SlideShare uma empresa Scribd logo
Lição 13
A Santificação
Por:
Jonathan Anderson
1. No AT
 Qadash (Qadosh). Significado original incerto. Alguns
advogam que significa “brilhar”, dando a ideia de pureza.
Outros, por sua vez, defendem que significa “cortar”.
Qualquer que seja o sentido original, na verdade os dois
termos não se contradizem, antes, se completam.
2. No NT
 Hagios. Expressa primeiramente a ideia de separação.
(Mt 6.9; Lc 11.2)
 Hieros. É a palavra menos utilizada. (1 Co 9.13; 2 Tm
3.15)
 Hosios. Descreve uma pessoa ou coisa como livre da
profanação ou da iniquidade. (At 2.27; 1 Tm 2.8; Tt 1.8)
 Hagnos. Traz a ideia da liberdade da impureza e da
corrupção num sentido ético. (2 Co 7.11; 11.2; Fp 4.8; 1 Tm
5.22...)
 Antes da Reforma.
 Havia uma total confusão entre a “justificação” e a
“santificação”. Por isso, um certo ar de moralismo era
ensinado enfatizando que o homem deveria depender
da fé e das boas obras para ser salvo. Ele deveria
manter uma vida virtuosa e ser aprovado pelo Senhor.
Devido a doutrinas desse calibre, uma multidão cada
vez maior afluía para os desertos e mosteiros em busca
da santidade perfeita, e para alcançá-la, eram feitas
coisas no mínimo inusitadas.
 Para a Igreja Romana, os meios de se santificar
estavam ligados a ela, principalmente através dos
sacramentos.
 Depois da Reforma.
 Os reformadores trataram de resolver a questão entre
“justificação” e “santificação”. Mostrando que a
primeira era realizada pela fé somente e tratava-se da
mudança de posição realizada no homem, por Cristo.
 A santificação, por sua vez, era iniciada no exato
momento da justificação, quando o Espírito Santo
passa a habitar no ser humano e inicia a obra da
santificação, primeiramente através da palavra de Deus
(Jo 17.17) e secundariamente através dos sacramentos
através dos quais Ele nos livra mais do poder do pecado
e nos capacita a praticarmos boas obras.
1. É uma obra sobrenatural de Deus.
Consiste em uma operação divina na alma pela qual a
santa disposição nascida na regeneração é fortalecida
e os seus santos exercícios são aumentados. (1Ts 5.23)
2. Consiste de duas partes.
a. A mortificação do velho homem. (Rm 6.6)
b. A vivificação do novo homem. (Rm 6.4,5; Cl 2.12)
3. Afeta a totalidade do homem. (I Ts 5.23; 2Co 5.17)
4. É uma obra de Deus na qual os crentes cooperam.
Deus efetua a obra da santificação em parte pela
instrumentalidade do homem como ser
racional, requerendo dele devota e inteligente
cooperação com o Espírito Santo.
1. A Santificação dá-se, em parte, na vida
subconsciente, e, como tal, é uma operação imediata
do Espírito Santo; mas também, em parte, dá-se na
vida consciente, e, neste caso, depende do uso de
certos meios.
2. A Santificação é um processo longo, e jamais
alcançará a perfeição nesta vida.
3. A Santificação do crente deve completar-se no exato
momento da morte, ou imediatamente após a
morte, no que se refere à alma, e na
ressurreição, quanto ao corpo. (I Jo 1.8)
1. A Palavra de Deus.
Em oposição à Igreja de Roma, deve-se afirmar que o
principal meio usado pelo Espírito Santo é a Palavra
de Deus. (Jo 17.17)
2. Os Sacramentos.
Esses, segundo a Igreja Romana, são os principais meios
de santificação. Os protestantes os consideram
importantes, porém secundários, subordinados à
Palavra de Deus.
3. Direção providencial.
As providências de Deus, quer favoráveis quer
adversas, muitas vezes são poderosos meios de
Santificação. (Sl 119.71)
 A Natureza da Santificação.
1. A santificação é o invariável resultado da união com
Cristo.
“A fé que não envolve uma influência santificadora sobre
o caráter da pessoa não é melhor que a fé dos
demônios”
