SlideShare uma empresa Scribd logo
ESCOLA ESTADUAL_____________________________________________________________
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA 2013 – LÍNGUA PORTUGUESA - 5º ANO ENSINO FUNDAMENTAL.
ALUNO__________________________________________________________________________
PROFESSORA____________________________________________DATA______/_______/_____
QUESTÃO 01
Leia o texto.
TEM TODO TIPO DE GENTE
Na sala de aula da professora Marcela, havia alunos de todo jeito, espertos, preguiçosos, inteligentes e
aqueles que respondiam sem pelo menos pensar.
Certo dia, ela perguntou ao Joãozinho:
___ Quanto são um mais dois.
___ Dois, respondeu ele rapidamente.
___ Nossa Joãozinho, essa é a conta mais fácil da matemática e você nem parou para contar!
Bem que a minha avó dizia, que tem gente que tem cabeça só para juntar caspa.
Na parte do texto: “Nossa, essa é a conta mais fácil da matemática e você nem sequer parou para contar!
Bem que a minha avó dizia, que tem gente que tem cabeça só para juntar caspa”.
O termo sublinhado significa que:
A) O aluno tinha caspa por isso errou a atividade.
B) A caspa afetou a memória do aluno.
C) Quem tem caspa responde rapidamente.
D) Que o aluno tem preguiça de pensar.

QUESTÃO 02
Leia o texto abaixo.
CACHORROS
Os zoólogos acreditam que o cachorro se originou de uma espécie de lobo
que vivia na Ásia. Depois os cães se juntaram aos seres humanos e se espalharam
por quase todo o mundo. Essa amizade começou há uns 12 mil anos, no tempo em
que as pessoas precisavam caçar para se alimentar. Os cachorros perceberam que,
se não atacassem os humanos, podiam ficar perto deles e comer a comida que
sobrava. Já os homens descobriram que os cachorros podiam ajudar a caçar, a
cuidar de rebanhos e a tomar conta da casa, além de serem ótimos companheiros.
Um colaborava com o outro e a parceria deu certo.
www.recreionline.com.br
O assunto tratado nesse texto é a:
A) relação entre homens e cães.
B) profissão de zoólogo.
C) amizade entre os animais.
D) alimentação dos cães.
1
QUESTÃO 03
Leia o texto abaixo e responda às questões.
Caipora
É um mito do Brasil que os índios já conheciam desde a época do
descobrimento. Índios e Jesuítas o chamavam de Caiçara, o protetor da caça e
das matas.
Seus pés voltados para trás servem para despistar os caçadores, deixandoos sempre a seguir rastros falsos. Quem o vê, perde totalmente o rumo, e não
sabe mais achar o caminho de volta. É impossível capturá-lo. Para atrair suas
vítimas, ele, às vezes, chama as pessoas com gritos que imitam a voz humana. É
também chamado de Pai ou Mãe-do-Mato, Curupira e Caipora. Para os Índios
Guaranis, ele é o Demônio da Floresta. Às vezes é visto montando um porco do
mato.
http://www.arteducacao.pro.br

De acordo com esse texto, os pés voltados para trás da Caipora servem para:
A) atrair suas vítimas.
B) despistar caçadores.
C) montar um porco do mato.
D) proteger as matas.
QUESTÃO 04
Leia o texto abaixo e responda às questões.

O Feitiço do sapo
Todo lugar sempre tem um doido. Piririca da Serra tem Zóio. Ele é um sujeito cheio de
ideias, fica horas falando e anda pra cima e pra baixo, numa bicicleta pra lá de doida, que só
falta voar. O povo da cidade conta mais de mil casos de Zóio, e acha que tudo acontece,
coitado, por causa da sua sincera mania de fazer “boas ações”. Outro dia, Zóio estava
passando em frente à casa de Carmela, quando a ouviu cantar uma bela e triste canção. Zóio
parou e pensou: que pena, uma moça tão bonita, de voz tão doce, ficar assim triste e sem
apetite de tanto esperar um príncipe encantado. Isto não era justo. Achou que poderia ajudar
Carmela a realizar seu sonho e tinha certeza de que justamente ele era a pessoa certa para
isso. Zóio se pôs a imaginar como iria achar um príncipe para Carmela. Pensou muito para
encontrar uma solução e finalmente teve uma grande ideia de jerico: foi até a beira do rio,
pegou um sapo verde e colocou-o numa caixa bem na porta da casa dela.
FURNARI, Eva. O feitiço do sapo. São Paulo: Editora Ática, 2006, p. 4 e 5. Fragmento.

A intenção de Zóio ao colocar um sapo na porta da casa de Carmela foi:
A) ajudá-la a encontrar um príncipe encantado.
B) ajudá-la a cantar com voz mais doce ainda.
C) encontrar alguém para cuidar do sapo que vivia no rio.
D) fazer uma surpresa, dando-lhe um sapo de presente.
2
QUESTÃO 05
Leia o texto abaixo e responda às questões.

O menor jornal
A jornalista Dolores Nunes é a responsável pelo menor jornal do mundo. No dia 23, o
micro jornal Vossa Senhoria, da cidade de Divinópolis (MG), recebeu o certificado do livro dos
recordes, atestando que o seu jornal, com apenas 3,5 centímetros de altura e 2,5 centímetros de
largura, é o menor jornal do mundo. O jornal tem 16 páginas mensais, tiragem de 5 mil
exemplares e aborda diversos assuntos da atualidade.
http://nelmundoca9.blogspot.com.br/2010/07/pequenos-textos.html

O que significa atestando?

A) Afirmando por escrito.
B) Dando uma notícia.
C) Fazendo um teste.
D) Lendo com atenção.

QUESTÃO 06
Leia o texto abaixo e responda à questão.

PRINCESA NENÚFAR ELFO-ELFA
Nasceu já bem pálida, de olhos claros e cabelos loiros, quase brancos. Foi se tornando
invisível já na infância e viveu o resto da vida num castelo mal-assombrado, com fantasmas
amigos da família. Dizem que é muito bonita, mas é bem difícil de se saber se é verdade.

SOUZA, Flávio de. Príncipes e princesas, sapos e lagartos. Histórias modernas de tempos antigos. Editora FTD, p. 16. Fragmento.

A opinião das pessoas sobre a princesa é de que ela:

A) é muito bonita.
B) é pálida, de olhos claros.
C) tem cabelos quase brancos.
D) vive num castelo.

3
QUESTÃO 07
Leia o texto abaixo.
Pipoca
• 2 xícaras de milho de pipoca
• 1 colher de manteiga ou óleo
• Sal a gosto
Coloque a manteiga ou óleo numa panela grande e leve ao fogo forte. Junte o milho e mexa sem parar.
Quando o milho começar a estourar tampe a panela e abaixe o fogo para não queimar.
OBS.: Se gostar de pipoca doce faça uma calda de açúcar em ponto de fio e jogue as pipocas que já
devem estar prontas. Misture bem, esfrie e sirva.
REIS, Emanoel de Carvalho. Mesa do Pimpolho. Paraná: Pimpolho, s/d.(Coleção A Turminha do Pimpolho).

