SlideShare uma empresa Scribd logo
Gerhard Ett, Dr Diretor Electrocell Coordenador ABNT -  CB67  - Hidrogênio e Célula a combustível “ Workshop sobre Tecnologia de Hidrogênio – Normalização ” NATAL – 07.07.2010 DESENVOLVIMENTO DAS NORMAS TÉCNICAS DE HIDROGÊNIO NA  ABNT  E NA  ISO
Células a Combustível - Tecnologia do hidrogênio
Cenário ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Pior seca dos últimos 60 anos  (Greenpeace –Rio Amazonas 2005) Revista Época – out. 2006
WHIC-2010
TECNOLOGIA ,[object Object],CEPEL
Hidrogênio ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Propriedades   H 2    CH 4   C 3 H 8   (GN)  (GLP) Densidade 0.08988 0.7175  2.011 (Kg/m 3 ) Constante de gás 4124 518.8 188.5 (J/KgK) Temperatura de  530 645 510 ignição no ar (ºC) Limite de ignição  4.1-72.5 5.1-13.5 2.5-9.3 no ar (Vol.% ) Máxima velocidade  346 43 47 de queima (cm/s)
Comparação de densidades energéticas
Fontes para Geração de Hidrogênio - Amanhã ,[object Object],Hidrogênio Renovável Cana de Açúcar Resíduos/Dejetos Florestas Óleos Hidrelétrica Lenha Carvão Vegetal Briquetes Biodiesel Álcool Biogás Vinhoto Bagaço e Palha Eletrólise da água Solar / Eólica
Fontes para Geração de Hidrogênio - HOJE ,[object Object],Fonte: Key World Energy Statistics 2004  Total 500 bilhões de M3/ano Antes de normalizar é impressindível conhecer o mercado e a tecnologia
Produção de hidrogênio ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],TC 197/WG 8 Hydrogen generators using water electrolysis process TC 197/WG 9 Hydrogen generators using fuel processing technologies
Produção de hidrogênio (cont.) ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Armazenamento de Hidrogênio ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Cilindro de alumínio revestido  com fibra de carbono e resina ISO  TC 197/WG 15 Gaseous hydrogen - Cylinders and tubes for stationary storage
Segurança do Hidrogênio ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],TC 197/WG 13 Hydrogen detectors
Oque são? São geradores eletroquímicos de eletricidade “ Convertem energia química em energia elétrica  através das reações de oxidação do combustível (hidrogênio) e redução do comburente (oxigênio) promovidas pelo catalisador.” CÉLULAS A COMBUSTÍVEL IEC WG 1 - Terminology
Princípio de funcionamento  (Tipo PEM) No ânodo: 2H 2      4H +   +  4e - No cátodo:  O 2   +  4H +      2H 2 O Reação Global:  2H 2  + O 2      2H 2 O
As células a combustível são mais antigas que o  motor a combustão! Christian Friedrich Schoenbein – O descobridor (Philosophical Magazine - Jan.1838) (Princípio de funcionamento - Fev.1842) H 2 SO 4  com eletrodos de Pt William Robert Grove – O inventor
Principais características
Aplicações
Vantagens e desvantagens
Membranas São membranas de troca iônica  seletiva a prótons, cuja espessura varia espessura=50-180 µ m “ A membrana é uma cadeia polimérica flúor-carbono (esqueleto) com pequena porcentagem de grupos ácidos (sufônicos) fixados covalentemente, e neles o hidrogênio pode  ser parcialmente ou totalmente trocado por cátions ou grupos catiônicos. “ Apresenta excelente condutividade, estabilidade química e térmica. Muito utilizadas em processos químicos de cloro-soda, eletrolizadores de água, dializadores MEMBRANA=Co-polímero entre tetrafluoroetileno e  Fluoreto de perfluoro-3,6dioxa-4-metil-7-octenosulfonil
Catalisadores Por que platina?  Concentração: Projeto Gemini: 28mg/cm2 Hoje: 0,18 mg/cm2 - Electrocell O importante não é a concentração, mas sim a  área H 2  + 2Pt    2 Pt-H  2Pt-H    2 Pt + 2H +  + 2e -  (reação espontânea) Área: 100m 2 /g  Estrutura: Nanocristalina
MEA  ( Membrane Electrode Assemble) = MEA Catalisador + Eletrodos + Membrana
Características das PEM ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Placas coletoras ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Na Células a combustível a eficiência não esta limitado ao ciclo de Carnot (LHV): -241,84 kJ/mol  (água na forma líquida)  Cálculo da eficiência elétrica V Tensão de trabalho % 0,4V 0,32 0,6V 0,48 0,8V 0,64 WG 11 - Fuel cell technologies - Part 7-1: Single Cell Test Method for Polymer Electrolyte Fuel Cell (PEFC)
Empilhamento (Norma ABNT)
Empilhamento ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Same eficency, 1/5 in size IEC - WG 2 - Fuel cell modules
Fluxograma de processo Unidade de controle gasoso H2 Unidade de Baterias Ar comprimido Unidade Inversora Unidade de  Umidificação Unidade de  Umidificação Sistema de controle e  segurança Sistema de diagnóstico e monitoração Sistema de resfriamento H 2 Unidade de controle gasoso O2 Stack Carga Rede Chave de transferência
 