2. A santificação é a consequência e o resultado
inevitável da regeneração.
“Onde não há santificação também não há
regeneração, e onde não há vida santa, também não há
novo nascimento”
3. A santificação é a única evidência indiscutível da
presença habitadora do Espírito Santo.
4. A santificação é o único sinal seguro da eleição divina.
“Onde não há pelo menos alguma aparência de
Santificação, podemos ter boa margem de certeza de
que também não há eleição.”
5. A santificação é algo que sempre será visto.
“Um santo em que coisa alguma pode ser vista, senão
mundanismo ou pecado, é uma espécie de mostro que
a bíblia não aprova.
6. A santificação é algo pelo qual todo crente é
responsável.
7. A santificação e algo que admite crescimento e graus
de intensidade.
8. A santificação é algo que depende do uso diligente da
Bíblia.
9. A santificação não impede que um cristão
experimente conflitos e crises espirituais.
10. A santificação é algo que será absolutamente
necessário como testemunha de nosso caráter no
grande dia do juízo.
11. A santificação é absolutamente necessária para nos
treinar e nos preparar para o céu.
 OS SINAIS VISÍVEIS DA SNTIFICAÇÃO
1. A verdadeira santificação não consiste em conversar
sobre assuntos religiosos.
2. A verdadeira santificação não consiste em
sentimentos religiosos passageiros.
3. A verdadeira santificação não consiste em
formalismo externos ou devoção exterior.
4. A verdadeira santificação não consiste em nos
retirarmos de nossas ocupações comuns da
vida, renunciando aos nossos deveres sociais.
5. A verdadeira santificação não consiste na casual
realização de ações corretas.
 EM QUÊ, POIS, CONSISTE A VERDADEIRA
SANTIFICAÇÃO?
1. A santificação genuína manifesta-se no respeito habitual
à lei de Deus
2. A santificação genuína manifesta-se no esforço habitual
de fazer a vontade de Cristo.
3. A santificação genuína manifesta-se no desejo habitual
de viver segundo os padrões para as igrejas, estabelecidos
pelo Apóstolo Paulo em seus escritos.
4. A santificação genuína manifesta-se através da atenção
habitual às graças divinas ativas e passivas do
Cristianismo. (Ex. Graça ativa: o amor. Graça passiva:
submissão à vontade e Deus.
 A natureza da verdadeira santidade prática.
1. Um homem santo se esforçará por evitar todo
pecado conhecido.
2. Um homem santo se esforçará para ser semelhante
ao Senhor Jesus.
3. Um homem santo se esforçará para seguir a
mansidão, a paciência, a gentileza e o domínio
próprio.
4. Um homem santo se esforçará para manter o auto
controle e a abnegação.
5. Um homem santo se esforçará para seguir um
espírito de misericórdia para com o próximo.
6. Um homem santo se esforçará para seguir a pureza de
coração.
7. Um homem santo se esforçará para ser caracterizado
pelo seu temor a Deus.
8. Um homem santo se esforçará por ter uma
mentalidade espiritual.
 A IMPORTÂNCIA DA SANTIDADE
1. Devemos ser santos porque a voz de Deus assim nos
ordena.
2. Devemos ser santos porque essa é a grandiosa finalidade e
propósito daquilo que Cristo veio fazer no mundo.
3. Devemos ser santos porque essa é a única evidência
segura de que possuímos a verdadeira fé salvadora em
Jesus Cristo.
4. Devemos ser santos porque essa é a única prova de que
amamos ao Senhor Jesus.
5. Devemos ser santos porque essa é a única evidência de
que somos filhos de Deus
6. Devemos ser santos porque sem a santidade na terra
nunca estaremos preparados para desfrutar do céu.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A vida do novo convertido
A vida do novo convertidoA vida do novo convertido
A vida do novo convertido
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
 
