SlideShare uma empresa Scribd logo

metodo Teoria musical

metodo Teoria musical

1 de 12
Baixar para ler offline
.
[Teoria Musical]
01
2012
2
MÚSICA - é a arte de expressão por meio dos sons. Divide-se em três partes: melodia, harmonia e ritmo.
 Melodia é a combinação de sons sucessivos dados uns após outros.
 Harmonia é a combinação de sons simultâneos (dados de uma só vez)
 Ritmo é a reunião de tempos. É a distribuição ordenada de valores.
SOM - é tudo o que ouvimos, o que não ouvimos chamamos de silêncio. O som possui quatro propriedades:
altura, intensidade, timbre e duração.
 Altura é a capacidade de ser mais agudo ou mais grave.
 Intensidade é a capacidade de ser mais forte ou mais fraco.
 Timbre é a diferença sonora de cada instrumento ou voz.
 Duração é a capacidade de ser mais longo ou mais curto.
A partitura é composta de tudo que você precisa para poder ler a música. Dependendo de uma variedade de
fatores, a partitura vai dizer-lhe exatamente quais notas você precisará tocar. A primeira coisa que você precisa
fazer é ser capaz de identificar a pauta.
A estrutura da partitura – nela encontramos:
No pentagrama, você vai encontrar notas, compasso, clave, tonalidade, e diversos símbolos que vão afetar o
ritmo e o tom de cada nota. Todas estas coisas funcionam juntas para criar a música que é tocada ou cantada.
O pentagrama é onde escrevemos as figuras musicais. É subdividido por compassos.
CLAVE
É o sinal que dá nome às notas. As que mais usamos são:
Para tocar violino usamos a Clave de Sol:
3
NOTAS MUSICAIS
São sinais que representam a altura do som musical. Apesar de serem inúmeros os sons empregados na música,
para representá-los bastam apenas sete notas: DÓ – RÉ – MI – FÁ – SOL – LÁ – SI
As linhas e espaços naturais da pauta não são suficientes para que possamos escrever todos os sons, por esse
motivo, podemos escrever além da pauta, tanto para baixo (sons mais graves) quanto para cima (sons mais
agudos). A isso damos os nomes de Linhas Suplementares Inferiores e Linhas Suplementares Superiores.
Notas musicais em seqüência
FIGURAS MUSICAIS
Indicam a duração do som, seja em emissão como em silêncio. Cada figura musical tem uma figura de silêncio
correspondente que chamamos de pausa – é o sinal que indica a duração do silêncio.
4
Observe o valor comparativo das figuras rítmicas, a Semibreve é a figura de maior valor e por esse motivo será a
partir dela que ocorrerá a divisão proporcional das durações, das seguintes formas:
5
COMPASSO
Compassos são agrupamentos de figuras que somadas têm o mesmo tempo de durabilidade. São os tempos
agrupados em porções iguais, de 2 em 2, de 3 em 3, de 4 em 4, etc.
Barra de compasso é uma linha vertical que separa os compassos.
Tipos de barras. (a) padrão; (b) dupla; (c) dupla; (d) início da seção a ser repetida (ritornello); (e) repetir (ritornello)
Fórmulas de compasso - para sabermos a duração das figuras musicais e das pausas usamos fórmulas numéricas
que indicam a qualidade do compasso.
Exemplo:
4 > o número de cima indica quantos tempos a em cada compasso, ou seja, é a U.C (unidade de compasso).
4 > o número de baixo corresponde à figura que valerá um tempo no compasso, ou seja, é a U.T (unidade de
tempo).
6
LEITURA RITMICA
Vamos iniciar estudando a Leitura Rítmica para compreensão da divisão e subdivisão dos tempos e dos compassos.
Como não usaremos os nomes das notas nem a altura, em vez do Pentagrama colocaremos as figuras em uma única
linha e em cada nota pronunciaremos a sílaba “TÁ” e as pausas contaremos em silêncio e mentalmente
Iniciado o estudo da leitura rítmica, recomendo o uso do “Pozzoli, Guia Teórico-Prático para o Ensino do Ditado Musical”
Segue abaixo a primeira série do “Pozzoli, Guia Teórico-Prático para o Ensino do Ditado Musical”
Anúncio

