8 biodiversidade x funcionamento sistemas

415 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

8 biodiversidade x funcionamento sistemas

  1. 1. Pós-Graduação em Ecologia de Ecotonos UFT Biodiversidade e manutenção da vida Fernando M. Pelicice
  2. 2. Crise ambiental... 1 – Existe? 2 – Porque? 3 – E daí?
  3. 3. Crise ambiental... Existe?
  4. 4. Últimos 20.000 anos... ● Ocupamos todo o ambiente terrestre ● Alteramos ambientes aquáticos interiores ● Consumimos o ambiente marinho ● Re-configuramos a atmosfera
  5. 5. Ambiente terrestre
  6. 6. Primack & Efraim (2005)
  7. 7. Folha.com (27/05/2011)
  8. 8. Folha.com (05/08/2009)
  9. 9. (27-10-11) Aumento global de temperatura Área desmatada (%) 1965 2011 0.8 3 17 Limite 2.0 20
  10. 10. MEA (2005)
  11. 11. Laurence (2010)
  12. 12. MEA (2005)
  13. 13. MEA (2005)
  14. 14. MEA (2005)
  15. 15. Primack & Efraim (2005)
  16. 16. Koh & Gardner (2010)
  17. 17. Água doce
  18. 18. MEA (2005)
  19. 19. Agostinho et al. (2007)
  20. 20. Agostinho et al. (2008)
  21. 21. Rio Mekong Allan et al. (2005)
  22. 22. Allan et al. (2005)
  23. 23. Allan et al. (2005)
  24. 24. Casal (2006)
  25. 25. % S não-nativos Leprieur et al. (2008)
  26. 26. Grande intercâmbio biótico da América Rodriguez (2001) 3 milhões a.C.
  27. 27. MEA (2005)
  28. 28. MEA (2005)
  29. 29. Oceanos
  30. 30. Laurence (2010)
  31. 31. Peixes predadores de grande porte Myers & Worm (2003)
  32. 32. Frota japonesa 1952 1958 1964 1980 Myers & Worm (2003)
  33. 33. Myers & Worm (2003)
  34. 34. Restam 10% da biomassa encontrada nos anos anteriores a pesca industrial (~1950)
  35. 35. Vitousek et al. (1997)
  36. 36. Peixes & Invertebrados 29% Worm et al. (2006)
  37. 37. Peres (2010)
  38. 38. Pauly et al. (1998)
  39. 39. Pauly et al. (1998)
  40. 40. Coral bleaching
  41. 41. Atmosfera
  42. 42. Lovejoy (2010)
  43. 43. MEA (2005)
  44. 44. Vitousek et al. (1997)
  45. 45. Browman & Murphy (2010)
  46. 46. Ponto de convergência
  47. 47. Vitousek et al (1997)
  48. 48. Vitousek et al (1997)
  49. 49. Butchart et al (2010)
  50. 50. MEA (2005)
  51. 51. Chapim III et al. (2000)
  52. 52. MEA (2005)
  53. 53. Problemas ambientais... Porque existem?
