Helciley F Silva
Cultura (do latim colere, segundoa qual cultura é “aquele todocomplexo que inclui oconhecimento, as crenças, a arte,a mora...
Diferençar a cultura antes e depois daQueda. Conhecer os exemplos bíblicos de relacionamento cultural. Compreender que Igr...
INTRODUÇÃO                                     Palavra ChaveCultura: “Produções sociais e costumes das sociedades humanas”...
1. A CULTURA ANTES E APÓS A QUEDA              1. A natureza da cultura humana.              Derivada do latim, a palavra ...
2. A cultura como beleza da criação.O Pai Eterno impregnou-nos com a suaimagem e semelhança , tornando-noscapazes de pensa...
3. A Queda manchou a cultura humana A Bíblia afirma que o pecado subjugou a humanidade,comprometendo toda a criação de Deu...
SINOPSE DO TÓPICO (I)                  A capacidade de                  criar e desenvolver                  cultura é um...
II. EXEMPLOS BÍBLICOS DE RELACIONAMENTO CULTURAL Daniel discerne a cultura babilônica.O Império de Babilônia era singular ...
•    O império mundial da    época•   Cultura diferente de    Israel•   Religião politeísta•   deuses pagãos•   Crenças di...
• Era servo do Senhor,• Orava 3 vezes ao dia,• Sabia discernir a sua  época,• Não contaminou,• Profundo conhecimento  da l...
2. Paulo, Barnabé e a transformação cultural em Listra.Na província romana da Galácia, havia    Templo de Júpiter e de Mer...
A passagem narra a chegada de Paulo a Listra, onde curou um paralítico de nascença. Diante domilagre, os habitantes de Lis...
SINOPSE DO TÓPICO (II)Aprendemos com Daniel, Paulo eBarnabé que devemos levar asério a transformação cultural dasociedade.
III. EVANGELHO, IGREJA E CULTURA Evangelho e cultura. Nascido judeu, Jesus foi educado na lei deMoisés, participou das fes...
2. Igreja e cultura. A Igreja Primitiva deparou-secom várias questões de carátercultural. Haja vista o concíliode Jerusalé...
A cultura jamais deve ser  motivo de divisões noseio da igreja. E uma vez que estamos inseridos num ambiente cultural,não ...
3. O despertamento cultural da Igreja.Assim como Daniel, Paulo e Jesus de Nazaré, aIgreja tem o dever de propor uma contra...
SINOPSE DO TÓPICO (III)Assim como Daniel, Paulo e Jesus de Nazaré, aIgreja deve propor uma contracultura para estasociedade.
CONCLUSÃO   Se trabalhada de acordo com a   Palavra de Deus, a cultura faz-se   bela, verdadeira e útil. Ciente   dessa ve...
Montagem: Helciley Fialho Silvaemail: leyfsilva@hotmail.com.brEquipe: P. Helciley F Silva e José Júlio
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Lição

1.389 visualizações

Publicada em

lição 11

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.389
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
58
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lição

