Plano vi adailton

415 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
415
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Plano vi adailton

  1. 1. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – UNEB DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA – DCET CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICASDOCENTE: CLÁUDIA REGINA SOUZADISCENTE: ADAILTON SANTOS DE ALMEIDAPROFESSORA REGENTE: JACILENA OLIVEIRA PLANO DE AULA: VITEMA: HISTOLOGIA ANIMALSUB-TEMA: TECIDOS MUSCULAR E NERVOSOOBJETIVOS: Caracterizar os tipos de tecido muscular Conhecer a divisão do sistema nervoso.CONTEÚDOS:Conceituais Caracterização do tecido muscular Conhecimento da divisão de sistema nervosoPROCEDIMENTAIS Leitura e interpretação de textoATITUDINAIS: Valorização do Corpo Humano.PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS: Aula expositiva dialógica com apresentação de slides e utilização de quadro branco; Leitura de textoSEQÜÊNCIA DIDÁTICA:Aula será iniciada com uma conversa sobre os dois tecidos, Muscular e Nervoso, como eles estãocompletamente relacionados, sua importância para a manutenção da vida.
  2. 2. No segundo momento será pedido que a turma se divida em grupos cada grupo receberá um texto comtema relacionado a um dos tipos de tecido estudado. Após a leitura, cada grupo fará um resumo do texto esua relação com o tecido.RECURSOS: Quadro branco; Piloto; Livro didático.AVALIAÇÃO: Os alunos serão avaliados mediante a participação em sala de aula e resolução da atividade proposta.REFERÊNCIA:PAULINO, W. R. Biologia, volume 1: citologia/histologia. 1. ed. São Paulo: Ática, 2005.OBSERVAÇÃO PÓS-AULA: A aula transcorreu normalmente seguindo o plano de aula proposto.
  3. 3. ANEXOS que pode ser fatal. No homem, a DL50 da toxina botulínica é de apenas 0,4 nanogramaSorria: músculos dirão a verdade por quilo - um nanograma equivale a um bilionésimo de grama. Ou seja, para aniquilarPsicólogos americanos desenvolveram uma um jovem de 50 quilos, por exemplo, seriatécnica para analisar a ação dos músculos preciso apenas irrisórios 20 nanogramas dofaciais. composto! Heroína, o analgésico que mataEstá na cara quando um sorriso é falso ousincero – ou melhor, esta nos músculos da face. A heroína é uma drogaFoi o que descobriram psicólogos americanos perigosíssima, capaz de viciar umao desenvolver uma técnica para analisar a indivíduo num prazo de poucos dias;ação de mais de cem músculos faciais a cadamudança de expressão. Eles catalogaram nada os males causados pelosmenos de dezessete tipos de sorriso. Mas em entorpecentes em geral.geral pode- se afirmar que, quando um sorrisoé espontâneo, os músculos da testa ficam A morte vem aos poucos, com a destruiçãorelaxados e as sobrancelhas das defesas do organismo. Ou é instantânea,consequentemente caem um pouco; o músculo numa overdose; a cura, quando acontece, éorbicular, ao redor dos olhos, se contrai lenta, cara e tão dolorosa que muitos viciadosformando pequenas rugas; finalmente, o desistem no meio do caminho.músculo zigomático da boca também se Derivada do ópio e sintetizada a partir dacontrai, repuxando os lábios para cima. Já no morfina pela primeira vez em laboratório, emchamado sorriso amarelo da falsidade ou do 1898. chegou a ser considerada uma soluçãoconstrangimento, apenas o lábio superior é para a cura dos viciados em morfina. Maspuxado para cima, dificilmente formam-se depois que se descobriu que ela é no mínimorugas nos olhos e o cenho fica levemente três vezes mais poderosa que a própriafranzido, divido à contração dos músculos da morfina, sua fabricação foi proibida no mundotesta. inteiro.Por que um chute no saco dói tanto? Como as outras drogas derivadas do ópio. apor Gabriela Portilho heroína age sobre os sistemas digestivo eSimplesmente porque o saco, ou escroto, é nervoso central, onde os efeitos de torpor euma região rica em terminações nervosas. E, tontura vêm associados, nos estágios iniciais,para piorar a situação, os testículos não são há um sentimento de leveza e euforia. Agindoprotegidos por uma grossa camada de derme, como depressora do sistema nervoso central,como ocorre com outras áreas de grande alivia as sensações de dor e angústia. Segue-sesensibilidade no corpo, como a ponta dos um estado de letargia que pode durar horas.dedos. "É por isso que, apesar de ambos As primeiras doses podem provocar vômitosserem muito sensíveis, um impacto ou náuseas. Os sintomas desaparecem emnos testículos dói muito mais do que, por pouco tempo mas voltam com violênciaexemplo, bater os dedos na mesa", diz o quando a droga deixa de ser consumida,urologista Mário Paranhos, do Hospital das porque o organismo se acostuma rapidamenteClínicas, em São Paulo. Pois é, que o diga a ela.quem já levou uma bica no saco... >_<Qual é o veneno mais venenoso do mundo?É a toxina botulínica, uma proteína produzidapela bactéria Clostridium botulinum, causadorado botulismo, intoxicação alimentar rara, mas
