Zona Azul de São Paulo - História e Avaliação

2.025 visualizações

Publicada em

Zona Azul de São Paulo - História e Avaliação

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.025
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
29
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Zona Azul de São Paulo - História e Avaliação

  1. 1. Agosto 2009 S M
  2. 2. Estacionamento Rotativo Regulamentado Público Histórico da Zona Azul de São Paulo O Sistema Eletrônico de Controle Dados Comparativos Capítulos Cases Porto Alegre (RS) Madrid (Espanha) Santo André (SP) Mogi das Cruzes (SP) S
  3. 3. S M
  4. 4. <ul><li>Indústria automobilística: </li></ul><ul><li>maior cadeira produtiva do mundo </li></ul><ul><li>40 milhões de novos automóveis por ano </li></ul><ul><li>Brasil: 1,6 milhão de veículos por ano </li></ul><ul><li>O aumento da frota não é acompanhado pelo crescimento da infraestrutura viária </li></ul><ul><li>O resultado é o aumento do congestionamentos e a redução da mobilidade nas grandes cidades </li></ul><ul><li>Uma política de estacionamento público é fundamental para a definição da mobilidade nas cidades </li></ul>Estacionamento Rotativo Regulamentado Público Instrumento da Mobilidade Urbana
  5. 5. Estacionamento Rotativo Regulamentado Público AS CIDADES TÊM E TERÃO CADA VEZ MAIS PROBLEMAS COM A FALTA DE ESPAÇO PARA ESTACIONAMENTO
  6. 6. Estacionamento Rotativo Regulamentado Público Estacionamento rotativo regulamentado público é um instrumento da autoridade municipal de trânsito para disciplinar o uso do espaço na via pública. Democratizar e racionalizar o uso de vagas em vias públicas, estimulando a rotatividade: “onde todos estacionam pouco, todos podem estacionar”. Objetivo Conceito
  7. 7. <ul><li>As dificuldades para estacionar: </li></ul><ul><li>causam prejuízos aos motoristas </li></ul><ul><li>ocasionam congestionamentos </li></ul><ul><li>aumentam as probabilidades de acidentes </li></ul><ul><li>aumentam os índices de poluição ambiental </li></ul><ul><li>prejudicam a atividade comercial </li></ul><ul><li>geram problemas para a administração municipal </li></ul>As dificuldades para estacionar Estacionamento Rotativo Regulamentado Público
  8. 8. <ul><li>Determinando locais, horários de funcionamento e tempo </li></ul><ul><li>de permanência, o estacionamento rotativo regulamentado </li></ul><ul><li>público tem como principais metas: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Democratizar e racionalizar o uso de vagas em vias públicas, estimulando a rotatividade </li></ul><ul><li>Diminuir a incidência de veículos estacionados de forma irregular, já que a possibilidade de encontrar vagas é maior </li></ul><ul><li>Melhorar as condições de mobilidade urbana por meio do disciplinamento do estacionamento regulamentado, contribuindo, ainda, para a redução dos índices de poluição ambiental e acidentes de trânsito </li></ul><ul><li>Estimular e promover a atividade comercial, já que a rotatividade disponibiliza mais clientes ao comércio </li></ul>Benefícios da Regulamentação Estacionamento Rotativo Regulamentado Público
  9. 9. S M
