Ensaios não destrutivos

525 visualizações

Publicada em

ensaios nao destrutivos,
particulas magneticas
ultrassom

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
525
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ensaios não destrutivos

  1. 1. Ensaios não Destrutivos - END Os Ensaios Não Destrutivos (END), também conhecidos internacionalmente como “Non Destructive Testing” (NDT), são técnicas utilizadas na inspeção de materiais acabados, semiacabados e equipamentos sem danificá-los, sendo executados nas etapas de fabricação, construção, montagem e manutenção. Constituem uma das principais ferramentas do controle da qualidade de materiais e produtos, contribuindo para garantir a qualidade, reduzir os custos e aumentar a confiabilidade da inspeção. São largamente utilizadas nos setores petróleo/petroquímico, químico, construção civil, obras de engenharia, aeronáutico, automobilístico, aeroespacial, siderúrgico, naval, eletromecânico, papel e celulose, entre outros. Contribuem para a qualidade dos bens e serviços, redução de custo, preservação da vida e do meio ambiente, sendo fator de competitividade para as empresas que os utilizam, sendo uma ferramenta importantíssima para sociedade moderna. As técnicas de END incluem métodos capazes de proporcionar informações a respeito do teor de defeitos de um determinado produto, das características tecnológicas de um material, ou ainda, da monitoração da degradação em serviço de componentes, equipamentos e estruturas. Os métodos mais usuais de END são: ensaio visual, líquido penetrante, partículas magnéticas, ultra-som, radiografia (Raios X e Gama), correntes parasitas, análise de vibrações, termografia, emissão acústica, estanqueidade e análise de deformações. Para obter resultados satisfatórios e válidos, é essencial possuir uma equipe formada por profissionais e inspetores treinados e qualificados. Os testes também devem seguir os procedimentos de execução de ensaios qualificados com base nas normas e critérios de aceitação e os equipamentos precisam estar devidamente calibrados. Levando para o nosso dia a dia podemos comparar a inspeção END como quando compramos alimentos na feira ou supermercado. Ao ver uma fruta ou hortaliça utilizamos dos nossos sentidos como uma técnica de Ensaio Não Destrutivo ao visualizar ou cheirar ou tocar nestes produtos e saber se estão com a qualidade para nosso consumo. Partículas Magnéticas - PM O ensaio por Partículas Magnéticas é utilizado na localização de
  2. 2. descontinuidades superficiais e subsuperficiais em materiais ferromagnéticos e pode ser aplicado tanto em peças acabadas quanto semiacabadas e durante as etapas de fabricação. Ele é baseado no principio de que as linhas de campo magnético em um material ferromagnético são distorcidas por uma interrupção na continuidade do material, que pode ser provocada por variações dimensionais abruptas, presença de descontinuidades estruturais (trincas e porosidades) ou presença de qualquer material (inclusões) com propriedades magnéticas diferentes do metal base. Aplicação  Aplicados em materiais ferromagnéticos  No que se refere aos processos de fabricação, o ensaio pode ser aplicado a peças usinadas, fundidas, forjadas, soldadas e ouras tratadas ou não termicamente, intercalado ou após o processamento  Quando ao tipo de indústria, este ensaio tem sido usado na fabricação e manutenção metal mecânica em geral, como caldeirarias, tubulações, indústria naval, ferroviária, automobilística, de maquinas e equipamentos agrícolas, estruturas e etc. Vantagem  É capaz de detectar descontinuidades superficiais e subsuperficiais  Aplicação é relativamente simples e rápida  A preparação das peças para o ensaio é simples, não havendo necessidade das possíveis descontinuidades estarem necessariamente abertas à superfície, como no ensaio com Líquidos Penetrantes  O tamanho e a forma da peça inspecionada têm pouca ou nenhuma influencia no resultado, somente no tempo necessário para inspeção. Limitação  É aplicável apenas aos materiais ferromagnéticos, principalmente nos aços estruturais ao carbono de baixa e media liga, ferros fundidos e ligas a base de cobalto  Forma e a orientação das descontinuidades em relação ao campo magnético interferem fortemente no resultado do ensaio, sendo necessária, em muitos casos, a realização de mais de um ensaio na mesma peça. Normas  NBR 8990  NBR 9529  NBR 15632  NBR NM 328 Ultrassom O som é a propagação de energia mecânica (vibrações) através de meios
  3. 3. elásticos (sólidos, líquidos e gases), com transporte de energia, mas não de massa. (A facilidade com ao qual o som se propaga, depende, sobretudo, da natureza detalhada do material, densidade, elasticidade e o grau de homogeneidade) e da freqüência do som. Em freqüências ultrassônicas (acima de 20.000 Hz) o som se propaga bem através da maioria dos sólidos elásticos e líquidos, em particular aqueles com baixa viscosidade Aplicação  Na indústria, a maior aplicação dos ensaios ultrassônicos é a detecção de falhas  São usados em inspeção de recepção de matérias prima, em inspeção durante o processo de materiais em construção e para as inspeções em serviço (como parte de programas de manutenção em serviço)  Embora a maioria das aplicações envolva materiais metálicos, os ensaios ultrassônicos são também vistos na inspeção de plásticos, compostos, concreto, produtos de madeira e materiais especialmente relacionados. Vantagem  Permite a inspeção em altas profundidades (grande poder de penetração)  Alta sensibilidade na detecção de descontinuidades internas (da ordem de décimos de milímetros)  Só requer acesso por um lado da peça  Existem equipamentos pequenos que oferecem excelente portabilidade  Sistemas automáticos garantem grandes velocidades de inspeção sem perda de confiabilidade e com a possibilidade de geração de registros do ensaio Limitação  Requer pessoal altamente qualificado para execução e interpretação dos resultados  Descontinuidades próximas a superfície podem não ser detectadas  Difícil execução em peças de pequenas espessuras e pequenos diâmetros  Necessita de diversos blocos padrões de calibração Normas  NBR 6002  NBR 7947  NBR 8050  NBR 8862  NBR 9440  NBR 15357  NBR 15549  NBR 15824  NBR 15955

×