Programa Nacional do Ensino do Português
PNEP
Helena Oliveira
Setembro 2008
• Apresentação
Educar é o mesmo
que pôr um motor num barco…
há que medir , pesar, equilibrar…
… e pôr tudo em marcha.
Mas ...
Helena Oliveira
Setembro 2008
OCDE 19.1%
União Europeia 19.8%
Portugal                                  22%
Quadro 1- Maus...
Objectivos do PNEP
(Filme)
Helena Oliveira
Setembro 2008
Helena Oliveira
Setembro 2008
O Programa Nacional de Ensino do Português no 1.º Ciclo, pretende contribuir
para a alteraçã...
Helena Oliveira
Setembro 2008
Princípios, estrutura e objectivos
O Programa contempla uma vertente de formação em rede
reg...
Helena Oliveira
Setembro 2008
Desenvolvimento do Programa 
1.A unidade base da formação é a escola ou agrupamento de escol...
Helena Oliveira
Setembro 2008
Objectivos específicos do Programa e
compromissos inerentes 
 Melhorar os níveis de compree...
Helena Oliveira
Setembro 2008
Objectivos e compromissos para cada escola ou
agrupamento participante
1. Assumir o propósit...
Helena Oliveira
Setembro 2008
Objectivos e compromissos do professor da turma
1. Assumir que todas as crianças podem apren...
Helena Oliveira
Setembro 2008
Objectivos e compromissos das escolas de formação (instituições de
ensino superior)
1. Desen...
Helena Oliveira
Setembro 2008
Objectivos e compromissos do formador residente
1. Integrar o núcleo de formação da ESE/Univ...
Helena Oliveira
Setembro 2008
Objectivos e compromissos da equipa de
coordenação nacional
1. Conceber e acompanhar o Progr...
Helena Oliveira
Setembro 2008
Domínios da formação:
 Conhecimento da língua: a consciência fonológica
 Conhecimento da l...
Planificação Anual das Oficinas Temáticas
(4ª feiras das 16h às 18h 30m)
Helena Oliveira
Setembro 2008
• Avaliação
1- Regime de Assiduidade
De acordo com o nº2 do artº13 do RJFC é obrigatória a presença em dois terços do núme...
• Jogo “Quebra-gelo”• Jogo “Quebra-gelo”
Helena Oliveira
Setembro 2008
Terra Humana
É inútil desistir.
Por detrás das muralhas da
vontade
Mora o desejo, a força que as
derruba.
Deixa que nasça,...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Pnep oficina

636 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
636
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pnep oficina

  1. 1. Programa Nacional do Ensino do Português PNEP Helena Oliveira Setembro 2008
  2. 2. • Apresentação Educar é o mesmo que pôr um motor num barco… há que medir , pesar, equilibrar… … e pôr tudo em marcha. Mas para isso, tem-se que levar na alma um pouco de marinheiro… um pouco de pirata… um pouco de poeta… e um quilo e meio de paciência concentrada. Mas é consolador sonhar, enquanto se trabalha, que esse barco, essa criança, irá muito longe pela água. sonhar que esse navio levará a nossa carga de palavras para portos distantes para ilhas longínquas. Sonhar que, quando um dia estiver dormindo o nosso próprio barco, em barcos novos continuará desfraldada a nossa bandeira. G. Celaya in Parábolas como setas, de Manuel Sanchez Monge Helena Oliveira Setembro 2008 E d u c a r  
  3. 3. Helena Oliveira Setembro 2008 OCDE 19.1% União Europeia 19.8% Portugal                                  22% Quadro 1- Maus leitores (desempenhos abaixo do nível 1, numa escala de -1 a 5 ) Fonte: PISA 2003 Como surge o PNEP? A necessidade de melhorar o ensino do Português na educação básica está solidamente fundamentada com os resultados obtidos em estudos nacionais de todos os projectos internacionais em que Portugal participou; nas provas nacionais de aferição (2000 a 2005) e nos exames nacionais do 9º ano (2005).  Impõe-se a necessidade da tomada de medidas urgentes que melhorem os desempenhos dos alunos em competências referentes ao domínio da língua materna  Assinalam-se os objectivos referenciais (benchmarks) estabelecidos para a União Europeia, na Cimeira de Estocolmo de 2001, que apontam para a urgência do decréscimo de maus leitores de 15 anos para valores de 15.5% em 2010
  4. 4. Objectivos do PNEP (Filme) Helena Oliveira Setembro 2008
  5. 5. Helena Oliveira Setembro 2008 O Programa Nacional de Ensino do Português no 1.º Ciclo, pretende contribuir para a alteração das condições de ensino da língua portuguesa, nomeadamente no que respeita ao período crucial em que o aluno é formalmente ensinado a ler e a exprimir-se através da língua escrita. Por conseguinte, contemplará, de forma privilegiada, as aprendizagens que suportam a descoberta e a aprendizagem da descodificação da língua escrita (último ano da educação de infância e primeiros anos de escolaridade) e o uso da língua escrita para aprender e estudar (3.º e 4.º anos de escolaridade).