  1. 1. Helciley F Silva
  2. 2. Cultura (do latim colere, segundoa qual cultura é “aquele todocomplexo que inclui oconhecimento, as crenças, a arte,a moral, a lei, os costumes e todosos outros hábitos e aptidõesadquiridos pelo homem comomembro da sociedade”.Fazem parte da cultura de um povo as seguintes atividades e manifestações: música, teatro,rituais religiosos, língua falada e escrita, mitos, hábitos alimentares, danças, arquitetura,invenções, pensamentos, formas de organização social, etc. O caráter do ser humano ésobremaneira influenciado por todos esses elementos constitutivos da cultura. Se eles nãose coadunam com os princípios da Palavra de Deus, então, certamente, teremos uma culturadesviada para o mal.
  3. 3. Diferençar a cultura antes e depois daQueda. Conhecer os exemplos bíblicos de relacionamento cultural. Compreender que Igreja deve influenciar culturalmente a sociedade
  4. 4. INTRODUÇÃO Palavra ChaveCultura: “Produções sociais e costumes das sociedades humanas”. Estudaremos, neste domingo, a influência cultural da Igreja de Cristo. Antes, porém,observaremos que a cultura, apesar de fazer parte da criação divina, foi contaminadapela Queda de nossos primeiros pais. Por essa razão, os filhos do Reino devemexaminar o seu ambiente cultural com base na Bíblia Sagrada. Há relatos de homens emulheres piedosos que influenciaram a cultura dos seus dias, transformando-a pelaeficácia da Palavra de Deus. É da vontade do Pai que a Igreja de Cristo influencie etransforme a cultura que a cerca, apresentando-se como sal da terra e luz do mundo.
  5. 5. 1. A CULTURA ANTES E APÓS A QUEDA 1. A natureza da cultura humana. Derivada do latim, a palavra “cultura” refere- se às produções sociais e aos costumes das sociedades humanas. A cultura de um povo manifesta-se através de seus hábitos, comportamentos, artes, crenças e valores. Criado por Deus, o ser humano foi por Ele dotado de extraordinária capacidade para administrar este mundo . Por conseguinte, a capacidade de criar e desenvolver uma cultura é dom divino. Por isso, nossa cultura pode e deve refletir o amor, a bondade e a verdade do Pai Celeste. Todavia, por causa do pecado, a produção cultural do ser humano acha-se comprometida pelo mal. Por isso, devemos submetê-la ao crivo das Sagradas Escrituras.
  6. 6. 2. A cultura como beleza da criação.O Pai Eterno impregnou-nos com a suaimagem e semelhança , tornando-noscapazes de pensar, criar e comunicar-nosuns com os outros e com Ele próprio. Tudo o que fazemos tem um caráter social  seja cuidando da terra  seja zelando pelos animais ou  administrando nossa família Enfim, sempre que nos pomos a servirao próximo, obedecemos aosmandamentos de Deus através de nossofazer cultural (comissão cultural). Assim,glorificamos ao Senhor .
  7. 7. 3. A Queda manchou a cultura humana A Bíblia afirma que o pecado subjugou a humanidade,comprometendo toda a criação de Deus. Por isso, a criaturageme e espera por sua redenção . Logo, nenhuma produçãocultural é perfeita, porque somos imperfeitos por natureza.E uma das coisas mais danosas que podemos fazer dacultura é adorar a criatura em lugar do Criador .
  8. 8. SINOPSE DO TÓPICO (I) A capacidade de criar e desenvolver cultura é um dom divino.
  9. 9. II. EXEMPLOS BÍBLICOS DE RELACIONAMENTO CULTURAL Daniel discerne a cultura babilônica.O Império de Babilônia era singular em belezas artísticas, arquitetônicas, literárias ecientíficas. Indaga retoricamente o rei Nabucodonosor: “Não é esta a grande Babilônia queeu edifiquei para a casa real?” . Nesse contexto cultural, achava-se Daniel. Dotado de uma féconsistente e de um profundo conhecimento da lei divina, o jovem hebreu soube comodiscernir os prós e os contras da cultura babilônica. Ele examinava tudo e retinha o bem,conforme aconselha-nos Paulo .Quando os valores de sua fé eram desafiados, Daniel nãotransigia nem negociava com os seus princípios espirituais, morais e éticos . Através de umapostura tão firme e corajosa, fez sobressair sua fé no Deus Único e Verdadeiro. É assim quedevemos agir e reagir, como o povo de Deus, em relação ao contexto cultural no qualestamos inseridos.
