”; o artesanato no Algarve ;
Regras: texto de 5 linhas para o nome “Algarve”; texto de 5 linhas para o artesanato no
Algarve.
• a arquitectura do Algarve: chaminés, telhados de quatro águas, casas, etc.;
Regras: texto de 10 linhas.
• música tradicional algarvia: “corridinho”, “bailes de roda”, “bailes mandados”, cantigas de
trabalho dos pescadores, canções de embalar e “as janeiras”;
Regras: texto de 10 linhas.
• trajos tradicionais do Algarve;
Regras: texto de 5 linhas.
• gastronomia do Algarve: litoral, barrocal e serra (particular interesse pelos doces);
Regras: texto de, pelo menos, 5 linhas sobre a gastronomia do Algarve (como se fosse uma
introdução). Pesquisar algumas receitas algarvias (principalmente os doces tradicionais).
• o desporto no Algarve.
Regras: referir os desportos mais praticados no Algarve; introduzir os principais clubes de
futebol do Algarve. No total, este tema deve ter 10 linhas.
• pesquisar atracções turísticas dos seguintes sítios:
◦ Vila Real de Santo António e Castro Marim
Regras: referir a arquitectura de Vila Real; falar do Castelo e do Forte de Castro Marim.
Texto de 10 linhas no total.
◦ Caldas e termas de Monchique.
Regras: referir as principais características da Serra de Monchique; apresentar as caldas e
termas de Monchique. Texto de 10 linhas.
◦ Fortaleza de Sagres e Cabo de São Vicente
Regras: explicar a história da fortaleza de sagres e apresentar o Cabo de São Vicente. Texto
de 5 linhas
◦ Lagos, Alvor, Portimão e Silves;
Regras: por exemplo, em Lagos, procurar as muralhas e baluartes da cidade, o forte do pau
da bandeira e as grutas da ponta da piedade; em Alvor, procurar a Ria de Alvor; em
Portimão, porcura por Alcalar; em Silves, o castelo, a sé e o museu da cortiça. Texto de 10
linhas.
◦ Carvoeiro, Armação de Pera, Albufeira e Vilamoura;
Regras: no Carvoeiro, Armação de Pera, Albufeira e Vilamoura basta que falar no turismo
de praia. Texto de 10 linhas.
◦ Loulé, Estoi e Milreu;
Regras: por exemplo, em Loulé, procurar as ruínas romanas do cerro da vila; em Estoi, o
palácio; e em Milreu, as ruínas.
◦ Faro, Olhão e a Ria Formosa.
Regras: referir que Faro é a capital do Algarve e pesquisar sobre a Ria Formosa e a sua
fauna e flora. Texto de 3 linhas para Faro (e Olhão, se achar que é interessante). Texto de 10
linhas para a Ria Formosa (é muito importante).
• a natureza no Algarve:
◦ Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António;
Regras: texto de 10 linhas. Procurar informação sobre a fauna e a flora do Sapal.
◦ Parque Natural da Ria Formosa;
◦ Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina;
Regras: texto de 10 linhas. Procurar informação sobre a fauna e a flora.
◦ Rocha da Pena;
◦ Fonte Benémola.
Regras: texto de 10 linhas (cada tema deve ter 5 linhas). Procurar informação sobre a fauna
e a flora.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O cavaleiro da dinamarca categorias da narrativa
O cavaleiro da dinamarca  categorias da narrativaO cavaleiro da dinamarca  categorias da narrativa
O cavaleiro da dinamarca categorias da narrativafercariagomes
 
As disponibilidades hídricas
As disponibilidades hídricasAs disponibilidades hídricas
As disponibilidades hídricasIlda Bicacro
 
Formas relevo litoral
Formas relevo litoralFormas relevo litoral
Formas relevo litoralmanjosp
 
Turismo natureza
Turismo natureza  Turismo natureza
Turismo natureza kyzinha
 
Relatório da visita de estudo s. filipe
Relatório da visita de estudo s. filipeRelatório da visita de estudo s. filipe
Relatório da visita de estudo s. filipeTina Lima
 
As regiões agrárias: Entre Douro e Minho
As regiões agrárias: Entre Douro e MinhoAs regiões agrárias: Entre Douro e Minho
As regiões agrárias: Entre Douro e MinhoSara Guerra
 
Tipos de turismo - Geografia
Tipos de turismo - Geografia Tipos de turismo - Geografia
Tipos de turismo - Geografia abarros
 