Recomendados

Apostila Teoria Musical
Apostila Teoria MusicalApostila Teoria Musical
Apostila Teoria Musicalroseandreia
 
Introdução ao instrumento e a técnica (www.sheetmusic-violin.blogspot.com)
Introdução ao instrumento e a técnica (www.sheetmusic-violin.blogspot.com)Introdução ao instrumento e a técnica (www.sheetmusic-violin.blogspot.com)
Introdução ao instrumento e a técnica (www.sheetmusic-violin.blogspot.com)William Soph
 
Apostila de Teoria musical
Apostila de Teoria musicalApostila de Teoria musical
Apostila de Teoria musicaljaconiasmusical
 
Apostila Iniciação Musical.pdf
Apostila Iniciação Musical.pdfApostila Iniciação Musical.pdf
Apostila Iniciação Musical.pdfRenato Monteiro
 
Apostila teoria musical - Conhecimento Básico - Clailton França
Apostila teoria musical - Conhecimento Básico - Clailton FrançaApostila teoria musical - Conhecimento Básico - Clailton França
Apostila teoria musical - Conhecimento Básico - Clailton FrançaPartitura de Banda
 
Apostila de teoria musical - Princípios básicos da música - Jorge Nobre
Apostila  de teoria musical - Princípios básicos da música - Jorge NobreApostila  de teoria musical - Princípios básicos da música - Jorge Nobre
Apostila de teoria musical - Princípios básicos da música - Jorge NobrePartitura de Banda
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Caderno de exercicios_mts_-_respondido
Caderno de exercicios_mts_-_respondidoCaderno de exercicios_mts_-_respondido
Caderno de exercicios_mts_-_respondidojoilsonmaciel
 
Teste para alunos do curso de música_Gilmar Damião
Teste para alunos do curso de música_Gilmar DamiãoTeste para alunos do curso de música_Gilmar Damião
Teste para alunos do curso de música_Gilmar DamiãoGilmar Damião
 
Método de harmonia, formação de acordes e escalas para improvisação. por gil...
Método de harmonia, formação de acordes e escalas para improvisação.  por gil...Método de harmonia, formação de acordes e escalas para improvisação.  por gil...
Método de harmonia, formação de acordes e escalas para improvisação. por gil...Gilmar Damião
 
Teoria musical
Teoria musicalTeoria musical
Teoria musicalOMAESTRO
 
Teclado curso completo - como tocar teclado - rafael harduim
Teclado   curso completo - como tocar teclado - rafael harduimTeclado   curso completo - como tocar teclado - rafael harduim
Teclado curso completo - como tocar teclado - rafael harduimjoelsonmoreira
 
Leitura de partituras
Leitura de partiturasLeitura de partituras
Leitura de partiturasdea7gil
 
Ensinando figuras de rítmo e valores musicais de forma divertida!
Ensinando figuras de rítmo e valores musicais de forma divertida!Ensinando figuras de rítmo e valores musicais de forma divertida!
Ensinando figuras de rítmo e valores musicais de forma divertida!Priscila Alencastre
 
Caderno de exercicios mts adulto (1)
Caderno de exercicios mts adulto (1)Caderno de exercicios mts adulto (1)
Caderno de exercicios mts adulto (1)Carlos Silva
 
Apostila infantil - Teoria Musical
Apostila infantil - Teoria MusicalApostila infantil - Teoria Musical
Apostila infantil - Teoria MusicalED FOGAÇA
 
Plano de aula de fabiane viana dantas educação musical
Plano de aula de fabiane viana dantas   educação musicalPlano de aula de fabiane viana dantas   educação musical
Plano de aula de fabiane viana dantas educação musicalfabianedantas
 
Apostila guto contra baixo n°vel 2
Apostila guto contra baixo n°vel 2Apostila guto contra baixo n°vel 2
Apostila guto contra baixo n°vel 2Silas Santana
 

Mais procurados (20)

