Palestras sobre drogas

952 visualizações

Publicada em

Os vários tipos de Drogas suas dependência e maleficio.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
952
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
92
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestras sobre drogas

  1. 1. E suas Consequências
  2. 2. Todo mundo já tem uma idéia do significado da palavra droga. Em linguagem comum, de todo dia ("Ah que droga" ou " logo agora droga" ou ainda, "esta droga não vale nada!") droga tem um significado de coisa ruim, sem qualidade. Já em linguagem médica, droga é quase sinônimo de medicamento.
  3. 3. O termo droga teve origem na palavra droog (holandês antigo) que significa folha seca , isto porque antigamente quase todos os medicamentos eram feitos à base de vegetais. Atualmente, a medicina define droga como sendo: qualquer substância que é capaz de modificar a função dos organismos vivos, resultando em mudanças fisiológicas ou de comportamento.
  4. 4. O uso de bebidas alcoólicas é tão antigo quanto a própria humanidade. O álcool é a droga lícita mais consumida no Brasil, várias pessoas bebem pouco, em ocasiões especiais ou acompanhando uma refeição, de uma maneira que não desencadeia problemas.
  5. 5. Mas para cerca de 30% das pessoas, o uso de álcool é feito de modo exagerado, abusivo e gera muitos problemas, podendo levar à dependência, provocando danos sociais e a saúde. Mas para cerca de 30% das pessoas, o uso de álcool é feito de modo exagerado, abusivo e gera muitos problemas, podendo levar à dependência, provocando danos sociais e a saúde. Em cerca de 75% dos acidentes de trânsito com vítimas fatais existe um motorista alcoolizado envolvido. O Brasil está no topo da lista de países com maior número de acidentes de trânsito no mundo, resultando em 300 mil vítimas e 50 mil vítimas fatais, e o mérito desta estatística é a mistura de álcool e volante. Estudos comprovam que o álcool é o principal combustível para a violência doméstica, foi identificado que em grande parte das agressões que acontecem dentro de casa, o
  6. 6. Efeitos do álcool no organismo Os efeitos das bebidas alcoólicas acontecem em duas fases: Na primeira o álcool age como um estimulante, e deixa a pessoa mais eufórica e desinibida. Na segunda com a ingestão de várias doses, surge a ação depressora do álcool, levando a diminuição da coordenação motora dos reflexos e deixando a pessoa sonolenta.
  7. 7. Consequências do alcoolismo A cirrose hepática, que se traduz por uma insuficiência ou mau funcionamento do fígado, é a doença relacionada ao alcoolismo mais conhecida, capaz de levar o indivíduo à morte ou a grande incapacidade física. Outras graves doenças relacionadas ao consumo do álcool são alguns tipos de câncer (ex: pâncreas, esôfago e estômago), demência, doenças dos nervos periféricos, infarto do coração, derrame cerebral, desnutrição, traumas diversos, acidentes de trânsito, acidentes de trabalho, depressão, agressões domésticas e até mesmo homicídios e suicídios.
  8. 8. A maconha é o nome dado no Brasil ao vegetal Cannabis sativa, também conhecida popularmente como: marijuana, fumo, bagulho, manga rosa, liamba, mulatinho. Os primeiros relatos de sua presença no Brasil datam do século XVIII para a produção de fibras. No entanto acredita-se que a planta já existe há mais tempo utilizada pelos escravos. A planta Cannabis sativa produz mais de 400 substâncias químicas. Uma delas é o THC (tetrahidrocanabinol ) que é a principal responsável pelos efeitos da maconha.
  9. 9. As flores e folhas secas da maconha podem ser fumadas ou ingeridas, sendo que a forma mais comum é a fumada. Nesse primeiro caso a maconha é absorvida por via pulmonar e atinge o Sistema Nervoso Central (cérebro) em apenas alguns segundos e, utilizada por via oral sua absorção é lenta, de 30 a 60 minutos.
  10. 10. Os efeitos crônicos da maconha são mais graves. No homem o uso prolongado de maconha pode provocar uma diminuição da testosterona (hormônio que confere ao homem maior quantidade de músculos, a voz mais grossa, barba, também é responsável pela fabricação do espermatozóides). Na mulher pode trazer alterações hormonais chegando até a inibição da ovulação. O uso contínuo pode afetar também os pulmões (a fumaça é muito irritante), sendo comum os problemas respiratórios, principalmente a bronquite. Animais de laboratório expostos cronicamente à maconha passam a apresentar maior incidência de câncer do que animais controles.