Beira interior geografia a
Beira interior   geografia aBeira interior   geografia a
Beira interior geografia acarlosseco8
 
Património cultural
Património culturalPatrimónio cultural
Património culturalcattonia
 
"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - MensagemIga Almeida
 
Aveiro, Veneza De Portugal
Aveiro, Veneza De PortugalAveiro, Veneza De Portugal
Aveiro, Veneza De Portugalrafaelcalha
 
Agricultura Transmontana
Agricultura TransmontanaAgricultura Transmontana
Agricultura TransmontanaOxana Marian
 
A posição de Portugal na Europa e no Mundo
A posição de Portugal na Europa e no MundoA posição de Portugal na Europa e no Mundo
A posição de Portugal na Europa e no MundoVictor Veiga
 
Sermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - ResumoSermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - Resumocolegiomb
 

Mais procurados (20)

ARQUIPELAGO DA MADEIRA
ARQUIPELAGO DA MADEIRAARQUIPELAGO DA MADEIRA
ARQUIPELAGO DA MADEIRA
 
O cavaleiro da dinamarca categorias da narrativa
O cavaleiro da dinamarca  categorias da narrativaO cavaleiro da dinamarca  categorias da narrativa
O cavaleiro da dinamarca categorias da narrativa
 
As disponibilidades hídricas
As disponibilidades hídricasAs disponibilidades hídricas
As disponibilidades hídricas
 
Formas relevo litoral
Formas relevo litoralFormas relevo litoral
Formas relevo litoral
 
Turismo natureza
Turismo natureza  Turismo natureza
Turismo natureza
 
Relatório da visita de estudo s. filipe
Relatório da visita de estudo s. filipeRelatório da visita de estudo s. filipe
Relatório da visita de estudo s. filipe
 
As regiões agrárias: Entre Douro e Minho
As regiões agrárias: Entre Douro e MinhoAs regiões agrárias: Entre Douro e Minho
As regiões agrárias: Entre Douro e Minho
 
As serras de portugal
As serras de portugalAs serras de portugal
As serras de portugal
 
Tipos de turismo - Geografia
Tipos de turismo - Geografia Tipos de turismo - Geografia
Tipos de turismo - Geografia
 
Beira interior geografia a
Beira interior   geografia aBeira interior   geografia a
Beira interior geografia a
 
Património cultural
Património culturalPatrimónio cultural
Património cultural
 
"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem
 
Aveiro, Veneza De Portugal
Aveiro, Veneza De PortugalAveiro, Veneza De Portugal
Aveiro, Veneza De Portugal
 
O Algarve
O Algarve O Algarve
O Algarve
 
Agricultura Transmontana
Agricultura TransmontanaAgricultura Transmontana
Agricultura Transmontana
 
As cantigas de amigo
As cantigas de amigoAs cantigas de amigo
As cantigas de amigo
 
Algarve- Turismo
Algarve- TurismoAlgarve- Turismo
Algarve- Turismo
 
A posição de Portugal na Europa e no Mundo
A posição de Portugal na Europa e no MundoA posição de Portugal na Europa e no Mundo
A posição de Portugal na Europa e no Mundo
 
Sermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - ResumoSermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - Resumo
 
O resumo de Os Maias
O resumo de Os MaiasO resumo de Os Maias
O resumo de Os Maias
 

Semelhante a Algarve (20)

Alentejo
AlentejoAlentejo
Alentejo
 
Norte
NorteNorte
Norte
 
6ª A Costa de Caparica que desconhecia
6ª A Costa de Caparica que desconhecia6ª A Costa de Caparica que desconhecia
6ª A Costa de Caparica que desconhecia
 
Setubal Tecnicos de Turismo
Setubal Tecnicos de TurismoSetubal Tecnicos de Turismo
Setubal Tecnicos de Turismo
 
Costa de Caparica minha desconhecida
Costa de Caparica minha desconhecidaCosta de Caparica minha desconhecida
Costa de Caparica minha desconhecida
 
1207
12071207
1207
 
História do Bacalhau
História do BacalhauHistória do Bacalhau
História do Bacalhau
 
Os Fantásticos da Natureza - À procura da Águia-Pesqueira
Os Fantásticos da Natureza - À procura da Águia-PesqueiraOs Fantásticos da Natureza - À procura da Águia-Pesqueira
Os Fantásticos da Natureza - À procura da Águia-Pesqueira
 
