Trabalho fu religiào vs cultura

121 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
121
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho fu religiào vs cultura

  1. 1. TRABALHO FU {RELIGIÃO VS CULTURA}EVANGELHO E CULTURAPara nosso entendimento;Evangelho:O “Evangelho” é de cunho do cristianismo, pois é por ele, e através dele, que se abre a porta que mostra quem é,e quem foi nosso Rei Jesus, um relato, uma história, uma profecia, é através dele que percebemos quem é Deus...Cultura:Segundo Edward B. Tylor é um conceito de várias acepções, sendo a mais corrente a definição genérica, “segundoa qual cultura é “aquele todo complexo que inclui o conhecimento, as crenças, a arte, a moral, a lei, os costumes etodos os outros hábitos e aptidões adquiridos pelo homem como membro da sociedade”.Quando leio o texto, vem em minha memória a palavra tradição que reflete o mesmo que cultura nas igrejas destetempo , assim como aconteceu no período da crucificação, quando os judeus fizeram de tudo para crucificar Jesus,não era apenas por que eles queriam proteger uma cultura-judaica messiânica, mais ao meu entender era umaproteção ao tradicionalismo judeu, não querendo sair da texto base, mais as muitas culturas se chocam comrudimentos bíblicos por causa da tradição, a tradição cria-se um apego muito grande, por exemplo festasculturais, pra que servem? Para nós sempre lembrar-mos daquele “fato”.O Apostolo Paulo, enfrentou isso na cidade de Ëfeso, onde existia um povo que sua cultura era adorar a deusaDiana, numa era mitológica que cultuava essa deusa , Paulo combatia aquela prática (cultural) através dapregação do Evangelho, que confrontado com a perda monetária da fabricação de nichos da deusa Diana, não foiaceito pela maioria (confronto direto)Resumindo,Mais como o texto relata que o sujeito da cultura é um povo específico, enquanto o sujeito do Evangelho é o povode Deus, aí nós não fechamos parênteses, até porque as aceitações de pessoas na fé cristã estão estendidas átodos que quiserem, porém a cultura só entra em choque quando o tradicionalismo não se torna flexível, atémesmo por que não é de interesse de nenhuma cultura construída de muitos anos aceitar ser mudada, mais oEvangelho só combate aquilo que confronta os princípios bíblicos, também não é de interesse da igreja causarnenhum impacto ruim na sociedade, mais é de interesse ser entendida á sua essência Jesus cristo.Enfim quando falamos em CAMPO MISSIONÁRIO e contextualização, é preciso se libertar dos estereótipos queforam criados ao longo dos tempos, até mesmo por que foi ensinado assim, e deste modo agrada aqueles que nãoconsegue ver além do horizonte, que muitas vezes nem é tanto azul assim, devemos ter consciência queprecisamos mudar muito, como igreja ás vezes exigimos muito, e muitas vezes perdemos tempo exigindo umacoisa que é relevante comparado á pessoas perecendo, tribos com dificuldades de ser alcançadas por causa dopreconceito étnico, com interesses monetários entre outras coisas.Joelson C. FreireConvalidação – Turma 8
  2. 2. MISSÃO E CONTEXTOTodas as igrejas têm em sua essência uma missão, e qual é essa missão?Mostrar ao mundo a vida de Cristo e seu legado, ou seja, toda igreja tem o dever de pregar e ensinar toda históriade cristo e a origem da Bíblia como manual de vida cristã, talvez nem todas as igrejas do mundo tem essaconsciência, vivemos em dias que qualquer um pode abrir igreja, e conseguir muitos seguidores, mais ser umaigreja não requer apenas conhecer á Deus, mais é ter atitude em meio o século que vivemos.Pra contextualizar o termo missão, é preciso incorporar um legado nascido a parti do momento em que cremosnele(Jesus), pois ele disse ide por todo o mundo e façam discípulos, a partir deste momento já nasce a obrigaçãode sermos missionários de cristo.Visualizando culturalmente Existem várias maneiras de