  10. 10. <ul><li>Município pioneiro: São Paulo  </li></ul><ul><li>Início: 6 de janeiro de 1975 </li></ul><ul><li>- Decreto nº 11.661, de 30 de dezembro de 1974 </li></ul><ul><li>- Gestão: Miguel Colasuonno </li></ul>São Paulo: primeiro município brasileiro a adotar Zona Azul Histórico da Zona Azul de São Paulo <ul><li>Início do controle pela CET: 19 de março de 1981  </li></ul><ul><li>- Decreto nº 17.115, de 5 de janeiro de 1981, alterado pelo Decreto nº 17.169, de 3 de fevereiro de 1981 </li></ul><ul><li>- Gestão: Reynaldo de Barros </li></ul><ul><li>Zona Marrom – vagas exclusivas para Carga e Descarga </li></ul><ul><li>- Decreto nº 29.908, de 15 de julho de 1991 </li></ul><ul><li>Cartão do Morador </li></ul><ul><li>- Portaria 174, de 8 de setembro de 1992 </li></ul><ul><li>Cartão Estudante (Praça Charles Miller) </li></ul><ul><li>- Portaria 082, de 25 de março de 2006 </li></ul>
  11. 11. <ul><li>Vagas: 33.076 </li></ul><ul><li>Sistema de controle: cartão de preenchimento (voucher)  </li></ul><ul><li>Cartão Azul: 1 hora </li></ul><ul><li>Preço oficial: R$ 1,80 por hora  </li></ul><ul><li>Cartão Marrom: 1 hora </li></ul><ul><li>- Preço oficial: R$ 3,60 por hora  </li></ul><ul><li>Cartão Morador </li></ul><ul><li>- Preço oficial: R$ 74,59 mensais (referência jan/09) </li></ul><ul><li>Cartão Estudante (Praça Charles Miller) </li></ul><ul><li>- Preço oficial: R$ 45,65 mensais (referência jan/09) </li></ul><ul><li>Distribuição dos cartões </li></ul><ul><li>- Duas grandes distribuidoras - 15% de comissão </li></ul>Dados Gerais Histórico da Zona Azul de São Paulo
  12. 12. <ul><li>Distribuição deficitária de cartões </li></ul><ul><li>Ágio para venda de folhas avulsas </li></ul><ul><li>Proliferação de pontos de venda clandestina </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Mercado Clandestino </li></ul><ul><ul><li>Preços até 150% mais caros que os oficiais </li></ul></ul><ul><ul><li>Adulteração de cheques </li></ul></ul><ul><ul><li>Reaproveitamento de cartões </li></ul></ul><ul><ul><li>Coerção exercida pelos flanelinhas </li></ul></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Fraudes </li></ul><ul><ul><li>Falsificação de cartões </li></ul></ul><ul><ul><li>Roubo de lotes de cartões por quadrilhas </li></ul></ul><ul><ul><li>especializadas </li></ul></ul>Principais Problemas do Sistema Atual (voucher) Histórico da Zona Azul de São Paulo
  13. 13. Histórico da Zona Azul de São Paulo A Zona Azul na Imprensa Em 1994, a Prefeitura deixou de arrecadar R$ 2,4 milhões por causa de talões adulterados
  14. 14. Histórico da Zona Azul de São Paulo A Zona Azul na Imprensa Motoristas chegam a pagar até R$ 18,00 por dez folhas; valor em revendas autorizadas é R$ 12,00
  15. 15. Histórico da Zona Azul de São Paulo A Zona Azul na Imprensa Ágio cobrado pelos atravessadores chega a 150%; Prefeitura não impede o comércio irregular dos talões
  16. 16. Histórico da Zona Azul de São Paulo A Zona Azul na Imprensa Os chamados “guardadores” vendem aos cidadãos o direito de estacionar em local público
  17. 17. Histórico da Zona Azul de São Paulo A Zona Azul na Imprensa CET, prefeitura e polícia não combatem venda irregular de talões de Zona Azul
  18. 18. Histórico da Zona Azul de São Paulo A Zona Azul na Imprensa Material roubado não terá validade e fiscais estão treinados para identificá-los nos carros.
