Um estudo sobre a tradução novo mundo

344 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
344
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
32
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Um estudo sobre a tradução novo mundo

  1. 1. HOME > SEITAS E HERESIAS > TESTEMUNHAS DE JEOVÁ Um estudo sobre a "Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas" Por: Rev. Jack Howell Tradução: Emerson de Oliveira Em 1954, a Watchtower (sede das Testemunhas de Jeová no Brooklin, Nova Iorque), começou o trabalho de uma versão moderna da Bíblia que apoiasse a doutrina deles. A razão para esta versão é óbvia: as Testemunhas estavam tendo sérios problemas que demonstravam suas posições doutrinais quando usavam a versão da Bíblia King James. Assim, o presidente da Sociedade, Nathan H. Knorr, ordenou ao vice-presidente Frederick W. Franz que reunisse um novo comitê de tradução que consistiria de membros do Corpo Governante: Nathan H. Knorr, Frederick W. Franz, Alberto D. Schroeder, Ceorge D. Gangas e Milton Henschel. Os membros deste comitê da Tradução do Novo Mundo haviam permanecido durante anos no anonimato sob a alegação "de não buscarem elogios para eles e só honrarem o Autor Divino das Sagradas Escrituras" (Entendimento das Escrituras, 1985, primera edição, página 277). No entanto, quando se examinha a TNM e a compara com o texto original, ou com outras versões bíblicas que são fiéis ao original, vemos que os autores decidiram ficar anônimos porque não tinham nenhuma instrução adequada para traduzir a Bíblia. Frederick W. Franz só tinha um curso de duas horas de grego koiné! Agora vamos examinar as perversões da TNM. Usaremos a edição da TNM de 1984. Compare os versículos desta bíblia com a Bíblia de Jerusalém, Vulgata ou a Almeida. Mt. 3:3: "Preparai o caminho de Jeová." Neste versículo vemos que eles tentam dizer que João Batista está preparando o caminho para Jeová, enquanto que a referência é preparar as pessoas para Cristo (veja Mt. 3:11; Jo.1:15; 3:28-30; Is. 40:3; Ml. 3:1). At. 2:21: "e todo aquele que invocar o nome de Jeová será salvo" Eles dizem que quem invocar o nome de Jeová será salvo, só que o apóstolo Pedro predisse que o Senhor (v. 21) é Cristo (v. 36) e que todos os homens poderiam ser salvos chamando Seu Nome (v. 38; também veja At. 22:16). O Nome que devemos chamar para a salvação não é Jeová, mas Jesus Cristo, que é o nome do Senhor (At. 4:12). Rm. 14:8-12: "pois quer vivamos, vivemos para Jeová, quer morramos, morremos para Jeová. Portanto, quer vivamos quer morramos, pertencemos a Jeová. Pois para este fim morreu Cristo e passou a viver novamente, para que fosse Senhor tanto sobre mortos como [sobre] viventes. Mas por que julgas tu o teu irmão? Ou, por que menosprezas também o teu irmão? Porque nós todos ficaremos postados diante da cadeira de juiz de Deus; pois está escrito: 'Por minha vida', diz Jeová, 'todo joelho se dobrará diante de mim e toda língua reconhecerá abertamente a Deus'. Assim, pois, cada um de nós preste contas de si mesmo a Deus." Aqui vemos que o comitê da TNM cometeu um dos maiores erros cardeais deste texto. Primeiro, no v.8 eles traduzem o grego kyrios (Senhor) como "Jeová", quando o v.9 diz que Cristo é o Senhor que morreu e ressucitou. Assim, eles ignoram o contexto e traduzem mal kyrios como "Jeová". Segundo, nos vv.10-12, eles dizem que "Jeová" (mesmo que no original se diga kyrios) é nosso juiz, quando a Bíblia claramente revela que Jesus Cristo será nosso único Juiz (Jo.8:22; 12:48; Tg. 4:12), que nós (cristãos) estaremos de pé diante do tribunal de Cristo - que é Deus (2 Cor. 5:10); e que diante de Cristo todo joelho se dobrará (Fl. 2:10). ICo. 10:21: "Não podeis estar bebendo o copo de Jeová e o copo de demônios" O versículos não deixam nenhuma dúvida que "o copo do Senhor" (kyrios) se refere a comunhão de Cristo (ICo.10:16; Mt. 26:27). Cl. 3:13: "Se alguém tiver razão para queixa contra outro. Assim como Jeová vos perdoou liberalmente, vós também o fazei" De novo a palavra que eles deram, "Jeová", é a palavra grega kyrios (Senhor) e não há dúvida que o Senhor
  2. 2. que perdoou seus pecados era Cristo. De fato, muitos manuscritos antigos leram "Christos" aqui e não "kyrios". Veja a nota de JFB. Além disso, o contexto do livro de Colossenses fala do perdão que temos em Cristo, pois está claro que Jesus e não Jeová, é quem Paulo está falando aqui. IITs.2:1: "No entanto, irmãos, com respeito á presença de nosso Senhor Jesus Cristo e de sermos ajuntados a ele, solicitamos-vos que não sejais depressa demovidos de vossa razão, nem fiqueis provocados, quer por uma expressão inspirada, quer por intermédio duma mensagem verbal, quer por uma carta, como se fosse de nossa parte, no sentido de que o dia de Jeová está aqui" Isto é um absurdo! Aqui o comitê de tradução da TNM se contradisse num espaço de dois versículos! O v. 1 simplesmente declara que quem está vindo é Cristo o Senhor e não o Pai (Jeová)! [N.doT.: a BJr traduz parusia como Vinda. Se refere a Segunda Vinda de Cristo] DEBATE DO REV. JACK HOWELL COM BLACKNIGHT101 (UMA TJ) As questões de Backnight101 estão em vermelho. As respostas do rev. Jack Howell estão em preto. 1 - Como você sabe se os tradutores da Tradução do Novo Mundo eram fracos em línguas bíblicas? Investigue em seu fundo escolástico; veja só. Todos que temos investigado seu fundo escolástico temos proposto os mesmos resultados. Não há nenhum treinamento em hebraico ou grego, por conseguinte, não são qualificados para fazer os comentários que fazem. Sugiro que você está recebendo um desonesto ensino escolástico da Watchtower. 2. Não foram eles que fizeram a TNM do jeito que é, foi o Comitê de tradução da Tradução do Novo Mundo que fez isso. Os membros do Corpo Governante compreenderam o Comitê de tradução da TNM, encabeçado por Frederick W. Franz , que não tinha nenhuma qualificação de hebraico ou grego koiné, salvo um curso de uma hora, que não qualifica ninguém como estudioso do grego nem qualifica ninguém para trabalhar num "comitê de tradução" para traduzir o texto grego! 3. Você não me deu nenhuma prova que a TNM é um "exemplo de má tradução grega". Ficarei feliz em lhe mostrar abundante material. Veja só alguns exemplos: Cl.1:15-17 - a palavra "outras" é inserida 4 vezes aqui. Não estão no original grego. Estes versículos descrevem Jesus como o Criador de todas as coisas. Já que a Watchtower crê que Jesus foi criado, inseriram a palavra "outras" para mostrar que Jesus foi criado antes de todas as "outras" coisas, implicando que Ele se cria. 1. - Há duas palavras gregas para "outras": heteros, e allos. A primeira significa outro de um tipo diferente e a segunda significa outro do mesmo tipo. Nenhuma das duas aparece nestes versículos. As TJ mudaram a Bíblia para se encaixar em sua teologia aberrante. Zc.12:10 - neste versículo Deus está falando e diz: "E sobre a casa de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém derramarei o espírito da graça e de súplicas; olharão para Mim a quem traspassaram; pranteá-lo-ão como quem pranteia por um unigênito e chorarão por ele como se chora amargamente pelo primogênito" 1. - As TJ mudam a palavra "Mim" para "Aquele", para que sua Bíblia diga: "...eles olharão para Aquele a