Principais VANTAGENS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
MERCADO - BRASIL ,[object Object],Electrocell Hytron Unitech Novocell
Mercado ,[object Object],[object Object],[object Object],H2  PREÇO H2  LOGÍSTICA, ARMAZENAGEM H2 + MERCADO +
GM ,[object Object],[object Object]
Potential markets for Electrocell in Brazil ,[object Object],[object Object],6.000 Hospitals  and Chirurgic centers  263  Shoppings Centers  43.961 -  Mobile applications Antennas 1.291 ISPs and Datacenters 270.000 Mainframes 2MW back-up 5 to 10kW 1.000 Modern office buildings 159 Banks
Célula a Combustível Estacionária ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Ecogem 50kW Cliente: Eletropaulo Liaison entre outros Grupos de trabalho - COBEI IEC - WG 4 - Performance of Fuel Cell Power Systems
Forma de onda without charge  - Complete system- with charge   - Complete  system- Ecogem 50kW
Célula 5kW e Reformador a Gás Natural  Integração de sistema   ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Cliente:  CEPEL Ecogem 5kW Liaison entre outros Grupos de trabalho - COBEI Tecnologia brasileira IEC - WG 4 - Performance of Fuel Cell Power Systems
OUTROS PAÍSES Célula a combustível e hidrogênio ISSO É BRASIL!
Projeções de Mercado ,[object Object],[object Object],Fonte: DTI 2004 Japan Report  Em 2021- superior a US$ 2 tri
NIP
DOE
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Production & Delivery of Hydrogen ,[object Object],[object Object],[object Object],Fuel Cells for Stationary Power, Auxiliary Power, and Specialty Vehicles Fuel cells can be a cost-competitive option for critical-load facilities, backup power, and forklifts. The largest markets for fuel cells today are in stationary power, portable power, auxiliary power units, and forklifts. ~75,000  fuel cells have been shipped worldwide. ~24,000  fuel cells were shipped in 2009 (> 40% increase over 2008). Several manufacturers—including Toyota, Honda, Hyundai, Daimler, GM, and Proterra (buses) —have announced plans to commercialize vehicles by 2015. EUA - Apresentação EUA na Plenária do ISO / Essen 2010 Glenn Scheffler for Antonio Ruiz - US Department of Energy
JAPÃO
JAPÃO – Apresentação na Plenária do ISO / Essen 2010
 
