Pedrinho e o saci - Monteiro Lobato

4.477 visualizações

Publicada em

Projeto de leitura Literária descartolada do Imaginário
Laboratório de Informática - Jalda
Biblioteca - Maria José
E. M. Brigadeiro Eduardo Gomes

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.477
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
30
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pedrinho e o saci - Monteiro Lobato

  1. 1. Plano de aula;Plano de aula;Período: - Turmas: 3º A e BPeríodo: - Turmas: 3º A e BProfessoras: Jalda e Maria JoséProfessoras: Jalda e Maria JoséProjeto de leitura: A leitura literária descartolada do imaginário.(Uma parceria da sala de leitura e laboratório de informática)Autor: José Bento Monteiro LobatoTítulo: Narizinho ArrebitadoObjetivos:- Despertar no aluno o gosto pela leitura;- Intensificar a prática pedagógica de produção escrita;- Desenvolver o hábito do uso do computador e a internet paraestudar e aprender;- Conhecer ferramentas digitais que estimulam o desenvolvimento daleitura e da escrita;- Apreender a técnica de preparação de slides no Impress – Broffice.Conteúdos:- Leitura e releitura- Escrita e digitação.-Produção de roteiro;- Formatação de slides ;Metodologia: desenvolvida no primeiro trimestre:1- Leitura do título na sala de leitura;2- Digitalização da obra;3- Inserir as imagens no impress;4- Digitar nas páginas da apresentação, correção;6 – Fazer a dedicatória7- Fazer a ficha de leitura;8- Inserir imagens de arquivos do computador nas oficinas;9- Formatação da história original;9- Apresentação dos trabalhos.Avaliação:Será feita de forma processual e contínua observando odesempenho e aquisição de habilidades e competências propostaspara digitalizar, recriar um texto, formatar slides e digitar e gravarvoz.
  2. 2. E. M. BRIG. EDUARDO GOMESE. M. BRIG. EDUARDO GOMESLABORATÓRIO DE INFORMÁTICALABORATÓRIO DE INFORMÁTICAPROFESSORA REGENTE: JALDAPROFESSORA REGENTE: JALDALIVRO VIRTUAL DO 3º ANO A e BLIVRO VIRTUAL DO 3º ANO A e B
  3. 3. Estudo realizado com as turmasde 1º, 2º e 3º Ano A e BLeitura, releitura e produção
  4. 4. Fichamento da história
  5. 5. 3º Ano A3º Ano AAriely Vitória França dos SantosAriely Vitória França dos SantosBruno Nobre de AraújoBruno Nobre de AraújoCaliene Vitória da Silva AraújoCaliene Vitória da Silva AraújoCarlos André da Silva JúniorCarlos André da Silva JúniorCláudio Roberto Targino de MedeirosCláudio Roberto Targino de MedeirosCleyton Joseph Barros FerreiraCleyton Joseph Barros FerreiraEric Guilherme da Silva AraújoEric Guilherme da Silva AraújoEunice Silva BarbosaEunice Silva BarbosaCelso Gevezier filhoCelso Gevezier filhoHugo Eurípedes Felix FirminoHugo Eurípedes Felix FirminoIzaias Rodrigues AlvesIzaias Rodrigues AlvesJamile da Silva CostaJamile da Silva CostaJamyle Caroline Barros FerreiraJamyle Caroline Barros FerreiraJoão Guilherme Fonseca TarquinoJoão Guilherme Fonseca TarquinoLetícia Souza FrançaLetícia Souza FrançaMaria Eduarda Oliveira da SilvaMaria Eduarda Oliveira da SilvaMariana Heloisa Souza da SilvaMariana Heloisa Souza da SilvaMunir Dias BousquetMunir Dias BousquetRamon Clemente BarbosaRamon Clemente BarbosaRaquel Martiniano Felix PiresRaquel Martiniano Felix PiresSamuel da Silva RodriguesSamuel da Silva RodriguesTatiane Lepolucena Tomaz doTatiane Lepolucena Tomaz doNascimentoNascimentoThiago Alexandre Pinheiro de MacedoThiago Alexandre Pinheiro de MacedoVictor Manuel Perônico BarreiroVictor Manuel Perônico BarreiroYuri Arcanjo do NascimentoYuri Arcanjo do Nascimento