  54. 54. “Quanto a vocês, sejam fecundos e se multipliquem, povoem e dominem a terra.” Javé a Noé (Gênesis 9)
  55. 55. “Eu darei toda a terra que você está vendo, a você e sua descendência, para sempre. Tornarei sua descendência como poeira da terra: quem puder contar os grãos de poeira da terra, poderá contar seus descendentes.” Javé a Abraão (Gênesis 13)
  56. 56. Raiz do problema... 1. Superpopulação 2. Padrão de vida (produção e consumo) 3. Tecnologia (controle da natureza)
  57. 57. 5 a 10 milhões no Paleolítico 300 milhões em 1000 7 bilhões em 2011
  58. 58. Laurence (2010)
  59. 59. 4 1 Revoluções: comunicação, saúde, produção, transporte 2 Migrações e Revolução do Neolítico Descobrimentos, migrações e colonização 3 Revolução industrial 20.000 a.C. 5.000 a.C. 1500 1800 1900
  60. 60. Scientific American (2008)
  61. 61. Megafauna do Pleistoceno
  62. 62. Scientific American (2008)
  63. 63. Koh & Gardner (2010)
  64. 64. Nova Zelândia 100 milhões de anos em isolamento
  65. 65. 100.000 maoris cachorro rato morcego morcego 1870 800 50.000 maoris cachorro rato morcego + 80.000 cavalos 400.000 bovinos 9.000.000 carneiros 250.000 europeus 1769 maoris Capitão Cook
  66. 66. 800 1870 1981 morcego 50.000 maoris cachorro rato morcego + 80.000 cavalos 400.000 bovinos 9.000.000 carneiros 250.000 europeus 280.000 maoris cachorro rato morcego + ? cavalos 8.000.000 bovinos 70.000.000 carneiros 2.700.000 europeus + 326.000 ton. trigo 150.000 ton. milho
  67. 67. Willis & Birks (2006)
  68. 68. Produzir e consumir ● Paradigma econômico europeu ● Cidadão = “aquele que consome” ● Convertendo o Planeta em capital ● Acúmulo de capital
  69. 69. Sodhi & Ehrlich (2010)
  70. 70. “calorias necessárias para colocar 1 caloria na boca” May (2010) 0,1:1 10.000 a.C. 1:1 1900 10:1 2000
  71. 71. 10:1 1:1 0.1:1
  72. 72. 40% produção terrestre líquida anual 60% da água superficial é usada em agricultura May (2010)
  73. 73. WWF (2011)
  74. 74. May (2010)
  75. 75. Apagão... ou relações de poder?
  76. 76. Belo Monte, rio Xingú... viável?
  77. 77. Doutores: Planejamento econômico Economia História Econômica Engenharia Energia Planejamento energético Zoologia Biologia Ecologia Ciências Ambientais Entomologia Antropologia Ciências sociais Saúde Pública História Ciência Política Geografia
  78. 78. Síndrome do Apagão Sociedade R$ 4,6 bi. 19, 26, 32? inflação exportado Hidrelétrica Alumínio Aço Ferroligas Celulose $ Concessionárias $ Empreiteiras Prof. Célio Bermann (Entrevista a Eliane Brum – 31/10/2011) Beneficiado Importado (U$) Políticos
  79. 79. Folha.com (29-11-11)
  80. 80. No entanto, o uso da palavra desenvolvimento no lugar de uso sustentável indica que a sociedade ainda não abandonou o paradigma de crescimento (mais é melhor). A questão atual do nosso tempo é: a sociedade humana resolverá o problema identificado por Malthus 200 anos atrás pelo uso da inteligência e razão antes de sofrer severas conseqüências, ou a humanidade esperará até o ponto em que tantos danos tenham sido feitos que mesmo um idiota possa entender? Cairn Jr. (1998)
  81. 81. Porque se importar?
  82. 82. “Sejam fecundos, multipliquem-se, encham e submetam a terra: dominem os peixes do mar, as aves do céu e todos os seres vivos que rastejam sobre a terra. (...) Eu entrego a vocês todas as ervas que produzem semente e estão sobre toda a terra, e todas as árvores em que há frutos que dão semente: isso tudo será alimento para vocês.” Javé a Adão (Gênesis 1)
  83. 83. Porque não vendemos tudo?