Oração e santidade! mateus 6.9
Oração e santidade!  mateus 6.9Oração e santidade!  mateus 6.9
Oração e santidade! mateus 6.9
Joel Manhaes
 
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de CristoLição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Éder Tomé
 
Lição 13 - Em Cristo Somos mais que Vencedores
 Lição 13 - Em Cristo Somos mais que Vencedores Lição 13 - Em Cristo Somos mais que Vencedores
Lição 13 - Em Cristo Somos mais que Vencedores
Éder Tomé
 
Vida de santidade (intercessão módulo ll capítulo lll)
Vida de santidade (intercessão módulo ll capítulo lll)Vida de santidade (intercessão módulo ll capítulo lll)
Vida de santidade (intercessão módulo ll capítulo lll)
Cassio Felipe
 
A doutrina da Salvação
A doutrina da Salvação A doutrina da Salvação
A doutrina da Salvação
Geversom Sousa
 
LBA LIÇÃO 9 - Arrependimento e fé para salvação
LBA LIÇÃO 9 - Arrependimento e fé para salvaçãoLBA LIÇÃO 9 - Arrependimento e fé para salvação
LBA LIÇÃO 9 - Arrependimento e fé para salvação
Natalino das Neves Neves
 
lição nº 10 O PROCESSO DA SALVAÇÃO
lição nº 10 O PROCESSO DA SALVAÇÃOlição nº 10 O PROCESSO DA SALVAÇÃO
lição nº 10 O PROCESSO DA SALVAÇÃO
Hilda Helena Heringer
 
Qual o real significado do batismo
Qual o real significado do batismoQual o real significado do batismo
Qual o real significado do batismo
Julio MontSant
 
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósLição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Éder Tomé
 
Lição 09 - Arrependimento e Fé para a Salvação
Lição 09 - Arrependimento e Fé para a SalvaçãoLição 09 - Arrependimento e Fé para a Salvação
Lição 09 - Arrependimento e Fé para a Salvação
Éder Tomé
 
Lição 04 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutífero
Lição 04 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutíferoLição 04 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutífero
Lição 04 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutífero
Éder Tomé
 
Lição 10 o processo da salvação
Lição   10 o processo da salvaçãoLição   10 o processo da salvação
Lição 10 o processo da salvação
Cicero
 
Estudo batismo oficialmontesinai
Estudo batismo oficialmontesinaiEstudo batismo oficialmontesinai
Estudo batismo oficialmontesinai
Elisa Schenk
 
A doutrina da salvação
A doutrina da salvaçãoA doutrina da salvação
A doutrina da salvação
Anapaula Ribeiro
 
Lição 14 - A bem-aventurada esperança da Igreja
Lição 14 - A bem-aventurada esperança da IgrejaLição 14 - A bem-aventurada esperança da Igreja
Lição 14 - A bem-aventurada esperança da Igreja
Éder Tomé
 
Lição 7 - A ordenança do batismo em águas
Lição 7 - A ordenança do batismo em águasLição 7 - A ordenança do batismo em águas
Lição 7 - A ordenança do batismo em águas
Erberson Pinheiro
 
Santidade e arrebatamento
Santidade e arrebatamentoSantidade e arrebatamento
Santidade e arrebatamento
Netto Pregador
 
Santificação
SantificaçãoSantificação
Santificação
Suny Geentilal
 
3º módulo 2ª aula
3º módulo   2ª aula3º módulo   2ª aula
3º módulo 2ª aula
Joel Silva
 

Mais procurados (20)

A vida do novo convertido
A vida do novo convertidoA vida do novo convertido
A vida do novo convertido
 
Oração e santidade! mateus 6.9
Oração e santidade!  mateus 6.9Oração e santidade!  mateus 6.9
Oração e santidade! mateus 6.9
 
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de CristoLição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
 
Lição 13 - Em Cristo Somos mais que Vencedores
 Lição 13 - Em Cristo Somos mais que Vencedores Lição 13 - Em Cristo Somos mais que Vencedores
Lição 13 - Em Cristo Somos mais que Vencedores
 
Vida de santidade (intercessão módulo ll capítulo lll)
Vida de santidade (intercessão módulo ll capítulo lll)Vida de santidade (intercessão módulo ll capítulo lll)
Vida de santidade (intercessão módulo ll capítulo lll)
 
A doutrina da Salvação
A doutrina da Salvação A doutrina da Salvação
A doutrina da Salvação
 
