Caderno de Leitura                   “A Cidade dos Resmungos”     Título: “A cidade dos resmungos”;     Autor: William J. ...
Enquanto os aldeões se riam o vendedor esticou umacordae amarrou-a entre dois postes e disse:     -Agora gostava que cada ...
mostrou que os aldeões deviam relativizar os seus problemas epartilhar as suas preocupações, apelando à interajuda.     Ap...
fogueira onde cantaram músicas que os faziam lembrar os seuspaíses.     Na manhã seguinte, os três astronautas depararam-s...
Caderno de Leitura     Título: “A Árvore”     Autor: Sophia de Mello Breyner Anderson     Editora: Figueirinhas13ª Edição ...
netos e assim perpetuamos o passado de um povo, de umacidade, de uma ilha e de uma cultura. A velha árvore era assimrecord...
comprimido. Quando acordaram verificaram que tinham mais de30 anos.     Eles continuaram a ser sugados por uma força estra...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Caderno de leitura

989 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
989
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Caderno de leitura

  1. 1. Caderno de Leitura “A Cidade dos Resmungos” Título: “A cidade dos resmungos”; Autor: William J. Bennett; Editora: Nova Fronteira; Data: 1996; Resumo: Era uma vez um lugar chamado “A Cidade dos resmungos”.Nesta cidade todas as pessoas resmungavam, resmungavam,resmungavam. Eles estavam sempre a resmungar com tudo ecom nada e todos tinham problemas. Todos tinham umproblema e todos achavam que alguém devia fazer alguma coisa. Um dia chegou à cidade um vendedor ambulante. Aoperceber toda aquela inquietação e choradeira, gritou: -Ó cidadãos deste belo lugar! Os campos estão abarrotadosde trigo, os pomares carregados de frutas… Depois de um longo discurso sobre aquele magnífico lugar,o vendedor disse que ia ajudar os cidadãos a serem felizes. Oshabitantes começaram-se a rir, pois o vendedor estava com asroupas todas remendadas e eles ao olharem para ele pensaram“Como é que alguém tão pobre nos pode ensinar a ser feliz?”.
  2. 2. Enquanto os aldeões se riam o vendedor esticou umacordae amarrou-a entre dois postes e disse: -Agora gostava que cada um de vocês escreva num papel adizer qual é que o vosso problema e depois ponha neste cesto;farei com que os vossos problemas se tornem em felicidade. A multidão assim o fez. Depois o mercador pendurou, nacorda, as mensagens e disse: -Agora cada um de vocês deve tirar desta linha mágica omenor problema que encontrar. No final, cada aldeão segurava o seu próprio problema quetinha colocado na “linha mágica”. Passagem preferida/frases:“Daí por diante, o povo daquelacidade deixou de resmungar constantemente. E sempre quealguém sentia o desejo de resmungar ou reclamar, pensava novendedor e a sua corda mágica.” Esta é a minha passagem preferida, pois as pessoas nuncase dão conta dos problemas dos outros, só querem é saber dassuas dificuldades. Conclusão: Em suma, ao longo da história os aldeõesaperceberam-se que nem sempre os seus problemas secomparavam ao das outras pessoas. Assim sendo, quando ovendedor apareceu na aldeia, conhecedor de diferentes culturase, por sua vez, em contacto permanente com diferentes pessoas
  3. 3. mostrou que os aldeões deviam relativizar os seus problemas epartilhar as suas preocupações, apelando à interajuda. Apreciação: “Os Três Astronautas” Título: “Os Três Astronautas” Autor:Umberto Eco e Eugini Cami Editora: Lisboa, Quetzal Editores Data: 1989 Resumo: Era uma vez três astronautas que iam de viagem a Marte.Eles eram de países diferentes; um era Inglês, outro russo e oterceiro era chinês; todos eles gostavam de cantar músicastradicionais dos seus países. Mas não simpatizavam uns com osoutros e com as respectivas melodias. Quando chegaram a Marte o inglês, o russo e o chinêsestavam muito assustados eeste sentimento foi manifestadopelos três astronautas, por isso, juntaram-se e acenderam uma
