Bases, posições, fundamentos e incidentes de tiro

11.078 visualizações

Publicada em

IAT

Publicada em: Educação
0 comentários
23 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.078
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
634
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.003
Comentários
0
Gostaram
23
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bases, posições, fundamentos e incidentes de tiro

  1. 1. CURSO DE INTRUTOR DE ARMAMENTO E TIRO DISCIPLINA: BASES, POSIÇÕES, FUNDAMENTOS DO TIRO E INCIDENTES DE TIRO INSTRUTOR LEANDRO BERTHULINE
  2. 2. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO FUNDAMENTOS DO TIRO: EMPUNHADURA POSTURA VISADA RESPIRAÇÃO ACIONAMENTO DA TECLA DO GATILHO
  3. 3. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO EMPUNHADURA a) ALTURA – o ideal é que no início da mão (região entre o dedo polegar e o indicador comece juntamente com o início da coronha do revólver ou próximo ao delgado de uma pistola. b) ENVOLVIMENTO – polegar e demais dedos, envolvem a empunhadura da arma envolvendo-a totalmente. O dedo indicador não faz parte do envolvimento, ficando estendido ao longo da armação.
  4. 4. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO EMPUNHADURA c) PRESSÃO DA MÃO QUE DISPARA A ARMA (MÃO FORTE) – uma vez feita a pegada, esta não deve ser desfeita, a empunhadura deve ter uma pressão natural. d) ENVOLVIMENTO E PRESSÃO DA MÃO DE APOIO – em forma de concha deverá envolver os dedos da mão que atira logo abaixo do guarda-mato; o dedo polegar na armação ficando paralelo e abaixo do ferrolho nas pistolas, ou junto do dedo polegar da mão que atira quando se tratar de revólver. A pressão exercida deverá ser um pouco maior.
  5. 5. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO EMPUNHADURA – ERROS COMUNS
  6. 6. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO EMPUNHADURA – ERROS COMUNS
  7. 7. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO EMPUNHADURA SIMPLES – EXEMPLOS CORRETOS
  8. 8. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO EMPUNHADURA DUPLA – EXEMPLOS CORRETOS
  9. 9. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO EMPUNHADURA DUPLA – EXEMPLOS CORRETOS
  10. 10. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO POSTURA É necessário que se esclareça que o atirador deverá tomar a posição que mais contribua para o aproveitamento de seu disparo. Em vista disso são ensinadas diversas posições com o respectivo emprego mais favorável, para que o homem aplique ao máximo sua criatividade, adaptando-se rapidamente, por condicionamento, ao melhor posicionamento.
  11. 11. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO POSTURA Devemos levar em consideração a possível utilização de proteções na posição do atirador (relevo, barricadas, viatura, muros, etc). Podemos resumir que a posição deve ser a mais natural possível, desde que priorize o aproveitamento do tiro.
  12. 12. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO POSIÇÕES DE TIRO DE PÉ – ARMAS CURTAS POSIÇÃO WEAVER E WEAVER MODIFICADA (CHAPMAN)
  13. 13. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO POSIÇÕES DE TIRO DE PÉ – ARMAS CURTAS ISÓSCELES
  14. 14. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO POSIÇÕES DE TIRO DE PÉ – ARMAS CURTAS ISÓSCELES MODERNA
  15. 15. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO POSIÇÕES DE TIRO DE JOELHO – ARMAS CURTAS COM APOIO E SEM APOIO
  16. 16. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO POSIÇÕES DE TIRO DEITADO – ARMAS CURTAS
  17. 17. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO POSIÇÕES DE TIRO DEITADO – ARMAS CURTAS VARIAÇÃO
  18. 18. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO POSIÇÕES DE TIRO DE PÉ – ARMAS LONGAS
  19. 19. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO POSIÇÕES DE TIRO DE JOELHO – ARMAS LONGAS
  20. 20. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO POSIÇÕES DE TIRO DEITADO – ARMAS LONGAS
  21. 21. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO POSIÇÕES DE TIRO DEITADO – ARMAS LONGAS VARIAÇÃO
  22. 22. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO POSIÇÕES DE TIRO – ARMAS LONGAS SENTADO
  23. 23. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO Não existe uma posição melhor que a outra. Ao atirador bem preparado é necessário conhecer as características, vantagens e desvantagens de cada uma destas posições para, em uma situação específica, escolher a que melhor se enquadra.