LBA LIÇÃO 9 - Arrependimento e fé para salvação
LBA LIÇÃO 9 - Arrependimento e fé para salvaçãoLBA LIÇÃO 9 - Arrependimento e fé para salvação
LBA LIÇÃO 9 - Arrependimento e fé para salvação
 
lição nº 10 O PROCESSO DA SALVAÇÃO
lição nº 10 O PROCESSO DA SALVAÇÃOlição nº 10 O PROCESSO DA SALVAÇÃO
lição nº 10 O PROCESSO DA SALVAÇÃO
 
Qual o real significado do batismo
Qual o real significado do batismoQual o real significado do batismo
Qual o real significado do batismo
 
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósLição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
 
Lição 09 - Arrependimento e Fé para a Salvação
Lição 09 - Arrependimento e Fé para a SalvaçãoLição 09 - Arrependimento e Fé para a Salvação
Lição 09 - Arrependimento e Fé para a Salvação
 
Lição 04 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutífero
Lição 04 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutíferoLição 04 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutífero
Lição 04 - Conhecendo o arrependimento bíblico e frutífero
 
Lição 10 o processo da salvação
Lição   10 o processo da salvaçãoLição   10 o processo da salvação
Lição 10 o processo da salvação
 
Estudo batismo oficialmontesinai
Estudo batismo oficialmontesinaiEstudo batismo oficialmontesinai
Estudo batismo oficialmontesinai
 
A doutrina da salvação
A doutrina da salvaçãoA doutrina da salvação
A doutrina da salvação
 
Lição 14 - A bem-aventurada esperança da Igreja
Lição 14 - A bem-aventurada esperança da IgrejaLição 14 - A bem-aventurada esperança da Igreja
Lição 14 - A bem-aventurada esperança da Igreja
 
Lição 7 - A ordenança do batismo em águas
Lição 7 - A ordenança do batismo em águasLição 7 - A ordenança do batismo em águas
Lição 7 - A ordenança do batismo em águas
 
Santidade e arrebatamento
Santidade e arrebatamentoSantidade e arrebatamento
Santidade e arrebatamento
 
Santificação
SantificaçãoSantificação
Santificação
 
3º módulo 2ª aula
3º módulo   2ª aula3º módulo   2ª aula
3º módulo 2ª aula
 

Destaque

Conhecendo a salvação
Conhecendo a salvaçãoConhecendo a salvação
Conhecendo a salvação
Josue Lima
 
O plano de salvação ilustrado
O plano de salvação ilustradoO plano de salvação ilustrado
O plano de salvação ilustrado
Vinicio Pacifico
 
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 1 depravação
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 1 depravaçãoCURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 1 depravação
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 1 depravação
Dr. Paulo Lis
 
Doutrina Da JustificaçãO Modulo 2
Doutrina Da JustificaçãO Modulo 2Doutrina Da JustificaçãO Modulo 2
Doutrina Da JustificaçãO Modulo 2
fogotv
 
A fé protestante
A fé protestanteA fé protestante
A fé protestante
Deusdete Soares
 
Propósito com a santificação.
Propósito com a santificação.Propósito com a santificação.
Propósito com a santificação.
Quenia Damata
 
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 2 Graça
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação  Aula 2 GraçaCURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação  Aula 2 Graça
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 2 Graça
Dr. Paulo Lis
 
O QUE PRECISO FAZER PARA SER SALVO?
O QUE PRECISO FAZER PARA SER SALVO?O QUE PRECISO FAZER PARA SER SALVO?
O QUE PRECISO FAZER PARA SER SALVO?
O ÚLTIMO CHAMADO
 
A parábola das 10 virgens
A parábola das 10 virgensA parábola das 10 virgens
A parábola das 10 virgens
Antonio Maciel Santos
 
Lição 3 esperando a volta de jesus
Lição 3   esperando a volta de jesusLição 3   esperando a volta de jesus
Lição 3 esperando a volta de jesus
Andrew Guimarães
 
A doutrina da santificação
A doutrina da santificaçãoA doutrina da santificação
A doutrina da santificação
antonio ferreira
 