Caderno de exercicios_mts_-_respondido
Caderno de exercicios_mts_-_respondidoCaderno de exercicios_mts_-_respondido
Caderno de exercicios_mts_-_respondido
 
Escalas maiores e menores
Escalas maiores e menoresEscalas maiores e menores
Escalas maiores e menores
 
Abc musical
Abc musicalAbc musical
Abc musical
 
Teste para alunos do curso de música_Gilmar Damião
Teste para alunos do curso de música_Gilmar DamiãoTeste para alunos do curso de música_Gilmar Damião
Teste para alunos do curso de música_Gilmar Damião
 
Teoria musical
Teoria musicalTeoria musical
Teoria musical
 
Escalas Contrabaixo Iniciantes PDF
Escalas Contrabaixo Iniciantes PDFEscalas Contrabaixo Iniciantes PDF
Escalas Contrabaixo Iniciantes PDF
 
Método de harmonia, formação de acordes e escalas para improvisação. por gil...
Método de harmonia, formação de acordes e escalas para improvisação.  por gil...Método de harmonia, formação de acordes e escalas para improvisação.  por gil...
Método de harmonia, formação de acordes e escalas para improvisação. por gil...
 
Teoria musical
Teoria musicalTeoria musical
Teoria musical
 
Som
SomSom
Som
 
Intervalos
IntervalosIntervalos
Intervalos
 
Teclado curso completo - como tocar teclado - rafael harduim
Teclado   curso completo - como tocar teclado - rafael harduimTeclado   curso completo - como tocar teclado - rafael harduim
Teclado curso completo - como tocar teclado - rafael harduim
 
Leitura de partituras
Leitura de partiturasLeitura de partituras
Leitura de partituras
 
Ensinando figuras de rítmo e valores musicais de forma divertida!
Ensinando figuras de rítmo e valores musicais de forma divertida!Ensinando figuras de rítmo e valores musicais de forma divertida!
Ensinando figuras de rítmo e valores musicais de forma divertida!
 
Regencia
RegenciaRegencia
Regencia
 
Caderno de exercicios mts adulto (1)
Caderno de exercicios mts adulto (1)Caderno de exercicios mts adulto (1)
Caderno de exercicios mts adulto (1)
 
Apostila infantil - Teoria Musical
Apostila infantil - Teoria MusicalApostila infantil - Teoria Musical
Apostila infantil - Teoria Musical
 
Apostila de Violão - Grupo SIM
Apostila de Violão - Grupo SIMApostila de Violão - Grupo SIM
Apostila de Violão - Grupo SIM
 
Curso de teoria musical
Curso de teoria musicalCurso de teoria musical
Curso de teoria musical
 
Plano de aula de fabiane viana dantas educação musical
Plano de aula de fabiane viana dantas   educação musicalPlano de aula de fabiane viana dantas   educação musical
Plano de aula de fabiane viana dantas educação musical
 
Apostila guto contra baixo n°vel 2
Apostila guto contra baixo n°vel 2Apostila guto contra baixo n°vel 2
Apostila guto contra baixo n°vel 2
 

Destaque

Paint your guitar wallhanger
Paint your guitar wallhangerPaint your guitar wallhanger
Paint your guitar wallhangerSaulo Gomes
 
The #Hiring Manifesto
The #Hiring ManifestoThe #Hiring Manifesto
The #Hiring ManifestoArbunize
 
Hinário nº 2 ccb
Hinário nº 2 ccbHinário nº 2 ccb
Hinário nº 2 ccbSaulo Gomes
 
Curso de teoria musical
Curso de teoria musicalCurso de teoria musical
Curso de teoria musicalSaulo Gomes
 
Historia dos instrumentos
Historia dos instrumentosHistoria dos instrumentos
Historia dos instrumentosSaulo Gomes
 
Hinário nº 1 ccb hymnos e salmos inspirituales (original).
Hinário nº 1 ccb hymnos e salmos inspirituales (original).Hinário nº 1 ccb hymnos e salmos inspirituales (original).
Hinário nº 1 ccb hymnos e salmos inspirituales (original).Saulo Gomes
 