  19. 19. Histórico da Zona Azul de São Paulo A Zona Azul na Imprensa Com intimidação e achaque, flanelinhas loteiam as ruas e infernizam os paulistanos
  20. 20. Histórico da Zona Azul de São Paulo A falsificação de talões dá prejuízo de até R$ 500 mil mensais. Segundo estudo da CET, folhas irregulares já correspondem a 20% do total vendido, de cerca de 170 mil unidades por mês. A Zona Azul na Imprensa
  21. 21. Histórico da Zona Azul de São Paulo A Zona Azul na Imprensa Além de falsificados, os 233 bilhetes ainda eram vendidos quase que pelo dobro do preço cobrado pela CET
  22. 22. Histórico da Zona Azul de São Paulo A Zona Azul na Imprensa Quarteirões vendidos por valores que vão de R$ 2 a R$ 30 mil. O que pode parecer uma pechincha do mercado imobiliário é, na verdade, uma nova categoria de comércio ilegal: venda clandestina de áreas de atuação de vendedores de folhas de Zona Azul.
  23. 23. A Zona Azul na Imprensa Histórico da Zona Azul de São Paulo
  24. 24. A Zona Azul na Imprensa Histórico da Zona Azul de São Paulo Alguns dos postos autorizados pela CET chegam a cobrar quase 40% a mais pelo cartão. Dos 12 locais visitados pela reportagem, apenas 3 vendiam a Zona Azul pelo preço oficial. Na maioria dos estabelecimentos, cada folha custa R$ 2,50.
  25. 25. A Zona Azul na Imprensa Histórico da Zona Azul de São Paulo
  26. 26. A Zona Azul na Imprensa Histórico da Zona Azul de São Paulo O Estado de São Paulo 12 de janeiro de 2009
  27. 27. Agora São Paulo 19 de janeiro de 2009 A Zona Azul na Imprensa Histórico da Zona Azul de São Paulo
  28. 28. SPTV – Rede Globo | 25 de agosto de 1998 Tema: Cartões Falsificados A Zona Azul na Imprensa Histórico da Zona Azul de São Paulo
  29. 29. Cidade Alerta – Rede Record - 24 de novembro de 1998 Tema: Golpes / Adulteração de Cheques A Zona Azul na Imprensa Histórico da Zona Azul de São Paulo
  30. 30. SPTV – Rede Globo - 12 de setembro de 2000 Tema: Mercado Clandestino A Zona Azul na Imprensa Histórico da Zona Azul de São Paulo
  31. 31. Jornal da Band – TV Bandeirantes - 4 de janeiro de 2008 Tema: Flanelinhas e Fiscais da CET A Zona Azul na Imprensa Histórico da Zona Azul de São Paulo
  32. 32. Pesquisa ABRAERP Histórico da Zona Azul de São Paulo A Zona Azul de São Paulo é um serviço importante, com expressiva freqüência de utilização pelos paulistanos 82% dos entrevistados afirmaram encontrar grande dificuldade para localizar postos de venda oficial do Cartão Azul
  33. 33. Pesquisa ABRAERP Histórico da Zona Azul de São Paulo A maioria dos paulistanos já comprou o Cartão Azul de vendedores não-autorizados A compra do Cartão Azul de vendedores clandestinos acontece com freqüência
  34. 34. Tentativa de Modernização do Sistema Histórico da Zona Azul de São Paulo <ul><li>Lei nº 12.523 - de 28 de novembro de 1997 Autoriza o Executivo a outorgar, mediante licitação, concessão para exploração de estacionamento em vias e logradouros públicos por meio de operação eletrônica </li></ul><ul><li>Decreto nº 37.292/98 </li></ul><ul><li>(alterado pelo Decreto nº 37.540/98) </li></ul><ul><li>Regulamenta a lei nº 12.523 </li></ul><ul><li>Fevereiro de 1999: Projeto suspenso pelo SMT </li></ul><ul><li>Licitação aberta em 2003 e novamente suspensa no dia da apresentação das propostas (novembro) </li></ul>
  35. 35. Urgência na Modernização do Sistema Histórico da Zona Azul de São Paulo
