Vida económica inovacao37

342 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Vida económica inovacao37

  1. 1. newsletter N.º 37 | FEVEREIRO 2013 www.vidaeconomica.ptopiniãoNovo desafiodos municipios:o desenvolvimentosustentavel ÍndiceDurante os últimos trinta anos, o principal esforço dos Muni-cípios portugueses foi essencialmente direccionado paraa construção de infra-estruturas, designadamente, de Opinião................................ 1redes de saneamento, de abastecimento de água,de estradas, bem como de equipamentos no domí-nio escolar, desportivo e de habitação social. Em Editorial................................ 2nome deste desiderato, amplamente concreti-zado, se decidiram muitas eleições e se cons-truiu uma boa parte dos passivos das nossas Opinião................................ 3autarquias...Mas esta realidade pertence já ao passado.Hoje, sem os recursos financeiros de ou- Redes sociais...................... 4trora, um novo desafio se coloca aos Mu-nicípios: o do desenvolvimento sustentá-vel dos seus territórios. Em que os investi- Notícias................................ 7mentos a realizar não terão tanto a ver coma expressão “edificar” mas mais com a expressão ,“promover” E em que a qualidade de vida dos cida- . Agenda de eventos.......... 7dãos e das famílias, serão o fundamento de todas asprioridades. Financiar a inovação........ 8 Paulo Ramalho, Vereador do Desenvolvimento Económico e das Relações(Continua na página seguinte) Internacionais da Câmara Municipal da Maia PUB DIREITO TRIBUTÁRIO 2013 A OBRA MAIS COMPLETA TODOS OS CÓDIGOS FISCAIS E LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR Obra revista e actualizada em Janeiro de 2013, que integra as mais recentes alterações aos códigos fiscais e legislação complementar (Lei n.º 66-B/2012, de 31.12 e Decreto-Lei n.º 6/2013, de 17.1). ha válida Autor: Joaquim Fernando Ricardo pan até am Consultor Fiscal (ex-quadro superior da Administração Tributária) C 28 .02 Páginas: 1450 Preço: 47€ .2013 Inclui anotações, remissões, transcrição da anterior redação quando relevante, quadros e tabelas síntese.
  2. 2. Página 2 newsletter N.º 37 | FEVEREIRO 2013Opinião Editorial(Continuação da página anterior) Sem postos de trabalho, Com a recente substituição do secretário de estado do empre- dificilmente existirão pessoas, endedorismo competitividade eAssim, o modelo de gestão autárquica dos próximosanos terá de assentar necessariamente numa raciona- e sem produção de riqueza, não inovação, é tempo de fazermoslização mais eficaz dos recursos, mas acima de tudo, haverá pagamento de impostos. um balanço e interrogarmo-nos sobre os projetos de apoio aonuma orientação estratégica e qualificada de plane- empreendedorismo e à inovaçãoamento e promoção do território, capaz de atrair in- Sendo que os Municípios que perceberem desde já, a que foram criados e implemen-vestimentos que acrescentem valor, designadamente importância da qualificação dos recursos humanos e tados pelo anterior secretárioem termos de criação de riqueza e emprego. E con- das suas instituições, a importância de uma sociedade de estado. Nem sempre conhe-sequentemente, num novo compromisso na relação civil mais exigente e preparada, a importância de uma cemos a agenda dos diferentesentre o público e o privado, assente, por um lado, cooperação mais efectiva entre o ensino (e o conheci- ministérios e muito do trabalho nem sempre nos é dado a co-numa maior cooperação e co-responsabilidade, mas mento cientifico) e o tecido empresarial, a importância nhecer, no entanto tratando-setambém numa regulação mais transparente e eficaz. de acções que promovam o desenvolvimento econó- de apoios à capacidade empre-O que tudo vai gerar uma enorme competição terri- mico, e por outro lado, que a competição que os espera endedora do país, do reforço datorial, em que a ambição, a ousadia, o empreendedo- não se limitará ao espaço do território nacional, mas competitividade e da inovaçãorismo e a inovação, serão com toda a certeza, factores fruto desta era da globalização e interdependência, se parece-nos que mais uma vezdesiquilibradores. irá afirmar também no plano internacional, partirão ne- tivemos tempo