Viola method berta volmer vol. 1
Viola method berta volmer vol. 1Viola method berta volmer vol. 1
Viola method berta volmer vol. 1Saulo Gomes
 
Osvaldo lacerda exercícios de teoria elementar da música part 1
Osvaldo lacerda   exercícios de teoria elementar da música part 1Osvaldo lacerda   exercícios de teoria elementar da música part 1
Osvaldo lacerda exercícios de teoria elementar da música part 1Saulo Gomes
 
Pozzolli ditado.
Pozzolli ditado.Pozzolli ditado.
Pozzolli ditado.Saulo Gomes
 
Hinário nº 3 ccb
Hinário nº 3 ccbHinário nº 3 ccb
Hinário nº 3 ccbSaulo Gomes
 
Animais peçonhentos
Animais peçonhentos Animais peçonhentos
Animais peçonhentos Saulo Gomes
 
Parès metodo elemental para flauta ed. ricordi
Parès metodo elemental para flauta   ed. ricordiParès metodo elemental para flauta   ed. ricordi
Parès metodo elemental para flauta ed. ricordiSaulo Gomes
 
Metodo de Flauta Galli
Metodo de Flauta GalliMetodo de Flauta Galli
Metodo de Flauta GalliSaulo Gomes
 
Viola method berta volmer vol.2
Viola method   berta volmer vol.2Viola method   berta volmer vol.2
Viola method berta volmer vol.2Saulo Gomes
 
The allen vizzutti trumpet method bk 1 technical studies by allen vizzutti 2
The allen vizzutti trumpet method bk 1 technical studies by allen vizzutti 2The allen vizzutti trumpet method bk 1 technical studies by allen vizzutti 2
The allen vizzutti trumpet method bk 1 technical studies by allen vizzutti 2Saulo Gomes
 
Acordeon children album
Acordeon   children albumAcordeon   children album
Acordeon children albumSaulo Gomes
 
Apostila de teoria musica para basicos
Apostila de teoria musica  para basicosApostila de teoria musica  para basicos
Apostila de teoria musica para basicosSaulo Gomes
 

Destaque (20)

Paint your guitar wallhanger
Paint your guitar wallhangerPaint your guitar wallhanger
Paint your guitar wallhanger
 
The #Hiring Manifesto
The #Hiring ManifestoThe #Hiring Manifesto
The #Hiring Manifesto
 
Hinário nº 2 ccb
Hinário nº 2 ccbHinário nº 2 ccb
Hinário nº 2 ccb
 
Curso de teoria musical
Curso de teoria musicalCurso de teoria musical
Curso de teoria musical
 
Historia dos instrumentos
Historia dos instrumentosHistoria dos instrumentos
Historia dos instrumentos
 
Hinário nº 1 ccb hymnos e salmos inspirituales (original).
Hinário nº 1 ccb hymnos e salmos inspirituales (original).Hinário nº 1 ccb hymnos e salmos inspirituales (original).
Hinário nº 1 ccb hymnos e salmos inspirituales (original).
 
Viola method berta volmer vol. 1
Viola method berta volmer vol. 1Viola method berta volmer vol. 1
Viola method berta volmer vol. 1
 
Guitar fun book
Guitar fun bookGuitar fun book
Guitar fun book
 
Osvaldo lacerda exercícios de teoria elementar da música part 1
Osvaldo lacerda   exercícios de teoria elementar da música part 1Osvaldo lacerda   exercícios de teoria elementar da música part 1
Osvaldo lacerda exercícios de teoria elementar da música part 1
 
Metodo violino
Metodo violinoMetodo violino
Metodo violino
 
Pozzolli ditado.
Pozzolli ditado.Pozzolli ditado.
Pozzolli ditado.
 