Cabo Frio pontos turisticos
Cabo Frio pontos turisticosCabo Frio pontos turisticos
Cabo Frio pontos turisticos
 
Madeira e Açores
Madeira e AçoresMadeira e Açores
Madeira e Açores
 
A jóia da amazônia
A jóia da amazôniaA jóia da amazônia
A jóia da amazônia
 
A jóia da amazônia
A jóia da amazôniaA jóia da amazônia
A jóia da amazônia
 
Poesia Trovadoresca
Poesia TrovadorescaPoesia Trovadoresca
Poesia Trovadoresca
 
Identidade regional
Identidade regionalIdentidade regional
Identidade regional
 
Seosazulejosfalassem
SeosazulejosfalassemSeosazulejosfalassem
Seosazulejosfalassem
 
Ericeira
EriceiraEriceira
Ericeira
 
Praia do Barril Tavira
Praia do Barril TaviraPraia do Barril Tavira
Praia do Barril Tavira
 
Coisas do nosso algarve praia do barril tavira v
Coisas do nosso algarve praia do barril   tavira vCoisas do nosso algarve praia do barril   tavira v
Coisas do nosso algarve praia do barril tavira v
 
Lisboa e vale do tejo
Lisboa e vale do tejoLisboa e vale do tejo
Lisboa e vale do tejo
 
Fam trip omíada vila do bispo
Fam trip omíada vila do bispoFam trip omíada vila do bispo
Fam trip omíada vila do bispo
 

Mais de Ensinar Português Andaluzia

O Ensino de Português Língua Estrangeira na Andaluzia
O Ensino de Português Língua Estrangeira na AndaluziaO Ensino de Português Língua Estrangeira na Andaluzia
O Ensino de Português Língua Estrangeira na AndaluziaEnsinar Português Andaluzia
 
QuaREPE - Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro
QuaREPE - Quadro de Referência para o Ensino Português no EstrangeiroQuaREPE - Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro
QuaREPE - Quadro de Referência para o Ensino Português no EstrangeiroEnsinar Português Andaluzia
 
Portaria n.º 914/2009, de 17 de Agosto de 2009, publicada no Diário da Repúbl...
Portaria n.º 914/2009, de 17 de Agosto de 2009, publicada no Diário da Repúbl...Portaria n.º 914/2009, de 17 de Agosto de 2009, publicada no Diário da Repúbl...
Portaria n.º 914/2009, de 17 de Agosto de 2009, publicada no Diário da Repúbl...Ensinar Português Andaluzia
 
Despacho n.º 21 787/2005 (2.ª série), de 28 de Setembro de 2005, do Secretári...
Despacho n.º 21 787/2005 (2.ª série), de 28 de Setembro de 2005, do Secretári...Despacho n.º 21 787/2005 (2.ª série), de 28 de Setembro de 2005, do Secretári...
Despacho n.º 21 787/2005 (2.ª série), de 28 de Setembro de 2005, do Secretári...Ensinar Português Andaluzia
 
O Português para Falantes de outras Línguas - O Utilizador Independente no P...
O Português para Falantes de outras Línguas -  O Utilizador Independente no P...O Português para Falantes de outras Línguas -  O Utilizador Independente no P...
O Português para Falantes de outras Línguas - O Utilizador Independente no P...Ensinar Português Andaluzia
 
O Português para Falantes de outras Línguas - O Utilizador Elementar no País ...
O Português para Falantes de outras Línguas - O Utilizador Elementar no País ...O Português para Falantes de outras Línguas - O Utilizador Elementar no País ...
O Português para Falantes de outras Línguas - O Utilizador Elementar no País ...Ensinar Português Andaluzia
 
Testes de Diagnóstico de Português Língua Não Materna
Testes de Diagnóstico de Português Língua Não MaternaTestes de Diagnóstico de Português Língua Não Materna
Testes de Diagnóstico de Português Língua Não MaternaEnsinar Português Andaluzia
 
Português Língua Não Materna no Currículo Nacional - Orientações Nacionais
Português Língua Não Materna no Currículo Nacional - Orientações NacionaisPortuguês Língua Não Materna no Currículo Nacional - Orientações Nacionais
Português Língua Não Materna no Currículo Nacional - Orientações NacionaisEnsinar Português Andaluzia
 