  11. 11. Imagine uma pessoa que fumou maconha e vai assistir uma aula de matemática. Pense na dificuldade que vai ser para essa pessoa organizar ás idéias de uma forma lógica já que, como vimos, a maconha afeta a atenção, concentração, motivação e memória. Com certeza o desempenho na escola ou em quaisquer outras atividades que exijam esses quesitos vão ser prejudicadas.
  12. 12. A maconha não afeta diretamente o desempenho sexual mas, como já foi visto ela trás tanto para o homem quanto para a mulher alterações hormonais que podem resultar em problemas. Além do mais, a maconha produz tantas alterações mentais que pode tirar a concentração necessária durante o ato sexual.
  13. 13. O ecstasy é uma substância psicoativa designada como 3,4 metilenodioximetanfetamina. Foi sintetizada pela empresa Merck em 1914, e é chamada droga de recreio ou de desenho, pois possui ação estimulante e alucinógena. É consumido injetado, inalado, e por via oral. Apresenta-se em forma de pastilhas, comprimidos, barras, cápsulas ou pó. O ecstasy, a nível cerebral, age aumentando a produção e a diminuição da reabsorção da serotonina, dopamina e noradrenalina. Seus efeitos surgem após vinte e setenta minutos, atingindo estabilidade em duas horas, pode agrupar efeitos da cannabis, das anfetaminas e do álcool.
  14. 14. Os efeitos físicos são taquicardia, aumento da pressão sanguínea, secura da boca, diminuição do apetite, dilatação das pupilas, dificuldade em caminhar, reflexos exaltados, vontade de urinar, tremores, transpiração, câimbras ou dores musculares. Quanto aos efeitos psíquicos, o ecstasy ocasiona sensação de intimidade e de proximidade com outras pessoas, aumento da comunicação, da sensualidade, euforia, despreocupação, autoconfiança e perda da noção de espaço. Em longo prazo podem ocorrer alguns efeitos tais como lesões celulares irreversíveis, depressão, paranóia, alucinação, despersonalização, ataques de pânico, perda do autocontrole, impulsividade, dificuldade de memória e de tomar decisões.
  15. 15. A cocaína é uma droga psicoativa que estimula e vicia, promovendo alterando cerebrais muito importantes. É extraída da folha da coca e se consumida por muito tempo ocasiona muitos problemas de saúde, como por exemplo: a aceleração do envelhecimento e danos cerebrais. A cocaína é originária da planta Erythroxylon coca, nativa da Bolívia e do Peru. Pode ser utilizada pelas vias intranasal, intravenosa e pulmonar, podendo em casos mais raros ser usada via oral.
  16. 16. Devido os efeitos de euforia e prazer que a cocaína proporciona, as pessoas são seduzidas a utilizá-la para vivenciar sensações de poder, entretanto esses efeitos duram pouco tempo, onde a pessoa entra em contato com a realidade e experimenta depressão e ansiedade por utilizá-la novamente. Aceleração ou diminuição do ritmo cardíaco, dilatação da pupila, elevação ou diminuição da pressão sanguínea, calafrios, náuseas e vômitos, perda de peso e apetite são alguns dos efeitos biológicos da cocaína.
  17. 17. A cocaína é a droga que mais rapidamente devasta o usuário. Bastam alguns meses ou mesmo semanas para que ela cause um emagrecimento profundo, insônia, sangramento do nariz e corisa persistente, lesão da mucosa nasal e tecidos nasais, podendo inclusive causar perfuração do septo . Doses elevadas consumidas regularmente também causam palidez, suor frio, desmaios, convulsões e parada respiratória
  18. 18. No cérebro, a cocaína afeta especialmente as áreas motoras, produzindo agitação intensa. A ação da cocaína no corpo é poderosa porém breve, durando cerca de meia hora, já que a droga é rapidamente metabolizada pelo organismo. Interagindo com os neurotransmissores, tornam imprecisas as mensagens entre os neurônios.
  19. 19. A heroína é uma droga derivada da papoula, sintetizada a partir da morfina: substância bastante utilizada no século XIX pelas suas propriedades analgésicas e antidiarreicas. Como outras drogas originárias desta planta, a heroína atua sobre receptores cerebrais específicos, provocando um funcionamento mais brando do sistema nervoso e respiratório.
  20. 20. Apresentando-se em sua forma pura como um pó branco de coloração esbranquiçada, é utilizada mais frequentemente de forma injetável, após aquecimento. Além disso, alguns usuários a inalam ou aspiram. Seus efeitos duram aproximadamente cinco horas, proporcionando sensações de bem- estar, euforia e prazer; elevação da autoestima e diminuição do desânimo, dor e ansiedade.