  3. 3. quem transpassaram" 2. - Já que as TJ negam que Jesus é Deus em carne, então Zc. 12.10 lhes daria grandes problemas - por isso o mudaram. Jo. 1:1 - Eles traduzem mal o versículo como "um deus". De novo, por não crerem que Jesus é Deus, mudam a Bíblia para ficar de acordo com sua teologia. A versão deles diz "No princípio era a Palavra e a Palavra estava com Deus e a Palavra era um deus". Heb. 1:6 - Neste versículo eles traduzem a palavra grega para "adoração" (proskuneo) como "prestar homenagem". A homenagem é uma palavra que significa honrar, mostrar respeito, inclusive se ajoelhar diante de alguém. Já que eles não aceitam Jesus ser Deus, toda vez que proskuneo é para Jesus eles traduzem como "prestar homenagem". Toda vez que fala de Deus, eles traduzem como "adorar". Veja Mt. 2:2,11; 14:33; 28:9. Heb. 1:8 - Este versículo é onde Deus Pai chama Jesus de Deus: "mas acerca do Filho: O teu trono, ó Deus, é para todo o sempre e: Cetro de eqüidade é o cetro do seu reino". Já que os TJ ficariam em apuros com este versículo, eles o mudaram para "...Deus é o teu trono...". O problema com a tradução dos TJ é que este versículo é uma citação do Sl.45.6 que, em hebraico, só pode ser traduzido como "teu trono, ó Deus...". Para justificar sua tradução eles também mudaram o versículo do salmo. A Tradução do Novo Mundo não é uma boa tradução. Mudou o texto para satisfazer sua própria teologia. A TNM não é a única Bíblia que traduziu Jo.1.1 daquela maneira, você sabia? Estas outras traduções não são o tema desta discussão. No entanto, sabe-se que quem fez essas outras traduções não eram estudiosos gregos competentes. Por ex., a Watchtower publica e cita a Enfática Diaglótica, de Bejamin Wilson (que eu tenho). Wilson não era estudioso de grego e só tinha um fraco conhecimento de grego autodidata. Sua Enfática Diaglótica não é reconhecida em nenhuma parte como tradução erudita. A Watchtower também cita a tradução de James Moffatt (que eu também tenho) e que os estudiosos gregos classificam como má tradução. Moffatt altera a ordem dos versículos dos Testamentos, repetindo o Velho e o para conformar com suas idéias de como eles devem aparecer. No artigo da Watchtower que você citou, eu notei que ao citar a regra de Colwell, eles omitiram uma importante parte do que ele disse e que "um predicado nominal que precede o verbo não pode ser traduzido como um substantivo indefinido ou 'qualitativo' só porque não tem o artigo". Isto significa que Moffatt e os outros que você citou erram em sua tradução de Jo.1.1 e traduzem mal o texto grego. E como você descobriu tudo isso? Você só leu o que outros escreveram contra minha religião. Você simplesmente leu um livro de alguém que disse ter pesquisado tudo sobre os membros do Corpo Governante e acreditou nisso! Então apresentou tudo como um fato. Você faz acusações infundadas a cada parágrafo. Você não me conhece e não sabe que meu ministério trabalha com seitas como a sua. Você só tem 16 anos e não sabe do que está falando, meu filho. Você nem mesmo sabe a história real de seu grupo; só sabe o que eles lhe dizem e eles também proíbem que faça pesquisa sobre eles porque sabem que se fizerem isso, muitos vão sair da seita. Eu lhe desafiei antes para pequisar de bona fide a Watchtower e você fracassou, porque teme a verdade. De onde tirou essa idéia que Franz fazia parte do grupo? Todos os membros