  6. 6. Helena Oliveira Setembro 2008 Princípios, estrutura e objectivos O Programa contempla uma vertente de formação em rede regida por três grandes princípios: A formação dos professores é: centrada na escola ou no agrupamento de escolas; visa a utilização de metodologias sistemáticas e de estratégias explícitas de ensino da língua na sala de aula; é regulada por processos de avaliação das aprendizagens dos alunos ao nível individual, da classe e da escola.
  7. 7. Helena Oliveira Setembro 2008 Desenvolvimento do Programa  1.A unidade base da formação é a escola ou agrupamento de escolas que será acompanhada por um formador residente oriundo dos seus quadros, com funções específicas de dinamização e acompanhamento da formação. 2.A adesão da escola ao projecto de formação implica a ligação da escola à RCTS (a rede de investigação e ensino nacional) para recepção de materiais pedagógicos, de informação orientadora e de comunicação síncrona (on line). 3. Os formadores residentes integram o núcleo de formação da ESE/Universidade da região, os quais, através do coordenador designado pela instituição de formação, se articulam com a Comissão Nacional de Coordenação e Acompanhamento do Projecto. 4. A Comissão Nacional de Coordenação e Acompanhamento é responsável pela concepção e acompanhamento nacional do Programa e, definirá os conteúdos a serem trabalhados, produzirá textos formativos, seleccionará artigos e obras publicadas com vista à formação dos docentes, e desenvolverá propostas de actividades, de materiais didácticos e de avaliação, os quais serão disponibilizados a nível nacional através de uma plataforma informática.
  8. 8. Helena Oliveira Setembro 2008 Objectivos específicos do Programa e compromissos inerentes   Melhorar os níveis de compreensão de leitura e de expressão oral e escrita em todas as escolas do 1.º ciclo, num período entre 4 a 8 anos, através da modificação das práticas docentes do ensino da língua 1. Objectivos nacionais
  9. 9. Helena Oliveira Setembro 2008 Objectivos e compromissos para cada escola ou agrupamento participante 1. Assumir o propósito de querer melhorar o nível da escola no desempenho da leitura e expressão escrita dos alunos; 2. Aceitar a existência da figura de um formador residente para dinamizar e acompanhar a formação interna no domínio do ensino da língua; 3. Criar as condições essenciais à dinâmica de formação em contexto no domínio do ensino da língua; 4. Em colaboração com a Comissão Nacional e com os Coordenadores dos Núcleos de Formação, estabelecer metas e formas de avaliação de progresso dos níveis de desempenho da língua escrita dos alunos da escola/do agrupamento participante; 5. Disponibilizar os meios de acesso à informação on line para os docentes em formação e para os alunos; 6. Envolver encarregados de educação, autarcas e outros recursos da comunidade.