  21. 21. Como esta droga desenvolve dependência e tolerância de forma bastante rápida, o usuário passa a consumi-la com mais frequência com o intuito de buscar o mesmo bem-estar provocado anteriormente, e também de fugir das sensações provocadas pela abstinência. Essa, que surge aproximadamente vinte e quatro horas após seu uso, pode provocar diarreia, náuseas, vômitos, dores musculares, pânico, insônia, inquietação e taquicardia.
  22. 22. Assim, formas de obtê-la passam a ser o foco de suas vidas, gerando consequências sérias. Constantes vômitos, diarreias e fortes dores abdominais, perda de peso, depressão, abortos espontâneos, surdez, delírio, descompassos cardíacos, incapacidade de concentração, depressão do ciclo respiratório, colapso dos vasos sanguíneos; além de problemas relacionados às interações sociais e familiares são algumas consequências que o usuário está sujeito, em médio prazo.
  23. 23. A maioria dos casos de morte por overdose é consequência de paradas respiratórias decorrentes de seu uso prolongado, ou de uso concomitante com outras drogas.
  24. 24. O tabaco é uma planta cujo nome científico é Nicotiana tabacum, da qual é extraída uma substância chamada nicotina. Seu uso surgiu aproximadamente no ano 1.000 a C., nas sociedades indígenas da América Central, em rituais mágicos-religiosos com objetivo de purificar, contemplar, proteger e fortalecer os ímpetos guerreiros, além de acreditar que a mesma tinha o poder de predizer o futuro. A planta chegou ao Brasil provavelmente pela migração de tribos tupis-guaranis. A partir do século XVI, o seu uso foi introduzido na Europa, por Jean Nicot, diplomata francês vindo de Portugal, após ter-lhe cicatrizado uma úlcera de perna, até então incurável.
  25. 25. Os principais efeitos da nicotina no Sistema Nervoso Central são: elevação leve no humor (estimulação) e diminuição do apetite. A nicotina é considerada um estimulante leve, apesar de um grande número de fumantes relatarem que se sentem relaxados quando fumam. Essa sensação de relaxamento é provocada pela diminuição do tônus muscular.
  26. 26. Alguns fumantes, quando suspendem repentinamente o consumo de cigarros, podem sentir fissura (desejo incontrolável por cigarro), irritabilidade, agitação, prisão de ventre, dificuldade de concentração, sudorese, tontura, insônia e dor de cabeça. Esses sintomas caracterizam a síndrome de abstinência, desaparecendo dentro de uma ou duas semanas.
  27. 27. A nicotina produz um pequeno aumento no batimento cardíaco, na pressão arterial, na freqüência respiratória e na atividade motora. Quando uma pessoa fuma um cigarro, a nicotina é imediatamente distribuída pelos tecidos. No sistema digestivo provoca queda da contração do estômago, dificultando a digestão. Há um aumento da vasoconstricçao e na força das contrações cardíacas.
  28. 28. O hábito de fumar é muito frequente na população. A associação do cigarro com imagens de pessoas bem sucedidas é uma constante nos meios de comunicação. Este tipo de propaganda é um dos principais fatores que estimulam o uso do cigarro. Por outro lado, as campanhas contra o fumo vem recebendo um destaque cada vez maior em diversos países, ganhando apoio de grande parte da população e gerando um movimento popular de intolerância. Neste sentido, o "espaço" dos fumantes vem sofrendo restrições consideráveis ao longo dos últimos anos.
  29. 29. Em meados dos anos 80, uma nova droga surgiu. Devido ao seu baixo custo e "barato" rápido e intenso, o crack rapidamente ganhou popularidade entre seus usuários, especialmente nas áreas urbanas mais pobres. Em duas décadas, o crack já tinha cobrado um alto preço, deixando problemas físicos e emocionais sérios não apenas em seus usuários, mas em comunidades inteiras e nos Estados Unidos como um todo.
  30. 30. Leva 10 segundos para fazer o efeito, gerando euforia e excitação; respiração e batimentos cardíacos acelerados, seguido de depressão, delírio e "fissura" por novas doses. "Crack" refere-se à forma não salgada da cocaína isolada numa solução de água, depois de um tratamento de sal dissolvido em água com bicarbonato de sódio. Os pedaços grossos secos têm algumas impurezas e também contêm bicarbonato. Os últimos estouram ou racham (crack) como diz o nome.
  31. 31. Cinco a sete vezes mais potente do que a cocaína, o crack é também mais cruel e mortífero do que ela. Possui um poder avassalador para desestruturar a personalidade, agindo em prazo muito curto e criando enorme dependência psicológica.
  32. 32. As primeiras sensações são de euforia, brilho e bem-estar, descritas como o estalo, um relâmpago, o "tuim", na linguagem dos usuários. Na segunda vez, elas já não aparecem. Logo os neurônios são lesados e o coração entra em descompasso (de 180 a 240 batimentos por minuto). Há risco de hemorragia cerebral, fissura, alucinações, delírios, convulsão, infarto agudo e morte.