do comitê de tradução foram anônimos. Você só leu isso de outro livro mentiroso! Frederick W. Franz foi presidente da Watchtower até sua morte, a alguns anos. Franz também foi a cabeça do comitê de tradução da TNM estabelecido pelo presidente Nathan H. Knorr, que lhe propôs uma "tradução" da Bíblia que apoiasse a doutrina da Torre de Vigia. Apesar do Corpo Governante (CG) ter ficado anônimo efeito de arquivo, seus nomes são de fato, uma matéria de registro público devido ao fato deles serem uma corporação. Gostaria de saber seus nomes? Ficarei contente em mostrar. Estes são os nomes do "comitê de
  4. 4. tradução". Os homens que compreenderam este comitê não tinham nenhuma formação para agir como tradutores. O comitê de tradução foi encabeçado por (então vice-presidente das Testemunhas) Frederick W.Franz. Outros membros foram Nathan H. Knorr (o presidente), Albert D.Schroeder, Ceorge D. Gangas e Milton Henschel. Vamos ver um fato que ocorreu com Frederick W. Franz num tribunal judicial: Durante um julgamento ocorrido na Escócia em 1954 (durante o mesmo tempo que se estava fazendo a TNM), perguntaram a Franz se ele conhecia o hebraico. Respondeu "sim". Também reconheceu sob juramento que podia ler e escrever a Bíblia em hebraico, grego, latim, espanhol, português, alemão e francês. No dia seguinte, durante o mesmo julgamento, puseram à prova suas habilidades lingüísticas. Pediram-lhe que traduzisse Gn.2.4 em hebraico. Ele não conseguiu. De fato, nem tentou, mas disse: "não, não vou tentar fazer isso". (veja, Court of Session, Scotland - Douglas Walsh vs. The Right Honourable James Latham Clyde- el 1954 de noviembre.) Você só compara essas leituras de outras traduções dizendo como diferem em sua redação. Mas não mostrou nenhuma prova de que houve má tradução. A tradução a que a TNM foi comparada por mim é muito respeitada pelos estudiosos gregos e hebraicos como uma das maiores, senão a mais exata em inglês. Por que, então, não devo usá-la? Me parece que você está fugindo da raia. A TNM é uma tradução erudita? Para responder a isto a Torre de Vigia tem levado seus leitores a crerem que, apesar de não conhecerem seus tradutores, a tradução ainda assim é boa. Não é não. O Comitê de tradução é culpado de inventar uma gramática grega inexistente (seguindo estas regras para favorecer sua teologia) e inserindo palavras nas Escrituras mudando o significado da Palavra de Deus. A edição da Tradução Interlinear do Reino das Escrituras Gregas (TIR) de 1985 diz para seus leitores os objetivos dos tradutores. Eles dizem: "Não oferecemos nenhuma paráfrase das Escrituras. Nosso esforço foi dar uma tradução tão literal quanto possível e esclarecer a leitura quando esta é muito misteriosa. Interpretamos a Bíblia dentro do contexto" (pp. 9-10, 1985 ed.; pg. 10, 1969 ed.). No entanto, segundo essas declarações, o Comitê falhou terrivelmente. Segundo o primeiro ponto "não oferecemos nenhuma paráfrase das Escrituras", é só examinarmos a leitura na TNM de Jo. 15:4,5; Jo. 17:26; Gl. 1:16; Rm. 8:10; Cl. 1:27 e ICo. 13:5 para ver que o Comitê de tradução tem parafraseado as Escrituras para negar a ligação de Cristo no crente. Cada um dos versículos mencionados fala de Cristo vivendo dentro do cristão ("nele" ou "em você"). Todavia, eles pararasearam estes versículos na TNM para ler: "em união com Ele". Com respeito ao segundo ponto "Nosso esforço foi dar uma tradução tão literal quando possível", também falhou. Um exame de Cl. 1:16, 17 e Fl. 2:9 demonstra pelas palavras que o Comitê não apresentou "uma tradução tão literal quando possível". Em ambos os versículos eles incluem a palavra "outras" (Cristo criou todas as "outras" coisas, significando que Ele também é uma criatura, um ser criado). Assim encontramos os atributos divinos do Senhor Jesus Cristo alterados, deixando de falar que Ele é o criador de todas as coisas e que Ele possui um Nome que é sobre todo
