SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 10
Coletores solares
O que é um coletor solar?
 Um coletor solar é um dispositivo capaz de transformar a
radiação solar em energia térmica, através do aquecimento
de um fluido (normalmente água), permitindo satisfazer
entre 60% a 80% das necessidades de água quente de uma
habitação.
 No entanto, nem toda a radiação solar é aproveitada, como
em qualquer corpo, também no coletor solar pode haver
perdas de três formas: condução, convecção e radiação.
Como funciona o coletor solar?
 A radiação solar ao incidir na placa do coletor (feita de um material
bom absorsor), vai aquecer os tubos onde circula a água. O calor
existente nos tubos vai ser transferindo para a água, aquecendo-a.
 Após a água estar quente, vai sendo acumulada nos reservatórios, que
devem estar no interior das habitações, mas num nível superior aos
coletores.
 Normalmente, os tubos que constituem os coletores solares e o
reservatório são feitos de cobre ou alumínio, pois estes são bons
condutores de calor.
 A utilização da energia solar para aquecer a água é
feita através de colectores solares que
recebem a radiação do sol, concentrando-a.
Etapas do funcionamento do coletor
(explicação da imagem anterior)
1. O reservatório é abastecido com água fria;
2. O reservatório abastece as placas com a água fria;
3. As placas absorvem o calor do sol e aquecem a água;
4. A água aquecida retorna ao reservatório e é
armazenada;
5. O reservatório, como é térmico conserva a temperatura
da água;
6. A água sai quente do boiler para o consumo.
Qual a função de um coletor solar?
O colector solar mais comum é o plano e destina-se a
produção de água quente a temperaturas inferiores a 60
°C.
Quais as aplicações dos coletores solares?
O Coletor Solar pode aquecer água para piscinas, uso
doméstico e até para uso industrial. Pode aquecer
também o ar usado na secagem de produtos ou
ambientes. A principal aplicação desta energia no mundo
é o aquecimento de água para banhos.
Vantagens e Desvantagens dos Coletores Solares
Vantagens:
 A energia Solar é uma energia
não poluente;
 O preço deste equipamento
tem vindo a descer, tornando-o
uma opção cada vez mais
viável;
 Poupa energia elétrica, na
maior parte do tempo;
 Estes equipamentos necessitam
de pouca manutenção.
Desvantagens:
 Existe variação nas quantidades
produzidas de acordo com a
situação atmosférica
Durante a noite não há
aquecimento da água, levando
assim ao seu arrefecimento;
Em tempos de falta de Sol, a
resistência elétrica poderá ter que
ser utilizada, levando a um
consumo muito elevado de
eletricidade.
Bibliografia
http://pt.wikipedia.org/wiki/Aquecimento_solar
http://www.eco.edp.pt/pt/particulares/gerar/gerar-a-
sua-propria-energia/energia-solar-paineis-solares
http://www.aquecedorsolaragua.com.br/aquecedor-
solar/funcionamento-do-sistema/
http://engenhariaambietal.blogspot.pt/2013/03/o-que-e-
um-coletor-solar.html
http://energiasolargrupo4.blogspot.pt/2010/02/desvantag
ens-do-colector-solar.html
http://www.portal-energia.com/vantagens-e-
desvantagens-da-energia-solar/
Trabalho realizado por:
Laura Santos Nº17
Luís Duarte Nº19
Matilde Gouveia Nº22
Rute Carina Nº 26
10º A2

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Determinismo, libertismo e determinismo moderado
Determinismo, libertismo e determinismo moderadoDeterminismo, libertismo e determinismo moderado
Determinismo, libertismo e determinismo moderadoAntónio Daniel
 
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio InesTeixeiraDuarte
 
Relatório Atividades Laboratoriais 1.1, 1.2, 1.3, 1.4 11º
Relatório Atividades Laboratoriais 1.1, 1.2, 1.3, 1.4 11ºRelatório Atividades Laboratoriais 1.1, 1.2, 1.3, 1.4 11º
Relatório Atividades Laboratoriais 1.1, 1.2, 1.3, 1.4 11ºRicardo Dias
 