Português Língua Não Materna no Currículo Nacional - Documento Orientador
Português Língua Não Materna no Currículo Nacional - Documento OrientadorPortuguês Língua Não Materna no Currículo Nacional - Documento Orientador
Português Língua Não Materna no Currículo Nacional - Documento OrientadorEnsinar Português Andaluzia
 
Orientações Programáticas de Português Língua Não Materna
Orientações Programáticas de Português Língua Não MaternaOrientações Programáticas de Português Língua Não Materna
Orientações Programáticas de Português Língua Não MaternaEnsinar Português Andaluzia
 
Auxiliares de conversación ana margarida laranjeira viegas - 29 jun13
Auxiliares de conversación   ana margarida laranjeira viegas - 29 jun13Auxiliares de conversación   ana margarida laranjeira viegas - 29 jun13
Auxiliares de conversación ana margarida laranjeira viegas - 29 jun13Ensinar Português Andaluzia
 
Auxiliares de Conversación Portugueses em Espanha
Auxiliares de Conversación Portugueses em EspanhaAuxiliares de Conversación Portugueses em Espanha
Auxiliares de Conversación Portugueses em EspanhaEnsinar Português Andaluzia
 

Mais de Ensinar Português Andaluzia (20)

O Ensino de Português Língua Estrangeira na Andaluzia
O Ensino de Português Língua Estrangeira na AndaluziaO Ensino de Português Língua Estrangeira na Andaluzia
O Ensino de Português Língua Estrangeira na Andaluzia
 
QuaREPE - Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro
QuaREPE - Quadro de Referência para o Ensino Português no EstrangeiroQuaREPE - Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro
QuaREPE - Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro
 
Portaria n.º 914/2009, de 17 de Agosto de 2009, publicada no Diário da Repúbl...
Portaria n.º 914/2009, de 17 de Agosto de 2009, publicada no Diário da Repúbl...Portaria n.º 914/2009, de 17 de Agosto de 2009, publicada no Diário da Repúbl...
Portaria n.º 914/2009, de 17 de Agosto de 2009, publicada no Diário da Repúbl...
 
Despacho n.º 21 787/2005 (2.ª série), de 28 de Setembro de 2005, do Secretári...
Despacho n.º 21 787/2005 (2.ª série), de 28 de Setembro de 2005, do Secretári...Despacho n.º 21 787/2005 (2.ª série), de 28 de Setembro de 2005, do Secretári...
Despacho n.º 21 787/2005 (2.ª série), de 28 de Setembro de 2005, do Secretári...
 
O Português para Falantes de outras Línguas - O Utilizador Independente no P...
O Português para Falantes de outras Línguas -  O Utilizador Independente no P...O Português para Falantes de outras Línguas -  O Utilizador Independente no P...
O Português para Falantes de outras Línguas - O Utilizador Independente no P...
 
O Português para Falantes de outras Línguas - O Utilizador Elementar no País ...
O Português para Falantes de outras Línguas - O Utilizador Elementar no País ...O Português para Falantes de outras Línguas - O Utilizador Elementar no País ...
O Português para Falantes de outras Línguas - O Utilizador Elementar no País ...
 
Testes de Diagnóstico de Português Língua Não Materna
Testes de Diagnóstico de Português Língua Não MaternaTestes de Diagnóstico de Português Língua Não Materna
Testes de Diagnóstico de Português Língua Não Materna
 
Português Língua Não Materna no Currículo Nacional - Orientações Nacionais
Português Língua Não Materna no Currículo Nacional - Orientações NacionaisPortuguês Língua Não Materna no Currículo Nacional - Orientações Nacionais
Português Língua Não Materna no Currículo Nacional - Orientações Nacionais
 
Português Língua Não Materna no Currículo Nacional - Documento Orientador
Português Língua Não Materna no Currículo Nacional - Documento OrientadorPortuguês Língua Não Materna no Currículo Nacional - Documento Orientador
Português Língua Não Materna no Currículo Nacional - Documento Orientador
 
Orientações Programáticas de Português Língua Não Materna
Orientações Programáticas de Português Língua Não MaternaOrientações Programáticas de Português Língua Não Materna
Orientações Programáticas de Português Língua Não Materna
 
Esclarecimento
EsclarecimentoEsclarecimento
Esclarecimento
 
Auxiliares de conversación ana margarida laranjeira viegas - 29 jun13
Auxiliares de conversación   ana margarida laranjeira viegas - 29 jun13Auxiliares de conversación   ana margarida laranjeira viegas - 29 jun13
Auxiliares de conversación ana margarida laranjeira viegas - 29 jun13
 