  6. 6. 3º Ano B3º Ano BAriely Vitória França dosSantosBruno Nobre de AraújoCaliene Vitória da Silva AraújoCarlos André da Silva JúniorCláudio Roberto Targino deMedeirosCleyton Joseph BarrosFerreiraEric Guilherme da SilvaAraújoEunice Silva BarbosaCelso Gevezier filhoHugo Eurípedes Felix FirminoIzaias Rodrigues AlvesJamile da Silva CostaJamyle Caroline BarrosFerreiraJoão Guilherme FonsecaTarquinoLetícia Souza FrançaMaria Eduarda Oliveira daSilvaMariana Heloisa Souza daSilvaMunir Dias BousquetRamon Clemente BarbosaRaquel Martiniano Felix PiresSamuel da Silva RodriguesTatiane Lepolucena Tomaz doNascimentoThiago Alexandre Pinheiro deMacedoVictor Manuel PerônicoBarreiroYuri Arcanjo do Nascimento
  7. 7. Sem acreditar na existênciade Sacis, Pedrinho Procurou tio Barnabé.Só acredito que existe Saci se eu conseguirpegar um deles. E quero que o senhorme ajude.-
  8. 8. Tio Barnabé rui da valentia de Pedrinho.- Ah ah ah ah! Você é mesmo neto do Senhor Velho.Ele não tinha medo de mula - sem - cabeça.Mas, há muitas maneiras de pegar Saci.A mais eficiente é com uma peneira. -
  9. 9. Tio Barnabé - Uma peneira de cruzeta! -Pedrinho – Peneira de cruzeta?O que é isso? -Tio Barnabé – Olhe aqui uma.Tem duas Taquaras ( duas palhas maislargas no centro) que se cruzam e reforçama peneira. -
  10. 10. Continuou Tio Barnabé – Com uma peneira destasnum dia de vento bem forte que trazem redemoinhode poeira e folhas secas. Você se aproxima doredemoinho e joga a peneira em cima,fazer redemoinhos é o trabalho Sacis. -
  11. 11. Pedrinho – E depois tio Barnabé?Tio Barnabé – Depois é só pegaro Saci e colocá-lo numa garrafa etampá-la bem, riscar uma cruz na rolha,pois é ela que prende o Saci dentro dagarrafa. AH! Tire a carapucinha que eleperde seus poderes.
  12. 12. Pedrinho – Estou pasmo!Tio Barnabé – Não acredita? Eu já tiveum saci na garrafa. Ele me ajudava bastante!Mas, a molequinha de compadre Bastiãoquebrou a garrafinha, mais que depressa osaci pegou a carapuça no torno e foi embora. -
  13. 13. Pedrinho – Tio Barnabé vou agora mesmopreparar as coisas para pegar o saci. -Pedrino: - Vamos arranjar uma peneirade cruzeta e no dia de São Bartolomeu,que venta mais durante o anopara pegá-lo!-Pedrinho – Narizinho vamos pegarum saci?Tio Barnabé me ensinoucomo aprisioná-lonuma garrafinha!
  14. 14. Em pouco tempo formou-se umredemoinho no pasto.Narizinho – Prepare-se Pedrinho.Esse redemoinho vem com saci e tudo!Narizinho – proposta aceita, massó acredito vendo!Vamos para o terreiro esperaros ventos fortes!Pedrinho – Vamos!Vamos pegar o saci! Oba!
  15. 15. Chegado o dia dos ventos...Pedrinho aproximou devagar e.... jogouRapidamente a peneira.Pedrinho grita emocionado – Peguei o saci!Peguei o saci!Ajude-me narizinho. Traga aquelagarrafa preta … depressa!
  16. 16. Narizinho – Está aqui Pedrinho!Pedrinho – Empurre a garrafa paradebaixo da peneira com cuidadopara o saci não fugir!Narizinho – Pronto. Consegui Pedrinho!Pedrinho – Ótimo. Agora pegue a rolhacom uma cruz riscada no meu bolso.Isso. Dê-me aqui!