Determinismo_moderado
Determinismo_moderadoDeterminismo_moderado
Determinismo_moderadoIsabel Moura
 
A representação na amada na lírica de Camões
A representação na amada na lírica de CamõesA representação na amada na lírica de Camões
A representação na amada na lírica de CamõesCristina Martins
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralHelena Coutinho
 
Listas das falácias informais
Listas das falácias informaisListas das falácias informais
Listas das falácias informaisIsabel Moura
 
Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106
Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106
Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106nanasimao
 
Power point "Frei Luís de Sousa"
Power point "Frei Luís de Sousa"Power point "Frei Luís de Sousa"
Power point "Frei Luís de Sousa"gracacruz
 
Sermão de Santo António aos peixes - Rémora
Sermão de Santo António aos peixes - Rémora Sermão de Santo António aos peixes - Rémora
Sermão de Santo António aos peixes - Rémora kikaveiga1
 

Mais procurados (20)

Cantigas de amor
Cantigas de amorCantigas de amor
Cantigas de amor
 
Determinismo, libertismo e determinismo moderado
Determinismo, libertismo e determinismo moderadoDeterminismo, libertismo e determinismo moderado
Determinismo, libertismo e determinismo moderado
 
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
 
Memorial do convento
Memorial do conventoMemorial do convento
Memorial do convento
 
Amor é fogo que arde
Amor é fogo que ardeAmor é fogo que arde
Amor é fogo que arde
 
Filosofia 10. ano
Filosofia   10. anoFilosofia   10. ano
Filosofia 10. ano
 
OCEANO NOX_Análise.ppsx
OCEANO NOX_Análise.ppsxOCEANO NOX_Análise.ppsx
OCEANO NOX_Análise.ppsx
 
Relatório Atividades Laboratoriais 1.1, 1.2, 1.3, 1.4 11º
Relatório Atividades Laboratoriais 1.1, 1.2, 1.3, 1.4 11ºRelatório Atividades Laboratoriais 1.1, 1.2, 1.3, 1.4 11º
Relatório Atividades Laboratoriais 1.1, 1.2, 1.3, 1.4 11º
 
Determinismo_moderado
Determinismo_moderadoDeterminismo_moderado
Determinismo_moderado
 
A representação na amada na lírica de Camões
A representação na amada na lírica de CamõesA representação na amada na lírica de Camões
A representação na amada na lírica de Camões
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geral
 
O resumo de Os Maias
O resumo de Os MaiasO resumo de Os Maias
O resumo de Os Maias
 
Proposição
ProposiçãoProposição
Proposição
 
Listas das falácias informais
Listas das falácias informaisListas das falácias informais
Listas das falácias informais
 
Os Maias - personagens
Os Maias - personagensOs Maias - personagens
Os Maias - personagens
 
Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106
Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106
Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106
 
Power point "Frei Luís de Sousa"
Power point "Frei Luís de Sousa"Power point "Frei Luís de Sousa"
Power point "Frei Luís de Sousa"
 
Tomás de Alencar
Tomás de AlencarTomás de Alencar
Tomás de Alencar
 
Atos ilocutórios
Atos ilocutóriosAtos ilocutórios
Atos ilocutórios
 
Sermão de Santo António aos peixes - Rémora
Sermão de Santo António aos peixes - Rémora Sermão de Santo António aos peixes - Rémora
Sermão de Santo António aos peixes - Rémora
 

Destaque

Componentes do circuito solar térmico em circulação forçada
Componentes do circuito solar térmico em circulação forçadaComponentes do circuito solar térmico em circulação forçada
Componentes do circuito solar térmico em circulação forçadaCarlos Duarte Castanheira
 
Energia Solar Fotovoltaica
Energia Solar FotovoltaicaEnergia Solar Fotovoltaica
Energia Solar FotovoltaicaVoltaicas
 
Geração de Energia Solar Fotovoltaica
Geração de Energia Solar Fotovoltaica Geração de Energia Solar Fotovoltaica
Geração de Energia Solar Fotovoltaica Luryan da Silva F.
 