Instituição dos diaconos slides 1 ao 12
Instituição dos diaconos slides 1 ao 12Instituição dos diaconos slides 1 ao 12
Instituição dos diaconos slides 1 ao 12
4turmasintoniafraterna
 
As dez virgens
As dez virgensAs dez virgens
As dez virgens
Denilson Gardênia
 
O plano da salvação 02
O plano da salvação 02O plano da salvação 02
O plano da salvação 02
Estudos Bíblicos
 
Santificação : Uma nova maneira de viver
Santificação : Uma nova maneira de viverSantificação : Uma nova maneira de viver
Santificação : Uma nova maneira de viver
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Dízimo e ofertas mordomia cristã (culto de doutrina)
Dízimo e ofertas   mordomia cristã (culto de doutrina)Dízimo e ofertas   mordomia cristã (culto de doutrina)
Dízimo e ofertas mordomia cristã (culto de doutrina)
jonasfreitasdejesus
 
Palestra maturidade cristã
Palestra   maturidade cristãPalestra   maturidade cristã
Palestra maturidade cristã
Junior Cesar Santiago
 
Apostila soterologia
Apostila soterologiaApostila soterologia
Apostila soterologia
Pr.Jocemar Porto
 
Teologia sistemática 3
Teologia sistemática 3Teologia sistemática 3
Teologia sistemática 3
Adejovane Junior
 
Lição 1 a maturidade do cristão
Lição 1   a maturidade do cristãoLição 1   a maturidade do cristão
Lição 1 a maturidade do cristão
Joanilson França Garcia
 

Destaque (20)

Conhecendo a salvação
Conhecendo a salvaçãoConhecendo a salvação
Conhecendo a salvação
 
O plano de salvação ilustrado
O plano de salvação ilustradoO plano de salvação ilustrado
O plano de salvação ilustrado
 
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 1 depravação
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 1 depravaçãoCURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 1 depravação
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 1 depravação
 
Doutrina Da JustificaçãO Modulo 2
Doutrina Da JustificaçãO Modulo 2Doutrina Da JustificaçãO Modulo 2
Doutrina Da JustificaçãO Modulo 2
 
A fé protestante
A fé protestanteA fé protestante
A fé protestante
 
Propósito com a santificação.
Propósito com a santificação.Propósito com a santificação.
Propósito com a santificação.
 
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 2 Graça
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação  Aula 2 GraçaCURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação  Aula 2 Graça
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 2 Graça
 
O QUE PRECISO FAZER PARA SER SALVO?
O QUE PRECISO FAZER PARA SER SALVO?O QUE PRECISO FAZER PARA SER SALVO?
O QUE PRECISO FAZER PARA SER SALVO?
 
A parábola das 10 virgens
A parábola das 10 virgensA parábola das 10 virgens
A parábola das 10 virgens
 
Lição 3 esperando a volta de jesus
Lição 3   esperando a volta de jesusLição 3   esperando a volta de jesus
Lição 3 esperando a volta de jesus
 
A doutrina da santificação
A doutrina da santificaçãoA doutrina da santificação
A doutrina da santificação
 
Instituição dos diaconos slides 1 ao 12
Instituição dos diaconos slides 1 ao 12Instituição dos diaconos slides 1 ao 12
Instituição dos diaconos slides 1 ao 12
 
As dez virgens
As dez virgensAs dez virgens
As dez virgens
 
O plano da salvação 02
O plano da salvação 02O plano da salvação 02
O plano da salvação 02
 
Santificação : Uma nova maneira de viver
Santificação : Uma nova maneira de viverSantificação : Uma nova maneira de viver
Santificação : Uma nova maneira de viver
 
Dízimo e ofertas mordomia cristã (culto de doutrina)
Dízimo e ofertas   mordomia cristã (culto de doutrina)Dízimo e ofertas   mordomia cristã (culto de doutrina)
Dízimo e ofertas mordomia cristã (culto de doutrina)
 
Palestra maturidade cristã
Palestra   maturidade cristãPalestra   maturidade cristã
Palestra maturidade cristã
 
Apostila soterologia
Apostila soterologiaApostila soterologia
Apostila soterologia
 
Teologia sistemática 3
Teologia sistemática 3Teologia sistemática 3
Teologia sistemática 3
 