perdido.O que não significa que a qualidade das infra-estrutu- cessariamente em vantagem… Necessitamos de grandes pro- jetos que ajudem a combaterras e dos equipamentos disponíveis no território não Daí que a aposta em políticas municipais de desenvol- o desemprego e ajudem aosejam também geradores de atracção. Sucede é que, vimento económico e de relações internacionais, que crescimento económico, no en-por si só, pelo simples facto de existirem, não serão ca- vimos defendendo nos últimos anos, não nos pareça tanto continuamos a esquecerpazes de aportar sustentabilidade. Sem postos de tra- hoje uma inovação, mas uma clara necessidade…pelo a capacidade que os portugue-balho, dificilmente existirão pessoas, e sem produção menos, para aqueles territórios que pretendem inte- ses demonstraram ao longo dode riqueza, não haverá pagamento de impostos. grar o pelotão da frente. tempo com a sua capacidade empreendedora, na criação de pequenos negócios (e alguns transformaram-se em negócios de grandes dimensões) e mais importante a sustentabilidade do emprego, diretamente ligada ao pequeno empresariado queartigo por si só responsável pela cria- ção e sustentabilidade de algu-The Innovation Bottom Line mas comunidades. Independentemente da polémi- ca gerada em redor da recente nomeação do novo secretário de estado do empreendedoris- mo competitividade e inovação, gostávamos de ter assistido a um debate sobre as políticas de apoio ao empreendedorismo e inovação, mais em jeito de ba- lanço, para que se soubesse e se pudesse apreciar a mais ou me- nos valia deixada pelo anterior “inquilino” desta pasta. Vamos aguardar e esperar que o novo secretário de estado possa trazer algo de novo, aguarda- mos, mas principalmente o país aguarda que de uma vez por to- das se comecem a criar as bases de apoio aos empreendedores e não fiquemos uma vez mais, pe- las boas palavras e zero de ações. È ao estado que compete a cria-Como as empresas veem a sus- Sloan Management Review em a operação de descarga, boa lei- ção de condições para que ostentabilidade tanto como uma parceria com a The Boston Con- tura. empreendedores desenvolvamnecessidade e oportunidade e sulting Group (BCG). Aceda ao as suas ideias de negócio e por sua vez contribuam coma suaalteram os seus modelos de ne- estudo através da ligação que lhe David Kiron, Nina Kruschwitz, parte, a criação de emprego egócio em resposta a este tipo de disponibilizamos, sendo necessá- Knut Haanaes, Martin Reeves e Eugene Goh riqueza.preocupações e assim alcançam rio efetuar o seu registo, mas rapi- Jorge Oliveira Teixeirao sucesso. damente receberá uma resposta jorgeteixeira@vidaeconomica.pt PDFEste estudo foi realizado pela MIT para o seu email, para completar
  3. 3. Página 3 newsletter N.º 37 | FEVEREIRO 2013Opinião Como crescer O Investimento é a chave central petências, nos talentos e novas Por isso importa que os atores para uma Nova Agenda de Cresci- oportunidades. A dinamização da envolvidos neste processo de mento. Mas tem que ser um Novo criação de valor e reforço da ino- construção de valor percebam Investimento. Os tempos muda- vação tecnológica terá muito a ga- o alcance destas apostas estra- ram e o paradigma hoje impõe a nhar com este Novo Investimento. tégicas. Não se pode querer mo- aposta no reforço de Clusters com Por isso, em tempos de crise e de bilizar a região e o país para um Empresas Locais, aposta na Inova- aposta num novo Paradigma para novo paradigma de desenvol- ção e Desenvolvimento, formação o futuro, o Novo Investimento vimento, centrado numa maior qualificada de muitas pessoas. deve constituir o verdadeiro cen- equidade social e coesão territo- Vivem-se tempos de profunda cri- tro de uma convergência estraté- francisco rial, sem partilhar soluções estra- jaime quesado se internacional e no contexto da gica entre o Estado, a Empresa e Especialista em Estratégia, tégicas de compromisso colabo- intensa competição entre regiões todos os que se relacionam com Inovação e Competitividade rativo. O exemplo da Ikea passa e mercados a urgência de um sen- a sua dinâmica. O Novo Investi- por isso. Por perceber que a tido estratégico mais do que se mento tem que se assumir