Esse texto é:
A) um classificado.
B) uma receita.
C) um bilhete.
D) uma notícia.

QUESTÃO 08
Leia o texto abaixo.

Feijoada
Nasceu nas senzalas que abrigavam os escravos no Rio de Janeiro no final do século XIX.
Quando os nobres matavam um porco, os restos indesejados – pés, orelhas, rabo e tripas – eram
dados aos escravos. Eles misturavam tudo isso ao feijão durante o cozimento e colocavam farinha
assada por cima antes de comer.
DUARTE, Marcelo. O guia dos curiosos. Companhia das Letras.

A finalidade desse texto é:

A) convidar para uma feijoada.
B) informar sobre a origem da feijoada.
C) divulgar uma feijoada.
D) ensinar a fazer uma feijoada.

4
QUESTÃO 09
Leia a tirinha abaixo.

A menina do texto:

A) chora de tristeza ao verificar que está trocando dentes.
B) está trocando seus dentes de leite e não gosta disso.
C) reclama da dor que sente ao trocar os dentes.
D) usa o espelho para observar a beleza dos seus dentes.

QUESTÃO 10
Leia o texto.

E como eles desapareceram?
Os dinossauros viveram sobre a Terra durante 160 milhões de anos. E como
desapareceram completamente? Cientistas explicam que há 65 milhões de anos, caiu no planeta
um meteoro de aproximadamente 10 quilômetros. O impacto teria sido tão violento que abriu uma
cratera com 200 quilômetros. Uma espécie de nuvem de poeira grossa tampou a luz solar
durante seis meses. A Terra resfriou, as plantas não podiam fazer fotossíntese, e os animais não
tinham o que comer. Resultado: todos os dinossauros morreram.
Brasil Almanaque de Cultura Popular, n. 121, 2009, p. 26.(P050272A9_SUP)

A expressão “durante 160 milhões de anos”. Indica:

A) modo
B) causa
C) tempo
D) lugar
5
QUESTÃO 11
Leia o texto abaixo.
Covardia
Passeavam dois amigos numa floresta, quando apareceu um urso feroz e se lançou sobre eles.
Um deles trepou numa árvore e escondeu-se, enquanto o outro ficava no caminho. Deixando-se
cair ao solo, fingiu-se morto.
O urso aproximou-se e cheirou o homem, mas como este retinha a respiração, julgou-o morto e
afastou-se.
Quando a fera estava longe, o outro desceu da árvore e perguntou, a gracejar, ao companheiro:
_ Que te disse o urso ao ouvido?
_ Disse-me que aquele que abandona o seu amigo no perigo é um covarde.
TAHAN, Malba. Lendas do céu e da terra. 23 ed. Rio de Janeiro: Record, 1998.

O amigo que estava na árvore desceu porque:
A) observou do alto um lugar melhor para esconder-se.
B) achou melhor também fingir-se de morto.
C) queria ajudar o amigo a livrar-se do urso.
D) viu que o urso já estava distante.
QUESTÃO 12
Leia o texto abaixo.
A pipa Pepita
Zezito era o dono de Pepita, uma pipa verde e rosa, de carinha graciosa.
Zezito preparou Pepita para concorrer no grande campeonato de pipas. Fitas coloridas saíam de
suas pontas.
O dia amanheceu. O Sol estava forte e o céu azul. De toda parte chegava gente grande, gente
pequena, com suas pipas de todos os jeitos. Tinha pipa-estrela, pipa-bicho, pipas de todos os
jeitos.
Um apito deu o sinal e as pipas voaram no céu. Ele ficou colorido, como um dia de carnaval.Pepita
foi subindo...
Passou por várias nuvens e deixou as outras pipas para trás. Lá no alto, Pepita gritou:
- Até um dia, Zezito! Vou fazer um grande vôo.
Se você olhar para o céu nas noites estreladas, verá Pepita, com seus cabelos de fita.
GOES, Lúcia Pimentel. A pipa Pepita. São Paulo: Scipione, 1988.

No trecho “Ele ficou colorido, como um dia de carnaval (...)”, a palavra destacada pode ser
substituída por:
A)
B)
C)
D)

sol
céu
dia
apito
6
QUESTÃO 13
Leia o texto.

O HOMEM DO OLHO TORTO
No sertão nordestino, vivia um velho chamado Alexandre. Meio caçador, meio vaqueiro,
era cheio de conversas – falava cuspindo, espumando como um sapo-cururu. O que mais
chamava a atenção era o seu olho torto, que ganhou quando foi caçar a égua pampa, a pedido do
pai. Alexandre rodou o sertão, mas não achou a tal égua. Pegou no sono no meio do mato e,
quando acordou, montou num animal que pensou ser a égua. Era uma onça. No corre-corre,
machucou-se com galhos de árvores e ficou sem um olho. Alexandre até que tentou colocar seu
olho de volta no buraco, mas fez errado. Ficou com um olho torto.
RAMOS, Graciliano. História de Alexandre. Editora Record. In Revista Educação, ano 11, n. 124, p. 14.

O que deu origem aos fatos narrados nesse texto?
A) O fato de Alexandre falar muito.
B) O hábito de Alexandre de falar cuspindo.
C) A caçada de Alexandre à égua pampa.
D) A caçada de Alexandre a uma onça.

QUESTÃO 14
Leia o texto.
NO MEIO DA RUA

___ Por que você está carregando esta cama?
___ Ordens do meu médico.
Lourdes andar e José Morán. Maria Luisa. Piada para toda a família.São Paulo: Girassol, s/d.
___ O médico mandou você Erburu por aí com a cama?

___ Sim, recomendou que não deixasse a cama até a semana que vem.

O humor do texto está presente:
A) ao interpretar a fala do médico com outro sentido.
B) ao carregar acama nas costas.
C) ao conversar com o amigo.
D) ao fazer o que o médico mandou.

7
QUESTÃO 15
Leia o texto.
Clementina, a gata
Clementina era uma gata de telhado, dessas gatas listradas. Vivia namorando, miando e tendo
gatinhos. Mas era mais pra namoradeira do que pra mamadeira, quer dizer: não cuidava muito bem
dos filhotes. Vivia esquecendo de dar de mamar.
Ainda bem que Boby cuidava! Boby também era bassê, da mesma raça de Sua Avó. Se você
não leu a história de Sua Avó, bem feito, vai pensar que estou falando de pessoa de sua família,
Deus que me livre! É que Sua Avó era o nome de um cachorro que tive, quando era menina, da
mesma raça de Boby, que tive quando meus filhos eram meninos.
Boby cuidava dos gatinhos de Clementina. Só não dava de mamar, por motivo de Boby ser
macho. Mas mãe como Boby nunca vi igual!
Boby chamava Clementina de três em três horas, para a desalmada vir alimentar os gatinhos.
Clementina, muito namoradeira, não queria vir, ficava requebrando em frente do portão, esquecida
de que era uma senhora gata com obrigações familiares.