Lição 1 a maturidade do cristão
Lição 1   a maturidade do cristãoLição 1   a maturidade do cristão
Lição 1 a maturidade do cristão
 

Semelhante a A doutrina da salvação a santificação

Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do EspíritoLição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito
Éder Tomé
 
Lição 10 O jovem e a consagração
Lição 10 O jovem e a consagraçãoLição 10 O jovem e a consagração
Lição 10 O jovem e a consagração
boasnovassena
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
Paulo Kuke
 
Santificação
SantificaçãoSantificação
Santificação
Luan Almeida
 
LIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO
LIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITOLIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO
LIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO
Lourinaldo Serafim
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
Paulo Kuke
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
Paulo Kuke
 
A doutrina da santificação
A doutrina da santificaçãoA doutrina da santificação
A doutrina da santificação
Antonio Ferreira
 
A doutrina da santificação
A doutrina da santificaçãoA doutrina da santificação
A doutrina da santificação
Antonio Ferreira
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
Paulo Kuke
 
Espiritualidade crista
Espiritualidade cristaEspiritualidade crista
Espiritualidade crista
Paulo Cesar Machado
 
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito (Windscreen)
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito (Windscreen)Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito (Windscreen)
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito (Windscreen)
Éder Tomé
 
A Manifestação da Graça da Salvação
A Manifestação da Graça da SalvaçãoA Manifestação da Graça da Salvação
A Manifestação da Graça da Salvação
Wander Sousa
 
LICAO 7 - SANTIDADE.pdf
LICAO 7 - SANTIDADE.pdfLICAO 7 - SANTIDADE.pdf
LICAO 7 - SANTIDADE.pdf
AndersonCristianoPer
 
Ibadep administracao e lideranca
Ibadep   administracao e liderancaIbadep   administracao e lideranca
Ibadep administracao e lideranca
claudiosilva375
 
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Jonas Martins Olímpio
 
Operações gerais do Espírito Santo
Operações gerais do Espírito SantoOperações gerais do Espírito Santo
Operações gerais do Espírito Santo
Luiz Guilherme Guimarães Coelho
 
O Batismo no Espírito.docx
O Batismo no Espírito.docxO Batismo no Espírito.docx
O Batismo no Espírito.docx
ssusercf733f2
 
Lição 9 a pureza do movimento pentecostal
Lição 9   a pureza do movimento pentecostalLição 9   a pureza do movimento pentecostal
Lição 9 a pureza do movimento pentecostal
Jose Ventura
 
Lição 8 A natureza do caráter cristão
Lição 8   A natureza do caráter cristãoLição 8   A natureza do caráter cristão
Lição 8 A natureza do caráter cristão
Wander Sousa
 

Semelhante a A doutrina da salvação a santificação (20)

Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do EspíritoLição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito
 
Lição 10 O jovem e a consagração
Lição 10 O jovem e a consagraçãoLição 10 O jovem e a consagração
Lição 10 O jovem e a consagração
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
 
Santificação
SantificaçãoSantificação
Santificação
 
LIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO
LIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITOLIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO
LIÇÃO 1 - AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
 
A doutrina da santificação
A doutrina da santificaçãoA doutrina da santificação
A doutrina da santificação
 
A doutrina da santificação
A doutrina da santificaçãoA doutrina da santificação
A doutrina da santificação
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
 
Espiritualidade crista
Espiritualidade cristaEspiritualidade crista
Espiritualidade crista
 
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito (Windscreen)
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito (Windscreen)Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito (Windscreen)
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito (Windscreen)
 
A Manifestação da Graça da Salvação
A Manifestação da Graça da SalvaçãoA Manifestação da Graça da Salvação
A Manifestação da Graça da Salvação
 
LICAO 7 - SANTIDADE.pdf
LICAO 7 - SANTIDADE.pdfLICAO 7 - SANTIDADE.pdf
LICAO 7 - SANTIDADE.pdf
 
Ibadep administracao e lideranca
Ibadep   administracao e liderancaIbadep   administracao e lideranca
Ibadep administracao e lideranca
 
