Oficina De Nivelamento

1.551 visualizações

Publicada em

Material utilizado nas oficinas preparatórias para moderadores que vão atuar na I Conferência Municipal de Cultura de Boa Vista - Roraima. Produzido pela pesquisadora Elena Fioretti.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.551
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Oficina De Nivelamento

  1. 1. CONFERÊNCIA DE CULTURA OFICINA DE NIVELAMENTO PARA MODERADORES Autoria: Elena Fioretti
  2. 2. Oficina de Nivelamento para Moderadores <ul><li>Elaborada com base na Oficina de Gestão Estratégica Pública promovida pela Escola de Extensão da Unicamp e a Escola de Governo e Desenvolvimento do Servidor (EGDS) da Prefeitura Municipal de Campinas. </li></ul><ul><li>Texto de apoio de Maria M. Collete, disponível em: </li></ul><ul><li>www.preac.unicamp.br/arquivo </li></ul><ul><li>E, Orientações para a realização das Conferências de Cultura disponibilizadas pelo Ministério da Cultura. </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  3. 3. Moderação <ul><li>Conceito </li></ul><ul><li>A moderação, num enfoque participativo, é uma condução de processos de discussão que visa promover o debate objetivo e equilibrado entre os diversos participantes de tal forma que possa contribuir para que todos participem na construção do produto da discussão. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Moderar significa regular, regrar, conter nos limites justos o processo grupal e a produção do grupo, de modo a criar um ambiente de confiança, escuta, respeito e objetividade.  </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  4. 4. MODERAÇÃO <ul><li>Moderar é facilitar a comunicação interpessoal, orientar as reflexões dos participantes para a finalidade que os reúne, fomentar a criatividade e colaborar para que o grupo chegue aos resultados esperados. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Moderar uma discussão grupal implica em organizar e orientar o processo de discussão de forma que os participantes formulem conjuntamente suas próprias respostas para as questões que estão trabalhando e se comprometam com a efetivação dessas respostas.  </li></ul>
  5. 5. MODERAÇÃO <ul><li>O QUE É? </li></ul><ul><li>Instrumento de método de planejamento participativo a moderação é utilizada no contexto dos programas e nas organizações preocupadas com a transformação social. </li></ul><ul><li>Este instrumento focaliza pessoas, processos grupais e organizações e é capaz de contribuir para a aprendizagem e o desenvolvimento de ações e conhecimentos de forma coletiva. </li></ul><ul><li>A moderação serve de apoio metodológico de diversos contextos que podem envolver desde a auto-organização e desenvolvimento de um dado grupo até a análise, desenvolvimento, fundamento e organização de idéias, conhecimento de informações. </li></ul>
  6. 6. MÉTODO DE MODERAÇÃO <ul><li>Dentre as várias perspectivas abordaremos o método de moderação que foca três aspectos centrais : o tema, o grupo e a comunicação. </li></ul><ul><li>Deve considerar ainda as ferramentas com que o moderador vai trabalhar: dinâmicas, pergunta, a visualização e os cuidados as serem adotados para o pleno uso desse método de planejamento. </li></ul>
  7. 7. MODERADOR <ul><li>É o responsável por trabalhar a qualidade do processo de discussão e é esse o viés que deve priorizar na sua contribuição para o sucesso do trabalho. Não é seu papel participar ativamente na discussão do grupo, mesmo porque uma certa neutralidade é fundamental quando se assume a tarefa de promover a discussão equilibrada de um grupo </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  8. 8. Os Aspectos Centrais da Moderação e o papel do Moderador:
  9. 9. O TEMA <ul><li>O assunto precisa estar claramente definido e organizado, para que a discussão possa ser otimizada em torno dos interesses conjuntos. </li></ul><ul><li>É preciso construir um roteiro de atividades com perguntas encadeadas para preparar, iniciar, desenvolver e fechar a discussão. O roteiro tem por base possibilitar o alcance dos resultados desejados. </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  10. 10. O GRUPO <ul><li>Conhecer as expectativas dos participantes; </li></ul><ul><li>estabelecer um clima de confiança, respeito e transparência; </li></ul><ul><li>promover a autonomia do grupo e acreditar na capacidade dos participantes; </li></ul><ul><li>lidar bem com possíveis reações à moderação; gerenciar conflitos; </li></ul><ul><li>estabelecer regras e acordos de trabalho; trabalhar com flexibilidade para adequar o roteiro à dinâmica do grupo e adequar a linguagem do perfil dos participantes são alguns dos cuidados necessários ao bom andamento do processo grupal. </li></ul>
  11. 11. O GRUPO <ul><li>O Moderador deve considerar: </li></ul><ul><li>as diversas individualidades presentes no grupo; </li></ul><ul><li>as demandas pessoais; </li></ul><ul><li>e valorizar as diferentes opiniões, mas de modo que sempre prevaleçam os interesses coletivos. </li></ul><ul><li>   </li></ul>
  12. 12. A COMUNICAÇÃO <ul><li>A comunicação deverá ser trabalhada pela moderação, em direção à interação entre as diversas percepções e contribuições presentes no grupo, para, simultaneamente, favorecer o fortalecimento de boas relações entre os participantes e facilitar a construção de respostas coletivas, com as quais o grupo se identifique e se comprometa. </li></ul>
  13. 13. A COMUNICAÇÃO <ul><li>O Moderador deve contribuir para a organização e a clarificação das idéias do grupo, sem valorá-las; </li></ul><ul><li>Saber ouvir com atenção, até o fim e sem interrupções; </li></ul><ul><li>tomar cuidado com a comunicação não-verbal e avisar quando a atenção não puder ser mantida, são cuidados que o moderador deve tomar para si e promover entre os participantes. </li></ul>
  14. 14. A COMUNICAÇÃO <ul><li>Outros cuidados importantes que o moderador deve ter para estabelecer uma boa comunicação: </li></ul><ul><li>fazer colocações claras e objetivas, em linguagem acessível ao grupo; </li></ul><ul><li>relacionar sua contribuição às demais; </li></ul><ul><li>verificar se está sendo compreendido; </li></ul><ul><li>retroalimentar o grupo com sínteses e esclarecimentos. </li></ul>
  15. 15. AS FERRAMENTAS PARA UMA BOA MODERAÇÃO:  
  16. 16. A DINÂMICA <ul><li>Conhecimentos básicos sobre processos grupais e dinâmicas de grupo são imprescindíveis e vão ajudar a orientar a condução e consolidação do grupo de trabalho. O moderador precisa estabelecer uma relação imparcial com os integrantes, estar atento aos seus movimentos e intervir no processo com dinâmicas e atividades adequadas ao momento e ao perfil do grupo. Tais intervenções poderão estar relacionadas tanto ao desenvolvimento da discussão, quanto às relações interpessoais. </li></ul>
  17. 17. A DINÂMICA <ul><li>Considerando as fases constituintes do processo de desenvolvimento de qualquer grupo de trabalho, o roteiro de trabalho da moderação deve incluir, antes de iniciar a discussão propriamente dita, uma etapa de familiarização voltada à apresentação/integração entre os participantes e moderador(es), socialização das expectativas dos participantes em relação à atividade e confronto dessas expectativas com o programa proposto de modo a se estabelecer um acordo conjunto sobre o andamento do trabalho e a metodologia a ser utilizada. </li></ul><ul><li>Dependendo da configuração do grupo e da proposta de trabalho, essa fase vai requerer mais ou menos atenção/tempo para que se estabeleça um bom clima para o início da discussão. </li></ul>
  18. 18. AS PERGUNTAS <ul><li>O desenvolvimento de processos de aprendizagem e construção de conhecimento que valorizem e potencializem a participação ativa de seus integrantes devem estruturar-se sempre pela formulação de questões, de modo a propiciar a busca de respostas pelos próprios participantes. Contrariamente aos tradicionais métodos de transmissão de conhecimentos, pautados na reprodução de modelos e comportamentos padronizados, as perguntas são a chave dos métodos participativos. </li></ul>