  24. 24. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO VISADA É o correto enquadramento do aparelho de pontaria, fazendo parte dele: A)LINHA DE MIRA: linha imaginária do olho do atirador passando pela massa e alça (aparelho de pontaria); B) LINHA DE VISADA: linha imaginária que se estende do olho do atirador, passando pelo aparelho de pontaria até o alvo (observe a imagem abaixo);
  25. 25. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO VISADA – ERROS COMUNS
  26. 26. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO RESULTADO DO TIRO CONFORME O ENQUADRAMENTO DO APARELHO DE PONTARIA:
  27. 27. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO VISADA CORRETA
  28. 28. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO RESPIRAÇÃO Deve-se fazer uma pequena inspiração e bloqueá-la apenas no momento do disparo, iniciando-se um novo ciclo a cada disparo. Este procedimento, mesmo em ação dupla não é rígido, a rapidez da ação exige apenas que o atirador prenda a respiração no exato momento do disparo, porém é necessária uma pequena pausa respiratória.
  29. 29. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO ACIONAMENTO DA TECLA DO GATILHO Deve ser suave, progressiva e para trás, no sentido contrário do disparo, fazendo com que a força trace uma linha reta ao cano. Na AÇÃO DUPLA, a dobre do dedo entre as falanges deve coincidir com a quina direita da tecla e na AÇÃO SIMPLES ou gatilhos mais leves (pistolas, rifles e espingardas) somente a primeira falange.
  30. 30. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO ACIONAMENTO DA TECLA DO GATILHO AÇÃO DUPLA AÇÃO SIMPLES A T E N Ç Ã O ! QUALQUER FORÇA DIFERENTE DESTA SERÁ UMA GATILHADA E RESULTARÁ EM UM DISPARO FORA DA ÁREA DE VISADA.
  31. 31. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO ACIONAMENTO DA TECLA DO GATILHO
  32. 32. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO ACIONAMENTO DA TECLA DO GATILHO
  33. 33. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO ACIONAMENTO DA TECLA DO GATILHO No próximo slide observaremos como erros no acionamento do gatilho influenciarão no aproveitamento do tiro. As causas mais comuns são: SOBRESSALTO - quando o atirador antes do tiro, assusta-se e levanta a arma; GATILHADA - quando o atirador prevê o tiro, quer “adivinhá-lo” e acaba por direcionar seu pulso e consequentemente a arma para baixo; e MUITO ou POUCO DEDO na tecla do gatilho - causará uma força para um dos lados.
  34. 34. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO DIREÇÃO DO TIRO (ATIRADOR DESTRO) E SUAS CAUSAS Gatilhada Pouco dedo
  35. 35. BASES, POSIÇÕES E FUNDAMENTOS DO TIRO DIREÇÃO DO TIRO (ATIRADOR DESTRO) E SUAS CAUSAS A causa provável é muita força no braço direito.
  36. 36. INCIDENTES DE TIRO CONCEITOS CAUSAS PROVÁVEIS DE INCIDENTES PANES E RESOLUÇÕES
  37. 37. INCIDENTES DE TIRO CONCEITOS INCIDENTE DE TIRO - Ocorre quando se produz uma interrupção dos tiros sem danos materiais e/ou pessoais, por motivo independente da vontade do atirador; ACIDENTE DE TIRO - ocorre quando se produz uma interrupção dos tiros com danos de qualquer natureza, materiais e/ou pessoais.
  38. 38. INCIDENTES DE TIRO CONCEITOS TIRO ACIDENTAL – é todo tiro que se produz em circunstâncias anormais, sem o acionamento regular do mecanismo de disparo, devido a defeitos ou falta do mecanismo de segurança da arma; DISPARO ACIDENTAL – disparar é colocar o mecanismo de disparo da arma em movimento. Nem todo disparo dá origem a um tiro, mas todo tiro é precedido do disparo do mecanismo da arma.