  5. 5. o nome. Finalmente, o terceiro ponto "esclarecer a leitura quando esta é muito misteriosa. Interpretamos a Bíblia dentro do contexto", também foi por água abaixo. O Comitê de tradução fez sua teologia reger a tradução. Em Mt. 25:46, IIPd.2:9 e At. 4:21, vemos a palavra grega kolaoontai, que se refere ao castigo. No entanto, como a Torre de Vigia nega o ensino do castigo eterno, eles alteram as duas passagens, de Mateus e II Pedro, traduzindo "castigo" como "decepamento". Só que em Atos a mesma palavra (kolaoontai) aparecee eles traduzem como "castigo". Já que a TIR (ou KIT, em inglês) dá a tradução literal do grego-inglês e o texto da TNM entre as linhas, sugerimos que se veja esta tradução para as citações acima. Por que o nome de "Jeová" é usado nas Escrituras Gregas Cristãs? A Torre de Vigia leva seus seguidores a crerem que sua tradução também é superior por restaurar o nome divino de Jeová (Yahweh) na Bíblia. O livro "O Nome Divino que Durará Para Sempre" diz que uma igreja cristã apóstata tirou o nome divino e colocou "Senhor" em seu lugar. No entanto, eles tem baseado esta idéia, em parte, de um artigo publicado pelo prof. George Howard em março de1978 na Revista de Arqueologia Bíblica. Só que os TJ nunca perguntaram se as idéias de Howard são apoiadas pela evidência. Esta questão foi dirigida pelo Dr. Alberto Pietersma da Universidade de Toronto. Escrevendo em De Sepuaginta, uma coleção de artigos eruditos, por experts na Septuaginta, Piertersma estuda cuidadosamente o uso dos três mais velhos manuscritos do AT. Ele deduz que a teoria de Howard é falsa. Mais adiante no livro TJ "Entendimento das Escrituras" vemos: "o nome divino aparece em traduções das Escrituras Gregas Cristãs em hebraico, em passagens onde se fazem citações diretamente das Escrituras Hebraicas inspiradas". Isto é só uma citação do livro deles "Restaurando o Nome Divino", conceito visto na concordância do TIR (pp. 10ff). O Comitê partiu da proposição que um tradutor moderno possa traduzir as palavras gregas kyrios e theos como o nome divino Jeová (Yahweh), quando os escritores cristãos inspirados citam o nome divino onde aparece no hebraico. Infelizmento, mais uma vez o Comitê seguiu esta regra só quando não contradiz sua teologia. Fl. 2:10,11 dá um bom exemplo. A Escritura é clara em dizer que um dia todo joelho se dobrará e toda língua confessará que "Jesus é Senhor". No entanto, a passagem que Filipenses cita vem de Is. 45:23 que fala que é a Jeová que todo joelho se dobrará. Portanto, baseado na própria regra de tradução da Torre de Vigia, o Senhor falado em Filipenses é Jeová. Mas note que a edição da TNM de 1950 diziam que esta citação de Filipenses vinha de Is. 45:23. Os numerosos estudiosos competentes em línguas bíblicas condenaram a TNM como uma distorção da Palavra de Deus. Por exemplo, veja The Bible Collector (dezembro, 1971), onde dedicam três artigos analisando a TNM. Assim foi demonstrado que a Torre de Vigia tem, por suas próprias normas, provado que sua tradução da Bíblia é falsa. Aqueles que desejam uma excelente tradução podem optar pela Bíblia de Jerusalém ou a Almeida para escapar das falsidades da TNM. VOLTA

×