  10. 10. Helena Oliveira Setembro 2008 Objectivos e compromissos do professor da turma 1. Assumir que todas as crianças podem aprender a ler e a escrever; 2. Criar a rotina de um tempo de leitura diária recreativa em voz alta pelo professor; 3. Tornar a aprendizagem da língua escrita um desafio interessante para si próprio e para as crianças; 4. Desenvolver um ensino sistematizado da língua escrita, nomeadamente através de actividades e materiais disponibilizados on line e em papel pela equipa coordenadora do Programa; 5. Desenvolver actividades de ensino sistematizado em que esteja explícita uma profunda relação entre o desenvolvimento da oralidade e as competências de leitura e de expressão escrita; 6. Desenvolver um processo de monitorização das aprendizagens das crianças, através da avaliação individual e colectiva da turma; 7. Contribuir com a sua experiência e conhecimento para o enriquecimento formativo de toda a equipa de docentes da escola; 8. Frequentar as sessões presenciais de formação organizadas para a escola
  11. 11. Helena Oliveira Setembro 2008 Objectivos e compromissos das escolas de formação (instituições de ensino superior) 1. Desenhar um programa de acção e o respectivo calendário para 4/5 anos; 2. Avaliar periodicamente a formação desenvolvida no âmbito do programa; 3. Produzir relatórios periódicos sobre o desenvolvimento do programa; 4. Promover a formação interna da equipa de formadores; 5. Dinamizar a ligação entre escolas e agrupamentos de escolas participantes no Programa; 7.Desenvolver materiais úteis à formação; 8.Desenvolver materiais pedagógicos e de avaliação da aprendizagem da língua no 1.º ciclo do ensino Básico e partilhá-los entre consultores e escolas; 9.Promover a articulação entre o Programa e a formação inicial de professores do 1.º ciclo e de educadores de infância; 10.Promover a articulação entre o Programa e a formação inicial de professores do 1.º ciclo e de professores do 2.º ciclo; 11. Desenvolver investigação no domínio do ensino e da aprendizagem da língua no 1.º ciclo do ensino Básico. 6. Organizar e dinamizar encontros regionais sobre temas e actividades de interesse para a formação de professores;
  12. 12. Helena Oliveira Setembro 2008 Objectivos e compromissos do formador residente 1. Integrar o núcleo de formação da ESE/Universidade e participar na formação desenhada para o núcleo; 2. Responsabilizar-se pelo acompanhamento da formação nas escolas que lhe forem atribuídas; 3. Dinamizar sessões regulares de formação com todos os docentes da escola sobre temáticas acordadas no núcleo de formação; 4. Realizar o acompanhamento individual aos docentes e, de acordo com o plano de formação, participar directamente nas actividades dentro da sala de aula; 5. Devolver à coordenação do núcleo da ESE/Universidade informação sobre a implementação da formação da(s) escola(s) que apoia; 6. Dinamizar e participar em actividades formativas na(s) escola(s) que apoia.
  13. 13. Helena Oliveira Setembro 2008 Objectivos e compromissos da equipa de coordenação nacional 1. Conceber e acompanhar o Programa de formação; 2.Definir os conteúdos e as metodologias para operacionalização da formação; 3. Promover a articulação com todas as escolas de formação envolvidas no Programa; 4.Acompanhar nacionalmente a implementação das medidas, ajustando-as aos resultados; 5.Construir e divulgar brochuras, em suporte de papel e on line, que funcionem como organizadores da formação e da actividade do ensino da língua no 1.º ciclo; 6.Divulgar bibliografia útil para a formação de professores deste nível de ensino; 7.Definir critérios nacionais para a selecção dos formadores residentes; 8.Disponibilizar meios de formação para os formadores residentes;
  14. 14. Helena Oliveira Setembro 2008 Domínios da formação:  Conhecimento da língua: a consciência fonológica  Conhecimento da língua: a consciência linguística  Ensino da leitura: a compreensão de textos  Ensino da escrita: a dimensão textual
  15. 15. Planificação Anual das Oficinas Temáticas (4ª feiras das 16h às 18h 30m) Helena Oliveira Setembro 2008
  16. 16. • Avaliação 1- Regime de Assiduidade De acordo com o nº2 do artº13 do RJFC é obrigatória a presença em dois terços do número de horas de duração da acção. 2- Avaliação Quantitativa A escala a utilizar será de 1 a 10, considerando-se classificação positiva a partir de 5. 3- Avaliação Qualitativa A classificação será de acordo com o nº2 do artº 46 do ECD: Excelente – de 9 a 10 valores. Muito bom – de 8 a 8,9 valores. Bom – de 6,5 a 7,9 valores. Regular – de 5 a 6,4 valores. Insuficiente – de 1 a 4,9 valores 4- Instrumento de avaliação – Portefólio Nos Certificados de Formação será mencionada a acreditação atribuída, a avaliação qualitativa e quantitativa, bem como, a respectiva escala. Helena Oliveira Setembro 2008
  17. 17. • Jogo “Quebra-gelo”• Jogo “Quebra-gelo” Helena Oliveira Setembro 2008
  18. 18. Terra Humana É inútil desistir. Por detrás das muralhas da vontade Mora o desejo, a força que as derruba. Deixa que nasça, que avolume e suba Esta maré de seiva e de ternura! A grandeza do homem, criatura Que cresce enquanto ama e pode amar, É saber Que só depois do gosto de pecar Lhe vem o gosto de se arrepender. Miguel Torga in Torga, Miguel, Diário VII, Coimbra, Coimbra Editora Helena Oliveira Setembro 2008

×