Uma das características lamentáveis do ser humano, fruto de sua
imaturidade, é a tendência ao acomodamento, e o hábito de ...
Mas olhando pelo lado da justiça, fica evidente que na Lei de Deus não
existem exceções à regra, e que diante do Pai não e...
Vejamos um exemplo que deixa isso bem claro:
Narra-se que um sábio caminhava com os discípulos por uma estrada
tortuosa, q...
Sem perturbar-se, o nobre professor respondeu: Aquele que orava, aguardava
que Deus viesse fazer a tarefa que a ele compet...
Isso, no fundo, equivale a dizer que as leis Divinas estão, invariavelmente,
prontas a efetuarem o máximo em nosso favor. ...
Muitos, pedem, buscam e encontram, devido a predisposição pelo serviço
edificante. E têm novas oportunidades porque conced...
Muita Paz!
Meu Blog: http://espiritual-espiritual.blogspot.com.br
Com estudos comentados de O Livro dos Espíritos e de O E...
Ajuda te que o céu te ajudará
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ajuda te que o céu te ajudará

238 visualizações

Publicada em

Mensagem espírita

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
238
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ajuda te que o céu te ajudará

  1. 1. Uma das características lamentáveis do ser humano, fruto de sua imaturidade, é a tendência ao acomodamento, e o hábito de pedir, muitas vezes, gera naquele que o utiliza a falsa ideia de que poderá ser atendido, sem que para isso faça alguma coisa, sem que para isso exista o mérito adequado. De conformidade com esta máxima: Ajuda-te, que o Céu te ajudará, as mais das vezes, o que o homem quer é ser ajudado por milagre, sem dispender o mínimo esforço. Sob o ponto de vista terreno, a máxima: Buscai e achareis é análoga a esta outra: ajuda-te a ti mesmo, que o céu te ajudará. É o princípio da lei do trabalho e, por conseguinte, da lei do progresso, porquanto o progresso é filho do trabalho, visto que, este põe em ação as forças da inteligência.
  2. 2. Mas olhando pelo lado da justiça, fica evidente que na Lei de Deus não existem exceções à regra, e que diante do Pai não existem privilégios. Aquele que pede obtém, desde que caminhe no sentido de ter condições adequadas para poder ser atendido. Há que se construir um caminho que permitirá usufruir de fato aquilo que pretende obter. Quando não existe valor percebido naquilo que recebemos, não somos capazes de tornar aquele bem útil para nossa vida e, logo adiante, estaremos perdendo a oportunidade de utilizá-lo. E, é isto exatamente o que ocorre quando aquilo que é dado não provém da conquista, do trabalho ou do esforço, que justifique e torne meritório o ato de receber.
  3. 3. Vejamos um exemplo que deixa isso bem claro: Narra-se que um sábio caminhava com os discípulos por uma estrada tortuosa, quando encontraram um homem piedoso que, ajoelhado, rogava a Deus que o auxiliasse a tirar seu carro do atoleiro. Todos olharam o devoto, sensibilizaram-se e prosseguiram. Alguns quilômetros à frente, havia um outro homem que tinha, igualmente, o carro atolado num lodaçal. Esse, porém, esbravejava reclamando, mas tentava com todo empenho liberar o veículo. Comovido, o sábio propôs aos discípulos ajudá-lo. Reuniram todas as forças e conseguiram retirar o transporte do atoleiro. Após os agradecimentos, o viajante se foi feliz. Os aprendizes surpresos, indagaram ao mestre: Senhor, o primeiro homem orava, era piedoso e não o ajudamos. Este, que era rebelde e até praguejava, recebeu nosso apoio. Por quê?
  4. 4. Sem perturbar-se, o nobre professor respondeu: Aquele que orava, aguardava que Deus viesse fazer a tarefa que a ele competia. O outro, embora desesperado por ignorância, empenhava-se, merecendo auxílio. Muitos de nós costumamos agir como o primeiro viajante. Diante das dificuldades, que nos parecem insolúveis, acomodamo-nos, esperando que Deus faça a parte que nos cabe para a solução do problema. Nós podemos e devemos empregar esforços para melhorar a situação em que nos encontramos. Há pessoas que desejam ver os obstáculos retirados do caminho por mãos invisíveis, esquecidas de que esses obstáculos, em sua maioria, foram ali colocados por nós mesmos, cabendo-nos agora, a responsabilidade de retirá-los.
  5. 5. Isso, no fundo, equivale a dizer que as leis Divinas estão, invariavelmente, prontas a efetuarem o máximo em nosso favor. Entretanto, nada farão por nós, se não dermos de nós pelo menos o mínimo. Não basta pedir ajuda a Deus, é preciso buscar, conforme o ensino de Jesus: Buscai e achareis, batei e abrir- se-vos-á. Seria ideal que, sem reclamar e pensando corretamente, fizéssemos esforços para retirar do atoleiro o carro da nossa existência, a fim de seguirmos adiante felizes, com coragem e disposição. Confiantes de que Deus sustentará as nossas forças para que possamos triunfar. Os caminhos evolutivos são construídos pelo trabalho, pela ação, pelo esforço, pela edificação no bem, e não pela inércia e pela expectativa.
  6. 6. Muitos, pedem, buscam e encontram, devido a predisposição pelo serviço edificante. E têm novas oportunidades porque concedeu ou proporcionou condições para que outros também tivessem suas próprias oportunidades. Cada um deve ajudar-se a si mesmo, e fazer uso das suas forças. A lei do trabalho, a lei do progresso, condicionam à evolução, à caminhada contínua, ao esforço renovado, à dedicação e à perseverança. Àqueles que assim procedem, é que se aplicam as máximas de Jesus. E, é para eles que o Pai amoroso e misericordioso concede sempre as oportunidades pedidas. Ajuda-te e o Céu te ajudará. Caminha e chegarás ao destino pretendido. Torna-te útil e, com certeza, merecerás de Deus toda ventura desta vida.
  7. 7. Muita Paz! Meu Blog: http://espiritual-espiritual.blogspot.com.br Com estudos comentados de O Livro dos Espíritos e de O Evangelho Segundo o Espiritismo. Página nova: Espiritismo com humor.

×