como – Tecnologias de Informação e aposta em Projetos Estratégicos impõe. A manutenção e captação a referência da aposta num novo Comunicação, Biotecnologia, Au- como os Clusters de Inovação e de Investimento é fundamental Modelo de Desenvolvimento Es- tomóvel e Aeronática, entre outros. os Pólos de Competitividades para o sucesso económico do país. tratégico para o país. Trata-se duma abordagem distinta, são caminhos que não se po- Por isso vai ser preciso apostar em O Novo Investimento desempe- protagonizada por “redes ativas” dem adiar mais. A guerra global novas Plataformas Abertas de Di- nha um papel de alavancagem da de atuação nos mercados globais pelo valor e pelos talentos está namização de Redes Globais gera- mudança único. Portugal precisa envolvendo os principais prota- aí e quem não estiver na linha da doras de valor. de forma clara de conseguir entrar gonistas sectoriais (Empresas Lí- frente não terá possibilidades de O Novo Investimento não é só a com sucesso no roteiro do Inves- deres, Universidades, Centros I&D), sobrevivência. É essa a base des- plataforma de desenvolvimento timento de Inovação associado à cabendo às agências públicas um te Novo Investimento que mais económico do país mas é também captação de Empresas e Centros papel importante de contextuali- do que nunca é de facto a Chave a base de uma nova aposta na de I&D identificados com os seto- zação das condições de sucesso de para o Crescimento da Economia inovação e criatividade, nas com- res mais dinâmicos da economia abordagem dos clientes. Nacional. PUB NOVIDADE A não perder EMPREGO Bom e Já! Guia Prático O trabalho existe e há empresas a contratar. Saiba como conquistar essas vagas! Prefácio de Julio Magalhães Autor: Ricardo Peixe Págs.: 232
  4. 4. Página 4 newsletter N.º 37 | FEVEREIRO 2013Redes sociaisO CEO do Facebook anunciou um novo serviço(ainda em fase beta) denominado Graph SearchPermitirá aos utilizadores pesquisarem entre sobre os nossos amigos que preencham esseos seus amigos, (evitando as pesquisas indivi- critério de pesquisa.duais) se gostam de um determinado lugar ou Outra possibilidade poderá ser; “mostra-me oscoisa. meus amigos que gostem do Star Wars e doAlguém já descreveu esta nova funcionalida- Harry Potter” para uma noitada de filmes.de (Graph Search) como o aproveitamento de O Graph Search é a forma que o Facebook temalguma da nossa informação pessoal que par- para pesquisar na internet objetos através da for-tilhamos no Facebook, numa poderosíssima ma como estão mapeados com “likes” e “not likes” .base dados disponível a “quase” todas as pes- O Graph search é correntemente disponibiliza- for muito generalista, pode sempre refinar essasoas. Apontando como exemplo um possível do de uma forma experimental (beta) para os pesquisa, por forma a conseguir exatamente opedido; Quem são os meus amigos que vivem utilizadores, no entanto, pessoas, fotos, lugares que pretende.em S. Francisco, o Facebook faz essa pesquisa e interesses são o pilar desta funcionalidade. Ler maise devolve essa informação que seja relevante Se a informação contida no seu Graph searchREDES SOCIAIS 5 RESOLUÇÕES A TOMAR ESTE ANOComece 2013 com uma nova atitude perante as redes sociais em que estáenvolvido, aproveite mais do Facebook, Twitter, utilizando estes peque-nos conselhos 1. Tenha como alvo os principais influenciadores 2. Coloque um nome numa cara 3. Responda sempre 4. Agende uma hora para aparecer 5. Os “riscos” ocultos do Twitter e do Facebook. Ler mais PUB O essencial das BOAS PRÁTICAS DE GESTÃO DESPEDIMENTO, ESTAGNAÇÃO OU PROMOÇÃO Como destruir a sua carreira executiva em 12 meses... ou antes Neste livro, o autor compila muitos erros (e omissões) que os executivos fracassados cometeram. Em cinco capítulos mostra ao leitor os erros mais comuns nas seguintes áreas: • Atitudes e comportamentos pessoais • Relações com o seu pessoal P.V.P.: € 8.90 • Relações com o seu chefe • Relações com os seus colegas Páginas: 120 • Desempenho no trabalho De LUIS CASTAÑEDA, autor do bestseller Como destruir uma empresa em 12 meses... ou antes