  4. 4. fogueira onde cantaram músicas que os faziam lembrar os seuspaíses. Na manhã seguinte, os três astronautas depararam-se comum extraterrestre. Em conjunto decidiram matá-lo para seprotegerem mas, de repente, um pássaro caiu de uma árvore e oextraterrestre agachou-se para socorre-lo, demonstrando a suacompaixão e solidariedade. Com este ato os astronautas perceberam que oextraterrestre apesar da suaaparência, não era mau. De volta à terra, os três companheiros compreenderam aimportância da comunicação, dos afetos e da interajuda. Passagem preferida/frases:“Era demasiado feio, e osterrestres pensavam que quem é feio também é mau”. Conclusão:A diferença que existe pode ser física, cultural ouaté mesmo religiosa, mas as emoções, os valores e a amizade sãoo que nos une e devemos valorizar. Apreciação:
  5. 5. Caderno de Leitura Título: “A Árvore” Autor: Sophia de Mello Breyner Anderson Editora: Figueirinhas13ª Edição Data: Setembro de 2002 Resumo: Este pequeno conto retrata a história de uma cidadejaponesa que tinha a maior árvore do mundo. Esta era tãogrande, tão grande que cobria a ilha onde os japoneseshabitavam. Um dia quando repararam que a árvore estava a crescerdemais, cortaram-lhe os ramos, fizeram fogueiras com eles ecom o tronco fabricaram uma barca. A barcanavegou ao longo de várias gerações, acabando porficar velho e sem utilidade. Em homenagem à tão preciosa árvore, os japoneses,optaram por construir um biwa (instrumentos típico do japão)com a madeira que restou da velha barca e, assim perpetuaram amemória desta gigantesca árvore. Frase preferida: “…porque os poemas passam de geraçãoem geração e são fiéisao seu povo.” Conclusão:A história do ser humano é feita de recordaçõese lembranças que são passadas de pais para filhos, de avós para
  6. 6. netos e assim perpetuamos o passado de um povo, de umacidade, de uma ilha e de uma cultura. A velha árvore era assimrecordada com saudade. Apreciação: “O Planeta Branco” Título: “OPlanetaBranco” Autor:Miguel Sousa Tavares Editora:Oficina do livro Data: 10ª edição: Janeiro, 2011 Resumo: Três astronautas navegam na Ítaca 3000 rumo a umplaneta onde existe água – Orizon S-3. A certo momento verifica-se que a nave se desvia do rumoprevisto e os astronautas não conseguiam repor a rota inicial.Como estavam desesperados, os astronautas tomaram um
  7. 7. comprimido. Quando acordaram verificaram que tinham mais de30 anos. Eles continuaram a ser sugados por uma força estranha quelhes sorveu até um Planeta Branco. Aí encontraram o guardião do Planeta que lhes informouque aquele era o lugar para onde os vivos que morriam iam,também acrescentou que as pessoas boas se iriam transformarem estrelas. À medida que, os cosmonautas se afastavam do PlanetaBranco, iam rejuvenescendo e também se iam esquecendodaquilo que tinha acontecido no Planeta Branco. Eles conseguiram recuperar a comunicação com a baseespacial do Sahara e receberam ordens para regressarem ao seumundo. Frase preferida: “Sempre fora assim a história do PlanetaTerra. A vontade de ir cada vez mais longe. De descobrir oindescoberto, de desvendar as trevas e vencer o medo.”. Conclusão: O Planeta Branco é um livro que retrata ahistória de três astronautas que seguiram o seu destino, ou seja,na procura de água, para salvar a Humanidade, mas esta missãoserá a mais difícil de todas pois partem para o território inimigo,o Universo. Apreciação:

×