ORTHOF, Sylvia. Os bichos que tive. Salamandra, 2006, pág. 61. Fragmento.

Na frase “Mas mãe como Boby nunca vi igual!”, o ponto de exclamação indica:
A) admiração.
B) dúvida
C) indiferença.
D) negação.
QUESTÃO 16
Leia o texto.
DOMINGÃO
Domingo, eu passei o dia todo de bode. Mas, no começo da noite, melhorei e resolvi bater um fio para o
Zeca.
- E aí, cara? Vamos no cinema?
- Sei lá, Marcos. Estou meio pra baixo...
- Eu também tava, cara. Mas já estou melhor.
E lá fomos nós. O ônibus atrasou, e nós pagamos o maior mico, porque, quando chegamos, o filme já tinha
começado. Teve até um mané que perguntou se a gente tinha chegado para a próxima seção.
Saímos de lá, comentando:
- Que filme massa!
- Maneiro mesmo!
Mas já era tarde, e nem deu para contar os últimos babados pro Zeca. Afinal, segunda-feira é dia de trampo e
eu detesto queimar o filme com o patrão. Não vejo a hora de chegar o final de semana de novo para eu agitar
um pouco mais.

CAVÉQUIA, MarciaPaganini,In; HTTP:/ensinandocomalegria.blogdpot.com
Os dois personagens que conversam nesse texto são:
A) adultos.
B) crianças.

C) idosos.
D) jovens.
8
QUESTÃO 17

Observe cada quadradinho e escreva o que está acontecendo de acordo com as cenas:
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
Boa Sorte!

9

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Atividade de ciências - plantas 2º ano.pdf
Atividade de ciências - plantas 2º ano.pdfAtividade de ciências - plantas 2º ano.pdf
Atividade de ciências - plantas 2º ano.pdf
ElivaneidePereira
 
Ordem alfabetica
Ordem alfabeticaOrdem alfabetica
Ordem alfabetica
BEviatodos
 
Dobro e triplo 4° ano
Dobro e triplo 4° anoDobro e triplo 4° ano
Dobro e triplo 4° ano
chellinenem
 
D7 (5º ano l.p.)
D7 (5º ano   l.p.)D7 (5º ano   l.p.)
D7 (5º ano l.p.)
Cidinha Paulo
 
Encontros consonantais e dígrafos
Encontros consonantais e dígrafosEncontros consonantais e dígrafos
Encontros consonantais e dígrafos
Paulo Alves de Araujo
 
Avaliações para o 5º ano do F1: Língua Portuguesa,produção textual,matemática...
Avaliações para o 5º ano do F1: Língua Portuguesa,produção textual,matemática...Avaliações para o 5º ano do F1: Língua Portuguesa,produção textual,matemática...
Avaliações para o 5º ano do F1: Língua Portuguesa,produção textual,matemática...
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
1 avaliação 18-concurso de leitura
1  avaliação  18-concurso de leitura1  avaliação  18-concurso de leitura
1 avaliação 18-concurso de leitura
MariaJoao Sousa
 
Gênero textual: Fabulas e contos
Gênero textual: Fabulas e contos Gênero textual: Fabulas e contos
Gênero textual: Fabulas e contos
Mary Alvarenga
 
Apostila gêneros textuais 4º ano
Apostila gêneros textuais  4º anoApostila gêneros textuais  4º ano
Apostila gêneros textuais 4º ano
Roseanne Funchal Olivieira
 
AS ABELHAS - ATIVIDADES
AS ABELHAS - ATIVIDADESAS ABELHAS - ATIVIDADES
AS ABELHAS - ATIVIDADES
Tonia Souza
 
Brincadeiras e brinquedos do folclore brasileiro.
Brincadeiras e brinquedos do folclore brasileiro.Brincadeiras e brinquedos do folclore brasileiro.
Brincadeiras e brinquedos do folclore brasileiro.
Mary Alvarenga
 
Sequência Didática - O Pulo do gato para 5° ano
Sequência Didática - O Pulo do gato para 5° anoSequência Didática - O Pulo do gato para 5° ano
Sequência Didática - O Pulo do gato para 5° ano
Bianca Zanocini
 
D19 (5º ano mat.)
D19  (5º ano   mat.)D19  (5º ano   mat.)
D19 (5º ano mat.)
Cidinha Paulo
 
Loteria ortográfica JE GE JE JI
Loteria  ortográfica   JE  GE JE  JILoteria  ortográfica   JE  GE JE  JI
Loteria ortográfica JE GE JE JI
Mary Alvarenga
 
Cruzadinha números inglês
Cruzadinha números inglêsCruzadinha números inglês
Cruzadinha números inglês
Edilene Aparecida
 
Matematica material dourado
Matematica material douradoMatematica material dourado
Matematica material dourado
Beatrix Algrave
 
Sequência didática: O Leão e o Ratinho
Sequência didática: O Leão e o RatinhoSequência didática: O Leão e o Ratinho
Sequência didática: O Leão e o Ratinho
Shirley Lauria
 
Arte - O Direirto das Crianças, Ruth Rocha
Arte -  O Direirto das Crianças, Ruth RochaArte -  O Direirto das Crianças, Ruth Rocha
Arte - O Direirto das Crianças, Ruth Rocha
Mary Alvarenga
 
Avaliação Bimestral História e Geografia 3º Bimestre 2017
Avaliação Bimestral História e Geografia  3º Bimestre 2017Avaliação Bimestral História e Geografia  3º Bimestre 2017
Avaliação Bimestral História e Geografia 3º Bimestre 2017
CristhianeGuimaraes
 
Apresentação de adaptação de atividades para os autistas volume 4
Apresentação de adaptação de atividades para os autistas   volume 4Apresentação de adaptação de atividades para os autistas   volume 4
Apresentação de adaptação de atividades para os autistas volume 4
Lucilene Rocha
 

Mais procurados (20)

Atividade de ciências - plantas 2º ano.pdf
Atividade de ciências - plantas 2º ano.pdfAtividade de ciências - plantas 2º ano.pdf
Atividade de ciências - plantas 2º ano.pdf
 
Ordem alfabetica
Ordem alfabeticaOrdem alfabetica
Ordem alfabetica
 
Dobro e triplo 4° ano
Dobro e triplo 4° anoDobro e triplo 4° ano
Dobro e triplo 4° ano
 
D7 (5º ano l.p.)
D7 (5º ano   l.p.)D7 (5º ano   l.p.)
D7 (5º ano l.p.)
 