  5. 5. Página 5 newsletter N.º 37 | FEVEREIRO 2013Redes sociaisOnline Tracking 101: Quem está de olho em si?O Big Brother está aí novamente e em 2013 serápior do nunca. Nova tecnologia significa maiorrastreamento dos hábitos dos utilizadores e dassuas preferências serão mais facilitados. a nossaprivacidade está cada vez mais comprometida. Figura 4- Porque nos devemos importar pelo rastreamento online (fonte:dailyinfographic.com) Na figura 4, podemos e devemos refletir sobre o Figura 3- Que tipo de informação recolhem impacto que poderá ter nas nossas vidas, todo o (fonte:dailyinfographic.com) tipo de rastreamento que estamos sujeitos.Na fi- gura 5, apresentamos alguns conselhos que nos A Google, a empresa que todos nós gostamos parecem de muita utilidade quanto à proteção sabe mais de si do que a sua própria mâe. Pro- que devemos tomar para que a navegação seja blemas médico, scoring de crédito, religião, po- mais segura e a intromissão na nossa privacida- litica e valores morais, são algumas coisas que a de, seja mais dificultada com algumas atitudes Google sabe de si. defensivas da nossa parte. A privacidade online é um tema quente, mas como outros assuntos que as novas gerações Figura 1- O que é rastreado (fonte:dailyinfographic.com) enfrentam, as elites políticas tendem a ignorar.Os sites de viagens e as lojas online, poderãobaixar os preços dos seus produtos especifica-mente para si quando faz uma busca., em funçãode dados anteriormente arquivados. É preferívelque apague os “cookies” ou use um modo denavegação “oculto” quando faz compras onlinepara garantir o preço mais baixo. Figura 5- 6 conselhos para proteger a nossa privacidade online (fonte:dailyinfographic.com) Nota: Nos próximos meses não vamos ter a habitual colaboração do Álvaro Gomes Vieites e do Carlos Barros que estão concentrados na produção de mais um livro sobre o tema das redes sociais, entretanto procuraremos tratar este tema com noticias e facilidades que os diferentes programas permitem, bem como alguns cuidados que devemos ter com a nossa presença e facilitação de dados pessoais. Figura 2- Quem o rastreia online (fonte:dailyinfographic.com) Torne-se membro Torne-se fã da Inovação do nosso grupo & Empreendedorismo
  6. 6. “Vender móveis em caixas planas? Isso não faz sentido nenhum. É caro e dá muito trabalho.” - AnónimoUma excelente ideia de pouco vale se não for activada. E numa conjuntura empresarial cada vezmais feroz e competitiva, nenhuma organização se pode dar ao luxo de dispensar as boas ideias,muito menos de não as implementar. A ACCELPER disponibiliza-lhe as ferramentas, os processos eas metodologias que dão vida à sua vontade de inovar. E isso faz toda a diferença: a diferença entreficar no anonimato ou fazer história. Metodologias inovadoras e comprovadas Abordagem sistemática para a resolução de problemas inovação em acção Excelência nos processos Formação e Certificação em Inovação Empresarial e Six Sigma www.accelper.com
  7. 7. Página 7 newsletter N.º 37 | FEVEREIRO 2013notícias/artigos agenda de eventos UPTEC VENCE PRÉMIO Fevereiro 2013 EUROPEU REGIOSTARS 2013 19 PRODUCT INNOVATION (PI) 2013 Berlim, AlemanhaDecorreu na Póvoa de Lanhoso a 1ª Reunião Transna- Março 2013cional dos parceiros do projeto ITERA-AA aprovadopelo INTEREG IV B, cujo principal objetivo é facilitar o O Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do 4acesso à inovação para micro e pequenas empresasrurais, assim como fortalecer as diversas atividades de Porto (UPTEC) foi reconhecido como o grande vencedor Front End of do Prémio Europeu RegioStars 2013, na categoria “Cres-produção, transformação e distribuição em torno dos cimento Inteligente” Um prémio equiparado aos “ósca- . Innovation EMEAsetores agrícola, agroalimentar e de alimentação, numa res” para projetos na área do desenvolvimento regional. Copenhaga,perspetival de organização territorial facilitando circui-tos locais de venda direta (localmente). Destaque ainda Lançados pela iniciativa da Comissão Europeia “Re- Dinamarca gions for Economic Change” os prémios RegioStars ,neste projeto para ações relativas à inovação dos recur- têm como principal objetivo identificar e destacar boassos humanos com ações de formação e qualificação das práticas nas políticas públicas desenvolvimento regio- 20micro