  36. 36. S M
  37. 37. <ul><li>O sistema de parquímetros individuais (monovaga ou bivaga) foi, no passado, largamente utilizado principalmente na América do Norte.  </li></ul><ul><li>Em operação há mais de 60 anos, os primeiros modelos operavam por meio de sistema mecânico, aceitando exclusivamente moedas como forma de pagamento. </li></ul><ul><li>Posteriormente, as máquina mecânicas foram substituídas por equipamentos individuais eletrônicos, que aceitam moedas e/ou cartão eletrônico.  </li></ul><ul><li>Atualmente, esta modalidade de controle está sendo substituída pelos parquímetros eletrônicos multivagas.  </li></ul>Histórico O Sistema Eletrônico de Controle
  38. 38. Primeira Operação com Parquímetros | Oklahoma | 1937 O Sistema Eletrônico de Controle
  39. 39. <ul><li>40 países </li></ul><ul><li>4 mil cidades </li></ul><ul><li>180 mil parquímetros eletrônicos multivagas </li></ul><ul><li>Brasil: mais de 20 cidades </li></ul>O Sistema Eletrônico de Controle Sistema Eletrônico de Controle – Experiência Mundial
  40. 40. A Experiência Mundial Nova York Amsterdã O Sistema Eletrônico de Controle
  41. 41. Paris Paris Paris A Experiência Mundial O Sistema Eletrônico de Controle
  42. 42. Madrid Madrid A Experiência Mundial O Sistema Eletrônico de Controle
  43. 43. O Sistema Eletrônico de Controle A Experiência Mundial Estacionamento Rotativo Público de Madrid
  44. 44. A Experiência Mundial O Sistema Eletrônico de Controle
  45. 45. <ul><li>Em virtude dos problemas apresentados pelos sistema voucher (cartões de preenchimento ou raspagem), os municípios brasileiros estão modernizando o controle de seus estacionamentos rotativos públicos, adotando: </li></ul><ul><li>Sistema eletrônico de controle com parquímetros eletrônicos multivagas </li></ul><ul><li>Experiência brasileira tem demonstrado que: </li></ul><ul><ul><li>A tecnologia atende perfeitamente ao mercado brasileiro </li></ul></ul><ul><ul><li>O público usuário se adapta com facilidade à modalidade eletrônica </li></ul></ul>A Experiência Brasileira O Sistema Eletrônico de Controle
  46. 46. Total 21 Municípios 27 .05 6 vagas 1 .284 parquímetros A Experiência Brasileira O Sistema Eletrônico de Controle
  47. 47. <ul><li>Sistema Pay & Display (emissor de tíquete)  </li></ul><ul><li>Formas de pagamento </li></ul><ul><ul><li>Moedas de R$ 0,05 a R$ 1,00 (novas e antigas) </li></ul></ul><ul><ul><li>Cartão inteligente (descartável ou recarregável) </li></ul></ul><ul><ul><li>Cartão de crédito / débito  </li></ul></ul><ul><ul><li>Por celular – modos voice ou sms </li></ul></ul><ul><li>Emite tíquete que deve ser colocado no painel do veículo </li></ul><ul><li>É a modalidade mais utilizada no mundo e no Brasil </li></ul>A Experiência Brasileira O Sistema Eletrônico de Controle
  48. 48. O Sistema Eletrônico de Controle Inserir o cartão inteligente recarregável Apertar o botão azul para selecionar tempo Apertar o botão verde para confirmar Retirar o tíquete e colocá-lo no painel do veículo Sistema Eletrônico de Controle – Facilidade de uso: Cartão
  49. 49. O Sistema Eletrônico de Controle Sistema Eletrônico de Controle – Facilidade de uso: Moedas Inserir moedas Apertar o botão verde para confirmar Retirar o tíquete e colocá-lo no painel do veículo