Auxiliares de Conversación Portugueses em Espanha
Auxiliares de Conversación Portugueses em EspanhaAuxiliares de Conversación Portugueses em Espanha
Auxiliares de Conversación Portugueses em Espanha
 
Sistema educativo português
Sistema educativo portuguêsSistema educativo português
Sistema educativo português
 
Transportes
TransportesTransportes
Transportes
 
Saudação e expressão de gostos
Saudação e expressão de gostosSaudação e expressão de gostos
Saudação e expressão de gostos
 
Profissões de portugueses famosos
Profissões de portugueses famososProfissões de portugueses famosos
Profissões de portugueses famosos
 
Profissões ii
Profissões iiProfissões ii
Profissões ii
 
Profissões
ProfissõesProfissões
Profissões
 
Pretérito perfeito composto
Pretérito perfeito compostoPretérito perfeito composto
Pretérito perfeito composto
 

Último

Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAElianeAlves383563
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxsfwsoficial
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxpatriciapedroso82
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 

Último (20)

Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 

Algarve

  • 2. O nome Algarve vem do árabe al-Gharb al- Ândalus, que significa o oeste da Andaluzia, então sob domínio muçulmano. Tem: - 1 distrito: Faro; - 16 concelhos; - 450 484 habitantes (Censos 2011); - área de 4.996 km2. Clima temperado mediterrânico. Constituído pelo litoral, barrocal e serra.
  • 4. Lenda das amendoeiras em florLenda das amendoeiras em flor
  • 5. Música tradicionalMúsica tradicional CorridinhoCorridinho Danças: ● Corridinho; http://www.youtube.com/watch?v=lpp5f2MbeQE&feature=related ● Bailes de roda; ● Bailes mandados. Instrumentos: ● Viola campaniça; ● Bandolim; ● Violão; ● Cavaquinho; ● Flauta travessa de cana; ● Harmónica de boca; ● Triângulo/ ferrinhos; ● Acordeão/ concertina.
  • 7. GastronomiaGastronomia Litoral: ● peixes e mariscos: ● Sardinhas assadas; ● Atum (Tavira e VRSA); ● Polvo (Santa Luzia, Tavira); ● Caldeirada; ● Amêijoas, ostras, conquilhas, berbigões, lingueirões. ● Barrocal: ● Laranjas, amêndoas, figos, alfarrobas, romãs; ● Conserva de cenoura; ● Caracóis cozidos; ● Serra: ● Carne de porco, enchidos, presuntos; ● Aguardente de medronho; ● Pudim de mel de Monchique.
  • 8.
  • 12. Vila Real de Santo António -Vila Real de Santo António - Castro Marim - SapalCastro Marim - Sapal ● Castelo; ● Forte de São Sebastião; ● Sapal.
  • 13. AlcoutimAlcoutim ● Castelo; ● Castelo velho; ● Praia fluvial do Pego do Fundo.
  • 14. Vaqueiros,Vaqueiros, Parque Mineiro da Cova dos MourosParque Mineiro da Cova dos Mouros
  • 15. São Brás de AlportelSão Brás de Alportel ● “Calçadinha” romana; ● Museu do trajo algarvio;
  • 16. TaviraTavira ●Igreja de Santa Maria do Castelo; ●Pego do Inferno.
  • 17. Querença – Salir - AlteQuerença – Salir - Alte ●Querença: Parque da Fonte Benémola; ●Salir: Rocha da Pena; ●Alte: fontes.
  • 19. MonchiqueMonchique ●Caldas de Monchique; ●Fonte dos amores; ●Miradouro da Picota; ●Miradouro de Fóia; ●Águia de Bonelli.
  • 20. Odeceixe:Odeceixe: Praia - Parque Natural da Costa Vicentina e Sudoeste Alentejano
  • 22. Fortaleza de Sagres eFortaleza de Sagres e Cabo de São VicenteCabo de São Vicente
  • 23. Procurar atracções turísticasProcurar atracções turísticas 1 – Lagos 2 – Alvor 3 – Portimão 4 – Silves 5 – Carvoeiro, Armação de Pera, Albufeira, Vilamoura, 6 – Loulé 7 – Estoi e Milreu 8 – Faro, Olhão e Ria Formosa