empresas rurais, gestão previsional de ofertas deemprego e de competências numa base territorial. nal, sendo divulgadas internacionalmente enquanto os ABSRC 2013 VENICE projetos europeus mais inovadores. Ler mais om este prémio o UPTEC evidencia-se num conjunto de - Advances in outros cinco finalistas europeus, também com provas Business-Related dadas na transferência de tecnologia e conhecimento Scientific Research científico, implementados em países como Alemanha, Conference Áustria, Espanha, Reino Unido e Suécia. Veneza, ItáliaAbertas as candidaturas Ler maisà 3ª ediçãodo “Prémio Inovação abril 2013e Empreendedorismo” Publicação 22 An Empiric Approach Distribution to Capturing Firms’ Technology & Innovation Behaviour Innovation Summit Dallas, EUA Maio 2013 6Encontram-se abertas as candidaturas à 3ª Edição do Front End ofPrémio Inovação e Empreendedorismo Este Prémio Innovation USAtem como objetivo promover as iniciativas empresa-riais inovadoras, difundir e despertar o interesse pelo Bostom, EUAempreendedorismo, potenciar e facilitar a criação denovas empresas com potencial inovador e diferencia-dor no âmbito da atividade empresarial, científica e Este estudo utiliza tecnicas exploratórias que permitamtecnológica na nossa região. o desenvovimento de tipologias de modos de inova-Poderão concorrer ao Prémio, todos os cidadãos, com ção ou estratégias para grupos de empresas. Analisan-mais de 18 anos, individualmente ou em grupo e todas do a um nível micro com os dados de 18 países, foram Nota: Se pretender divulgar um evento relacionadoas empresas já constituídas, com faturação média infe- identicados cinco modos de inovação. Na maioria dos com Inovação erior a 100.000J nos últimos três exercícios, que preten- países um ou mais modos de inovação estão associa- empreendedorismodam desenvolver ideias/projetos. dos positivamente à produtividade laboral. Contacte Ler mais Ver pdf
  8. 8. Página 8 newsletter N.º 37 | FEVEREIRO 2013 Financiar a inovação Gestão Preventiva e Proactiva Numa atitude meio convicta e Neste contexto, a disciplina do meio provocatória, pode o líder planeamento dinâmico, preven- de uma empresa confrontar os tivo e proactivo, pode não ser seus colaboradores com a se- suficiente. Porém, se a empresa guinte afirmação: um sintoma de não assumir este tipo de compor- uma gestão saudável é conseguir tamento virado basicamente para responder no tempo necessário, uma constante Inovação que vise a um piscar de olhos ou a um cli- não apenas satisfazer o mercado ck no computador às seguintes mas, e acima de tudo, que o sur- questões: preenda e exceda as expetativas, • O que é concorrência está fazer dificilmente permanecerá viva. melhor do que a nossa organiza- Disse Einstein que: “A verdadeira ção? crise é a crise da incompetência” . • Que meios (materiais, humanos, Deste pensamento decorre o económicos, etc.) é que devemos “laissez faire, laissez passer” que , utilizar para suplantar os nossos mente recuperáveis, dificilmente as mudanças surjam frequente- é algo comum. Assim, há quer ter concorrentes? colocando em causa a sobrevi- mente de forma abrupta para as não apenas pensamento e plane- De fato, no século passado o pa- vência da empresa. Contudo, a empresas. Assim, neste modelo amento mas, e principlamente, radigma da gestão da mudança globalização da economia, do de permanentes mudanças, uma uma atitude “aguerrida” de Inova- poderia ser o incremental, sendo mercado de trabalho e os de- empresa que não acompanhe o ção, não temendo o erro. esta perspetiva como linear e os senvolvimentos da tecnologia, desenvolvimento crítico para o atrasos ou desatenções a nível da nomeadamente os desenvolvi- negócio pode não ter o tempo Luís Archer – Consultor gestão, eram mais fácil e rapida- mentos da internet, levam a que para o recuperar. luismariaarcher@iol.pt Ficha técnica: Coordenador: Jorge Oliveira Teixeira Colaboraram neste número: Álvaro Gomez Vieites, Carlos Barros, Dustin Mattison, Jaime Quesado Subscreva aqui outras newsletters e Luís Archer Aconselhamento técnico: Praven Gupta, IIT, Center for Innovation Science Tradução: Sofia Guedes Paginação: José Barbosa Contacto: jorgeteixeira@vidaeconomica.pt

×