Violin method
Violin methodViolin method
Violin method
 
Hinário nº 3 ccb
Hinário nº 3 ccbHinário nº 3 ccb
Hinário nº 3 ccb
 
Animais peçonhentos
Animais peçonhentos Animais peçonhentos
Animais peçonhentos
 
Parès metodo elemental para flauta ed. ricordi
Parès metodo elemental para flauta   ed. ricordiParès metodo elemental para flauta   ed. ricordi
Parès metodo elemental para flauta ed. ricordi
 
Metodo de Flauta Galli
Metodo de Flauta GalliMetodo de Flauta Galli
Metodo de Flauta Galli
 
Viola method berta volmer vol.2
Viola method   berta volmer vol.2Viola method   berta volmer vol.2
Viola method berta volmer vol.2
 
The allen vizzutti trumpet method bk 1 technical studies by allen vizzutti 2
The allen vizzutti trumpet method bk 1 technical studies by allen vizzutti 2The allen vizzutti trumpet method bk 1 technical studies by allen vizzutti 2
The allen vizzutti trumpet method bk 1 technical studies by allen vizzutti 2
 
Acordeon children album
Acordeon   children albumAcordeon   children album
Acordeon children album
 
Apostila de teoria musica para basicos
Apostila de teoria musica  para basicosApostila de teoria musica  para basicos
Apostila de teoria musica para basicos
 

Semelhante a metodo Teoria musical

Apostila-2012-aprenda-ler-uma-partitura-pdf
 Apostila-2012-aprenda-ler-uma-partitura-pdf Apostila-2012-aprenda-ler-uma-partitura-pdf
Apostila-2012-aprenda-ler-uma-partitura-pdfGuilherme Pereira
 
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2Henrique Antunes
 
Evangelização - Apostila de Música - Teoria Musical Infantil
Evangelização - Apostila de Música - Teoria Musical InfantilEvangelização - Apostila de Música - Teoria Musical Infantil
Evangelização - Apostila de Música - Teoria Musical InfantilAntonino Silva
 
Apostila de Teoria -M.Jorge Nobre.pdf
Apostila de Teoria -M.Jorge Nobre.pdfApostila de Teoria -M.Jorge Nobre.pdf
Apostila de Teoria -M.Jorge Nobre.pdfRcivalAlves1
 
Apostila teoria musical
Apostila teoria musicalApostila teoria musical
Apostila teoria musicalAdriana Reis
 
Teoria musical para iniciante
Teoria musical para iniciante Teoria musical para iniciante
Teoria musical para iniciante FelipeAbreu45
 
Apostilade teoria musical
Apostilade teoria musicalApostilade teoria musical
Apostilade teoria musicaltricolornaveia
 
Apostila de teoria musical 01
Apostila de teoria musical 01Apostila de teoria musical 01
Apostila de teoria musical 01Jorge Oliveira
 
Livro digital paulo zuben
Livro digital paulo zubenLivro digital paulo zuben
Livro digital paulo zubenRogerio Lima
 

Semelhante a metodo Teoria musical (20)

Apostila-2012-aprenda-ler-uma-partitura-pdf
 Apostila-2012-aprenda-ler-uma-partitura-pdf Apostila-2012-aprenda-ler-uma-partitura-pdf
Apostila-2012-aprenda-ler-uma-partitura-pdf
 
Teoria Cintra
Teoria CintraTeoria Cintra
Teoria Cintra
 
Teoriamusical
TeoriamusicalTeoriamusical
Teoriamusical
 
Abcmusical
AbcmusicalAbcmusical
Abcmusical
 
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
 
teoriamusical-160407030341.pdf
teoriamusical-160407030341.pdfteoriamusical-160407030341.pdf
teoriamusical-160407030341.pdf
 
Apostila - Leitura Ritmica
Apostila - Leitura RitmicaApostila - Leitura Ritmica
Apostila - Leitura Ritmica
 
Apostila teoria musical - Rose Andréia.pdf
Apostila teoria musical - Rose Andréia.pdfApostila teoria musical - Rose Andréia.pdf
Apostila teoria musical - Rose Andréia.pdf
 
Evangelização - Apostila de Música - Teoria Musical Infantil
Evangelização - Apostila de Música - Teoria Musical InfantilEvangelização - Apostila de Música - Teoria Musical Infantil
Evangelização - Apostila de Música - Teoria Musical Infantil
 