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
 
Operações gerais do Espírito Santo
Operações gerais do Espírito SantoOperações gerais do Espírito Santo
Operações gerais do Espírito Santo
 
O Batismo no Espírito.docx
O Batismo no Espírito.docxO Batismo no Espírito.docx
O Batismo no Espírito.docx
 
Lição 9 a pureza do movimento pentecostal
Lição 9   a pureza do movimento pentecostalLição 9   a pureza do movimento pentecostal
Lição 9 a pureza do movimento pentecostal
 
Lição 8 A natureza do caráter cristão
Lição 8   A natureza do caráter cristãoLição 8   A natureza do caráter cristão
Lição 8 A natureza do caráter cristão
 

A doutrina da salvação a santificação

  • 2. 1. No AT  Qadash (Qadosh). Significado original incerto. Alguns advogam que significa “brilhar”, dando a ideia de pureza. Outros, por sua vez, defendem que significa “cortar”. Qualquer que seja o sentido original, na verdade os dois termos não se contradizem, antes, se completam. 2. No NT  Hagios. Expressa primeiramente a ideia de separação. (Mt 6.9; Lc 11.2)  Hieros. É a palavra menos utilizada. (1 Co 9.13; 2 Tm 3.15)  Hosios. Descreve uma pessoa ou coisa como livre da profanação ou da iniquidade. (At 2.27; 1 Tm 2.8; Tt 1.8)  Hagnos. Traz a ideia da liberdade da impureza e da corrupção num sentido ético. (2 Co 7.11; 11.2; Fp 4.8; 1 Tm 5.22...)
  • 3.  Antes da Reforma.  Havia uma total confusão entre a “justificação” e a “santificação”. Por isso, um certo ar de moralismo era ensinado enfatizando que o homem deveria depender da fé e das boas obras para ser salvo. Ele deveria manter uma vida virtuosa e ser aprovado pelo Senhor. Devido a doutrinas desse calibre, uma multidão cada vez maior afluía para os desertos e mosteiros em busca da santidade perfeita, e para alcançá-la, eram feitas coisas no mínimo inusitadas.  Para a Igreja Romana, os meios de se santificar estavam ligados a ela, principalmente através dos sacramentos.
  • 4.  Depois da Reforma.  Os reformadores trataram de resolver a questão entre “justificação” e “santificação”. Mostrando que a primeira era realizada pela fé somente e tratava-se da mudança de posição realizada no homem, por Cristo.  A santificação, por sua vez, era iniciada no exato momento da justificação, quando o Espírito Santo passa a habitar no ser humano e inicia a obra da santificação, primeiramente através da palavra de Deus (Jo 17.17) e secundariamente através dos sacramentos através dos quais Ele nos livra mais do poder do pecado e nos capacita a praticarmos boas obras.
  • 5. 1. É uma obra sobrenatural de Deus. Consiste em uma operação divina na alma pela qual a santa disposição nascida na regeneração é fortalecida e os seus santos exercícios são aumentados. (1Ts 5.23) 2. Consiste de duas partes. a. A mortificação do velho homem. (Rm 6.6) b. A vivificação do novo homem. (Rm 6.4,5; Cl 2.12) 3. Afeta a totalidade do homem. (I Ts 5.23; 2Co 5.17) 4. É uma obra de Deus na qual os crentes cooperam. Deus efetua a obra da santificação em parte pela instrumentalidade do homem como ser racional, requerendo dele devota e inteligente cooperação com o Espírito Santo.
  • 6. 1. A Santificação dá-se, em parte, na vida subconsciente, e, como tal, é uma operação imediata do Espírito Santo; mas também, em parte, dá-se na vida consciente, e, neste caso, depende do uso de certos meios. 2. A Santificação é um processo longo, e jamais alcançará a perfeição nesta vida. 3. A Santificação do crente deve completar-se no exato momento da morte, ou imediatamente após a morte, no que se refere à alma, e na ressurreição, quanto ao corpo. (I Jo 1.8)
  • 7. 1. A Palavra de Deus. Em oposição à Igreja de Roma, deve-se afirmar que o principal meio usado pelo Espírito Santo é a Palavra de Deus. (Jo 17.17) 2. Os Sacramentos. Esses, segundo a Igreja Romana, são os principais meios de santificação. Os protestantes os consideram importantes, porém secundários, subordinados à Palavra de Deus. 3. Direção providencial. As providências de Deus, quer favoráveis quer adversas, muitas vezes são poderosos meios de Santificação. (Sl 119.71)