  17. 17. Narizinho – Será que o saci entroumesmo na Garrafa, Pedrinho?-Pedrinho – Entrou. Porque os filhosdas trevas, naturalmente, procuramlugares escuros.Vou levantar a peneira e tampara garrafa. -
  18. 18. Pedrinho – Cadê o saci? Ele não está aqui!Narizinho – UUUUUUU. Eu não disse que issoera piada?-Pedrinho – Não é não! Vou falar com tio Barnabéde novo. Contar-lhe o que aconteceu e saberonde nós falhamos durante a operação.-
  19. 19. Pedrinho – tio Barnabé, acho que nãodeu certo o saci não entrou na garrafa!-Tio Barnabé – Não tem nada errado!Ele está aí, mas a gente só vê o saci quandoestamos com muito sono. Os nossosolhos começam a piscar e o saci vai surgindodentro da garrafa e a gente faz o que quisercom ele. Cuidado não destampe a garrafa,se você abrir a boca da garrafa ele foge. -
  20. 20. Pedrinho volta contente para casa.Pedrinho - Narizinho o saci está aquidentro desta garrafa, mas para a gentever o capetinha é preciso cairmosnuma grande sonolência.
  21. 21. Pedrinho – Vovó, vou visitar tio Barnabé -NARRADOR - Mas Pedrinho enganouDona Benta e foi para a mata virgem deseus sonhos.Pedrinho – não vou levar meu bodoqueo saci na garrafa é uma arma tipo canhão,tipo Metralhadora... -Dizendo isso parou para descansar a beirado rio de águas muito limpas.
  22. 22. O menino começou a pensar em coisasque jamais pensara antes. Estavatotalmente relaxado.De repente viu o saci acenandopara ela na garrafa.Pedrinho – o que você quer saci?Saci – Oi, Pedrinho! É preciso que vocêsaiba que este lugar é o mais perigosoda floresta. Se anoitecer e você aindaestiver aqui, adeus.Pedrinho espantou-se.
  23. 23. Pedrinho - Por quê? AHHHH! Estou com medo!-Saci – Aqui neste local estamos no coração dafloresta. É aqui que se reúnem os sacis,lobisomens, bruxas, caiporas e até amula - sem – cabeça. Sem meu socorro vocêestará perdido porque não dá mais tempo devoltar para casa, nem você sabe o caminho de volta.Te darei o meu auxílio, sob uma condição...Pedrinho – Que condição seu espertinho?Ah, já sei! Quer sua carapuça de volta, né?
  24. 24. Saci - Isso mesmo quero a minha carapuça ecom ela a minha liberdade! É pegar ou largar!Aceita?-Pedrinho – E eu tenho escolha?-Saci – Não tem, é pegar ou largar. -Pedrinho – Eu não queria te perder.Foi difícil demais te capturar. Se nãotenho escolha, prometo quando melevares de volta para a casa de DonaBenta no sítio do Pica Pau amarelo,São e salvo, eu te liberto.
  25. 25. Visconde - E assim,Pedrinho Conseguiuver o saci preso na garrafa,mas viu também que a liberdade é algoInerente a todas aspessoas, até para o Saci.
  26. 26. Pedrinho ouviu muitas históriassobre o sacie ficou curioso com aúltima em que era possível capturarum saci e prendê-lo dentro deuma garrafa. Pediu as informaçõesa Tio Barnabé que lhe ensinou comocapturar um saci e deu tudo certo.Pedrinho conseguiu capturar osaci e prendê-lo numagarrafa. Mas, não foi espertoo suficiente para mantê-lo,o saci foi mais espertoque Pedrinho.
  27. 27. E. M. Brig. Eduardo GomesTrabalho realizado no laboratório deInforma – Prof.ª JaldaPara as turmas do 3º A e BParnamirim – rnMaio de 2013

×