4ª Jornadas 2012 Manuel Azevedo
4ª Jornadas 2012 Manuel Azevedo4ª Jornadas 2012 Manuel Azevedo
4ª Jornadas 2012 Manuel AzevedoManuel Azevedo
 
Introdução autoconsumo sem baterias. Sunny Design: exercícios práticos
Introdução autoconsumo sem baterias. Sunny Design: exercícios práticosIntrodução autoconsumo sem baterias. Sunny Design: exercícios práticos
Introdução autoconsumo sem baterias. Sunny Design: exercícios práticosKrannich Solar Portugal
 
CSP Parabolic Trough - Spanish version
CSP Parabolic Trough - Spanish versionCSP Parabolic Trough - Spanish version
CSP Parabolic Trough - Spanish versionDavid Williams
 
Hibridación Biomasa Termosolar Presentación
Hibridación Biomasa Termosolar PresentaciónHibridación Biomasa Termosolar Presentación
Hibridación Biomasa Termosolar Presentaciónesmesm
 
Libro de-energias-renovables-y-eficiencia-energetica
Libro de-energias-renovables-y-eficiencia-energeticaLibro de-energias-renovables-y-eficiencia-energetica
Libro de-energias-renovables-y-eficiencia-energeticaMilton Martinez
 
A. ConcurSOL "Fundamentos de Energía Solar" (Dr Piacentini Rubén)
A. ConcurSOL "Fundamentos de Energía Solar" (Dr Piacentini Rubén)A. ConcurSOL "Fundamentos de Energía Solar" (Dr Piacentini Rubén)
A. ConcurSOL "Fundamentos de Energía Solar" (Dr Piacentini Rubén)IRICE CONICET
 
08 mesa sector productivo
08   mesa sector productivo08   mesa sector productivo
08 mesa sector productivoJuan Domaniczky
 
Funcionamiento de una planta termosolar
Funcionamiento de una planta  termosolarFuncionamiento de una planta  termosolar
Funcionamiento de una planta termosolarAntonio Cabezas
 
SIMULACIÓN DE UNA PLANTA TERMOSOLAR DE COLECTORES CILINDRO PARABÓLICOS
SIMULACIÓN DE UNA PLANTA TERMOSOLAR DE COLECTORES CILINDRO PARABÓLICOSSIMULACIÓN DE UNA PLANTA TERMOSOLAR DE COLECTORES CILINDRO PARABÓLICOS
SIMULACIÓN DE UNA PLANTA TERMOSOLAR DE COLECTORES CILINDRO PARABÓLICOSRoberto Valer
 
Sistemas termo solares con concetración óptica
Sistemas termo solares con concetración ópticaSistemas termo solares con concetración óptica
Sistemas termo solares con concetración ópticaEuler Macedo
 

Destaque (20)

Aquecedor solar
Aquecedor solarAquecedor solar
Aquecedor solar
 
Componentes do circuito solar térmico em circulação forçada
Componentes do circuito solar térmico em circulação forçadaComponentes do circuito solar térmico em circulação forçada
Componentes do circuito solar térmico em circulação forçada
 
Energia Solar Fotovoltaica
Energia Solar FotovoltaicaEnergia Solar Fotovoltaica
Energia Solar Fotovoltaica
 
Geração de Energia Solar Fotovoltaica
Geração de Energia Solar Fotovoltaica Geração de Energia Solar Fotovoltaica
Geração de Energia Solar Fotovoltaica
 
Trabalho Sobre Energia Solar
Trabalho Sobre Energia SolarTrabalho Sobre Energia Solar
Trabalho Sobre Energia Solar
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
 
4ª Jornadas 2012 Manuel Azevedo
4ª Jornadas 2012 Manuel Azevedo4ª Jornadas 2012 Manuel Azevedo
4ª Jornadas 2012 Manuel Azevedo
 
Introdução autoconsumo sem baterias. Sunny Design: exercícios práticos
Introdução autoconsumo sem baterias. Sunny Design: exercícios práticosIntrodução autoconsumo sem baterias. Sunny Design: exercícios práticos
Introdução autoconsumo sem baterias. Sunny Design: exercícios práticos
 