COREIA DO SUL
 
 
ISO - TC 197/WG 5 Gaseous hydrogen - Land vehicle filling connectors
Inauguração do Posto de H2 em Berlim / Alemanha em  24.05.2010
Ônibus a Hidrogênio - COPPE – RJ  ,[object Object],[object Object],[object Object],Tecnologia brasileira
Congresso  Internacional de Hidrogênio  - Alemanha / Essen – 24.05.10
Congresso  Internacional de Hidrogênio  - Alemanha / Essen – 24.05.10
Congresso  Internacional de Hidrogênio  - Alemanha / Essen – 24.05.10
BMW ,[object Object],[object Object],[object Object],2000 Series 7 (745h) FUEL TYPE Gasoline/liquid hydrogen  ENGINE TYPE ICE (fuel cell APU)  FUEL CELL SIZE/TYPE 5 kW/PEM  FUEL CELL MANUFACTURER UTC RANGE – 180 mi (300 km)  MPG EQUIVALENT – n/a  MAX SPEED – 140 mph IEC - WG 6 - Fuel cell system for propulsion and auxiliary power units (APU)
Daimler  Chrysler
FORD O P2000 (Taunus) utiliza células da Ballards do tipo PEM. Iniciou os estudos com Fuel cell em 1990.  Em 2002 abandonou o programa Th!nk Membro do grupo Freedom CAR
GM ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Honda ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Toyota ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
VW
Ônibus ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Hyundai
Submarinos Submarino U 31 classe 212, em teste no mar Baltico Projeto desenvolvido por Howaldtswerke-Deutsche Werft AG  A Siemens forneceu as células para o U 31 do submarino alemão e para o submarino Grego da classe 209, com  opção para 40 unidades de células do tipo PEM
Navios Cruzeiros (Projeto HDW) Trasporte de containers (Projeto HDW) Fragata  Schleswig Holstein  (Projeto HDW)
NASA Helios
Especificações Técnicas:   http://www.dfrc.nasa.gov Envergadura da Asa: 74 m Comprimento: 3,6 m Área de asa: 183 m2 Peso vazio: 600 kg Peso máximo: 928 kg, dependendo da missão e potência disponível Carga útil: 329 kg, incluído instrumentos e energia suplementar Energia Elétrica: 62120 células solares dupla face com eficiência de 19% Propulsão: 14 motores elétricos DC de 2 HP cada um, hélices de 2 metros projetadas para grande altitude+Fuel Cell Velocidade: 30 a 43 km/h a baixas altitudes e até 273 km/h a grandes altitudes Altitude: Até 100.000 pés  Autonomia: De muitos dias até muitos meses Materiais: Fibra de carbono, Kevlar®, plástico transparente de alta resistência
Congresso  Internacional de Hidrogênio  - Alemanha / Essen – 24.05.10
RESERVA DE MERCADO - PATENTES Célula a combustível e hidrogênio
Provocações Revista CHIP (Alemanha) – 06/2010 Patentes Mundiais por habitantes
Revista CHIP (Alemanha) – 06/2010 EUROPA
Revista CHIP (Alemanha) – 06/2010 EUROPA
ISO e IEC Célula a combustível e hidrogênio
Plenária ISO e Congresso WHIC – 2010 / Essen ,[object Object],[object Object],[object Object]
Desenvolvimento das Normas Técnicas de Hidrogênio na ABNT e na ISO. ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
ISO ISO Subcommittee/Working Group Title  Hydrogen technologies TC 197/WG 5 Gaseous hydrogen - Land vehicle filling connectors TC 197/WG 6 Gaseous hydrogen and hydrogen blends - Land vehicle fuel tanks TC 197/WG 8 Hydrogen generators using water electrolysis process TC 197/WG 9 Hydrogen generators using fuel processing technologies TC 197/WG 10 Transportable gas storage devices - Hydrogen absorbed in reversible metal hydride TC 197/WG 11 Gaseous hydrogen - Service stations TC 197/WG 12 Hydrogen fuel - Product specification TC 197/WG 13 Hydrogen detectors TC 197/WG 14 Hydrogen fuel - Product Specification - Proton exchange membrane (PEM) fuel cell applications for stationary appliances TC 197/WG 15 Gaseous hydrogen - Cylinders and tubes for stationary storage
IEC IEC Working Group :  WG 1 - Terminology WG 2 - Fuel cell modules WG 3 - Stationary fuel cell power systems - Safety WG 4 - Performance of Fuel Cell Power Systems WG 5 - Stationary Fuel Cell Power Systems - Installation WG 6 - Fuel cell system for propulsion and auxiliary power units (APU) WG 7 - Portable fuel cell power systems - Safety WG 8 - Micro fuel cell power systems - Safety WG 9 - Micro fuel cell power systems - Performance WG 10 - Micro fuel cell power systems - Interchangeability WG 11 - Fuel cell technologies - Part 7-1: Single Cell Test Method for Polymer Electrolyte Fuel Cell (PEFC) WG AHG1 - Identification of the market needs for standardization work on fuel cell systems for propulsion and auxiliary power units
Grupo de trabalho  - ABNT Grupo de trabalho Sub-grupos   referência:  IEC Working Group Referência:  ISO Working Group GT1 GT1-1 Terminologia WG1   GT2 GT2-0 Empilhamento WG2     GT2-1 Empilhamento SOFC (STACK)       GT2-2 Empilhamento MCFC, AFC,  PAFC (STACK)       GT2-3 Empilhamento PEM (STACK)     GT3 GT3-0 Módulos WG4     GT3-1 Módulo Estacionário WG3, WG5     GT3-2 Módulo Automotor WG6, WG AHG1 WG5, WG6   GT3-3 Módulo Portátil WG7, WG8, WG8, WG9, WG10   GT4 GT4-0 Hidrogênio - Produção, armazenagem e trasporte   WG11, WG12, WG13   GT4-1 Produção Hidrogênio - Eletrólise   WG8   GT4-2 Produção Hidrogênio - REFORMA   WG9   GT4-3 Armazenamento Hidrogênio   WG10, WG15   GT4-4 Transporte Hidrogênio     GT5 GT5 Célula a combustível WG11   GT6 GT6 Componentes e periféricos aberto WG14
Normas em andamento ISO Projeto Responsável Standard and/or project     ISO 13984:1999     Liquid hydrogen -- Land vehicle fuelling system interface     ISO 13985:2006     Liquid hydrogen -- Land vehicle fuel tanks PN 00:001.67 -003/1 Mauricio Cantão ISO 14687:1999     Hydrogen fuel -- Product specification   Mauricio Cantão ISO 14687:1999/Cor 1:2001   Mauricio Cantão ISO 14687:1999/Cor 2:2008     ISO/TS 14687-2:2008     Hydrogen fuel -- Product specification -- Part 2: Proton exchange membrane (PEM) fuel cell applications for road vehicles     ISO/PAS 15594:2004     Airport hydrogen fuelling facility operations     ISO/TS 15869:2009     Gaseous hydrogen and hydrogen blends -- Land vehicle fuel tanks PN 00:001.67 - 005 Hani Hussein Aly El Sharawy ISO/TR 15916:2004   Adriana C. Rocha (*) Basic considerations for the safety of hydrogen systems PN 00:001.67 - 002/1 Pedro Villalobos ISO 16110-1:2007   Cristiano da Silva Pinto  Hydrogen generators using fuel processing technologies -- Part 1: Safety     ISO 16111:2008     Transportable gas storage devices -- Hydrogen absorbed in reversible metal hydride PN 00:0001.67-004 Jorge Trota ISO 17268:2006   Paulo Emílio V. de Miranda Compressed hydrogen surface vehicle refuelling connection devices     ISO/TS 20100:2008     Gaseous hydrogen -- Fuelling stations     ISO 22734-1:2008     Hydrogen generators using water electrolysis process -- Part 1: Industrial and commercial applications
NORMAS de HIDROGÊNIO e  Células a Combustível em 2010  1. ABNT IEC/TS 62282-1:2009 Terminologia 2. ABNT ISO/TR 15916:2010  Considerações básicas para a segurança dos sistemas de hidrogênio 3. ABNT NBR ISO 14687-1:2010  Combustível de hidrogênio – Especificação do produto  Parte 1: Todas as aplicações, exceto células a combustível de membrana de troca de prótons (PEM) para veículos rodoviários automotores 4. ABNT NBR ISO 16110-1:2010  Geradores de hidrogênio que utilizam tecnologias de processamento de combustível  Parte 1: Segurança 5. ABNT NBR ISO 17268:2010  Dispositivos de conexão para reabastecimento de veículos terrestres com hidrogênio comprimido 6. ABNT NBR IEC 62282-2: 2010 (CONSULTA NACIONAL – 21.06.10) Tecnologia de Célula a Combustível  - Parte 2 Previsão - elaboração 5 para 2010
Hidrogênio e Células a combustível são mais que um passo para a preservação de nosso maravilhoso  . NATAL – 06.07.10
Obrigado ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Celula combustivel
Celula combustivelCelula combustivel
Celula combustivel
André Luís da Silva
 
Apresentação pdf
Apresentação pdfApresentação pdf
Apresentação pdf
MaTeus Angelo
 
Energia eólica
Energia eólicaEnergia eólica
Energia eólica
Edicleia Rainha Ester
 
Matriz energética brasileira
Matriz energética brasileiraMatriz energética brasileira
Matriz energética brasileira
Edivan Costa
 
Aula 02 hidrogênio.ppt
Aula 02   hidrogênio.ppt Aula 02   hidrogênio.ppt
Aula 02 hidrogênio.ppt
Yuri José
 
Energia eolica
Energia eolicaEnergia eolica
Energia eolica
Maxsuel Trindade
 
Energia termonuclear (c)
Energia  termonuclear (c)Energia  termonuclear (c)
Energia termonuclear (c)
Romualdo Caetano Barros
 