  84. 84. Edwards & Abivardi (1998)
  85. 85. Ecossistemas naturais Bens Serviços Uso e consumo direto Processos básicos de manutenção e regulação
  86. 86. MEA (2005)
  87. 87. Edwards & Abivardi (1998)
  88. 88. MEA (2005)
  89. 89. Peres (2010)
  90. 90. NATURE (1997)
  91. 91. Re gu laç ão Re de gu ga laç ses Re ão gu do laç c lim ão de a dis Re tú r gu bio laç s ão Su de pr i ág me ua n to Co de ntr ág ole ua de Fo er o rm sã aç Cic o ão lag de em so de lo Tra nu tam trie en nte to s de es go tos Po lini Co za nt r ção ole bio lóg ic o Pro du Ha çã bita od t ea lim en Ma to tér Re ia cur pr i sos ma ge né tic o s Re cre açã o Cu ltur al U$ TRILHÕES/ANO 18 16 14 Natural = 99,7% Agrícola = 0,3% Urbano = 0% 12 10 8 6 4 2 0 SERVIÇO
  92. 92. ab er to or es ta SISTEMA Ur ba no a s/ la go s Ag ríc ol Ri o W et la nd s Sa va na Fl Co st ei ro O ce an o U$ TRILHÕES/ANO 14 12 10 8 6 4 2 0
  93. 93. U$ 33 tri/ano PIB = U$ 18 tri/ano
  94. 94. MEA (2005)
  95. 95. Biodiversidade importa!
  96. 96. Diversidade Estabilidade
  97. 97. Diversidade elevada Funções do sistema Diversidade moderada Diversidade baixa t
  98. 98. Tilman (1999)
  99. 99. Franssen et al. (2011)
  100. 100. Peterson et al. (1998)
  101. 101. Porque? Diversidade em si? Redundância Identidade (Drivers) Diversidade funcional Complementaridade Interações fracas
  102. 102. Peterson et al. (1998)
  103. 103. Peterson et al. (1998)
  104. 104. Peterson et al. (1998)
  105. 105. Isbell et al. (2011)
  106. 106. Efeito seguro • Complementaridade de função • Redundância • Variações na função • Diversidade garante multifuncionalidade
  107. 107. Loreau et al. (2001)
  108. 108. Densidade de bactérias (D.P.) Naeem & Li (1997)
  109. 109. Engelhardt & Ritchie (2001)
  110. 110. Worm et al. (2006)
  111. 111. Worm et al. (2006)
  112. 112. Hoeinghaus et al. (2009)
  113. 113. “... o grande processo em curso na década de 1980, que há de tomar milhões de anos para ser corrigido, é a perda da diversidade genética e de espécies pela destruição de habitats naturais. Esta é a loucura que nossos descendentes provavelmente menos nos perdoarão.” Edward Wilson
  114. 114. Game over?
  115. 115. MEA (2005)
  116. 116. Chapim III et al. (2000)
  117. 117. May (2010)
  118. 118. Worm et al. (2006)
  119. 119. Hoeinghaus et al. (2009)
  120. 120. Hoeinghaus et al. (2009)
  121. 121. Dobson et al. (2006)
  122. 122. MEA (2005)
  123. 123. MEA (2005)
  124. 124. Sistemas humanos Economia Ecossistemas naturais
  125. 125. Ecossistemas naturais Sistemas humanos Economia
  126. 126. Economia Ecossistemas naturais Sistemas humanos
  127. 127. Valores, Economia e Mal Entendimento 1. Horizonte temporal limitado 2. Direitos de propriedade 3. Concentração de poder 4. Mensurabilidade complicada 5. Incerteza científica Edwards & Ambivardi (1998)
  128. 128. “Quem, senão ecólogos, podem predizer o tipo de mundo que as ações e medidas atuais criarão em 50, 100 ou 500 anos? Quem, senão ecólogos, podem fornecer a informação necessária para avaliar ações e medidas alternativas?” Tilman (1999, p. 1471)
  129. 129. “Nossa disciplina tem uma obrigação a cumprir: fornecer à sociedade o conhecimento essencial para o entendimento e manejo adequado da Terra e seus recursos biológicos. Isso requer que nós entendamos a Natureza, e impactos humanos sobre ela, bem o bastante para prever os diferentes tipos de mundo criados por ações sociais alternativas, e que nós repassemos esse conhecimento para o público e seus gestores.” Tilman (1999, p. 1471)

×