  39. 39. INCIDENTES DE TIRO CAUSAS PROVÁVEIS - REVÓLVER 1) Quando o tambor do revólver não abre: a. Vareta do extrator frouxa; b. Chumbo (resíduo) na antecâmara; c. Projétil preso entre o cano e uma câmara do tambor; d. Parafuso do eixo do suporte do tambor muito apertado; e. Ponta do ferrolho curta, por estar gasta. 2) Quando tambor não fecha: a. Vareta do extrator frouxa; b. Espoleta alta; c. Cartucho mal colocado na câmara; d. Suporte do tambor fora do lugar e. Sujeira entre a dobradiça e a armação.
  40. 40. INCIDENTES DE TIRO CAUSAS PROVÁVEIS - REVÓLVER 3) Quando o acionamento do gatilho se torna muito pesado: a. Sujeira no mecanismo; b. Falta de lubrificação; c. Resíduo de chumbo na antecâmara; d. Parafuso da mola real muito apertado; e. Espoleta alta; f. Cartucho não penetrado totalmente na câmara; g. Tambor não fechado totalmente;
  41. 41. INCIDENTES DE TIRO CAUSAS PROVÁVEIS - REVÓLVER 4) Quando o tambor não gira: a. Resíduo de chumbo na antecâmara; b. Espoleta alta; c. Cartucho não penetrado totalmente na câmara; d. Eixo do impulsor do tambor quebrado; e. Projétil parado entre o cano e uma câmara do tambor; f. Acionamento imperfeito; g. Rebarba da bucha do percussor.
  42. 42. INCIDENTES DE TIRO CAUSAS PROVÁVEIS - REVÓLVER 5) Quando o cão não arma (ação simples): a. Mola da alavanca de armar quebrada; b. Parafuso regulador da mola real apertado demais. 6) Quando o tambor gira livremente: a. Inexistência da mola do retém do tambor; b. Retém do tambor fora do lugar ou quebrado; c. Alojamento do tambor com folga; d. desgaste do retém. 7) Quando o revolver não dispara: a. Mola real desregulada; b. Problemas com a munição;
  43. 43. INCIDENTES DE TIRO CAUSAS PROVÁVEIS - PISTOLA 1) Falha na alimentação, ejeção ou extração: a. Mola carregador apresentando desgaste b. Ejetor quebrado c. Extrator quebrado 2) Falha na percussão: a. Percussor quebrado b. Espoleta negativa 3) Gatilho não retorna à sua posição normal ou se mantém desativado após a colocação do carregador: a.Mola do gatilho quebrada. 4) Cão não permanece armado após o engatilhamento ou tiro: a. Quebra da armadilha do gatilho
  44. 44. INCIDENTES DE TIRO CAUSAS PROVÁVEIS - MUNIÇÃO 1) Quando há dificuldades em colocar o cartucho na câmara: a. Existência de resíduo de chumbo na câmara; b. Cartucho descalibrado; c. Rebarba de chumbo do projétil na borda do cartucho; 2) Falha da munição: a. Pólvora umedecida pela graxa; b. Ausência de pólvora no cartucho; c. pouca pólvora no cartucho (O projétil fica preso no cano ou mal sai do cartucho podendo ficar entre o tambor e o cano); d. Espoleta vencida (não haverá disparo);
  45. 45. INCIDENTES DE TIRO PROCEDIMENO NO CASO DE ALGUMAS PANES: BATE, PUXA E VAI! BATE! (bater na base do carregador); PUXA! (puxar ferrolho a retaguarda); e VAI! (fogo).
  46. 46. INCIDENTES DE TIRO PANES MAIS COMUNS EM PISTOLAS - RESOLUÇÕES PANE SECA CAUSA: Término da munição. RESOLUÇÃO : Inserir um novo carregador e BATE! (bater na base do carregador); PUXA! (puxar ferrolho a retaguarda); e VAI! (continuar os disparos).