Apostila de Teoria -M.Jorge Nobre.pdf
Apostila de Teoria -M.Jorge Nobre.pdfApostila de Teoria -M.Jorge Nobre.pdf
Apostila de Teoria -M.Jorge Nobre.pdf
 
Apostila de Música.pdf
Apostila de Música.pdfApostila de Música.pdf
Apostila de Música.pdf
 
Apostila teoria musical
Apostila teoria musicalApostila teoria musical
Apostila teoria musical
 
Teoria musical para iniciante
Teoria musical para iniciante Teoria musical para iniciante
Teoria musical para iniciante
 
Apostila de teoria musical
Apostila de teoria musicalApostila de teoria musical
Apostila de teoria musical
 
Apostilade teoria musical
Apostilade teoria musicalApostilade teoria musical
Apostilade teoria musical
 
Apostila de teoria musical 01
Apostila de teoria musical 01Apostila de teoria musical 01
Apostila de teoria musical 01
 
Exercicios
ExerciciosExercicios
Exercicios
 
Teoria musical
Teoria musicalTeoria musical
Teoria musical
 
Teoria musical2009
Teoria musical2009Teoria musical2009
Teoria musical2009
 
Livro digital paulo zuben
Livro digital paulo zubenLivro digital paulo zuben
Livro digital paulo zuben
 

Último

3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...apoioacademicoead
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Jean Carlos Nunes Paixão
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...azulassessoriaacadem3
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfddddddddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...azulassessoriaacadem3
 
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...excellenceeducaciona
 
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdfPlanejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdfJanielleCristina1
 

Último (20)

3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
Atividades sobre as Fontes Históricas e Patrimônio.
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
 
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
 
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdfPlanejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
 