Encontros consonantais e dígrafos
Encontros consonantais e dígrafosEncontros consonantais e dígrafos
Encontros consonantais e dígrafos
 
Avaliações para o 5º ano do F1: Língua Portuguesa,produção textual,matemática...
Avaliações para o 5º ano do F1: Língua Portuguesa,produção textual,matemática...Avaliações para o 5º ano do F1: Língua Portuguesa,produção textual,matemática...
Avaliações para o 5º ano do F1: Língua Portuguesa,produção textual,matemática...
 
1 avaliação 18-concurso de leitura
1  avaliação  18-concurso de leitura1  avaliação  18-concurso de leitura
1 avaliação 18-concurso de leitura
 
Gênero textual: Fabulas e contos
Gênero textual: Fabulas e contos Gênero textual: Fabulas e contos
Gênero textual: Fabulas e contos
 
Apostila gêneros textuais 4º ano
Apostila gêneros textuais  4º anoApostila gêneros textuais  4º ano
Apostila gêneros textuais 4º ano
 
AS ABELHAS - ATIVIDADES
AS ABELHAS - ATIVIDADESAS ABELHAS - ATIVIDADES
AS ABELHAS - ATIVIDADES
 
Brincadeiras e brinquedos do folclore brasileiro.
Brincadeiras e brinquedos do folclore brasileiro.Brincadeiras e brinquedos do folclore brasileiro.
Brincadeiras e brinquedos do folclore brasileiro.
 
Sequência Didática - O Pulo do gato para 5° ano
Sequência Didática - O Pulo do gato para 5° anoSequência Didática - O Pulo do gato para 5° ano
Sequência Didática - O Pulo do gato para 5° ano
 
D19 (5º ano mat.)
D19  (5º ano   mat.)D19  (5º ano   mat.)
D19 (5º ano mat.)
 
Loteria ortográfica JE GE JE JI
Loteria  ortográfica   JE  GE JE  JILoteria  ortográfica   JE  GE JE  JI
Loteria ortográfica JE GE JE JI
 
Cruzadinha números inglês
Cruzadinha números inglêsCruzadinha números inglês
Cruzadinha números inglês
 
Matematica material dourado
Matematica material douradoMatematica material dourado
Matematica material dourado
 
Sequência didática: O Leão e o Ratinho
Sequência didática: O Leão e o RatinhoSequência didática: O Leão e o Ratinho
Sequência didática: O Leão e o Ratinho
 
Arte - O Direirto das Crianças, Ruth Rocha
Arte -  O Direirto das Crianças, Ruth RochaArte -  O Direirto das Crianças, Ruth Rocha
Arte - O Direirto das Crianças, Ruth Rocha
 
Avaliação Bimestral História e Geografia 3º Bimestre 2017
Avaliação Bimestral História e Geografia  3º Bimestre 2017Avaliação Bimestral História e Geografia  3º Bimestre 2017
Avaliação Bimestral História e Geografia 3º Bimestre 2017
 
Apresentação de adaptação de atividades para os autistas volume 4
Apresentação de adaptação de atividades para os autistas   volume 4Apresentação de adaptação de atividades para os autistas   volume 4
Apresentação de adaptação de atividades para os autistas volume 4
 

Destaque

8. diagnostico _5ano_lp
8. diagnostico _5ano_lp8. diagnostico _5ano_lp
8. diagnostico _5ano_lp
Mara Sueli
 
Simulado com descritores PROEB português 5º ano
Simulado com descritores PROEB português 5º anoSimulado com descritores PROEB português 5º ano
Simulado com descritores PROEB português 5º ano
Silvânia Silveira
 
Simulado 13 (port. 5º ano)
Simulado 13 (port. 5º ano)Simulado 13 (port. 5º ano)
Simulado 13 (port. 5º ano)
Cidinha Paulo
 
D2 (5º ano l.p.)
D2 (5º ano   l.p.)D2 (5º ano   l.p.)
D2 (5º ano l.p.)
Cidinha Paulo
 
D12 (5º ano l.p.)
D12 (5º ano   l.p.)D12 (5º ano   l.p.)
D12 (5º ano l.p.)
Cidinha Paulo
 
D14 (5º ano l.p.)
D14 (5º ano   l.p.)D14 (5º ano   l.p.)
D14 (5º ano l.p.)
Cidinha Paulo
 
Língua portuguesa diagnostica 5 ano
Língua portuguesa diagnostica 5 anoLíngua portuguesa diagnostica 5 ano
Língua portuguesa diagnostica 5 ano
Atividades Diversas Cláudia
 
Prova de Língua Portuguesa conforme Descritores da Prova Brasil
Prova de Língua Portuguesa conforme Descritores da Prova BrasilProva de Língua Portuguesa conforme Descritores da Prova Brasil
Prova de Língua Portuguesa conforme Descritores da Prova Brasil
Cláudia Santos
 
Provas 5 ano 2012 portugues
Provas 5 ano 2012  portuguesProvas 5 ano 2012  portugues
Provas 5 ano 2012 portugues
Silmara Robles
 
A menina e seu primeiro pote de leite antonio e. b. pereira
A menina e seu primeiro pote de leite   antonio e. b. pereiraA menina e seu primeiro pote de leite   antonio e. b. pereira
A menina e seu primeiro pote de leite antonio e. b. pereira
Dário Reis
 
9. diagnostico 5_ano__mat
9. diagnostico 5_ano__mat9. diagnostico 5_ano__mat
9. diagnostico 5_ano__mat
Mara Sueli
 
Interpretação «os dois amigos e o urso»
Interpretação «os dois amigos e o urso»Interpretação «os dois amigos e o urso»
Interpretação «os dois amigos e o urso»
anaojlem
 
D10 (5º ano l.p.)
D10 (5º ano   l.p.)D10 (5º ano   l.p.)
D10 (5º ano l.p.)
Cidinha Paulo
 
D8 (5º ano l.p.)
D8 (5º ano   l.p.)D8 (5º ano   l.p.)
D8 (5º ano l.p.)
Cidinha Paulo
 
D3 (5º ano l.p.)
D3 (5º ano   l.p.)D3 (5º ano   l.p.)
D3 (5º ano l.p.)
Cidinha Paulo
 
D4 (5º ano l.p.)
D4 (5º ano   l.p.)D4 (5º ano   l.p.)
D4 (5º ano l.p.)
Cidinha Paulo
 
Simul.port.5ºano(descirtor gabarito)
Simul.port.5ºano(descirtor gabarito)Simul.port.5ºano(descirtor gabarito)
Simul.port.5ºano(descirtor gabarito)
Maurício Marques
 