  50. 50. • Equipe de monitoramento tem funções exclusivas de:   - Monitorar - Coletar e registrar dados - Emitir aviso de irregularidade - Prestar serviços de apoio aos usuários e à comunidade • A equipe não tem como principal função a venda de cartões, dedicando-se ao monitoramento de forma efetiva   • Utiliza equipamento eletrônico (palm top) e rádio para imediata comunicação  Monitoramento, Controle e Coleta de Dados O Sistema Eletrônico de Controle
  51. 51. • Operações registradas em memória inviolável do parquímetro • Moedas depositadas em cofres internos lacrados • Retirada de moedas - Transferência automática para compartimentos individuais - Equipe de coleta não tem contato com moedas - Emissão automática de relatório • Emissão de relatórios estatísticos e financeiros a qualquer momento - Fácil e ágil auditoria por parte do poder público Integridade da Arrecadação O Sistema Eletrônico de Controle
  52. 52. Avanços Tecnológicos O Sistema Eletrônico de Controle Avanços Tecnológicos O Sistema Eletrônico de Controle S M
  53. 53. <ul><li>T ransmissão on-line de dados dos parquímetros </li></ul><ul><li>Parquímetros equipados com GPRS </li></ul><ul><li>Gerenciamento de dados: software exclusivo, com mapa georeferenciado </li></ul><ul><li>Informações detalhadas em tempo real </li></ul><ul><li>garantindo agilidade e transparência </li></ul><ul><li>Monitoramento on-line: coleta e transmissão </li></ul><ul><li>de dados via PDAS com GPS e Câmara Digital </li></ul>On-Street Parking | Estacionamento Rotativo Público Sistema On-line
  54. 54. <ul><li>O sistema permite ao usuário, previamente cadastrado, validar o estacionamento por meio do celular </li></ul><ul><li>Tarifa fracionada por minuto, a partir do período mínimo estabelecido </li></ul><ul><li>Cobrança em fatura mensal </li></ul><ul><li>Controle eficiente de todos os processos, com acesso a relatórios em tempo real </li></ul><ul><li>Fiscalização mais eficiente e integrada </li></ul><ul><li>Comodidade para os usuários </li></ul>On-Street Parking | Estacionamento Rotativo Público Pagamento Tarifa por Celular
  55. 55. • Reorganiza e democratiza a oferta de vagas • Oferecer total segurança e autonomia p ara o usuário   • Disponibiliza pagamento em moedas ou cartão inteligente do sistema  • Permite fracionamento da tarifa   • Impede a atuação de intermediários na comercialização de comprovantes  • Promove a atividade comercial (facilita acesso)  • Garante total segurança no controle da receita (auditoria simplificada)  • Impede fraudes e falsificações Benefícios O Sistema Eletrônico de Controle
  56. 56. SPTV – Rede Globo - 14 de janeiro de 2009 Tema: Parquímetros Eletrônicos na Grande São Paulo Guarulhos | Santo André | Jundiaí | Mogi das Cruzes | Osasco A Zona Azul Eletrônica na Imprensa O Sistema Eletrônico de Controle
  57. 57. SP Acontece – Band - 19 de março de 2009 Tema: ZAE de Santo André e tecnologias da ZA de São Paulo A Zona Azul Eletrônica na Imprensa O Sistema Eletrônico de Controle
  58. 58. S M
  59. 59. Case: Santo André (SP) Dados Gerais <ul><li>Sistema Eletrônico </li></ul><ul><li>- Início da operação: fevereiro de 1999 </li></ul><ul><li>- Vagas iniciais: 1.100 </li></ul><ul><li>- Vagas atuais: 1.671 </li></ul><ul><li>- Parquímetros: 82 </li></ul><ul><li>- Tíquetes/mês*: 178,3 mil </li></ul><ul><li>- Arrecadação média/mês*: R$ 195,3 mil </li></ul><ul><li>* Média mensal 2008 </li></ul><ul><li>Sistema Voucher </li></ul><ul><li>- Lei Municipal nº 4.879, de 9 /7/1975 </li></ul><ul><li>- Gerenciamento – Prefeitura </li></ul><ul><li>- Vagas: 600 </li></ul><ul><li>- Cartelas/mês: 41.280 </li></ul><ul><li>- Arrecadação média mensal: 26 mil </li></ul>
