6 persistência comunidades

337 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
337
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

6 persistência comunidades

  1. 1. Pós-Graduação em Ecologia de Ecotonos UFT Persistência das comunidades Fernando M. Pelicice
  2. 2. Como as comunidades persistem no tempo?
  3. 3. Perspectivas Wu & Loucks (1995) 1. Balanço da Natureza 2. Equilíbrio 3. Não-equilíbrio 4. Múltiplos regimes (equilíbrios) 5. Dinâmica hierárquica de manchas
  4. 4. Wu & Louchs (1995)
  5. 5. Equilíbrio Estabilidade Manutenção de um estado Capacidade de retornar a um estado de equilíbrio Resiliência Velocidade em que retorna ao equilíbrio Resistência Capacidade de manter um estado
  6. 6. Persistência Manutenção dentro de limites Variabilidade Variação nos atributos medidos Regime Permanência do sistema em um estado particular
  7. 7. Equilíbrio (point equlibria) Estado da comunidade (S, abundância, composição, etc) equilíbrio 1 equilíbrio 2 t
  8. 8. Equilíbrio estável Estado da comunidade Equilíbrio instável (S, abundância, composição, etc) Instável, nãoequilíbrio t
  9. 9. Resiliente Estado da comunidade Resiliência média (S, abundância, composição, etc) Resiliência baixa t
  10. 10. Resistente Resistência elevada Estado da comunidade (S, abundância, composição, etc) Resistência baixa t
  11. 11. Variabilidade nula Estado da comunidade Variabilidade moderada (S, abundância, composição, etc) Variabilidade elevada t
  12. 12. Persistente Estado da comunidade Persistente (S, abundância, composição, etc) NãoPersistente t
  13. 13. Regime 1 Estado da comunidade Regime 2 (S, abundância, composição, etc) Regime 3 t
  14. 14. 1. Balanço da Natureza • Natureza criada, perfeita, acabada • Existência de equilíbrio estático • Interdependência obrigatória das partes
  15. 15. “De acordo com o que nós sabemos, podemos julgar a importância que assume cada uma das Disposições da natureza ao ponto de, se uma só minhoca faltasse, a água estagnada alteraria o solo e o bolor apodreceria tudo. Se uma única função importante faltasse no mundo animal, seria de recear o maior desastre do universo (...) se nas nossas terras morressem todos os pardais, as plantações seriam presa fácil dos grilos e outros insetos. A América, privada de porcos, seria infestada de serpentes (...)”
  16. 16. equilíbrio Estado da comunidade t
  17. 17. 2. Equilíbrio • Versão científica do Balanço da Natureza • Forte interdependência entre espécies • Relações competitivas (co-evolução) • Elevado determinismo
  18. 18. clímax sucessão Clements
  19. 19. Comunidade em equilíbrio + Teoria de Nicho
  20. 20. Visão clássica Espécies Recurso
  21. 21. Equilíbrio Estado da comunidade Equilíbrio estável t
  22. 22. 3. Não-Equilíbrio • Ausência de equilíbrio estável • Mudança freqüente • Fundada em variabilidade • Causas internas e externas
  23. 23. Natureza é um fluxo... ● Dispersão constante ● Meio variável Henry Gleason
  24. 24. DeAngelis & Waterhouse (1986)
  25. 25. Não-equilíbrio estável (stable cycles) Estado da comunidade Não-equilíbrio instável t
  26. 26. Comunidades Persistentes Estado da comunidade t
  27. 27. Invasões e especiação + Ambiente variável + Indeterminância das relações
  28. 28. Davis (1986)
  29. 29. Duração de fluxo elevado Variação hidrométrica Pyron et al (2006)
  30. 30. Townsend (1989)
  31. 31. Peixes em riachos experimentais Matthews & Matthews (2006)