Simulado 16 (port. 5º ano)
Simulado 16 (port. 5º ano)Simulado 16 (port. 5º ano)
Simulado 16 (port. 5º ano)
Cidinha Paulo
 
D11 (5º ano l.p.)
D11 (5º ano   l.p.)D11 (5º ano   l.p.)
D11 (5º ano l.p.)
Cidinha Paulo
 
D15 (5º ano l.p.)
D15 (5º ano   l.p.)D15 (5º ano   l.p.)
D15 (5º ano l.p.)
Cidinha Paulo
 

Destaque (20)

8. diagnostico _5ano_lp
8. diagnostico _5ano_lp8. diagnostico _5ano_lp
8. diagnostico _5ano_lp
 
Simulado com descritores PROEB português 5º ano
Simulado com descritores PROEB português 5º anoSimulado com descritores PROEB português 5º ano
Simulado com descritores PROEB português 5º ano
 
Simulado 13 (port. 5º ano)
Simulado 13 (port. 5º ano)Simulado 13 (port. 5º ano)
Simulado 13 (port. 5º ano)
 
D2 (5º ano l.p.)
D2 (5º ano   l.p.)D2 (5º ano   l.p.)
D2 (5º ano l.p.)
 
D12 (5º ano l.p.)
D12 (5º ano   l.p.)D12 (5º ano   l.p.)
D12 (5º ano l.p.)
 
D14 (5º ano l.p.)
D14 (5º ano   l.p.)D14 (5º ano   l.p.)
D14 (5º ano l.p.)
 
Língua portuguesa diagnostica 5 ano
Língua portuguesa diagnostica 5 anoLíngua portuguesa diagnostica 5 ano
Língua portuguesa diagnostica 5 ano
 
Prova de Língua Portuguesa conforme Descritores da Prova Brasil
Prova de Língua Portuguesa conforme Descritores da Prova BrasilProva de Língua Portuguesa conforme Descritores da Prova Brasil
Prova de Língua Portuguesa conforme Descritores da Prova Brasil
 
Provas 5 ano 2012 portugues
Provas 5 ano 2012  portuguesProvas 5 ano 2012  portugues
Provas 5 ano 2012 portugues
 
A menina e seu primeiro pote de leite antonio e. b. pereira
A menina e seu primeiro pote de leite   antonio e. b. pereiraA menina e seu primeiro pote de leite   antonio e. b. pereira
A menina e seu primeiro pote de leite antonio e. b. pereira
 
9. diagnostico 5_ano__mat
9. diagnostico 5_ano__mat9. diagnostico 5_ano__mat
9. diagnostico 5_ano__mat
 
Interpretação «os dois amigos e o urso»
Interpretação «os dois amigos e o urso»Interpretação «os dois amigos e o urso»
Interpretação «os dois amigos e o urso»
 
D10 (5º ano l.p.)
D10 (5º ano   l.p.)D10 (5º ano   l.p.)
D10 (5º ano l.p.)
 
D8 (5º ano l.p.)
D8 (5º ano   l.p.)D8 (5º ano   l.p.)
D8 (5º ano l.p.)
 
D3 (5º ano l.p.)
D3 (5º ano   l.p.)D3 (5º ano   l.p.)
D3 (5º ano l.p.)
 
D4 (5º ano l.p.)
D4 (5º ano   l.p.)D4 (5º ano   l.p.)
D4 (5º ano l.p.)
 
Simul.port.5ºano(descirtor gabarito)
Simul.port.5ºano(descirtor gabarito)Simul.port.5ºano(descirtor gabarito)
Simul.port.5ºano(descirtor gabarito)
 
Simulado 16 (port. 5º ano)
Simulado 16 (port. 5º ano)Simulado 16 (port. 5º ano)
Simulado 16 (port. 5º ano)
 
D11 (5º ano l.p.)
D11 (5º ano   l.p.)D11 (5º ano   l.p.)
D11 (5º ano l.p.)
 
D15 (5º ano l.p.)
D15 (5º ano   l.p.)D15 (5º ano   l.p.)
D15 (5º ano l.p.)
 

Semelhante a 8. diagnostico _5ano_lp

8. diagnostico _5ano_lp
8. diagnostico _5ano_lp8. diagnostico _5ano_lp
8. diagnostico _5ano_lp
Edmeyre Souza Ferreira
 
Simulado de português 5º ano spaece 2014
Simulado de português 5º ano  spaece 2014Simulado de português 5º ano  spaece 2014
Simulado de português 5º ano spaece 2014
CASA-FACEBOOK-INSTAGRAM
 
simulado port. saresp.doc
simulado port. saresp.docsimulado port. saresp.doc
simulado port. saresp.doc
PROFaLUMENDES
 
Simulado spaece 1º ano
Simulado spaece 1º anoSimulado spaece 1º ano
Simulado spaece 1º ano
profronaldopompeu
 
Simulado 1 (port. 5º ano blog do prof. warles)
Simulado 1 (port. 5º ano   blog do prof. warles)Simulado 1 (port. 5º ano   blog do prof. warles)
Simulado 1 (port. 5º ano blog do prof. warles)
DANIELDESOUZA67
 
Sarespinho 5 ano
Sarespinho 5 anoSarespinho 5 ano
Sarespinho 5 ano
Dany silverio
 
Avaliação diagnóstica portugues 2016
Avaliação diagnóstica portugues 2016Avaliação diagnóstica portugues 2016
Avaliação diagnóstica portugues 2016
Nilda Silva
 
Índios- Cultura indígena
Índios- Cultura indígenaÍndios- Cultura indígena
Índios- Cultura indígena
Emef Madalena
 
Simulado de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB
Simulado  de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB Simulado  de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB
Simulado de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB
Mary Alvarenga
 
QUIZ generos textuais para preparação para o spaece
QUIZ generos textuais para preparação para o spaeceQUIZ generos textuais para preparação para o spaece
QUIZ generos textuais para preparação para o spaece
eeftimariasotherpere
 
4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp
Andreia Pereira da Silva
 
4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp
Roseli Aparecida Tavares
 
4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp
Roseli Aparecida Tavares
 
Simulado 1 (port. 5º ano blog do prof. Warles)
Simulado 1 (port. 5º ano   blog do prof. Warles)Simulado 1 (port. 5º ano   blog do prof. Warles)
Simulado 1 (port. 5º ano blog do prof. Warles)
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Ativ. férias 1º ano
Ativ. férias 1º anoAtiv. férias 1º ano
Ativ. férias 1º ano
Hermes Teixeira
 
apresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamental
apresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamentalapresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamental
apresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamental
LindalvaAlves2
 
Simulado 01 (port. 5º ano
Simulado 01 (port. 5º anoSimulado 01 (port. 5º ano
Simulado 01 (port. 5º ano
Cidinha Paulo
 