  60. 60. Case: Santo André (SP) Resultados Imediatos <ul><li>Melhores condições para o sistema viário </li></ul><ul><li>Maior oferta de vagas </li></ul><ul><li>Fortalecimento do comércio </li></ul><ul><li>Eliminação do comércio paralelo (flanelinhas) </li></ul>
  61. 61. S M
  62. 62. Case: Mogi das Cruzes (SP) Vagas / Parquímetros <ul><li>Início: 8 de dezembro de 2008 </li></ul><ul><li>Total de Vagas </li></ul><ul><li>Zona Azul: 1.024 vagas </li></ul><ul><li>Zona Branca: 20 vagas </li></ul><ul><li>Pessoas com Deficiência Física: 31 </li></ul><ul><li>Motos: 36 bolsões, 210 vagas </li></ul><ul><li>Parquímetros Eletrônicos Multivagas </li></ul><ul><li>48 equipamentos </li></ul>
  63. 63. Case: Mogi das Cruzes (SP) Desafio em Mogi <ul><li>Característica urbanísticas semelhantes as de cidade européias </li></ul><ul><ul><li>Cidade antiga, que preza por seu patrimônio histórico e ambiental </li></ul></ul><ul><ul><li>Vias e calçadas estreitas </li></ul></ul><ul><ul><li>Edificações tombadas </li></ul></ul><ul><ul><li>Projeto da ZAE baseou-se: </li></ul></ul><ul><ul><li>Especificações do projeto da Secretaria Municipal de Transportes </li></ul></ul><ul><ul><li>Conceito técnicos </li></ul></ul><ul><ul><li>Equipe técnica e especializada em engenharia de trânsito e estacionamento </li></ul></ul>
  64. 64. S M
  65. 65. Case: Porto Alegre (RS) Dados Gerais <ul><li>Sistema Voucher </li></ul><ul><li>- Lei Municipal nº 6.002, 2/12/1987 </li></ul><ul><li>- Gerenciamento – Prefeitura </li></ul><ul><li>- Vagas: 1.300 </li></ul><ul><li>- Cartelas/mês: 64 mil </li></ul><ul><li>- Arrecadação média mensal: 64 mil </li></ul><ul><li>Sistema Eletrônico </li></ul><ul><li>- Início da operação: março de 2001 </li></ul><ul><li>- Vagas iniciais: 2.800 mil </li></ul><ul><li>- Vagas atuais: 4.243 </li></ul><ul><li>- Parquímetros: 214 </li></ul><ul><li>- Tíquetes/mês: 350 mil </li></ul><ul><li>- Arrecadação média/mês: R$ 405 mil </li></ul>
  66. 66. Case: Porto Alegre (RS) Resultados Imediatos <ul><li>Aumento da rotatividade </li></ul><ul><li>Maior disponibilidade de vagas </li></ul><ul><li>Incentivo ao comércio </li></ul><ul><li>Eliminação da ação de flanelinhas </li></ul><ul><li>Pedidos de ampliação para outros bairros (comerciantes, moradores e usuários) </li></ul><ul><li>Renovação e manutenção de sinalização por parte da concessionária </li></ul><ul><li>Eficiência e qualidade dos serviços </li></ul>
  67. 67. S M
  68. 68. Case: Madrid (Espanha) Dados Gerais <ul><li>Sistema Voucher </li></ul><ul><li>- Desde 1980 </li></ul><ul><li>- Gerenciamento – Prefeitura </li></ul><ul><li>- Vagas: 45 mil </li></ul><ul><li>Sistema Eletrônico </li></ul><ul><li>- Início da operação: nov/2002 </li></ul><ul><li>- Vagas iniciais: 50 mil </li></ul><ul><li>- Vagas atuais: 166 mil </li></ul><ul><li>- Parquímetros: 2.500 </li></ul>
  69. 69. S M
  70. 70. Dados Comparativos
  71. 71. Layout Ilustrativo de Instalação de Parquímetro Rua João Cachoeira - Itaim Bibi
  72. 72. Rua João Cachoeira - Itaim Bibi Layout Ilustrativo de Instalação de Parquímetro
  73. 73. S M

×