  • 8.  A Natureza da Santificação. 1. A santificação é o invariável resultado da união com Cristo. “A fé que não envolve uma influência santificadora sobre o caráter da pessoa não é melhor que a fé dos demônios” 2. A santificação é a consequência e o resultado inevitável da regeneração. “Onde não há santificação também não há regeneração, e onde não há vida santa, também não há novo nascimento”
  • 9. 3. A santificação é a única evidência indiscutível da presença habitadora do Espírito Santo. 4. A santificação é o único sinal seguro da eleição divina. “Onde não há pelo menos alguma aparência de Santificação, podemos ter boa margem de certeza de que também não há eleição.” 5. A santificação é algo que sempre será visto. “Um santo em que coisa alguma pode ser vista, senão mundanismo ou pecado, é uma espécie de mostro que a bíblia não aprova.
  • 10. 6. A santificação é algo pelo qual todo crente é responsável. 7. A santificação e algo que admite crescimento e graus de intensidade. 8. A santificação é algo que depende do uso diligente da Bíblia. 9. A santificação não impede que um cristão experimente conflitos e crises espirituais. 10. A santificação é algo que será absolutamente necessário como testemunha de nosso caráter no grande dia do juízo. 11. A santificação é absolutamente necessária para nos treinar e nos preparar para o céu.
  • 11.  OS SINAIS VISÍVEIS DA SNTIFICAÇÃO 1. A verdadeira santificação não consiste em conversar sobre assuntos religiosos. 2. A verdadeira santificação não consiste em sentimentos religiosos passageiros. 3. A verdadeira santificação não consiste em formalismo externos ou devoção exterior. 4. A verdadeira santificação não consiste em nos retirarmos de nossas ocupações comuns da vida, renunciando aos nossos deveres sociais. 5. A verdadeira santificação não consiste na casual realização de ações corretas.
  • 12.  EM QUÊ, POIS, CONSISTE A VERDADEIRA SANTIFICAÇÃO? 1. A santificação genuína manifesta-se no respeito habitual à lei de Deus 2. A santificação genuína manifesta-se no esforço habitual de fazer a vontade de Cristo. 3. A santificação genuína manifesta-se no desejo habitual de viver segundo os padrões para as igrejas, estabelecidos pelo Apóstolo Paulo em seus escritos. 4. A santificação genuína manifesta-se através da atenção habitual às graças divinas ativas e passivas do Cristianismo. (Ex. Graça ativa: o amor. Graça passiva: submissão à vontade e Deus.
  • 13.  A natureza da verdadeira santidade prática. 1. Um homem santo se esforçará por evitar todo pecado conhecido. 2. Um homem santo se esforçará para ser semelhante ao Senhor Jesus. 3. Um homem santo se esforçará para seguir a mansidão, a paciência, a gentileza e o domínio próprio. 4. Um homem santo se esforçará para manter o auto controle e a abnegação. 5. Um homem santo se esforçará para seguir um espírito de misericórdia para com o próximo.
  • 14. 6. Um homem santo se esforçará para seguir a pureza de coração. 7. Um homem santo se esforçará para ser caracterizado pelo seu temor a Deus. 8. Um homem santo se esforçará por ter uma mentalidade espiritual.
  • 15.  A IMPORTÂNCIA DA SANTIDADE 1. Devemos ser santos porque a voz de Deus assim nos ordena. 2. Devemos ser santos porque essa é a grandiosa finalidade e propósito daquilo que Cristo veio fazer no mundo. 3. Devemos ser santos porque essa é a única evidência segura de que possuímos a verdadeira fé salvadora em Jesus Cristo. 4. Devemos ser santos porque essa é a única prova de que amamos ao Senhor Jesus. 5. Devemos ser santos porque essa é a única evidência de que somos filhos de Deus 6. Devemos ser santos porque sem a santidade na terra nunca estaremos preparados para desfrutar do céu.