O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Trabalhando Matemática nos Anos Iniciais II

2.151 visualizações

Publicada em

Trabalho realizado pela professora Clarice Brutes Stadtlober no Encontro de Formação Continuada "Alfabetização e Letramento"

  • Seja o primeiro a comentar

Trabalhando Matemática nos Anos Iniciais II

  1. 1. FORMAÇÃO CONTINUADA ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO DOS ALUNOS DO 1º AO 3º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL O TRATAMENTO DA INFORMAÇÃOProfessora Clarice Brutes Stadtlober
  2. 2. O TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO
  3. 3.  Com relação à estatística, a finalidade é fazer com que o aluno venha a construir procedimentos para coletar, organizar, comunicar e interpretar dados, utilizando tabelas, gráficos e representações que aparecem freqüentemente em seu dia-a-dia. Relativamente à combinatória, o objetivo é levar o aluno a lidar com situações-problema que envolvam o princípio multiplicativo da contagem, reconhecer que há várias possibilidades na construção de agrupamentos, tomando decisões em situações que envolvem mais de uma possibilidade.
  4. 4.  Com relação à probabilidade, a principal finalidade é a de que o aluno compreenda que grande parte dos acontecimentos do cotidiano são de natureza aleatória e é possível identificar prováveis resultados desses acontecimentos. As noções de acaso aparecem em eventos como os que envolvem lançamento de dados, resultados de loterias, etc.
  5. 5. Segundo Lopes e Coutinho (2009), o tratamento da informação é uma maneira de referenciarmos e compreendermos as informações que nos rodeiam, através de um estudo prático e da coleta de dados de situações da vida real. A coleta dos dados: fazendo escolhas Silva e Buriasco (2006, p.42), acreditam que esse pode ser um momento para que as questões éticas sejam pensadas, como, por exemplo, a confiança na própria capacidade de fazer escolhas, ter que respeitar a escolha dos colegas, o fato de influenciarem-se ou não pela resposta dos outros. 
  6. 6. A organização e a representação dos dadoscoletados Cabe aqui salientarmos que no ensinofundamental ocorre a introdução de um modo de“ler” uma informação que pode nos auxiliar natomada de decisões. Após a coleta de dados, apartir de uma situação do interesse dos alunos,torna-se necessário a organização e arepresentação dos dados coletados.   A análise dos resultados obtidos Lopes e Coutinho (2009, p.67), afirmam quea interpretação dos dados em uma análiseestatística é subjetiva, de acordo com o contexto. 
  7. 7.  Podemos trabalhar o tratamento da informação através de pesquisa de campo, construção de gráficos de barras, tabelas, recortes de jornais ou revistas, situações problemas,... Além disso, através de histórias como: “Fugindo das garras do gato”
  8. 8. ALGUMAS SUGESTÕES DE ROTEIRO DE TRABALHO:1) ESCOLHA DO ASSUNTO A SER PESQUISADO;2) ELABORAR UMA TABELA COM OS DADOS ABAIXO: MARCAS DE QUANTIDADE REFRIGERANTE DE PESSOAS COCA- COLA 50 PEPSI 30 GUARANÁ 40 FANTA 20 OUTROS 20 TOTAL
  9. 9. 3) CONSTRUIR OS GRÁFICOS DE BARRAS A PARTIR DA TABELA.
  10. 10. 5) CONSTRUIR OS GRÁFICOS DE SETORES UTILIZANDO EXCEL
  11. 11. INTERPRETAÇÃO DE DADOS EM TABELAS E GRÁFICOS , COLETADOS EM JORNAIS, REVISTAS OU SITES PROVA BRASIL Resolver problema envolvendo informações apresentadas em tabelas e/ou gráficos. Associar informações apresentadas em listas e/ou tabelas simples aos gráficosEx.: Com o objetivo de divulgar um dos seus produtos, determinada industria entrevistou 600 pessoas para saber qual era o veículo de informação era mais utilizado por elas. Dentre os entrevistados, 72 preferiram jornal, 276 rádio, 42 revista e 210 televisão. Construir uma tabela e gráficos a partir dos dados e interpretar os resultados.
  12. 12. Referências BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais – Matemática. Brasília: MEC/SEF, V. 3. 1997.  LOPES, Celi Espasandin; COUTINHO, Cileda de Queiros e Silva. Leitura e escrita em educação estatística. In: LOPES, Celi Espasandin; NACARATO, Adair M.(orgs.) Educação Matemática, leitura e escrita: armadilhas, utopias e realidades. Campinas, SP: Mercado de letras, 2009. SILVA, Márcia C. S.; BURIASCO, Regina L.C. de. Organizando informações: Uma questão de tratamento. Educação Matemática em Revista, SBEM, ano 13, nº. 20/21, p.39-46, dezembro de 2006.

×