Avaliação proeb língua portuguesa 9º ano
Avaliação proeb língua portuguesa   9º anoAvaliação proeb língua portuguesa   9º ano
Avaliação proeb língua portuguesa 9º ano
Atividades Diversas Cláudia
 
WORD: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLO
WORD: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLOWORD: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLO
WORD: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLO
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
P04_SITE.pdf
P04_SITE.pdfP04_SITE.pdf
P04_SITE.pdf
Caroline Assis
 

Semelhante a 8. diagnostico _5ano_lp (20)

8. diagnostico _5ano_lp
8. diagnostico _5ano_lp8. diagnostico _5ano_lp
8. diagnostico _5ano_lp
 
Simulado de português 5º ano spaece 2014
Simulado de português 5º ano  spaece 2014Simulado de português 5º ano  spaece 2014
Simulado de português 5º ano spaece 2014
 
simulado port. saresp.doc
simulado port. saresp.docsimulado port. saresp.doc
simulado port. saresp.doc
 
Simulado spaece 1º ano
Simulado spaece 1º anoSimulado spaece 1º ano
Simulado spaece 1º ano
 
Simulado 1 (port. 5º ano blog do prof. warles)
Simulado 1 (port. 5º ano   blog do prof. warles)Simulado 1 (port. 5º ano   blog do prof. warles)
Simulado 1 (port. 5º ano blog do prof. warles)
 
Sarespinho 5 ano
Sarespinho 5 anoSarespinho 5 ano
Sarespinho 5 ano
 
Avaliação diagnóstica portugues 2016
Avaliação diagnóstica portugues 2016Avaliação diagnóstica portugues 2016
Avaliação diagnóstica portugues 2016
 
Índios- Cultura indígena
Índios- Cultura indígenaÍndios- Cultura indígena
Índios- Cultura indígena
 
Simulado de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB
Simulado  de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB Simulado  de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB
Simulado de Língua Portuguesa - Revisão prova SAEB
 
QUIZ generos textuais para preparação para o spaece
QUIZ generos textuais para preparação para o spaeceQUIZ generos textuais para preparação para o spaece
QUIZ generos textuais para preparação para o spaece
 
4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp
 
4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp
 
4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp4. diagnotico _3_ano_lp
4. diagnotico _3_ano_lp
 
Simulado 1 (port. 5º ano blog do prof. Warles)
Simulado 1 (port. 5º ano   blog do prof. Warles)Simulado 1 (port. 5º ano   blog do prof. Warles)
Simulado 1 (port. 5º ano blog do prof. Warles)
 
Ativ. férias 1º ano
Ativ. férias 1º anoAtiv. férias 1º ano
Ativ. férias 1º ano
 
apresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamental
apresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamentalapresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamental
apresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamental
 
Simulado 01 (port. 5º ano
Simulado 01 (port. 5º anoSimulado 01 (port. 5º ano
Simulado 01 (port. 5º ano
 
Avaliação proeb língua portuguesa 9º ano
Avaliação proeb língua portuguesa   9º anoAvaliação proeb língua portuguesa   9º ano
Avaliação proeb língua portuguesa 9º ano
 
WORD: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLO
WORD: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLOWORD: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLO
WORD: AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - I CICLO
 
P04_SITE.pdf
P04_SITE.pdfP04_SITE.pdf
P04_SITE.pdf
 

Mais de Carla Cucoloto

Agora vamos contar (2)
Agora vamos contar (2)Agora vamos contar (2)
Agora vamos contar (2)
Carla Cucoloto
 
Atividades de alfabetizacao_2014
Atividades de alfabetizacao_2014Atividades de alfabetizacao_2014
Atividades de alfabetizacao_2014
Carla Cucoloto
 
5º ano
5º ano5º ano
Cartelas de bingo..
Cartelas de bingo..Cartelas de bingo..
Cartelas de bingo..
Carla Cucoloto
 
07 de setembro
07 de setembro07 de setembro
07 de setembro
Carla Cucoloto
 
A fuga-do-saci
A fuga-do-saciA fuga-do-saci
A fuga-do-saci
Carla Cucoloto
 
07 de setembro
07 de setembro07 de setembro
07 de setembro
Carla Cucoloto
 
Musica fonte de amor e luz
Musica fonte de amor e luzMusica fonte de amor e luz
Musica fonte de amor e luz
Carla Cucoloto
 

Mais de Carla Cucoloto (8)

Agora vamos contar (2)
Agora vamos contar (2)Agora vamos contar (2)
Agora vamos contar (2)
 
Atividades de alfabetizacao_2014
Atividades de alfabetizacao_2014Atividades de alfabetizacao_2014
Atividades de alfabetizacao_2014
 
5º ano
5º ano5º ano
5º ano
 
Cartelas de bingo..
Cartelas de bingo..Cartelas de bingo..
Cartelas de bingo..
 
07 de setembro
07 de setembro07 de setembro
07 de setembro
 
A fuga-do-saci
A fuga-do-saciA fuga-do-saci
A fuga-do-saci
 
07 de setembro
07 de setembro07 de setembro
07 de setembro
 
Musica fonte de amor e luz
Musica fonte de amor e luzMusica fonte de amor e luz
Musica fonte de amor e luz
 

Último

Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
JuliaMachado73
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Danielle Fernandes Amaro dos Santos
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 

Último (20)

Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 

8. diagnostico _5ano_lp

  • 1. ESCOLA ESTADUAL_____________________________________________________________ AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA 2013 – LÍNGUA PORTUGUESA - 5º ANO ENSINO FUNDAMENTAL. ALUNO__________________________________________________________________________ PROFESSORA____________________________________________DATA______/_______/_____ QUESTÃO 01 Leia o texto. TEM TODO TIPO DE GENTE Na sala de aula da professora Marcela, havia alunos de todo jeito, espertos, preguiçosos, inteligentes e aqueles que respondiam sem pelo menos pensar. Certo dia, ela perguntou ao Joãozinho: ___ Quanto são um mais dois. ___ Dois, respondeu ele rapidamente. ___ Nossa Joãozinho, essa é a conta mais fácil da matemática e você nem parou para contar! Bem que a minha avó dizia, que tem gente que tem cabeça só para juntar caspa. Na parte do texto: “Nossa, essa é a conta mais fácil da matemática e você nem sequer parou para contar! Bem que a minha avó dizia, que tem gente que tem cabeça só para juntar caspa”. O termo sublinhado significa que: A) O aluno tinha caspa por isso errou a atividade. B) A caspa afetou a memória do aluno. C) Quem tem caspa responde rapidamente. D) Que o aluno tem preguiça de pensar. QUESTÃO 02 Leia o texto abaixo. CACHORROS Os zoólogos acreditam que o cachorro se originou de uma espécie de lobo que vivia na Ásia. Depois os cães se juntaram aos seres humanos e se espalharam por quase todo o mundo. Essa amizade começou há uns 12 mil anos, no tempo em que as pessoas precisavam caçar para se alimentar. Os cachorros perceberam que, se não atacassem os humanos, podiam ficar perto deles e comer a comida que sobrava. Já os homens descobriram que os cachorros podiam ajudar a caçar, a cuidar de rebanhos e a tomar conta da casa, além de serem ótimos companheiros. Um colaborava com o outro e a parceria deu certo. www.recreionline.com.br O assunto tratado nesse texto é a: A) relação entre homens e cães. B) profissão de zoólogo. C) amizade entre os animais. D) alimentação dos cães. 1
  • 2. QUESTÃO 03 Leia o texto abaixo e responda às questões. Caipora É um mito do Brasil que os índios já conheciam desde a época do descobrimento. Índios e Jesuítas o chamavam de Caiçara, o protetor da caça e das matas. Seus pés voltados para trás servem para despistar os caçadores, deixandoos sempre a seguir rastros falsos. Quem o vê, perde totalmente o rumo, e não sabe mais achar o caminho de volta. É impossível capturá-lo. Para atrair suas vítimas, ele, às vezes, chama as pessoas com gritos que imitam a voz humana. É também chamado de Pai ou Mãe-do-Mato, Curupira e Caipora. Para os Índios Guaranis, ele é o Demônio da Floresta. Às vezes é visto montando um porco do mato. http://www.arteducacao.pro.br De acordo com esse texto, os pés voltados para trás da Caipora servem para: A) atrair suas vítimas. B) despistar caçadores. C) montar um porco do mato. D) proteger as matas. QUESTÃO 04 Leia o texto abaixo e responda às questões. O Feitiço do sapo Todo lugar sempre tem um doido. Piririca da Serra tem Zóio. Ele é um sujeito cheio de ideias, fica horas falando e anda pra cima e pra baixo, numa bicicleta pra lá de doida, que só falta voar. O povo da cidade conta mais de mil casos de Zóio, e acha que tudo acontece, coitado, por causa da sua sincera mania de fazer “boas ações”. Outro dia, Zóio estava passando em frente à casa de Carmela, quando a ouviu cantar uma bela e triste canção. Zóio parou e pensou: que pena, uma moça tão bonita, de voz tão doce, ficar assim triste e sem apetite de tanto esperar um príncipe encantado. Isto não era justo. Achou que poderia ajudar Carmela a realizar seu sonho e tinha certeza de que justamente ele era a pessoa certa para isso. Zóio se pôs a imaginar como iria achar um príncipe para Carmela. Pensou muito para encontrar uma solução e finalmente teve uma grande ideia de jerico: foi até a beira do rio, pegou um sapo verde e colocou-o numa caixa bem na porta da casa dela. FURNARI, Eva. O feitiço do sapo. São Paulo: Editora Ática, 2006, p. 4 e 5. Fragmento. A intenção de Zóio ao colocar um sapo na porta da casa de Carmela foi: A) ajudá-la a encontrar um príncipe encantado. B) ajudá-la a cantar com voz mais doce ainda. C) encontrar alguém para cuidar do sapo que vivia no rio. D) fazer uma surpresa, dando-lhe um sapo de presente. 2
  • 3. QUESTÃO 05 Leia o texto abaixo e responda às questões. O menor jornal A jornalista Dolores Nunes é a responsável pelo menor jornal do mundo. No dia 23, o micro jornal Vossa Senhoria, da cidade de Divinópolis (MG), recebeu o certificado do livro dos recordes, atestando que o seu jornal, com apenas 3,5 centímetros de altura e 2,5 centímetros de largura, é o menor jornal do mundo. O jornal tem 16 páginas mensais, tiragem de 5 mil exemplares e aborda diversos assuntos da atualidade. http://nelmundoca9.blogspot.com.br/2010/07/pequenos-textos.html O que significa atestando? A) Afirmando por escrito. B) Dando uma notícia. C) Fazendo um teste. D) Lendo com atenção. QUESTÃO 06 Leia o texto abaixo e responda à questão. PRINCESA NENÚFAR ELFO-ELFA Nasceu já bem pálida, de olhos claros e cabelos loiros, quase brancos. Foi se tornando invisível já na infância e viveu o resto da vida num castelo mal-assombrado, com fantasmas amigos da família. Dizem que é muito bonita, mas é bem difícil de se saber se é verdade. SOUZA, Flávio de. Príncipes e princesas, sapos e lagartos. Histórias modernas de tempos antigos. Editora FTD, p. 16. Fragmento. A opinião das pessoas sobre a princesa é de que ela: A) é muito bonita. B) é pálida, de olhos claros. C) tem cabelos quase brancos. D) vive num castelo. 3
  • 4. QUESTÃO 07 Leia o texto abaixo. Pipoca • 2 xícaras de milho de pipoca • 1 colher de manteiga ou óleo • Sal a gosto Coloque a manteiga ou óleo numa panela grande e leve ao fogo forte. Junte o milho e mexa sem parar. Quando o milho começar a estourar tampe a panela e abaixe o fogo para não queimar. OBS.: Se gostar de pipoca doce faça uma calda de açúcar em ponto de fio e jogue as pipocas que já devem estar prontas. Misture bem, esfrie e sirva. REIS, Emanoel de Carvalho. Mesa do Pimpolho. Paraná: Pimpolho, s/d.(Coleção A Turminha do Pimpolho). Esse texto é: A) um classificado. B) uma receita. C) um bilhete. D) uma notícia. QUESTÃO 08 Leia o texto abaixo. Feijoada Nasceu nas senzalas que abrigavam os escravos no Rio de Janeiro no final do século XIX. Quando os nobres matavam um porco, os restos indesejados – pés, orelhas, rabo e tripas – eram dados aos escravos. Eles misturavam tudo isso ao feijão durante o cozimento e colocavam farinha assada por cima antes de comer. DUARTE, Marcelo. O guia dos curiosos. Companhia das Letras. A finalidade desse texto é: A) convidar para uma feijoada. B) informar sobre a origem da feijoada. C) divulgar uma feijoada. D) ensinar a fazer uma feijoada. 4
