História do circo

22.429 visualizações

Publicada em

História - conceito - artistas

Publicada em: Diversão e humor, Esportes
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
22.429
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
84
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
537
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

História do circo

  1. 1. Slide trabalhado pelas professoras : Elaine Ana Lucia Maria de Fátima Edileusa Terezinha Petronia Sueli
  2. 2. PROJETO O MUNDO MÁGICO DO CIRCO
  3. 3. Um circo é comumente uma companhia itinerante que reúne artistas de diferentes categorias, como malabarismo, palhaço, acrobacia, monociclo, adestramento de animais, equilibrismo, ilusionismo, entre outros. A palavra também descreve o tipo de apresentação feita por esses artistas, normalmente uma série de atos coreografados à músicas. Um circo é organizado em uma arena circular, com assentos em seu entorno, enquanto circos itinerantes costumam se apresentar sob uma grande tenda.
  4. 4. HISTÓRIA DO CIRCO
  5. 5. Sinônimo de alegria, o circo é uma das mais antigas e completas manifestações populares e artísticas .
  6. 6. Pode-se dizer que as artes circenses surgiram na China, onde surgiram acrobatas, contorcionistas e equilibristas.
  7. 9. No Egito surgiu o domador, para atender à mania dos faraós, que adoravam exibir animais ferozes em seus desfiles militares.
  8. 11. Mas foram os antigos romanos que uniram todos esses números num espetáculo maior: O CIRCO
  9. 13. A história do circo no Brasil começa no século XIX, com famílias e companhias vindas da Europa, onde agruparam-se em guetos e manifestavam sentimentos diversos através de interpretações teatrais onde não demonstravam apenas interesses individuais e sim despertavam consciência mútua. No Brasil, mesmo antes do circo de Astley, já haviam os ciganos que vieram da Europa, onde eram perseguidos. Sempre houve ligação dos ciganos com o circo. Entre suas especialidades incluíam-se a doma de ursos, o ilusionismo e as exibições com cavalos.Eles viajavam de cidade em cidade, e adaptavam seus espetáculos ao gosto da população local. Números que não faziam sucesso na cidade eram tirados do programa. O CIRCO NO BRASIL
  10. 14. <ul><li>Acrobata - Saltador </li></ul><ul><li>Artista a é reo - Artista de corda, Artista de for ç a capilar, Artista de lira </li></ul><ul><li>Artista de circo (outros) - Atirador de facas, Comedor de espada, Comedor de fogo (pirofagista), Faquir, Globista, Homem-bala, Partner (circo), Pirofagista, </li></ul><ul><li>Saltimbanco, Ventr í loquo </li></ul><ul><li>Contorcionista - Deslocador </li></ul><ul><li>Domador de animais (circense) - Treinador de animais (circense) </li></ul><ul><li>Equilibrista - Aramista (equilibrista), Funâmbulo, Paradista </li></ul><ul><li>M á gico - Ilusionista, Manipulador, Prestidigitador </li></ul><ul><li>Malabarista </li></ul><ul><li>Palha ç o - Clown, Cômico de circo, Excêntrico, Tony de soir é e </li></ul><ul><li>Titeriteiro - Bonequeiro, Mamulengueiro, Manipulador de bonecos, </li></ul><ul><li>Marionetistas </li></ul><ul><li>Trapezista </li></ul>ARTISTAS CIRCENSES
  11. 15. ACROBATA - SALTADOR
  12. 16. ARTISTAS AÉREOS
  13. 17. ATIRADOR DE FACAS
  14. 18. PIROFAGISTA
  15. 19. GLOBISTA
  16. 20. PARTNER
  17. 21. TREINADORES DE ANIMAIS
  18. 22. MÁGICO
  19. 23. MALABARISTA
  20. 24. TRAPEZISTA
  21. 25. PALHAÇO
  22. 26. EQUILIBRISTA
  23. 27. O novo circo é um movimento recente que adiciona às técnicas de circo tradicionais a influência de outras linguagens artísticas como a dança e o teatro,levando em conta que a música sempre fez parte da tradição circense. No Brasil existem atualmente vários grupos pesquisando e utilizando esta nova linguagem O NOVO CIRCO
  24. 28. ADÁGIO Vestidos com figurinos colantes esse trio se torna uma escultura viva com os braços e pernas graciosamente entrelaçados. A dança que apresentam é simples e harmoniosa. Os pais seguram a criança como se fossem atingir o céu. A criança representa o futuro deles - e da humanidade
  25. 29. ARAME DUPLO Tão linda e delicada quanto uma dançarina numa caixa de música, a malabarista sobe à plataforma muito acima da platéia para sua caminhada no arame. Com sua sombrinha chinesa na mão, ela dança, faz piruetas e dá cambalhotas como se a gravidade não existisse entre as duas cordas paralelas e chega até a montar num monociclo nas alturas.
  26. 30. BOLEADORAS No centro do palco uma dança ritmada. Nas mãos,instrumentos de percussão simples consistindo por pesos fixados na ponta de uma corda. Os pesos batem no chão numa explosão sonora. Primeiro em uníssono e em seguida num contraponto com os pés das dançarinas
  27. 31. DIÁBOLO Envolto numa luz branca, um personagem misterioso e fluido conquista o palco com graça e dinamismo. Com seu olhar intrigado, ele parece ao mesmo tempo resistir e ser atraído pelo diábolo. O diábolo, ou ioiô chinês, é um brinquedo de criança que nesse número torna-se uma manifestação artística. Com enorme precisão, o personagem gira, joga e contorce o diábolo ao redor do corpo, quase como se fosse vivo. Os dois fazem uma dança íntima que se intensifica atingindo um exercício coreográfico e dramático cheio de talento.
  28. 32. MALABARISMO Enquanto o circo dança ao som dos ritmos cubanos, a malabarista mostra o que sabe fazer. Além do movimento das bolas no ar, ela mostra que é craque com três bolas e depois com sete bolas num mosaico de formas em um número dinâmico e ritmado.
  29. 33. MÃO NA MÃO Numa dança ritualística lenta, dois gêmeos idênticos se fundem para formar um único ser de força e equilíbrio extraordinários. Com coreografia exata, seus corpos são levados aos limites da capacidade humana
  30. 34. MASTROS CHINESES Criaturas multicoloridas deslizam pelo palco e correm em direção aos mastros chineses - os arranha-céus de Saltimbanco. Tal como répteis, os acrobatas saltam e voam pelo ar com agilidade. Com sua dança hipnótica, esses artistas energizam o circo inteiro. Nesse número inspirado na disciplina chinesa original, 20 artistas da trupe realizam suas acrobacias a cerca de 8 metros de altura.
  31. 35. TRAPÉZIO DUPLO Balançando-se num trapézio, bem acima do público, duas figuras luminosas dançam um balé aéreo cheio de harmonia e beleza. Quando a primeira trapezista solta-se do trapézio, sua irmã gêmea segura-a elegantemente com os pés. Os movimentos das trapezistas combinam-se graciosamente como se fossem apenas uma.
  32. 36. www.tonomundo.org.br/upload/opara/docs/Historia%20do%20Circo.doc http://alesimioni.sites.uol.com.br/circo.html http://www.tacti.com.br/curiosidadecirco.htm www.somenteaverdade.com/chaves/iceberg2.htm http://images.google.com.br/images?gbv=2&hl=pt-BR&q=CIRCO+DE+SOLEIL&sa=N&start=252&ndsp=18 BIBLIOGRAFIA http://images.google.com.br/images?gbv=2&hl=pt-BR&q
  33. 37. MONTAGEM SLIDE Professora STE Maria Aparecida da Silva Estulano

×