Energia eólica - Cenário e perspectivas no Brasil
Energia eólica - Cenário e perspectivas no BrasilEnergia eólica - Cenário e perspectivas no Brasil
Energia eólica - Cenário e perspectivas no Brasil
monica silva
 
Apresentação da amareleja
Apresentação da amarelejaApresentação da amareleja
Apresentação da amareleja
Ana Lu Ribeiro
 
Artigo Científico sobre "A Evolução da Energia Eólica"
Artigo Científico sobre "A Evolução da Energia Eólica"Artigo Científico sobre "A Evolução da Energia Eólica"
Artigo Científico sobre "A Evolução da Energia Eólica"
Klayton Clemente
 
valorizacao_da_radiacao_solar[1]
valorizacao_da_radiacao_solar[1]valorizacao_da_radiacao_solar[1]
valorizacao_da_radiacao_solar[1]
Ministério da Educação
 
G9 energia nuclear e biomassa
G9   energia nuclear e biomassaG9   energia nuclear e biomassa
G9 energia nuclear e biomassa
cristbarb
 
As Energias Solar e Eólica casasolar 2013
As Energias Solar e Eólica casasolar 2013As Energias Solar e Eólica casasolar 2013
As Energias Solar e Eólica casasolar 2013
fpv_transilvania
 
Questão 02
Questão 02Questão 02
Questão 02
Diogo de Lucena
 
Energia elétrica
Energia elétricaEnergia elétrica
Energia elétrica
Professor
 
Empreendimentos Energéticos Sustentáveis
Empreendimentos Energéticos SustentáveisEmpreendimentos Energéticos Sustentáveis
Empreendimentos Energéticos Sustentáveis
Jim Naturesa
 
Energia Eolica
Energia EolicaEnergia Eolica
Energia Eolica
educacao f
 
Energia Elétrica Aula
Energia Elétrica AulaEnergia Elétrica Aula
Energia Elétrica Aula
Professor
 
Palestra prof heitor sclambrini 21-09-2011
Palestra prof heitor sclambrini  21-09-2011Palestra prof heitor sclambrini  21-09-2011
Palestra prof heitor sclambrini 21-09-2011
Marcelo Luiz
 
Apresentação 06 08-2013
Apresentação 06 08-2013Apresentação 06 08-2013
Apresentação 06 08-2013
Luiz Paulo Oliveira
 

Mais procurados (20)

Celula combustivel
Celula combustivelCelula combustivel
Celula combustivel
 
Apresentação pdf
Apresentação pdfApresentação pdf
Apresentação pdf
 
Energia eólica
Energia eólicaEnergia eólica
Energia eólica
 
Matriz energética brasileira
Matriz energética brasileiraMatriz energética brasileira
Matriz energética brasileira
 
Aula 02 hidrogênio.ppt
Aula 02   hidrogênio.ppt Aula 02   hidrogênio.ppt
Aula 02 hidrogênio.ppt
 
Energia eolica
Energia eolicaEnergia eolica
Energia eolica
 
Energia termonuclear (c)
Energia  termonuclear (c)Energia  termonuclear (c)
Energia termonuclear (c)
 
Energia eólica - Cenário e perspectivas no Brasil
Energia eólica - Cenário e perspectivas no BrasilEnergia eólica - Cenário e perspectivas no Brasil
Energia eólica - Cenário e perspectivas no Brasil
 
Apresentação da amareleja
Apresentação da amarelejaApresentação da amareleja
Apresentação da amareleja
 
Artigo Científico sobre "A Evolução da Energia Eólica"
Artigo Científico sobre "A Evolução da Energia Eólica"Artigo Científico sobre "A Evolução da Energia Eólica"
Artigo Científico sobre "A Evolução da Energia Eólica"
 
valorizacao_da_radiacao_solar[1]
valorizacao_da_radiacao_solar[1]valorizacao_da_radiacao_solar[1]
valorizacao_da_radiacao_solar[1]
 
G9 energia nuclear e biomassa
G9   energia nuclear e biomassaG9   energia nuclear e biomassa
G9 energia nuclear e biomassa
 
As Energias Solar e Eólica casasolar 2013
As Energias Solar e Eólica casasolar 2013As Energias Solar e Eólica casasolar 2013
As Energias Solar e Eólica casasolar 2013
 
Questão 02
Questão 02Questão 02
Questão 02
 
Energia elétrica
Energia elétricaEnergia elétrica
Energia elétrica
 
Empreendimentos Energéticos Sustentáveis
Empreendimentos Energéticos SustentáveisEmpreendimentos Energéticos Sustentáveis
Empreendimentos Energéticos Sustentáveis
 
Energia Eolica
Energia EolicaEnergia Eolica
Energia Eolica
 
Energia Elétrica Aula
Energia Elétrica AulaEnergia Elétrica Aula
Energia Elétrica Aula
 
Palestra prof heitor sclambrini 21-09-2011
Palestra prof heitor sclambrini  21-09-2011Palestra prof heitor sclambrini  21-09-2011
Palestra prof heitor sclambrini 21-09-2011
 
Apresentação 06 08-2013
Apresentação 06 08-2013Apresentação 06 08-2013
Apresentação 06 08-2013
 

Destaque

Produção de hidrogénio nas fontes de energia renováveis
Produção de hidrogénio nas fontes de energia renováveis Produção de hidrogénio nas fontes de energia renováveis
Produção de hidrogénio nas fontes de energia renováveis
sr adil
 
Energia hidraulica (1)
Energia hidraulica (1)Energia hidraulica (1)
Energia hidraulica (1)
chemaportaceli
 
La energía hidráulica
La energía hidráulicaLa energía hidráulica
La energía hidráulica
sara2011wiki
 
Apresentação Hidrogênio Global
Apresentação Hidrogênio GlobalApresentação Hidrogênio Global
Apresentação Hidrogênio Global
h2hcontrol
 