  • 24. Apresentação Oral sobre o Algarve As chaminés do Algarve Exemplo de perguntas: Já viu uma destas chaminés? Pode descrevê-la? Estas chaminés são brancas, ainda que possam ter alguns apontamentos a ocre ou azul, e têm por hábito ser muito trabalhadas. Antigamente costumava-se perguntar: “Quantos dias quer de chaminé?”, isto é, quanto tempo desejava o cliente que demorasse o trabalho, uma vez que quanto mais tempo demorasse, mais caro seria, mas também mais bonito. Têm diferentes formas, tamanhos e até há casas com mais do que uma: normalmente a mais simples ficava no sítio onde se costumava comer, e a outra, mais rendilhada, na cozinha, a qual era utilizada para festas ou para receber visitas. De facto, mais do que úteis, as chaminés algarvias eram decorativas. Apesar de advirem de cinco séculos de influência mourisca, só começaram a ser produzidas cerca de 200 anos após a expulsão dos árabes. O interior algarvio, especialmente Querença, Martinlongo e Monchique, é onde se podem encontrar muitas destas chaminés. Lenda das Amendoeiras em Flor Exemplo de perguntas: Conhece esta lenda? Pode contá-la? A lenda das amendoeiras em flor passa-se em Silves e conta a história de um rei árabe, Ibn- Almundim, e de uma princesa do Norte da Europa, Gilda. Depois de uma das muitas batalhas que travava, o rei, moreno, com o cabelo e os olhos escuros, viu esta princesa, loira, muito branca e alta, e decidiu tomá-la como sua esposa. Foram felizes durante algum tempo, até que a princesa começou a dar sinais de tristeza e o rei, como gostava muito dela, quis saber o que se passava. A princesa, então, diz-lhe que tem saudades da neve da sua terra. No Algarve, como faz muito calor e os Invernos não são muito fortes, nunca neva. O rei começou a pensar no que haveria de fazer, até que se lembrou da solução adequada. Foi ter com a princesa e disse-lhe “Princesa, não precisas ficar triste. Na próxima Primavera, assoma-te à janela e vais ter uma surpresa.” Assim foi, na Primavera seguinte a princesa espreitou pela janela e voltou a sorrir, porque a paisagem estava coberta por um manto branco. O que ela não sabia era que o rei tinha mandado plantar amendoeiras por todo o reino de modo a dar-lhe a ilusão de se encontrar no seu país, rodeada de neve. Exemplo de actividades: Pedir aos mais novos para fazerem uma banda-desenhada depois de ouvirem a lenda (desenharem o rei árabe e a princesa nórdica consoante a sua descrição física; desenharem as estações do ano). Pedir para procurarem mais lendas. Pedir para inventarem uma lenda. Pedir para imaginarem que a situação se passava no Norte da Europa e que a princesa era uma moura e que estava triste por ver tanta neve. Música Algarvia Exemplo de perguntas: Conhece a música tradicional do Algarve? Conhece algum instrumento típico? Sabe identificar algum cantor/ grupo musical algarvio? No “corridinho”, “baile de roda” e “baile mandado”, os dançarinos obedecem às ordens do “mandador”, o que proporciona uma visão deslumbrante com a profusão de cores que as saias das dançarinas oferecem com as suas rodas sem parar. A constrastar com a animação destes bailes, o cantar dos marinheiros é bem mais calmo. Trata-se de cantigas de trabalho que os ajudavam na sua labor de puxar e lançar redes: se todos cantassem a mesma canção, significava que estavam no mesmo ritmo, logo, mais coordenados para fazer o seu trabalho. Finalmente existem as “Janeiras”, cantadas de porta em porta nos primeiros dias do ano. Exemplo de actividades: Seleccionar exemplos de bailes e canções tradicionais algarvias e apresentá-las ao resto da turma. Comentar a letra de uma das músicas. Tocar uma das músicas.
  • 25. Trajos Tradicionais Exemplo de perguntas: Pode descrever estes trajos? O trajo algarvio é escuro e com pouca ou nenhuma cor garrida. O homem veste-se de preto e com um chapéu de feltro, a mulher usa um lenço na cabeça e um vestido discreto. Apenas para os bailes estão reservadas as cores mais chamativas. Gastronomia Exemplo de perguntas: Já comeu algum destes pratos? Pode descrevê-lo? A que sabe? Doces tradicionais: Dom Rodrigos, Maçapão, Queijinhos de Figo, Morgados, Figos Recheados com Amêndoas. Exemplo de actividades: Fazer algumas receitas. Desporto e Futebol Exemplo de actividades: Pedir para identificar os desportos apresentados e perguntar pelo