  19. 19. AS PERGUNTAS <ul><li>As perguntas devem ser motivadoras, capazes de despertar a atenção e a reflexão dos participantes sobre o tema. Elas devem ser simples e claras, considerar o contexto,o momento certo e respeitar a integridade dos participantes. </li></ul><ul><li>As perguntas são elaboradas a partir de uma análise prévia dos conteúdos temáticos e encadeadas num “fio lógico”, de modo a facilitar o desenvolvimento da discussão do tema e o alcance dos resultados esperados. </li></ul>
  20. 20. A VISUALIZAÇÃO <ul><li>A utilização de técnicas de visualização é fundamental quando se trabalha com grupos. Por intermédio da visualização, cria-se um centro comum de atenção, que aglutina informações relevantes para o trabalho do grupo. </li></ul>
  21. 21. A VISUALIZAÇÃO <ul><li>Na moderação, utiliza-se a técnica de visualização com fichas, pois agiliza o levantamento e a socialização de opiniões, possibilita aprofundar a reflexão individual, estimula a capacidade de síntese, facilita a organização de idéias, organiza o processo de discussão, colabora para melhor acompanhamento do debate, documenta a discussão e propicia o nivelamento, quando há participação de pessoas com níveis hierárquicas distintos. </li></ul>
  22. 22. A VISUALIZAÇÃO <ul><li>Pelas fichas se promove e prioriza a participação e se respeita a igualdade de opiniões, pois todos têm um mesmo espaço para responder às perguntas colocadas pelo moderador e mesmo as pessoas mais tímidas acabam por expressar sua idéias e opiniões. </li></ul>
  23. 23. A VISUALIZAÇÃO <ul><li>A visualização deve ser observada em todas as etapas do trabalho, desde o momento inicial até o momento final do evento, possibilitando o melhor desenvolvimento do trabalho e a elaboração simultânea do relatório das atividades desenvolvidas. </li></ul><ul><li>Deve ser utilizada na familiarização e integração entre os participantes, na apresentação das regras de trabalho e da programação a ser seguida, nas exposições que subsidiarão a discussão, durante todo o seu desenvolvimento – apresentando perguntas, sistematizando as respostas do grupo e sinalizando divergências, na definição de encaminhamentos e na avaliação do evento. </li></ul>
  24. 24. A VISUALIZAÇÃO <ul><li>Além de fichas, outras técnicas e instrumentos de visualização podem ser utilizados, desde que adequados ao perfil do grupo e ao tipo de atividade. Cabe ao moderador adaptar criativamente seu trabalho às condições materiais e culturais dos grupos com quem trabalha. </li></ul>
  25. 25. ALGUNS CUIDADOS NECESSÁRIOS <ul><li>Alguns cuidados devem anteceder a realização de uma moderação, relativos ao perfil/autonomia do grupo, ao ambiente em que acontecerá o evento, à definição das atividades e ao papel do moderador. </li></ul><ul><li>Outro fator importante a ser considerado previamente diz respeito ao local do evento. Nesse sentido, a organização do local e a preparação dos materiais a serem utilizados no evento também deverão receber atenção prévia do moderador. </li></ul>
  26. 26. ALGUNS CUIDADOS NECESSÁRIOS <ul><li>A elaboração do roteiro de trabalho do moderador deverá incluir: </li></ul><ul><li>as atividades de familiarização; </li></ul><ul><li>as perguntas encadeadas; </li></ul><ul><li>intervalos/atividades/dinâmicas intermediárias </li></ul><ul><li>conclusão dos trabalhos e avaliação do evento. </li></ul><ul><li>O roteiro deve registrar o tempo e os recursos necessários a cada etapa do trabalho. </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  27. 27. ROTEIRO PARA AS ATIVIDADES DO MODERADOR <ul><li>Deverão ter domínio e conhecimento da temática. Deverão conceituar os eixos e contemplar um tempo de debate, entendo que este é o momento de consolidar a compreensão e nivelar conhecimentos da temática.. </li></ul><ul><li>Orientar os grupos de trabalho para discutir, formular e deliberar sobre propostas de estratégias, à luz dos eixos e sub-eixos definidos no regimento Interno. </li></ul>