HyEnergy- Research in Hydrogen
HyEnergy- Research in HydrogenHyEnergy- Research in Hydrogen
HyEnergy- Research in Hydrogen
nraulji
 
GENERADOR HIDRAULICO
GENERADOR HIDRAULICOGENERADOR HIDRAULICO
GENERADOR HIDRAULICO
Susan Cuellar Silva
 
Calculo reservatorios
Calculo reservatoriosCalculo reservatorios
Calculo reservatorios
Carlos Elson Cunha
 
Pasos para elaborar anteproyecto
Pasos para elaborar anteproyectoPasos para elaborar anteproyecto
Pasos para elaborar anteproyecto
vale2310
 

Destaque (8)

Produção de hidrogénio nas fontes de energia renováveis
Produção de hidrogénio nas fontes de energia renováveis Produção de hidrogénio nas fontes de energia renováveis
Produção de hidrogénio nas fontes de energia renováveis
 
Energia hidraulica (1)
Energia hidraulica (1)Energia hidraulica (1)
Energia hidraulica (1)
 
La energía hidráulica
La energía hidráulicaLa energía hidráulica
La energía hidráulica
 
Apresentação Hidrogênio Global
Apresentação Hidrogênio GlobalApresentação Hidrogênio Global
Apresentação Hidrogênio Global
 
HyEnergy- Research in Hydrogen
HyEnergy- Research in HydrogenHyEnergy- Research in Hydrogen
HyEnergy- Research in Hydrogen
 
GENERADOR HIDRAULICO
GENERADOR HIDRAULICOGENERADOR HIDRAULICO
GENERADOR HIDRAULICO
 
Calculo reservatorios
Calculo reservatoriosCalculo reservatorios
Calculo reservatorios
 
Pasos para elaborar anteproyecto
Pasos para elaborar anteproyectoPasos para elaborar anteproyecto
Pasos para elaborar anteproyecto
 

Semelhante a Abnt natal

Amb mdl 2011 guilherme 16 40
Amb mdl 2011 guilherme 16 40Amb mdl 2011 guilherme 16 40
Amb mdl 2011 guilherme 16 40
forumsustentar
 
Apresentação Dr. José Marques
Apresentação Dr. José MarquesApresentação Dr. José Marques
Apresentação Dr. José Marques
cideias
 
17 Nov08 Nelson Pereira
17 Nov08 Nelson Pereira17 Nov08 Nelson Pereira
17 Nov08 Nelson Pereira
h2portugal
 
17 Nov08 CM Rangel/RA Silva
17 Nov08 CM Rangel/RA Silva17 Nov08 CM Rangel/RA Silva
17 Nov08 CM Rangel/RA Silva
h2portugal
 
Economia do hidrogênio
Economia do hidrogênioEconomia do hidrogênio
Economia do hidrogênio
Leonam Guimarães
 
Economia do hidrogênio
Economia do hidrogênioEconomia do hidrogênio
Economia do hidrogênio
Leonam Guimarães
 
CombustívelPa .pdf
CombustívelPa .pdfCombustívelPa .pdf
CombustívelPa .pdf
adao18
 
Acguamotor
AcguamotorAcguamotor
Acguamotor
Idolindo Gabrecht
 
CONOTEL - Congresso Nacional de Hotéis
CONOTEL - Congresso Nacional de HotéisCONOTEL - Congresso Nacional de Hotéis
CONOTEL - Congresso Nacional de Hotéis
TEKNERGIA
 
Experiência da Arcelor Mittal Brasil com Projetos de MDL
Experiência da Arcelor Mittal Brasil com Projetos de MDLExperiência da Arcelor Mittal Brasil com Projetos de MDL
Experiência da Arcelor Mittal Brasil com Projetos de MDL
Editora Fórum
 
O posicionamento das empresas de energia num Mundo em mudança
O posicionamento das empresas de energia num Mundo em mudançaO posicionamento das empresas de energia num Mundo em mudança
O posicionamento das empresas de energia num Mundo em mudança
amvidigal
 
Gas es instalacao-prediais
Gas es instalacao-prediaisGas es instalacao-prediais
Gas es instalacao-prediais
Gabi Coelho
 
Gas es instalacao-prediais
Gas es instalacao-prediaisGas es instalacao-prediais
Gas es instalacao-prediais
Diego Santos
 
Apresentação Artigo 1.pptx
Apresentação Artigo 1.pptxApresentação Artigo 1.pptx
Apresentação Artigo 1.pptx
ValquiroLima
 
reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocombustível po...
reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocombustível po...reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocombustível po...
reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocombustível po...
André Bellin Mariano
 
Artigo 9 reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocom...
Artigo 9   reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocom...Artigo 9   reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocom...
Artigo 9 reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocom...
André Bellin Mariano
 
Cogeracao de energia
Cogeracao de energiaCogeracao de energia
Cogeracao de energia
Ricardo Lanzarin
 
Roberto Teixeira Pessine 25 Abril 2008
Roberto Teixeira Pessine 25 Abril 2008Roberto Teixeira Pessine 25 Abril 2008
Roberto Teixeira Pessine 25 Abril 2008
guestd0f8d58
 
Carvão mineral
Carvão mineralCarvão mineral
Carvão mineral
Adelor Felipe
 
Alan nb augustobp_elieltong_electrochemical-energy-conversion-and-storage-tec...
Alan nb augustobp_elieltong_electrochemical-energy-conversion-and-storage-tec...Alan nb augustobp_elieltong_electrochemical-energy-conversion-and-storage-tec...
Alan nb augustobp_elieltong_electrochemical-energy-conversion-and-storage-tec...
Elielton Grzeça
 

Semelhante a Abnt natal (20)

Amb mdl 2011 guilherme 16 40
Amb mdl 2011 guilherme 16 40Amb mdl 2011 guilherme 16 40
Amb mdl 2011 guilherme 16 40
 