contextualizar missões em nossas igrejas, do ponto devista bíblico, podemos evangelizar nossos vizinhos, introduzindo a igreja pra dentro do contexto da comunidade,através de trabalhos artesanais, é uma maneira, prestando serviço de ação social é outra, existem igrejas queinvestem pesado nisso, por que realmente produz frutos.Uma clássica maneira de contextualizar missões locais é através de EBD’s é com crianças, onde através delas ospais podem ser alcançados, e também com aulas de música e canto, essas são maneiras de mostrar cristo de ummodo atrativo pra aqueles que têm resistência á igreja.Ë claro que á luz do texto não queremos trazer um conceito imperialista mostrando uma mão de ferro ou vivendosob ela, a visão é melhorarmos a maneira de anunciar á cristo, não queremos combater com teologia nenhumabase missiológica que estar dando certo mais querendo acrescentar conhecimentos á elas.
  3. 3. Grupos Brasileiros e EtnografiaA parte dos estudos antropológicos que corresponde à fase de elaboração dos dados obtidos em pesquisade campo.O estudo descritivo de um ou de vários aspectos sociais ou culturais de um povo ou grupo social.O Brasil é um país misto, em que as raças e as crenças marcaram ao longo de nosso história, fazendouma fotografia do nosso país para quem não o conhece, o Brasil é um país diversificado de sabores e coresmais quando se refere á religião o Brasil também tem “volume”, nós vivemos em um país democrático nãosó no âmbito político mais também no religioso, no tocante em que nós optamos em decidir qual religiãopertencer sem que sofrêssemos alguma influência de um seguimento dominador como ocorre em algunspaíses islâmicos, ou budistas ou em países em que se policia sua crença.Nós temos uma vasta opção de denominações cristãs, igreja católica apostólica romana e ortodoxa,espiritismo, candombré, umbanda e etc., Na maioria das vezes influenciadas pela cultura local.Como nosso foco está em grupos evangélicos em contextualização com religião e cultura, nós vemos quealgumas denominações cristãs absorvem contextos culturais e sociais, por exemplo existem igrejas emperiferias, onde a informação chega distorcida ou manipulada, e nós vemos uma teologia que apresentaDeus como aquele que estar de olho em tudo, e se você vacilar com seu pé ele vai mandar fogo do céu e tematar, ou se você assistir televisão, ou optar por um corte de cabelo você irá perecer no mundo, sei quenão é um caminho muito bom para se comentar, porém para exemplificarmos tal teologia serve, sepodemos chamar assim, isso muitas vezes deve-se muito pela taxa de analfabetismo, onde temos umaclasse esquecida pelos governantes que se refugiam debaixo de uma teologia redentora;Mais também como diz no texto sobre teologia da prosperidade, geralmente para um grupo depessoas de uma classe média baixa á alta, onde suas prioridades estão atribuídas “ao Valor”, tendo emvista que é uma classe que geralmente é em mais informada, ou que detém alguma informação(conhecimento) se prega ou se ensina de acordo com a necessidade daquele grupo.Não podemos deixar de pensar que sobre o tema “igreja” geralmente vemos ao lado um cifrão, poisuma coisa puxa a outra, classe inferior, ou classe superior ou metodista, presbiteriana, batista etc, sempreverá teologias diversificadas, até mesmo por que estamos no Brasil!Para finalizar, gostaria de comentar sobre um filme: O LIVRO DE ELI, onde um personagem é incumbidoda tarefa de guarda e levar a palavra de Deus para que ela não se perca no meio do caos do futuro, maistambém existe outro personagem que procura muito esta palavra (LIVRO)para dominar as pessoas paramanipula as pessoas que não conhecem a palavra da verdade, existe uma mensagem muito peculiar nessefilme, pois vemos hoje em dia, teologias individualistas com visão política de lucro e um conhecimentoretorcido, e uma hermenêutica fracassada.

×