CSP Parabolic Trough - Spanish version
CSP Parabolic Trough - Spanish versionCSP Parabolic Trough - Spanish version
CSP Parabolic Trough - Spanish version
 
soja residuos
soja residuossoja residuos
soja residuos
 
Hibridación Biomasa Termosolar Presentación
Hibridación Biomasa Termosolar PresentaciónHibridación Biomasa Termosolar Presentación
Hibridación Biomasa Termosolar Presentación
 
Libro de-energias-renovables-y-eficiencia-energetica
Libro de-energias-renovables-y-eficiencia-energeticaLibro de-energias-renovables-y-eficiencia-energetica
Libro de-energias-renovables-y-eficiencia-energetica
 
A. ConcurSOL "Fundamentos de Energía Solar" (Dr Piacentini Rubén)
A. ConcurSOL "Fundamentos de Energía Solar" (Dr Piacentini Rubén)A. ConcurSOL "Fundamentos de Energía Solar" (Dr Piacentini Rubén)
A. ConcurSOL "Fundamentos de Energía Solar" (Dr Piacentini Rubén)
 
08 mesa sector productivo
08   mesa sector productivo08   mesa sector productivo
08 mesa sector productivo
 
Funcionamiento de una planta termosolar
Funcionamiento de una planta  termosolarFuncionamiento de una planta  termosolar
Funcionamiento de una planta termosolar
 
Concentradores solares
Concentradores solares Concentradores solares
Concentradores solares
 
DISEÑO, CONSTRUCCIÓN Y UTILIZACIÓN DE UN CONCENTRADOR SOLAR TIPO FRESNEL LINE...
DISEÑO, CONSTRUCCIÓN Y UTILIZACIÓN DE UN CONCENTRADOR SOLAR TIPO FRESNEL LINE...DISEÑO, CONSTRUCCIÓN Y UTILIZACIÓN DE UN CONCENTRADOR SOLAR TIPO FRESNEL LINE...
DISEÑO, CONSTRUCCIÓN Y UTILIZACIÓN DE UN CONCENTRADOR SOLAR TIPO FRESNEL LINE...
 
SIMULACIÓN DE UNA PLANTA TERMOSOLAR DE COLECTORES CILINDRO PARABÓLICOS
SIMULACIÓN DE UNA PLANTA TERMOSOLAR DE COLECTORES CILINDRO PARABÓLICOSSIMULACIÓN DE UNA PLANTA TERMOSOLAR DE COLECTORES CILINDRO PARABÓLICOS
SIMULACIÓN DE UNA PLANTA TERMOSOLAR DE COLECTORES CILINDRO PARABÓLICOS
 
Sistemas termo solares con concetración óptica
Sistemas termo solares con concetración ópticaSistemas termo solares con concetración óptica
Sistemas termo solares con concetración óptica
 
DISEÑO, CONSTRUCCIÓN Y EVALUACIÓN DE UN REFLECTOR SOLAR FRESNEL DE CONCENTRAC...
DISEÑO, CONSTRUCCIÓN Y EVALUACIÓN DE UN REFLECTOR SOLAR FRESNEL DE CONCENTRAC...DISEÑO, CONSTRUCCIÓN Y EVALUACIÓN DE UN REFLECTOR SOLAR FRESNEL DE CONCENTRAC...
DISEÑO, CONSTRUCCIÓN Y EVALUACIÓN DE UN REFLECTOR SOLAR FRESNEL DE CONCENTRAC...
 

Semelhante a Coletores solares (20)

02 energia solar_05_pr
02 energia solar_05_pr02 energia solar_05_pr
02 energia solar_05_pr
 
Energia solar 05
Energia solar 05Energia solar 05
Energia solar 05
 
Energia solar 04
Energia solar 04Energia solar 04
Energia solar 04
 
02 energia solar_04_pr
02 energia solar_04_pr02 energia solar_04_pr
02 energia solar_04_pr
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
 
10o B
10o B10o B
10o B
 
Aquecedor solar de Água
Aquecedor solar de ÁguaAquecedor solar de Água
Aquecedor solar de Água
 