Apresentação Dr. José Marques
Apresentação Dr. José MarquesApresentação Dr. José Marques
Apresentação Dr. José Marques
 
17 Nov08 Nelson Pereira
17 Nov08 Nelson Pereira17 Nov08 Nelson Pereira
17 Nov08 Nelson Pereira
 
17 Nov08 CM Rangel/RA Silva
17 Nov08 CM Rangel/RA Silva17 Nov08 CM Rangel/RA Silva
17 Nov08 CM Rangel/RA Silva
 
Economia do hidrogênio
Economia do hidrogênioEconomia do hidrogênio
Economia do hidrogênio
 
Economia do hidrogênio
Economia do hidrogênioEconomia do hidrogênio
Economia do hidrogênio
 
CombustívelPa .pdf
CombustívelPa .pdfCombustívelPa .pdf
CombustívelPa .pdf
 
Acguamotor
AcguamotorAcguamotor
Acguamotor
 
CONOTEL - Congresso Nacional de Hotéis
CONOTEL - Congresso Nacional de HotéisCONOTEL - Congresso Nacional de Hotéis
CONOTEL - Congresso Nacional de Hotéis
 
Experiência da Arcelor Mittal Brasil com Projetos de MDL
Experiência da Arcelor Mittal Brasil com Projetos de MDLExperiência da Arcelor Mittal Brasil com Projetos de MDL
Experiência da Arcelor Mittal Brasil com Projetos de MDL
 
O posicionamento das empresas de energia num Mundo em mudança
O posicionamento das empresas de energia num Mundo em mudançaO posicionamento das empresas de energia num Mundo em mudança
O posicionamento das empresas de energia num Mundo em mudança
 
Gas es instalacao-prediais
Gas es instalacao-prediaisGas es instalacao-prediais
Gas es instalacao-prediais
 
Gas es instalacao-prediais
Gas es instalacao-prediaisGas es instalacao-prediais
Gas es instalacao-prediais
 
Apresentação Artigo 1.pptx
Apresentação Artigo 1.pptxApresentação Artigo 1.pptx
Apresentação Artigo 1.pptx
 
reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocombustível po...
reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocombustível po...reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocombustível po...
reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocombustível po...
 
Artigo 9 reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocom...
Artigo 9   reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocom...Artigo 9   reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocom...
Artigo 9 reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocom...
 
Cogeracao de energia
Cogeracao de energiaCogeracao de energia
Cogeracao de energia
 
Roberto Teixeira Pessine 25 Abril 2008
Roberto Teixeira Pessine 25 Abril 2008Roberto Teixeira Pessine 25 Abril 2008
Roberto Teixeira Pessine 25 Abril 2008
 
Carvão mineral
Carvão mineralCarvão mineral
Carvão mineral
 
Alan nb augustobp_elieltong_electrochemical-energy-conversion-and-storage-tec...
Alan nb augustobp_elieltong_electrochemical-energy-conversion-and-storage-tec...Alan nb augustobp_elieltong_electrochemical-energy-conversion-and-storage-tec...
Alan nb augustobp_elieltong_electrochemical-energy-conversion-and-storage-tec...
 

Último

Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 

Último (20)

Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 

Abnt natal

  • 1. Gerhard Ett, Dr Diretor Electrocell Coordenador ABNT - CB67 - Hidrogênio e Célula a combustível “ Workshop sobre Tecnologia de Hidrogênio – Normalização ” NATAL – 07.07.2010 DESENVOLVIMENTO DAS NORMAS TÉCNICAS DE HIDROGÊNIO NA ABNT E NA ISO
  • 2. Células a Combustível - Tecnologia do hidrogênio
  • 3.
  • 5.
  • 6.
  • 7. Propriedades H 2 CH 4 C 3 H 8 (GN) (GLP) Densidade 0.08988 0.7175 2.011 (Kg/m 3 ) Constante de gás 4124 518.8 188.5 (J/KgK) Temperatura de 530 645 510 ignição no ar (ºC) Limite de ignição 4.1-72.5 5.1-13.5 2.5-9.3 no ar (Vol.% ) Máxima velocidade 346 43 47 de queima (cm/s)
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15. Oque são? São geradores eletroquímicos de eletricidade “ Convertem energia química em energia elétrica através das reações de oxidação do combustível (hidrogênio) e redução do comburente (oxigênio) promovidas pelo catalisador.” CÉLULAS A COMBUSTÍVEL IEC WG 1 - Terminology
  • 16. Princípio de funcionamento (Tipo PEM) No ânodo: 2H 2  4H + + 4e - No cátodo: O 2 + 4H +  2H 2 O Reação Global: 2H 2 + O 2  2H 2 O
  • 17. As células a combustível são mais antigas que o motor a combustão! Christian Friedrich Schoenbein – O descobridor (Philosophical Magazine - Jan.1838) (Princípio de funcionamento - Fev.1842) H 2 SO 4 com eletrodos de Pt William Robert Grove – O inventor
  • 21. Membranas São membranas de troca iônica seletiva a prótons, cuja espessura varia espessura=50-180 µ m “ A membrana é uma cadeia polimérica flúor-carbono (esqueleto) com pequena porcentagem de grupos ácidos (sufônicos) fixados covalentemente, e neles o hidrogênio pode ser parcialmente ou totalmente trocado por cátions ou grupos catiônicos. “ Apresenta excelente condutividade, estabilidade química e térmica. Muito utilizadas em processos químicos de cloro-soda, eletrolizadores de água, dializadores MEMBRANA=Co-polímero entre tetrafluoroetileno e Fluoreto de perfluoro-3,6dioxa-4-metil-7-octenosulfonil
  • 22. Catalisadores Por que platina? Concentração: Projeto Gemini: 28mg/cm2 Hoje: 0,18 mg/cm2 - Electrocell O importante não é a concentração, mas sim a área H 2 + 2Pt  2 Pt-H 2Pt-H  2 Pt + 2H + + 2e - (reação espontânea) Área: 100m 2 /g Estrutura: Nanocristalina
  • 23. MEA ( Membrane Electrode Assemble) = MEA Catalisador + Eletrodos + Membrana
  • 24.
  • 25.
  • 26. Na Células a combustível a eficiência não esta limitado ao ciclo de Carnot (LHV): -241,84 kJ/mol (água na forma líquida) Cálculo da eficiência elétrica V Tensão de trabalho % 0,4V 0,32 0,6V 0,48 0,8V 0,64 WG 11 - Fuel cell technologies - Part 7-1: Single Cell Test Method for Polymer Electrolyte Fuel Cell (PEFC)
  • 28.
  • 29. Fluxograma de processo Unidade de controle gasoso H2 Unidade de Baterias Ar comprimido Unidade Inversora Unidade de Umidificação Unidade de Umidificação Sistema de controle e segurança Sistema de diagnóstico e monitoração Sistema de resfriamento H 2 Unidade de controle gasoso O2 Stack Carga Rede Chave de transferência
  • 30.  
  • 31.
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 35.
  • 36.
  • 37. Forma de onda without charge - Complete system- with charge - Complete system- Ecogem 50kW
  • 38.
  • 39. OUTROS PAÍSES Célula a combustível e hidrogênio ISSO É BRASIL!
  • 40.
  • 41. NIP
  • 42. DOE
  • 43.
  • 45. JAPÃO – Apresentação na Plenária do ISO / Essen 2010
  • 46.  
  • 48.  
  • 49.  
  • 50. ISO - TC 197/WG 5 Gaseous hydrogen - Land vehicle filling connectors
  • 51. Inauguração do Posto de H2 em Berlim / Alemanha em 24.05.2010
  • 52.
  • 53. Congresso Internacional de Hidrogênio - Alemanha / Essen – 24.05.10
  • 54. Congresso Internacional de Hidrogênio - Alemanha / Essen – 24.05.10
  • 55. Congresso Internacional de Hidrogênio - Alemanha / Essen – 24.05.10
  • 56.
  • 58. FORD O P2000 (Taunus) utiliza células da Ballards do tipo PEM. Iniciou os estudos com Fuel cell em 1990. Em 2002 abandonou o programa Th!nk Membro do grupo Freedom CAR
  • 59.
  • 60.
  • 61.
  • 62. VW
  • 63.
  • 65. Submarinos Submarino U 31 classe 212, em teste no mar Baltico Projeto desenvolvido por Howaldtswerke-Deutsche Werft AG A Siemens forneceu as células para o U 31 do submarino alemão e para o submarino Grego da classe 209, com opção para 40 unidades de células do tipo PEM
  • 66. Navios Cruzeiros (Projeto HDW) Trasporte de containers (Projeto HDW) Fragata Schleswig Holstein (Projeto HDW)
  • 68. Especificações Técnicas:   http://www.dfrc.nasa.gov Envergadura da Asa: 74 m Comprimento: 3,6 m Área de asa: 183 m2 Peso vazio: 600 kg Peso máximo: 928 kg, dependendo da missão e potência disponível Carga útil: 329 kg, incluído instrumentos e energia suplementar Energia Elétrica: 62120 células solares dupla face com eficiência de 19% Propulsão: 14 motores elétricos DC de 2 HP cada um, hélices de 2 metros projetadas para grande altitude+Fuel Cell Velocidade: 30 a 43 km/h a baixas altitudes e até 273 km/h a grandes altitudes Altitude: Até 100.000 pés Autonomia: De muitos dias até muitos meses Materiais: Fibra de carbono, Kevlar®, plástico transparente de alta resistência
  • 69. Congresso Internacional de Hidrogênio - Alemanha / Essen – 24.05.10
  • 70. RESERVA DE MERCADO - PATENTES Célula a combustível e hidrogênio
  • 71. Provocações Revista CHIP (Alemanha) – 06/2010 Patentes Mundiais por habitantes
  • 72. Revista CHIP (Alemanha) – 06/2010 EUROPA
  • 73. Revista CHIP (Alemanha) – 06/2010 EUROPA
  • 74. ISO e IEC Célula a combustível e hidrogênio
  • 75.
  • 76.
  • 77. ISO ISO Subcommittee/Working Group Title Hydrogen technologies TC 197/WG 5 Gaseous hydrogen - Land vehicle filling connectors TC 197/WG 6 Gaseous hydrogen and hydrogen blends - Land vehicle fuel tanks TC 197/WG 8 Hydrogen generators using water electrolysis process TC 197/WG 9 Hydrogen generators using fuel processing technologies TC 197/WG 10 Transportable gas storage devices - Hydrogen absorbed in reversible metal hydride TC 197/WG 11 Gaseous hydrogen - Service stations TC 197/WG 12 Hydrogen fuel - Product specification TC 197/WG 13 Hydrogen detectors TC 197/WG 14 Hydrogen fuel - Product Specification - Proton exchange membrane (PEM) fuel cell applications for stationary appliances TC 197/WG 15 Gaseous hydrogen - Cylinders and tubes for stationary storage
  • 78. IEC IEC Working Group : WG 1 - Terminology WG 2 - Fuel cell modules WG 3 - Stationary fuel cell power systems - Safety WG 4 - Performance of Fuel Cell Power Systems WG 5 - Stationary Fuel Cell Power Systems - Installation WG 6 - Fuel cell system for propulsion and auxiliary power units (APU) WG 7 - Portable fuel cell power systems - Safety WG 8 - Micro fuel cell power systems - Safety WG 9 - Micro fuel cell power systems - Performance WG 10 - Micro fuel cell power systems - Interchangeability WG 11 - Fuel cell technologies - Part 7-1: Single Cell Test Method for Polymer Electrolyte Fuel Cell (PEFC) WG AHG1 - Identification of the market needs for standardization work on fuel cell systems for propulsion and auxiliary power units
  • 79. Grupo de trabalho - ABNT Grupo de trabalho Sub-grupos   referência: IEC Working Group Referência: ISO Working Group GT1 GT1-1 Terminologia WG1   GT2 GT2-0 Empilhamento WG2     GT2-1 Empilhamento SOFC (STACK)       GT2-2 Empilhamento MCFC, AFC, PAFC (STACK)       GT2-3 Empilhamento PEM (STACK)     GT3 GT3-0 Módulos WG4     GT3-1 Módulo Estacionário WG3, WG5     GT3-2 Módulo Automotor WG6, WG AHG1 WG5, WG6   GT3-3 Módulo Portátil WG7, WG8, WG8, WG9, WG10   GT4 GT4-0 Hidrogênio - Produção, armazenagem e trasporte   WG11, WG12, WG13   GT4-1 Produção Hidrogênio - Eletrólise   WG8   GT4-2 Produção Hidrogênio - REFORMA   WG9   GT4-3 Armazenamento Hidrogênio   WG10, WG15   GT4-4 Transporte Hidrogênio     GT5 GT5 Célula a combustível WG11   GT6 GT6 Componentes e periféricos aberto WG14
  • 80. Normas em andamento ISO Projeto Responsável Standard and/or project     ISO 13984:1999     Liquid hydrogen -- Land vehicle fuelling system interface     ISO 13985:2006     Liquid hydrogen -- Land vehicle fuel tanks PN 00:001.67 -003/1 Mauricio Cantão ISO 14687:1999     Hydrogen fuel -- Product specification   Mauricio Cantão ISO 14687:1999/Cor 1:2001   Mauricio Cantão ISO 14687:1999/Cor 2:2008     ISO/TS 14687-2:2008     Hydrogen fuel -- Product specification -- Part 2: Proton exchange membrane (PEM) fuel cell applications for road vehicles     ISO/PAS 15594:2004     Airport hydrogen fuelling facility operations     ISO/TS 15869:2009     Gaseous hydrogen and hydrogen blends -- Land vehicle fuel tanks PN 00:001.67 - 005 Hani Hussein Aly El Sharawy ISO/TR 15916:2004   Adriana C. Rocha (*) Basic considerations for the safety of hydrogen systems PN 00:001.67 - 002/1 Pedro Villalobos ISO 16110-1:2007   Cristiano da Silva Pinto Hydrogen generators using fuel processing technologies -- Part 1: Safety     ISO 16111:2008     Transportable gas storage devices -- Hydrogen absorbed in reversible metal hydride PN 00:0001.67-004 Jorge Trota ISO 17268:2006   Paulo Emílio V. de Miranda Compressed hydrogen surface vehicle refuelling connection devices     ISO/TS 20100:2008     Gaseous hydrogen -- Fuelling stations     ISO 22734-1:2008     Hydrogen generators using water electrolysis process -- Part 1: Industrial and commercial applications
  • 81. NORMAS de HIDROGÊNIO e Células a Combustível em 2010 1. ABNT IEC/TS 62282-1:2009 Terminologia 2. ABNT ISO/TR 15916:2010 Considerações básicas para a segurança dos sistemas de hidrogênio 3. ABNT NBR ISO 14687-1:2010 Combustível de hidrogênio – Especificação do produto Parte 1: Todas as aplicações, exceto células a combustível de membrana de troca de prótons (PEM) para veículos rodoviários automotores 4. ABNT NBR ISO 16110-1:2010 Geradores de hidrogênio que utilizam tecnologias de processamento de combustível Parte 1: Segurança 5. ABNT NBR ISO 17268:2010 Dispositivos de conexão para reabastecimento de veículos terrestres com hidrogênio comprimido 6. ABNT NBR IEC 62282-2: 2010 (CONSULTA NACIONAL – 21.06.10) Tecnologia de Célula a Combustível - Parte 2 Previsão - elaboração 5 para 2010
  • 82. Hidrogênio e Células a combustível são mais que um passo para a preservação de nosso maravilhoso . NATAL – 06.07.10
  • 83.