  10. 10. • O império mundial da época• Cultura diferente de Israel• Religião politeísta• deuses pagãos• Crenças diferentes• Comida oferecida a ídolos
  11. 11. • Era servo do Senhor,• Orava 3 vezes ao dia,• Sabia discernir a sua época,• Não contaminou,• Profundo conhecimento da lei divina,• Ele examinava tudo retinha o bem,• Uma fé consistente.
  12. 12. 2. Paulo, Barnabé e a transformação cultural em Listra.Na província romana da Galácia, havia Templo de Júpiter e de Mercúriouma cidade chamada Listra. O templode Júpiter e de Mercúrio ocupava ocentro da cidade, cujos habitantes, deascendência cultural grega,acreditavam na humanização dessesdeuses. Segundo o poeta romano,Ovídio, Júpiter e Mercúrio desceram,certa vez, à Terra, disfarçados deviajantes. Recebidos por Filemon e suaesposa, Baucis, deram ao casal, comopremiação pela acolhida, aincumbência de lhes guardar o temploem Listra.Tal crença ajuda-nos a entender melhoro capítulo 14 de Atos
  13. 13. A passagem narra a chegada de Paulo a Listra, onde curou um paralítico de nascença. Diante domilagre, os habitantes de Listra foram induzidos a pensar que os deuses achavam-se novamenteentre eles. Por isso, chamaram a Barnabé de Júpiter e a Paulo de Mercúrio. Tal fato denota aidolatria que dominava a cultura greco-romana. Todavia, Paulo e Barnabé trataram de corrigir oengano. Assim, contrapuseram o Evangelho de Cristo à cultura pagã de Listra. E ali mesmo,estabeleceram uma igreja. Com Paulo e Barnabé, aprendemos o quanto,devemos levar a sério a transformação cultural da sociedade por meio da prática da Palavra de Deus .
  14. 14. SINOPSE DO TÓPICO (II)Aprendemos com Daniel, Paulo eBarnabé que devemos levar asério a transformação cultural dasociedade.
  15. 15. III. EVANGELHO, IGREJA E CULTURA Evangelho e cultura. Nascido judeu, Jesus foi educado na lei deMoisés, participou das festas anuais emJerusalém, frequentou as sinagogas e, comoensinador, mostrou ao povo a singularidade damensagem evangélica. Ele participouativamente da história e da cultura judaica. Efoi entre homens comuns que o meigonazareno anunciou a mensagem de amor e desalvação . Tudo, dentro de um contextocultural.
  16. 16. 2. Igreja e cultura. A Igreja Primitiva deparou-secom várias questões de carátercultural. Haja vista o concíliode Jerusalém . A relação entreos cristãos judeus e gentios eradelicada e demandava muitadiplomacia e tato por partedos apóstolos, para que nãohouvesse conflitos entreambos os grupos.
  17. 17. A cultura jamais deve ser motivo de divisões noseio da igreja. E uma vez que estamos inseridos num ambiente cultural,não podemos isolar-nosdeste, mas utilizá-lo paracomunicar a mensagem do Evangelho.
  18. 18. 3. O despertamento cultural da Igreja.Assim como Daniel, Paulo e Jesus de Nazaré, aIgreja tem o dever de propor uma contraculturapara esta sociedade. A mídia impõe sobre nós umacarga cultural completamente oposta aos valoresdo Evangelho. E o que a Igreja tem feito? Não hádúvida de que o Senhor deseja usar cada crentepara levar a Palavra de Deus a um mundo que jaz nomaligno. Esta é a nossa missão.
  19. 19. SINOPSE DO TÓPICO (III)Assim como Daniel, Paulo e Jesus de Nazaré, aIgreja deve propor uma contracultura para estasociedade.
  20. 20. CONCLUSÃO Se trabalhada de acordo com a Palavra de Deus, a cultura faz-se bela, verdadeira e útil. Ciente dessa verdade, a Igreja de Cristo não pode ficar impassível. Transformemos, pois, nossa cultura com a mensagem do Evangelho, pois, como prometeu o próprio Cristo, “as portas do inferno não prevalecerão contra [a Igreja]” .
  21. 21. Montagem: Helciley Fialho Silvaemail: leyfsilva@hotmail.com.brEquipe: P. Helciley F Silva e José Júlio

×