  33. 33. O pulmão se fragmenta. Problemas respiratórios como congestão nasal, tosse insistente e expectoração de mucos negros indicam os danos sofridos. Dores de cabeça, tonturas e desmaios, tremores, magreza, transpiração, palidez e nervosismo atormentam o craqueiro. Outros sinais importantes são euforia, desinibição, agitação psicomotora, taquicardia, dilatação das pupilas, aumento de pressão arterial e transpiração intensa.
  34. 34. São comuns queimaduras nos lábios, na língua e no rosto pela proximidade da chama do isqueiro no cachimbo, no qual a pedra é fumada. O crack induz a abortos e nascimentos prematuros. Os bebês sobreviventes apresentam cérebro menor e choram de dor quando tocados ou expostos à luz. Demoram mais para falar, andar e ir ao banheiro sozinhos e têm imensa dificuldade de aprendizado.
  35. 35. O crack nasceu nos guetos pobres das metrópoles, levando crianças de rua ao vício fácil e a morte rápida. Agora chega à classe média, aumentando seu rastro de destruição.
  36. 36. COMO EVITA-LAS :
  37. 37. Muitas perguntas surgem, na mente de uma pessoa. A principal dela é .. "O que leva uma pessoa a usar droga?". É Verdade que cada um tem os seus motivos, pra usar droga. Mas, entre os fatores que atraem adultos e jovens, alguns são os mais comuns.
  38. 38. Onde isso acontece? Numa festa, numa viagem com os amigos. A qualquer momento ela aparece em nossa frente. E ai vem a curiosidade para experimentá-la. Mas o fato somente dela experimentar , não a faz uma dependente, logo de inicio.Porém, experiências aparentemente inocentes podem resultar em problemas (com a lei, por exemplo). Além disso, a pessoa passa a ser vista com outros olhos pela sociedade, como drogada , e passa a ser excluída pela sociedade, e é tratada de maneira diferente pelos amigos, pelos pais,na escola, e no trabalho e onde quer que for.
  39. 39. O Excesso de preocupação, por estar se experimentando a droga, pode se tornar mais perigoso, do que o próprio uso dela. Diante dessa situação, não deve haver desespero por parte dos pais e nem dos parentes. Reagir com agressividade e com violência, pode ser mais um motivo que empurre a pessoa para o abuso e a dependência de drogas. Nesse momento é necessário que haja um diálogo franco sobre os possíveis riscos envolvidos.
  40. 40. É necessário que os adultos alertem os jovens sobre o risco , relacionado com o uso das drogas. Entretanto muitas vezes são os riscos envolvidos que atraem eles. Por exemplo, se o jovem não tem muita informação, sobre o assunto. Ele por curiosidade, acaba experimentando um tipo de droga que é muito comum para quem ta começando , e ai vem a curiosidade . Essa droga é a maconha.
  41. 41. Quando os pais forem conversar com os filhos, eles devem ser diretos e objetivos, e passar a informação de uma maneira que não venha amendrotar o jovem ,mas venha causar o efeito desejado, que é mantê-lo afastado.
  42. 42. As drogas são capazes de modificar o que sentimos. Esse poder de transformação das emoções pode se tornar um grande atrativo, principalmente para quem ta passando por dificuldades.
  43. 43. A Melhor maneira de modificar as emoções negativas é fazendo uso de formas não - químicas de obtenção de prazer: atividades artísticas , esportivas, etc.
  44. 44. Há pessoas- sobretudo os jovens- que acabam usando droga por influência de colegas e amigos. É a tal chamada pressão de grupo. Já foi percebido que os jovens que cedem a essa insistência ,são aqueles que tem dificuldades em ser aceitos pelo grupo e também apresentam outros tipos de problemas, como baixo auto-estima e o fato de , se sentirem poucos amados pelos pais.
  45. 45. Uma simples atitude: saber que mais importante do que estar em acordo com o grupo é estar bem com você mesmo.
  46. 46. O Uso de drogas pode ser uma tentativa de amenizar sentimentos de solidão,inadequação , baixa auto-estima ou falta de confiança. Para algumas pessoas,é mais fácil, por exemplo, cheirar cocaína ou tomar ecstasy para se sentir ambientado e autoconfiante.
  47. 47. No caso dos jovens,os pais precisam ajudá- los a superar suas dificuldades dando-lhes segurança através do afeto. Eles devem se sentir amados, apesar de seus defeitos ou de suas dificuldades. Já os adultos podem recorrer á psicoterapia para superar seus problemas com auxílio de um profissional.
  48. 48. Apoio

×