  4. 4. constituição das fibras musculares, também oFutebol: canhões em campo número de nervos que acionam os músculosChutar a bola a mais de 100 quilômetros por ajuda a determinar a velocidade dohora é um talento que consagra apenas um movimento. Quanto mais numerosas aspunhado de jogadores. A ciência explica como terminações nervosas em cada grupo deeles conseguem essa proeza. fibras, mais eficiente será a ação.Cinco homens enfileirados aguardam tensos omomento do tiro. A onze passos o adversário Quando a maconha curaconcentra-se, reunindo todas as energias emúnico ponto, para a seguir liberá-las em uma Depois de comprovado os efeitosexplosão. medicinais da droga, outros segmentosO superchute, de resto, não é para qualquer mercadológicos estão explorando a planta;um. Dos mais de 14 mil profissionais ainda, os efeitos da droga causados nosde futebol do país, os “canhoteiros”, como são usuários.chamados os chutadores mais potentes, comoGilberto Costa e Neto, que disputaram o Está provado. Os efeitos medicinais daCampeonato Paulista pelo Corinthians e maconha beneficiam pacientes de câncer, Aids,Palmeiras, respectivamente, ou ainda Éder, do glaucoma e esclerose múltipla. Mas os médicosAtlético Mineiro, constituem apenas um seleto do mundo inteiro se vêem num dilema crucial.grupo. A medição precisa do desempenho Como receitar um remédio que é proibido?físico dos atletas, prática comum em muitos Este ano, o debate ganhou peso na comunidadeclubes, a exemplo do São Paulo, faculdades e até científica internacional e, por isso, a SUPERno Instituto do Coração (Incor) em São Paulo, traz até você esta reportagem.indica que esses jogadores dispõem de uma Desde logo, é importante deixar bem claro: opotência devastadora. uso de drogas como maconha e outrasTodo jogador, por mais que melhore, tem seus substâncias alucinógenas ou psicotrópicas,limites. Aumentar o volume dos músculos por sem orientação médica, é perigoso. O vício dasmeio de exercícios com pesos, por exemplo, drogas prejudica os jovens e constitui umnão aumenta, de forma alguma, a potência do problema social.chute. Isso é explicável pelos modernos O THC, o principal responsável pelosconhecimentos de anatomia. Sabe-se que um efeitos da Cannabis sativa (nome científicomúsculo se compõe de três tipos de fibras: as da planta de maconha). Era indicado pararápidas, as lentas e as intermediárias. Cada problemas como asma, cólicas menstruais euma delas tem propriedades muito inflama-ções da pele. Nos Estados Unidos, adiferenciadas. asma, a dor e o estresse foram combatidosAs fibras lentas tendem a ser mais curtas e com chás e outros preparados de maconhavermelhas, responsáveis pelo rendimento (mas não cigarros)contínuo, sendo as mais usadas pelosmaratonistas, por exemplo. Em compensação, A canabis não cura o câncer ou a Aids.uma ação repentina, como um chute de O que ela faz com eficiência é aliviar oarrebentar redes, requer músculos rápidos, sofrimento decorrente dessas doenças. Acapazes de se contrair em frações de segundo. partir de 1975, os médicos perceberam que oA maior parte da energia provém, nesse caso, THC ajudava a superar crises de náusea eda combustão anaeróbica (sem consumo de vômitos provocadas pela quimioterapia,oxigênio) de açúcar, que a libera quase como tratamento que busca controlar os tumoresuma explosão. Portanto, um disparo potente cancerígenos. O mal-estar que decorre dadepende, sobretudo, da velocidade de quimioterapia pode se tornar intolerável secontração dos músculos rápidos. Além da não for controlado e há pacientes que não
  5. 5. conseguem dar continuidade ao tratamento.Por isso, o uso da maconha pode ser decisivo.Daí que na mais abrangente pesquisaamericana, feita pela Universidade Harvardem 1991, 70% dos cancerologistasperguntados responderam querecomendariam o uso da erva natural se estafosse legalizada. Quase metade (40%) disseque o aconselhava, mesmo sendo ilegal. Nessemesmo ano, a Organização Mundial de Saúdereconheceu a maconha natural comomedicamento.

×