  • 5. QUESTÃO 09 Leia a tirinha abaixo. A menina do texto: A) chora de tristeza ao verificar que está trocando dentes. B) está trocando seus dentes de leite e não gosta disso. C) reclama da dor que sente ao trocar os dentes. D) usa o espelho para observar a beleza dos seus dentes. QUESTÃO 10 Leia o texto. E como eles desapareceram? Os dinossauros viveram sobre a Terra durante 160 milhões de anos. E como desapareceram completamente? Cientistas explicam que há 65 milhões de anos, caiu no planeta um meteoro de aproximadamente 10 quilômetros. O impacto teria sido tão violento que abriu uma cratera com 200 quilômetros. Uma espécie de nuvem de poeira grossa tampou a luz solar durante seis meses. A Terra resfriou, as plantas não podiam fazer fotossíntese, e os animais não tinham o que comer. Resultado: todos os dinossauros morreram. Brasil Almanaque de Cultura Popular, n. 121, 2009, p. 26.(P050272A9_SUP) A expressão “durante 160 milhões de anos”. Indica: A) modo B) causa C) tempo D) lugar 5
  • 6. QUESTÃO 11 Leia o texto abaixo. Covardia Passeavam dois amigos numa floresta, quando apareceu um urso feroz e se lançou sobre eles. Um deles trepou numa árvore e escondeu-se, enquanto o outro ficava no caminho. Deixando-se cair ao solo, fingiu-se morto. O urso aproximou-se e cheirou o homem, mas como este retinha a respiração, julgou-o morto e afastou-se. Quando a fera estava longe, o outro desceu da árvore e perguntou, a gracejar, ao companheiro: _ Que te disse o urso ao ouvido? _ Disse-me que aquele que abandona o seu amigo no perigo é um covarde. TAHAN, Malba. Lendas do céu e da terra. 23 ed. Rio de Janeiro: Record, 1998. O amigo que estava na árvore desceu porque: A) observou do alto um lugar melhor para esconder-se. B) achou melhor também fingir-se de morto. C) queria ajudar o amigo a livrar-se do urso. D) viu que o urso já estava distante. QUESTÃO 12 Leia o texto abaixo. A pipa Pepita Zezito era o dono de Pepita, uma pipa verde e rosa, de carinha graciosa. Zezito preparou Pepita para concorrer no grande campeonato de pipas. Fitas coloridas saíam de suas pontas. O dia amanheceu. O Sol estava forte e o céu azul. De toda parte chegava gente grande, gente pequena, com suas pipas de todos os jeitos. Tinha pipa-estrela, pipa-bicho, pipas de todos os jeitos. Um apito deu o sinal e as pipas voaram no céu. Ele ficou colorido, como um dia de carnaval.Pepita foi subindo... Passou por várias nuvens e deixou as outras pipas para trás. Lá no alto, Pepita gritou: - Até um dia, Zezito! Vou fazer um grande vôo. Se você olhar para o céu nas noites estreladas, verá Pepita, com seus cabelos de fita. GOES, Lúcia Pimentel. A pipa Pepita. São Paulo: Scipione, 1988. No trecho “Ele ficou colorido, como um dia de carnaval (...)”, a palavra destacada pode ser substituída por: A) B) C) D) sol céu dia apito 6
  • 7. QUESTÃO 13 Leia o texto. O HOMEM DO OLHO TORTO No sertão nordestino, vivia um velho chamado Alexandre. Meio caçador, meio vaqueiro, era cheio de conversas – falava cuspindo, espumando como um sapo-cururu. O que mais chamava a atenção era o seu olho torto, que ganhou quando foi caçar a égua pampa, a pedido do pai. Alexandre rodou o sertão, mas não achou a tal égua. Pegou no sono no meio do mato e, quando acordou, montou num animal que pensou ser a égua. Era uma onça. No corre-corre, machucou-se com galhos de árvores e ficou sem um olho. Alexandre até que tentou colocar seu olho de volta no buraco, mas fez errado. Ficou com um olho torto. RAMOS, Graciliano. História de Alexandre. Editora Record. In Revista Educação, ano 11, n. 124, p. 14. O que deu origem aos fatos narrados nesse texto? A) O fato de Alexandre falar muito. B) O hábito de Alexandre de falar cuspindo. C) A caçada de Alexandre à égua pampa. D) A caçada de Alexandre a uma onça. QUESTÃO 14 Leia o texto. NO MEIO DA RUA ___ Por que você está carregando esta cama? ___ Ordens do meu médico. Lourdes andar e José Morán. Maria Luisa. Piada para toda a família.São Paulo: Girassol, s/d. ___ O médico mandou você Erburu por aí com a cama? ___ Sim, recomendou que não deixasse a cama até a semana que vem. O humor do texto está presente: A) ao interpretar a fala do médico com outro sentido. B) ao carregar acama nas costas. C) ao conversar com o amigo. D) ao fazer o que o médico mandou. 7
  • 8. QUESTÃO 15 Leia o texto. Clementina, a gata Clementina era uma gata de telhado, dessas gatas listradas. Vivia namorando, miando e tendo gatinhos. Mas era mais pra namoradeira do que pra mamadeira, quer dizer: não cuidava muito bem dos filhotes. Vivia esquecendo de dar de mamar. Ainda bem que Boby cuidava! Boby também era bassê, da mesma raça de Sua Avó. Se você não leu a história de Sua Avó, bem feito, vai pensar que estou falando de pessoa de sua família, Deus que me livre! É que Sua Avó era o nome de um cachorro que tive, quando era menina, da mesma raça de Boby, que tive quando meus filhos eram meninos. Boby cuidava dos gatinhos de Clementina. Só não dava de mamar, por motivo de Boby ser macho. Mas mãe como Boby nunca vi igual! Boby chamava Clementina de três em três horas, para a desalmada vir alimentar os gatinhos. Clementina, muito namoradeira, não queria vir, ficava requebrando em frente do portão, esquecida de que era uma senhora gata com obrigações familiares. ORTHOF, Sylvia. Os bichos que tive. Salamandra, 2006, pág. 61. Fragmento. Na frase “Mas mãe como Boby nunca vi igual!”, o ponto de exclamação indica: A) admiração. B) dúvida C) indiferença. D) negação. QUESTÃO 16 Leia o texto. DOMINGÃO Domingo, eu passei o dia todo de bode. Mas, no começo da noite, melhorei e resolvi bater um fio para o Zeca. - E aí, cara? Vamos no cinema? - Sei lá, Marcos. Estou meio pra baixo... - Eu também tava, cara. Mas já estou melhor. E lá fomos nós. O ônibus atrasou, e nós pagamos o maior mico, porque, quando chegamos, o filme já tinha começado. Teve até um mané que perguntou se a gente tinha chegado para a próxima seção. Saímos de lá, comentando: - Que filme massa! - Maneiro mesmo! Mas já era tarde, e nem deu para contar os últimos babados pro Zeca. Afinal, segunda-feira é dia de trampo e eu detesto queimar o filme com o patrão. Não vejo a hora de chegar o final de semana de novo para eu agitar um pouco mais. CAVÉQUIA, MarciaPaganini,In; HTTP:/ensinandocomalegria.blogdpot.com Os dois personagens que conversam nesse texto são: A) adultos. B) crianças. C) idosos. D) jovens. 8
  • 9. QUESTÃO 17 Observe cada quadradinho e escreva o que está acontecendo de acordo com as cenas: ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ Boa Sorte! 9