Notas do Editor

  1. GM launches project driveway. 100 FCVs loaned for 3 months.. Largest single deployment to date. Announces intent to build hundreds of FCV’s per year by 2011, for sale to the general public, through dealerships. Moves 500 fuel cell engineers from R&D side to production engineering and vehicle integration Honda announces plans to lease up to 100 FCX Clarity FCVs in summer 2008, in test market in US. (Up to 200 worldwide). Qualifies for $12k tax credit. Say they may be ready for mass-production of FCVs in 10 years. Hyundai announces plans to mass produce FCVs as early as 2012 and no later than 2015 BMW debuts H2ICE vehicle in US. Daimler plans to have FCVs in showrooms in ~7 years . Head of Daimler announced at Geneva Auto show this spring that they would begin making 1 vehicle per day in 2010. And possibly 100k/year by 2014-2015. Fuel cell buses: London orders 10, BC transit orders 20. AC transit to add 8 more to its fleet (FC’s now come w/10,000-hour warranty)UTC claims they are very nearly competitive on lifecycle basis with diesel buses. CRITICAL LOAD FACILITIES: Fuel cells for combined heat/cooling and power in federal data centers Two hospitals in CT to install 7.2MW of fuel cells for combined heat and power BACKUP POWER FAA to deploy 20–30 fuel cells for backup power for communications towers US firm announces it has shipped 1MW of small backup power units (600W – 12kW) FORKLIFTS: DOD deploying up to 90 fuel cell forklifts at four sites around the country US Navy awards $5.6M in contract for FC forklifts Forklifts also in use (or test deployments) at: Wal-Mart distribution ctr; Bridgestone Tire plant; Ace Hardware distribution ctr.; Nissan plant in TN