metodo Teoria musical

  • 2. 2 MÚSICA - é a arte de expressão por meio dos sons. Divide-se em três partes: melodia, harmonia e ritmo.  Melodia é a combinação de sons sucessivos dados uns após outros.  Harmonia é a combinação de sons simultâneos (dados de uma só vez)  Ritmo é a reunião de tempos. É a distribuição ordenada de valores. SOM - é tudo o que ouvimos, o que não ouvimos chamamos de silêncio. O som possui quatro propriedades: altura, intensidade, timbre e duração.  Altura é a capacidade de ser mais agudo ou mais grave.  Intensidade é a capacidade de ser mais forte ou mais fraco.  Timbre é a diferença sonora de cada instrumento ou voz.  Duração é a capacidade de ser mais longo ou mais curto. A partitura é composta de tudo que você precisa para poder ler a música. Dependendo de uma variedade de fatores, a partitura vai dizer-lhe exatamente quais notas você precisará tocar. A primeira coisa que você precisa fazer é ser capaz de identificar a pauta. A estrutura da partitura – nela encontramos: No pentagrama, você vai encontrar notas, compasso, clave, tonalidade, e diversos símbolos que vão afetar o ritmo e o tom de cada nota. Todas estas coisas funcionam juntas para criar a música que é tocada ou cantada. O pentagrama é onde escrevemos as figuras musicais. É subdividido por compassos. CLAVE É o sinal que dá nome às notas. As que mais usamos são: Para tocar violino usamos a Clave de Sol:
  • 3. 3 NOTAS MUSICAIS São sinais que representam a altura do som musical. Apesar de serem inúmeros os sons empregados na música, para representá-los bastam apenas sete notas: DÓ – RÉ – MI – FÁ – SOL – LÁ – SI As linhas e espaços naturais da pauta não são suficientes para que possamos escrever todos os sons, por esse motivo, podemos escrever além da pauta, tanto para baixo (sons mais graves) quanto para cima (sons mais agudos). A isso damos os nomes de Linhas Suplementares Inferiores e Linhas Suplementares Superiores. Notas musicais em seqüência FIGURAS MUSICAIS Indicam a duração do som, seja em emissão como em silêncio. Cada figura musical tem uma figura de silêncio correspondente que chamamos de pausa – é o sinal que indica a duração do silêncio.
  • 4. 4 Observe o valor comparativo das figuras rítmicas, a Semibreve é a figura de maior valor e por esse motivo será a partir dela que ocorrerá a divisão proporcional das durações, das seguintes formas:
  • 5. 5 COMPASSO Compassos são agrupamentos de figuras que somadas têm o mesmo tempo de durabilidade. São os tempos agrupados em porções iguais, de 2 em 2, de 3 em 3, de 4 em 4, etc. Barra de compasso é uma linha vertical que separa os compassos. Tipos de barras. (a) padrão; (b) dupla; (c) dupla; (d) início da seção a ser repetida (ritornello); (e) repetir (ritornello) Fórmulas de compasso - para sabermos a duração das figuras musicais e das pausas usamos fórmulas numéricas que indicam a qualidade do compasso. Exemplo: 4 > o número de cima indica quantos tempos a em cada compasso, ou seja, é a U.C (unidade de compasso). 4 > o número de baixo corresponde à figura que valerá um tempo no compasso, ou seja, é a U.T (unidade de tempo).
  • 6. 6 LEITURA RITMICA Vamos iniciar estudando a Leitura Rítmica para compreensão da divisão e subdivisão dos tempos e dos compassos. Como não usaremos os nomes das notas nem a altura, em vez do Pentagrama colocaremos as figuras em uma única linha e em cada nota pronunciaremos a sílaba “TÁ” e as pausas contaremos em silêncio e mentalmente Iniciado o estudo da leitura rítmica, recomendo o uso do “Pozzoli, Guia Teórico-Prático para o Ensino do Ditado Musical” Segue abaixo a primeira série do “Pozzoli, Guia Teórico-Prático para o Ensino do Ditado Musical”
  • 7. 7 LEITURA MÉTRICA Falamos o ritmo e o nome das notas, mas sem a altura. Para isso precisaremos aprender os nomes das notas. A divisão dos tempos e o movimento da mão será o mesmo, mas agora em vez de “TÁ” falaremos os nomes das notas. Iniciado o estudo da leitura métrica, recomendo o uso do “P. Bona, Método Completo de Divisão Musical”. Seguem abaixo as oito primeiras lições do “P. Bona, Método Completo de Divisão Musical”
  • 8. 8 TONS E SEMITONS NATURAIS Semitom – É o menor intervalo existente entre dois sons que o ouvido humano pode perceber e classificar. Tom – É o intervalo existente entre dois sons, formado por dois semitons. ESCALA DIATÔNICA – é a sucessão de 8 sons por graus conjuntos guardando, entre si, intervalos de tom ou de semitom. ESCALA - DÓ NATURAL ACIDENTES Dá-se o nome de acidente ao sinal que se coloca antes de uma nota para modificar-lhe a entoação. A entoação das notas, conforme o sinal de alteração, poderá ser elevada ou abaixada em um ou dois semitons. São os seguintes: Sustenido - # - Eleva um semitom. Bemol - - Abaixa um semitom. Dobrado Sustenido - ✗- Eleva dois semitons. Dobrado Bemol - - Abaixa dois semitons. Bequadro - - anula o efeito de qualquer um dos outros sinais anteriores, fazendo a nota voltar à entoação natural. ACIDENTES SIMPLES - Os acidentes mais utilizados são: Bemol - Abaixa a altura da nota que se segue em um semitom. Sustenido - Eleva a altura da nota que se segue em um semitom. Bequadro - Anula o efeito de qualquer um dos outros sinais anteriores, fazendo a nota voltará entoação natural. ACIDENTES DUPLOS - Muitas vezes é preciso aumentar a afinação em intervalos de tom e não de semitom. Para isso são utilizados acidentes duplos: Dobrado bemol - Abaixa a altura da nota que se segue em um tom (dois semitons) em relação à sua altura natural. Dobrado sustenido – Eleva a altura da nota que se segue em um tom (dois semitons) em relação à sua altura natural.
  • 10. 10
  • 11. 11 DEDILHADO – (1ª POSIÇÃO) (mão esquerda)
  • 12. 12