Energia Solar.pptx
Energia Solar.pptxEnergia Solar.pptx
Energia Solar.pptx
 
Sol - 10º E
Sol - 10º ESol - 10º E
Sol - 10º E
 
energia solar e geotermia
energia solar e geotermiaenergia solar e geotermia
energia solar e geotermia
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
 
Energia Solar Powerpoint
Energia Solar PowerpointEnergia Solar Powerpoint
Energia Solar Powerpoint
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
 
Aquecedor Solar Orbis
Aquecedor Solar OrbisAquecedor Solar Orbis
Aquecedor Solar Orbis
 
Actividade Experimental Colector
Actividade Experimental ColectorActividade Experimental Colector
Actividade Experimental Colector
 
Energia Solar
Energia SolarEnergia Solar
Energia Solar
 
Energia Solar
Energia SolarEnergia Solar
Energia Solar
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
 
Orçamentação de projeto de inst. de sistema solar térmico
Orçamentação de projeto de inst. de sistema solar térmicoOrçamentação de projeto de inst. de sistema solar térmico
Orçamentação de projeto de inst. de sistema solar térmico
 

Último

ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx2m Assessoria
 
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)Alessandro Almeida
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPaulo Pagliusi, PhD, CISM
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx2m Assessoria
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAMarcio Venturelli
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiPaulo Pagliusi, PhD, CISM
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx2m Assessoria
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASMarcio Venturelli
 

Último (8)

ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
 
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
 

Coletores solares

  • 2. O que é um coletor solar?  Um coletor solar é um dispositivo capaz de transformar a radiação solar em energia térmica, através do aquecimento de um fluido (normalmente água), permitindo satisfazer entre 60% a 80% das necessidades de água quente de uma habitação.  No entanto, nem toda a radiação solar é aproveitada, como em qualquer corpo, também no coletor solar pode haver perdas de três formas: condução, convecção e radiação.
  • 3. Como funciona o coletor solar?  A radiação solar ao incidir na placa do coletor (feita de um material bom absorsor), vai aquecer os tubos onde circula a água. O calor existente nos tubos vai ser transferindo para a água, aquecendo-a.  Após a água estar quente, vai sendo acumulada nos reservatórios, que devem estar no interior das habitações, mas num nível superior aos coletores.  Normalmente, os tubos que constituem os coletores solares e o reservatório são feitos de cobre ou alumínio, pois estes são bons condutores de calor.  A utilização da energia solar para aquecer a água é feita através de colectores solares que recebem a radiação do sol, concentrando-a.
  • 4.
  • 5. Etapas do funcionamento do coletor (explicação da imagem anterior) 1. O reservatório é abastecido com água fria; 2. O reservatório abastece as placas com a água fria; 3. As placas absorvem o calor do sol e aquecem a água; 4. A água aquecida retorna ao reservatório e é armazenada; 5. O reservatório, como é térmico conserva a temperatura da água; 6. A água sai quente do boiler para o consumo.
  • 6. Qual a função de um coletor solar? O colector solar mais comum é o plano e destina-se a produção de água quente a temperaturas inferiores a 60 °C.
  • 7. Quais as aplicações dos coletores solares? O Coletor Solar pode aquecer água para piscinas, uso doméstico e até para uso industrial. Pode aquecer também o ar usado na secagem de produtos ou ambientes. A principal aplicação desta energia no mundo é o aquecimento de água para banhos.
  • 8. Vantagens e Desvantagens dos Coletores Solares Vantagens:  A energia Solar é uma energia não poluente;  O preço deste equipamento tem vindo a descer, tornando-o uma opção cada vez mais viável;  Poupa energia elétrica, na maior parte do tempo;  Estes equipamentos necessitam de pouca manutenção. Desvantagens:  Existe variação nas quantidades produzidas de acordo com a situação atmosférica Durante a noite não há aquecimento da água, levando assim ao seu arrefecimento; Em tempos de falta de Sol, a resistência elétrica poderá ter que ser utilizada, levando a um consumo muito elevado de eletricidade.
  • 10. Trabalho realizado por: Laura Santos Nº17 Luís Duarte Nº19 Matilde Gouveia Nº22 Rute Carina Nº 26 10º A2