  28. 28. ROTEIRO PARA AS ATIVIDADES DO MODERADOR <ul><li>Procedimentos e dinâmica das discussões coordenadas pelos Moderadores: </li></ul><ul><ul><li>a) Providenciar que as cadeiras fiquem disponibilizadas em circulo; </li></ul></ul><ul><ul><li>b) Realizar uma rápida dinâmica com os presentes para identificação do grupo; </li></ul></ul><ul><ul><li>c) Apresentar a dinâmica das atividades conforme a programação sugerida; </li></ul></ul><ul><ul><li>d) Proceder à leitura em conjunto do texto base; </li></ul></ul><ul><ul><li>e) Orientar que o grupo indique um relator para registrar as propostas e apresentá-las na plenária. </li></ul></ul>
  29. 29. ROTEIRO PARA AS ATIVIDADES DO MODERADOR <ul><ul><li>f)Formular perguntas que possam indicar as idéias centrais do texto base de forma que oriente para que respostas sejam dadas atendendo as seguintes etapas: </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>1ª ETAPA – momento em que as pessoas apresentam suas propostas, sem muita elaboração por meio de “tempestades de idéias”, ou seja, “ toró de palpites”. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>2ª ETAPA – as idéias serão registradas e agrupadas por semelhanças; </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  30. 30. ROTEIRO PARA AS ATIVIDADES DO MODERADOR <ul><li>3ª ETAPA – o grupo, subdividido, irá elaborar, por escrito, as propostas em forma de estratégias. </li></ul><ul><li>4ª ETAPA – as propostas serão separadas em âmbito municipal, estadual e nacional e, em seguida, votadas que serão apresentadas na plenária para votação de todos os participantes. </li></ul>
  31. 31. PROGRAMAÇÃO RECOMENDADA <ul><li>7:30 – Credenciamento dos participantes </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>8:00 – Abertura solene </li></ul><ul><li>Palestra do Tema da Conferência “ Cultura, Diversidade, Cidadania e Desenvolvimento”. </li></ul>
  32. 32. PROGRAMAÇÃO RECOMENDADA <ul><li>8:30 – Apresentação dos Moderadores, dinâmica dos trabalhos e dos eixos temáticos; </li></ul><ul><li>9:00 – Formação dos grupos de trabalho por eixos temáticos, com encaminhamento dos inscritos para os ambientes previamente definidos pela coordenação do evento; </li></ul><ul><li>10:00 – Intervalo </li></ul>
  33. 33. PROGRAMAÇÃO RECOMENDADA <ul><li>10:15 – Estudo dos eixos temáticos; </li></ul><ul><li>Discussão e sugestões para a elaboração de propostas; </li></ul><ul><li>Definição das 04 ( quatro ) propostas a serem apresentadas na plenária. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>12:00 – Almoço </li></ul>
  34. 34. PROGRAMAÇÃO RECOMENDADA <ul><li>14:00 – Plenária com apresentação das propostas dos eixos temáticos com a votação de duas propostas por eixo temático, para serem encaminhadas para a conferência Estadual. </li></ul><ul><li>16:00 – Intervalo </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  35. 35. PROGRAMAÇÃO RECOMENDADA <ul><li>16:15 – Apresentação do relatório final; </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>17:00 – Escolha dos delegados; </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>18:00 - Encerramento </li></ul>
  36. 36. NOSSAS PROVIDÊNCIAS <ul><li>INSCRIÇÃO DOS MODERADORES POR EIXTO TEMÁTICO </li></ul><ul><li>MARCAR REUNIÃO DOS MODERADORES POR EIXO TEMÁTICO PARA ELABORAÇÃO DAS PERGUNTAS NORTEADORAS E ESTABELECIMENTO DE ESTRATÉGIAS DE AÇÃO PARA A CONDUÇÃO DOS TRABALHOS </li></ul>
  37. 37. NOSSAS PROVIDÊNCIAS <ul><li>DEFINIR AGENDA DOS MODERADORES </li></ul><ul><li>ESTABELECER DIA, HORA E LOCAL DE SAÍDA DA EQUIPE PARA A ATIVIDADE DE SUPORTE PARA A REALIZAÇÃO DAS CONFERENCIAS MUNICIPAIS DE CULTURA </li></ul>
  38. 38. BONS TRABALHOS <ul><li>SUCESSO A TODOS! </li></ul>

×