que falta. Depois, pedir para idenficar os clubes. Golfe, Ténis, Vela, Ciclismo, Karting e Mergulho. Sporting Clube Olhanense, Portimonense Sporting Clube, Louletano Desportos Clube e Sporting Clube Farense. Diversão Exemplo de perguntas: Já foi a algum destes sítios? Pode descrevê-lo? O que é que fez lá? Vila Real de Santo António V.R.S.A. foi construída em apenas dois anos, a mando de Sebastião José de Carvalho e Melo, Marquês de Pombal, e segue o padrão iluminista do século XVIII. Em V.R.S.A. Pode-se visitar a Praça Marquês de Pombal, a Avenida da República, acompanhada pela Marina, e ver os últimos vestígios da indústria conserveira nesta cidade. Castro Marim O Castelo de Castro Marim foi fundado pelos Templários durante a Idade Média. Actualmente recebe os “Dias Medievais”, em finais de Agosto. O Forte de São Sebastião data do século XVII e é muito importante porque é o exemplar mais bem preservado. É ainda em Castro Marim que podemos apreciar as salinas, cujo sal é considerado um dos melhores da Europa. Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António Situado junto à foz do rio Guadiana, ocupa uma área de 2 153 hectares e estende-se pelos concelhos de Castro Marim e Vila Real de Santo António. Pode encontrar os famosos flamingos durante uma viagem de comboio. Alcoutim Na primeira foto podemos ver o Castelo novo. Apesar de remontar à Pré-História, a nova construção data do século XIV. O Castelo velho foi construído entre os séculos VIII e IX e revela influência islâmica. Nas imagens da direita podemos ver a Praia Fluvial do Pego de Fundo, na Ribeira dos Cadavais, um local bem aproveitado para relaxar ao som da natureza. Vaqueiros, Parque Mineiro da Cova dos Mouros Este parque tem vestígios de uma mina de cobre, redescoberta em 1865, e faz a reconstituição das actividades da população que habitava a zona. Os visitantes podem fazer passeios de burro, garimpagem (procurar minerais com um utensílio que os deixa à superfície), uma simulação de escavação arqueológica, entre outros.
  • 26. São Brás de Alportel Em São Brás de Alportel pode-se percorrer a “calçadinha”, uma via romano-medieval muito bem conservada até aos dias de hoje. É também nesta localidade que se pode visitar o Museu Etnográfico do Trajo Algarvio, integrado na Casa da ultura António Bentes. Tavira Quantas Igrejas imagina que Tavira tem? Pois fique a saber que tem 37 Igrejas, sendo uma delas a de Santa Maria do Castelo. É possivelmente a cidade com mais Igrejas em Portugal. Em Tavira pode ainda passear junto ao rio Gilão e apreciar as casas senhoriais, os telhados em triângulo, as cantarias, as janelas de reixa e as platibandas. O Pego do Inferno é uma área de lazer com uma cascata com 5 metros de altura, o que acaba por formar uma piscina muito funda, daí o nome de “pego do inferno”. Querença, Salir e Alte Em Querença e Salir localizam-se os Sítios Classificados da Fonte Benémola e Rocha da Pena, respectivamente. O primeiro é o melhor exemplo da vegetação do barrocal algarvio (a transição entre o litoral e a serra) e ocupa 392 ha, enquanto o segundo ocupa 637, localiza-se na tranzição entre o barrocal e a serra algarvia e está apto para a prática de desportos como o parapente ou a escalada. Em Alte pode desfrutar das fontes, as quais antigamente serviam para abastecer a população local, fazendo, para isso, mover os nove moinho existentes ao longo do seu curso. Actualmente são usadas como uma piscina natural e as instalações convidam a um saudável pic-nic. Castelo de Paderne É um dos que aparece na bandeira portuguesa, já que foi um dos sete castelos conquistados aos mouros por Dom Afonso Henriques. Foi conquistado em 1248. Apesar de ter estado ao abandono durante muito tempo, por a população ter-se deslocado para outras áreas, tem sido alvo de inúmeras obras de restauração. Monchique Em Monchique pode-se visitar as Caldas de Monchique, um complexo termal cujas