  47. 47. INCIDENTES DE TIRO PANES MAIS COMUNS EM PISTOLAS - RESOLUÇÕES FALHA DE ALIMENTAÇÃO (quando não há munição na câmara de explosão). CAUSA: Pode ocorrer em função de cartucho com dimensões erradas, em decorrência da existência de grande quantidade de sujeira de origem externa ou presença de excesso de resíduos provenientes de disparos anteriores acumulados no interior da arma ou ainda por carregadores defeituosos ou mal encaixados. RESOLUÇÃO : BATE! (bater na base do carregador); PUXA! (puxar ferrolho a retaguarda); e VAI! (continuar os disparos).
  48. 48. INCIDENTES DE TIRO PANES MAIS COMUNS EM PISTOLAS - RESOLUÇÕES PANE DE NEGA (munição que nega fogo) CAUSA: Mau funcionamento da munição, tais como ausência da espoleta, espoleta montada invertida ou em profundidade inadequada, falta de um ou mais dos componentes da espoleta (mistura iniciadora e bigorna), espessura do copo da espoleta fora da especificação para o calibre, munição velha ou mal condicionada acarretando sua contaminação por óleo ou umidade, tais falhas também são conhecidas como picotar a espoleta. Pode também ocorrer em função de problema mecânico da arma, como, por exemplo, percussor quebrado, percutida fraca, falha de fechamento do ferrolho, etc. RESOLUÇÃO DA PANE: BATE! (bater na base do carregador); PUXA! (puxar ferrolho a retaguarda); e VAI! (continuar os disparos).
  49. 49. INCIDENTES DE TIRO PANES MAIS COMUNS EM PISTOLAS - RESOLUÇÕES EMBUCHAMENTO CAUSA: Ferrolho não fechou completamente. RESOLUÇÃO DA PANE: EMPURRA! (empurrar o ferrolho); e VAI! (continuar os disparos).
  50. 50. INCIDENTES DE TIRO PANES MAIS COMUNS EM PISTOLAS - RESOLUÇÕES DUPLO CARREGAMENTO CAUSA: É o caso em que o estojo deflagrado não foi corretamente extraído e ejetado, e o ferrolho, no seu caminho de volta traz um novo cartucho que “encavala” sobre ele. RESOLUÇÃO DA PANE: - PUXAR FERROLHO PARA RETAGUARDA; - AGIR NA TRAVA DO FERROLHO – TRAVAR O FERROLHO; - RETIRAR O CARREGADOR (as duas munições deverão cair); - INSERIR UM CARREGADOR MUNICIADO; - GOLPE DE SEGURANÇA; - CONTINUAR OS DISPAROS.
  51. 51. INCIDENTES DE TIRO PANES MAIS COMUNS EM PISTOLAS - RESOLUÇÕES TORRE (CHAMINÉ) CAUSA: Falha na alimentação. RESOLUÇÃO DA PANE: - RETIRAR A MUNIÇÃO COM A PALMA DA MÃO; - GOLPE DE SEGURANÇA; - CONTINUAR OS DISPAROS. ou BATE, PUXA E VAI!
  52. 52. INCIDENTES DE TIRO PANES MAIS COMUNS EM PISTOLAS - RESOLUÇÕES DILATAÇÃO DO ESTOJO CAUSA: munição com excesso de carga (gera uma pressão muito grande e uma dilatação do estojo dentro da câmara travando a arma). RESOLUÇÃO DA PANE: - SEGURAR O FERROLHO de maneira firme com a mão de apoio; - Com a mão forte BATER VIGOROSAMENTE NA EMPUNHADURA (repita este movimento até que o estojo vazio seja ejetado da arma e um novo cartucho seja inserido na câmara).
  53. 53. INCIDENTES DE TIRO CONCLUSÃO A maioria dos incidentes de tiro podem ser evitados com cuidadosa manutenção preventiva da arma, por meio de limpeza e lubrificação adequadas e com o uso da munição correta e adequada para cada tipo de arma
  54. 54. WIKIPEDIA (http://pt.wikipedia.org) BALÍSTICA FORENSE, Domingos Tochetto Cartilha de Armamento e Tiro da Polícia Federal DEFESA ORG (http://www.defesa.org) ARMAS ONLINE (http://armasonline.org) ARMAS BRASIL (http://www.armasbrasil.com) CBC (http://www.cbc.com.br)

×