  32. 32. Peixes em recifes de coral Sale & Douglas (1984)
  33. 33. Plantas em plots experimentais Fukami et al (2005)
  34. 34. Assembléia de peixes Pyron et al (2006)
  35. 35. Grossman et al (1998)
  36. 36. Davis (1986)
  37. 37. Winemiller (1995)
  38. 38. Oberdorff et al (2001)
  39. 39. Knoll (1986)
  40. 40. Knoll (1986)
  41. 41. Invertebrados marinhos Ricklefs & Miller (2000)
  42. 42. Ricklefs & Miller (2000)
  43. 43. 4. Múltiplos regimes • Ausência de equilíbrio pontual estável • Regime vinculado a situações particulares (atractor) • Regime vinculado a situações limite (thresholds, bifurcações)
  44. 44. Regime 1 Estado da comunidade Regime 2 Regime 3 t
  45. 45. Peterson et al (1998)
  46. 46. ● Multiple equilibria states ● Multiple stable equilibria ● Alternative equilibria ● Regime shifts
  47. 47. Scheffer & Carpenter (2003)
  48. 48. Scheffer et al (1993)
  49. 49. Água clara Água túrbida
  50. 50. Scheffer et al (1993)
  51. 51. Scheffer et al (1993)
  52. 52. Experimento de remoção de peixes: Planctívoros Bentônicos lagos lagos Scheffer et al (1993)
  53. 53. Experimento de eutrofização: Adição de nutrientes
  54. 54. Lagos alpinos (Itália) Ruggiero et al (2005)
  55. 55. Scheffer et al (2003)
  56. 56. •Plantas submersas x flutuantes Estado 2 •Variação na biomassa inicial Estado 1 Scheffer et al (2003)
  57. 57. Scheffer et al (1993) Scheffer & Carpenter (2003)
  58. 58. Cobertura vegetal na região do Saara Scheffer & Carpenter (2003)
  59. 59. Scheffer & Carpenter (2003)
  60. 60. (27-10-11) Aumento global de temperatura Área desmatada (%) 1965 2011 0.8 3 17 Limite 2.0 20
  61. 61. 5. Dinâmica hierárquica de manchas • Natureza se apresenta fragmentada • Mosaico de situações (heterogeneidade) • Dependente da escala • Engloba perspectivas anteriores
  62. 62. ● Manchas com diferentes comportamentos ● Dinâmica mediada por fatores multi-escalares ● Dinâmica dependente da escala Estados da comunidade
  63. 63. Natureza em manchas
  64. 64. Wu & Loucks (1995)
  65. 65. maior bioma bioma bacia rio floresta floresta rio zona litorânea menor bacia árvores árvores remansos macrófitas/ troncos fendas, troncos e folhas flores matéria orgânica peixes lagartas polinizadores bentos
  66. 66. Wiens (1989)
  67. 67. Townsend (1989)
  68. 68. Tockner et al. (1999)
  69. 69. Tockner et al. (1999)
  70. 70. Tockner et al. (1999)
  71. 71. Quem está certo?
  72. 72. Perspectivas Wu & Loucks (1995) 1. Balanço da Natureza 2. Equilíbrio 3. Não-equilíbrio 4. Múltiplos estados de equilíbrio 5. Dinâmica hierárquica de manchas
  73. 73. Nãoequilíbrio Equilíbrio instável Equilíbrio neutro Equilíbrio estável DeAngelis & Waterhouse (1987)
  74. 74. Muito além do equilíbrio estável... Múltiplos regimes? Equilíbrio nãopontual? Estável Caótico Ives & Carpenter (2007)
  75. 75. Muito além do equilíbrio estável... Não-equilíbrio? Resiliência? Mudança de regime? Ives & Carpenter (2007)
  76. 76. Muito além do equilíbrio estável... Resistência? Resistência? Ives & Carpenter (2007)
  77. 77. O que devo concluir? ● Comunidades persistem ● Mudança contínua (variabilidade) ● Fatores que aceleram a mudança ● Regimes? ● Estrutura mínima?
  78. 78. Por que comunidades persistem? ● pool de espécies (dispersão) ● dinâmica populacional ● identidade funcional ● dinâmica interna ● distúrbio ● variação ambiental ● recursos e qualidade ambiental
  79. 79. DeAngelis & Waterhouse (1987)

×