águas são terapêuticas. Também pode passar pela Fonte dos Amores. A Fóia é o ponto mais alto do Algarve e a Águia de Bonelli, apesar de ser uma espécie em extinção, ainda sobrevoa esta área. Odeceixe Em Odeceixe deixe-se deslumbrar pelo Parque Natural da Costa Vicentina e Sudoeste Alentejano, o qual, como o nome indica, percorre não só o Algarve como também o Alentejo. Aljezur O Castelo de Aljezur foi construído pelos árabes no século X, tendo sido o último castelo a ser conquistado aos mouros no Algarve. A Ribeira de Aljezur nasce na Serra de Monchique e atravessa o Parque Natural da Costa Vicentina e Sudoeste Alentejano. Fortaleza de Sagres e Cabo de São Vicente O Cabo de São Vicente é o ponto mais a ocidente do Algarve. Quanto à Fortaleza, terá sido construída pelo Infante Dom Henrique, impulsionador dos Descobrimentos portugueses.
  • 27. Exemplos de trabalhos de pesquisa: Regras: A informação recolhida deve estar em português. Objectivo: Construir um texto de entre 5 a 10 linhas sobre os temas pesquisados. • a origem do nome “Algarve” e as cidades que começam por “al”; o artesanato no Algarve ; Regras: texto de 5 linhas para o nome “Algarve”; texto de 5 linhas para o artesanato no Algarve. • a arquitectura do Algarve: chaminés, telhados de quatro águas, casas, etc.; Regras: texto de 10 linhas. • música tradicional algarvia: “corridinho”, “bailes de roda”, “bailes mandados”, cantigas de trabalho dos pescadores, canções de embalar e “as janeiras”; Regras: texto de 10 linhas. • trajos tradicionais do Algarve; Regras: texto de 5 linhas. • gastronomia do Algarve: litoral, barrocal e serra (particular interesse pelos doces); Regras: texto de, pelo menos, 5 linhas sobre a gastronomia do Algarve (como se fosse uma introdução). Pesquisar algumas receitas algarvias (principalmente os doces tradicionais). • o desporto no Algarve. Regras: referir os desportos mais praticados no Algarve; introduzir os principais clubes de futebol do Algarve. No total, este tema deve ter 10 linhas. • pesquisar atracções turísticas dos seguintes sítios: ◦ Vila Real de Santo António e Castro Marim Regras: referir a arquitectura de Vila Real; falar do Castelo e do Forte de Castro Marim. Texto de 10 linhas no total. ◦ Caldas e termas de Monchique. Regras: referir as principais características da Serra de Monchique; apresentar as caldas e termas de Monchique. Texto de 10 linhas. ◦ Fortaleza de Sagres e Cabo de São Vicente Regras: explicar a história da fortaleza de sagres e apresentar o Cabo de São Vicente. Texto de 5 linhas ◦ Lagos, Alvor, Portimão e Silves; Regras: por exemplo, em Lagos, procurar as muralhas e baluartes da cidade, o forte do pau da bandeira e as grutas da ponta da piedade; em Alvor, procurar a Ria de Alvor; em Portimão, porcura por Alcalar; em Silves, o castelo, a sé e o museu da cortiça. Texto de 10 linhas. ◦ Carvoeiro, Armação de Pera, Albufeira e Vilamoura; Regras: no Carvoeiro, Armação de Pera, Albufeira e Vilamoura basta que falar no turismo de praia. Texto de 10 linhas.
  • 28. ◦ Loulé, Estoi e Milreu; Regras: por exemplo, em Loulé, procurar as ruínas romanas do cerro da vila; em Estoi, o palácio; e em Milreu, as ruínas. ◦ Faro, Olhão e a Ria Formosa. Regras: referir que Faro é a capital do Algarve e pesquisar sobre a Ria Formosa e a sua fauna e flora. Texto de 3 linhas para Faro (e Olhão, se achar que é interessante). Texto de 10 linhas para a Ria Formosa (é muito importante). • a natureza no Algarve: ◦ Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António; Regras: texto de 10 linhas. Procurar informação sobre a fauna e a flora do Sapal. ◦ Parque Natural da Ria Formosa; ◦ Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina; Regras: texto de 10 linhas. Procurar informação sobre a fauna e a flora. ◦ Rocha da Pena; ◦ Fonte Benémola. Regras: texto de 10 linhas (cada tema deve ter 5 linhas). Procurar informação sobre a fauna e a flora.